Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Governo de Minas vai implantar Centro Floresta-Escola no Triângulo Mineiro

Projeto será desenvolvido numa área de 2,4 milhões de metros quadrados na Cidade das Águas Unesco-Hidroex

O Governo de Minas desenvolve ações de incentivo à pesquisa para aplicação de políticas voltadas à preservação dos ecossistemas. Uma dessas ações será a implantação do Centro de Ciências Ambientais Floresta-Escola (CECAFE), na Cidade das Águas Unesco-Hidroex, em Frutal, no Triângulo Mineiro, a partir de 1º de junho.

A iniciativa tem a parceria da Universidade Federal de Viçosa (UFV) com um grupo de 25 pesquisadores, entre mestres, doutores e pós-doutores. A criação do Cecafe tem o objetivo de gerar conhecimento para adotar políticas de reabilitação e restauração do meio ambiente com foco nos recursos hídricos e na biodiversidade. A meta é colocar o Centro de Ciências Ambientais Floresta-Escola como uma referência internacional de pesquisa em parceria com a UFV, instituição de reconhecido know how em florestas.

O pesquisador João Augusto Alves Meira Neto, com pós-doutorado pela Universidade de Lisboa, será o coordenador do projeto. Segundo ele, serão instalados na Cidade das Águas  Unesco-Hidroex: laboratórios de Ecologia; Sistemas de Informações Geográficas (SIG), Biologia Molecular e Anatomia Vegetal. Uma área de 2,4 milhões de metros quadrados, localizada na região de Vila Barroso, foi destinada para pesquisa em campo, às margens do Rio Grande.

O trabalho dos pesquisadores será iniciado ainda esta semana com o censo de toda a floresta para subsidiar os estudos. Segundo o vice-presidente da Cidade das Águas Unesco-Hidroex, Alexandre Saad, a parceria da UFV será de fundamental importância como instituição integrante do Condomínio Temático da Cidade das Águas. “O Governo de Minas inaugura, em Frutal, um momento histórico para a pesquisa brasileira”, disse.

O Unesco-Hidroex é uma fundação vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e o projeto Cidade das Águas é uma das prioridades do Governo de Minas para a área de pesquisa e gestão dos recursos hídricos. O projeto já tem inclusive uma série de parcerias nacionais e internacionais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-vai-implantar-centro-floresta-escola-no-triangulo-mineiro/

Governo de Minas: novos membros da Academia Brasileira de Ciências tomam posse

Secretário-adjunto de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais é um dos novos integrantes da Academia Brasileira de Ciência

Osvaldo Afonso/Secom
Evaldo Vilela durante pronunciamento no  1º Fórum para Internacionalização do Ensino Superior de Minas Gerais
Evaldo Vilela durante pronunciamento no 1º Fórum para Internacionalização do Ensino Superior de Minas Gerais

A cerimônia de posse dos novos membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) será na terça-feira (8) durante a Reunião Magna. Entre os membros quer irão tomar posse está o secretário-adjunto de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Ferreira Vilela, que foi pela Seção “Ciências Agrárias”, representando a Universidade Federal de Viçosa (UFV), onde foi reitor. Esta foi a segunda indicação para ABC que Vilela recebeu.

“É uma honra pertencer à ABC, onde nós temos grandes cientistas e pessoas experientes na condução da ciência no país. Cada dia mais, a Associação se projeta no cenário nacional, auxiliando o governo federal e os estados a implementar a economia do conhecimento com base no desenvolvimento científico e tecnológico”, comenta Vilela.

Sobre a importância da indicação para Minas, Vilela destacou o reconhecimento do trabalho feito a favor do desenvolvimento inovador, onde teve forte participação no processo de transferência de tecnologia das universidades para o setor industrial por meio do Sistema Mineiro de Inovação (Simi). “No Brasil ainda não existem muitas pessoas que buscam ter uma ideia mais detalhada do mercado, ou seja, das necessidades de avanços tecnológicos e inovações, e levar isso para as universidades. A Academia Brasileira de Ciências me incluiu nesse perfil e eu estou muito feliz. Agora vamos trabalhar dentro de uma programação estabelecida pela ABC em prol da inovação no Brasil”, destaca.

Vilela é mineiro de Campo Belo, formou-se em Agronomia pela UFV, é Mestre em Entomologia pela USP e Ph.D em Ecologia pela Universidade de Southampton, Inglaterra. Realizou pós-doutoramentos nas Universidades da Califórnia-Berkeley (EUA), de Nuremberg-Erlangen (Alemanha) e Tsukuba, Japão. É Pesquisador 1A do CNPq, com mais de cem artigos científicos referenciados e 38 mestres e doutores orientados. Vilela também é o atual presidente da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA).

A lista completa dos novos membros para as diversas seções da ABC pode ser acessada no link: http://www.abc.org.br/article.php3?id_article=1768

Reunião Magna

A Reunião Magna é uma das grandes reuniões científicas anuais da ABC. No encontro, jovens cientistas e grandes nomes da ciência nacional e internacional se reúnem para discutir as mais recentes pesquisas das grandes áreas do conhecimento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/novos-membros-da-academia-brasileira-de-ciencias-tomam-posse/

Gestão Anastasia: governo de Minas promove fórum com universidades mineiras e australianas

O evento visa à internacionalização das instituições mineiras, incrementando as parcerias para o desenvolvimento da ciência e da inovação

Divulgação/Sectes MG
Secretário Narcio Rodrigues durante pronunciamento no encerramento do fórum
Secretário Narcio Rodrigues durante pronunciamento no encerramento do fórum

O ensino superior público de Minas Gerais tem se destacado cada vez mais pela sua excelência. Contudo, apesar de parcerias isoladas com diversas universidades do mundo, há a necessidade de inserção efetiva, ou seja, tornar as instituições mineiras internacionais. Com esse foco, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), realizou, nesta terça-feira (20), na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte, o 1º Fórum para Internacionalização do Ensino Superior de Minas Gerais, Missão Group of Eight Austrália.

O evento, realizado em parceria com o Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior (Ipes), que reúne 14 universidades públicas de Minas Gerais, atraiu reitores, pró-reitores, professores e pesquisadores mineiros e australianos. Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, Mário Neto Borges, o conhecimento não tem fronteiras, razão pela qual a interação das instituições mineiras com as australianas é fundamental para o crescimento dos dois lados. Ele aproveitou para dizer que o Governo de Minas, por meio da Fapemig e Sectes, já tem parceria concreta com a Universidade de Queensland na área de mineração.

O diretor-executivo do Group of Eight, Austrália, Michael Gallagher, ressaltou a importância da cooperação nas diversas áreas de interesse das universidades. “São acordos reais do que pretendemos fazer”, afirmou Gallagher. O Group of Eight (Go8) é um consórcio das principais e melhores universidades australianas. Juntas, elas representam 80% das pesquisas em universidades do país, recebendo financiamentos governamentais e da indústria para pesquisa. Integram o grupo: University of Queensland, The University of Melbourne, The University of Sydney, University of Western Australia, Monash University, Australian National University, The University of Adelaide e The University of New South Wales.

As áreas de excelência das oito universidades são abrangentes. Entre as que convergem com Minas Gerais, destacam-se: exploração mineral, tecnologia da informação, biotecnologia (vacinas e estudos com células-tronco), meio ambiente, água e energias limpas. O embaixador da Austrália no Brasil, Brett Hackett, disse que as instituições de Minas estão entre as melhores da América Latina e do mundo, e que há grande interesse do seu país na interação e na cooperação entre as universidades.

O presidente do Fórum das Ipes e reitor da Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Paulo Márcio Faria e Silva, fez uma exposição do perfil de todas as 14 instituições públicas mineiras, sendo 11 universidades federais, duas estaduais e o Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-MG). Elas possuem 150 mil alunos matriculados, com cerca de 500 cursos de graduação. São ofertadas 36 mil vagas anualmente nos cursos presenciais dessas instituições.

O secretário-adjunto de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Vilela, manifestou o desejo de intensificar as parcerias entre Minas e Austrália no campo acadêmico. Reforçou, ainda, a ideia do consórcio de universidades como algo facilitador, mesmo que cada uma mantenha suas especificidades. “Nossas universidades são unidas, mas podemos focar mais”, afirmou Vilela, com a experiência de reitor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), período em que firmou diversas parcerias internacionais.

Ao encerrar o evento, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, falou da importância da cooperação internacional para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Ele destacou, entre outros, o projeto Cidade das Águas, em Frutal, no Triângulo Mineiro, que já conta com a adesão de oito universidades mineiras para integrar o Condomínio Temático de Empresas e Instituições.

Narcio Rodrigues também explicou a proposta feita ao Ministério da Educação e ao CNPq sobre o programa Ciência sem Fronteiras para as águas, que pode facilitar a internacionalização com as universidades, contribuindo para a melhoria da gestão dos recursos hídricos. Quanto ao seminário, ele concluiu como um marco para as universidades avançarem, tanto as federais quanto as estaduais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-promove-forum-com-universidades-mineiras-e-australianas/

Gestão da Educação: novo espaço promove integração das instituições públicas de ensino superior de Minas

Inauguração aconteceu durante o Fórum da Ipes, que discutiu internacionalização do ensino superior de Minas Gerais

Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Secretário Narcio Rodrigues assina documento para criação do Fórum das Ipes
Secretário Narcio Rodrigues assina documento para criação do Fórum das Ipes

Mais um passo importante foi dado para fortalecer o ensino superior em Minas. O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, se reuniu, nesta quarta-feira (7), com as 14 instituições públicas de ensino superior de Minas Gerais, que compõem o Fórum das Ipes. Além da integração do ensino superior mineiro e da sua internacionalização, o evento foi marcado pela inauguração do espaço destinado às instituições pelo Governo de Minas na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves.

O fórum, constituído em 2003, tem como objetivo a atuação conjunta das instituições partícipes, a fim de articular e ampliar as ações de cooperação já existentes entre elas. A criação do espaço na Cidade Administrativa, que será chamado de Fórum Permanente das Ipes, é uma alternativa para aproximar ainda mais as universidades e seus reitores, reunir e estreitar as relações com o Governo de Minas, além de contribuir para o encaminhamento de processos administrativos.

Narcio Rodrigues reforçou a importância do Fórum das Ipes, destacando que é uma das experiências mais notáveis para organizar as demandas da academia e trazê-las para o Governo de Minas, como também a importância do espaço dentro da sede do governo para consolidar a qualidade do ensino superior do Estado. “Estamos vivendo um momento de reestruturação do papel das universidades estaduais, e esta integração é importante para que as instituições estejam em sintonia com os vários projetos da secretaria”, completa

Durante o evento, foi colocada em pauta a necessidade da internacionalização da educação superior, educação a distância, pesquisa, extensão e inovação. Houve apresentação do ‘Group of Eight’ – consórcio das melhores universidades da Austrália a Belo Horizonte no final de março. Durante a visita, as instituições de ensino superior mineiras serão mostradas, como também as políticas públicas da Sectes para internacionalização do ensino superior e pesquisa em Minas Gerais, criando um espaço aberto para discussões.

O Fórum das Ipes conta com 14 instituições. São elas: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Universidade Federal de Uberlândia (UFU); Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM); Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM); Universidade Federal de Alfenas (Unifal); Universidade Federal de Itajubá (Unifei); Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ); Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); Universidade Federal de Lavras (Ufla); Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop); Universidade Federal de Viçosa (UFV); Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg); Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet – MG).

Fonte: Agência Minas