Arquivos do Blog

Governo de Minas: experiências mineiras em educação são apresentadas em Brasília

Seminário Nacional do Ensino Médio conta com a participação de representantes da Secretaria de Estado de Educação e de quatro escolas da rede estadual de ensino de Minas Gerais.

Representantes da Secretaria de Estado da Educação (SEE) e de quatro escolas da rede estadual de ensino participam até esta quinta-feira (28) do ‘Seminário Nacional do Ensino Médio’, em Brasília. O evento é  organizado pelo Ministério da Educação e reúne escolas de vários estados brasileiros. Além de apresentar as iniciativas que desenvolvem, os educadores e alunos terão a oportunidade de participar de oficinas e debates sobre o tema.

A Escola Estadual da Vila Boa Vista, no município de Arcos, no Centro-Oeste do Estado, apresenta no seminário um projeto que envolveu toda comunidade escolar. “A iniciativa envolveu o estudo das riquezas da nossa cidade. Através do Grupo de Desenvolvimento Profissional (GDP) fizemos um projeto de educação patrimonial, onde os alunos fizeram pesquisa de campo por meio de visita às empresas da cidade e conscientizaram a comunidade sobre a preservação ambiental. Também fizemos oficinas e uma revista sobre a cidade”, ressalta a diretora Ivone Alves Rodrigues.

A diretora da Escola Estadual Francisca Pereira Rodrigues, em Piraúba, na Zona da Mata, Andressa Maria Retondaro Demolinàre Neiva, que também participará do evento, espera conhecer novas experiências para implantar em sua escola. “Espero ver ótimas ideias para desenvolver novos projetos na escola e trazer para os nossos alunos mais ânimo”, diz. A escola foi escolhida para participar do seminário graças aos resultados conquistados em competições que envolvem a Matemática.

Segundo a superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da SEE, Audrey Regina Oliveira, o seminário proporciona um intercâmbio entre as instituições. “O evento é uma troca de experiências no sentido de abrir os olhos do Brasil para a realidade do ensino médio em busca da construção de uma política que o revitalize, dando mais sentido principalmente para os alunos”.

Os diretores da Escola Estadual Paschoal Comanducci, em Belo Horizonte, e Escola Estadual Afonso Pena Jr, no município de São Tiago, na região Central, também levam para o seminário os projetos exitosos que desenvolvem.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/experiencias-mineiras-em-educacao-sao-apresentadas-em-brasilia/

Gestão da Educação: alunos de Campo Belo discutem como proteger o Meio Ambiente em ações do cotidiano

Estudantes refletem sobre como todos podem ajudar a proteger o planeta por meio de atitudes simples.

Divulgação / SEE
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.

De olho na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, a Escola Estadual Abílio de Neves, de Campo Belo, no Centro-Oeste de Minas, vem promovendo, neste mês de junho, ações de melhorias ambientais que estão mexendo com os alunos e a rotina da escola. Transformando garrafas pets em utensílios para o dia-a-dia, como brinquedos e acessórios, os estudantes trabalharam em cima de 32 ações simples que podem ajudar na preservação do meio ambiente. As atividades têm o apoio da Secretaria de Estado da Educação.

Lavar o carro com balde e um pano e não com mangueira; pintar a casa com cores claras,para permitir um maior reflexo da luz interna economizando assim energia; evitar banhos demorados e desperdício de comida; descartar pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes em locais adequados; dar carona para seus amigos,vizinhos e colegas. Esses são alguns dos pequenos gestos que se adotados por todos podem trazer um impacto positivo enorme para o planeta, lembrou a professora de Ciências Loíde Soares Barbosa. “São ações que reduzem a produção de lixo, a emissão de gases que contribuem para o efeito estufa, a contaminação dos solos e o desperdício de água potável”, reiterou.

Tendo em vista a consciência ambiental, a professora convidou os pupilos a repensarem suas ações diárias, como a destinação do lixo doméstico e do óleo de cozinha usado e uso da água, e o que podem fazer para melhorar de forma efetiva os maus hábitos. “

Os alunos também foram convidados a repensar a temática a partir de um seminário sobre o filme Animais Unidos Jamais Serão Vencidos, animação inspirada na fábula infantil “A Conferência dos Animais” do alemão Erich Kästner, escrita em 1949. O filme que conta a história de uma turma de animais que se desloca de diversas partes do mundo para fugir da devastação de seu habitat natural, instigou os estudantes a refletirem sobre de que forma nossas atitudes podem contribuir para a preservação e para destruição do meio ambiente, como a construção de uma enorme barragem para abastecer um resort.

No filme, que também traz alguns toques do clássico da literatura “A Revolução dos bichos”, do escritor George Well, um galo francês, um canguru australiano, um diabo da Tasmânia, uma fêmea de urso polar e um casal muito simpático de tartarugas idosas de Galápagos vão para a savana africana em busca de alimento, água e conforto para sobreviverem. “Animais Jamais serão Vencidos tem uma animação belíssima, que além de reproduzir paisagens que vão da savana africana ao Ártico, propicia aos jovens a reflexão de situações calamitosas, como o degelo das calotas polares. Tenho certeza que eles aprenderam muito”, concluiu a professora.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-de-campo-belo-discutem-como-proteger-o-meio-ambiente-em-acoes-do-cotidiano/

Gestão da Educação: Governo de Minas inaugura obras de melhorias em escolas de na região do Rio Doce

Escolas de Imbé de Minas e de Tarumirim receberam aproximadamente R$ 642 mil para ampliação e construção de espaços, como laboratórios e refeitórios, melhorias em quadras.

Mais duas escolas estaduais inauguraram novos espaços após investimentos do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado da Educação, na região do Rio Doce. Dessa vez, as duas instituições beneficiadas foram as escolas estaduais Manoel Joaquim Teodoro, de Imbé de Minas, e Professora Maria Teixeira da Fonseca, no município de Taramurim, ambos sobe responsabilidade da Superintendência Regional de Ensino de Caratinga. Aproximadamente R$ 643 mil foram investidos nas melhorias.

A Escola Estadual Manoel Joaquim Teodoro, que mantém turmas em cinco endereços, recebeu cerca de R$ 548 mil para a revitalização da escola sede. A quadra poliesportiva do colégio, usada para oferecer aulas de capoeira para os alunos da Educação em Tempo Integral, ganhou cobertura. Por conta desta mudança, o diretor da escola, Célio José Soares, já cogita a possibilidade de realizar um torneio intermunicipal de futebol no próximo semestre, que deverá receber aproximadamente 400 pessoas.

Quatro salas de aulas também foram construídas, além de um novo laboratório de informática. As obras incluem também uma nova sala de supervisão e um novo refeitório. Outras oito salas foram reformadas, além da cozinha, sala de diretoria e sala de professores.

Tarumirim

Já no município de Taramurim, a Escola Estadual Maria Teixeira da Fonseca recebeu investimentos de aproximadamente de R$ 97 mil para a construção de mais duas salas de aulas, de 40m² cada, com capacidade para atender mais 80 alunos. Segundo o vice-diretor Pedro Reis da Cruz, essa ampliação foi de suma importância já que a escola tem uma demanda itinerante. “Hoje atendemos 730 alunos, e é comum recebermos muitos estudantes oriundos da rede municipal para os primeiros anos finais do fundamental e para o Ensino Médio”, explicou o vice-diretor.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-inaugura-obras-de-melhorias-em-escolas-de-na-regiao-do-rio-doce/

Governo de Minas: Secretaria de Educação recebe mais de 29 mil inscrições para Exames do Supletivo do primeiro semestre de 2012

Candidatos devem ficar atentos ao calendário de provas e a data para emissão de comprovante definitivo de inscrição

Mais de 29 mil jovens e adultos se inscreveram para os Exames do Supletivo do primeiro semestre de 2012. A partir de agora, os candidatos a um certificado de conclusão dos ensinos fundamental ou médio devem ficar atentos ao calendário das provas.

As avaliações serão realizadas entre os dias 14 e 15 de julho, de 8h às 12h e de 14h às 17h. O comprovante definitivo de inscrição, contendo o local e o horário da prova poderá ser emitido, a partir do dia 4 de julho, no site do exame.

Os candidatos do ensino fundamental farão, no dia 14 de julho pela manhã, provas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Redação. À tarde, a avaliação será de Ciências. No dia 15 de julho, os candidatos passarão por provas de Matemática pela manhã e de Geografia e História à tarde.

Já os candidatos do ensino médio farão, no dia 14 de julho, avaliação de Matemática pela manhã, e, a tarde, os testes serão de História, Geografia, Sociologia e Filosofia. As provas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Artes e Educação Física serão realizadas pela manhã, no dia 15, e de Química, Física e Biologia, no período da tarde.

As provas de múltipla do ensino fundamental conterão 30 questões. Já as avaliações do ensino médio terão 44 questões. O programa de estudos para cada disciplina também está disponível na página do supletivo.

Divulgação dos Gabaritos

Os gabaritos oficiais serão divulgados no dia seguinte à realização do exame pelo site do supletivo. Serão considerados aprovados os candidatos que obtiverem um mínimo de 50% dos pontos em cada área de conhecimento. O resultado oficial dos Exames Supletivos será divulgado a partir do dia 24 de agosto, nos sites do supletivo e da Secretaria de Estado da Educação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-educacao-recebe-mais-de-29-mil-inscricoes-para-exames-do-supletivo-do-primeiro-semestre-de-2012/

Gestão Anastasia: Governo de Minas vai implantar projeto Agente Cousteau nas escolas públicas

Na primeira etapa, serão 150 mil alunos beneficiados; meta é atender mais de quatro milhões de estudantes

O crescimento industrial, atrelado ao aumento desordenado da população e a escassez de recursos naturais, fortaleceu a discussão sobre ações voltadas para a preservação ambiental. Com esse compromisso, o Governo de Minas, por meio da Unesco-Hidroex, em parceria com a Sociedade Cousteau e a Secretaria de Estado da Educação (SEE), decidiu implantar em todas as escolas públicas estaduais, o projeto Agente Cousteau – Educação para as Águas. O objetivo é alertar, instruir e incutir senso de ética ambiental nos alunos do ensino fundamental da 1ª à 6ª série.

O programa terá início em agosto deste ano, nas escolas públicas dos municípios pertencentes à Superintendência Regional de Ensino de Uberaba (SRE), no Triângulo Mineiro, atendendo a 150 mil crianças. Até 2014, a proposta é abranger todas as escolas públicas do Estado. Ao todo, quatro milhões de alunos serão capacitados no que se refere à compreensão da interdependência dos seres vivos e a importância da água.

Além de um ambiente virtual de aprendizagem, o projeto terá o mascote Cousteau em histórias em quadrinhos, que vai ensinar às crianças a importância da água e como elas podem contribuir para a preservação e seu uso sustentável. Haverá também integração com os estudantes pelo site http://www.agentecousteau.org.br, onde eles podem se inscrever para ser um agente Cousteau, participar de atividades lúdicas e realizar pesquisas sobre a água.

Sociedade Costeau

A metodologia utilizada pelo Governo de Minas se baseia no projeto desenvolvido pela Sociedade Cousteau. Fundada em 1973, por Jacques Cousteau, a organização, sem fins lucrativos, dedica-se à proteção de ecossistemas aquáticos e à melhoria da qualidade de vida, tanto da geração presente, como das futuras. Entre os projetos desenvolvidos pela organização está o de educação para as águas, que conta com um arquivo riquíssimo de filmes, fotografias, marcas e objetos sobre a descoberta dos oceanos e a vida que eles sustentam.

Com a mesma filosofia da Sociedade Cousteau, o Governo de Minas acredita que apenas um público instruído pode tomar decisões coerentes e necessárias à proteção e gestão dos recursos hídricos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-vai-implantar-projeto-agente-cousteau-nas-escolas-publicas/

Gestão da Educação: alunos de escola do Centro-Oeste criam projetos de cidades sustentáveis

Dentro do estudo da Língua Portuguesa, estudantes imaginam como devem ser as construções daqui a duas ou três décadas

Divulgação / SEE
Alunos de Carmo do Cajuru aprendem como transformar as cidades por meio de construções sustentáveis
Alunos de Carmo do Cajuru aprendem como transformar as cidades por meio de construções sustentáveis

Eles não são arquitetos, nem engenheiros, pelo menos ainda, mas já projetam a urbanização do planeta para o futuro. Cerca de 140 alunos do 8º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Padre João Parreiras Vilaça, em Carmo do Cajuru, Centro-Oeste de Minas, participam do projeto “Designer Futurista: o impacto da ciência sobre a sociedade”. A ação, que tem o apoio da Secretaria de Estado da Educação, partiu da seguinte pergunta: como serão as cidades nos próximos 20, 30 anos?

O trabalho teve início com o estudo do gênero textual “ficção científica”, na disciplina Língua Portuguesa. Os estudantes realizaram leituras e pesquisas sobre como deverão ser pensadas as construções no futuro de modo que não prejudicassem o meio ambiente. “Após esse trabalho os nossos estudantes produziram textos nos quais destacavam como deveriam ser as construções dos prédios e casas no futuro. Essas obras deverão ser feitas sem prejuízo ao meio ambiente”, explica a professora Edna Matos.

Porém, o trabalho não parou nas ideias. Os estudantes também produziram maquetes nas quais apresentam propostas de construções de prédios e casas com um olhar na sustentabilidade. “O meu grupo desenvolveu uma maquete de como seria uma cidade sustentável. Pensamos que as construções deveriam utilizar tijolos ecológicos que são feitos de água, cimento e terra. Os prédios também deveriam ter mais vidros, pois isso facilita uma maior penetração da luz solar, fazendo com que as pessoas gastem menos energia elétrica”, detalha a estudante Laura Elisa Marra de Melo.

O grupo de Karollayne de Oliveira Vasconcelos, de 13 anos, mostrou que as mudanças também estarão no comportamento das pessoas. “Todo o lixo orgânico deverá ser transformado em adubo e distribuído às pessoas. As cidades vão contar com mais áreas de lazer, pois as pessoas vão trabalhar muito e, para não se estressarem, vão precisar sair mais”, adianta a estudante.

Para a confecção das maquetes a escola não poderia deixar o foco na sustentabilidade de lado. “Orientamos os nossos alunos que todos os materiais deveriam ser recicláveis. Então eles foram a fábricas de móveis, por exemplo, e recolheram chapas de madeira que não seriam utilizados. Os pais também colaboram com essa tarefa”, lembra a professora de Língua Portuguesa Ana Kátia Gonçalves Rabelo.

Lições aprendidas

Deixando a imaginação livre, mas sem tirar os pés da realidade, a educadora ainda destaca que o projeto é uma forma de pensar em um futuro ideal e começar a construí-lo desde já. “A gente vê nos noticiários que a natureza está se revoltando contra a gente. Precisamos mudar essa situação. Achei muito legal participar do projeto, porque com a correria do dia-a-dia, nós nem paramos para pensar em como ajudar o meio ambiente”, avalia Ana Kátia.

Com as maquetes produzidas pelos alunos do 8º ano do ensino fundamental, a escola vai organizar uma exposição. O trabalho poderá ser contemplado pelos demais alunos e familiares que passarem pelas dependências da escola.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-de-escola-do-centro-oeste-criam-projetos-de-cidades-sustentaveis/

Governo Anastasia: melhorias na alimentação escolar em Minas vão a debate em seminário

Seapa destaca que informação deve ser reforçada

A lei que estabelece o direito de todos os alunos matriculados na rede pública de ensino à alimentação irá a debate no segundo seminário regional para lançamento do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, do Governo de Minas. O evento será realizado nos dias 25 e 26 de abril, na cidade de Ipatinga, Vale do Rio Doce. A apresentação do tema será feita pelo superintendente de Agricultura Familiar (SAF) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), José Antônio Ribeiro.

Conforme explica o superintendente, a Lei nº 11.947 de 2009 determinou, em seu artigo 14, que no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) sejam utilizados na aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar. “A medida é obrigatória desde janeiro de 2010”, assinala. A lei é a base do programa estruturador, que tem a gestão compartilhada entre a Secretaria da Agricultura, Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, e Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CTSANS).

De acordo com Ribeiro, as medidas possibilitam o fortalecimento da atividade, gerando emprego e renda no campo, mas é fundamental que sejam amplamente difundidas principalmente entre as pessoas e instituições envolvidas nas ações da agricultura familiar.

Ele enfatiza que é necessário levar a informação sobre o programa a todos os segmentos que atuam na alimentação escolar. “Inclusive para esclarecer as pessoas envolvidas no preparo dos alimentos sobre as características do produto fornecido pela agricultura familiar”, explica o superintendente.

Outro desafio, segundo Ribeiro, é fazer alterações no cardápio básico das escolas para garantir um maior volume de produtos saudáveis. O fornecimento é garantido, pois o atendimento à rede escolar estadual (nível básico) depende do trabalho de 15 mil agricultores familiares, enquanto Minas Gerais conta com cerca de 720 mil em 440 mil propriedades.

Ribeiro ainda diz que está sendo estimulada a maior integração dos sistemas institucionais que participam do programa de abastecimento das escolas com produtos da agricultura familiar. Uma das propostas é a criação de comitês gestores para responder nos municípios pelas questões locais em relação ao programa.

Programação do seminário

A primeira palestra do seminário de Ipatinga, no dia 25, será “Binômio Educação e Nutrição: Direito Humano à Alimentação Saudável, Adequada e Solidária”, pelo presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Dom Mauro Morelli. Em seguida, a secretária-executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, Jaqueline Junqueira abordará o “Programa Cultivar, Nutrir e Educar”.

Já no dia 26, a primeira palestra será de José Antônio Ribeiro (SAF), Desafios da Execução da Lei 11.947 de 2009. Em seguida, haverá apresentação sobre “Estratégias do Programa Estruturador Cultivar, Nutrir e Educar, por Jaqueline Miriam Maciel Junqueira, gerente do programa. O “Processo da Alimentação” será analisado pela gerente de Processo da Secretaria Estadual de Educação (SEE), Valéria Monteiro.

Depois, Ignes Botelho Figueiredo Matias, da SAF, vai falar sobre o projeto Fortalecimento da Agricultura Familiar para o Abastecimento Alimentar, do qual é gerente. Haverá ainda uma apresentação sobre Estratégias Nutricionais de Promoção à Saúde, por Marcelo Mascarenhas Corrêa, gerente de projeto da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Trabalho em parceria

O seminário de Ipatinga terá a participação também de representantes dos municípios de Belo Oriente, Bom Jesus do Galho, Caratinga, Iapu, Inhapim, Ipaba, Mesquita, Periquito e Tarumirim. É o segundo dos quatro encontros que serão promovidos no Estado. O primeiro foi realizado nos dias 11 e 12 de abril, em Taiobeiras, município do Norte de Minas. Os próximos serão em Viçosa, na Zona da Mata (9 e 10 de maio), e em Capelinha, Vale do Jequitinhonha  (30 e 31 de maio).

A série de eventos está sendo executada pela Secretaria-Geral da Governadoria por meio da Secretaria Executiva do Comitê Temático de Segurança Alimentar e Nutricional (CTSANS); Secretaria de Estado da Educação (SEE), por meio da Subsecretaria de Administração do Sistema Educacional; Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde; e Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento por meio da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/melhorias-na-alimentacao-escolar-em-minas-vao-a-debate-em-seminario/