Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Governo de Minas lança livro com diagnóstico dos impactos de investimentos na microrregião do Alto Paraopeba

Plano prevê investimentos públicos de R$2,17 bilhões para que os municípios se preparem para receber grandes empresas até 2020.

Rafael Rebuiti / Sedru
Secretário Bilac Pinto destaca importância no planejamento para o crescimento das cidades do Alto Paraopeba
Secretário Bilac Pinto destaca importância no planejamento para o crescimento das cidades do Alto Paraopeba

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (Sedru), lançou, nesta quarta-feira (30), na Cidade Administrativa, o livro “Plano de Desenvolvimento Regional do Alto Paraopeba: Investimentos Estratégicos”.  A publicação traz a conclusão dos estudos do Plano Regional de Desenvolvimento Estratégico, elaborado pela Sedru, em parceria com o Ministério da Integração Nacional, da UFMG e do Consórcio Público de Desenvolvimento do Alto Paraopeba (Codap), para prever os possíveis riscos e estabelecer os impactos que os municípios sofrem com os vários empreendimentos instalados na região, principalmente nas áreas da mineração e siderurgia.

O plano do Alto Paraopeba traça estratégias para o melhor aproveitamento dos investimentos das empresas instaladas nos municípios nas áreas de saúde, educação, defesa social, formação profissional, mobilidade, acessibilidade, habitação, comunicações, saneamento, assistência social, justiça, cultura, comércio e lazer.

De acordo com dados do plano, a região receberá, até o ano de 2020, investimentos privados da ordem de R$12 bilhões, com a criação de dez mil empregos diretos e vinte mil indiretos. O estudo prevê ainda que a população da região aumente, nos próximos anos, em 148 mil habitantes chegando ao número de 375 mil moradores, o que representa um crescimento populacional de 66%. Ainda de acordo com os resultados da pesquisa, o Produto Interno Bruto (PIB) per capta passaria de R$14.238, em 2010 para R$16.086, em 2020.

A partir deste crescimento econômico e populacional em decorrência da chegada dos investimentos de empresas multinacionais, como a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Vale, Gerdau-Açominas, Vallourec Sumitomo (VSB) e Ferrous do Brasil, o plano do Alto Paraopeba estabelece uma carteira de investimentos públicos através de um portfólio de projetos da ordem de R$2,17 bilhões em obras de infraestrutura na área do transporte, educação, saúde, habitação popular, saneamento básico e meio ambiente.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto, o plano do Alto Paraopeba é um exemplo de planejamento regional feito em Minas Gerais para todo o país. “Por ser uma região que nos próximos anos vai receber grandes investimentos da iniciativa privada ela deve ser preparada e estruturada para que os municípios não sofram com o crescimento desordenado da população e, consequentemente, com prejuízos nos serviços essenciais para o cidadão. Desta forma, esse plano se torna um instrumento importante para que as cidades do Alto Paraopeba possam se desenvolver de forma ordenada e estratégica” destacou.

A vice-prefeita de Ouro Branco, Valéria de Melo, que na solenidade representou os municípios da região e o Consórcio Público de Desenvolvimento do Alto Paraopeba (Codap), destacou a união de todas as esferas do poder para a realização deste plano. “Quero destacar que a realização desse plano passou por um trabalho conjunto entre os gestores do Codap, da Sedru e do Ministério da Integração Nacional, mostrando a importância da união dos gestores de todas as esferas de poder. Agora necessitamos desta união para conseguir realizar as obras que o plano estabelece como prioridade” disse.

Seminário

O lançamento do Plano Regional Estratégico do Alto Paraopeba fez parte do “Seminário Desenvolvimento Regional: Conexões para Políticas Integradas” que teve o objetivo de abordar os temas relacionados ao planejamento e práticas para a promoção do desenvolvimento regional integrado, com o intuito de diminuir as disparidades existentes entre as regiões e avançar num projeto desenvolvimentista para o Estado de Minas Gerais.

A intenção do governo de Minas ao promover o evento é de construir um espaço de interação, visando à promoção do debate em torno do tema, reunindo os diversos atores envolvidos em práticas voltadas para o desenvolvimento regional.

De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, Sérgio Duarte, o Governo de Minas sai na frente ao promover incentivam a realização de políticas regionais. “Comprimento Minas pela iniciativa de realizar um evento onde o foco é o desenvolvimento regional, uma vez que temos no Brasil o desafio de diminuir a desigualdade regional. Com isso, pela primeira vez no Brasil, reconhecemos a importância de incentivar este tipo de política” afirmou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-lanca-livro-com-diagnostico-dos-impactos-de-investimentos-na-microrregiao-do-alto-paraopeba/

Gestão Anastasia: Governo de Minas lança publicação sobre investimentos estratégicos no Alto Paraopeba

Livro detalha o Plano de Desenvolvimento elaborado pela Sedru, em parceria com o Ministério da Integração Nacional e a UFMG

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional (Sedru) lança, nesta quarta-feira (30), no auditório do 9º andar do Edifício Minas, na Cidade Administrativa, o livro “Plano de Desenvolvimento Regional do Alto Paraopeba: Investimentos Estratégicos”. A obra traz a conclusão dos estudos do Plano Regional de Desenvolvimento Estratégico elaborado pelo Governo de Minas, por meio da Sedru, em parceria com o Ministério da Integração Nacional e o Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da UFMG. O lançamento da publicação faz parte da abertura do “Seminário Desenvolvimento Regional: Conexões para Políticas Integradas”.

O Plano do Alto Paraopeba foi criado com o objetivo de prever os possíveis riscos e estabelecer os impactos que os municípios sofrem com os vários empreendimentos instalados na região, principalmente nas áreas da mineração e siderurgia. Desta forma, o plano traça estratégias para o melhor aproveitamento dos investimentos das empresas instaladas nos municípios nas áreas de saúde, educação, defesa social, formação profissional, mobilidade, acessibilidade, habitação, comunicações, saneamento, assistência social, justiça, cultura, comércio e lazer. Com isso será possível amenizar o impacto ambiental e estrutural das cidades da região

Alto Paraopeba

O Alto Paraopeba é uma das regiões do Brasil que vai receber nos próximos anos os maiores investimentos privados do país, principalmente nas áreas de mineração e siderurgia. Estima-se que empresas, como a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Vale, Gerdau-Açominas, Vallourec Sumitomo (VSB) e Ferrous do Brasil, devam investir mais de R$ 20 bilhões na produção de 12 milhões de toneladas de aço e 130 milhões de toneladas de minério de ferro por ano na região, que contará com a maior mina de minério de ferro de Minas Gerais e a segunda maior do Brasil.

Serviço:

Evento: Lançamento da publicação Plano de Desenvolvimento Regional do Alto Paraopeba: Investimentos Estratégicos

Local: Auditório 9º andar do Edifício Minas – Cidade Administrativa

Horário: 10 horas

Data: 30/05/2012 (quarta-feira)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-lanca-publicacao-sobre-investimentos-estrategicos-no-alto-paraopeba/

Gestão Anastasia: governo elabora planos para reduzir riscos e efeitos de deslizamentos de terra em cidades mineiras

Os municípios de Barbacena, Juiz de Fora, Itabira e Poços de Caldas serão os primeiros a terem os planos elaborados

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) inicia a elaboração dos Planos Municipais de Redução de Risco (PMRR) dos municípios de Barbacena, Juiz de Fora, Itabira e Poços de Caldas. Os planos, que serão realizados em parceria com o governo Federal e os municípios, têm o objetivo de minimizar os riscos e os efeitos de deslizamentos de terra, durante o período de chuvas.

A elaboração desses planos faz parte da proposta de planejamento de gestão de risco feita, no ano passado, pelo Governo de Minas à União. A demanda mineira foi selecionada dentro do PAC 2 e contemplada com um recurso de R$ 440 mil. Os quatro municípios foram escolhidos por apresentarem histórico de problemas relacionados ao período chuvoso, tais como homologação de decretos de emergência, óbitos e estragos causados.

Para a superintendente de Gestão de Infraestrutura Urbana e Rural da Sedru, Rosiele Fraga, o PMRR constitui um efetivo instrumento de prevenção de desastres. “Com os planos, os municípios saberão as características das localidades que possuem alto risco de deslizamento de encostas, além de terem uma ferramenta que é pré-requisito para a captação de recursos junto ao Governo do Estado e União para a elaboração de projetos e execução de obras”, destacou.

O plano representa um grande avanço no que diz respeito à agilidade dos processos para elaboração de anteprojetos ou de projetos básicos para as intervenções de estabilização e estruturação das encostas. Esse instrumento irá apoiar a administração dos municípios e deverá ser base para o estabelecimento de compromissos entre os três níveis de governo – federal, estadual e municipal – na gestão de riscos. O plano possibilitará, assim, a implementação conjunta e articulada das ações prioritárias voltadas para a prevenção de riscos e redução gradativa do número de vítimas fatais nessas áreas.

Para este ano, a expectativa é que mais cidades sejam contempladas com os Planos de Redução de Risco, já que ações de planejamento estão incluídas na proposta apresentada pela Força Tarefa ao governo Federal.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: parceria entre Governo do Estado e União vai levar água para comunidades rurais

 

BELO HORIZONTE (17/01/12) – O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), assinou nesta terça-feira (17), no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-MG), convênios com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para realização de obras na área de saneamento em 28 cidades do Norte de Minas e dos vales do Jequitinhonha e Mucuri. As obras consistem na implantação de Sistema de Esgotamento Sanitário e de Abastecimento de Água em comunidades com menos de 200 habitantes que, nos últimos anos, sofreram com a falta d’água e de condições sanitárias.

A assinatura desses convênios é resultado de uma parceria entre a Sedru, Copasa e Funasa, que visa assegurar o abastecimento de comunidades, em sua maioria de zonas rurais, com água tratada e acesso a rede de esgoto. Dos 28 convênios assinados, 12 são para a implementação de sistemas de abastecimento de água e 16 são para a construção de sistemas de esgotamento sanitário. Para a realização dessas obras serão investidos R$ 15,8 milhões, sendo R$ 12,7 milhões de recursos da União e R$ 3,1 milhões de contrapartida do Governo de Minas.

“A implementação dos sistemas de saneamento nesses municípios tem o objetivo de melhorar as condições sanitárias e o acesso a água tratada de milhares de famílias, proporcionando a melhoria da qualidade de vida, o aumento dos índices sociais, além de devolver a dignidade para pessoas que não tem em casa água tratada para beber, cozinhar, dar banho nas crianças ou lavar roupa”, destacou o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto.

Resposta ao legislativo

Em setembro do ano passado, foi entregue ao secretário Bilac Pinto um relatório elaborado pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), por meio da Caravana do Jequitinhonha, que percorreu cidades no semiárido mineiro, identificando as localidades que mais necessitava de intervenções sanitárias.

Com esse diagnóstico em mãos, a Sedru, juntamente com a Copasa, elaborou uma proposta de ações pontuais nessas comunidades para acabar com os problemas de falta de água e melhora das condições sanitárias. Esta proposta foi apresentada à Funasa, que aprovou a execução de obras em 28 cidades da região.

“Quero destacar a importância da parceria entre o governo federal, Governo de Minas e Poder Legislativo. Foi graças a essa combinação de força política que hoje celebramos a ajuda aos municípios que sofrem com a seca no Estado de Minas Gerais. Uma demanda que surgiu por intermédio de uma caravana da Assembleia na região e que foi passada para o governador Antonio Anastasia, que determinou à Sedru o atendimento a esses municípios detectados. Assim, procuramos a Funasa que, prontamente, atendeu nossa demanda, por meio do presidente Gilson Queiroz”, disse Bilac Pinto.

Municípios atendidos

As cidades que vão receber obras de abastecimento de água são: Araçuaí, Berilo, Catuji, Francisco Badaró, Itaipé, Jenipapo de Minas, Luislândia, Mirabela, Novo Cruzeiro, Ponto dos Volantes e Virgem da Lapa.

Já as obras de esgotamento sanitário serão realizadas nas cidades de: Águas Formosas, Ataléia, Capelinha, Carlos Chagas, Catuji, Chapada do Norte, Delfinópolis, Diamantina, Felisburgo, Frei Gaspar, Grão Mogol, Itambacuri, Ladainha, Minas Novas, Pescador e São Roque de Minas.

Fonte: Agência Minas