Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Travessia Saúde é apresentado para cidades mineiras beneficiadas pelo programa

Oitenta e quatro municípios mineiros foram contemplados com o Travessia Saúde em 2012

O subsecretário de Vigilância e Promoção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), Carlos Alberto Pereira Gomes, apresentou, em evento realizado em Belo Horizonte, o Travessia Saúde (subprojeto do Programa Travessia) para os 84 municípios contemplados com o projeto em 2012. O projeto visa reestruturar as Unidades Básicas de Saúde dos municípios para incentivar a promoção à saúde, diminuindo o índice de gravidez na adolescência, mortalidade e desnutrição infantil, tabagismo, entre outros. Visa assim, como todos os outros subprojetos do programa, melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) desses municípios.

O foco do Travessia Saúde é trabalhar junto aos municípios e gestores de saúde um plano de ação de vigilância e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Para isso, o diagnóstico da análise de situação de saúde dos municípios do Programa Travessia foi apresentado pela equipe de promoção à saúde da SES/MG.

“Parcerias entre todos os setores de Minas Gerais são de total importância para um salto no desenvolvimento de vida dos mineiros e mineiras”, afirma o subsecretário Carlos Alberto.

Os principais focos trabalhados foram: a adequação da estrutura de todas as vigilâncias, o aprimoramento dos conselhos regionais de saúde e o fortalecimento da atenção primária à saúde e redes de atenção à saúde.

“Devemos integrar os municípios, promovendo a saúde dos mineiros através da inter-relação de secretarias, melhorando assim o padrão de vida da população,” ressalta a coordenadora de Vigilância e Promoção à Saúde, Daniela Campos.

Para selar a união entre a SES e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), coordenadora do Programa Travessia, estavam os Meninos do Morro de Itaguara, com uma bateria formada por cerca de 20 crianças, todas beneficiadas com programas de políticas públicas ligados ao Travessia.

O programa

O Programa Travessia, coordenado pela Sedese, é executado de forma integrada por vários órgãos e entidades da administração pública estadual, assim como a SES/MG. Surgiu para integrar forças do Estado visando à coordenação e articulação em ações diversas, com o objetivo claro de melhorar as condições de vida da população. Ao contrário de ações setorizadas, as políticas públicas são implementadas de maneira coordenada e integrada às necessidades específicas de cada município selecionado.

A partir de 2012, o Programa Travessia se desmembrou em seis projetos estratégicos para promover a inclusão social e econômica da população, por meio da articulação de políticas públicas nos eixos educação, saúde e desenvolvimento social, em territórios definidos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/travessia-saude-e-apresentado-para-cidades-mineiras-beneficiadas-pelo-programa/

Governo de Minas: Saúde libera a quarta parcela de 10 milhões para a construção do Centro Materno Infantil de Contagem

A nova unidade vai oferecer mais conforto e atendimento humanizado para as mulheres e crianças

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) repassou no mês de maio a quarta parcela de R$ 1 milhão referente a um convênio firmado com a prefeitura de Contagem. Ao todo serão investidos R$ 10 milhões, pagos em dez parcelas, para a construção do Centro de Atenção Materno Infantil no município. Os recursos são provenientes do Governo do Estado.

De acordo com o Secretário Antônio Jorge, a Maternidade tem como objetivo reforçar as ações de assistência à saúde da mulher e da criança e vai oferecer mais conforto e atendimento humanizado a ambas. “Com esta construção iremos ampliar a cobertura dos partos atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) dentro do município, que passará de 35% para 100%. Ao todo serão 550 partos por mês”, afirmou.

A nova unidade, que também conta com investimentos do governo federal e municipal, funcionará dentro do mesmo terreno onde está localizado o Hospital Municipal e Maternidade de Contagem. A unidade contará com 30 leitos de UTI neonatal, 10 leitos de enfermaria mãe-canguru, 10 leitos de UTI pediátrica, 34 leitos de enfermaria pediátrica, 62 leitos de internação em alojamento conjunto e ginecologia, além de um pronto-socorro 24 horas, com 10 leitos de observação e um centro obstetrício totalmente equipado com 6 apartamentos e 4 salas de parto cirúrgico.

Para as mães que desejam acompanhar mais de perto a internação de seus filhos na UTI neonatal, a maternidade ainda contará com uma casa que servirá de alojamento. Serão 32 vagas, com espaço de convivência para a troca de experiências.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/saude-libera-a-quarta-parcela-de-10-milhoes-para-a-construcao-do-centro-materno-infantil-de-contagem/

 

Governo de Minas: combate ao mosquito da dengue é lembrado durante comemoração ao dia mundial do meio ambiente

Milhares de pessoas realizaram a troca de lixo reciclável por leite durante programação especial no Parque Lagoa do Nado

Alessandra Maximiano / SES
Moradores da capital foram orientados sobre como acabar com o foco do mosquito transmissor da dengue
Moradores da capital foram orientados sobre como acabar com o foco do mosquito transmissor da dengue

Cerca de cinco mil pessoas participaram no último sábado (02) das ações de incentivo ao combate à dengue no Parque Lagoa do Nado, na região Norte de Belo Horizonte, como parte das comemorações pelo Dia Mundial do Meio. A mobilização realizada pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) em parceria com o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), promoveu a troca de materiais inservíveis, como pneus, latas e garrafas pet por caixas de leite longa vida doados pela empresa Cemil.

Durante apenas uma manhã, foram recolhidas 31.330 latas, 4.701 garrafas pet e 74 pneus que serão doados para a Cooperativa de Materiais Recicláveis da Pampulha (Comarp). Todo o material será destinado de forma correta para a reciclagem contribuindo assim para a preservação do meio ambiente  e  a eliminação de focos do mosquito da dengue.

“A parceria estabelecida para a realização do evento trouxe muito mais do que mobilização e conscientização. As pessoas aprenderam sobre saúde e sobre a importância de se preservar o meio ambiente”, afirmou a coordenadora de promoção social da Ocemg Cláudia Melo.

José Geraldo da Silva e Aparecido dos Anjos, moradores do bairro Nova Pampulha, entregaram juntos 4.200 latas e se dizem satisfeitos por contribuírem na eliminação do mosquito da dengue. “Muitas vezes vamos acumulando objetos no quintal e não temos a noção do quanto podem nos prejudicar. Fico feliz, pois agora não temos mais focos de dengue em nossas residências”, afirmou José Geraldo.

Para Hévila Maria Ferreira, moradora do bairro Itapoã, essa ação que reuniu a preservação do meio ambiente e o combate ao mosquito da dengue contribuirá diretamente para o bem estar de toda a comunidade. “Fiquei sabendo da troca na escola do meu neto. Na minha casa nunca apareceu focos do mosquito da dengue, mas mesmo assim eu me preocupo para que nunca apareça”, afirmou.

Além da troca, os participantes do evento receberam material informativo de como evitar a doença e as crianças receberam o almanaque Edi&Gita que ensina de forma lúdica como identificar os focos do mosquito da dengue. Gustavo Souza de Abreu, de 12 anos, acompanhado pelo pai, entregou um pneu e recebeu em troca uma caixa de leite longa vida.  “Eu e meu pai ficamos mais tranqüilos de ter eliminado o mosquito da nossa casa. Não quero que a minha família seja o alvo da dengue”, disse o garoto.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/combate-ao-mosquito-da-dengue-e-lembrado-durante-comemoracao-ao-dia-mundial-do-meio-ambiente/

Gestão Anastasia: Secretaria de Saúde alerta – Quatro regionais ainda não atingiram a meta de vacinação

Municípios das Gerências Regionais de Alfenas, Barbacena, Juiz de Fora e Ubá têm índice baixo de vacinação. População tem até amanha para ser imunizada.

Nesta sexta-feira (01) termina o prazo estipulado pelo Ministério da Saúde para o fim da 14ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe. Em Minas Gerais, a campanha, que completa mais de 25 dias de atuação, já imunizou 2.407.192 pessoas, atingindo a cobertura de 77,92% contra 81,33% registrados no mesmo período do ano passado.

Segundo a Coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Tânia Brant, “é imprescindível que os grupos se atentem ao prazo da campanha e tenham consciência sobre sua importância. A sociedade deve optar pela prevenção, excluindo comportamentos que podem prejudicar à saúde dos demais. Não basta o Governo ofertar uma atenção qualificada à saúde, o papel desempenhado pelo cidadão é fundamental para o controle e melhora da saúde no Estado como um todo”, destacou.

De acordo com dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), levantados nesta quinta-feira (31), umas das regiões que apresentam menor índice de adesão é a Gerência Regional da Saúde (GRS) de Alfenas, com 55.334 doses já aplicadas. A GRS possui 28 municípios e em cidades como Santa Cruz de Minas, Guaxupé, Nazareno e Lagoa Dourada o índice de imunização em determinados grupos chegam a menos que 50%. Em compensação, municípios como Bandeira do Sul, Conceição da Aparecida, Divisa Nova e Fama, apresentam índice acima de 100% de grupos de risco à Campanha.

Em Juiz de Fora, 101.711 doses foram aplicadas. A Gerência Regional de Juiz de Fora responde por 37 municípios e cidades como Santos Dumont, Juiz de fora e Liberdade ainda não alcançaram a meta de 80% de imunizados.  Por outro lada, municípios como Simão Pereira, Rio Preto, Chiador e Chácara, apresentam índice acima de 100% de imunização dos grupos de risco.

Em 31 municípios da GRS de Barbacena, 52.1056 vacinas foram dadas. Alfredo Vasconcelos, Piranga e Casa Grande,  tiveram menos de 50 % da população imunizada. Em contrapartida, em Senhora dos Remédios e Antônio Carlos, atingiram mais de 100% da meta de vacinação nos grupos de riscos.

A GRS de Ubá, que possui 25 municípios, atingiu 78,43% da cobertura de vacinação esperada, o que corresponde a 61.120 doses aplicadas. Cidades como Jacinto, Jequitinhonha e Cachoeira do Pajeú o índice total de imunização estão abaixo dos 70%. Mas cidades como Comercinho e Medina, apresentam índice de cobertura superior a 99%.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-alerta-quatro-regionais-ainda-nao-atingiram-a-meta-de-vacinacao/

Gestão Eficiente: Alagoas busca referência em Minas para estruturar Rede de Assistência à Saúde da Mulher

Gestores alagoanos visitam a sede da Secretaria de Saúde de Minas para buscar experiências aplicadas no Estado

Henrique Chendes / SES
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG

Entre esta quarta (30) e quinta-feira (31), representantes da Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas visitam a sede da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para conhecer, de perto, o modelo de Gestão Pública adotado pelo Governo de Minas no setor – neste caso, especialmente, a Rede Integrada de Assistência à Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente.

As técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas, Carla Pacheco, Syrlene Patriota e Valéria Santos, realizam um aprofundando em temas como, fluxo, programação e governança das Redes de Atenção à Saúde, importância da Atenção Primária, como Centro Coordenador da Rede, Programa Saúde em Casa, ações de combate à Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais, Rede de Atenção à Saúde da Mulher e da Criança no nível assistencial e hospitalar e Centros Integrados de Referência Secundária (Viva Vida e Hiperdia).

Nesta quinta-feira, as técnicas fazem uma visita ao Centro Integrado de Referência Secundária de Santo Antônio do Monte, referência mineira no atendimento nas áreas sexual, reprodutiva e atendimento à criança de risco e também no atendimento da hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e doença renal crônica.

De acordo com a médica reumatologista da Secretaria de Saúde de Alagoas, Syrlene Patriota, embora seu estado seja pequeno em extensão, passa por dificuldades para implementar uma Rede de Assistência à Saúde. “Começamos a articular a rede no ano passado e o modelo mineiro nos chamou muita atenção durante as apresentações do Ministério da Saúde. Percebemos que temos realidades semelhantes e que podemos fazer dar certo também”, afirma.

O secretário-adjunto da Secretaria de Saúde de Minas, Breno Henrique Avelar, que recebeu as técnicas de Alagoas, se sente orgulhoso com o fato de o Estado ser referência na Gestão em Saúde Pública. “Conseguimos fazer muita coisa por causa da continuidade do trabalho que começou a ser desenvolvido em 2003. Temos consciência de que falta muita coisa, mas já demos alguns passos”, destaca.

Rede Viva Vida

O Programa de Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais (Viva Vida), lançado em 2003, aposta na sistematização de ações e na parceria entre governo e sociedade civil organizada como principal arma no combate a mortalidade infantil e materna.

Para tanto, o Governo do Estado investe recursos na estruturação, qualificação e mobilização social da Rede Viva Vida, tendo implementado os Centros Viva Vida de Referência Secundária e as Casas de Apoio à Gestante, planejados para cobrir a deficiência de oferta na Atenção Secundária.

Os Centros organizam o atendimento especializado nas áreas de saúde sexual e reprodutiva e atendimento à criança de risco. A Casa de Apoio à Gestante é um local próximo das maternidades de referência em alto risco, onde as gestantes que residem longe permanecem antes do parto, sob cuidado qualificado, o que facilita o atendimento sempre que há necessidade.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alagoas-busca-referencia-em-minas-para-estruturar-rede-de-assistencia-a-saude-da-mulher/

Gestão em Minas: inovação e avanço em Saúde Bucal Pública são destaques em encontro nacional

O evento discute e avalia a política nacional, estadual e municipal de saúde bucal

Henrique Chendes/SES MG
Diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, durante participação no Enatespo
Diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, durante participação no Enatespo

O primeiro dia do 21º Encontro Nacional de Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico (Enatespo), promovido pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da Diretoria de Saúde Bucal, foi realizado nesta segunda-feira (28) e reuniu mais de 300 participantes no Minascentro, em Belo Horizonte.

O principal fórum de discussões sobre atendimento público de odontologia no país chega a sua 21ª edição e se estende até esta quarta-feira (30). Neste ano, o encontro tem como tema central “As redes de atenção à saúde: avanços e desafios em saúde bucal”, elaborado a partir de levantamento de desafios existentes para a consolidação do setor no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

No primeiro dia de evento estiveram presentes o coordenador Nacional da Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Alfredo Pucca Júnior; a diretora de Saúde Bucal da SES-MG e a atual presidente do Enatespo, Daniele Lopes Leal; o presidente do Sindicato dos Odontologistas de Minas Gerais, Lívio de Barros Silveira; demais gerências estaduais em saúde bucal, representantes do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) e Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Consems).

De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, o principal objetivo do evento é promover ações eficazes no que tange à assistência em saúde bucal. ”Como se trata de um encontro entre gestores, profissionais, acadêmicos e usuários do SUS odontológico, busca-se, a partir da reunião desses diferentes atores envolvidos da construção da saúde bucal, discutir e refletir propostas, ações e desafios para implantação, qualificação e fortalecimento da rede de saúde bucal não só nos municípios, mas nos três níveis: municipal, estadual e federal”, disse.

Dentre os temas debatidos nos três dias de evento, haverá um destaque maior para o financiamento atual em saúde bucal e a análise referente aos eixos temáticos, como a vigilância, a qualificação, a formação e a gestão da saúde bucal. Os participantes poderão contar com oito palestras temáticas, como o desenvolvimento da assistência odontológico prestada pelo SUS, além de presenciar cases de sucesso em outras regiões e ações inovadoras na produção do cuidado em saúde.

12º Congresso Brasileiro de Saúde Bucal Coletiva

Em concomitância com o Enatespo, desde 1995, o Congresso Brasileiro de Saúde Bucal Coletiva (CBSBC) ocorre durante o evento. O CBSBC busca a aproximação permanente dos serviços com as instituições de formação de recursos humanos, as instâncias de participação da sociedade, as agências de fomento, as entidades de classe e outros equipamentos sociais.

SB Minas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais,em parceria com a PUC Minas, realizará, no ano de 2012,o Projeto SB Minas Gerais – Pesquisa das condições de saúde bucal da população mineira- com o objetivo de conhecer  a realidade da saúde bucal da população doEstado. Apartir desse diagnóstico, formularáações que contemplem apopulação por meiodo desenvolvimento de programas que vão de acordo com ocumprimento da Política Nacional de Saúde Bucal.

O programa prevêa realização de estudos epidemiológicos como parte do componente de vigilância em saúde, com vistas à organização dos serviços e planejamento das ações para prevenção, tratamento e reabilitação, e um questionário aos indivíduos examinados em domicílios. O questionáriocontém questões relativas à caracterização socioeconômica, à utilização de serviços odontológicos e morbidade bucal autoreferida e à autopercepção de saúde bucal. Conselheiro Lafaiete, Guaxupé, Betim, Uberlândia, Unaí, Varginha, Juiz de Fora, Diamantina e Divinópolis são alguns dos municípios que foram sorteados para comporem a amostra.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/inovacao-e-avanco-em-saude-bucal-publica-sao-destaques-em-encontro-nacional/

Governo de Minas: Secretaria de Saúde mobiliza Sabará no “Meu bairro sem dengue”

A SES-MG ofereceu as ações do Dengue Móvel e do Dengômetro

Alexandre Ribeiro/SES-MG
O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima
O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) mobilizou no sábado (26) a população de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no “Meu Bairro Sem Dengue”, uma ação de iniciativa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), para promoção de serviços e atividades em regiões de vilas e favelas e que tem como mote o combate à dengue. O evento ocorreu na Escola Municipal Gabriela Leite Araujo, localizada no bairro Nossa Senhora de Fátima.

A SES-MG ofereceu as ações do Dengue Móvel – caminhão que troca uma lata por uma borracha, uma garrafa pet por um lápis e um pneu por um caderno – e do Dengômetro, um espaço de convivência e de acesso às informações sobre a dengue, onde o cidadão toma conhecimento da situação da doença em sua região e aprendeu os métodos de prevenção e mobilização.

O garoto Wesley Silva, 10, recolheu mais de 20 pets, potenciais criadouros da larva do mosquito Aedes aegypti, apenas no quarteirão de sua casa e as trocou por lápis no Dengue Móvel. “Meus pais, geralmente, jogam fora as pets e ficam apenas com as latinhas, mas na escola ficamos sabendo da troca por material escolar  e então eles me ajudaram a recolher”, disse.

Dados epidemiológicos deste ano apontam redução de 46% dos casos notificados de dengue, em relação aos primeiros cinco meses do ano de 2011 em Sabará. Em maio do ano passado, o município registrava 146 casos da doença, enquanto, neste ano, registrou-se 63 casos. Entretanto, o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em janeiro deste ano, acusa a gravidade da situação: registrou-se um índice de 4,7 %, considerado de alto risco pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a referência técnica em dengue da SES-MG, Geane Aparecida de Almeida, a redução de quase 80% dos casos notificados da doença no ano passado se deve muito à capacidade de mobilização no Estado e essa preocupação não deve diminuir para o ano de 2012. “Devido à intensidade das chuvas por virem, os cuidados preventivos do cidadão para o combate à dengue devem ser permanentes e reforçados”, alertou.

Em Sabará, a preocupação é a mesma. O coordenador de zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Sabará, Wellington Duarte, afirma que os trabalhos de prevenção à dengue não devem ocorrer apenas em períodos críticos. “Estamos tendo agora em maio chuvas que seriam incomuns de se esperar nessa época, por isso é importante conscientizar a população para a prevenção constante”, disse.

Ainda segundo Wellington, o município de Sabará já estuda propostas legislativas para penalização de moradores omissos na prevenção à dengue ou que impeçam o trabalho dos agentes de epidemiologia. Dentre as medidas, caberia a autorização de entrada forçada dos agentes e responsabilização dos moradores por meio de multas.

Segundo o responsável pela Assessoria de Assuntos para Vilas e Favelas, da Sedese, Weslei Morais, o combate à dengue deve ser constante para ser efetivo e o “Meu Bairro Sem Dengue” deve conseguir atrair a atenção da comunidade para a causa. “Pela troca de inservíveis por material escolar a comunidade tem um primeiro estímulo que, em seguida, evoluirá para um cuidado no combate aos focos do mosquito da dengue. Por isso, a conscientização deve ser constante”, destaca.

Outras atividades

SETE: Oferta de vagas de emprego por meio do SINE

Sistema Divina Providência: Palestras sobre como conseguir empregos.

Clube Mackenzie: Seletiva de futebol feminino.

PUC – Atendimento Jurídico

CEMIG: Unidade Móvel para atendimento de débitos da população da Vila.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-mobiliza-sabara-no-meu-bairro-sem-dengue/

Gestão em Minas: encontro irá discutir novas políticas públicas em saúde bucal

O congresso será realizado no Minascentro, em Belo Horizonte

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da Coordenação de Saúde Bucal, promove entre os dias 28 e 30 de maio, o XXI Enatespo – Encontro Nacional dos Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico.

O congresso será realizado no Minascentro, em Belo Horizonte, e contará com a presença de técnicos e representantes do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS), referências técnicas estaduais em saúde bucal, membros do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) e da Diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, dentre outros representantes.

O XXI Enatespo tomou por base um levantamento sobre os problemas dos serviços de saúde bucal nas esferas estadual e municipal e busca a promoção de ações eficazes no que tange à assistência em saúde bucal.

Dentre os temas debatidos, há um destaque para o financiamento atual em saúde bucal e análise referente aos eixos temáticos, como a vigilância, qualificação, formação e gestão da saúde Bucal.

Os participantes poderão contar com oito palestras de temáticas para o desenvolvimento da assistência odontológico prestada pelo SUS, além de presenciar cases de sucesso em outras regiões e ações inovadoras na produção do cuidado em saúde bucal.

Enatespo

O Encontro Nacional dos Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico (Enatespo) ocorre com frequência bianual desde 1984, congregando gestores, profissionais e usuários dos serviços de saúde bucal de todo o País em torno da discussão sobre a Política Nacional de Saúde Bucal, como parte de seu processo permanente de construção.

XII Congresso Brasileiro de Saúde Bucal Coletiva

Em concomitância com o Enatespo, desde 1995, o Congresso Brasileiro de Saúde Bucal Coletiva (CBSBC) ocorre durante o evento e busca a aproximação permanente dos serviços com as instituições de formação de recursos humanos, as instâncias de participação da sociedade, as agências de fomento, as entidades de classe e outros equipamentos sociais.

Serviço:

Evento: XXI ENATESPO  – XII CONGRESSO BRASILEIRO DE SAÚDE COLETIVA

Local: Rua Curitiba, 1264 – Centro  Belo Horizonte

Horário: 18h

Data: 28 a 30 de maio

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/encontro-ira-discutir-novas-politicas-publicas-em-saude-bucal/

Gestão da Saúde: Vacinação contra a gripe segue até dia 25 de maio

No Norte de Minas, a expectativa é que mais de 150 mil pessoas sejam imunizadas

Desde o dia 05 de maio, unidades de saúde de todo país estão oferecendo a vacina contra a gripe. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza é realizada há 14 anos e, neste ano, além dos idosos com mais de 60 anos de idade, está imunizando trabalhadores de saúde das unidades que fazem atendimento para a influenza, povos indígenas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de dois anos, gestantes e a população prisional. A Campanha conta com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

A campanha vai até o dia 25 de maio e nos 53 municípios sob jurisdição da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros a expectativa imunizar 151.945 pessoas, sendo 72.830 somente em Montes Claros. Até o momento, 47,93% desse público já tomaram a dose da vacina. Em Montes Claros, 33,07% já foram imunizados. Para facilitar o acesso da população, além das 150 unidades de saúde, foram montados 650 postos móveis de vacinação na região.

A vacina contra a gripe garante proteção contra os três principais vírus que circulam no hemisfério Sul, entre eles o da Influenza, como recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz.

Os sintomas, muitas vezes, são semelhantes aos do resfriado, que se caracterizam pelo comprometimento das vias aéreas superiores, com congestão nasal, rinorréia, tosse, rouquidão, febre variável, mal-estar, mialgia e cefaléia.

A maioria das pessoas infectadas se recupera dentro de uma a duas semanas sem a necessidade de tratamento médico. No entanto, nas crianças muito pequenas, idosos e portadores de quadros clínicos especiais, a infecção pode levar a formas clinicamente graves, pneumonia e morte.

Segundo o Ministério da Saúde, estudos demonstram que títulos de anticorpos pós-vacinais declinam no curso de um ano após a vacinação. Sendo assim, a vacinação anual é recomendada para uma ótima proteção contra a gripe, sendo recomendada mesmo para os grupos alvos que receberam a vacina na temporada anterior.

A Organização Mundial de Saúde estima que há no mundo cerca de 1,2 bilhões de pessoas com risco elevado de complicações por gripe: 385 milhões de idosos acima de 65 anos de idade, 140 milhões de crianças, e 700 milhões de crianças e adultos com doença crônica. Além disso, 24 milhões de trabalhadores de saúde devem ser imunizados para proteger os profissionais que atuam na assistência a doentes visando a preservação desta força de trabalho e secundariamente evitar a propagação da doença para a população de alto risco.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vacinacao-contra-a-gripe-segue-ate-dia-25-de-maio/

Governo de Minas: pesquisa vai apontar as condições da saúde bucal em municípios do Sul de Minas

 

Exames clínicos e questionários vão permitir a caracterização do nível de utilização de serviços odontológicos e dos riscos à Saúde Bucal da população mineira

Pedro Cisalpino
Projeto será realizado em cinco cidades sul-mineiras
Projeto será realizado em cinco cidades sul-mineiras

Os moradores de Boa Esperança, Guaxupé, Santa Rita do Sapucaí, Turvolândia e Varginha estão incluídos na pesquisa da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) que vai mapear as condições da saúde bucal da população mineira. O inquérito epidemiológico está sendo feito desde o final de abril e vai permitir a identificação dos problemas bucais mais freqüentes, a fim de diagnosticar as necessidades e, assim formular ações de prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

A pesquisa abrange outros 55 municípios mineiros. Em cada um deles serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O projeto Saúde Bucal Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de aferição das doenças bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados. Dessa forma, serão analisados problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre outras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade dos problemas.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, por meio da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto Saúde Bucal Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de Necessidade em Saúde e de Porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames epidemiológicos são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Daniele Leal.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos e das faixas etárias de 15 a19, 35 a 44 e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

Projeto

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados por meio do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).

Fonte: www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pesquisa-vai-apontar-as-condicoes-da-saude-bucal-em-municipios-do-sul-de-minas/