Arquivos do Blog

Governo de Minas: pesquisadores apresentam trabalhos em seminário de iniciação científica e tecnologia da Epamig

Foram 11 estudos apresentados entre os 93 desenvolvidas nas unidades regionais da empresa.

Erasmo Reis / Epamig
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.

O 9º Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), realizado nos dias 13 e 14 de junho, em Belo Horizonte, reuniu pesquisadores, bolsistas e chefes de centros de pesquisa da empresa. Foram apresentados 11 trabalhos escolhidos entre os 93 desenvolvidos nas unidades regionais. Entre os temas dos estudos estão assuntos como geoprocessamento na agricultura para avaliação ambiental e socioeconômica, genótipos de arroz irrigado, qualidade microbiológica do leite e da água, resíduos gerados na produção de queijo artesanal, dentre outros.

Durante a abertura do seminário, o secretário-adjunto da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Evaldo Vilela, palestrou sobre a importância da iniciação científica para a pesquisa. Orientador de mais de 70 estudantes da iniciação científica, o professor Vilela contou um pouco da sua experiência com estudantes que se dedicaram à metodologia científica e obtiveram êxito.

Entre os trabalhos de destaque, está o do estudante do sétimo período de Agronomia Philipe Corcino. Ele apresentou o tema “Uso do geoprocessamento na avaliação do desempenho ambiental de estabelecimentos rurais”, orientado pelo pesquisador José Mário Lobo. O estudo avaliou 100% da área de uma propriedade de pequeno porte no município de Boa Esperança, no Sul de Minas. A pesquisa propõe o uso do geoprocessamento no auxílio não apenas na regularização ambiental da propriedade, como também no auxílio ao produtor na orientação da tomada de decisão na gestão rural.

“A ferramenta utilizada nesse estudo é acessível, simples e possibilita ao produtor identificar riscos, pontos críticos e oportunidades em sua propriedade”, avalia. O estudante contou que a partir da experiência e dos conhecimentos adquiridos na área de geoprocessamento, através da bolsa de iniciação científica da EPAMIG, foi selecionado como estagiário da Vale, na área de geoprocessamento ambiental. O trabalho também será apresentado na Rio + 20.

A avaliação dos resíduos gerados na produção de queijo artesanal da Serra da Canastra e seus destinos foram apresentados pela estudante Valkíria Moreira. Foram coletadas amostras de efluentes em 2010 e 2011 em seis queijarias para análises físico-químicas e bioquímicas. “Percebemos a carência de informações que atinge os produtores de queijo da Serra da Canastra. A falta de informação e o baixo poder aquisitivo da maioria dos produtores contribui para que não haja a preocupação efetiva com medidas de redução de consumo de água”, conclui.

Redação Científica

No segundo dia, o pesquisador da EPAMIG Rogério Vieira apresentou aspectos importantes de um artigo científico. Ele apresentou modelos de artigos que são exigidos por revistas científicas. Rogério é autor do livro “Dicionário de dúvidas e dificuldades na redação científica”, lançado pela EPAMIG em 2011, após 20 anos de pesquisa e trabalho. O livro reúne os principais aspectos que dever ser abordados pelos pesquisadores em suas produções intelectuais. “Desde a época da redação da minha dissertação venho anotando erros que cometi e suas devidas correções. Mais tarde, com mais experiência, a esses erros acrescentei outros que encontrei nas dissertações e teses em que participei como membro de banca examinadora”, conta.

O livro pode ser adquirido na Divisão de Gestão de Comercialização da EPAMIG, através do e-mail publicacao@epamig.br ou do telefone (31) 3489- 5002. A publicação custa R$ 70.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pesquisadores-apresentam-trabalhos-em-seminario-de-iniciacao-cientifica-e-tecnologia-da-epamig/

Governo de Minas: Secretário de Agricultura participa da entrega da Comenda Antônio Secundino

Este ano, 13 personalidades serão agraciadas, durante a Fenamilho, em Patos de Minas

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento, participa, nesta sexta-feira (08), em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, da solenidade de entrega da Comenda Antônio Secundino de São José. Criada em 1991, a honraria é outorgada pelo Governo do Estado, anualmente, a personalidades e instituições que prestaram e continuam prestando relevantes serviços pelo desenvolvimento da agropecuária e pela preservação do meio ambiente.

Segundo o secretário Elmiro Nascimento, presidente do Conselho Diretor da comenda, a homenagem vai além de perpetuar a memória de Antônio Secundino, pois destaca e valoriza aqueles que trabalham em prol do dinamismo do setor. “Prova disso é a repercussão que a honraria vem ganhando ao longo dos anos em nosso Estado e também em todo o país”, salientou o secretário.

A solenidade de entrega das medalhas faz parte da programação oficial da 54ª Festa Nacional do Milho (Fenamilho), um dos principais eventos do agronegócio mineiro. A região do Alto Paranaíba se destaca como o principal polo produtor de milho em Minas Gerais. De acordo com o IBGE, a produção estimada do grão é de 1,8 milhão de toneladas para a safra deste ano, representando 24,2% do total no Estado. O aumento é de 18% em relação à safra do ano passado, na região. Em Patos de Minas, a produção de milho é de 156 mil toneladas, em uma área de 18 mil hectares.

Antônio Secundino

O inspirador da comenda, Antônio Secundino de São José, nasceu na Fazenda do Onça, no então distrito de Santa Rita dos Patos, hoje município de Presidente Olegário. Em 1931, formou-se como engenheiro agrônomo pela Escola Superior de Agricultura do Estado de Minas Gerais, em Viçosa. Foi estudar no exterior, e, quando retornou, fundou a Agroceres, empresa que há 60 anos se dedica à pesquisa de sementes e ao agronegócio, responsável pela introdução do milho híbrido no Brasil.

Serviço

Solenidade de outorga da Comenda Antônio Secundino de São José

Data: 8 de junho

Horário: 20h30

Local: Patos de Minas

Na edição deste ano, 13 personalidades serão agraciadas: O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, Adriano Magalhães Chaves; o secretário-adjunto de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, professor Evaldo Ferreira Vilela; a prefeita de Patos de Minas, Maria Beatriz de Castro Alves Savassi; o diretor-presidente do Diários Associados, Álvaro Teixeira da Costa; o superintendente do Banco do Brasil em Minas Gerais, José Roberto Sardelari; a diretora-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Cleide Izabel Pedrosa de Melo; o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Minas), Antônio do Carmo Neves; o jornalista e apresentador João Batista Olivi; o presidente do Sindicato Rural de Barbacena, Renato Laguardia; o professor da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Renato de Lima Santos; o engenheiro agrônomo e professor da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Antônio Marciano da Silva; a produtora rural Maria Denise Piva e o empresário e produtor rural Aguinaldo Alves Ribeiro (Aguinaldo das Pamonhas).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretario-de-agricultura-participa-da-entrega-da-comenda-antonio-secundino/

Governo de Minas: Fórum Científico reúne pesquisadores e autoridades para discutir saúde pública

Rede Fhemig investe continuamente para incentivar melhores serviços para os usuários do Sistema Único de Saúde.

Divulgação Fhemig
3º Fórum Científico consolida ensino, pesquisa e inovação na Rede Fhemig
3º Fórum Científico consolida ensino, pesquisa e inovação na Rede Fhemig

Em sua terceira edição, o Fórum Científico da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) reuniu, terça-feira (29), pesquisadores e autoridades públicas em torno da temática da pesquisa e da inovação tecnológica aplicadas à saúde pública.

O presidente da Fhemig, Antonio Carlos de Barros Martins, ressalta que a Rede Fhemig investe continuamente para incentivar, aperfeiçoar e consolidar a pesquisa, o ensino e a inovação como fatores norteadores da ação cotidiana de seus servidores, tendo sempre em vista a oferta de melhores serviços para os usuários do Sistema Único de Saúde. Tal orientação estratégica garante à Fundação o papel de instituição que mais forma residentes no Estado e a principal organização não acadêmica a investir em pesquisa.

Presente ao Fórum para proferir a conferência de abertura dos trabalhos, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Augusto Grabois Gadelha, afirmou que a questão tecnológica representa hoje o fator preponderante para se assegurar um sistema de saúde universal e equânime. “A tecnologia está no âmago do desenvolvimento da saúde pública. Ou a gente tem o domínio da tecnologia ou nos tornamos reféns das consequências de sua ausência”, pondera o conferencista.

Gadelha aponta o tema da pesquisa e da inovação em relação ao serviço público de saúde como um dos grandes assuntos que têm mobilizado profissionais e pesquisadores da saúde em todo o mundo. Segundo ele, os hospitais públicos têm contribuído de forma significativa para as transformações que a saúde pública tem experimentado. “Eles transformam conhecimento em serviço, em riqueza social, em benefício para a sociedade, uma vez que dão efetiva aplicabilidade à inovação decorrente da pesquisa qualificada”, afirma.

O debate em torno dos múltiplos elementos que compõem a temática da tecnologia aplicada à saúde pública constitui-se em fator de incentivo para as várias gerações de profissionais e pesquisadores que, ao longo de suas carreiras, se dediquem à busca de alternativas que tornem ainda mais equânimes o acesso aos meios de preservar e recuperar a saúde dos indivíduos.

“O nosso grande desafio é articular e fortalecer as atividades de ensino, pesquisa e inovação e situar a Fhemig como um pólo gerador de conhecimento para a melhoria da qualidade da assistência prestada aos usuários do Sistema Único de Saúde”, pondera o médico epidemiologista e gerente de Ensino e Pesquisa da Rede, Roberto Marini.

“Eu somente acredito na ciência e na tecnologia voltadas para o homem”, enfatiza o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Nárcio Rodrigues. Para o secretário a saúde pública é eficiente quando é preventiva. Desse modo, a integração entre pesquisa e inovação, ancorada na ciência e na tecnologia, pode cumprir o papel de mecanismo viabilizador da prevenção de doenças e da promoção da qualidade de vida da população.

“O investimento em inovação tecnológica é determinante para o estabelecimento de uma política que aponte para o futuro da saúde pública, como elemento de promoção do bem estar social. Nesse sentido, a capacidade de gerar e implementar a produção científica, a partir dos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), é fundamental para o desenvolvimento e o avanço da assistência”, defende o secretário adjunto de Estado de Saúde de Minas Gerais, Breno Simões.

Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, Mário Neto Borges, pesquisa e inovação constituem a relação mais relevante no que tange ao aprimoramento do setor público. “A qualidade de vida da população aumentou consideravelmente, nos últimos anos, graças a essa interação. O programa de pesquisa para o SUS do Ministério da Saúde, que tem caráter nacional e atua em articulação com os diversos estados, em uma gestão compartilhada, representa um papel importante para os avanços experimentados pela saúde pública nos últimos tempos. Nesse contexto, Minas Gerais está em posição privilegiada no que tange ao desenvolvimento da pesquisa e da inovação em território nacional”, assegura Borges.

Lugar de destaque

Nos últimos anos, a Fhemig tem ocupado lugar de destaque no que tange ao número de projetos de pesquisa aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa, alcançando a 6ª colocação no ranking geral, atrás apenas de instituições de ensino como a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Federal de Juiz de Fora.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forum-cientifico-reune-pesquisadores-e-autoridades-para-discutir-saude-publica/