Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: Seminário da Rede Farmácia de Minas reúne profissionais da área em Araxá

Evento, que deve reunir 600 farmacêuticos, tem o objetivo de melhorar a qualidade e o atendimento na Rede Farmácia de Minas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promove, em parceria com o Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (CRF/MG), o IV Seminário da Rede Farmácia de Minas entre os dias 26 e 28 de junho. O evento será realizado no Tauá Grande Hotel, em Araxá, no Alto Paranaíba, e deverá contar com a participação de aproximadamente 600 profissionais da área, dando continuidade ao projeto de capacitação permanente dos farmacêuticos que atuam na Rede Farmácia de Minas.

O seminário tem o objetivo de melhorar a qualidade e o atendimento na Rede Farmácia de Minas, além de possibilitar a troca de experiências e o aprimoramento do cuidado farmacêutico.

Implantada em 2008, a Rede Farmácia de Minas busca garantir que o acesso aos medicamentos disponíveis no SUS seja feito com a devida assistência farmacêutica, por profissionais qualificados. O programa reconhece a farmácia como estabelecimento essencial ao funcionamento do SUS, no qual se oferece um espaço humanizado de atendimento ao usuário, com a dispensação gratuita e racional de medicamentos.

A programação inclui palestras sobre o papel do farmacêutico na Atenção Primária, o controle sanitário de medicamentos, a prática do farmacêutico na Clínica, a qualificação e padronização dos processos, além do acesso a medicamentos na Saúde Pública da América Latina. Esse último tema será apresentado pelo diretor de Consultoria do Consórcio Hospitalar de Catalunha, na Espanha, Roberto Iunes.

Parceria

Há três anos, a parceria entre o CRF/MG e a SES/MG, por meio da Superintendência de Assistência Farmacêutica (SAF), vem levando capacitação e atualização profissional a todos os farmacêuticos que integram o Programa Farmácia de Minas. Desde então, já foram realizados vários eventos conjuntos, como II e o III Seminário da Rede Farmácia de Minas, além do I Simpósio Internacional de Farmacoeconomia, promovido em maio de 2009.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-da-rede-farmacia-de-minas-reune-profissionais-da-area-em-araxa/

Anúncios

Gestão da Educação: Implantação de Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos promete alavancar doações em Minas

As organizações irão atuar diretamente no auxílio ao Complexo MG Transplantes

Henrique Chendes/SES MG
Evento de lançamento das Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos
Evento de lançamento das Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) anunciou, nesta segunda-feira (25), a criação de dez unidades de Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos (OPOs) que irão atuar diretamente no auxílio ao Complexo MG Transplantes, integrante da rede Fhemig.

O processo de doações de órgãos no Estado, que vem crescendo e salvando vidas consideravelmente, funciona por meio de seis Centrais de Notificação e Distribuição de Órgãos e Tecidos (CNCDOs), que agora passaram a contar com mais dez unidades de OPOs. Além de uma equipe de profissionais, carros com motoristas e cinco aeronaves já estão disponibilizados para captação e transporte de pacientes e órgãos.

Essas OPOs, por sua vez, terão o objetivo de captar um número maior de doações, além de agilizar e humanizar o processo de doação e transplante, que, só em 2011, chegou a beneficiar cerca de 500 mil pacientes em todo o país. Cerca de 90% das cirurgias de transplante foram custeadas pelo sistema público de saúde.

Participaram do lançamento do projeto, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques; o coordenador do Sistema Nacional de transplantes, Heder Murari Borba; o presidente da Fhemig, Antônio Carlos de Barros Martins; o diretor do Complexo MG Transplante, Charles Simão Filho; o secretário Municipal de Saúde de Betim, Pedro de Oliveira Pinto; dentre outras autoridades.

De acordo com secretário Antônio Jorge, as unidades operacionais (OPOs) foram criadas inicialmente em dez macro-cidades, levando em consideração a população de cada região, o número de hospitais, número de leitos de UTI e a própria regionalização, segundo o Plano Diretor de Regionalização (PDR) adotada pela SES. “As cidades que receberão as Organizações de Procura foram selecionadas com o intuito de suprir vazios assistenciais maiores, possibilitando traçar um novo panorama para a realização de transplantes no Estado, por meio da assistência integrada e qualificada”, disse o secretário.

Captação e assistência

Como o próprio nome diz, as Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos (OPOs) funcionam como uma unidade de busca que, ladeadas pelas Centrais de Notificação e pelas Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos (CIHDOTT) já existentes, objetivam aumentar o volume de órgãos transplantados. Tais unidades são caracterizadas pela atuação pontual, na qual cada OPO torna-se responsável por um grupo de hospitais regionais pré-selecionados, buscando aumentar e aprimorar o processo de captação de doações, bem como efetivar e sensibilizar o número de doadores em cada hospital.

Cada Organização de Procura de Órgãos contará com dois médicos, cinco enfermeiros e um administrador, que após capacitação, atuarão em conjunto com cada equipe hospitalar nos serviços de coleta e transplantes.

Aumento de doadores

Com um dos maiores programas públicos de saúde do mundo, o Brasil figura entre os países que mais realizam, em números absolutos, transplantes de órgãos e tecidos. Em Minas Gerais, existem 36 instituições habilitadas para a realização de busca ativa e captação de órgãos, além de 54 instituições habilitadas para a realização de transplantes.

De 2006 a 2012, o quadro de evolução das doações de órgãos múltiplicou no Estado, saltou de 3% para 12%, segundo dados divulgados pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT). Com relação ao aumento das doações de órgãos e tecidos nos últimos anos, Minas sai na frente de estados como Rio de Janeiro, Paraná e Distrito Federal.

Após a instalação das OPOs, os processos de adesão, informação ao paciente, agilidade e ampliação das notificações serão reformulados, a fim de que o ato da doar órgãos seja encorajado cada vez mais em toda a sociedade.  “Atualmente, existe uma fila de espera para transplante de córnea equivalente a 300 pessoas. Num passado não muito distante essa fila chegava à marca de 1.500 pacientes. A melhora no quadro é uma realidade alcançada pelo sistema de saúde pública, que pretende em até oito meses atender a todos os pacientes, avançando e qualificando cada vez mais as doações”, declarou Antônio Jorge.

Mobilização e avanço

De acordo com o coordenador do Sistema Nacional de transplantes, Heder Murari Borba, as novas políticas públicas adotadas com o intuito de fortalecer e aprimorar o Sistema Nacional de Transplantes (SNT) buscam traçar, em todo o pais, um novo panorama no que diz respeito aos transplantes de órgãos e tecidos. Ele também ressalta a atuação da população nessa nova perspectiva. “Estamos melhorando a assistência e a informação sobre os procedimentos de transplante para toda a sociedade. Contudo, faz-se necessário que as pessoas estejam dispostas a atuar em prol dos demais. Para que a doação ocorra, basta que o paciente comunique junto a sua família sobre a concessão de órgãos. Um gesto nobre e enaltecedor que salva milhares de vidas todos os anos”, finalizou.

As dez Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos estão sendo instaladas nos hospitais João XXIII, Risoleta Tolentino Neves e Hospital Municipal de Betim, e nas cidades de Montes Claros, Governador Valadares, Juiz de Fora, Pouso Alegre, Ipatinga, Uberaba e Uberlândia.Em uma segunda etapa, serão instaladas unidades em Divinópolis, Sete Lagoas, Patos de Minas, Barbacena, Teófilo Otoni, Varginha e Alfenas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/implantacao-de-organizacoes-de-procura-de-orgaos-e-tecidos-promete-alavancar-doacoes-em-minas/

Gestão da Saúde: Coronel Fabriciano receberá Força Tarefa de Combate à Dengue

A partir de segunda-feira, agentes da Secretaria de Saúde vão eliminar focos do mosquito transmissor da doença.

Alessandra Maximiano / SES
População de Coronel Fabriciano poderá trocar materiais que acumulam água por material escolar.
População de Coronel Fabriciano poderá trocar materiais que acumulam água por material escolar.

Coronel Fabriciano, na região do Vale do Aço, em Minas Gerais, receberá, a partir de segunda-feira (25), a Força Tarefa de Combate à Dengue, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). Além da eliminação de focos por equipes de agentes epidemiológicos, trocas de inservíveis – pneus, latas e pets – por material escolar serão feitas por meio do Dengue Móvel, de modo a estimular a população na tomada de hábitos preventivos. A Força Tarefa permanece no município até o dia 8 de julho.

O Dengue Móvel é um caminhão que percorre os bairros trocando materiais descartáveis por material escolar. Latas, garrafas pets e pneus serão entregues ao receber, respectivamente, borrachas, lápis e cadernos, de modo a estimular a população a retirar de casa os objetos que possam acumular água e se tornarem possíveis criadouros do mosquito. (veja programação no quadro abaixo)

Dados epidemiológicos deste ano apontam Coronel Fabriciano como o quinto município no Estado com maior número de casos notificados de dengue, foram registrados 973 casos até a terceira semana de junho. O número representa um aumento de aproximadamente 32% em relação ao mesmo período de 2011, quando o município notificou 734 casos da doença.

Desde o ano passado, a cidade, em ação integrada com a Gerência Regional de Saúde de Sete Lagoas, une esforços para reverter o panorama. Durante o ano de 2011 foram desenvolvidos mutirões de limpeza, reuniões técnicas e eliminação de potenciais focos.

Força Tarefa

Atuando nas áreas da Assistência, Comunicação e Epidemiologia, a Força Tarefa Dengue tem como arma as ações de mobilização social. Os profissionais que atuam na força tarefa têm por objetivo combater os focos que podem servir de criadouro para a dengue e conscientizar a população sobre o problema. Eles atuam como um reforço às ações que já devem existir nos municípios.

Além disso, durante a força tarefa, uma Equipe de Mobilização atua na cidade. Pesquisas indicam que 90% dos focos da dengue estão dentro das casas e que as pessoas sabem o que deve ser feito para combater o mosquito, mas não agem, daí a importância de um trabalho de mobilização.

As grandes inovações apresentadas pela Força Tarefa são o Dengue móvel e o Dengômetro. O material recolhido pelo Dengue Móvel tem destino certo. Nos municípios visitados pela Força Tarefa, cooperativas e associações de coletores de recicláveis convertem garrafas pet, latinhas e pneus e artesanato e peças de utilidade, como vassouras e artigos de cozinha.

Programação da Força Tarefa de Combate à Dengue em Coronel Fabriciano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/coronel-fabriciano-recebera-forca-tarefa-de-combate-a-dengue/

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde lança livro sobre Ações de Vigilância

A publicação irá servir como material de qualificação das ações do projeto

Cica Almeida
Lançamento do livro “Instrutivo para a Execução e Avaliação das Ações de Vigilância em Saúde”
Lançamento do livro “Instrutivo para a Execução e Avaliação das Ações de Vigilância em Saúde”

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais lançou nesta quarta-feira (20), durante a reunião da CIB (Comissão Intergestores Bipartide), o livro “Instrutivo para a Execução e Avaliação das Ações de Vigilância em Saúde”. O livro faz parte do projeto de fortalecimento da Vigilância em Saúde no Estado.

O Governo de Minas Gerais apresentou este ano o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), que busca tornar Minas o melhor Estado para se viver através de ações integradas. Desta forma a Vigilância em Saúde de Minas Gerais tem um papel fundamental para concluir a meta estadual: Viver mais e melhor. Esse livro-guia tem a finalidade de orientar a execução e avaliações das ações tomadas pelos municípios diante das propostas do projeto.

No evento, o subsecretario de Vigilância e Proteção à Saúde, Carlos Alberto Pereira Gomes, ressaltou a importância do livro como um auxilio aos municípios. “Esse livro foi planejado não para ser um material didático, e sim um material de apoio, pretendemos fazer outras versões cada vez mais ligadas à realidade dos municípios,” explica o Alberto.

“A expectativa é de que este documento seja um instrumento orientador para a qualificação de ações nos municípios mineiros, buscando a prevenção de riscos e agravos e à promoção da saúde do cidadão mineiro”, afirma o Secretário do Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques.

Estavam presentes também para o lançamento, o Presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG), Mauro Junqueira, e gestores de mais de 100 municípios mineiros.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-saude-lanca-livro-sobre-acoes-de-vigilancia/

Gestão Eficiente: especialista destaca política de combate à mortalidade infantil em Minas em Congresso Iberoamericano de Neonatologia

Coordenadora da Secretaria Estadual de Saúde apresentou avanços obtidos pelo Estado com o programa Mães de Minas.

Henrique Chendes / SES
Maria Albertina falou sobre a redução da mortalidade infantil em Minas Gerais nos últimos nove anos.
Maria Albertina falou sobre a redução da mortalidade infantil em Minas Gerais nos últimos nove anos.

A coordenadora de Atenção à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Maria Albertina Santiago Rego, participou da abertura do “IX Congresso Iberoamericano de Neonatologia e VII Reunião de Enfermagem (Siben)”, realizada, quarta-feira (20), no Minascentro, em Belo Horizonte.  O encontro, que vai até este sábado, ocorre pela primeira vez no Brasil e que conta com mais de 1.300 participantes de 25 países.

Maria Albertina destacou o fato de que, desde de 2003, o Governo de Minas tem desenvolvido políticas para a redução da mortalidade infantil e materna. “No ano de 2000, a taxa de mortalidade infantil brasileira, para cada mil nascidos vivos, era de 21,3% e em 2010 esse número passou para 13,9. Em dez anos houve uma redução de 7,4%. Já em Minas Gerais, em 2003, essa taxa era de 20,8%, para cada mil nascidos vivos, e em 2010 essa porcentagem passou para 13,1%, uma queda de 7,7%, num período de sete anos. Esses dados são o resultado do tratamento individualizado recebido por cada gestante”, relatou.

Para o presidente do Comitê de Terapia Intensiva da Sociedade Mineira de Pediatria, Oswaldo Trindade Filho, a realização do congresso em Minas é importante para a troca de experiências com os profissionais de outros países

“O compartilhamento de informações, pesquisas e investigações científicas são essenciais para a medicina, principalmente nessa área, em que 9% de todos os partos do mundo são prematuros e 1,4 são prematuros extremos. Quando esses bebês não recebem os devidos cuidados podem ir a óbito”, explicou.

Atualmente a pediatria é a maior especialidade do país e conta com 28 mil pediatras e quase 2 mil neonatologistas. Durante os quatro dias de evento, os pediatras mineiros inscritos se dedicam à prática da neonatologia e poderão participar de nove conferências, nove miniconferências, além de mesas redondas, plenários e simpósios. A grade científica também conta com a presença de onze professores, que atuam em instituições internacionais.

Programa Mães de Minas

Lançado pelo governador Antônio Anastasia, em agosto de 2011, o programa pretende identificar e monitorar 100% das gestantes e crianças menores de um ano permitindo, assim, uma maior interlocução das famílias com os serviços de saúde; Mobilização e Comunicação Social, com o estabelecimento de parcerias com órgãos governamentais e instituições do terceiro setor, entre outros, utilizando de forma plena a Rede Viva Vida.

De agosto de 2011 a junho 2012, foram cadastradas 19233 mães e gestantes por meio do Call Center 155, em 758 municípios dos 853 que fazem parte do Estado de Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/especialista-destaca-politica-de-combate-a-mortalidade-infantil-em-minas-em-congresso-iberoamericano-de-neonatologia/

Gestão da Saúde: cuidados com a saúde bucal na terceira idade devem ser redobrados

Manter alimentação saudável, escovar os dentes com creme dental com flúor pelo menos duas vezes ao dia, usar fio dental, evitar fumo e estresse são dicas fundamentais para manter a saúde da boca.

Pedro Cisalpino
Segundo especialista, maioria dos problemas bucais pode ser evitados com trabalho contínuo de prevenção.
Segundo especialista, maioria dos problemas bucais pode ser evitados com trabalho contínuo de prevenção.

Quando o assunto é higiene bucal, logo pensamos na escovação dos dentes. Claro que a higienização dental e o uso do fio dental são essenciais para manter a higiene bucal, mas é importante saber que boca é composta pelos dentes, gengiva, língua e garganta. Com a maturidade e as limitações que esta fase da vida impõe, é necessário tomar alguns cuidados para manter a saúde.

O uso de medicamentos, próteses e o enfraquecimento dos ossos são fatores que contribuem para que os idosos tenham que tomar cuidados extras. Doenças como o diabetes, câncer e problemas cardíacos também podem comprometer a saúde bucal dos idosos, então quanto mais cedo estas doenças forem diagnosticadas, mais fácil será manter a saúde bucal.

A retração da gengiva é outro problema recorrente na 3ª idade, pois expõe áreas do dente que antes estavam protegidas pela gengiva e com isso a sensibilidade é agravada. Para a cirurgiã-dentista e Coordenadora de Atenção Especializada em Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), Jacqueline Santos, é possível ter uma boca saudável durante toda a vida. “As doenças e agravos bucais, como por exemplo, a cárie dentária, a doença periodontal e o câncer bucal, são perfeitamente preveníveis. Para tal, é de extrema importância que as crianças, adolescentes, adultos e idosos tenham acesso às ações e aos serviços de saúde bucal ao longo de todas as suas vidas”, alerta a especialista.

Boca seca

Ainda de acordo com Jacqueline Santos, outro assunto bastante discutido sobre saúde bucal dos idosos é o que os especialistas chamam de xerostomia (sensação de boca seca). “O processo de envelhecimento do corpo se reflete na cavidade bucal, trazendo algumas modificações, como por exemplo, a diminuição da secreção das glândulas salivares, que leva à xerostomia”, diz.

A xerostomia causa diminuição da capacidade protetora da saliva e maior risco à cárie dentária, incômodo no uso de prótese, perda do paladar, mau hálito, lábios ressecados e dificuldade na mastigação, deglutição e fala. Além de ser parte do processo de envelhecimento, pode ser causada por medicamentos em uso rotineiro pela pessoa idosa, por falta de ingestão de líquidos, estresse, ou tratamento com radiação para câncer na região da cabeça e pescoço.

A falta de saliva é uma queixa comum entre os idosos. Em caso de ser detectada a diminuição do fluxo salivar, a equipe de saúde bucal deverá avaliar se o paciente faz uso de medicamento e aí o médico deverá ser consultado para averiguação de possibilidade de substituição do remédio. O uso de estimuladores de secreção salivar é indicado em casos de xerostomia, o que pode ser feito através do uso de goma de mascar sem açúcar de 03 a 05 vezes ao dia, dependendo do usuário. “A mastigação de alimentos fibrosos também age como estimulante salivar”, completa a especialista.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cuidados-com-a-saude-bucal-na-terceira-idade-devem-ser-redobrados/

Gestão da Saúde: Secretaria de Estado de Saúde inaugura Farmácia de Minas em Espera Feliz

Nova unidade vai beneficiar cerca de 25 mil habitantes, oferecendo 120 itens, entre analgésicos, antiinflamatórios e cardiovasculares

Andressa Aguiar / SES
Nova unidade recebeu investimentos de mais de R$ 99 mil, incluindo a contrapartida do município
Nova unidade recebeu investimentos de mais de R$ 99 mil, incluindo a contrapartida do município

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) entregou mais uma unidade da Farmácia de Minas na Zona da Mata mineira. A inauguração aconteceu nesta sexta-feira (15), no município de Espera Feliz, que está sob a jurisdição da Gerência Regional de Saúde de Manhumirim. A nova unidade vai beneficiar cerca de 25 mil habitantes, oferecendo aproximadamente 120 itens entre analgésicos, antiinflamatórios e cardiovasculares.

A nova unidade recebeu investimentos de R$ 99.322,74, destinados à construção da farmácia e aquisição de todo o mobiliário e equipamentos, por parte da SES-MG, além da contrapartida do município.

Todos os imóveis das unidades Farmácia de Minas são padronizados pelo Estado. Essa padronização tem como objetivo fazer com que as farmácias sejam reconhecidas pela população e se tornem referência na prestação de serviços farmacêuticos nos municípios.

Segundo Maria Cristina Dutra, coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica da GRS Manhumirim, “é muito importante a parceria entre município e estado, especialmente na construção e consolidação dos serviços de atenção a saúde.”

O prefeito de Espera Feliz, Aluízio Barbosa, comemorou a nova iniciativa. “Estamos felizes com essa conquista, agradecemos a parceria com o Governo de Minas e esperamos que os atendimentos da assistência farmacêutica aconteçam de forma humanizada e comprometida com o bem estar de nossa população”, destacou. A solenidade de inauguração contou a participação da população do município e de autoridades locais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-saude-inaugura-farmacia-de-minas-em-espera-feliz/

Gestão da Saúde: Divinolândia de Minas inaugura Farmácia de Minas

O Governo do Estado investiu R$ 90 mil para a construção da farmácia queira beneficiar cerca de sete mil habitantes.

Sivulgação SES
Divinolândia de Minas recebe Farmácia de Minas
Divinolândia de Minas recebe Farmácia de Minas

O município de Divinolândia de Minas, Leste do Estado, recebeu a 25ª unidade da Rede Farmácia de Minas na jurisdição da Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares (SRS).

Aproximadamente sete mil habitantes daquela localidade contam agora com um atendimento humanizado e com qualidade, em uma estrutura moderna e completa, com melhores condições de armazenagem e atendimento que irá dispensar cerca de 160 itens, como analgésicos, antiasmáticos, cardiovasculares, entre outros.

Para efetivar a construção da farmácia, o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), investiu na parte física, mobiliário e equipamentos o montante de R$ 90 mil, e o município em contrapartida, participou com R$ 10.536,00.

Além disso, estão sendo repassadas 13 parcelas mensais de R$ 1.200 para complementação salarial  do profissional farmacêutico, responsável pela unidade e implantação do Software Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica (SiGAF), que  garante o gerenciamento e o adequado controle dos medicamentos e cadastro dos pacientes atendidos pela Farmácia, bem como de toda a rede.

A coordenadora regional de Assistência Farmacêutica da SRS, Maria Luiza Martins, representante da SES na solenidade de inauguração da Farmácia de Minas, ressaltou que o objetivo do Governo de Minas e da SES com a implantação dessas novas unidades é estruturar a rede de Assistência Farmacêutica no Estado e garantir o acesso da população mineira aos medicamentos de forma gratuita e racional. “O estabelecimento farmacêutico do município passa por uma mudança de perfil, deixando de ser só um espaço de guarda e distribuição de medicamentos para ser uma referência no atendimento da população, atuando de forma integrada aos serviços de saúde locais,” afirma a coordenadora.

Para o farmacêutico do município, Marco Valério Martins de Melo, a nova unidade representa uma evolução na assistência farmacêutica de Divinolândia de Minas e também a valorização do profissional farmacêutico. “O Programa Farmácia de Minas deu credibilidade e visibilidade a nossa classe e a população passa a reconhecer mais o nosso trabalho”, frisou.

A usuária e moradora, Maria Eunice da Silva, convidada a visitar as novas instalações ao final da solenidade de inauguração, manifestou sua aprovação quanto às condições oferecidas pela nova Farmácia. “Vamos ter mais conforto num espaço bem organizado,          que vai atender melhor ao nosso povo”, avaliou.

Rede Farmácia de Minas

Criada em 2007, a Rede Farmácia de Minas é parte integrante do Programa Farmácia de Minas e tem como objetivo propiciar que a farmácia pública deixe de ser vista apenas como uma estrutura física para guarda e distribuição de medicamentos, passando a ser considerada como um espaço humanizado de atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com dispensação gratuita medicamentos, dedicados a atenção primária à saúde, realizada por profissionais qualificados com a promoção do uso racional dos medicamentos.

O Governo de Minas propõe até o final de junho de 2012 a implantação, através da SES, de 200 novas unidades da Rede Farmácia de Minas em municípios com população de até 30 mil habitantes.

No total serão 507 unidades da Rede inauguradas em todo o Estado. Mais de 600 municípios estão contratualizados e nos próximos anos pretende-se atingir mais 900 unidades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/divinolandia-de-minas-inaugura-farmacia-de-minas/

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde dá dicas de boa alimentação no trabalho

Horários apertados, desgaste e falta de tempo para se alimentar, essa é uma rotina muito comum no ambiente de trabalho.

Sono excessivo, indisposição, cansaço e falta de concentração, podem ser sintomas de uma alimentação inadequada. O corpo humano funciona mal, quando a nos alimentamos de forma saudável. Por isso, é preciso reaprender a comer. De acordo com a nutricionista da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Lívia Oliveira, “pular refeições ou substituí-las por lanches calóricos, em alguns casos, mata a fome, mas não proporciona os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo e manutenção do peso corporal”.

Trabalho x alimentação

Durante o horário de trabalho, intervalos para que o trabalhador se alimente é essencial. Trabalhar fazendo jejuns prolongados ou passar o dia beliscando guloseimas faz mal para a saúde do trabalhador e para o resultado do trabalho, pois isso diminui a capacidade de produção das pessoas.

O trabalhador deve ter sempre uma estratégia para manter o organismo em forma. “O primeiro passo a ser tomado é se alimentar antes de sair de casa, pois o café-da-manhã é a refeição mais importante do dia. A atitude de se comer antes de ir trabalhar já garante a quebra do jejum noturno com alimentos que podem ser bem selecionados e que respeitem as preferências de cada um. Além disso, as pessoas devem levar dois pequenos lanches para o trabalho, que podem reduzir os jejuns prolongados entre as refeições”, explica a nutricionista.

Para quem almoça no serviço, a melhor opção é a velha e boa marmita, mas para quem não tem essa opção, a nutricionista explica o prato ideal a ser feito no restaurante.  “No almoço, o ideal é montar um prato colorido, com legumes e verduras crus e cozidos, carnes magras e o tradicional arroz e feijão, lembrando que se deve dar preferência ao arroz integral.  Substituir o almoço por lanches pode ser uma saída para ocasiões especiais, mas deve ser evitado”, conclui.

Alimentos ideais

O ideal é fracionar as refeições e não ultrapassar 3 a 4 horas sem comer. “Deve-se evitar o jejum prolongado, geralmente seguido por grandes ingestões de alimentos. Os dois extremos podem comprometer a capacidade de produção, uma vez que longos períodos de jejum podem ocasionar quadros de hipoglicemia e as refeições volumosas podem resultar em dificuldades digestivas e daí vem a famosa lombeira, comprometendo o raciocínio e o bom desempenho profissional”, afirma a nutricionista.

Prefira alimentos equilibrados, nutritivos, ricos em carboidratos, mas que contenham também proteínas e gorduras saudáveis. Tais como frutas, pães, bolos e biscoitos integrais, aveia, que ajudam na concentração e memória. Tenha sempre na bolsa, barras de cereal ou cookie integral, pois são ricos em carboidratos e fibras. Uma fruta fácil de transportar e comprar como a laranja, rica em vitamina C, e por isso dá adeus à canseira.

Outra opção pode ser a cafeína, quando bem utilizada, não faz mal a ninguém. Um cafezinho no meio da manhã e outro no meio da tarde podem melhorar a atenção e a disposição durante o dia de trabalho.

Além de todos esses alimentos, a água é o principal, não estar hidratado é uma porta para a energia ir lá para baixo e deixar a pessoa cansada, desanimada, e mal humorada. É necessário ingerir no mínimo 2 litros de água por dia, além de outros líquidos, como água de coco, sucos naturais e chás.

O trabalhador deve ficar atento, pois além de contribuir para a saúde, comer bem melhora o seu desempenho profissional. No trabalho ou em qualquer outro lugar do mundo, a melhor forma para manter a saúde, a disposição, a concentração e a forma é comer alimentos saudáveis.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-estado-de-saude-da-dicas-de-boa-alimentacao-no-trabalho/

Gestão da Saúde: Governo de Minas libera R$ 1,5 milhão para o Hospital de Santos Dummont

Investimentos serão destinados a obras de infraestrutura e à aquisição de equipamentos

Dando continuidade à política de apoiar os hospitais que compõem a rede do SUS, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), repassou no mês de abril, por meio convênio 569/2011 firmado com o município de Santos Dummont, na Zona da Mata, o valor de R$ 1,5 milhão para beneficiar o Hospital de Misericórdia.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marque, esses investimentos serão destinados a obras de infraestrutura e à aquisição de equipamentos. “O serviço possibilitará a redução das transferências inter-hospitalares e do tempo-resposta do atendimento, oferecendo um ambiente hospitalar mais acolhedor, ágil, seguro e confortável, contando com um atendimento qualificado, equipamentos modernos e profissionais especializados” declarou.

O Hospital Municipal conta com 73 leitos de internação e seis leitos de UTI. A unidade atende toda a microrregião de Santos Dummont, composta também pelos municípios de Oliveira e Araçaba.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-libera-r-15-milhao-para-o-hospital-de-santos-dummont/