Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Minas assume protagonismo nos debates sobre desenvolvimento sustentável na Rio+20

Para o secretário de Meio Ambiente, Adriano Magalhães, “Minas é um resumo do Brasil”, referindo-se à biodiversidade que o Estado reúne

Janice Drumond / Ascom Sisema
Estande do Governo de Minas na Rio+20 tem cobertura das paredes feita a partir da casca do coco
Estande do Governo de Minas na Rio+20 tem cobertura das paredes feita a partir da casca do coco

As políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável, criadas pelo Governo de Minas, bem como as demais ações realizadas pelo Estado na área de preservação do meio ambiente, ganharam destaque durante a realização da Rio+20, a Conferência da Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Sustentável, que está sendo realizada no Rio de Janeiro.  O Governo de Minas assume um papel de protagonista dos principais debates em torno da sustentabilidade.

A delegação mineira presente no evento coordenou debates sobre a conservação de biomas, biodiversidade e recursos hídricos, bem como discussões sobre a implementação de medidas capazes de conter os efeitos das mudanças climáticas. Também vêm sendo abordadas pelos representantes do Governo de Minas interfaces relativas a outras áreas, como a chamada economia verde, o crescimento urbano e o desenvolvimento rural sustentável.

Minas integra a Delegação Brasileira da Rio+20 com representantes do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema) e das Secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan), de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), de Trabalho e Emprego, de Desenvolvimento Regional Urbano (Sedru) e da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa).

Órgãos vinculados ao Governo do Estado, como o Instituto Estadual de Florestas (IEF), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Fundação Centro Internacional de Educação (Unesco HidroEX), também compõem o grupo.

A Delegação Brasileira da Rio+20 é um colegiado formado por órgãos públicos e instituições de diversos estados, com a responsabilidade de coordenar a conferência.

Estande com materiais recicláveis

O Governo de Minas conta com um dos maiores estandes da Rio+20, com 100 metros quadrados. O espaço foi desenvolvido com materiais sustentáveis, como o piso reciclado, feito com material composto por 70% de caixas de embalagens longa vida recicláveis, 30% de fibras vegetais, plástico e outros materiais reciclados, além da cobertura das paredes feita de pastilha de coco, obtida a partir da casca do coco.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães Chaves, Minas desenvolve, desde 2002, um trabalho de aprimoramento da gestão pública onde foram incorporadas questões relacionadas à sustentabilidade. “O trabalho realizado no Estado serve de exemplo para iniciativas semelhantes em todo o país”, afirma. De acordo com o secretário que “Minas é um resumo do Brasil”, em função da grande diversidade de ambientes e condições que o Estado reúne.

“Minas sem lixões” é referência

As principais iniciativas ligadas à gestão ambiental em Minas são coordenadas pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). A disposição adequada de resíduos sólidos é uma vertente da gestão ambiental em Minas, e o gerenciamento é feito pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam).

O trabalho teve início em 2001, quando menos de 20% da população do Estado era atendida por sistemas adequados. Após a criação do programa “Minas Sem Lixões”, em 2003, e a regulamentação da legislação estadual sobre a questão, aproximadamente 55% da população mineira passou a ter acesso a esse serviço.

Uma solução para a destinação de resíduos sólidos são os consórcios intermunicipais em resíduos sólidos, uma parceria da Feam com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional Urbano.  Entre 2007 e dezembro de 2011 foram formados 50 consórcios, atendendo 469 municípios.

Outra iniciativa pioneira do estado nessa área é Parceria Público Privada (PPP) de resíduos sólidos urbanos, que tem como objetivo fazer com que 100% dos resíduos sólidos da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) sejam eliminados de forma correta. Na última terça-feira (19), o governador Antonio Anastaia assinou convênio com 46 dos 48 municípios do Colar Metropolitano de Belo Horizonte para a gestão compartilhada dos serviços de transbordo, tratamento e disposição final de resíduos sólidos urbanos na região. Mais detalhes sobre esse projeto podem ser acessados aqui.

“Bolsa Verde” ajuda na conservação de biomas

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) gerencia o projeto para conservação e recuperação dos biomas no Estado: a Mata Atlântica, o Cerrado e a Caatinga. A previsão é de que sejam aplicados R$ 9 milhões em 2012 em ações com a implantação de corredores ecológicos, recuperação de matas ciliares e implantação de unidades de conservação.

O programa “Bolsa Verde”, uma ação do Estado importante para o meio ambiente, garante a remuneração pela conservação de áreas com cobertura vegetal nativa. No ano passado, 978 proprietários e posseiros rurais foram beneficiados pelo programa, garantindo a preservação de 32 mil hectares de vegetação em todo o Estado.

Anunciada criação da maior unidade de conversação do Estado

Dentre as principais ações debatidas na Rio+20, o secretário Adriano Magalhães Chaves anunciou a criação, até 2013, de uma unidade de conservação que protegerá áreas dos biomas de Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica em Minas.

A unidade de conservação será a maior do Estado, com área estimada em até 500 mil hectares. “Os estudos estão sendo elaborados pela equipe do Instituto Estadual de Florestas na região do rio Carinhanha, na divisa do Estado com a Bahia”, afirmou Magalhães.

A criação dessa unidade de conservação é uma das medidas que Minas vem tomando para ampliar os mecanismos de proteção dos biomas do Estado.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, outras ações importantes são os investimentos na prevenção e combate a incêndios florestais e o pagamento a proprietários rurais que conservam áreas de vegetação nativa que, em 2011, beneficiaram 978 famílias, com um investimento de R$ 6,8 milhões pela preservação de 32 mil hectares de vegetação em todo o Estado.

Sobre a Conferência Rio+20

A Rio+20 acontece entre os dias 20 e 22 de junho no Centro de Convenções Riocentro, no Rio de Janeiro. O evento tem a presença de chefes de Estado e de governos do mundo inteiro e marca o vigésimo aniversário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada no Rio de Janeiro em 1992 (Eco-92) e o décimo aniversário da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável promovida em Johanesburgo, em 2002.

Site mostra modelo mineiro de gestão sustentável

Desde a semana passada está no ar um  hotsite, com informações sobre as iniciativas do Estado alinhadas com os temas debatidos na Rio+20. Produzido pela elaborado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o site apresenta o modelo de gestão sustentável desenvolvido por várias áreas do Governo de Minas Gerais. O endereço para acessá-lo é o seguinte: www.minasmais20.mg.gov.br.

Clique aqui para saber mais sobre ações voltadas à sustentabilidade desenvolvidas por órgãos do Governo de Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-assume-protagonismo-nos-debates-sobre-desenvolvimento-sustentavel-na-rio20/

Governo de Minas: obra sustentável do Mineirão é destaque de vídeo disponibilizado pela Secopa

Imagens mostram ações sustentáveis implementadas desde o início das obras, em janeiro de 2010

Sylvio Coutinho/Secopa
Reaproveitamento de entulhos, uso de energia solar e reuso de água da chuva estão entre as ações sustentáveis adotadas nas obras
Reaproveitamento de entulhos, uso de energia solar e reuso de água da chuva estão entre as ações sustentáveis adotadas nas obras

Para apresentar as medidas de sustentabilidade adotadas na obra de modernização do Mineirão, o site da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) exibe seu novo vídeo sobre a agenda verde do novo estádio. As imagens atuais mostram ações sustentáveis implementadas desde o início das obras, em janeiro de 2010, em concordância com os padrões internacionais de respeito ao meio ambiente, tais como reaproveitamento de entulhos, uso de energia solar, reuso de água da chuva para irrigação e limpeza, além de iluminação de baixo consumo.

Todas as iniciativas visam não só diminuir o impacto ambiental provocado pela obra, mas também compensar o meio ambiente de maneira responsável. “O desenvolvimento sustentável será um dos maiores legados do Governo de Minas à sociedade após o Mundial. Os participantes da conferência Rio+20 terão a oportunidade de conhecer hoje o que está sendo feito em nosso Estado com o objetivo de realizarmos a Copa do Mundo da Fifa 2014 Brasil verde”, diz o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso. O Governo de Minas apresenta seus principais projetos de ações ambientalmente sustentáveis, nesta terça-feira (19), no Rio de Janeiro.

Uma das metas da modernização do Mineirão é obter a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), que atesta a arena como um empreendimento ambientalmente sustentável. Para isso, o novo estádio já prioriza, desde a obra, padrões, ferramentas e procedimentos aceitos e entendidos internacionalmente como ecologicamente corretos.

Desde o início das obras em 2010, o Mineirão tem contratado um serviço de consultoria LEED habilitado a acompanhar obras e realizar o controle dos processos e registro rigoroso dos documentos exigidos para a certificação. Objetivo é comprovar que são priorizadas práticas sustentáveis junto ao conselho do Green Building Council Intitute (GBCI), organização com sede nos Estados Unidos que confere a certificação.

O Mineirão pretende conquistar o certificado “Nova Construção e Renovação Principal” (New Construction and Major Renovation), conferido a projetos de reconstrução. A avaliação da obra está baseada em critérios como localização sustentável, eficiência no uso da água, energia e atmosfera, materiais e recursos e, por último, qualidade do ambiente interno.

Uma das ações de sustentabilidade ambiental adotadas na reforma do Mineirão é o sistema para lavagem dos pneus dos veículos, essencial para redução da sujeira nas vias públicas e diminuição da poeira. A água usada para lavagem das rodas é reutilizada. Ao ser captada por calhas e destinada a um sistema de tratamento, a água é tratada e bombeada para uma caixa d’água, voltando assim a abastecer o sistema de lavagem. Uma prática simples que gera economia e limpeza. A obra também reaproveita a maior parte dos resíduos (concreto, terra e metal).

Quando a obra terminar, em 21 de dezembro de 2012, o novo Mineirão terá sistema para reaproveitamento da água de chuva em um reservatório de aproximadamente 6.000 m3, quantidade suficiente para descarga de sanitários, irrigação do gramado e jardins, além da limpeza das áreas externas em caso de estiagem de três meses.

A energia terá ainda fonte limpa. Células fotovoltaicas vão captar energia solar para geração de energia elétrica, com potência de 1,6 megawatt, o suficiente para atender a 1.200 residências de médio porte. “São medidas ambientais que podem tornar o estádio referência nacional em sustentabilidade. Além de já obedecer critérios rigorosos de economia e reaproveitamento de recursos, a obra vai deixar um legado de expertise na redução de impactos ambientais”, informa o gerente do Projeto Copa Sustentável da Secopa, Vinícius Lott.

Na obra, cerca de 90% dos resíduos são reaproveitados. O concreto, por exemplo, é transformado em brita, e o metal está sendo usado em usinas recicladoras para emprego na indústria. O concreto reciclado foi utilizado na pavimentação de ruas do município de Vespasiano. A terra foi utilizada para fazer o aterro do Boulevard Arrudas, no centro da capital mineira. Já as cerca de 50 mil cadeiras foram doadas para diversos estádios de Minas. “O pioneirismo do Mineirão vai inaugurar uma nova fase entre as novas arenas do país de respeito e responsabilidade quanto ao uso de energia e água”, conclui Sergio Barroso.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/obra-sustentavel-do-mineirao-e-destaque-de-video-disponibilizado-pela-secopa/

Gestão Anastasia: Governo de Minas atualiza Matriz de Responsabilidades para a Copa

Documento, que foi elaborado no ano passado, passou por uma revisão em sua forma e conteúdo

Sylvio Coutinho/Secopa
A conclusão das obras do Mineirão está entre os compromissos firmados na Matriz de Responsabilidades
A conclusão das obras do Mineirão está entre os compromissos firmados na Matriz de Responsabilidades

Já está disponível no site da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) a atualização da Matriz de Responsabilidades do Governo de Minas para a Copa do Mundo da Fifa 2014, que pode ser acessada clicando aqui. O documento,que foi elaborado no ano passado, passou por uma revisão em sua  forma e conteúdo, visando alinhamento ao planejamento orçamentário do Estado e de acordo com as demandas já concluídas, como é o caso da reforma do estádio Raimundo Sampaio (Independência).

A edição de 2012 prevê a continuidade de projetos que contam com a participação de mais de uma dezena de órgãos do Governo de Minas. O documento consolida todos os compromissos acordados com a Fifa para a realização da Copa de 2014 no Estado e mantém a prioridade de transformar o evento em uma grande oportunidade de desenvolvimento.

Apartir do momento em que o Minas foi escolhida para sediar a Copa, foi constituída uma equipe empenhada em pensar e executar ações que resultem em melhorias permanentes nos quesitos mobilidade urbana e estádios, por exemplo, reunindo sempre iniciativas sustentáveis e que promovam a qualidade de vida.

Entre os compromissos firmados, está a conclusão das obras de modernização do Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão) e de preparação do Ginásio Jornalista Felipe Henriot Drummond (Mineirinho). Quanto à Copa das Confederações, está prevista a entrega de um Plano Operacional e a formulação do Guia do Visitante 2013. Para fomentar o potencial turístico do Estado, está prevista a distribuição de material das cidades mineiras para atração de seleções e capacitação de pessoas ligadas aos serviços para bem receber o turista. Para que as ações estejam de acordo com as iniciativas de sustentabilidade, será elaborado um estudo de pegada de carbono, além da aprovação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Especiais e a publicação de relatório de sustentabilidade no site da Secopa. Em relação à mobilidade, destacam-se as obras dos terminais metropolitanos de BRT e de expansão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves. Iniciativas de segurança e saúde estão contempladas por meio da implantação da Sala de Situação e Monitoramento de Crises e Grandes Eventos, a capacitação do Sistema de Defesa Social, a elaboração do Plano de Preparação e Resposta Estadual de Vigilância em Saúde, entre outros.

O secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso, ressalta a importância em atualizar os compromissos de Minas Gerais para a Copa do Mundo. “Queremos que Belo Horizonte seja a melhor sede da Copa do Mundo de 2014, bem como trabalhamos para estimular o turismo e o desenvolvimento do interior, que conta com cerca de 60% do patrimônio histórico do país. Iremos realizar um grande evento, oferecendo uma herança importante para os mineiros”, conclui.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-atualiza-matriz-de-responsabilidades-para-a-copa/

Governo de Minas: candidatas a Centro de Treinamento de Seleção se reúnem em Vitória

Representantes de 13 das 19 cidades mineiras candidatas a Centros de Treinamento de Seleções participaram do evento

Representantes de 13 das 19 cidades mineiras candidatas a Centros de Treinamento de Seleções (CTS) participaram, nesta sexta-feira (30), em Vitória (ES), do Seminário Geral de CTS promovido pelo Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Entre os participantes estavam técnicos da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), do Comitê Executivo Municipal da Copa, empresários do setor hoteleiro e diretores do Cruzeiro, América e Atlético.

“O seminário foi muito positivo porque todos tiveram a oportunidade de saber diretamente do COL e da FIFA quais são os critérios para que a cidade seja incluída no catálogo da FIFA que será mostrado às seleções que virão ao Brasil para a Copa das Confederações e Copa do Mundo”, afirma a assessora do núcleo de Centro de Treinamento de Seleção da Secopa, Ludmila Kai.

Cerca de 200 representantes de potenciais candidatos a CTS em todo Brasil foram a Vitória. No seminário eles ouviram palestras sobre requisitos para hotéis e campo de treinamento, processo de avaliação e seleção dos CTS, como se preparar para a inspeção das seleções e como serão os contratos para uso do campo e do hotel em caso de a estrutura ser escolhida por alguma seleção.

“Esse evento foi a consolidação de todas as informações e serviu para verificar que a estrutura atual somada ao projeto de expansão do hotel atendem aos requisitos da FIFA.  Estou muito otimista com a possibilidade real de atrair uma seleção”, disse Jose Luiz Magalhães, proprietário do Hotel Aras Morena em Matias Barbosa, próximo a Juiz de Fora.

A partir de agora, COL e FIFA farão a primeira seleção de possíveis CTS. O catálogo deverá ser enviado no final de junho para as federações e confederações que participam das Eliminatórias da Copa do Mundo da FIFA e deve conter cerca de 40 opções. Mais duas janelas de inscrição serão abertas, neste ano e no início de 2013. O COL é obrigado a fornecer 64 opções às seleções, mas o objetivo é listar cerca de 80 CTS no catálogo final, previsto para ser divulgado em 2013. A escolha final é das próprias seleções participantes da competição.

“O seminário foi de fundamental importância para que todos os envolvidos na operação dos CTs – cidades-sede, clubes e até hotéis – pudessem receber da FIFA as informações alinhadas, tanto as vantagens quanto as restrições. A partir da Copa do Mundo, todos serão beneficiados pelo aumento de visibilidade e do potencial turístico de cada cidade”, concluiu Flávia Rohlfs, coordenadora executiva do Comitê da Copa do Mundo de Belo Horizonte.

Centro de Treinamento de Seleção

Os Centros de Treinamento de Seleções são locais que servirão como base de uma seleção durante a Copa do Mundo da FIFA. São compostos por um local de treinamento e um hotel oficial. Os locais que estão sendo visitados atendem a requisitos básicos, como distância para um aeroporto com capacidade de pouso para aeronaves de porte médio, distância do local de treinamento para um hotel com 55 quartos exclusivos, entre outros.

Segundo a Secopa, não existe limite de CTS para uma mesma cidade ou um mesmo estado. É levada em conta a qualidade técnica dos locais oferecidos. Uma mesma cidade pode ter mais de um CTS, enquanto outras poderão não ter nenhum.

A análise dos técnicos leva em conta mais de cem detalhes técnicos nos campos e hotéis. São considerados o sistema de abastecimento elétrico, de água, os acessos para as equipes e para a imprensa, local para realização de entrevistas, vestiários, demais instalações para os atletas, tipo de solo (é analisado o solo, não o gramado), drenagem etc.

A análise de um projeto é tão minuciosa quanto a de um campo já existente. E, a exemplo do que já aconteceu com os projetos dos estádios, são analisadas também as garantias financeiras de que o projeto estará pronto para a Copa do Mundo da FIFA.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/candidatas-a-centro-de-treinamento-de-selecao-se-reunem-em-vitoria/

Governo de Minas: clubes de futebol mineiros negociam uso do estádio Mineirão

Após reunião com Cruzeiro e Atlético, empresa Minas Arena terá encontro com o América

Perspectiva – BCMF/ Minas Arena
Nas reuniões com os times, a Minas Arena apresentou o projeto do novo Mineirão
Nas reuniões com os times, a Minas Arena apresentou o projeto do novo Mineirão

Cruzeiro e Atlético Mineiro foram os primeiros clubes a se reunir com a empresa Minas Arena, responsável pelas obras do Mineirão e, posteriormente, pela gestão do estádio durante 25 anos. O próximo será o América. Esses encontros estão sendo promovidos pela Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa). “O Governo de Minas é indutor desses diálogos, porque entende que o futebol é um valor, um patrimônio dos mineiros. Por isso, a nossa intenção é que o Mineirão seja de todos os times de Minas e, acima de tudo, a casa dos torcedores mineiros”, explica Sergio Barroso, secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo.

Nas reuniões com os dois times mineiros, a Minas Arena apresentou o projeto do estádio sob o ponto de vista comercial para que os clubes entendam como a nova infraestrutura poderá maximizar suas receitas. O diretor-presidente da Minas Arena, Ricardo Barra, ressaltou que foram conversas preliminares. “Vamos negociar e encontrar o caminho que potencialize as receitas dos clubes e garanta aos torcedores conforto e segurança para assistir aos jogos”.

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, elogiou o projeto. “Estamos encantados com o projeto do Mineirão e temos certeza de que o contrato que começamos a estudar e que vamos assinar com a Minas Arena vai dar muita renda e ser lucrativo para o Cruzeiro”.

O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, também demonstrou satisfação. “Está ficando uma beleza o Mineirão. A torcida do Atlético pode olhar para o estádio com grande possibilidade de receber jogos importantes. O futebol de Minas tem que ser atendido. Cada um deve defender seus interesses, e é isso que o Atlético está fazendo nesse momento”.

O próximo encontro da Minas Arena será com o América Futebol Clube. O presidente Marcus Salum tem boa expectativa para a reunião. “Independentemente de o América ser proprietário do Independência, nosso clube tem interesse máximo de conversar com a Minas Arena para que o Mineirão seja utilizado da melhor forma possível pelo time. O Mineirão é de interesse do América e do futebol mineiro”.

“Entendemos que o estádio deve ser para o futebol, portanto ter os clubes mineiros jogando no Mineirão é um desejo e uma necessidade para o sucesso do empreendimento e para o desenvolvimento do futebol de Minas”, concluiu Barra.

Fonte: Agência Minas