Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: Força Tarefa de Combate à Dengue retorna a Fernandes Tourinho

O caminhão Dengue Móvel irá percorrer bairros do município para troca de materiais recicláveis por material escolar

A Força Tarefa de Combate à Dengue do Estado retorna na segunda-feira (2), em Fernandes Tourinho, no Vale do Rio Doce, para ações contra Dengue. Uma equipe formada por 36 agentes de endemias e duas mobilizadoras sociais irão ficar na cidade até sexta-feira (6) para atuar, em parceria com a Prefeitura, nas áreas críticas do município.

A ação faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue do Governo de Minas, executada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).O objetivo principal é a diminuição do risco de epidemias em municípios com maior índice de infestação, somando força aos agentes municipais e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença.

A equipe de agentes de endemias da Força Tarefa está capacitada para executar atividades de controle vetorial através de eliminação de criadouros do vetor, tratamento focal e bloqueio de transmissão.

Mobilização Social

Uma das estratégias a serem utilizadas pelo Estado são as atividades de mobilização social.  Mais uma vez o caminhão Dengue Móvel será utilizado, percorrendo bairros do município  já predeterminados  para  troca de materiais recicláveis (pneus, garrafas pet vazias, vasilhas plásticas e latas) por material escolar (caderno, lápis e borracha), seguindo critérios que identificam áreas com  altos níveis de infestação pelo mosquito da dengue.

Dentro da programação, as articuladoras sociais da SES, Cláudia Oliveira e Marília Takahahi, vão promover na terça-feira (3), ás 09 horas, uma reunião com representantes da Prefeitura de Fernandes Tourinho para estabelecer estratégias de trabalho. Às 14 horas, será promovida a distribuição de material gráfico.

Na quarta-feira (4) o Dengue Móvel atua durante todo o dia  a partir das 08h30, na Praça Rodolfo Custódio, s/nº, no centro do município. Já na quinta-feira (5), a troca acontece na quadra coberta do Distrito Senhora da Penha de 08h30 às 11 horas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forca-tarefa-de-combate-a-dengue-retorna-a-fernandes-tourinho/

Anúncios

Gestão Eficiente: Governo de Minas promove ações sociais e educativas no bairro Palmares

Ações da Secretaria de Desenvolvimento Social, em parceria com outros órgãos e iniciativa provada, contam com rua de lazer e prestação de serviços

A Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), promove, neste sábado (30), em Belo Horizonte, uma série de ações sociais e educativas. A iniciativa será realizada nas Vilas Andiroba e Maria Virgínia, nos bairros São Paulo e Palmares, na região Nordeste da capital.

Os moradores terão a oportunidade de trocar materiais inservíveis, que podem ser foco do mosquito transmissor da dengue, por material escolar. A população também poderá buscar uma vaga de emprego, negociar débitos com a Cemig, entre outros serviços. Já as crianças vão poder aproveitar o dia na rua de lazer.

“Essas ações fortalecem a comunidade, que recebe um retorno rápido às necessidades, previamente levantadas. É a valorização das associações de bairro, dos líderes comunitários e principalmente de cada morador, levando sempre cidadania, lazer e o compromisso do Governo de Minas de valorizar cada vez mais as vilas, favelas e periferias”, ressaltou o coordenador da Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas, Weslei Morais.

Programação

A ação será realizada no Bairro Palmares (Rua Modelo, entre Luiz Zudio e Av. Cristiano Machado), de 9h às 16h. A Assessoria para Assuntos Sociais para Vilas e Favelas conta com as parcerias das Secretarias de Estado da Saúde (SES), de Trabalho e Emprego (Sete), da Cemig, da Empresa Divina Providência e do Makenzie – que vai promover uma seletiva de futsal feminino durante a mobilização. A expectativa é que cerca de 350 pessoas sejam atendidas.

O Bairro Palmares é o terceiro a receber a iniciativa. Moradores da Vila Pinho e da Comunidade Nossa Senhora de Fátima foram beneficiados com os serviços, em abril e junho, respectivamente. A previsão é que as comunidades do bairro Nova Cintra, no dia 28 de julho, e do Aglomerado Santa Lúcia, no dia 25 de agosto, sejam as próximas favorecidas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-promove-acoes-sociais-e-educativas-no-bairro-palmares/

Gestão da Saúde: doença Falciforme é tema de seminário para educadores em Belo Horizonte

 

Encontro vai reunir gestores e representantes de órgãos públicos, além de profissionais de saúde do Brasil e do exterior.

Será aberto nesta terça-feira (26), às 8h30, em Belo Horizonte, o seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. O evento pretende vai reunir representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), da Secretaria de Estado de Educação (SEE), da Fundação Hemominas, do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG) e das secretarias municipais de Saúde e de Educação de Belo Horizonte, além de profissionais brasileiros, americanos e ingleses. O seminário acontece até quarta-feira (27), no Hotel San Diego (Avenida Álvares Cabral, 1.181, bairro Lourdes).

O seminário visa discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e trocar experiências com o objetivo de substanciar projeto de educação que está sendo desenvolvido pelas instituições. Com foco na integralidade do cuidado, o encontro vai debater estratégias de intervenção acerca da doença falciforme, seus agravos e impactos na educação. Esta iniciativa busca minimizar a falta de informação sobre a doença e construir uma articulação entre a saúde e a educação.

Os temas a serem abordados no seminário são: “Políticas Públicas: a importância da intersetorialidade”; “Peculiaridades da Doença Falciforme no contexto escolar”; “Educação Inclusiva e a Doença Falciforme”; e “Atenção Integral: Saúde e Educação”.

Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da fundação em todo o Estado.

Para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, a escola é essencial para a qualidade de vida do paciente. “A escola é o local onde o paciente falciforme passa grande parte de sua vida, no convívio com os professores e com os colegas. É importante que os educadores conheçam a doença para entender as dificuldades que essas crianças e jovens vão passar ao longo da sua vida. O educador tem um papel fundamental para a inclusão social do paciente falciforme”, salientou.

Doença Falciforme

É uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998.

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

Cehmob-MG

O Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG) foi criado em 2004 em uma parceria Fundação Hemominas e Nupad/UFMG. Ainda participam da parceria órgãos federais e municipais, além da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região (Dreminas).

O principal objetivo do Cehmob-MG é promover a atenção integral à pessoa com doença falciforme, por intermédio da educação, informação e apoio assistencial. O Centro atua em todo o Estado, promovendo, também, capacitação e treinamento de profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde e de Urgência de Minas Gerais.

Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”

Data: Terça e quarta (26 e 27 de junho)

Local: Hotel San Diego – Av. Álvares Cabral, 1.181 – bairro Lourdes – Belo Horizonte

Abertura: dia 26, terça-feira, às 8h30

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/doenca-falciforme-e-tema-de-seminario-para-educadores-em-belo-horizonte/

Gestão da Saúde: inaugurada nova UPA em Vespasiano

Governo de Minas, Ministério da Saúde e prefeitura investiram, juntos, cerca de R$ 7,8 milhões para reforçar atendimento de urgência e emergência no município.

Henrique Chendes / SES
UPA de Vespasiano poderá realizar 400 atendimentos por dia.
UPA de Vespasiano poderá realizar 400 atendimentos por dia.

A população de Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ganhou um reforço na assistência de urgência e emergência. Foi inaugurada nessa quinta-feira (21), uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A UPA “Prefeito Luiz Issa” tem a capacidade de realizar mais de 400 atendimentos diários no âmbito da urgência e emergência, 24 horas por dia, sete dias por semana. O investimento total foi de R$ 7,8 milhões para a construção da unidade.

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), investiu R$ 2 milhões na UPA. Foram R$ 725 mil destinados à obra e mais R$ 1,3 milhão para aquisição de equipamentos. Já o Governo Federal, por intermédio do Ministério da Saúde, destinou R$ 2,6 milhões e a prefeitura investiu R$ 3,2 milhões para aquisição de terreno, custeio e manutenção.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, a UPA foi implantada para oferecer o primeiro atendimento às pessoas com o quadro clínico de urgência/emergência, sendo capaz de diagnosticar e tratar rapidamente cada paciente. “Estão sendo construídas mais 19 UPAs em todo o Estado. As unidades, assim como o SAMU, são componentes fundamentais da rede e urgência/emergência e comprovam o avanço do SUS no em Minas. Ao ampliar e qualificar o atendimento ao cidadão aumenta a resolutividade da saúde no Estado, que incide em aspectos inovadores de gestão, racionalidade econômica, tempo e infraestrutura”, ponderou.

A Rede de Urgência e Emergência é uma parceria do Governo de Minas Gerais com o Governo Federal e os municípios que visa otimizar e melhorar a qualidade dos serviços para as pessoas que necessitam de agilidade no atendimento médico.  Desde 2011, o governo de Minas já investiu mais de R$ 20 milhões na construção de nove UPAs nos municípios de Varginha, Vespasiano, Sabará, Sete Lagoas, Patos de Minas, Diamantina, Divinópolis e Barbacena.

O prefeito de Vespasiano, Carlos Moura Murta, reiterou a importância da unidade na redução do tempo de espera como forma de aumentar a qualidade dos serviços de saúde e o próprio índice de cura e sobrevida. “AUPA que está à disposição de toda a população só se tornou possível graças ao apoio das três esferas de governo, tanto a federal, quanto a estadual e a municipal. Minas Gerais avança cada vez com a universalidade do SUS, se preparando para oferecer atendimento ágil e humanizado para todos”, disse.

Para a moradora de Vespasiano, Vera dos Santos Moreira, 63 anos, a concretização da UPA e a sua nomeação é uma segurança e um grande apoio que a população local passa a ter. “Agora, com o atendimento 24horas por dia, qualquer emergência pode ser tratada aqui mesmo. A gente fica aliviada em saber que a assistência que precisamos, está ao lado da nossa casa”, enalteceu.

Especialidades

A Unidade de Pronto Atendimento é caracterizada como um estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde ou Saúde da Família e a Rede Hospitalar. Com a principal missão de atender, durante 24horas/dia, os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), que apresentem quadro clínico agudo de qualquer natureza, a UPA Prefeito Luiz Issa, em Vespasiano, passa a ofertar as seguintes especialidades: Cardiologia, Otorrinolatingologa, Cirurgia Vascular, Neurologia, Dermatologia, Pneumologia, Infectologia, Angiologia, Pneumologia Sanitária, Dermatologia Sanitária, Cardiologia Pediátrica, Oftalmologia, Hebiatria, Psiquiatria, Assistência Social, Psicologia, Terapia Ocupacional, Fisioterapia eFonoaudiologia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/inaugurada-nova-upa-em-vespasiano/

Governo de Minas: grupo dá início a trabalhos para gestão do Fundo de Erradicação da Miséria

Encontro reuniu os integrantes do Grupo Coordenador que definirá as prioridades para a utilização do Fundo

Seplag / Divulgação
Reunião do Grupo Coordenador do Fundo de Erradicação da Miséria é promovida pela Seplag
Reunião do Grupo Coordenador do Fundo de Erradicação da Miséria é promovida pela Seplag

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) realizou nesta sexta-feira (22), a 1ª reunião do Grupo Coordenador do Fundo de Erradicação da Miséria (FEM), regulamentado no último dia 16. Durante o encontro, o subsecretário de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto, André Reis, contextualizou a criação do fundo e falou sobre as perspectivas do Governo de Minas para a boa utilização dos recursos.

“O Fundo de Erradicação da Miséria vem com a possibilidade de enfrentarmos, de forma permanente, o combate à miséria”, explicou o subsecretário. A estimativa, segundo ele, é arrecadar R$ 100 milhões para o fundo, em 2012, e cerca de R$ 176 milhões por ano, a partir de 2013. Até o momento, o fundo já arrecadou R$ 30 milhoes.

Criado pela Lei nº 19.990, de 29 de dezembro de 2011, o fundo tem como objetivo custear programas e ações sociais de erradicação da pobreza e extrema pobreza alinhados às Metas do Milênio, pactuadas com a Organização das Nações Unidas (ONU), ao Plano Brasil sem Miséria, do governo Federal, e ao Programa Travessia, do Governo de Minas.

O grupo é formado por representantes de diversos órgãos e entidades estaduais, além de representantes da sociedade civil. Entre os representantes do Executivo estão as secretarias de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), gestora e agente financeira do Fundo, Fazenda (SEF), Desenvolvimento Social (Sedese), Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), Trabalho e Emprego (Sete), Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas Gerais (Sedvan), Saúde (SES), Educação (SEE), Extraordinária de Regularização Fundiária (Seara), Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e a Assessoria de Articulação, Participação e Parceria Social da Governadoria.

Compete ao grupo acompanhar a execução orçamentária e financeira, definir os programas prioritários e apresentar propostas para a elaboração da política geral de aplicação dos recursos e para a readequação ou extinção do fundo, quando necessário. Segundo o chefe da Assessoria de Articulação, Participação e Parceria Social da Governadoria, Ronaldo Pedron, esse momento é fundamental o bom uso dos recursos. “Esse espaço de construção e acompanhamento do FEM e que enriquece o processo da gestão”, define.

Arrecadação

A instituição de Fundos de combate e erradicação da pobreza nas três esferas federativas está prevista na Constituição Federal, que institui ainda como fonte de financiamento dos Fundos Estaduais a criação de adicional de dois pontos percentuais sobre a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre cigarros, produtos de tabacaria, cerveja sem álcool, bebidas alcoólicas (exceto aguardentes de cana ou de melaço) e armas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/grupo-da-inicio-a-trabalhos-para-gestao-do-fundo-de-erradicacao-da-miseria/

Gestão da Saúde: Coronel Fabriciano receberá Força Tarefa de Combate à Dengue

A partir de segunda-feira, agentes da Secretaria de Saúde vão eliminar focos do mosquito transmissor da doença.

Alessandra Maximiano / SES
População de Coronel Fabriciano poderá trocar materiais que acumulam água por material escolar.
População de Coronel Fabriciano poderá trocar materiais que acumulam água por material escolar.

Coronel Fabriciano, na região do Vale do Aço, em Minas Gerais, receberá, a partir de segunda-feira (25), a Força Tarefa de Combate à Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). Além da eliminação de focos por equipes de agentes epidemiológicos, trocas de inservíveis – pneus, latas e pets – por material escolar serão feitas por meio do Dengue Móvel, de modo a estimular a população na tomada de hábitos preventivos. A Força Tarefa permanece no município até o dia 8 de julho.

O Dengue Móvel é um caminhão que percorre os bairros trocando materiais descartáveis por material escolar. Latas, garrafas pets e pneus serão entregues ao receber, respectivamente, borrachas, lápis e cadernos, de modo a estimular a população a retirar de casa os objetos que possam acumular água e se tornarem possíveis criadouros do mosquito. (veja programação no quadro abaixo)

Dados epidemiológicos deste ano apontam Coronel Fabriciano como o quinto município no Estado com maior número de casos notificados de dengue, foram registrados 973 casos até a terceira semana de junho. O número representa um aumento de aproximadamente 32% em relação ao mesmo período de 2011, quando o município notificou 734 casos da doença.

Desde o ano passado, a cidade, em ação integrada com a Gerência Regional de Saúde de Sete Lagoas, une esforços para reverter o panorama. Durante o ano de 2011 foram desenvolvidos mutirões de limpeza, reuniões técnicas e eliminação de potenciais focos.

Força Tarefa

Atuando nas áreas da Assistência, Comunicação e Epidemiologia, a Força Tarefa Dengue tem como arma as ações de mobilização social. Os profissionais que atuam na força tarefa têm por objetivo combater os focos que podem servir de criadouro para a dengue e conscientizar a população sobre o problema. Eles atuam como um reforço às ações que já devem existir nos municípios.

Além disso, durante a força tarefa, uma Equipe de Mobilização atua na cidade. Pesquisas indicam que 90% dos focos da dengue estão dentro das casas e que as pessoas sabem o que deve ser feito para combater o mosquito, mas não agem, daí a importância de um trabalho de mobilização.

As grandes inovações apresentadas pela Força Tarefa são o Dengue móvel e o Dengômetro. O material recolhido pelo Dengue Móvel tem destino certo. Nos municípios visitados pela Força Tarefa, cooperativas e associações de coletores de recicláveis convertem garrafas pet, latinhas e pneus e artesanato e peças de utilidade, como vassouras e artigos de cozinha.

Programação da Força Tarefa de Combate à Dengue em Coronel Fabriciano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/coronel-fabriciano-recebera-forca-tarefa-de-combate-a-dengue/

Gestão Anastasia: Secretaria de Saúde inaugura Farmácia de Minas em Chiador

A nova Unidade irá disponibilizar aproximadamente 154 tipos de medicamentos

Jessica Nobre
Farmácia de Minas é inaugurada na Zona da Mata
Farmácia de Minas é inaugurada na Zona da Mata

Os moradores da cidade de Chiador, na zona da mata, foram beneficiados com uma Unidade da Farmácia de Minas na manhã desta quinta-feira (21). A Unidade disponibilizará aproximadamente 154 tipos de medicamentos, que irão abastecer às necessidades de cerca dos 3 mil habitantes da cidade. Com essa nova unidade, Minas conta atualmente com cerca de 350 Farmácia de Minas e o Estado estima que até o final de junho sejam inauguradas mais 157, totalizando 507 em toda Minas Gerais.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) investiu R$ 55 mil em obras e destinou R$ 35 mil para a aquisição de equipamentos e mobiliário. O Governo do Estado ainda repassará mensalmente R$ 1,2 mil para o pagamento do profissional farmacêutico. O município investiu aproximadamente R$ 20 mil.

Representando a Secretaria de Estado de Saúde, o superintendente da Regional de Saúde de Juiz de Fora, Cláudio Reis afirmou que “nesta Unidade os pacientes serão atendidos por profissionais competentes, de forma adequada, em local apropriado e com a dispensação de medicamentos que foram devidamente armazenados”.

Rede Farmácia de Minas

O programa Farmácia de Minas garante o acesso da população aos medicamentos, por meio da organização da Assistência Farmacêutica para atenção à saúde, maximizando os recursos financeiros e aprimorando as atividades técnico-gerenciais de forma integrada às demais ações de saúde no SUS/MG.

Criada em 2007, a Rede Farmácia de Minas é parte integrante do Programa Farmácia de Minas e tem por objetivo oferecer um espaço humanizado de atendimento aos usuários do SUS, com dispensação gratuita de medicamentos dedicados à atenção primária à saúde. Este trabalho é realizado por profissionais qualificados com a promoção do uso racional dos medicamentos.

Considerando as dificuldades relacionadas ao alto gasto per capita com medicamentos, a existência de serviços menos estruturados e ao mesmo tempo, a alta taxa de cobertura do Programa de Saúde da Família (PSF), foram selecionados inicialmente – observando o princípio da equidade – municípios entre 10.000 e 30.000 habitantes, para a implantação das farmácias.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-inaugura-farmacia-de-minas-em-chiador/

Gestão da Saúde: população de Corinto se une para o combate à dengue

 

Moradores entregaram milhares de objetos que podem se tornar potenciais focos do mosquito transmissor e receberam em troca material escolar.

Alessandra Maximiano / SES
João Victor e Guilherme trouxeram vários pneus velhos e trocaram por cadernos
João Victor e Guilherme trouxeram vários pneus velhos e trocaram por cadernos

 

Um grande número de pessoas compareceu à Praça da Bandeira, no Centro de Corinto, na região Central de Minas, para a troca de materiais inservíveis por materiais escolares. A ação fez parte da mobilização contra a dengue realizada pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o poder municipal.

Considerando o balanço feito até esta quarta-feira (20), foram trocados 7.149 lápis, 3.877 borrachas e 672 cadernos. O principal objeto de troca foram os pneus de bicicletas, transporte muito utilizado entre os moradores na cidade. A troca ainda ocorreu durante toda esta quinta-feira (21).

Os garotos João Victor Gomes, de 12 anos, e Guilherme Santos Ferreira, de 11 anos, trouxeram amarrados junto as suas bicicletas, mais de dez pneus. As crianças percorreram algumas borracharias da cidade recolhendo os objetos. “Quando perguntavam por que a gente queria tantos pneus respondíamos que era para a guerra contra a dengue”, contou Guilherme Santos Ferreira que saiu carregando quinze cadernos na garupa da bicicleta.

Para Odilon Neto, funcionário da coordenação de endemias do município de Corinto, uma completa limpeza na cidade era mais do que necessária. “As pessoas muitas vezes sem perceber vão acumulando objetos e levando o mosquito para dentro de casa e quando começam a ter os sintomas da doença é que percebem que com atitudes simples poderiam ter evitado a doença”, afirmou.

Para a coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Corinto, Renata Guedes Paiva, a ajuda das crianças na mobilização foi um dois grandes diferenciais que contribuiu para o sucesso nesses dois dias. “Antes das atividades percorremos varias escolas e percebemos o entusiasmo das crianças. Quando os adultos comparecem com certeza é porque foi por convite das crianças”, afirmou.

Destinação do material

Entre os materiais recolhidos como pneus, latas e garrafas pet todos já tem um destino correto: a reciclagem. No depósito localizado no próprio município (foto abaixo), os membros da Cooperativa de Reciclagem Reciclo esperavam ansiosos pelos objetos. As latas e garrafas pet se tornaram novos objetos e os pneus serão destinados para uma empresa na cidade de Sete Lagoas que os utilizará para pavimentação de asfalto.

Segundo Odilon Neto, todos os pneus recolhidos serão armazenados em um local próprio até que sejam transportados para serem utilizados como matéria prima para pavimentação. “Colocamos os pneus em um local coberto, longe das chuvas, até o transporte para Sete Lagoas. De 15 em 15 dias, uma equipe também comparece até o local procurando se algum foco do mosquito da dengue, mesmo em local coberto, pode ter se proliferado entre os pneus. Esperamos que agora a população continue com a limpeza e na guerra contra a dengue”, disse.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/populacao-de-corinto-se-une-para-o-combate-a-dengue/

Gestão da Saúde: cuidados com a saúde bucal na terceira idade devem ser redobrados

Manter alimentação saudável, escovar os dentes com creme dental com flúor pelo menos duas vezes ao dia, usar fio dental, evitar fumo e estresse são dicas fundamentais para manter a saúde da boca.

Pedro Cisalpino
Segundo especialista, maioria dos problemas bucais pode ser evitados com trabalho contínuo de prevenção.
Segundo especialista, maioria dos problemas bucais pode ser evitados com trabalho contínuo de prevenção.

Quando o assunto é higiene bucal, logo pensamos na escovação dos dentes. Claro que a higienização dental e o uso do fio dental são essenciais para manter a higiene bucal, mas é importante saber que boca é composta pelos dentes, gengiva, língua e garganta. Com a maturidade e as limitações que esta fase da vida impõe, é necessário tomar alguns cuidados para manter a saúde.

O uso de medicamentos, próteses e o enfraquecimento dos ossos são fatores que contribuem para que os idosos tenham que tomar cuidados extras. Doenças como o diabetes, câncer e problemas cardíacos também podem comprometer a saúde bucal dos idosos, então quanto mais cedo estas doenças forem diagnosticadas, mais fácil será manter a saúde bucal.

A retração da gengiva é outro problema recorrente na 3ª idade, pois expõe áreas do dente que antes estavam protegidas pela gengiva e com isso a sensibilidade é agravada. Para a cirurgiã-dentista e Coordenadora de Atenção Especializada em Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), Jacqueline Santos, é possível ter uma boca saudável durante toda a vida. “As doenças e agravos bucais, como por exemplo, a cárie dentária, a doença periodontal e o câncer bucal, são perfeitamente preveníveis. Para tal, é de extrema importância que as crianças, adolescentes, adultos e idosos tenham acesso às ações e aos serviços de saúde bucal ao longo de todas as suas vidas”, alerta a especialista.

Boca seca

Ainda de acordo com Jacqueline Santos, outro assunto bastante discutido sobre saúde bucal dos idosos é o que os especialistas chamam de xerostomia (sensação de boca seca). “O processo de envelhecimento do corpo se reflete na cavidade bucal, trazendo algumas modificações, como por exemplo, a diminuição da secreção das glândulas salivares, que leva à xerostomia”, diz.

A xerostomia causa diminuição da capacidade protetora da saliva e maior risco à cárie dentária, incômodo no uso de prótese, perda do paladar, mau hálito, lábios ressecados e dificuldade na mastigação, deglutição e fala. Além de ser parte do processo de envelhecimento, pode ser causada por medicamentos em uso rotineiro pela pessoa idosa, por falta de ingestão de líquidos, estresse, ou tratamento com radiação para câncer na região da cabeça e pescoço.

A falta de saliva é uma queixa comum entre os idosos. Em caso de ser detectada a diminuição do fluxo salivar, a equipe de saúde bucal deverá avaliar se o paciente faz uso de medicamento e aí o médico deverá ser consultado para averiguação de possibilidade de substituição do remédio. O uso de estimuladores de secreção salivar é indicado em casos de xerostomia, o que pode ser feito através do uso de goma de mascar sem açúcar de 03 a 05 vezes ao dia, dependendo do usuário. “A mastigação de alimentos fibrosos também age como estimulante salivar”, completa a especialista.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cuidados-com-a-saude-bucal-na-terceira-idade-devem-ser-redobrados/

Gestão da Saúde: Força Tarefa realiza ações de combate à dengue Franciscópolis

População foi às ruas para participar da mobilização e pode trocar lixo reciclável por material escolar.

Lineu Cardoso / SES
Crianças e adultos fizeram fila para trocar materiais que podem se tornar criadouro do mosquito da dengue por material escolar
Crianças e adultos fizeram fila para trocar materiais que podem se tornar criadouro do mosquito da dengue por material escolar

A Força Tarefa de Combate à Dengue trabalha, até a próxima sexta-feira (22), no município de Franciscópolis, no Vale do Mucuri.  Vinte e sete agentes de endemias e a equipe de mobilizadores da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES) fazem, desde a última segunda-feira, visitas domiciliares para eliminar focos do mosquito Aedes aegypti e várias ações com objetivo de prevenir e combater a doença.

A Força Tarefa faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue, reunindo esforços do Governo de Minas, prefeituras e sociedade, no enfrentamento à ameaça da doença em todo o Estado.

Nesta quarta-feira, a população do distrito de Antônio Ferreira realizou as ações de mobilização.  Os moradores tiveram a oportunidade de trocar materiais inservíveis, como pneus, garrafas pet e latas, por material escolar.

“É muito importante essas ações do Governo de Minas, pois além de limpar o nosso ambiente evitando a propagação da dengue, trás o beneficio às nossas crianças, pois promove a troca de materiais inservíveis por materiais escolares e também a conscientização de toda a população do quanto é importante esta mobilização”, disse Arismar Vieira mascarenhas, 40 anos, professora, moradora do distrito de Antônio Ferreira.

Kenia Moreira, coordenadora de epidemiologia de Franciscópolis, destacou que a mobilização social em torno da dengue é um momento ímpar na comunidade que recebe a ação, porque todos se voltaram para a questão da prevenção. Crianças, adultos e até idosos saíram de suas casas para realizarem a troca de materiais inservíveis pelo material escolar. É um “chamado” atendido pela comunidade. Todo o trabalho, o cansaço da equipe é tão gratificante, quanto o sorriso de um morador que participou desta ação.

A Força Tarefa visa mobilizar a população para retirar os focos do mosquito e evitar que haja proliferação da doença. “Atualmente, o índice de infestação pelo mosquito é baixo em nosso município, mas mesmo assim precisamos manter o controle da doença e estamos recebendo a equipe da Força Tarefa”, salientou o prefeito Franciscópolis Nilton dos Santos Coimbra.

De janeiro a junho/2012, o município apresentou 45 notificações, sendo 16 casos confirmados, somente no distrito de Antônio Ferreira foram 05 notificações com 04 casos confirmados.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forca-tarefa-realiza-acoes-de-combate-a-dengue-franciscopolis/