Arquivos do Blog

Governo de Minas: Comissão de Prevenção a Emergências Ambientais será empossada nesta terça

Serão empossados 42 membros que integram a Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Perigosos

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), por meio da Subsecretaria de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada (Sucfis), com apoio da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), realiza, nesta terça-feira (26), a posse da Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Perigosos (P2R2 – Minas). O evento acontece às 16h no Auditório do Edifício Albano Franco, situado na Avenida do Contorno, 4520, Funcionários, em Belo Horizonte.

Na oportunidade serão empossados 42 membros, sendo 24 da administração pública estadual e 18 membros convidados, representando 21 instituições. A comissão é responsável, dentre outras, por deliberar sobre diretrizes, políticas, normas regulamentares e técnicas, padrões e outras medidas de prevenção, preparação e resposta rápida a acidentes ambientais com produtos perigosos, de forma integrada. A formação da comissão objetiva também otimizar recursos humanos, materiais e financeiros dispensados para essa atividade, além contribuir para a estruturação e implementação de programas de trabalho, priorizando ações que conduzam a prevenção, preparação e resposta rápida a emergências ambientais com produtos perigosos em Minas Gerais.

De acordo com a analista ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Rosa Laender, as atividades desenvolvidas pela Comissão serão coordenadas pela Semad.

Histórico

O Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Acidentes Ambientais com Produtos Perigosos (P2R2) foi concebido por ocasião do acidente ocorrido em 29 de março de 2003, no município de Cataguases. Com enorme repercussão nacional, o rompimento de uma barragem de resíduos contendo substâncias químicas perigosas atingiu os rios Pomba e Paraíba do Sul, afetando também o estado do Rio de Janeiro. Em decorrência deste acidente, vários municípios ficaram sem acesso à água para o atendimento das condições básicas da população.

Após esta ocorrência, e a partir do histórico de eventos emergenciais, verificou-se a necessidade de um planejamento nacional de caráter preventivo e de ações para atendimento aos acidentes envolvendo produtos químicos perigosos.  Deste então, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) iniciou o processo de formulação do Plano P2R2, tendo como premissa a parceria dos governos dos Estados. Em 20 de agosto de 2003 foi firmada entre o MMA, as Secretarias de Meio Ambiente dos Estados e do Distrito Federal, e a Associação nacional de Municípios para o Meio Ambiente (Anamma), uma Declaração de Compromissos, com o objetivo elaborar e implementar o Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Perigosos – P2R2.

Segundo Rosa Laender “a filosofia norteadora do plano vai ao encontro da necessidade de estabelecimento de um esforço integrado entre os vários níveis de governo, o setor privado, representações da sociedade civil e demais partes interessadas em busca de um modelo de desenvolvimento que tenha na sustentabilidade das atividades humanas o seu foco principal”.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/comissao-de-prevencao-a-emergencias-ambientais-sera-empossada-nesta-terca/

Governo de Minas: Projeto de Revitalização do Rio das Velhas capacita gestores municipais em Curvelo

Treinamento contará, ainda, com a participação de representantes de Corinto, Inimutaba, Santo Hipólito, Morro da Garça e Monjolos.

O Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema), por meio da Gerência do Projeto Estratégico de Revitalização da Bacia do Rio das Velhas – Meta 2014, e com o apoio das Diretorias de Gestão Participativa (DGPAI) e de Extensão e Educação Ambiental (Deduc), realiza, nos dias 26 e 27 de junho, o treinamento para qualificação de gestores ambientais municipais. O evento acontece no Centro Cultural de Curvelo localizado na Av. Integração s/nº, Centro, Curvelo, de 8h às 18h.

Com a participação de gestores ambientais e organizações não governamentais dos municípios de Curvelo, Corinto, Inimutaba, Santo Hipólito, Morro da Garça e Monjolos, a capacitação pretende repassar aos envolvidas na Revitalização da Bacia do Rio das Velhas informações e subsídios técnicos para uma gestão ambiental local efetiva, além de fomentar a tomada de decisões e o desenvolvimento de ações e projetos para melhoraria da qualidade da água na bacia.

No encontro serão tratados temas como o papel da educação ambiental na gestão de recursos hídricos, informações sobre o Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro), ICMS Ecológico, Programa Bolsa Verde, atuação da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) na região, as Políticas Nacional e Estadual de Resíduos sólidos e o Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos Urbanos (PGIRSU), perspectivas do consorciamento para solução de questões ambientais municipais, além da realização de oficinas sobre legislação ambiental municipal e educação ambiental.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projeto-de-revitalizacao-do-rio-das-velhas-capacita-gestores-municipais-em-curvelo/

Gestão Eficiente: Minas assume protagonismo nos debates sobre desenvolvimento sustentável na Rio+20

Para o secretário de Meio Ambiente, Adriano Magalhães, “Minas é um resumo do Brasil”, referindo-se à biodiversidade que o Estado reúne

Janice Drumond / Ascom Sisema
Estande do Governo de Minas na Rio+20 tem cobertura das paredes feita a partir da casca do coco
Estande do Governo de Minas na Rio+20 tem cobertura das paredes feita a partir da casca do coco

As políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável, criadas pelo Governo de Minas, bem como as demais ações realizadas pelo Estado na área de preservação do meio ambiente, ganharam destaque durante a realização da Rio+20, a Conferência da Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Sustentável, que está sendo realizada no Rio de Janeiro.  O Governo de Minas assume um papel de protagonista dos principais debates em torno da sustentabilidade.

A delegação mineira presente no evento coordenou debates sobre a conservação de biomas, biodiversidade e recursos hídricos, bem como discussões sobre a implementação de medidas capazes de conter os efeitos das mudanças climáticas. Também vêm sendo abordadas pelos representantes do Governo de Minas interfaces relativas a outras áreas, como a chamada economia verde, o crescimento urbano e o desenvolvimento rural sustentável.

Minas integra a Delegação Brasileira da Rio+20 com representantes do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema) e das Secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan), de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), de Trabalho e Emprego, de Desenvolvimento Regional Urbano (Sedru) e da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa).

Órgãos vinculados ao Governo do Estado, como o Instituto Estadual de Florestas (IEF), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Fundação Centro Internacional de Educação (Unesco HidroEX), também compõem o grupo.

A Delegação Brasileira da Rio+20 é um colegiado formado por órgãos públicos e instituições de diversos estados, com a responsabilidade de coordenar a conferência.

Estande com materiais recicláveis

O Governo de Minas conta com um dos maiores estandes da Rio+20, com 100 metros quadrados. O espaço foi desenvolvido com materiais sustentáveis, como o piso reciclado, feito com material composto por 70% de caixas de embalagens longa vida recicláveis, 30% de fibras vegetais, plástico e outros materiais reciclados, além da cobertura das paredes feita de pastilha de coco, obtida a partir da casca do coco.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães Chaves, Minas desenvolve, desde 2002, um trabalho de aprimoramento da gestão pública onde foram incorporadas questões relacionadas à sustentabilidade. “O trabalho realizado no Estado serve de exemplo para iniciativas semelhantes em todo o país”, afirma. De acordo com o secretário que “Minas é um resumo do Brasil”, em função da grande diversidade de ambientes e condições que o Estado reúne.

“Minas sem lixões” é referência

As principais iniciativas ligadas à gestão ambiental em Minas são coordenadas pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). A disposição adequada de resíduos sólidos é uma vertente da gestão ambiental em Minas, e o gerenciamento é feito pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam).

O trabalho teve início em 2001, quando menos de 20% da população do Estado era atendida por sistemas adequados. Após a criação do programa “Minas Sem Lixões”, em 2003, e a regulamentação da legislação estadual sobre a questão, aproximadamente 55% da população mineira passou a ter acesso a esse serviço.

Uma solução para a destinação de resíduos sólidos são os consórcios intermunicipais em resíduos sólidos, uma parceria da Feam com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional Urbano.  Entre 2007 e dezembro de 2011 foram formados 50 consórcios, atendendo 469 municípios.

Outra iniciativa pioneira do estado nessa área é Parceria Público Privada (PPP) de resíduos sólidos urbanos, que tem como objetivo fazer com que 100% dos resíduos sólidos da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) sejam eliminados de forma correta. Na última terça-feira (19), o governador Antonio Anastaia assinou convênio com 46 dos 48 municípios do Colar Metropolitano de Belo Horizonte para a gestão compartilhada dos serviços de transbordo, tratamento e disposição final de resíduos sólidos urbanos na região. Mais detalhes sobre esse projeto podem ser acessados aqui.

“Bolsa Verde” ajuda na conservação de biomas

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) gerencia o projeto para conservação e recuperação dos biomas no Estado: a Mata Atlântica, o Cerrado e a Caatinga. A previsão é de que sejam aplicados R$ 9 milhões em 2012 em ações com a implantação de corredores ecológicos, recuperação de matas ciliares e implantação de unidades de conservação.

O programa “Bolsa Verde”, uma ação do Estado importante para o meio ambiente, garante a remuneração pela conservação de áreas com cobertura vegetal nativa. No ano passado, 978 proprietários e posseiros rurais foram beneficiados pelo programa, garantindo a preservação de 32 mil hectares de vegetação em todo o Estado.

Anunciada criação da maior unidade de conversação do Estado

Dentre as principais ações debatidas na Rio+20, o secretário Adriano Magalhães Chaves anunciou a criação, até 2013, de uma unidade de conservação que protegerá áreas dos biomas de Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica em Minas.

A unidade de conservação será a maior do Estado, com área estimada em até 500 mil hectares. “Os estudos estão sendo elaborados pela equipe do Instituto Estadual de Florestas na região do rio Carinhanha, na divisa do Estado com a Bahia”, afirmou Magalhães.

A criação dessa unidade de conservação é uma das medidas que Minas vem tomando para ampliar os mecanismos de proteção dos biomas do Estado.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, outras ações importantes são os investimentos na prevenção e combate a incêndios florestais e o pagamento a proprietários rurais que conservam áreas de vegetação nativa que, em 2011, beneficiaram 978 famílias, com um investimento de R$ 6,8 milhões pela preservação de 32 mil hectares de vegetação em todo o Estado.

Sobre a Conferência Rio+20

A Rio+20 acontece entre os dias 20 e 22 de junho no Centro de Convenções Riocentro, no Rio de Janeiro. O evento tem a presença de chefes de Estado e de governos do mundo inteiro e marca o vigésimo aniversário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro em 1992 (Eco-92) e o décimo aniversário da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável promovida em Johanesburgo, em 2002.

Site mostra modelo mineiro de gestão sustentável

Desde a semana passada está no ar um  hotsite, com informações sobre as iniciativas do Estado alinhadas com os temas debatidos na Rio+20. Produzido pela elaborado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o site apresenta o modelo de gestão sustentável desenvolvido por várias áreas do Governo de Minas Gerais. O endereço para acessá-lo é o seguinte: www.minasmais20.mg.gov.br.

Clique aqui para saber mais sobre ações voltadas à sustentabilidade desenvolvidas por órgãos do Governo de Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-assume-protagonismo-nos-debates-sobre-desenvolvimento-sustentavel-na-rio20/

Gestão Anastasia: Minas apresenta metodologia de indicadores de sustentabilidade na Rio + 20

Indicadores serão utilizados para avaliar as propriedades rurais do Estado.

O projeto de Adequação Socioeconômica e Ambiental das Propriedades Rurais de Minas Gerais, coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), será apresentado aos participantes da Rio +20 durante ciclo de palestras organizado pelo Sistema Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). No ciclo de palestras, serão apresentadas as principais políticas públicas sustentáveis do Governo de Minas. As apresentações serão no dia 19 de junho.

O projeto da Seapa tem como objetivo orientar os produtores para a adequação de suas propriedades, de modo a manter o equilíbrio entre rentabilidade financeira de sua atividade, com respeito à legislação ambiental e a adoção de práticas ambientais sustentáveis. Os trabalhos vêm sendo desenvolvidos nas propriedades que integram os programas especiais da Seapa como o Certifica Minas Café e o Minas Leite.

Segundo o secretário-adjunto de Agricultura do Minas Gerais, Paulo Romano, que também é membro da delegação do Governo de Minas na Rio +20, a ferramenta criada para aferição do desempenho socioeconômico e ambiental das propriedades rurais é inédito, baseado no compromisso do Estado com a sustentabilidade. “A sustentabilidade é um processo de construção social e política, que requer uma pactuação permanente entre governo, sociedade e mercado”, analisa.

Metodologia

Para sua execução, foi elaborada uma metodologia específica, conhecida como Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas (ISA), para avaliação do desempenho ambiental e socioeconômico das propriedades rurais. Por meio de 23 indicadores de sustentabilidade, o sistema permite identificar os pontos críticos e as oportunidades em cada propriedade, visando à melhor gestão do estabelecimento.

Os indicadores de sustentabilidade analisam os aspectos econômicos da propriedade como produtividade e preço médio da produção comercializada; aspectos sociais como moradia, segurança alimentar e escolaridade; a ecologia da paisagem, que permite a identificação das áreas de reserva legal e o estado de conservação dos habitats naturais; a fertilidade e as práticas de manejo do solo; análise da qualidade da água e a gestão da propriedade.

Além do questionário e da coleta de informações no campo, o sistema de avaliação de desempenho das propriedades rurais conta, ainda, com a utilização de uma base de dados com imagens de satélite.

De acordo com o secretário adjunto, o nível de detalhamento da metodologia permite a elaboração de um “croqui” com a visualização precisa do uso e ocupação do solo, com a identificação das áreas de preservação permanente e a geração de informações que possam auxiliar na correção do manejo produtivo para diminuir os impactos socioambientais negativos e maximizar os positivos.

“Os indicadores de sustentabilidade fornecem uma radiografia precisa da propriedade rural em todos os seus aspectos, com informações específicas para o produtor, para o técnico e com a síntese da microbacia hidrográfica, onde a propriedade está inserida”, explica.

As informações geradas pelo sistema se constituem numa ferramenta fundamental para o gerenciamento da propriedade rural, permitindo a elaboração de um plano de adequação específico a cada propriedade. “As informações geradas pelo sistema também estabelecem condições e criam parâmetros seguros para que o produtor rural receba pagamento por serviços ambientais implantados em sua propriedade”, conciliando a produção agrossilvipastoril, garantindo rentabilidade, maior equidade social e conservação dos recursos naturais”, afirma.

Técnicos do serviço de extensão rural do Estado estão sendo treinados para a aplicação da metodologia. Em 4 anos, a previsão é de que 7 mil e duzentas propriedades sejam visitadas e analisadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-apresenta-metodologia-de-indicadores-de-sustentabilidade-na-rio-20/

 

Ciclo de Palestras Governo de Minas – Rio + 20

Data: 19/06/2012

Horário: 14h às 16h

Local: Auditório CNO 3 no Parque dos Atletas – Avenida Salvador Allende s/n – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Meio Ambiente participa de debates preparatórios para a Rio + 20

Segundo a subsecretária Marília Melo, discussões frisaram que as soluções para os problemas globais devem partir de ações locais.

Divulgação / Semad
Subsecretária de Fiscalização e Controle Ambiental da Semad, Marília Melo, participou de debates no Riocentro
Subsecretária de Fiscalização e Controle Ambiental da Semad, Marília Melo, participou de debates no Riocentro

A subsecretária de Fiscalização e Controle Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Sisema), Marília Melo, participou nesta quarta-feira (13) de um dos debates da III Reunião do Comitê Preparatório para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20. O “Draft Zero”, como é conhecido o documento, é fruto de sugestões e contribuições de países, grupos regionais, organizações internacionais e da sociedade civil. De acordo com Marília Melo, as discussões frisaram que a construção de soluções para problemas globais deve ser pautada em ações de âmbito local.

Outro ponto ressaltado nos debates, segundo a subsecretária, foi a necessidade de um fortalecimento institucional para a gestão ambiental, que segundo os conferencistas da mesa, passa pela efetiva participação da sociedade civil nas discussões, formulações e implementação das políticaspúblicas. “Em Minas Gerais o Conselho de PolíticaAmbiental e suas unidades regionais colegiadas, além do Conselho Estadual de Recursos Hídricos já vêm exercendo essa  função há alguns anos”, avaliou.

Participação Mineira

O Governo de Minas participa da delegação brasileira na Rio+ 20 com 10 representantes das Secretarias de  Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sects), do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema), da Secretaria de Estado para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas (Sedvan), da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), da Fundação Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas Unesco (Hidroex) e da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O Estado conta também com um estande, montado no Parque dos Atletas.O espaço foi desenvolvido com materiais sustentáveis como o piso reciclado, feito com material composto por 70% de caixinhas longa vida, 30% de fibras vegetais, plástico e outros reciclados, além da cobertura das paredes feita de pastilhas obtidas pela casca do coco.

Com 100 metros quadrados, o estande apresenta aos visitantes os projetos e ações do Governo de Minas, alinhados aos temas da Rio+ 20. Alguns projetos tiveram destaque no estande Mineiro como o Programa Ambientação, educação ambiental em prédios públicos de MG, que oferece quatro jogos interativos ao público; o Pólo de Excelência em Inovação Ambiental, que visa atender o desafio da diversificação da economia mineira via inovação ambiental; e o Projeto de Inclusão Produtiva, por meio do assessoramento e qualificação profissional de empreendimentos individuais, familiares e coletivos das cadeias produtivas da reciclagem, confecção, alimentos, artesanato e o setor de serviços autônomos.

Rio + 20

A Conferência contará com a presença de chefes de Estado e de Governos do mundo inteiro e marca o 20o aniversário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro em 1992 e o décimo aniversário da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável promovida em Joanesburgo em 2002.

Além de abordar os novos desafios enfrentados mundialmente, a conferência tem como objetivos avaliar os progressos já obtidos e as lacunas que ainda existem na implementação dos resultados dos principais encontros sobre desenvolvimento sustentável e assegurar um comportamento político renovado, com referência aos temas tratados no encontro.

O evento espera reunir diplomatas e chefes de Estado de 183 países. Um grupo de cerca de 50 representantes de diversas secretarias do Estado de Minas Gerais participam dos encontros e debates da conferência.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-meio-ambiente-participa-de-debates-preparatorios-para-a-rio-20/

Governo de Minas: exercício simula combate a incêndio florestal na Serra São José

 

As atividades fazem parte do Plano de Ação para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) realizará, no dia 1º de junho, um simulados operacionais de combate a incêndios florestais na Área de Proteção Ambiental Serra São José, nos municípios de São João del-Rei, Coronel Xavier Chaves, Prados, Santa Cruz de Minas e Tiradentes.

O trabalho reproduzirá todas as condições de um combate a incêndios, envolvendo brigadistas voluntários e de empresas e condomínios, funcionários do Parque, integrantes do Corpo de Bombeiros Militar e técnicos do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio). Serão utilizados todos os equipamentos habitualmente empregados, incluindo aeronave.

O simulado é uma importante etapa de preparação e envolverá as diversas organizações parceiras da Força-Tarefa Previncêndio, que coordena os esforços para o combate a incêndios florestais, especialmente durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro.

As atividades fazem parte do Plano de Ação para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais 2012, desenvolvido pela Semad para reduzir o número de incêndios florestais nas unidades de conservação.

Simulado Operacionais de Combate a Incêndio Florestal

Local: Área de Proteção Ambiental Serra São José.

Como chegar: Partindo de Belo Horizonte, prosseguir pela BR 040 até Joaquim Murtinho, cerca de 5 km após Congonhas e pegar o acesso a São João del-Rei, à direita. Prosseguir nesta rodovia até o entroncamento para Prados, entrando à esquerda. Percorrer cerca de 11 km pela rodovia AMG 425 até o início da malha urbana da Prados (bifurcação para pista dupla) e entrar à direita, seguindo as placas ‘CASA DA SERRA’.

Data: 01/06/2012

Horário: 13h

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/exercicio-simula-combate-a-incendio-florestal-na-serra-sao-jose/

Gestão Anastasia: Governo de Minas realiza simulado de combate a incêndio no Parque Estadual da Serra do Papagaio

 

Ação tem como objetivo preparar equipes para período de alto índice de queimadas

Gil Leonardi / Imprensa MG
Simulação na Serra do Papagaio contará com helicóptero do Corpo de Bombeiros
Simulação na Serra do Papagaio contará com helicóptero do Corpo de Bombeiros

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) promove, nesta sexta-feira (18/05), simulado operacional no Parque Estadual da Serra do Papagaio, no Sul de Minas. A ação vai reproduzir todas as condições de um combate a incêndio, envolvendo brigadistas voluntários, funcionários do parque, integrantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), do Corpo de Bombeiros Militar e técnicos do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio). Durante a atividade, serão utilizados todos os equipamentos empregados em uma situação real de incêndio, incluindo dois helicópteros.

O simulado é uma das inovações do Plano de Ação 2012 para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O investimento previsto na iniciativa é de cerca de R$ 26 milhões. O plano tem o objetivo de reduzir as queimadas nas unidades de conservação, principalmente durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro.

Serra do Papagaio

Com 22.917 hectares, o Parque Estadual da Serra do Papagaio abrange os municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte e Pouso Alto. A área abriga um importante remanescente de Mata Atlântica do Estado. Localizado na Serra da Mantiqueira, a unidade de conservação concentra nascentes dos principais rios formadores da bacia do Rio Grande, responsável pelo abastecimento de grandes centros urbanos do Sul de Minas. O parque é também uma importante reserva de diversas espécies de mamíferos, aves e anfíbios. Dentre as espécies destacam-se o mono carvoeiro, o lobo- guará, o papagaio do peito roxo e a onça parda.

A ação no Parque Estadual da Serra do Papagaio será o segundo simulado realizado pelo Sisema após o lançamento do Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais no início de maio. O primeiro simulado foi realizado, no dia 11 de maio, no Parque Estadual da Serra do Rola Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Também estão programadas ações de simulação de combate a incêndio no Parque Estadual do Biribiri, no Alto Jequitinhonha, neste sábado (19/05); no Refúgio de Vida Silvestre do Rio Pandeiros Norte, na região do Alto Médio São Francisco, no dia 31 deste mês; e no Refúgio de Vida Silvestre Libélulas da Serra de São José – Centro-Sul, em Tiradentes, no dia 06 de junho.

Balanço de Incêndios

Em 2011, foram registradas 247 ocorrências de incêndios florestais na área interna das Unidades de Conservação (UCs) mineiras, com 40.067 hectares queimados, e 162 ocorrências no entorno das UCs, com 18.290,87 hectares queimados. Os meses de agosto e setembro foram os mais críticos, contabilizando 65% do total de ocorrências e 89% da área queimada.

Balanço divulgado pela Diretoria de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Semad revela que, entre janeiro e outubro de 2011, 409 ocorrências de incêndio queimaram 40 mil hectares na área interna das UCs e 18 mil no entorno das unidades. Isso representa 1,5% do total de 2,7 milhões de ha de áreas protegidas de Minas Gerais.

Força Tarefa Previncêndio

A Força Tarefa (FTP) do Previncêndio foi criada em 2005, para aperfeiçoar o trabalho de combate a incêndios florestais no Estado. É a primeira do gênero na América Latina e integrada pela Semad, Instituto Estadual de Florestas, o Corpo de Bombeiros Militar, as Polícias Militar e Civil e aCoordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Integra a estrutura da Semad.

O objetivo da FTP é apoiar as ações de prevenção e coordenar o combate a incêndios florestais nas unidades de conservação sob responsabilidade do Estado. A equipe da Força Tarefa está de prontidão 24 horas por dia para atendimento às ocorrências e denúncias pelo telefone 0800 28 32323.

 

Simulado Operacional Previncêndio no Parque Estadual da Serra do Papagaio

Data: 18 de maio (sexta-feira)

Horário: 13h

Local: Centro de Pesquisas do Parque Estadual da Serra do Papagaio

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-realiza-simulado-de-combate-a-incendio-no-parque-estadual-da-serra-do-papagaio/

Gestão Anastasia: simulado coloca em prática ações de combate a incêndios florestais em Minas

Reservas ambientais de diversas regiões do Estado irão abrigar atividades, que reproduzem condições reais de combate ao fogo

Gil Leonardi / Imprensa MG
Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com os Bombeiros, realizou simulado na Serra do Rola Moça
Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com os Bombeiros, realizou simulado na Serra do Rola Moça

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) vem realizando Simulados Operacionais de Combate a Incêndios Florestais em reservas ambientais de Minas. Na última sexta-feira (11) os trabalhos foram realizados no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Já nesta sexta-feira (18), o simulado ocorrerá no Parque Estadual da Serra do Papagaio, no Sul de Minas.

O trabalho reproduz todas as condições de um combate ao fogo, desde a identificação dos sinais de fumaça, emissão dos primeiros alertas até a confirmação de um incêndio florestal de grande porte e que exija a participação da Força-Tarefa do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio).

A atividade é conduzida por integrantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e do Corpo de Bombeiros Militar, além de técnicos do Previncêndio e do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Cerca de 60 pessoas participam das simulações, com utilização de todos os equipamentos habitualmente empregados no combate ao fogo, incluindo helicópteros. Também participam da atividade aPolícias Militar e a Polícia Civil de Minas Gerais, além da Copasa e brigadistas voluntários.

O Simulado Operacional é uma importante etapa de preparação e envolve as diversas organizações parceiras da Força-Tarefa Previncêndio, que coordena os esforços para o combate a incêndios florestais, especialmente durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro. A atividade também é uma aplicação prática do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Parque.

Também estão previstas as realizações de simulados para combate a incêndios florestais no Parque Estadual do Biribiri, no Alto Jequitinhonha, no próximo dia 24; no Refúgio de Vida Silvestre do Rio Pandeiros Norte, na região do Alto Médio São Francisco, no dia 31 deste mês; e no Refúgio de Vida Silvestre Libélulas da Serra de São José – Centro-Sul, em Tiradentes, no dia 06 de junho.

Plano de Ação 2012

O simulado operacional é uma das inovações do Plano de Ação 2012 para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O investimento previsto é de cerca de R$ 26 milhões em 2012.

O plano é composto por seis programas operacionais: prevenção e controle, capacitação, combate, infraestrutura e logística, comunicação, fiscalização e investigação. Prevê, também, a execução de um plano estratégico de abrangência em grandes áreas para ser executado com prazo superior a um ano. Os objetivos principais do trabalho são reduzir o número de incêndios florestais nas unidades de conservação e dar respostas rápidas no combate às queimadas.

O programa de prevenção prevê a implementação de ações para reduzir as causas e os riscos de propagação do fogo, especialmente aquelas causadas pelo homem. O uso correto de técnicas, como construção de estradas, aceiros, divisão da área em quadrantes, entre outras, permitirá uma redução das ocorrências com essa origem.

A capacitação é ampla e envolve a todos que participam dos trabalhos de controle dos incêndios, sejam os responsáveis pela elaboração e execução do plano de prevenção, sejam os combatentes que atuam na linha de fogo.

Os planos e estratégias de combate são estabelecidos em função do tamanho do incêndio e dos meios disponíveis. No entanto, o objetivo maior desse programa é que os incêndios possam ser controlados e dominados antes que atinjam grandes proporções. Em relação à infraestrutura e logística, um combate eficaz exige que os brigadistas estejam bem treinados e equipados.

O programa de comunicação visa à diminuição do tempo de resposta, que fica compreendido entre a detecção do fogo e o recebimento da informação pelo responsável pelo desencadeamento das ações de combate. Já a fiscalização e a investigação precisam ser trabalhadas dentro do plano, pois a origem criminosa das ocorrências de queimadas cria frentes de incêndios muito amplas e difíceis de combater em condições climatológicas favoráveis à sua propagação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simulado-coloca-em-pratica-acoes-de-combate-a-incendios-florestais-em-minas/

Gestão Antonio Anastasia: Governo de Minas redobra atividades de prevenção a incêndios florestais em todo o Estado

Equipes do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos realizam treinamentos especiais

O Governo de Minas intensifica o trabalho de prevenção aos incêndios florestais com a proximidade do período mais seco do ano e mais vulnerável ao fogo. Em maio, as equipes do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) realizarão treinamentos, visitas a proprietários rurais e atividades de campo em diversos pontos Estado.

As atividades são voltadas principalmente para os moradores do entorno das unidades de conservação estaduais. “O objetivo é conseguir sensibilizar as pessoas que convivem com essas áreas e torná-las parceiras na prevenção”, afirma a Diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais e Eventos Críticos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Zenilde das Graças Guimarães Viola.

Nos dias 08, 09 e 10 de maio são realizados Dias de Campo nos Parques Estaduais de Sete Salões (no município de Resplendor) e Rio Corrente (em Açucena) e no Monumento Natural Gruta Rei do Mato (Sete Lagoas), respectivamente. No dia 16, a atividade acontecerá na Área de Proteção Ambiental Cachoeira das Andorinhas, em Ouro Preto.

O Dia de Campo é uma atividade realizada junto às comunidades rurais que vivem no entorno das unidades de conservação na qual são apresentados cuidados que devem ser observados para o uso da queima controlada e para prevenção a incêndios florestais. Também são apresentadas outras atividades desenvolvidas pelo Sisema e que são de interesse dos produtores rurais, como os projetos de fomento florestal, regularização de reserva legal e o programa Bolsa Verde.

Agenda

Do dia 08 ao dia 10 de maio, será realizada uma Caravana Ambiental que visitará diversas localidades no entorno do Parque Estadual do Itacolomi, em Ouro Preto e Mariana. Do dia 15 ao dia 18, a atividade acontecerá no Parque Estadual do Sumidouro, em Lagoa Santa e Pedro Leopoldo.

As Caravanas Ambientais também têm o objetivo de sensibilizar as comunidades sobre a importância das áreas de preservação e o efeito das queimadas na biodiversidade, incentivando a participação de todos na busca integrada de soluções dos problemas referentes ao uso do fogo. Durante a atividade, é demonstrado o trabalho desenvolvido pelo Sisema de forma a estimular os moradores a participarem ativamente do trabalho, fazendo o curso de brigadistas voluntários, por exemplo.

Também serão realizadas visitas preventivas aos Parques Estaduais de Grão Mogol e Serra Nova e à Área de Proteção Ambiental Cochá e Gibão. As visitas são feitas às propriedades rurais para orientar os produtores a não usarem o fogo como forma de limpeza de áreas sem autorização e também para que os técnicos do Previncêndio e funcionários das unidades de conservação identifiquem áreas mais vulneráveis ao início de incêndios.

Em maio, também serão realizados cursos de Formação e Aperfeiçoamento de Brigada, Primeiros Socorros e Resgate, bem com o de Técnicas de Emprego de Aeronave em Combate a Incêndios. Veja a agenda completa de atividades do Previncêndio em maio no quadro abaixo.

As atividades fazem parte do Plano de Ação para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais 2012, desenvolvido pela Semad para reduzir o número de incêndios florestais nas Unidades de Conservação.

O objetivo é dar respostas cada vez mais rápidas e melhorar a articulação entre organizações públicas e privadas e da sociedade civil no esforço conjunto de evitar e combater o fogo nas unidades de conservação de Minas Gerais.

 

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-redobra-atividades-de-prevencao-a-incendios-florestais-em-todo-o-estado/

Governo de Minas: plantio de mudas em Divinópolis incentiva conservação da natureza

A atividade irá efetuar o plantio de 300 mudas

Divulgação/Semad
Projeto ‘Guardiões do Verde’ começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013 em Divinópolis
Projeto ‘Guardiões do Verde’ começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013 em Divinópolis

O projeto ‘Guardiões do Verde’ vem mobilizando várias instituições e pessoas para melhorar a arborização urbana em Divinópolis. A atividade irá efetuar o plantio de 300 mudas em ruas da cidade, além de promover a realização de diversas ações de educação ambiental junto aos moradores do município localizado no Centro-Oeste de Minas Gerais.

A doação das mudas e a assessoria técnica para o plantio são realizadas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), instituição que integra o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). O projeto, que começou em maio de 2011 e vai até maio de 2013, tem ainda a participação da prefeitura de Divinópolis, da organização não governamental ‘Lixo e Cidadania’ e do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Divinópolis.

O chefe do Escritório Regional Centro-Oeste do IEF, Rodrigo Martins Goulart, observa que, mais do que plantar árvores, o projeto visa conscientizar a população da importância da presença da vegetação na melhoria da qualidade de vida. “O enfoque é mais educacional do que propriamente de arborização, daí não ter uma grande meta quantitativa de plantio de mudas”, explica.

“O projeto se inspira no teólogo Leonardo Boff, que, em sua defesa da ‘ética do cuidado’, pede reformas e ações que estimulem o pensamento, para a preservação da vida, em todas as suas formas”, explica o coordenador de Conservação Florestal do IEF Centro-Oeste, Geraldo Magela da Silva. “O espírito do projeto é o de reunir pessoas que se comprometem com cada árvore”, completa.

O projeto ‘Guardiães do Verde’ dá continuidade à filosofia do trabalho ‘Mães Guardiãs do Verde’, que contou com a participação de mães da região Sudeste de Divinópolis. Desde outubro de 2011, elas se responsabilizaram e se envolveram no plantio de árvores na região, com o apoio do IEF.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/plantio-de-mudas-em-divinopolis-incentiva-conservacao-da-natureza/