Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: Força Tarefa de Combate à Dengue retorna a Fernandes Tourinho

O caminhão Dengue Móvel irá percorrer bairros do município para troca de materiais recicláveis por material escolar

A Força Tarefa de Combate à Dengue do Estado retorna na segunda-feira (2), em Fernandes Tourinho, no Vale do Rio Doce, para ações contra Dengue. Uma equipe formada por 36 agentes de endemias e duas mobilizadoras sociais irão ficar na cidade até sexta-feira (6) para atuar, em parceria com a Prefeitura, nas áreas críticas do município.

A ação faz parte do Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue do Governo de Minas, executada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).O objetivo principal é a diminuição do risco de epidemias em municípios com maior índice de infestação, somando força aos agentes municipais e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença.

A equipe de agentes de endemias da Força Tarefa está capacitada para executar atividades de controle vetorial através de eliminação de criadouros do vetor, tratamento focal e bloqueio de transmissão.

Mobilização Social

Uma das estratégias a serem utilizadas pelo Estado são as atividades de mobilização social.  Mais uma vez o caminhão Dengue Móvel será utilizado, percorrendo bairros do município  já predeterminados  para  troca de materiais recicláveis (pneus, garrafas pet vazias, vasilhas plásticas e latas) por material escolar (caderno, lápis e borracha), seguindo critérios que identificam áreas com  altos níveis de infestação pelo mosquito da dengue.

Dentro da programação, as articuladoras sociais da SES, Cláudia Oliveira e Marília Takahahi, vão promover na terça-feira (3), ás 09 horas, uma reunião com representantes da Prefeitura de Fernandes Tourinho para estabelecer estratégias de trabalho. Às 14 horas, será promovida a distribuição de material gráfico.

Na quarta-feira (4) o Dengue Móvel atua durante todo o dia  a partir das 08h30, na Praça Rodolfo Custódio, s/nº, no centro do município. Já na quinta-feira (5), a troca acontece na quadra coberta do Distrito Senhora da Penha de 08h30 às 11 horas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forca-tarefa-de-combate-a-dengue-retorna-a-fernandes-tourinho/

Anúncios

Gestão da Saúde: Força Tarefa de Combate à Dengue mobiliza população em Itambacuri

Objetos que servem de criadouro do mosquito são trocados por materiais escolares

Lineu Cardoso
A troca de materiais diminui o índice do foco do mosquito da dengue
A troca de materiais diminui o índice do foco do mosquito da dengue

A população da cidade de Itambacuri, na região do Vale do Rio Doce, se mobiliza no combate a dengue até sexta-feira (29). Hoje pela manhã foi a vez do bairro Várzea receber o Dengue Móvel, vários materiais que podem servir de criadouro para o mosquito da dengue, como latas, garrafas pets e pneus foram trocados por materiais escolares. A iniciativa é do Governo de Minas através da Secretaria de Estado de Saúde.

Petterson Bonifácio Nascimento, enfermeiro do município, disse que a Força Tarefa de Combate à Dengue está desenvolvendo um trabalho muito importante com a comunidade, pois além da troca de materiais, ajuda na diminuição do índice de infestação e eliminação do foco do Aedes aegypti.

“Essa iniciativa do Governo de Minas é muito boa. Vou continuar limpando sempre o meu quintal, estou junto no combate à dengue. Já tive dengue hemorrágica, fiquei bastante tempo acamada recebendo tratamento e não quero que ninguém passe o que passei. Só quem é preguiçoso é que não colabora. Essas pessoas não  sabem o perigo da dengue que rodeia a sua casa, não podemos nos acomodar”, ressaltou a moradora do bairro Santa Clara, Maria de Fátima Neves Batista, 59 anos.

Para a secretária Municipal de Saúde, Daniela de Cássia D’Avila Teixeira Tudeia, o trabalho da Força Tarefa e da Mobilização no município é fundamental para a que a população se conscientize da importância da sua participação na efetivação deste trabalho. “É importante destacar a diminuição dos casos de dengue após a mobilização de todos, como podemos notar depois do primeiro trabalho da Força Tarefa em Itambacuri no ano de 2011. Agradeço ao Governo de Minas pela parceria com o município na prevenção da dengue”, ressaltou a secretária.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/forca-tarefa-de-combate-a-dengue-mobiliza-populacao-em-itambacuri/

Governo de Minas: cooperação capacita professores para atuação em casos de doenças falciformes

Durante seminário realizado em Belo Horizonte, Secretarias de Educação e de Saúde assinam cooperação com órgão federais para debater o tema

Adair Gomez
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)

Discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e minimizar a falta de informação sobre a doença, além de construir uma articulação entre a saúde e a educação, são alguns dos objetivos do Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. Cerca de 160 pessoas, entre especialistas nacionais e internacionais, educadores e pesquisadores participam do evento, que acontece nesta terça (26) e quarta-feira (27), em Belo Horizonte. O seminário é promovido pelo Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG).

O evento tem o intuito de substanciar a construção do projeto de educação para capacitar professores da rede estadual de Minas, visando melhores cuidados à pessoa com doença falciforme. O seminário conta com a participação de gestores do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e da Secretaria de Estado de Saúde.

Durante a abertura do encontro, nesta terça-feira, a subsecretaria de desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos, assinou um termo de compromisso que possibilitará a capacitação de professores da rede estadual de ensino sobre o tema. O termo para a execução do projeto “Saber para cuidar: doença falciforme na escola” foi assinado por representantes da Universidade Federal de Minas Gerais (Faculdade de Medicina) e do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad/UFMG), além da Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Fundação Hemominas.

“Assinamos o termo de compromisso para que em uma próxima oportunidade, a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, possa assinar o convênio com os nossos parceiros”, ressalta Raquel Elizabete de Souza Santos. Já o subsecretário de Estado de Políticas e Ações em Saúde, Mauricio Rodrigues Botelho, falou da importância do tema. “A doença falciforme tem um impacto social e econômico que ainda não temos toda a sua dimensão. A pessoa sofre, além dos sintomas da doença, também no ambiente social. O modelo do enfrentamento da doença falciforme em Minas Gerais é vitorioso”, informou.

Por meio dessa parceria, os professores da rede estadual serão capacitados sobre os cuidados necessários com os portadores da doença para estarem preparados para receber o aluno com doença falciforme. “É de extrema importância discutir o tema com nossos educadores. Os professores conhecendo essa situação terão mais condições de atender as necessidades pedagógicas das crianças com doença falciforme. O trabalho com a UFMG e com a Secretaria de Estado de Saúde vai nos ajudar a tratar o tema na trajetória escolar do aluno”, conclui Raquel Elizabete de Souza.

Para Nélio Januário, coordenador do Nupad, esta cooperação é um importante passo no sentido de dar visibilidade à doença falciforme. “Já estamos bem avançados no reconhecimento da doença no Sistema Único de Saúde (SUS). É importante levar esse reconhecimento para outras esferas: a escola, o trabalho, a vida social”, concluiu o coordenador.

A presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, ressaltou que a instituição sempre se preocupou com o acompanhamento escolar de seus pacientes por meio das atividades realizadas pelos pedagogos da Hemominas. “Visando a qualidade de vida da pessoa com doença falciforme sempre pensamos em uma parceria com a Educação. A criança precisa ser incluída no meio social representado pela escola”, completou.

A representante do Ministério da Saúde, Joice Aragão de Jesus, salientou o pioneirismo do Estado de Minas Gerais nos trabalhos realizados com a doença falciforme. “O trabalho desse seminário assume uma grandiosidade que irá repercutir em todo o Brasil. Nenhuma criança ou jovem deve deixar a escola devido às crises da doença. A educação tem papel fundamental para a inclusão das pessoas com doença falciforme na sociedade. A integralidade faz parte do processo de cidadania, afirmou”.

Projeto

Minas Gerais possui mais de 6 mil pessoas com doença falciforme. Na cidade de Belo Horizonte, este número é de 270 pessoas, sendo 158 com idade escolar, de 6 a 14 anos. A doença falciforme faz com que este aluno tenha uma baixa frequência escolar, que prejudica a sua formação educacional e, consequentemente, traz problemas sociais, econômicos, emocionais e psicológicos.

O seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola” tem como objetivo, por meio da capacitação dos profissionais da educação, minimizar estes problemas. A iniciativa é dividida em três partes. A primeira é a mobilização dos parceiros para a implantação do projeto. A segunda etapa consiste na capacitação presencial da equipe do Serviço de Apoio à Inclusão das 47 Superintendências Regionais de Ensino e da equipe central do Programa de Intervenção Pedagógica. Já a terceira consiste na capacitação a distância dos professores da rede estadual.

O evento também tem o apoio de entidades representativas da doença falciforme, como a Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região Metropolitana (Dreminas) e Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doenças Falciformes (Fenafal).

Doença falciforme

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes.Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da Fundação em todo o Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cooperacao-capacita-professores-para-atuacao-em-casos-de-doencas-falciformes/

Gestão da Saúde: doença Falciforme é tema de seminário para educadores em Belo Horizonte

 

Encontro vai reunir gestores e representantes de órgãos públicos, além de profissionais de saúde do Brasil e do exterior.

Será aberto nesta terça-feira (26), às 8h30, em Belo Horizonte, o seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. O evento pretende vai reunir representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), da Secretaria de Estado de Educação (SEE), da Fundação Hemominas, do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG) e das secretarias municipais de Saúde e de Educação de Belo Horizonte, além de profissionais brasileiros, americanos e ingleses. O seminário acontece até quarta-feira (27), no Hotel San Diego (Avenida Álvares Cabral, 1.181, bairro Lourdes).

O seminário visa discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e trocar experiências com o objetivo de substanciar projeto de educação que está sendo desenvolvido pelas instituições. Com foco na integralidade do cuidado, o encontro vai debater estratégias de intervenção acerca da doença falciforme, seus agravos e impactos na educação. Esta iniciativa busca minimizar a falta de informação sobre a doença e construir uma articulação entre a saúde e a educação.

Os temas a serem abordados no seminário são: “Políticas Públicas: a importância da intersetorialidade”; “Peculiaridades da Doença Falciforme no contexto escolar”; “Educação Inclusiva e a Doença Falciforme”; e “Atenção Integral: Saúde e Educação”.

Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da fundação em todo o Estado.

Para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, a escola é essencial para a qualidade de vida do paciente. “A escola é o local onde o paciente falciforme passa grande parte de sua vida, no convívio com os professores e com os colegas. É importante que os educadores conheçam a doença para entender as dificuldades que essas crianças e jovens vão passar ao longo da sua vida. O educador tem um papel fundamental para a inclusão social do paciente falciforme”, salientou.

Doença Falciforme

É uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998.

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

Cehmob-MG

O Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG) foi criado em 2004 em uma parceria Fundação Hemominas e Nupad/UFMG. Ainda participam da parceria órgãos federais e municipais, além da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região (Dreminas).

O principal objetivo do Cehmob-MG é promover a atenção integral à pessoa com doença falciforme, por intermédio da educação, informação e apoio assistencial. O Centro atua em todo o Estado, promovendo, também, capacitação e treinamento de profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde e de Urgência de Minas Gerais.

Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”

Data: Terça e quarta (26 e 27 de junho)

Local: Hotel San Diego – Av. Álvares Cabral, 1.181 – bairro Lourdes – Belo Horizonte

Abertura: dia 26, terça-feira, às 8h30

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/doenca-falciforme-e-tema-de-seminario-para-educadores-em-belo-horizonte/

Gestão da Saúde: Córrego Fundo recebe Farmácia de Minas

A nova unidade irá atender a população da cidade que é de aproximadamente 6 mil pessoas

O município de Córrego Fundo, que pertence à Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis, recebeu sexta-feira (22), a 26ª unidade da Rede Farmácia de Minas da Região Centro-Oeste.

A população da cidade, que é de aproximadamente 6 mil habitantes, poder contar agora com atendimento humanizado e com qualidade, numa estrutura moderna e completa, com melhores condições de armazenagem e atendimento que irá dispensar mais 100 itens, como analgésicos, antiasmáticos, cardiovasculares, entre outros.

Para efetivar a construção da Unidade, o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Saúde investiu na parte física R$ 55 mil e outros R$ 35 mil para a compra de mobiliário e equipamentos. O município, em contrapartida, participou com R$ 37.621,95. Além disso, serão repassadas 13 parcelas mensais de R$ 1.200 para complementação salarial  do profissional farmacêutico responsável pela unidade.

A Farmácia conta também com o Software SiGAF (Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica), que  garantirá o gerenciamento adequado, controle dos medicamentos e cadastro dos pacientes atendidos pela Farmácia, bem como de toda a rede. É através desse sistema que o farmacêutico terá um histórico do paciente, podendo monitorar todo o tratamento. E caso o paciente não busque o remédio no dia determinado, o profissional terá condições de  acionar as equipes de Programa de Saúde da Família.

“Além de poder acompanhar o paciente, agora vamos ter mais privacidade para atender ao paciente, tirar dúvidas. E um atendimento mais humanizado”, ressaltou a farmacêutica responsável, Deborah Faria Silva Dias.

A coordenadora da Assistência Farmacêutica da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis, Andréa Cláudia Ribeiro, frisou que a Farmácia de Minas é um marco na Assistência Farmacêutica.  “A Rede Farmácia de Minas é de grande importância porque não é apenas para dispensação de medicamentos, mas também de acompanhamento do paciente, oferecendo um serviço de qualidade, humanizado e acolhedor”, finalizou a Coordenadora.

Rede Farmácia de Minas

Criada em 2007, a Rede Farmácia de Minas é parte integrante do Programa Farmácia de Minas e tem por objetivo propiciar que a farmácia pública deixe de ser vista apenas como uma estrutura física para guarda e distribuição de medicamentos, passando a ser considerada como um espaço humanizado de atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com dispensação gratuita medicamentos, dedicados à atenção primária á saúde, realizada por meio de profissionais qualificados com a promoção do uso racional dos medicamentos.

O Governo de Minas propõe até o final de junho de 2012 a implantação, através da SES-MG, de 200 novas unidades da Rede Farmácia de Minas em municípios com população de até 30 mil habitantes.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/corrego-fundo-recebe-farmacia-de-minas/

Gestão da Saúde: inaugurada nova UPA em Vespasiano

Governo de Minas, Ministério da Saúde e prefeitura investiram, juntos, cerca de R$ 7,8 milhões para reforçar atendimento de urgência e emergência no município.

Henrique Chendes / SES
UPA de Vespasiano poderá realizar 400 atendimentos por dia.
UPA de Vespasiano poderá realizar 400 atendimentos por dia.

A população de Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ganhou um reforço na assistência de urgência e emergência. Foi inaugurada nessa quinta-feira (21), uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A UPA “Prefeito Luiz Issa” tem a capacidade de realizar mais de 400 atendimentos diários no âmbito da urgência e emergência, 24 horas por dia, sete dias por semana. O investimento total foi de R$ 7,8 milhões para a construção da unidade.

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), investiu R$ 2 milhões na UPA. Foram R$ 725 mil destinados à obra e mais R$ 1,3 milhão para aquisição de equipamentos. Já o Governo Federal, por intermédio do Ministério da Saúde, destinou R$ 2,6 milhões e a prefeitura investiu R$ 3,2 milhões para aquisição de terreno, custeio e manutenção.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, a UPA foi implantada para oferecer o primeiro atendimento às pessoas com o quadro clínico de urgência/emergência, sendo capaz de diagnosticar e tratar rapidamente cada paciente. “Estão sendo construídas mais 19 UPAs em todo o Estado. As unidades, assim como o SAMU, são componentes fundamentais da rede e urgência/emergência e comprovam o avanço do SUS no em Minas. Ao ampliar e qualificar o atendimento ao cidadão aumenta a resolutividade da saúde no Estado, que incide em aspectos inovadores de gestão, racionalidade econômica, tempo e infraestrutura”, ponderou.

A Rede de Urgência e Emergência é uma parceria do Governo de Minas Gerais com o Governo Federal e os municípios que visa otimizar e melhorar a qualidade dos serviços para as pessoas que necessitam de agilidade no atendimento médico.  Desde 2011, o governo de Minas já investiu mais de R$ 20 milhões na construção de nove UPAs nos municípios de Varginha, Vespasiano, Sabará, Sete Lagoas, Patos de Minas, Diamantina, Divinópolis e Barbacena.

O prefeito de Vespasiano, Carlos Moura Murta, reiterou a importância da unidade na redução do tempo de espera como forma de aumentar a qualidade dos serviços de saúde e o próprio índice de cura e sobrevida. “AUPA que está à disposição de toda a população só se tornou possível graças ao apoio das três esferas de governo, tanto a federal, quanto a estadual e a municipal. Minas Gerais avança cada vez com a universalidade do SUS, se preparando para oferecer atendimento ágil e humanizado para todos”, disse.

Para a moradora de Vespasiano, Vera dos Santos Moreira, 63 anos, a concretização da UPA e a sua nomeação é uma segurança e um grande apoio que a população local passa a ter. “Agora, com o atendimento 24horas por dia, qualquer emergência pode ser tratada aqui mesmo. A gente fica aliviada em saber que a assistência que precisamos, está ao lado da nossa casa”, enalteceu.

Especialidades

A Unidade de Pronto Atendimento é caracterizada como um estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde ou Saúde da Família e a Rede Hospitalar. Com a principal missão de atender, durante 24horas/dia, os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), que apresentem quadro clínico agudo de qualquer natureza, a UPA Prefeito Luiz Issa, em Vespasiano, passa a ofertar as seguintes especialidades: Cardiologia, Otorrinolatingologa, Cirurgia Vascular, Neurologia, Dermatologia, Pneumologia, Infectologia, Angiologia, Pneumologia Sanitária, Dermatologia Sanitária, Cardiologia Pediátrica, Oftalmologia, Hebiatria, Psiquiatria, Assistência Social, Psicologia, Terapia Ocupacional, Fisioterapia eFonoaudiologia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/inaugurada-nova-upa-em-vespasiano/

Gestão Anastasia: Secretaria de Saúde inaugura Farmácia de Minas em Chiador

A nova Unidade irá disponibilizar aproximadamente 154 tipos de medicamentos

Jessica Nobre
Farmácia de Minas é inaugurada na Zona da Mata
Farmácia de Minas é inaugurada na Zona da Mata

Os moradores da cidade de Chiador, na zona da mata, foram beneficiados com uma Unidade da Farmácia de Minas na manhã desta quinta-feira (21). A Unidade disponibilizará aproximadamente 154 tipos de medicamentos, que irão abastecer às necessidades de cerca dos 3 mil habitantes da cidade. Com essa nova unidade, Minas conta atualmente com cerca de 350 Farmácia de Minas e o Estado estima que até o final de junho sejam inauguradas mais 157, totalizando 507 em toda Minas Gerais.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) investiu R$ 55 mil em obras e destinou R$ 35 mil para a aquisição de equipamentos e mobiliário. O Governo do Estado ainda repassará mensalmente R$ 1,2 mil para o pagamento do profissional farmacêutico. O município investiu aproximadamente R$ 20 mil.

Representando a Secretaria de Estado de Saúde, o superintendente da Regional de Saúde de Juiz de Fora, Cláudio Reis afirmou que “nesta Unidade os pacientes serão atendidos por profissionais competentes, de forma adequada, em local apropriado e com a dispensação de medicamentos que foram devidamente armazenados”.

Rede Farmácia de Minas

O programa Farmácia de Minas garante o acesso da população aos medicamentos, por meio da organização da Assistência Farmacêutica para atenção à saúde, maximizando os recursos financeiros e aprimorando as atividades técnico-gerenciais de forma integrada às demais ações de saúde no SUS/MG.

Criada em 2007, a Rede Farmácia de Minas é parte integrante do Programa Farmácia de Minas e tem por objetivo oferecer um espaço humanizado de atendimento aos usuários do SUS, com dispensação gratuita de medicamentos dedicados à atenção primária à saúde. Este trabalho é realizado por profissionais qualificados com a promoção do uso racional dos medicamentos.

Considerando as dificuldades relacionadas ao alto gasto per capita com medicamentos, a existência de serviços menos estruturados e ao mesmo tempo, a alta taxa de cobertura do Programa de Saúde da Família (PSF), foram selecionados inicialmente – observando o princípio da equidade – municípios entre 10.000 e 30.000 habitantes, para a implantação das farmácias.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-inaugura-farmacia-de-minas-em-chiador/

Gestão da Educação: Estado aumenta em 112% o número de maternidades que realizam teste rápido de HIV e Sífilis

Em 2007, 89 maternidades participavam do Projeto Nascer em Minas; atualmente, 189 instituições compõem a iniciativa

André Brant / SES
Sucesso do Projeto Nascer depende da responsabilidade compartilhada entre os diversos participantes
Sucesso do Projeto Nascer depende da responsabilidade compartilhada entre os diversos participantes

Desde 2007, quando o Projeto Nascer, do Ministério da Saúde, foi implementado no Estado, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) ampliou em 112% o número de maternidades cadastradas e capacitadas no programa, lançado em 2002, e que tem como objetivo evitar ao máximo a transmissão da Aids e da sífilis da mãe para o filho durante a gestação. No primeiro ano, 89 maternidades participavam do projeto, agora em 2012 são 189.

De acordo com a referência técnica em DST/AIDS da SES-MG, Mayra Sucupira Oliveira, as maternidades integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS), que estão cadastradas no projeto, realizam testes rápidos para detecção da infecção pelo HIV, exame para sífilis (microhemaglutinação), adotam medidas de profilaxia da transmissão vertical do HIV em gestantes com diagnóstico positivo e administram o inibidor de lactação quando indicado.

“O teste para o HIV é realizado naquelas parturientes que, não tendo feito esse exame durante o pré-natal, autorizem sua realização após indicado pela equipe de saúde, sendo que o aconselhamento pré e pós-teste é realizado por profissionais da área de saúde que receberam uma capacitação específica para essa atividade”, explicou Mayra.

A transmissão vertical do HIV é aquela passada de mãe para filho durante a gestação ou parto. Pesquisas demonstram que grande parte dos casos da AIDS em menores de 13 anos tem como fonte de infecção a transmissão vertical, sendo ela responsável por 25,5% dos casos na ausência de profilaxia. “Adotando medidas adicionais às já desenvolvidas para a qualificação da assistência à gestante no pré-natal e puerpério podemos reduzir a probabilidade da transmissão vertical por HIV e sífilis na maioria das mulheres”, declarou Mayra.

Para o cadastro das maternidades do SUS primeiramente foram priorizados hospitais que realizavam 500 partos por ano. Além das 189 maternidades, 51 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), em Minas Gerais, e nove centros de saúde de Belo Horizonte foram capacitados a realizar os testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites Virais B e C.

Projeto

Desenvolvido em 2002 pelo Ministério da Saúde (MS), por meio da Secretaria de Políticas de Saúde, o projeto é articulado em conjunto com as Secretarias de Saúde dos Estados, Distrito Federal, Municípios e maternidades integrantes do SUS.

Segundo a técnica Mayra, o sucesso do projeto depende da responsabilidade compartilhada entre os diversos participantes. “É preciso destacar a importância da adesão das maternidades e principalmente das equipes de saúde nas ações para melhorarmos a saúde pública por meio das mudanças sociais”, finalizou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estado-aumenta-em-112-o-numero-de-maternidades-que-realizam-teste-rapido-de-hiv-e-sifilis/

Gestão Anastasia: Governo de Minas oferece formação de qualidade a custo reduzido para os servidores

Mais de 2 mil servidores estaduais estudam com desconto em colégios e faculdades

Leandro Andrade/Seplag
A servidora Kamila Guimarães, da Intendência, obteve descontos para cursar a faculdade
A servidora Kamila Guimarães, da Intendência, obteve descontos para cursar a faculdade

Estudantes em busca de formação de qualidade e uma boa colocação no mercado de trabalho podem ter uma opção a mais para ajudar nas despesas com a mensalidade. Desde 2004, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), instituiu a Política de Desenvolvimento dos Servidores Públicos do Estado de Minas Gerais. A iniciativa garante ao funcionalismo acesso às escolas particulares de educação básica, técnica e superior através de bolsas e descontos.

“Nossos descontos têm uma variação de 5% a 70%, dependendo do convênio firmado com essas escolas. Os servidores e os seus dependentes têm opções que vão desde o ensino básico à pós-graduação”, explica a diretora da Central de Desenvolvimento do Servidor, Angélica Azevedo Gama.

Hoje são mais de 2 mil servidores públicos que utilizam os convênios em colégios e faculdades, tanto para si quanto para os filhos. Ao todo, são 35 instituições, sendo duas escolas de ensino básico, sete escolas  profissionalizantes e 26 faculdades. Na lista das mais solicitadas estão a Faculdade Una, com 984 alunos conveniados, a Newton Paiva, com 616, e a Uni-BH, com 287.

A servidora da intendência da Cidade Administrativa, Kamila Meyre Guimarães, teve motivos para comemorar seu ingresso no ensino superior. Aprovada no vestibular de Gestão de Recursos Humanos da Faculdade Una, ela soube da existência do benefício pelos colegas de trabalho. “Foi um alívio, porque R$ 629 de mensalidade é muito caro. Consegui 15% e estou pagando R$ 534. Fiquei satisfeita”, disse Kamila, que precisou apenas apresentar sua documentação como funcionária do Estado à diretoria de Recursos Humanos da Seplag. “Não enfrentei burocracia alguma”, lembrou.

Servidora da Secretaria de Estado de Saúde há 33 anos, Iêda Maria Campos Prado pode garantir aos dois filhos o acesso à faculdade. A mais velha, Maria Cristina Figueiredo, concluiu no fim do ano passado o curso de nutrição na Uni-BH utilizando 30% de bolsa. Já Fernando Prado Figueiredo está no décimo período de direito e conquistou 10% de desconto nas mensalidades.

“Qualquer ajuda é sempre bem vinda, ainda mais com dois filhos cursando a faculdade ao mesmo tempo. É puxado para mim e meu marido, mas aos poucos vamos vencendo as dificuldades”, disse. Fernando já está na reta final dos estudos e lembra que o esforço dos pais e a bolsa de 10% foram fundamentais para a conquista da profissão. “Estudar ainda é muito caro, e conseguir uma bolsa nem sempre é algo muito fácil. Minhas mensalidades hoje estão em torno de R$ 850 com o desconto que tenho. Senão chegariam quase a R$ 1 mil”, calcula.

De acordo com o diretor de Relações Corporativas da Uni-BH, Ricardo Rocha Campos, a instituição renova os convênios todo início de ano. Ele elogia a proposta do Governo de Minas de descentralizar o processo de gerenciamento dos convênios, já que, antes, todos os servidores tinham de solicitar o desconto diretamente na faculdade.

“Com um processo automatizado e com o gerenciamento do convênio sendo realizado pelos RHs das secretarias e demais órgãos do Governo do Estado, ficou ainda mais fácil obter o benefício. O convênio já conta com vários servidores e dependentes recebendo os descontos e também com uma ótima avaliação dos benefícios praticados”, afirmou.

O diretor do Núcleo de Carreira e Relações Corporativas da Una, Marco Túlio Carvalho, destacou a importância da parceria na formação de quase mil alunos que estudam por meio do convênio. “Essa parceria viabiliza a inclusão de quase mil cidadãos no ensino superior de qualidade, promovendo seu crescimento e desenvolvimento profissionais. O convênio ainda fortalece a relação das duas instituições numa relação de parceria do público com o privado, essencial para o desenvolvimento regional”.

Ensino básico

Sempre atenta às novidades do Governo de Minas, Patrícia Passos, servidora da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, matriculou o filho Lucas Passos no Colégio Pitágoras. “Ele tinha nove anos quando foram divulgados os convênios. Foi uma boa proposta os 12% de desconto que me ofereceram, e daí fiz a matrícula dele”, conta. Lucas agora está no terceiro ano do segundo grau e diz que estudar numa boa escola é a chance que precisou para garantir a aprovação no vestibular de medicina. “Estudo bastante porque quero garantir uma vaga na UFMG. Onde estudo tenho o suporte que preciso e isso é muito bom”, conclui Lucas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-oferece-formacao-de-qualidade-a-custo-reduzido-para-os-servidores/

Gestão da Saúde: município de Camacho recebe unidade do Farmácia de Minas

Esta é a 24ª unidade da rede na região Centro-Oeste do Estado

Willian Pacheco
Unidade do Farmácia de Minas inaugurada no município de Camacho
Unidade do Farmácia de Minas inaugurada no município de Camacho

A cidade de Camacho, que pertence à Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis, recebeu a 24ª unidade da Rede Farmácia de Minas da Região Centro-Oeste.

Os 3.260 mil habitantes do município contam agora com um atendimento humanizado e com qualidade, numa estrutura moderna e completa, com melhores condições de armazenagem e atendimento, que irá dispensar mais 100 itens, como analgésicos, antiasmáticos, cardiovasculares, entre outros.

Para efetivar a construção da farmácia, o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Saúde (SES) investiu na parte física, mobiliário e equipamentos o montante de R$ 90 mil e o município, em contrapartida, participou com R$ 65.660. Além disso, serão repassadas 13 parcelas mensais de R$ 1.200 para complementação salarial  do profissional farmacêutico, responsável pela unidade e implantação do Software SiGAF (Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica), que  garantirá o gerenciamento adequado, controle dos medicamentos e cadastro dos pacientes atendidos pela farmácia, bem como de toda a rede.

O prefeito de Camacho, Geraldo Cardoso Lamounier, ressaltou o quanto a farmácia irá oferecer à população mais conforto. “É uma satisfação entregar esta obra para a população. A farmácia vai ajudar no conforto, acolhendo melhor os usuários do SUS. Tudo que é feito com amor sai bem feito. Eu quero que a população seja bem atendida aqui”, disse, o prefeito.

“O município investe bem os recursos da saúde e nós ficamos satisfeitos  com os resultados como esta inauguração”, completou o secretário Mucicipal de Saúde, Darcy Eduardo Maia.

A superintente Regional de Saúde da Macrorregião Oeste, Kênia Carvalho, destacou que a Farmácia de Minas não é um ponto isolado, mas que está inserida dentro da Rede de Atenção à Saúde. “Parabenizo ao município por acreditar e trabalhar para a conclusão desta obra do Governo de Minas Gerais. Esta é a 24ª unidade inaugurada na Macrorregião Oeste. É bom ressaltar que a unidade faz parte de uma rede, a rede de Atenção à Saúde e que ela é uma complementação das Unidades Básicas de Saúde”, destacou a superintendente.

A farmacêutica Valquiria Karine Lima considera que a unidade oferecerá além de conforto, um atendimento mais individualizado. “A Farmácia de Minas é um ambiente que oferecerá ao usuário mais comodidade, além de oferecer um espaço reservado para o farmacêutico que ajudará na hora que precisar dar atendimento mais individualizado”, finalizou a farmacêutica.

Rede Farmácia de Minas

Criada em 2007, a Rede Farmácia de Minas é parte integrante do Programa Farmácia de Minas e tem por objetivo propiciar que a farmácia pública deixe de ser vista apenas como uma estrutura física para guarda e distribuição de medicamentos, passando a ser considerada um espaço humanizado de atendimento aos usuários do SUS, com dispensação gratuita medicamentos dedicados à atenção primária á saúde, realizada por meio de profissionais qualificados com a promoção do uso racional dos medicamentos.

O Governo de Minas propõe até o final de junho de 2012 a implantação, através da SES, de 200 novas unidades da Rede Farmácia de Minas em municípios com população de até 30 mil habitantes.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/municipio-de-camacho-recebe-unidade-do-farmacia-de-minas/