Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Defesa Social, Educação e Assembleia Legislativa lançam Concurso Viva Feliz sem Drogas

O concurso é realizado anualmente e, em 2012, tem como tema “Mais perto dos livros, mais longe das drogas”

Divulgação/Seds
Concurso foi lançado no encerramento da Semana Estadual de Prevenção às Drogas
Concurso foi lançado no encerramento da Semana Estadual de Prevenção às Drogas

O XIV Concurso Estadual de Redação, Frases e Desenhos: Viva Feliz sem Drogas foi lançado, na manhã desta sexta-feira (29), durante o encerramento da Semana Estadual de Prevenção às Drogas. Destinado a alunos de escolas estaduais, municipais e particulares, o concurso é uma parceria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas, da Secretaria de Estado de Educação (SEE) e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O convênio de parceria que institui o concurso foi assinado por representantes dos três órgãos durante o “Ato contra o crack e outras drogas”, realizado na Praça da Assembleia. A ação reuniu cerca de 4 mil alunos de instituições de ensino da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) em uma mobilização pela vida.

Durante o evento, o subsecretário de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides, chamou os estudantes para participarem do concurso e destacou a importância da parceria entre o Executivo e o Legislativo. “Juntos estamos somando esforços na luta contra as drogas. É fundamental planejar investimentos e estratégias de prevenção, articulação, capacitação, repressão e assistência a usuários”. A secretária-adjunta de Educação, Maria Sueli de Oliveira Pires, ressaltou que é muito importante a participação de todas as escolas na ação.

Segundo o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado estadual Dinis Pinheiro, a instituição comprou a luta contra as drogas. “A Assembleia está de mãos dadas com a juventude para vencer o drama do crack, resgatar quem entrou por esse caminho e construir a paz”. O deputado estadual Paulo Lamac, presidente da Comissão Especial de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, completou: “a droga existe e está perto de casa e perto da escola. Precisamos conscientizar os jovens de que não vale a pena experimentar esse mal. Vamos defender a vida”.

Após acompanhar a assinatura do convênio, os alunos presentes no evento assistiram ao show do cantor e compositor mineiro Wilson Sideral.

O concurso

O Concurso Estadual de Redação, Frases e Desenhos: Viva Feliz sem Drogas é realizado anualmente e, em 2012, tem como tema “Mais perto dos livros, mais longe das drogas”. Baseados nessa temática e na ideia de superação das drogas, os alunos podem concorrer em cinco modalidades diferentes: desenho, desenho com frase, frase, redação e grafitismo. Além de estudantes dos ensinos Fundamental e Médio das escolas públicas e particulares, também podem participar do concurso alunos da Educação de Jovens e Adultos, adolescentes e jovens participantes dos Centros de Prevenção à Criminalidade e do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd).

O edital será publicado no site www.omid.mg.gov.br nos próximos dias e a previsão é que o resultado final seja divulgado em novembro. Ao todo, são mais de 50 prêmios, incluindo TVs, notebooks, filmadoras, câmeras fotográficas e vídeo games. Além dos próprios alunos, serão premiados ainda o professor e a escola dos estudantes vencedores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/defesa-social-educacao-e-assembleia-legislativa-lancam-concurso-viva-feliz-sem-drogas/

Governo de Minas: Etapa Regional do JEMG tem início em seis cidades-sede

Cerca de 12 mil alunos de 521 escolas públicas e particulares de 277 municípios de Minas participam dos jogos.

Felipe Diniz / SEEJ
Secretário Braulio Braz participa da abertura dos JEMG em Cataguases
Secretário Braulio Braz participa da abertura dos JEMG em Cataguases

A Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (SEEJ), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE), deu início, nessa terça-feira (26), à Etapa Regional dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG 2012) em seis cidades do interior. Ao todo, participam mais de 12 mil alunos-atletas, que representam 521 escolas públicas e particulares de 277 municípios mineiros. Os competidores disputarão provas até sábado (30/06) em quatro modalidades coletivas (basquete, futsal, handebol e vôlei) e duas individuais (xadrez e atletismo).

Cataguases recebe as competições da Zona da Mata; Corinto as da região Norte; João Monlevade as do Vale do Aço; Passos as disputas da região Sul; Sete Lagoas as da Região Central do Estado; e Tupaciguara os jogos doTriângulo. Os critérios de divisão seguem as áreas das Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Em Cataguases, a solenidade de abertura contou com a participação do secretário de Estado de Esportes e da Juventude, Braulio Braz, do prefeito da cidade, William Lobo de Almeida, e de sete superintendentes Municipais de Ensino e vários outros prefeitos da região.

“Continuem firmes, empenhados nos estudos e na prática esportiva. Todos vocês são privilegiados por participar do maior programa esportivo de Minas Gerais”, disse o secretário aos mais de dois mil atletas classificados para fase da Zona da Mata.

Para a secretária de Educação de Cataguases, Solange Soares Leite, o JEMG é uma importante ferramenta de inclusão social e interação. “É uma oportunidade para confraternização, prática da cordialidade e superação de limites“, definiu a secretária.

JEMG

O JEMG 2012 é o maior e mais importante programa esportivo-social de Minas Gerais e faz parte do projeto Minas Olímpica, do Governo de Minas. É uma competição esportiva-educacional da qual podem participar as escolas públicas e particulares de ensino dos 853 municípios mineiros. Ao todo, 686 municípios foram inscritos no JEMG deste ano, um recorde na história dos Jogos.

Os Jogos acontecem em quatro etapas – municipal, microrregional, regional e estadual – e os alunos/atletas são divididos em dois módulos, de acordo com a idade. Participam do módulo I os alunos de 12 a 14 anos (nascidos de 98, 99 e 2000) e do módulo II, alunos de 15 a 17 anos (nascidos em 95, 96, e 97).

No JEMG/2012 estão sendo realizadas competições de atletismo, atletismo PCD, basquete, bocha, futsal, futebol de 5, futebol de 7, ginástica rítmica, ginástica de trampolim, handebol, judô, natação, natação PCD, peteca, taekwondo, tênis de mesa, tênis de mesa PCD, tênis em cadeira de rodas, vôlei, vôlei sentado e xadrez, nos naipes masculino e feminino.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/etapa-regional-do-jemg-tem-inicio-em-seis-cidades-sede/

Gestão da Educação: Programa Educacional de Atenção ao Jovem mobiliza moradores de Monte Carmelo

Mais de 50 alunos recitaram poesias em praças e prédios públicos da cidade, localizada no Alto Paranaíba

Alunos da Escola Estadual Professor Vicente Lopes Perez, em Monte Carmelo no Alto do Paranaíba, apresentaram nesta terça-feira (26), o primeiro recital de poesias em praças e prédios públicos da cidade. A iniciativa faz parte do trabalho de sensibilização que a escola deseja fazer junto à comunidade através do Programa Educacional de Atenção ao Jovem (Peas Juventude), desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação (SEE).

“A poesia faz parte da vida. Quem gosta dessa arte é uma pessoa sensível, ama o próximo, proporcional alegria para o outro e conhecimento também. O dia de ontem foi uma oportunidade de encontro com a cultura”, destacou a coordenadora do Peas Juventude na escola, a professora Cleonice Dias de Rezende. A atividade é desenvolvida por alunos dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio.

Durante as apresentações do recital, o público que se formava, pôde ouvir poesias de escritores como Carlos Drummond de Andrade e Alvarenga Peixoto. Porém, as referências artísticas também estavam na própria escola. “Em 2012, nós lançamos um livro de poesias escrito pelos alunos do Peas, chamado ‘Fala Polipeas’. Vários dos poemas apresentados foram retirados desse trabalho”, lembrou a coordenadora do Programa.

Rompendo fronteiras

Foi pensando na ideia de que a cultura pode romper fronteiras que o recital de poesias foi realizado em diversos pontos do centro da cidade. Quem passou pela Praça Getúlio Vargas, pela Prefeitura Municipal, bancos e comércios da cidade, teve a oportunidade de ouvir a arte que se faz em versos. “Cada grupo apresentava o recital em algum lugar. As pessoas perguntavam de onde somos e nos aplaudiam”, comentou o estudante do 2º ano do ensino médio, João Paulo dos Santos Coelho, de 15 anos.

Além do recital, o grupo de alunos que integra o ‘Olodum do Cerrado’ realizou um apresentação musical.

Peas Juventude

O Programa Educacional de Atenção ao Jovem (Peas Juventude) existe há seis anos na escola. Atualmente, cerca de 30 alunos do ensino médio da escola participam do Programa da Secretaria de Estado de Educação (SEE) que tem como objetivo estimular o protagonismo juvenil em ações pedagógicas, a partir da orientação dos professores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-educacional-de-atencao-ao-jovem-mobiliza-moradores-de-monte-carmelo/

Gestão da Educação: Robô dançarino criado por estudantes de escola estadual volta do México com prêmios na bagagem

Estudantes da Escola Estadual Afonso Pena Júnior, de São Tiago, participaram de competição internacional de robótica na última semana.Alunos da Escola Afonso Pena Jr. chegaram em Confins com prêmios e boas  recordações na bagagem.
Alunos da Escola Afonso Pena Jr. chegaram em Confins com prêmios e boas recordações na bagagem.

Depois de quase um ano de dedicação e treinamento, a recompensa. Composta por seis alunos da Escola Estadual Afonso Pena Jr., em São Tiago, no Campo das Vertentes, a equipe Café-com-Byte-Júnior conquistou dois troféus em uma das maiores competições de robótica do mundo: a RoboCup 2012, realizada no México entre os dias 18 e 24 de junho. Os estudantes retornaram nesta terça ao Brasil, pelo Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins.

“Conquistamos o troféu de melhor programação e um no ‘Super Teen’, no qual foram formadas equipes com integrantes de três nacionalidades diferentes e tínhamos que montar uma coreografia para apresentar. Nossa equipe tinha integrantes da China e da Alemanha. Montamos a coreografia em dois dias”, ressalta uma das orientadoras da equipe, Alda de Paiva Castro.

A Café-com-Byte-Júnior competiu na categoria Dance Challenge da RoboCup Júnior. Nessa categoria, seis robôs foram programados para executar passos de Hip Hop e seguir os movimentos do estudante do 8º ano do ensino fundamental, Alisson Nascimento Viégas. “Eu era o dançarino da equipe. O robô tinha que acompanhar meus movimentos e interagir comigo, além de acompanhar o ritmo e o tempo da música”, conta.

Para Alisson, na bagagem a equipe não está trazendo apenas troféus, mas também novas experiências. “A participação na competição só trouxe coisas boas. Tivemos a oportunidade e interagir com equipes de vários lugares do mundo e também conhecemos alguns pontos turísticos do país. Conhecemos as pirâmides e a igreja de Guadalupe. Também aprendemos sobre a cultura dos mexicanos”, relata.

Para os alunos da escola, os troféus conquistados no RoboCup não serão o fim de uma trajetória de sucesso. “Vamos voltar para São Tiago e começar a trabalhar em um novo robô para participarmos da etapa regional da Olimpíada Nacional de Robótica (OBR), que acontece em São João del-Rei. Nessa competição, vamos construir um robô novo, que vai fazer resgate. Ele vai ter que seguir em linha reta, desviar de obstáculos e resgatar uma vítima”, afirma o estudante do 8º ano do ensino fundamental, Talles Gabriel Sousa Caputo.

Ao todo, seis equipes da Escola Estadual Afonso Pena Jr. participarão da competição. Foi justamente uma medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) que permitiu a ida da equipe para a competição no México.

Festa em São Tiago

A equipe que passou mais de sete dias no México e está sendo esperada com festa em São Tiago. “Tem uma festa esperando os alunos. Foi montado um palanque na rua e os outros alunos vão estar lá para recebê-los”, afirma a diretora da Maria Auxiliadora Lara Silva. A gestora ressalta ainda a importância do apoio da Secretaria de Estado de Educação e da prefeitura de São Tiago. “A escola não tem recurso diretamente arrecadado e para o nosso crescimento precisamos de apoio. A prefeitura nos ajudou nas inscrições e transporte e a secretaria nos auxiliou com as passagens, entre outras coisas”, conclui.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/robo-dancarino-criado-por-estudantes-de-escola-estadual-volta-do-mexico-com-premios-na-bagagem/

 

Governo de Minas: cooperação capacita professores para atuação em casos de doenças falciformes

Durante seminário realizado em Belo Horizonte, Secretarias de Educação e de Saúde assinam cooperação com órgão federais para debater o tema

Adair Gomez
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)

Discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e minimizar a falta de informação sobre a doença, além de construir uma articulação entre a saúde e a educação, são alguns dos objetivos do Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. Cerca de 160 pessoas, entre especialistas nacionais e internacionais, educadores e pesquisadores participam do evento, que acontece nesta terça (26) e quarta-feira (27), em Belo Horizonte. O seminário é promovido pelo Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG).

O evento tem o intuito de substanciar a construção do projeto de educação para capacitar professores da rede estadual de Minas, visando melhores cuidados à pessoa com doença falciforme. O seminário conta com a participação de gestores do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e da Secretaria de Estado de Saúde.

Durante a abertura do encontro, nesta terça-feira, a subsecretaria de desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos, assinou um termo de compromisso que possibilitará a capacitação de professores da rede estadual de ensino sobre o tema. O termo para a execução do projeto “Saber para cuidar: doença falciforme na escola” foi assinado por representantes da Universidade Federal de Minas Gerais (Faculdade de Medicina) e do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad/UFMG), além da Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Fundação Hemominas.

“Assinamos o termo de compromisso para que em uma próxima oportunidade, a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, possa assinar o convênio com os nossos parceiros”, ressalta Raquel Elizabete de Souza Santos. Já o subsecretário de Estado de Políticas e Ações em Saúde, Mauricio Rodrigues Botelho, falou da importância do tema. “A doença falciforme tem um impacto social e econômico que ainda não temos toda a sua dimensão. A pessoa sofre, além dos sintomas da doença, também no ambiente social. O modelo do enfrentamento da doença falciforme em Minas Gerais é vitorioso”, informou.

Por meio dessa parceria, os professores da rede estadual serão capacitados sobre os cuidados necessários com os portadores da doença para estarem preparados para receber o aluno com doença falciforme. “É de extrema importância discutir o tema com nossos educadores. Os professores conhecendo essa situação terão mais condições de atender as necessidades pedagógicas das crianças com doença falciforme. O trabalho com a UFMG e com a Secretaria de Estado de Saúde vai nos ajudar a tratar o tema na trajetória escolar do aluno”, conclui Raquel Elizabete de Souza.

Para Nélio Januário, coordenador do Nupad, esta cooperação é um importante passo no sentido de dar visibilidade à doença falciforme. “Já estamos bem avançados no reconhecimento da doença no Sistema Único de Saúde (SUS). É importante levar esse reconhecimento para outras esferas: a escola, o trabalho, a vida social”, concluiu o coordenador.

A presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, ressaltou que a instituição sempre se preocupou com o acompanhamento escolar de seus pacientes por meio das atividades realizadas pelos pedagogos da Hemominas. “Visando a qualidade de vida da pessoa com doença falciforme sempre pensamos em uma parceria com a Educação. A criança precisa ser incluída no meio social representado pela escola”, completou.

A representante do Ministério da Saúde, Joice Aragão de Jesus, salientou o pioneirismo do Estado de Minas Gerais nos trabalhos realizados com a doença falciforme. “O trabalho desse seminário assume uma grandiosidade que irá repercutir em todo o Brasil. Nenhuma criança ou jovem deve deixar a escola devido às crises da doença. A educação tem papel fundamental para a inclusão das pessoas com doença falciforme na sociedade. A integralidade faz parte do processo de cidadania, afirmou”.

Projeto

Minas Gerais possui mais de 6 mil pessoas com doença falciforme. Na cidade de Belo Horizonte, este número é de 270 pessoas, sendo 158 com idade escolar, de 6 a 14 anos. A doença falciforme faz com que este aluno tenha uma baixa frequência escolar, que prejudica a sua formação educacional e, consequentemente, traz problemas sociais, econômicos, emocionais e psicológicos.

O seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola” tem como objetivo, por meio da capacitação dos profissionais da educação, minimizar estes problemas. A iniciativa é dividida em três partes. A primeira é a mobilização dos parceiros para a implantação do projeto. A segunda etapa consiste na capacitação presencial da equipe do Serviço de Apoio à Inclusão das 47 Superintendências Regionais de Ensino e da equipe central do Programa de Intervenção Pedagógica. Já a terceira consiste na capacitação a distância dos professores da rede estadual.

O evento também tem o apoio de entidades representativas da doença falciforme, como a Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região Metropolitana (Dreminas) e Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doenças Falciformes (Fenafal).

Doença falciforme

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes.Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da Fundação em todo o Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cooperacao-capacita-professores-para-atuacao-em-casos-de-doencas-falciformes/

Gestão da Educação: Governo de Minas inaugura novo prédio escolar no município de Fruta de Leite

A Secretaria de Estado de Educação investiu cerca de dois milhões e novecentos mil reais na construção da nova escola

Nesta terça-feira (26), será inaugurado o novo prédio da Escola Estadual Aníbal Gonçalves das Neves no município de Fruta do Leite, no Norte de Minas. A secretária-adjunta de Educação, Sueli Pires, visitará a cidade para a cerimônia de inauguração.

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) investiu cerca de R$ 2,9 milhões no prédio, que atenderá a aproximadamente 800 alunos dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio. A nova estrutura conta com 14 salas de aula, quadra e pátio cobertos, laboratórios de física e química, sala de língua estrangeira e biblioteca.

Parte dos alunos da Escola Estadual Aníbal Gonçalves das Neves, que é a única do município e funciona desde 1975, será transferida para o novo prédio escolar.

Serviço

Evento:Cerimônia de inauguração do novo prédio da Escola Estadual Aníbal Gonçalves das Neves

Data: 26 de junho de 2012

Horário: 16h

Local: Rua João Selvano de Oliveira, 273 – Centro – Município Fruta de Leite.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-inaugura-novo-predio-escolar-no-municipio-de-fruta-de-leite/

Governo de Minas: escolas têm até o dia 1º de julho para escolher livros didáticos

Secretaria capacitou representantes de escolas para facilitar a escolha do livro didático.

Divulgação / SEE
Educadores foram capacitados para escolherem as melhores opções para cada escola
Educadores foram capacitados para escolherem as melhores opções para cada escola

As escolas da rede estadual de ensino têm até o dia 1º de julho para escolher os livros didáticos que serão utilizados pelos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano) em 2013. A distribuição dos livros didáticos é feita por meio do Programa Nacional do Livro Didático do governo federal, através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que é responsável por comprar e distribuir obras didáticas aos alunos do ensino fundamental e médio.

Para orientar as escolas, o FNDE disponibiliza para as instituições o “Guia de Livros Didáticos”. A publicação é composta por resenhas das coleções disponíveis. O guia é encaminhado às escolas, que escolhem, entre os títulos disponíveis, aqueles que melhor atendem ao seu projeto pedagógico.

“Para que a escolha seja feita da melhor maneira possível, a secretaria aconselha as escolas a reunir os professores e discutir qual livro atende melhor as necessidades da escola. Depois de escolher o livro, o diretor da escola, que recebe uma senha para acessar o portal do FNDE, lança no sistema os livros escolhidos. Para cada disciplina, a escola deve colocar duas opções de livros, caso o FNDE não possa atender a primeira opção”, ressalta a diretora de Ensino Fundamental, Maria Helena Brasileiro.

Os educadores irão escolher livros para cinco disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia e Ciências. O número de livros enviados para as escolas leva em consideração o Censo Escolar. Geralmente os livros são enviados às escolas no mês de outubro. O primeiro passo para que as escolas recebam os livros didáticos é a adesão ao Programa. Em Minas Gerais, a adesão das escolas da rede estadual de ensino é feita pela Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Capacitação dos professores

Para auxiliar as escolas da rede estadual de ensino na escolha dos livros didáticos, as superintendências Regionais de Ensino (SREs) realizaram capacitações com os representantes das escolas. Na SRE de Patos de Minas, a capacitação envolveu cerca de 120 professores e especialistas educacionais das escolas estaduais e envolveu representes das redes municipais.

No encontro, a analista educacional e coordenadora da capacitação, Maria Florinda Carvalho, deu dicas para a escolha do livro didático. “Durante a capacitação, ressaltamos que o melhor livro é aquele que atende a matriz curricular da Secretaria e que atende às necessidades dos alunos. A capacitação contou com oficinas e análise dos livros. Ao voltar para as escolas, os cursistas devem discutir com os demais professores o que foi repassado no encontro”, disse.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escolas-tem-ate-o-dia-1o-de-julho-para-escolher-livros-didaticos/

Gestão da Saúde: doença Falciforme é tema de seminário para educadores em Belo Horizonte

 

Encontro vai reunir gestores e representantes de órgãos públicos, além de profissionais de saúde do Brasil e do exterior.

Será aberto nesta terça-feira (26), às 8h30, em Belo Horizonte, o seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. O evento pretende vai reunir representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), da Secretaria de Estado de Educação (SEE), da Fundação Hemominas, do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG) e das secretarias municipais de Saúde e de Educação de Belo Horizonte, além de profissionais brasileiros, americanos e ingleses. O seminário acontece até quarta-feira (27), no Hotel San Diego (Avenida Álvares Cabral, 1.181, bairro Lourdes).

O seminário visa discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e trocar experiências com o objetivo de substanciar projeto de educação que está sendo desenvolvido pelas instituições. Com foco na integralidade do cuidado, o encontro vai debater estratégias de intervenção acerca da doença falciforme, seus agravos e impactos na educação. Esta iniciativa busca minimizar a falta de informação sobre a doença e construir uma articulação entre a saúde e a educação.

Os temas a serem abordados no seminário são: “Políticas Públicas: a importância da intersetorialidade”; “Peculiaridades da Doença Falciforme no contexto escolar”; “Educação Inclusiva e a Doença Falciforme”; e “Atenção Integral: Saúde e Educação”.

Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da fundação em todo o Estado.

Para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, a escola é essencial para a qualidade de vida do paciente. “A escola é o local onde o paciente falciforme passa grande parte de sua vida, no convívio com os professores e com os colegas. É importante que os educadores conheçam a doença para entender as dificuldades que essas crianças e jovens vão passar ao longo da sua vida. O educador tem um papel fundamental para a inclusão social do paciente falciforme”, salientou.

Doença Falciforme

É uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998.

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

Cehmob-MG

O Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG) foi criado em 2004 em uma parceria Fundação Hemominas e Nupad/UFMG. Ainda participam da parceria órgãos federais e municipais, além da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região (Dreminas).

O principal objetivo do Cehmob-MG é promover a atenção integral à pessoa com doença falciforme, por intermédio da educação, informação e apoio assistencial. O Centro atua em todo o Estado, promovendo, também, capacitação e treinamento de profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde e de Urgência de Minas Gerais.

Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”

Data: Terça e quarta (26 e 27 de junho)

Local: Hotel San Diego – Av. Álvares Cabral, 1.181 – bairro Lourdes – Belo Horizonte

Abertura: dia 26, terça-feira, às 8h30

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/doenca-falciforme-e-tema-de-seminario-para-educadores-em-belo-horizonte/

Gestão da Educação: Escola Professor Botelho, em Leopoldina, completa 106 anos com estrutura totalmente renovada

No mês de aniversário de fundação, instituição ganha reforma e novas instalações esportivas, aliando o tradicional ao moderno.

Divulgação / SEE
Prédio da Escola Professor Botelho Reis foi totalmente reformado pelo Governo de Minas
Prédio da Escola Professor Botelho Reis foi totalmente reformado pelo Governo de Minas

Cento e seis anos que também escreveram a história da educação em Minas Gerais. Esse é o legado da Escola Estadual Professor Botelho Reis, a unidade mais antiga da Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Leopoldina. Para comemorar a data, foram entregues nesta sexta-feira, a reforma do prédio e as novas instalações esportivas da instituição. O Governo de Minas investiu nas melhorias cerca de R$ 1 milhão, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), beneficiando 1.700 alunos dos ensinos fundamental e médio.

Para a prática esportiva, por exemplo, a escola ganhou um estímulo com a reforma da piscina semi-olímpica, que recebeu novo revestimento e foi impermeabilizada. A pista de atletismo ganhou pavimento asfáltico. Já a quadra poliesportiva foi totalmente refeita com novo piso em concreto polido e cobertura metálica. “Sempre tive vontade de estudar aqui, pois em nossa cidade é uma escola grande e sempre ouvimos falar bem dela. Com a reforma da praça de esportes, todo mundo vai querer fazer Educação Física. Com a quadra coberta, nós poderemos jogar em época de chuva”, explica a estudante do 2º ano do ensino médio, Sabrina Franco Correa, de 16 anos.

O prédio da escola, com 2,1 mil metros quadrados, teve a reforma nas instalações hidráulicas e elétricas. O piso em tábua corrida e o telhado também foram trocados. O prédio ainda ganhou uma pintura nova. “A escola é referencia em educação em Leopoldina. Temos 56 mil habitantes e em qualquer ponto da cidade ou bairro todo mundo sabe dela. É uma conquista muito grande. Muitos funcionários da escola e habitantes da cidade já passaram por aqui”, destaca a vice-diretora Josete de Almeida Machado Ferraz.

Entre os ex-alunos que ainda estão na escola está o atual diretor, Fernando Miranda Vargas. “Tenho a experiência de ter vivido nos dois lados, como aluno e, hoje, como diretor. É interessante observar que o mundo evoluiu bastante, principalmente, na tecnologia e nossa escola tem conseguido acompanhar isso. Temos laboratórios de Biologia, Física, Química e Informática. Todos estão novos e têm contribuído para nossas aulas”, lembra.

Antes de ser um prédio público da rede estadual de ensino, a escola funcionava como um internato particular.Atualmente, a escola atende alunos do 6º ano do ensino fundamental e ensino médio.

O prédio da Escola Estadual Professor Botelho Reis foi tombado em 1.996 pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha). Toda a obra, desde o projeto até a execução, teve o acompanhamento e supervisão do órgão.

A imponente construção, fundada em 03 de junho de 1906, foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA) no ano de 1996. Um dos célebres personagens da história brasileira que estudaram na escola foi o político mineiro Carlos Luz, que assumiu a presidência interina do Brasil no ano de 1955.

Música

Além da oportunidade de estudarem em uma escola tradicional, os alunos da Escola Estadual Professor Botelho Reis, também têm contato com a música. No mesmo prédio em que funciona a escola, são realizadas as atividades do Conservatório Estadual de Música Lia Salgado, que faz o atendimento de mais de mais de 1.100 alunos.

“Devido à proximidade, muitos dos alunos de nossa escola fazem cursos no Conservatório. Os professores também procuram desenvolver atividades a partir da escola de música. Temos um professor de Geografia, por exemplo, que trabalha com os alunos temas da atualidade a partir de música e os alunos utilizam os instrumentos do Conservatório”, pontua a vice-diretora.

Outras inaugurações

No fim de semana, o Norte do estado também será contemplado com duas inaugurações. Uma delas será a entrega do novo prédio da Escola Estadual Monte Rei, no município de Juvenília, com investimento do Governo de Minas de R$ 2,83 milhões. Outra escola que ganhou prédio novo é a Escola Estadual Manoel Alves de Almeida, em Varzelândia, com um investimento estadual de R$ 3,56 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-professor-botelho-em-leopoldina-completa-106-anos-com-estrutura-totalmente-renovada/

Gestão da Educação: escolas iniciam aulas do Aprofundamento de Estudos

Secretaria de Estado de Educação já autorizou 270 escolas da rede estadual a iniciarem as aulas do Aprofundamento de Estudos

A Secretaria de Estado de Educação desenvolveu o programa Aprofundamento de Estudos, voltado para os alunos do ensino médio da rede estadual. O programa tem como objetivo incentivar o hábito de estudo em tempo integral e assim melhorar o desempenho dos alunos em sala de aula e em atividades externas. A SEE já autorizou 270 escolas a iniciarem as aulas do Aprofundamento de Estudos.

A Escola Estadual Deputado Simão da Cunha, em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte, está entre as escolas que já receberam autorização da SEE para iniciar as aulas do programa. Esse é o segundo ano que a escola participa do projeto, lá as aulas do programa são ministradas três vezes por semana. “Este ano, para formar as turmas fizemos um mutirão e levamos os alunos para tirar o CPF, que é documento necessário para a inscrição do estudante. Os alunos gostam muito das aulas do projeto e o resultado positivo pode ser comprovado com os bons resultados nos vestibulares. Os professores também fazem um trabalho maravilhoso”, afirma a diretora da escola, Marli Souza.

A estudante Débora Marçal de Souza vai para escola, em horários alternativos, aprimorar seus conhecimentos em Matemática, Língua Portuguesa, Física e Química. “Eu decidi fazer as aulas para aprender mais. Tem coisas que estão sendo ensinadas no Aprofundamento que eu já tinha visto na aula, mas tinha esquecido. Além disso, as aulas podem me ajudar na hora do vestibular”, ressalta a estudante do 1º ano do ensino médio da Escola Estadual Deputado Simão da Cunha.

Na Escola Estadual Messias Pedreiro, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, as aulas também são oferecidas três vezes por semana. Além de Língua Portuguesa e Matemática também são ofertadas as disciplinas de Química, Física e Biologia. O professor de Biologia, Ulisses Pagliuso Júnior, conta como são as aulas. “Aqui na escola são seis turmas. O Aprofundamento se baseia mais em exercícios. Pegamos questões que já foram aplicadas em vestibulares, principalmente no concurso da Universidade Federal de Uberlândia, que é o foco dos nossos alunos. A partir dos exercícios ministramos os conteúdos”.

Escolas ainda podem se inscrever no Aprofundamento de Estudos

As inscrições para o Aprofundamento de Estudos continuam abertas. A inscrição de alunos, turmas e professores que irão atuar no Aprofundamento deverá ser feita pelo diretor da escola no link do site da Secretaria de Estado de Educação. Desde que foi aberto o período de inscrições, mais de 33 mil estudantes já foram inscritos.

Para efetivação do cadastro é necessário que as escolas tenham turmas de no mínimo 25 alunos e no máximo 30. Além disso, os professores interessados em ministrar as aulas do projeto deverão ter, entre outras coisas, experiência pedagógica no desenvolvimento de atividades inovadoras, além de disponibilidade para participar de cursos de capacitação que poderão ser ofertados pela SEE. As aulas do projeto serão ministradas no contraturno escolar do aluno. Porém, as escolas também poderão utilizar sextos horários para o desenvolvimento do projeto.

Em 2012, serão ofertadas 100 mil vagas aos alunos do ensino médio. Os conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática serão ofertados em todas as turmas. Além disso, poderão ser incorporadas mais três disciplinas de interesse dos alunos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escolas-iniciam-aulas-do-aprofundamento-de-estudos/