Arquivos do Blog

Governo de Minas: nomeados os diretores da Agência de Desenvolvimento do Vale do Aço

Governo de Minas está investindo mais de R$2,8 milhões na instalação da ARMVA, que terá sede em Ipatinga

O governador Antonio Anastasia nomeou os integrantes da diretoria da nova Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA). Os atos foram publicados na edição desta sexta-feira (29), do “Minas Gerais”, Diário Oficial dos Poderes do Estado, sendo designado para diretor-geral Thales Rezende Coelho Alves.

Foram nomeados o vice-diretor geral, Anfilófio Salles Martins, o diretor de Regulação Metropolitana Bruno Reis Alcântara, a diretora de Planejamento Metropolitano, Articulação e Intersetorialidade, Márcia Cruz Costa Val, e o diretor de Inovação e Logística, Thiago de Pádua Batista Machado.

O diretor-geral da autarquia foi escolhido a partir de uma lista tríplice eleita pelo Conselho Deliberativo de Desenvolvimento Metropolitano do Vale do Aço. Já os diretores foram nomeados após processo de pré-qualificação realizado pelas Secretarias de Gestão Metropolitana (Segem), Casa Civil (Seccri) e Planejamento e Gestão (Seplag).

A Agência de Desenvolvimento é o órgão executivo responsável por promover desenvolvimento econômico, realizar o planejamento urbano integrado e fiscalizar o uso do solo nos municípios de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Santana do Paraíso. O Governo de Minas está investindo mais de R$2,8 milhões na instalação da ARMVA, que terá sede em Ipatinga.

“As nomeações marcam o início da implantação efetiva da Agência Metropolitana e complementa o chamado Arranjo Institucional Metropolitano, composto por instâncias de decisão e planejamento que reúnem as cidades do Vale do Aço”, explica o secretário extraordinário de Gestão Metropolitana, Alexandre Silveira. “Eles terão muito trabalho pela frente, começando pela contratação e realização do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado para a região, que já foram determinadas pelo Conselho Metropolitano.”

Sobre os diretores

Thales Rezende Coelho Alves – Advogado com graduação em Direito pela PUC-Minas e especializações em Direito Municipal (Unifenas) e em Direito do Estado (PUC-Minas), atuou como procurador e assessor jurídico em prefeituras da região, como Caratinga, Imbé de Minas, Inhapim. É Vice-Presidente da 86ª Subseção da OAB; Delegado da CAAMG 86ª; e Presidente da Comissão Eleitoral da 86ª Subseção.

Anfilófio Salles Martins – Engenheiro Mecânico pelo Minas Instituto de Tecnologia de Governador Valadares, tem especialização em Engenharia de Segurança no Trabalho (PUC-Minas) e em Administração e Desenvolvimento de RH (FJP).  Foi presidente da Fundação Aperam Acesita e do Instituto do Inox e atuou em projetos de desenvolvimento regional, tais como a implantação do CEFET em Timóteo, a elaboração do Plano de Desenvolvimento Sócio Econômico daquele município. Foi também vice-presidente do Conselho Regional da FIEMG Vale do Aço e representante suplente da sociedade civil do Conselho Deliberativo de Desenvolvimento Metropolitano da RMVA.

Bruno Reis Alcântara – Diretoria de Regulação Metropolitana – Arquiteto pela Universidade Federal de Viçosa,  Bruno atuou na Secretaria Municipal de Planejamento, Gestão e Meio Ambiente da Prefeitura de Timóteo, onde foi gerente técnico, gestor de gabinete e chefe de divisão. É membro dos Conselhos Municipais de Defesa do Meio Ambiente, de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural e de Habitação, além das Comissões Municipais de Política Urbana e de Loteamento.

Márcia Cruz Costa Val, diretora de Planejamento Metropolitano, Articulação e Intersetorialidade – Graduada em Ciências Contábeis, Administração de Empresas e em Economia pela PUC-Minas, foi Secretária Municipal de Assuntos Extraordinários da Prefeitura de Ipatinga; servidora da FJP (área: custos, orçamentos e O&M); chefe do departamento de RH da Cia Urbanizadora do Vale do Aço; professora da PUC-Minas; assessora técnica da Câmara Municipal de Ipatinga (servidora efetiva) e consultora técnica em Administração Municipal a Prefeituras e Câmaras Municipais da Macro-Região do Vale do Aço.

Thiago de Pádua Batista Machado, diretor de Inovação e Logística – Graduado em Administração Pública pela Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, da Fundação João Pinheiro, Thiago tem MBA em Administração Pública (FGV) e já atuou no DER/MG (40ª Coordenadoria Regional), como responsável pela Gerência de Planejamento e Modernização Institucional da Diretoria de Planejamento, Gestão e Finanças. Foi 2º colocado no 5º Prêmio de Excelência em Gestão Pública do Estado de Minas Gerais.

Sobre a Região Metropolitana do Vale do Aço

Criada em 1998 e reformada em 2006, a RMVA tem população estimada pelo IBGE em 451.351 habitantes, o que representa 2,2% da população de Minas Gerais. Ao contrário do entorno da capital do estado, não há no Vale do Aço um município-sede e a cidade com maior população é Ipatinga, com 239.177 habitantes, 53% do total da região, seguida de Coronel Fabriciano, com 103.797, Timóteo, com 81.119 e Santana do Paraíso, com 27.258 habitantes.

Trata-se de uma área intensamente urbanizada: a taxa média de urbanização da RMVA é de 98%.  O PIB da RMVA era de R$ 9,35 bilhões, em 2008, de acordo com a Fundação João Pinheiro. O PIB per capita, de R$ 20,8 mil, está acima da média estadual.

Sobre a Agência RMVA

Com personalidade jurídica pública, autonomia administrativa e financeira e prazo de duração indeterminado, a ARMVA está vinculada à Secretaria Extraordinária de Estado de Gestão Metropolitana (Segem). Suas ações abrangem os municípios de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Santana do Paraíso, além dos que fazem parte do seu Colar Metropolitano: Açucena, Antônio Dias, Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Braúnas, Bugre, Caratinga, Córrego Novo, Dom Cavati, Dionísio, Entre-Folhas, Iapu, Ipaba, Jaguaraçu, Joanésia, Marliéria, Naque, Periquito, Pingo d’Água, São José do Goiabal, São João do Oriente, Sobrália e Vargem Alegre.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/nomeados-os-diretores-da-agencia-de-desenvolvimento-do-vale-do-aco/

Governo de Minas: Estado promove debate sobre as políticas públicas voltadas à gestão de resíduos sólidos

Objetivo é ampliar o diálogo em tornos destes desafios com os governos federal, estadual e municipal

Catadores de materiais recicláveis, representantes dos poderes públicos estadual, federal e municipal, de ONGs e da iniciativa privada estarão reunidos, nesta quarta (23) e quinta-feira (24), no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), em Belo Horizonte, para debaterem sobre a realidade da coleta seletiva e as políticas públicas para gestão de resíduos sólidos urbanos em Minas. É o 3º Encontro Estadual de Coleta Seletiva: “Os Diferentes Olhares sobre os Serviços de Coleta Seletiva e Inclusão Sócio-Produtiva dos Catadores”.

O evento tem como objetivo consolidar políticas de apoio e articulação junto aos catadores de materiais recicláveis de Minas Gerais, como por exemplo, a Lei instituída no estado para o incentivo financeiro às organizações de catadores por meio de Bolsa Reciclagem, subsidiar os municípios com informações acerca dos desafios da coleta seletiva e ampliar o diálogo acerca desses desafios com os governos federal, estadual e municipal.

“Esse encontro será um espaço aberto para debatermos a sustentabilidade da coleta seletiva, que só será possível a partir de um pacto federativo entre União, Estados e municípios”, afirma o diretor executivo do CMRR, José Aparecido Gonçalves.

Nesta quinta-feira, de 14h às 15h30, haverá uma sessão especial com os municípios da região e colar metropolitano para discutir a parceria público-privada para transbordo, tratamento e disposição final de resíduos sólidos , que está em consulta pública por meio da Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana (Segem).

O evento contará com as presenças de Cícero Bley, assessor de Energias Renováveis de Itaipu Binacional, e Luciano Badini, promotor de Justiça da Comarca de Belo Horizonte, como consultores. Para a abertura estão confirmados Jaira Puppim, Secretária Executiva do Comitê Interministerial de Inclusão Social de Catadores de Materiais Recicláveis, Adriano Magalhães Chaves, secretário de Meio ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ilamar Bastos, Presidente da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), Camilo Fraga Reis, diretor-geral da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Andrea Neves, presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e Lideranças do Movimento Nacional dos Catadores.

O Terceiro Encontro Estadual de Coleta Seletiva é uma realização do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), da Fundação Israel Pinheiro (FIP), por meio do Programa Minas sem lixões, do Fórum Estadual Lixo e Cidadania, do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (INSEA) e do Movimento Nacional dos Catadores.

Serviço

Evento: 3º Encontro Estadual de Coleta Seletiva

Tema: Os Diferentes Olhares sobre os Serviços de Coleta Seletiva e Inclusão Sócio-Produtiva dos Catadores.

Datas: 23 e 24 de maio de 2012

Local: Centro Mineiro de Referência em Resíduos – Av. Belém, 40, Esplanada, Belo Horizonte

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estado-promove-debate-sobre-as-politicas-publicas-voltadas-a-gestao-de-residuos-solidos/

Gestão Anastasia: Centro Mineiro de Referência em Resíduos promove consulta para realização de PPP

Edital prevê parcerias para a gestão de resíduos sólidos em 46 municípios mineiros

Servas / Divulgação
José Aparecido Gonçalves destacou o papel do CMRR na implantação da coleta seletiva no Estado
José Aparecido Gonçalves destacou o papel do CMRR na implantação da coleta seletiva no Estado

Catadores de material reciclável e técnicos de associações e cooperativas se reuniram no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), nesta quinta-feira (26), na primeira consulta pública para validação do edital da Participação Público Privada para Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e Colar Metropolitano.

Publicado há uma semana pelo Governo de Minas, o edital prevê a realização de Parcerias Público Privadas (PPP) para a gestão de resíduos sólidos urbanos em 46 municípios mineiros. Essa é uma iniciativa compartilhada entre o governo e os municípios e a Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana (Segem), que prevê ações para adequada gestão dos resíduos.

Na reunião no CMRR, para construir e validar a PPP, os catadores de material reciclável tiveram a oportunidade de se informar sobre o que é a PPP, qual o seu papel nesse processo, sua viabilidade e interação com a Segem, por meio da Agência Metropolitana de Belo Horizonte (AMBH) e parceiros como a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede).

Por sua vez, o diretor executivo, José Aparecido Gonçalves, destacou o pioneirismo do CMRR e seu importante papel na coordenação para implantação da coleta seletiva no Estado. Ele lembrou que o CMRR é uma iniciativa do Servas,  inédita no país, em parceria com o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável (Semad) e a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e apoio do Sebrae-MG, que busca orientar o consumo consciente, a reutilização, reciclagem de materiais e a inclusão sócio produtiva dos catadores de materiais recicláveis.

O representante do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR), Jucilei Borges Custódio, apresentou conquistas já alcançadas pelos catadores, como a inclusão sócio produtiva destes trabalhadores na legislação nacional e estadual de resíduos sólidos. “A partir da organização em associações, cooperativas e redes, nós catadores ganhamos espaço para o diálogo com governos, acesso a crédito e a erradicação dos trabalhadores em lixões”, ressaltou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/centro-mineiro-de-referencia-em-residuos-promove-consulta-para-realizacao-de-ppp/

Governo de Minas: técnicos japoneses visitam BH para início de cooperação técnica em gestão de resíduos

Parceria com o Governo de Minas permitirá a troca de experiências entre especialistas dos dois países

Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Agência Japonesa de Cooperação Internacional e Prefeitura de Kitakyushu conhecem iniciativas em gestão ambiental do Governo de Minas
Agência Japonesa de Cooperação Internacional e Prefeitura de Kitakyushu conhecem iniciativas em gestão ambiental do Governo de Minas

Teve início, nesta segunda-feira (5), a visita oficial à Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana (Segem) e à Agência de Desenvolvimento da RMBH (ARMBH) de representantes japoneses da Agência Japonesa de Cooperação Internacional (Jica) e da Prefeitura de Kitakyushu, que vieram a Belo Horizonte para conhecer as iniciativas em gestão ambiental desenvolvidas na região metropolitana da capital, com ênfase em resíduos sólidos.

Esta é a primeira visita técnica da missão de cooperação acertada entre a ARMBH e a Jica para conhecer a estrutura de coleta, disposição e destinação de resíduos sólidos na RMBH. A comitiva é formada por técnicos especializados em análise de resíduos e engenheiros da Prefeitura de Kitakyushu, no Japão, que também apresentaram as ações desenvolvidas naquele país em relação à sua gestão.

Até a próxima quinta-feira (8), a comitiva vai participar de várias apresentações sobre o que está sendo feito na gestão de resíduos sólidos pelo Estado, ministradas na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, além de visitar a cidade de Betim, onde a Jica já desenvolve uma parceria para identificar o tipo de lixo gerado no município. Ainda em Betim, os técnicos vão pesquisar a situação de tratamento de resíduos norteados por visitas à prefeitura municipal, às empresas de tratamento de resíduos Via Solo e Metalsider, e aos aterros sanitários de São Salvador, encerrado em dezembro de 2011; de Essencis, no bairro Morada do Trevo; e de Sabará, no bairro Nações Unidas.

A delegação japonesa também vai conhecer o laboratório de Análises Químicas da Universidade Federal de Minas Gerais, o Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos na BR-040, e as instalações do Sistema de Lixo Urbano (SLU) e do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR).

Na abertura da reunião, o diretor-geral da ARMBH, Camillo Fraga, ressaltou a importância da parceria com a Jica, lembrando a boa relação com a agência nos últimos meses. Falou, ainda, sobre o envio da técnica da ARMBH, Kelly Silva, ao Japão, por 35 dias, para conhecer e estudar a destinação final de resíduos sólidos naquele país. “Dando continuidade a essa cooperação, essa visita é mais um passo importante para que possamos e avaliar o que está sendo desenvolvido nessa área na RMBH”, afirmou.

Após coletarem as informações necessárias, os técnicos retornarão ao Japão no dia 09 de março, onde vão estudar e avaliar a melhor forma de tratamento dos resíduos sólidos na RMBH. O passo seguinte será a apresentação do tratamento sugerido aos técnicos do Estado, em outra visita a Belo Horizonte.

Cooperação

No dia 26 de janeiro de 2012, a coordenadora de projetos da Jica/Representação no Brasil, Kelly Nishikawa, veio a Belo Horizonte anunciar a aprovação de cooperação técnica com o Governo de Minas no projeto sobre análise de resíduos sólidos nos 48 municípios integrantes da RMBH e Colar Metropolitano.

A agência japonesa se comprometeu em subsidiar a capacitação de técnicos brasileiros, que ficarão responsáveis pelos estudos e análise dos resíduos sólidos na RMBH, identificando, principalmente, o seu poder calorífico com potencial para ser usado na geração de energia. É a primeira vez que a Jica estabelece uma cooperação técnica para projetos comunitários com o Governo de Minas e, apesar de não haver transferência direta de recursos, o projeto está orçado em cerca de R$ 400 mil. Durante os dois anos e meio de duração do projeto estão previstas duas visitas de peritos japoneses ao Brasil e uma, de técnicos brasileiros ao Japão.

Fonte: Agência Minas