Arquivos do Blog

Governador Anastasia lança Caravana Mães de Minas para reduzir mortalidade infantil e materna

Caravana percorrerá municípios mineiros com estandes e oficinas para atendimento a mães, gestantes e seus familiares
Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Anastasia faz pronunciamento no lançamento da Caravana Mães de Minas, no Auditório JK
Anastasia faz pronunciamento no lançamento da Caravana Mães de Minas, no Auditório JK

O governador Antonio Anastasia lançou, nesta quarta-feira (29), a Caravana Mães de Minas, que faz parte de um dos programas mais importantes do Governo do Estado, o Mães de Minas, criado para fortalecer as ações para reduzir a mortalidade infantil e materna no Estado. A Caravana percorrerá todas as regiões mineiras, levando informações sobre os cuidados que mães, gestantes e familiares devem ter durante a gravidez e os primeiros tempos de vida das crianças.

As equipes ficarão três dias em cada cidade, onde realizará oficinas abordando temas, como os benefícios do aleitamento materno, vantagens do parto normal e os cuidados que se deve ter com o bebê no primeiro ano de vida. A proposta é criar espaços confortáveis e acolhedores para que mulheres se sintam à vontade para aprender e trocar experiências. O trabalho da Caravana começa no próximo dia 9, em Belo Horizonte.

Segundo o governador, o programa não é do Governo, nem do Estado, mas de toda a sociedade. Cerca de 40 mil voluntários participarão do projeto, o que, segundo Anastasia, contempla a proposta de Minas em fazer um Governo voltado para o cidadão.

“Esse programa é de todos nós, da sociedade como um todo. Em Minas Gerais, estamos fazendo uma tentativa, que não é fácil, de ter a chamada cidadania plena na execução das políticas públicas. No Brasil, somos acostumados, durante séculos, termos o Governo de um lado e a sociedade de outro. E o Governo implementando políticas públicas, muitas vezes, completamente divorciadas da realidade e com pouca efetividade, porque distante do cotidiano, do dia a dia das pessoas”, afirmou.

Anastasia destacou que “a ideia de uma Gestão para a Cidadania tem o propósito de iniciar um movimento gradual, palatino, calmo, mas fundamental para que tenhamos a sociedade participando de modo ativo, preponderante e com protagonismo das diversas ações do Governo”.

A presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, elogiou a ação do Estado e disse que o projeto está em total alinhamento com a vida. “Nós precisamos criar um útero social que seja realmente capaz de gestar pessoas à altura do projeto original, da forma como a natureza preparou as coisas para ser. Infelizmente, nós não temos sido capazes de implantar isso no Brasil e o que eu vejo aqui é um exemplo muito importante de criação de um útero social funcional, capaz de gerar a vida no seu primeiro passo. Ela é pré-requisito para que todas as outras etapas possam ser dadas”, destacou.

Para o coordenador do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para os Estados de Minas Gerais e São Paulo, Silvio Kaloustian, Minas torna-se mais uma vez referência para o Brasil. “Já estivemos com o governador Anastasia e tivemos uma sinalização muito clara, da intenção, da decisão governamental em fazer da sua gestão uma alavanca pela cidadania. É muito importante destacar a caravana como um mecanismo, uma ferramenta, uma estratégica, uma inovação metodológica e fazer com que realmente esse projeto, as intenções, as metas, tudo isso chegue no campo”, afirmou.

O presidente da regional Leste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Associação dos Amigos da Pastoral da Criança (Aapac), Dom José Alberto Moura, bispo de Montes Claros, lembrou que o próprio Cristo pregou a vida em abundância para todos. “Neste ano, na Campanha da Fraternidade, estamos focalizando a Saúde Pública. Deus quer que a saúde se difunda por toda a Terra. Mas somos nós os responsáveis por cuidar disso. E esse programa Mães de Minas se coloca nessa perspectiva”, disse.

As ações

O primeiro município a receber a Caravana será Belo Horizonte, nos dias 9, 10 e 11 de março. Os estandes e oficinas serão montados na Escola Estadual Pascoal Comanducci, no bairro Jaqueline, na região de Venda Nova.

Já estão agendadas visitas em outros 11 municípios entre 23 de março e 26 de agosto. São eles: Ribeirão das Neves, Divinópolis, Varginha, Diamantina, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Patos de Minas, Uberaba e Uberlândia.

A Caravana é formada por uma equipe de 15 pessoas, entre técnicos da área de saúde, lideranças comunitárias e profissionais com experiência em trabalhos voltados para a mulher. A equipe foi contratada e capacitada pela Associação Imagem Comunitária, ONG parceira do governo mineiro na execução dos projetos de mobilização do Mães de Minas.

A capacitação foi acompanhada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e pela Unicef, instituição que também desenvolve ações em parceiras com o Governo de Minas no combate à mortalidade infantil e materna no Norte e Nordeste do Estado.

“Ao cuidarmos da concepção ao primeiro ano de vida, ao ter a coragem de assumir o recorte desse ciclo de vida como a nossa maior prioridade, buscando mobilizar a sociedade para transformar a maternidade no maior patrimônio dos mineiros, nós estamos plantando uma infância mais saudável. E quem planta uma infância mais saudável, terá adiante uma sociedade mais saudável. E uma sociedade mais saudável é a principal premissa para uma sociedade mais justa”, destacou o secretário de Saúde, Antonio Jorge de Souza.

Mortalidade infantil e materna

Em 2003, de cada mil crianças nascidas vivas em Minas Gerais, 17,47 morriam antes de completar um ano de idade. Dados preliminares do DataSUS mostram que, em 2011, o número de mortes caiu para 12,17, o que reduziu a Taxa de Mortalidade Infantil no Estado em 30,35% no período. Quanto à mortalidade materna, os resultados também são positivos. Em 2003, a Razão de Morte Materna no Estado era de 39,01 óbitos a cada 100 mil partos. No ano passado, a taxa de óbitos caiu para 32,88, o que mostra uma redução de 15,88%.

“Não podemos ficar satisfeitos. Ao contrário. Nós somos cada vez mais desafiados e, para isso, estamos lançando essa grande bandeira para toda a sociedade mineira, ajudarmos a todos nós para reduzirmos de maneira muito efetiva esses indicadores que ainda não são bons”, disse o governador Anastasia.

A meta de Minas Gerais para 2015 é reduzir a Taxa de Mortalidade Infantil para menos de 10 óbitos a cada mil nascidos vivos e reduzir em dois terços a mortalidade materna. A Caravana Mães de Minas vai contribuir para o alcance desses objetivos.

“De nossa parte, o Governo vai trabalhar à exaustão para que de fato nós tenhamos um projeto exitoso e daqui dois, três, quatro anos, quando fizemos o balanço dele, possamos constatar que tivemos êxito porque as nossas crianças estão mais acolhidas, mais protegidas em um mundo que muitas vezes é muito egoísta”, afirmou o governador.

 Como participar

A Caravana Mães de Minas faz parte do Programa Mães de Minas, lançado em agosto de 2011, com o objetivo de garantir atenção integral à saúde de gestantes, desde o início da gravidez até o primeiro ano de vida do bebê.

Para participar, a gestante assistida pela rede pública e particular deve ligar para o call center 155 e se cadastrar no Sistema de Identificação da Gravidez. Já foram cadastradas 1.286 gestantes, de 43 municípios mineiros. Feito o cadastro, as mulheres passam a ser acompanhadas.

A equipe de atendentes é formada por avós e mães treinadas para oferecer atendimento humanizado. Elas checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco. Estão sendo contratados médicos e enfermeiros para plantão no call Center, no caso da gestante precisar de informação mais específica e detalhada.

Estandes e oficinas da Caravana Mães de Minas

Estande de cadastramento no 155 – Espaço onde mães e gestantes terão informações detalhadas sobre o Programa Mães de Minas. Será disponibilizado telefone para que as próprias gestantes liguem para o call center e se inscrevam no programa.

Oficina de Aleitamento Materno – O objetivo é ensinar qual é o local e a situação adequados para a amamentação, o que é o colostro e quais os elementos presentes no leite materno. Vai ensinar sobre a duração da mamada, o arroto, cuidados com a mama, importância da massagem nos seios, doação de leite e como a mãe deve proceder em relação ao aleitamento ao voltar ao trabalho.

Oficina Nosso Bebê – Serão tratados temas relacionados a três momentos distintos:

– cuidados na gestação – o objetivo é tirar dúvidas sobre a preparação do corpo para o parto e amamentação e sobre a gestação de risco.

– cuidados com o bebê – nos primeiros dias, o que fazer em relação ao umbigo e o que saber sobre icterícia, cor das fezes, assaduras, cólicas, dor de ouvido, troca de fraldas.

– cuidados no primeiro ano de vida – serão abordados temas como vacinação e alimentação saudável.

Oficina Meu Corpo, Nosso Parto – O parto natural e a cesariana serão os principais temas discutidos nessa oficina. Serão abordados os procedimentos para amenizar as dores das contrações no parto.

Oficina de Brinquedos – Mães e gestantes poderão aprender a produzir brinquedos e objetos de material reciclável para enfeitar o quarto do bebê. A oficina vai ensinar fazer móbiles de berço, porta-retratos, caixas organizadoras, bonecas e peças de decoração.

Cabine de Vídeo e Foto – Mães e gestantes poderão escolher figurino e terão a oportunidade de ser maquiadas para fazer uma foto para levar para casa. A impressão será feita na hora e colocada moldura com a identidade do Programa Mães de Minas.

Roda de Memória –  Mulheres terão a chance de fazer depoimento, contando sua história de vida. Os depoimentos serão gravados e reproduzidos em mp3, para que as histórias possam ser ouvidas pelos moradores das cidades por onde passar a Caravana.

Túnel da Vida – A proposta é representar o desenvolvimento do feto nos nove meses de gestação. Em paredes do “túnel”, serão projetadas imagens trabalhadas a partir de ultrassons de bebês. Serão disponibilizados mp3 com fone de ouvido, para ouvir relatos das transformações que ocorrem com a mãe e o bebê durante a gestação.

Estande de Vacinação – Profissionais de saúde estarão à disposição para tirar dúvidas e vacinar gestantes e bebês.

Estande Praça – O estande vai funcionar como sala de espera, onde mães e gestantes poderão se reunir entre uma oficina e outra.

Fonte: Agência Minas

Anúncios

Cidadania na adolescência: Relatório do Unicef revela avanços nos indicadores sociais de Minas

BELO HORIZONTE (16/12/11) – O “Relatório Sobre a Situação da Adolescência Brasileira 2011 – O Direito de Ser Adolescente”, que acaba de ser divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), revela que nos últimos anos Minas Gerais alcançou avanços significativos nos indicadores sociais relativos à cidadania dos adolescentes que vivem no Estado.

De acordo com o documento – que foi elaborado a partir de dados colhidos na Pesquisa Nacional de Análise Domiciliar (Pnad), do IBGE – Minas melhorou seus índices em oito dos dez itens analisados. Em nove quesitos, o Estado apresenta um desempenho superior à média nacional.

“Os resultados deste estudo do Unicef demonstram a eficácia de políticas públicas voltadas para os adolescentes que o Governo de Minas tem desenvolvido nos últimos anos”, afirma o governador Antonio Anastasia.

“O Governo de Minas vem investindo em ações efetivas que vão ao encontro das reais necessidades da população. Os projetos e programas do Estado são desenvolvidos a fim de promover mudanças no comportamento e padrão de vida das pessoas. Acreditamos que dessa forma levaremos cada vez mais qualidade de vida para as famílias mineiras”, destaca o secretário de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Gerais, Wander Borges.

Avanços na educação

Segundo o levantamento, o percentual de adolescentes mineiros de 15 a 17 anos que frequentam o ensino médio subiu de 49,7% em 2004 para 54,4% em 2009. Neste quesito, o índice mineiro, pelo último dado disponível, é 3,5 pontos percentuais superior à média nacional, que é de 50,9%.

Já o percentual de adolescentes mineiros de 16 e 17 anos com o ensino fundamental concluído e com no mínimo oito anos de estudo subiu de 48,3% em 2004 para 53,3% em 2009. Neste ano, a média nacional chegou a 51,1%, também conforme o estudo do Unicef.

Em relação à frequência e participação dos estudantes em sala de aula, Minas também mantém índices de destaque em relação à média nacional. Entre 2004 e 2009, a taxa de abandono de estudantes do ensino médio caiu de 15,9% para 9,3% no Estado – uma significativa redução de aproximadamente 6,6 pontos percentuais. No mesmo período, a taxa média nacional de abandono caiu de 16% para 11,5%.

Exemplo mineiro

Em seu relatório, o Unicef destaca uma iniciativa desenvolvida por estudantes da Escola Estadual Joel Mares, em Almenara, no Vale do Jequitinhonha. Os alunos criaram um projeto que promove a reflexão sobre o cotidiano da comunidade escolar e coloca em discussão temas relacionados ao município, por meio da produção de vídeos e de postagens em uma rede social na internet. A emissora virtual recebeu dos estudantes o nome de “TV Joel”.

A aluna Francielle Xavier Lima, de 18 anos, é responsável por selecionar temas relacionados ao município e produzir os vídeos para inclusão na rede social. “Com a minha participação no projeto da TV Joel, percebi que cada pessoa está inserida em uma realidade. O nosso trabalho é tentar melhorar a vida daquelas pessoas que mostramos nos nossos vídeos e, consequentemente, alterar a realidade do município”, disse Francielle em depoimento incluído no relatório do Unicef.

A Escola Estadual Joel Mares é uma das beneficiadas pelo Programa de Educação Profissional (PEP), da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG). Criado em 2007, o PEP oferece oportunidades de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros, por meio de dezenas de cursos realizados em todas as regiões do Estado. Desde a sua implantação, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos.

Avanços no campo social

O relatório também assinala os avanços de Minas no desenvolvimento social dos jovens. O estudo aponta, por exemplo, que a taxa de adolescentes de 12 a 17 anos que não estudam e não trabalham, que era de 5,9%, em Minas Gerais, em 2004 caiu para 4,9% em 2009. Além de ter caído um ponto percentual, o índice mineiro permanece abaixo da média nacional, que, no mesmo período, passou de 6,6% para 5,4%.

Já a taxa de bebês nascidos vivos, filhos de adolescentes de 12 a 17 anos que tenham se submetido a um mínimo de sete consultas pré-natais, aumentou de 44,1% para 51,4%, em Minas Gerais, de 2004 para 2009 – um avanço positivo de 7,3 pontos percentuais. No mesmo período, o índice nacional também variou positivamente, mas em um ritmo menor: de 40,1% para 43,5%.

Em relação ao percentual de adolescentes de 12 a 17 anos que já tiveram filhos, os dados referentes a Minas também foram bem avaliados pelo Unicef. No Estado, a taxa caiu de 2,3% para 1,9% de 2004 para 2009 – mantendo-se abaixo da média nacional, que passou de 3,1% para 2,8% no mesmo período.

O percentual de adolescentes de 12 a 17 anos inseridos em famílias extremamente pobres (que vivem com até 25% do salário mínimo por mês) sofreu uma pequena variação negativa em Minas, subindo de 12,4% para 13%. Nesse quesito, o Estado acompanhou uma tendência nacional, já que a média do país subiu de 16,3% para 17,6%.

Avanços na segurança pública

O levantamento do Fundo das Nações Unidas para a Infância atestou, ainda, a eficácia das ações do Governo de Minas na área da segurança pública voltadas para a proteção dos jovens. O relatório indica que de 2004 para 2009, enquanto o índice médio de homicídios entre adolescentes de 12 a 17 anos permaneceu estável nacionalmente (na casa dos 19,1% a cada grupo de 100 mil habitantes da mesma idade), em Minas a taxa caiu dois pontos percentuais – de 17,5% para 15,5%.

Tal resultado foi alcançado graças, em grande parte, à implementação do Fica Vivo!, programa estadual de controle de homicídios de jovens, que reduziu em até 50% o total de homicídios nas áreas onde foi desenvolvido.

Clique aqui para ver detalhes sobre os dados do relatório do Unicef (Arquivo Word).

Conheça alguns programas do Governo de Minas voltados para a inclusão social de jovens

Plug Minas

O Plug Minas é um programa dedicado à inclusão digital de jovens. Por meio do programa, jovens de 14 a 24 anos que estudam ou se formaram em escolas públicas de Belo Horizonte e região metropolitana participam, desde 2009, de atividades nas áreas de cultura digital, artes e empreendedorismo. A ideia do projeto é contribuir para que o jovem possa exercer sua cidadania, colocando em prática o direito ao trabalho e à educação. Atualmente, sete núcleos do Plug Minas estão em funcionamento e oferecem cursos voltados para as áreas de novas tecnologias, cultura digital, empreendedorismo e artes. No Plug Minas há ainda um núcleo inteiramente dedicado aos professores da rede pública.

Mais informações: www.plugminas.mg.gov.br

Aliança pela Vida

A valorização da cidadania e a inclusão social, por meio do combate às drogas, estão entre as prioridades do Governo de Minas. Com o objetivo de envolver diversos setores do governo para enfrentar o problema, foi lançado o programa Aliança pela Vida. Trata-se de uma parceria do Estado com entidades da sociedade civil para fortalecer a luta contra as drogas e ampliar as ações e medidas de enfrentamento. Para implantar efetivamente o programa, o governo determinou a aplicação de até 1% do orçamento de órgãos e secretarias do Estado que desenvolvam programas sociais a projetos de prevenção e combate às drogas. Apenas em 2011, foram investidos R$ 70 milhões.

Mais informações: www.youtube.com/watch?v=8x3jDshh3JM

Programa de Educação Profissional

Criado em 2007, o Programa de Educação Profissional (PEP) oferece oportunidade de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros. Em 2012, o PEP vai oferecer 30 mil vagas em 60 diferentes cursos em todas as regiões do Estado. Desde a sua implantação, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos e o investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos em escolas credenciadas (inclui unidades particulares de ensino), em escolas públicas conveniadas e em escolas da rede estadual. Essas instituições formam a Rede Mineira de Formação Profissional Técnica de Nível Médio.

Mais informações: http://wrk.educacao.mg.gov.br/pep2011/geral/link1.htm

Fica Vivo!

Criado em 2003, o Programa de Controle de Homicídios Fica Vivo! faz acompanhamento especializado e oferece diversas oficinas culturais, esportivas, profissionalizantes e de lazer para jovens de 12 a 24 anos em situação de risco social e residentes em áreas que concentram indicadores elevados de homicídio. Até hoje, cerca de 50 mil jovens passaram pelos núcleos que oferecem 660 oficinas voltadas para o esporte, cultura, comunicação e cursos técnico-profissionalizantes. O Fica Vivo! conseguiu reduzir em até 50% os índices de homicídios nas regiões atendidas, a partir de ações que combinam repressão qualificada e inclusão social. Em setembro de 2006, o programa foi escolhido como um dos 48 finalistas do Prêmio Global de Excelência de Melhores Práticas para a Melhoria do Ambiente de Vida – Prêmio Dubai, criado pelo Centro das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (UN-Habitat).

Mais informações:  https://www.seds.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=283&Itemid=117

Minas Olímpica Geração Esporte

O programa Minas Olímpica Geração Esporte visa à inserção social de jovens por meio do esporte. São oferecidos, além da prática esportiva, atividades psicopedagógicas e culturais e complementação nutricional para estudantes com idades entre 10 e 15 anos. A prioridade é atender a jovens de famílias de baixa renda ou em situação de risco social. Até hoje, o programa já atendeu a 79,9 mil alunos. Em cada edição do programa, que foi lançado em 2005, a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej) inova em metodologia, qualificação, acompanhamento e avaliação, incorporando novas ferramentas para que os educandos sejam mais bem atendidos e os educadores melhor assistidos.

Mais informações: http://www.esportes.mg.gov.br/esportes/minas-olimpica

Valores de Minas

Criado em 2005, o Valores de Minas é um programa desenvolvido pelo Governo de Minas por meio do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). O programa – que, a partir de 2009, se transformou em um Núcleo do Plug Minas – beneficia 500 jovens a cada ano e oferece oportunidades para o desenvolvimento pessoal de estudantes de escolas públicas da rede estadual. Já formou mais de 3.500 pessoas, entre alunos, multiplicadores e professores de Arte da rede estadual de ensino.

Mais informações: www.valoresdeminas.servas.org.br

Poupança Jovem

Lançado em 2007, o Poupança Jovem tem como foco estudantes do ensino médio da rede pública estadual que residem em municípios com alto índice de evasão escolar e violência. Ao longo dos anos de formação, os estudantes têm o rendimento escolar acompanhado e participam de atividades extracurriculares oferecidas, como cursos de capacitação profissional e inclusão digital. Ao final dos três anos do ensino médio, cada aluno participante recebe uma bolsa no valor de R$ 3 mil do Governo de Minas. Atualmente, o Poupança Jovem atende a alunos do ensino médio da rede estadual de escolas de nove municípios: Ribeirão das Neves, Esmeraldas, Ibirité, Governador Valadares, Sabará, Montes Claros, Teófilo Otoni, Juiz de Fora e Pouso Alegre. Desde 2007, quase 7 mil estudantes  já receberam a bolsa.

Mais informações: www.poupancajovem.mg.gov.br

Fonte: Agência Minas