Arquivos do Blog

Gestão da Educação: Governador inaugura escola em São João del Rei

Anastasia falou da importância da educação para o desenvolvimento do Estado e destacou parcerias realizadas com os municípios mineiros

Wellington Pedro/Imprensa MG
Governador inaugura escola em São João del Rei
Governador inaugura escola em São João del Rei

O governador Antonio Anastasia inaugurou oficialmente nesse sábado (30/06) em São João Del Rei, na região Central do Estado, as novas instalações da Escola Municipal Doutor Kléber Vasques Filgueiras. Foram investidos R$ 3,7 milhões, sendo R$ 1,7 milhão garantidos por meio de convênio com a Secretaria de Estado de Educação, para obra e compra de mobiliário e equipamentos escolares.

“A inauguração vale muito mais pelo que se ensina do que pela obra em si. A educação é, claro, uma prioridade. Inauguramos aqui esse prédio com muita alegria porque percebemos a qualidade do ensino que existe e sabemos que está sendo aprimorado com mais conforto e ainda mais qualidade para os alunos”, afirmou o governador.

O novo prédio conta com 15 salas de aula, uma sala para atendimento a estudantes que precisam de atenção especial, brinquedoteca, sala de informática com 16 computadores, biblioteca, refeitório e auditório, além de salas para secretaria, diretoria, supervisão, orientação e professores.

“É uma parceria que tem funcionado muito bem em Minas Gerais entre o Governo do Estado e os municípios. São 853 municípios, todos eles beneficiados pelo Governo de Minas. Em São João del Rei essa também é a regra. Ficamos muito felizes com esse trabalho”, disse Anastasia.

A escola atende crianças do ensino infantil (quatro e cinco anos) e do ensino fundamental (1º ao 5º ano), além de estudantes do Ensino de Jovens e Adultos (EJA), da 1ª à 8ª séries. Ao todo são 550 alunos assistidos e 88 profissionais que trabalham na escola.

O estudante Juvenal de Castro Teixeira, de 64 anos, aluno do Ensino de Jovens e Adultos na escola, leu uma poesia de sua autoria e agradeceu ao governador pelos investimentos em educação na cidade. “Nós, trabalhadores, poderemos agora, por meio do EJA, trabalhar de dia e estudar a noite. Eu não pretendo perder essa oportunidade. E digo a todos que têm a chance de estudar: aproveitem, porque vale a pena”, disse.

A Educação em Minas

Só no ano passado, o Governo de Minas investiu R$ 245 milhões em obras de infraestrutura nas escolas da rede estadual, sendo R$ 46 milhões para a construção de 28 novos prédios escolares. Já no Programa Escola em Rede foram investidos mais de R$ 51 milhões. A maior parte desse investimento foi para compra de equipamentos de informática para o setor administrativo das 3.777 escolas da rede estadual.

Para este ano a previsão é de investimentos de R$ 45 milhões, dos quais R$ 15 milhões serão investidos em tecnologia, sendo R$ 10 milhões em equipamentos para os laboratórios de 1.085 escolas. Em 2011, os investimentos em transporte escolar para os alunos que moram na Zona Rural de 828 municípios ultrapassaram os R$ 132 milhões.

Programas importantes desenvolvidos pela Secretaria de Educação têm garantido a melhoria contínua da educação pública no Estado. Lançado em março deste ano, o programa Minas presente na Escola tem o objetivo de ampliar o leque de atividades para os estudantes da rede pública estadual matriculados no ensino médio. O programa aumenta o tempo de permanência dos alunos na escola por meio da oferta de atividades culturais e esportivas no contraturno das aulas.

Com a 6ª edição – cuja seleção de 30 mil estudantes foi realizada em 2011 – o Programa de Ensino Profissional (PEP) ultrapassou a marca de 200 mil estudantes atendidos com investimentos de R$ 500 milhões. O Programa oferece 83 diferentes cursos em 11 áreas do conhecimento, ministrados em 165 instituições credenciadas prestadoras de serviços educacionais.

Em fevereiro deste ano, foi lançada a segunda fase do Programa de Intervenção Pedagógica (PIP), cujo objetivo é levar para os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) a experiência bem sucedida nos anos iniciais (1º ao 5º ano). Esse Programa elevou de 48,6% para 88,9% o percentual de alunos que sabem ler e escrever até os oito anos, tornando o Estado referência de ensino no País nesse nível de escolaridade.

Com o PIP II, mais 880 mil estudantes passam a contar com essa ferramenta para o desenvolvimento. O Programa conta com uma equipe de cerca de 500 especialistas nas disciplinas ensinadas nos anos finais do ensino fundamental que já está percorrendo as 2.821 escolas estaduais que oferecem esse nível de ensino. Eles acompanham as escolas, identificam as dificuldades e auxiliam os professores a elaborar projetos que visam melhorar a eficiência do ensino fundamental.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-inaugura-escola-em-sao-joao-del-rei/

Anúncios

Governador Antonio Anastasia lança a segunda fase do Programa de Intervenção Pedagógica

Iniciativa implantada pela Secretaria de Estado da Educação atenderá mais 1,34 milhão de estudantes do ensino fundamental da rede pública estadual
Omar Freire/Imprensa MG
O governador afirmou que busca levar às crianças e adolescentes mineiros o conhecimento
O governador afirmou que busca levar às crianças e adolescentes mineiros o conhecimento

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, acompanhado da secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, lançou, nesta quarta-feira (15), a segunda fase do Programa de Intervenção Pedagógica (PIP). O PIP II tem como objetivo levar para os quatro anos finais do ensino fundamental das escolas da rede pública estadual a experiência bem sucedida do PIP I, que faz o acompanhamento dos cinco anos iniciais (1º ao 5º ano) das escolas mineiras.

Com o PIP II, o número de estudantes mineiros beneficiados totalizará 1,347 milhão, somando-se aos 490 mil dos cinco anos iniciais (PIP I), 857 mil alunos dos anos finais do ensino fundamental. Os investimentos no programa ultrapassam R$ 83 milhões – R$ 50,5 milhões entre 2007 e 2011 e R$ 32,7 milhões, para as duas fases do programa, em 2012.

Anastasia afirmou que os recursos aplicados em educação estão bem empregados, uma vez que leva às crianças e adolescentes mineiros conhecimento, virtude fundamental para seu desenvolvimento intelectual e humano.

“Se no passado nós tivemos os bandeirantes que abriram os caminhos de Minas atrás das pedras preciosas e de uma riqueza pretensamente fácil, agora estamos em um caminho com certa semelhança, mas outro objetivo. Estamos procurando garimpar, estimular, burilar exatamente a riqueza do século XXI. Não mais as pedras preciosas, mas o conhecimento”, disse o governador.

As ações e atividades desenvolvidas pelo PIP I trouxeram resultados expressivos e significativos nesse nível de escolaridade, tornando o Estado referência no país. As iniciativas contribuíram, por exemplo, para que a rede estadual de Minas conquistasse o primeiro lugar no ranking dos estados brasileiros, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Ministério da Educação (MEC), nos indicadores dos anos iniciais do ensino fundamental.

Para a secretária Ana Lúcia Gazzola, os índices positivos da educação em Minas Gerais resultam de uma política pública que privilegia o planejamento. “Nós, educadores, sabemos que não existem fórmulas mágicas. Existe um trabalho cotidiano, bem planejado, com boa gestão, com compromisso e adesão de todos, com investimentos específicos, com metodologia clara. Esse programa é um dos melhores símbolos desse entendimento de que a educação pública em Minas é uma política de Estado, não apenas de Governo, com instrumentos adequados sendo implementados e expandidos”, afirmou a secretária.

O governador Anastasia destacou ainda, em seu pronunciamento, a importância da qualificação da população para que Minas Gerais atraia investimentos de empresas que ajudem a diversificar o cenário econômico do Estado.

“Hoje, Minas Gerais é o Estado que mais recebe investimentos em diversas áreas, especialmente na chamada nova economia, que significa investimentos expressivos em tecnologia e na indústria da informação. Para continuarmos nesse patamar, já temos universidades extraordinárias, mas precisamos ter mão de obra qualificada, capital humano diferenciado. Para isso só uma condição é exigida, é imposta: educação, educação de qualidade”, explicou o governador.

Organização das equipes

No segundo semestre de 2011, a Secretaria de Educação (SEE) iniciou o processo de organização das equipes que passam a trabalhar no PIP II.  Os profissionais da SEE realizaram a capacitação dos especialistas selecionados e começaram visitas às 2.826 escolas estaduais que oferecem os anos finais do ensino fundamental para que possam ser feitos o mapeamento e o diagnóstico de cada uma.

Para realizar as várias ações e atividades previstas na segunda fase, o PIP conta com uma equipe de 47 profissionais, que atuam na sede da SEE, em Belo Horizonte, além de 480 especialistas, distribuídos por todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Na equipe do PIP II, há especialistas nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Geografia, Arte, Inglês e Educação Física. Os professores especialistas são orientados a trabalhar em dupla no acompanhamento das escolas. Esses profissionais fazem visitas periódicas às instituições de ensino e monitoram o trabalho desenvolvido na área pedagógica. Estão a cargo deles também a identificação e o acompanhamento das dificuldades apontadas pelas escolas, bem como o auxílio aos professores na elaboração de projetos que visem melhorar a eficiência do ensino.

Capacitações

Uma das estratégias do PIP, gerenciado pela professora Maria das Graças Pedrosa Bittencourt, é o uso de capacitações dos educadores para aperfeiçoar o trabalho em sala de aula, com os servidores capacitados se tornando multiplicadores de conteúdo. As capacitações acontecem tanto de forma centralizada, quanto nas próprias SREs.

Quando os especialistas verificam que em uma determinada Superintendência os professores têm necessidade de discutir e aprimorar algum conteúdo específico, eles podem realizar uma capacitação para suprir essa demanda. Desde 2008, houve mais de 370 mil capacitações de educadores do PIP I, sendo que um mesmo profissional pode participar de mais de uma capacitação.

Em 2011, o PIP II realizou sua primeira capacitação em Belo Horizonte, reunindo profissionais das equipes regionais, além de todos os profissionais da equipe central. A partir deste ano, esses especialistas farão o repasse dessas capacitações aos professores, nas SREs.

Fonte: Agência Minas

Governo Anastasia: lançado edital para contratação de obras da primeira barragem do Projeto Jequitaí

 

BELO HORIZONTE (23/11/11) – Já está disponível no site da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) o edital de licitação para execução das obras civis de construção da primeira barragem de aproveitamento múltiplo do Projeto Jequitaí 1, que será implantado no Norte de Minas. O edital, que também poderá ser acessado no portal de compras do governo federal (www.comprasnet.gov.br), foi publicado na edição do dia 16 de novembro, do Diário Oficial da União. As propostas das empresas interessadas em participar da concorrência deverão ser entregues até 15 horas do dia 20 de dezembro, na sede da Codevasf, em Brasília.

Com investimentos previstos da ordem de R$ 1,3 bilhão a serem aplicados num prazo de 12 anos, os governos federal e estadual estão trabalhando na implantação do projeto, que viabilizará a incorporação de cerca de 30 mil hectares de lavouras irrigadas na região do semiárido mineiro, contemplando 19 cidades sediadas no entorno do município de Jequitaí.  Quando concluído, a previsão é de que o projeto gere 105 mil empregos, sendo 35 mil diretos e 70 postos de trabalho indiretos.

Por meio da construção de duas barragens, o Vale do Jequitaí, localizado entre as serras do Espinhaço e do Onça, numa região onde predomina a agricultura de sequeiro, passará a acumular 800 milhões de metros cúbicos de água. A iniciativa atenderá a uma reivindicação histórica, de mais de 50 anos. O projeto é considerado fundamental para alavancar a economia da região, que possui um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado.

Além da produção de alimentos, as duas barragens previstas no projeto garantirão o abastecimento da população residente em 19 municípios atendidos pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa); contribuirá na contenção de cheias nos períodos chuvosos e na perenização do Rio Verde Grande, um dos principais afluentes do Rio São Francisco em Minas Gerais.

O primeiro passo para a concretização da obra foi dado a partir da assinatura, em maio deste ano, de um memorando de entendimento que formalizou a intenção dos governos estadual e federal na viabilização do empreendimento. Compõem a parceria o Ministério da Integração Nacional, por meio da Codevasf, o Governo de Minas, por intermédio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa); Secretaria de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas (Sedvan); Fundação Rural Mineira (Ruralminas) e a Internacional Finance Corporation (IFC), subsidiária do Banco Mundial.

Benefícios

O Projeto Jequitaí prevê a construção de dois barramentos visando à regularização da vazão do Rio Jequitaí (de 3 para 30 metros cúbicos por segundo), permitindo o controle de cheias e evitando-se a inundação de áreas propícias à agricultura, localizadas a jusante do empreendimento.

Outro objetivo do projeto é a formação de um reservatório de água para garantir segurança de abastecimento à população residente em 19 municípios; a geração de 20 megawats de energia e o incremento da produção agrícola, compreendendo aproximadamente 30 mil hectares.

A área de influência direta do Projeto Jequitaí envolve 12 municípios mineiros, totalizando uma população superior a 587,2 mil pessoas. São eles: Claro dos Poções, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Jequitaí, Lagoa dos Patos, Várzea da Palma, Pirapora, Buritizeiro, Coração de Jesus, Joaquim Felício, Bocaiúva e Montes Claros.