Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: empresas investem R$ 77,68 milhões na expansão de suas unidades em Minas Gerais

Investimentos serão nos ramos de alimentos, medicina veterinária e de peças eletrônicas para indústria automobilística.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, assinou, nesta quarta-feira (27), protocolo de intenções entre o Governo de Minas e a Inova Biotecnologia Saúde Animal Ltda., para a ampliação da sua unidade industrial em Juatuba, região Central do Estado. O protocolo no valor de R$ 60,68 milhões prevê investimentos totais de R$ 111 milhões, que possibilitarão a produção de 120 milhões de doses de vacina contra a febre aftosa até 2013 e a geração de 60 empregos diretos e indiretos.

Criada pela união da Eurofarma Pearson Saúde Animal e a Hertape Calier Saúde Animal, a Inova produz vacina contra febre aftosa para pecuária brasileira e latino-americana. Tem como objetivo imunizar principalmente bovinos, zebuínos e bubolinos. Apesar de constituída em 2006, entrou em efetiva operação somente em 2010, iniciando a comercialização de vacinas a partir do segundo semestre e consolidando sua participação de mercado a partir de 2011.

O diretor presidente da Inova, Hugo Gerardo Zanocchi Garcia, lembrou que a inovação e a tecnologia são o foco da empresa. “Por isso, estamos trabalhando na criação de um centro de biotecnologia, inclusive estamos investindo na qualificação dos nossos profissionais. A vacina animal é apenas a primeira etapa da nossa produção, queremos fabricar também biofármacos”, acrescentou.

A secretária de Desenvolvimento Econômico informou que além do apoio ao investimento, a estrutura do Governo de Minas está preparada para incentivar a implantação de novas tecnologias. “Através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), o Estado oferece não só apoio tecnológico, mas também a orientação necessária para o empreendimento. A área de biotecnologia é muito importante para Minas Gerais neste momento, pois o nosso grande desafio é consolidar a chamada nova economia e deixar de ser um Estado lembrado apenas pelo minério e outras commodities”, destacou.

Dorothea Werneck salientou ainda que cada novo protocolo de intenção assinado com o Governo de Minas é muito importante, principalmente, neste momento difícil que a economia mundial está vivendo. Destacou também que apenas nos cinco primeiros meses deste ano foram assinados 71 protocolos de intenções nos mais diversos setores, totalizando investimentos de R$ 5,7 bilhões e a geração de mais de 31 mil empregos diretos e indiretos.

Tecman

Também assinou protocolo de intenções, a Tecman Comércio e Indústria Mecatrônica Ltda. que está investindo R$ 7 milhões para expansão de sua unidade industrial em Pouso Alegre, no Sul de Minas. A empresa produz peças e componentes de eletrônica embarcada para o fornecimento à indústria automobilística nacional.

Com a geração de 180 novos empregos diretos e 55 indiretos, a Tecman está em busca de novos mercados. “Sabemos que com a entrada dos carros chineses no mercado brasileiro e a necessidade de nacionalizar 75% dos veículos no Brasil, novas portas estão se abrindo para a indústria automobilística brasileira”, explicou o diretor comercial da Tecman, Murilo Noronha.

Com a expansão, a capacidade de produção atingirá as 60 mil unidades por ano de bombas de injeção eletrônica e de tacógrafos para monitorar a velocidade de ônibus e caminhões. O projeto, que tem término previsto para 2014, irá criar 180 empregos diretos e 55 empregos indiretos.

Pif Paf

Com investimento de R$ 10 milhões e com a geração de 351 novos postos de trabalhos diretos, a Pif Paf Alimentos (Rio Branco Alimentos S.A), também assinou protocolo de intenção com o Governo de Minas. Seu objetivo é a expansão da unidade industrial, localizada em Leopoldina, Zona da Mata, para produção e comercialização de pizza, lasanha e batata pré-frita congelada.

O projeto tem previsão de ser concluído em dezembro de 2015, quando deverá aumentar em 50% sua produção, atingindo a capacidade de dois mil quilos por hora de fabricação de pizza e lasanha, 1.500 quilos de pão de queijo.

O presidente da Pif Paf, Avelino Costa, ressaltou o apoio do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI) e agradeceu a parceria “não são todos os estados que oferecem esta parceria. Além de aumentar em 50% a produção de pizza, nosso objetivo é atingir as 500 toneladas/mês de batata e distribuir salmão e bacalhau e gerar um total de mil empregos em Leopoldina”, destacou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/empresas-investem-r-7768-milhoes-na-expansao-de-suas-unidades-em-minas-gerais/

Gestão Eficiente: Governo de Minas Gerais e iniciativa privada discutem parcerias para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura

Entre os destaques da Cúpula Brasileira Sub-Soberana, o Programa de PPP do Estado de Minas Gerais

Leonardo Horta/SEDE
A primeira cúpula discutiu formas de aplicação do capital dos setores públicos e privados em projetos de infraestrutura
A primeira cúpula discutiu formas de aplicação do capital dos setores públicos e privados em projetos de infraestrutura

Com uma carteira de investimentos contratados de R$ 10 bilhões até 2015 em projetos de Parcerias Público Privada (PPP), Minas Gerais é o Estado brasileiro com o maior número de PPPs contratadas em todo o país. Por esse motivo, o Estado foi o escolhido para sediar a Primeira Cúpula Brasileira de Finança e Infraestrutura Sub-soberana, encerrado nesta quarta-feira (13), em Belo Horizonte.

O evento, realizado em parceria entre o Governo de Minas e o Fundo Multilateral de Investimentos (Fumin), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), teve também a participação da revista LatinFinance. A primeira cúpula foi realizada com o objetivo de discutir formas de aplicação do capital dos setores públicos e privados em projetos de infraestrutura, tanto nos estados quanto nos municípios brasileiros. As Parcerias Público Privadas (PPP) ganharam destaque nas discussões, por apresentar estruturas inovadoras de projeto e de financiamento, que podem ser utilizadas para aprofundar o desenvolvimento da infraestrutura brasileira.

Durante a cúpula, o coordenador da Unidade de PPP do Governo de Minas, órgão subordinado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDE), Marcos Siqueira, lembrou que o Governo de Minas Gerais foi pioneiro no país na implantação de PPPs, devido à capacidade de estabelecer parceria com a iniciativa privada, no sentido de atrair novos e diversificados investimentos para o Estado e ainda se mantém na liderança.

“Esta liderança pode ser atribuída ao ambiente institucional que mantém um relacionamento entre os diversos órgãos do governo e também pela geração de conhecimento técnico e desenvolvimento do conhecimento, por meio da qualificação profissional que está formando um núcleo de inteligência estadual”, salientou o coordenador.

O subsecretário de Investimentos Estratégicos da SEDE, Luiz Antônio Athayde, que também participou do evento, apontou a necessidade de sustentabilidade do desenvolvimento. Durante sua apresentação, ele pediu uma agenda de consenso com o governo federal.

“Para o governo de Minas Gerais, o que importa é o desenvolvimento de todas as regiões mineiras. Por isso trabalhamos com projetos prioritários que possam transformar de fato a economia estadual, que criem empregos qualificados, além de um novo padrão de desenvolvimento. Mas, para isso não podemos prescindir do apoio do governo federal e de uma agenda clara”, destacou Luiz Antônio.

Projetos de PPP

Atualmente, dezoito projetos estão sendo desenvolvidos no Estado. Já foi concluída a PPP rodoviária (MG-050). A PPP do sistema prisional deverá ter sua primeira etapa concluída nos próximos meses e a do Mineirão está com o cronograma de obras dentro do prazo previsto.

Além disso, o Estado conta com três projetos em licitação e um em consulta pública, de infraestrutura viária da Cidade Administrativa (Via Metropolitana). A principal inovação deste projeto é a possibilidade de concessão rodoviária sem pedágio.

O projeto que é tratado com atenção especial. Trata-se da PPP do Tratamento de Resíduos Sólidos. “É um projeto transformador porque irá gerar desenvolvimento sócio-econômico. Irá oferecer flexibilidade tecnológica, ou seja, a escolha ou mudança de tecnologia está prevista e será usada de acordo com padrões de resultado. O importante durante sua execução será a redução do volume do lixo aterrado para redução do impacto ambiental e, por outro lado, os resíduos sólidos necessariamente deverão produzir receita. A meta do Governo de Minas é atingir 60% do lixo aqui gerado. O edital deste projeto deverá sair no próximo mês”, acrescentou Marcos Siqueira.

A Primeira Cúpula Brasileira de Finança e Infraestrutura Sub-soberana reuniu autoridades dos governos federal, estaduais, municipais, investidores, financiadores, patrocinadores de projetos, concessionárias e operadores, que discutiram, entre outros temas, o desenvolvimento de projetos, as prioridades dos governos nas esferas federal, estadual e municipal e o papel dos bancos de investimentos e do mercado de capitais nos projetos de infraestrutura.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-gerais-e-iniciativa-privada-discutem-parcerias-para-o-desenvolvimento-de-projetos-de-infraestrutura/

Gestão Eficiente: Minas Gerais será laboratório para pesquisa inédita na área do desenvolvimento sustentável

 

Santa Vitória, no Triângulo Mineiro, é foco de parceria entre as multinacionais Dow Chemical Company e a The Nature Conservancy (TNC)

Omar Freire / Imprensa MG
Antonio Anastasia cumprimenta vice-presidente da Dow, Neil Hawkins.
Antonio Anastasia cumprimenta vice-presidente da Dow, Neil Hawkins.

O governador Antonio Anastasia participou, nesta quarta-feira (13), no Palácio Tiradentes, da cerimônia de anúncio de parceria entre a Dow Chemical Company e a The Nature Conservancy (TNC), organização não governamental dedicada à conservação de recursos naturais, para um trabalho inédito em Santa Vitória, no Triângulo Mineiro.  A TNC mantém, em parceria com a japonesa Mtsui, o projeto de construção de uma planta integrada para produção de etanol e de plástico, que deverá entrar em operação em 2013, e receberá investimentos de R$ 2,4 bilhões, com a geração de 2,6 mil empregos diretos e indiretos. A cerimônia contou com a presença do presidente da Dow para América Latina, Pedro Emílio Sanchez.

A ideia da parceria é incorporar cada vez mais o valor da natureza e do meio ambiente ao mundo dos negócios. Outro destaque é que os resultados alcançados serão compartilhados publicamente, para que outras empresas, o setor público e outros grupos de interesse possam utilizá-los de forma bastante prática.

O detalhamento do projeto foi feito pelo diretor do Programa de Conservação da Floresta Atlântica e Savanas Centrais da TNC, João Campari, e pelo vice-presidente de Sustentabilidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança da Dow, Neil Hawkins.

O governador Anastasia afirmou que, pelo caráter inovador do projeto, Minas Gerais chamará a atenção da comunidade internacional, por aliar produção e sustentabilidade.

“Nós teremos os olhos do mundo voltados para Santa Vitória porque será uma experiência singular que será desenvolvida no Estado. Estamos entusiasmados com essa parceria da Dow com a TNC que se desdobrará em nosso território”, disse Anastasia.

Plástico Verde 

Uma usina integrada para produção de cana de açúcar, etanol e plástico, localizada em Santa Vitória, Triângulo Mineiro, em fase de implantação, vai se transformar em uma espécie de laboratório para que cientistas da Dow e da TNC pesquisem os impactos da produção na natureza e, ao mesmo tempo, mensurar como o meio ambiente pode ser usado para o incremento dos negócios de maneira sustentável. A TNC e a Dow usarão modelos científicos, mapas e imagens de satélite de alta resolução para analisar a biodiversidade e os serviços ambientais e aplicar estas ferramentas no planejamento estratégico da Dow. Serviços ambientais são, por exemplo, o controle da erosão feito pelas montanhas ou o sequestro de carbono e controle de enchentes feitos pelas florestas.

Segundo o diretor da TNC, João Campari, Santa Vitória foi escolhida por ser uma região que oferece as condições necessárias para desenvolver o projeto, com disponibilidade de terras agrícolas, aspectos agrícolas e ambientais, logística, boa infraestrutura e acesso à mão de obra qualificada.

Este é o segundo projeto desenvolvido entre as empresas e o primeiro em solo brasileiro. Do plano global de investimentos de US$ 10 milhões da Dow, em parceria com a TNC, ao longo de cinco anos, um terço será alocado em Santa Vitória. “Queremos uma natureza melhor do que está hoje, ao mesmo tempo que a empresa vai avançar na produção de cana e etanol para o polietileno (plástico)”, disse o vice-presidente da Dow, Neil Hawkins.

Modelo para o Brasil

Antonio Anastasia considera “revolucionária” a perspectiva de Minas Gerais produzir um tipo de plástico a base de cana de açúcar, evitando o uso de insumos não renováveis, como os derivados do petróleo.

“É praticamente uma nova alvorada na questão não só de sustentabilidade, mas também no crescimento de novos produtos para o mundo, porque, de fato, transformar a cana-de-açúcar não só naqueles produtos tradicionais que estamos acostumados, mas também servindo de base para uma verdadeira forma de plástico, em uma linguagem mais singela e objetiva, é algo revolucionário”, completou.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, lembrou que esse modelo de negócios coloca o Estado em destaque mundial, no momento que se realiza a Rio+20, a conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável. “Isso mostra como estamos incorporando a questão da sustentabilidade junto com desenvolvimento e produção, respeitando a comunidade local e o meio ambiente”, disse.

Trabalho de campo

O projeto desenvolvido entre a Dow e a TNC contribuirá para que Minas Gerais seja precursor em pesquisas de campo que levam em conta o valor e os benefícios proporcionados pela natureza nas decisões de negócios.

Exemplo: como florestas saudáveis e intactas podem, naturalmente, limpar a água e o ar, além de criar habitats para a fauna local; e como a água potável saudável garante os recursos necessários tanto para a Dow quanto para as comunidades do entorno.

Além disso, as organizações vão trabalhar em conjunto para avaliar as oportunidades de restauração florestal para toda a região, a fim de atender às exigências do Código Florestal Brasileiro e, ao mesmo tempo, maximizar os benefícios ambientais para a Dow, as comunidades e o meio ambiente.

Também participaram da solenidade os secretários Adriano Magalhães (Meio Ambiente), Narcio Rodrigues (Ciência e Tecnologia), Carlos Melles (Transportes e Obras Públicas), Gustavo Magalhães (Secretário-Geral do Governador), o prefeito de Santa Vitória, Antônio Celso Andrade Domingues.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-gerais-sera-laboratorio-para-pesquisa-inedita-na-area-do-desenvolvimento-sustentavel/

Gestão Anastasia: Governo de Minas firma acordo de cooperação técnica com instituição italiana

O objetivo do acordo é estimular investimentos diretos italianos no Estado

Para estimular o desenvolvimento de negócios entre o estado de Minas Gerais e as empresas italianas, o Governo de Minas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), firmou nesta quinta-feira (24) um acordo de cooperação técnica com a Società Italiana per Le Imprese all’Estero SpA (SIMEST). A instituição é uma sociedade limitada, controlada pelo Ministério de Desenvolvimento Econômico da Itália, criada para promover investimentos de empresas italianas no exterior e prestar todo o suporte técnico e financeiro a estes projetos.

O acordo é mais um desdobramento da missão empresarial liderada pelo governador Antonio Anastasia à Itália, que foi realizada em março deste ano. Pelos termos firmados, a SIMEST irá cooperar com o INDI com a oferta de linhas de crédito e serviços financeiros para empresas italianas ou joint ventures entre empresas italianas e brasileiras, a fim de apoiar investimentos em Minas Gerais.

“Os contatos com esta instituição foram iniciados quanto estivemos na Itália, há dois meses. Este acordo será fundamental para solucionar uma das grandes questões apresentadas em negociações com empresas, relativos à disponibilidade de linhas de crédito para o financiamento de projetos”, destacou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck.

Segundo o presidente do INDI, José Frederico Álvares, a parceria será mais um instrumento para garantir a atratividade do Estado. “Este acordo vai permitir que empresas italianas, tanto as já instaladas em Minas e que pretendem se expandir, quanto as que querem vir para o Estado, usem os serviços da instituição”, afirmou.

O termo de cooperação técnica foi assinado durante a programação da visita da Missão Italiana ao Brasil. A comitiva que visita a capital mineira integra a maior missão empresarial do ano ao País e é composta por mais de 40 empresários dos setores automotivo e mecânico. A programação da visita contou com a realização do seminário “As indústrias mecânica e automobilística: motores de desenvolvimento do Brasil”, seguido de rodada de negócios com empresários mineiros, no Hotel Ouro Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-firma-acordo-de-cooperacao-tecnica-com-instituicao-italiana/

Gestão Anastasia: Governo de Minas integra cadeia binacional do PET e quer fortalecer a economia solidária

Projeto prevê que garrafas pet sejam coletadas e transportadas em flakes com apoio direto do Estado

Gil Leonardi/Imprensa MG
Mauricio Alexandre Dziedricki, Paul Singer, Dorothea Werneck, Carlos Pimenta e secretário-adjunto Hélio Augusto Rabello
Mauricio Alexandre Dziedricki, Paul Singer, Dorothea Werneck, Carlos Pimenta e secretário-adjunto Hélio Augusto Rabello

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, abriu nesta segunda-feira (19), na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, a “Reunião da Cadeia Binacional do PET Brasil-Uruguai”. O evento, com a participação do secretário Nacional da Economia Solidária, economista Paul Singer; do secretário do Trabalho e Emprego de Minas Gerais, Carlos Pimenta; do secretário da Economia Solidária e Apoio a Micro e Pequena Empresa do Rio Grande do Sul (Sesampe), Mauricio Alexandre Dziedricki, teve o objetivo de discutir a inserção de Minas Gerais no Projeto da Cadeia Solidária Binacional do PET Brasil- Uruguai.

O projeto, que tem entre suas competências estimular a participação da sociedade civil e da administração pública estadual na definição de políticas de economia solidária, prevê que as garrafas pet sejam coletadas e transformadas em flakes com apoio direto do Governo de Minas. Após este trabalho, o material é enviado para a Cooperativa Industrial Maragata, em San José, no Uruguai. A organização uruguaia é a responsável por produzir fibras sintéticas a partir da matéria prima enviada pelas associações e cooperativas brasileiras.

Em Minas Gerais, a Cooperativa de Produção Têxtil (Coopertêxtil), de Pará de Minas, é responsável pelo processo de fiação e tecelagem, transformando a fibra sintética em tecido ecológico, que será comercializado como produto final. A cooperativa também dará continuidade à cadeia no Brasil, enviando o tecido para cooperativas de costureiras que o transformarão em peças customizadas, como camisetas, bolsas, produtos de cama e mesa e sapatos.

Estratégia

Durante a abertura da reunião, Dorothea Werneck destacou a importância do fortalecimento da economia solidária. Ela se comprometeu a ajudar a Coopertêxtil a buscar uma linha de crédito para que a cooperativa consiga construir sua sede em lote já doado pela prefeitura de Pará de Minas. “A economia solidária é uma estratégia de desenvolvimento que, além de incluir pessoas e distribuir renda, ainda trabalha a favor do meio ambiente”, enfatizou.

Já Paul Singer lembrou que o projeto tem um profundo conteúdo social na medida em que permitirá aos catadores e recicladores sair da pobreza. “A meta do governo federal é organizar os muito pobres, oferecer-lhes uma vida nova, criando um sistema que elimine a pobreza no país”, enfatizou.

Mauricio Alexandre Dziedricki afirmou durante a reunião que a cadeia do PET é um arranjo produtivo que vai efetivamente produzir, servir de modelo para outros setores e formar uma cadeia produtiva latino-americana. “Precisamos criar uma marca de identificação da cadeia solidária binacional do PET, que traduza o espírito de cooperação de uma nova sociedade que nós pretendemos construir, que consolide um plano internacional com a grife da economia solidária”, salientou.

Além da inserção de Minas Gerais no processo, a reunião teve o objetivo de explicar aos representantes do Governo mineiro o projeto e sua dinâmica, identificar o papel dos atores institucionais envolvidos e, principalmente, pensar ações estratégicas para estruturação da cadeia e consolidação do projeto no Brasil e no Uruguai.

Para o secretário de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, “a proposta só traz ganhos para os envolvidos, uma vez que além da preservação ambiental, com a melhor destinação das garrafas pet, ainda há a geração de renda para milhares de trabalhadores que estavam fora do mercado de trabalho. Queremos investir nesta parceria e ampliar a participação do Estado na rede, apoiando e fomentando as atividas nas diversas etapas de produção”.

A participação de Minas Gerais começou a ser definida no final do ano passado, em um encontro com a diretora do Departamento de Incentivo e Fomento à Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa do Governo do Rio Grande do Sul, Nelsa Fabian Nespolo. Como encaminhamento das reuniões foi enviado à Sede um convite oficial para integrar o projeto e para realizar um intercâmbio no Uruguai para debater as parcerias e o cooperativismo com o Governo Uruguaio e com a Federação das Cooperativas daquele país.

A Superintendência de Cooperativismo e Apoio ao Setor Terciário será o setor da Sede responsável pela participação no programa. O papel do Governo de Minas será, em princípio, apoiar institucionalmente a consolidação da cadeia binacional e articular parcerias estratégicas, buscando meios para fortalecer o elo da cadeia em Minas, representado pela Coopertêxtil.

Evento teve também a participação do subsecretário de Indústria, Comércio e Serviços da Sede, Marco Antonio Rodrigues da Cunha, do secretário adjunto da Sete, Hélio Augusto Rabelo, da diretora de Economia Solidária da Sesampe, Nelsa Fabian Nespolo, e da diretora do Departamento Nacional de Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Vera Lúcia de Oliveira. A reunião contou ainda com a participação de representantes da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol) e da Coopertêxtil e de técnicos da Sede e da Sete. Antes da reunião, os representantes do Governo do Rio Grande do Sul visitaram a Coopertêxtil em Pará de Minas.

A experiência pioneira vai possibilitar a retirada de cerca de um milhão de garrafas PET de circulação. O Ministério do Trabalho, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária, vai destinar recursos ao projeto, com contrapartida do governo gaúcho. Estes recursos permitirão a compra de máquinas que vão viabilizar a flocagem do PET, estágio inicial de processamento. Atualmente 9 bilhões de unidades de PET são descartadas na natureza anualmente.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-integra-cadeia-binacional-do-pet-e-quer-fortalecer-a-economia-solidaria/

Gestão em Minas: Antonio Anastasia intensifica relações comerciais com Nápoles

Governador assina acordo de parceria com a Região da Campânia e participa de encontro com empresários

O governador Antonio Anastasia apresentou para empresários da região italiana da Campânia, em Nápoles, nesta quinta-feira (8), os avanços e as potencialidades econômicas, tecnológicas e turísticas de Minas Gerais, com o propósito de atrair mais investimentos para o Estado. O encontro entre empresários mineiros e italianos foi realizado na Câmara de Comércio de Nápoles.

Anastasia fez um histórico das relações comerciais entre Minas Gerais e a Região de Campânia e mostrou aos italianos as vantagens de investir no Estado.

“Minas e Campânia têm uma grande identidade econômica e cultural. Minas Gerais responde por 10% do PIB brasileiro, temos agricultura muito avançada, setores de serviços extremamente desenvolvidos. Na indústria, somos o maior produtor mineral do Brasil, entretanto, precisamos agregar valor aos nossos produtos. Para isso, estamos buscando inovação e mais tecnologia. Temos muita potencialidade. É isso que queremos mostrar ao mundo, rompendo nossas fronteiras. Queremos fazer negócios e identificar novas parcerias”, disse o governador.

O presidente da Câmara de Comércio de Nápoles, Maurizio Maddaloni, e o vice, Ricardo de Falco, apresentaram as características econômicas da província e da Região de Campânia. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothéa Werneck, e o secretário de Turismo, Agostinho Patrus Filho, também fizeram apresentações sobre Minas. De acordo com Ricardo de Falco, o objetivo é intensificar as relações comerciais com Minas Gerais.

“Buscamos sempre a promoção do desenvolvimento local, a inovação e o estímulo à internacionalização. A performance das relações comerciais entre Minas e Itália é muito boa, mas vamos aumentar ainda mais nossas parcerias e os laços de cooperação entre nossas regiões”, destacou o vice-presidente da Câmara de Comércio de Nápoles.

Bons negócios

Representantes de empresas dos segmentos automotivo, de tecnologia, transporte, autopeças, tecnologia da informação, eletroeletrônico, serviços e metalmecânico participaram do evento de negócios com empresários de Campânia.

“Acredito que este é um novo momento para Minas e para a Itália. Será um mercado excelente, as perspectivas de futuros negócios são muito boas. Vamos trocar experiências com este estado co-irmão, o que poderá ajudar Minas a exportar mais e a vender mais”, disse o presidente da Câmara Ítalo-Brasileira, Giacomo Regaldo.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, OlavoMachado, firmar parcerias é o primeiro passo para levar mais investimentos para Minas. “Um negócio começa dessa forma. Estamos conhecendo novos empresários, novas oportunidades e novos produtos. Tudo na base da inovação, que poderá agregar valor aos produtos de Minas Gerais. Vejo nos italianos o desejo de conhecer e investir no Brasil. Vamos divulgar Minas Gerais e levar novos investimentos pra lá”, disse Olavo.

“Tenho certeza que estes entendimentos, que estão sendo feitos pelos empresários, através do Governo de Minas, da Câmara Italiana e da Fiemg, irão gerar bons frutos”, finalizou Antonio Anastasia.

Este foi o terceiro encontro entre empresários na Itália. Antes ocorreram em Turim e Roma. O próximo será nesta sexta-feira (9), em Salerno, também na Região de Campânia. A Missão Empresarial de Minas à Itália foi organizada pela Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura de Minas Gerais, com o apoio da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

Parcerias

Em seguida, o governador Antonio Anastasia assinou, na sede do Governo de Campânia, acordo de parceria com a Região. Ele foi recebido pelo presidente de Campânia, Stefano Caldoro; pelo conselheiro diplomático, Francesco Calogero; pela secretária de Cultura, Esporte e Juventude, Caterina Miraglia; e pelo secretário de Pesquisa e Inovação, Guido Lombetti.

“Ver o crescimento do PIB brasileiro e mineiro é um grande incentivo para nós. Com certeza este será o início de uma longa colaboração”, disse o presidente Stefano Caldoro ao governador.

Em maio, o Brasil e Minas Gerais receberão uma delegação com cerca de 300 empresários italianos, que pretendem concretizar negócios com empresas de Belo Horizonte, São Paulo, Curitiba e Recife.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: frutas e cachaça de Minas Gerais fazem sucesso em feira internacional

Fruit Logistica 2012 é a principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu

Divulgação/Central Exportaminas
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha

Produtores e exportadores mineiros estiveram em Berlim, na Alemanha, promovendo as frutas da região do Jaíba e cachaça de Minas Gerais, durante a Fruit Logistica 2012, principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu. A feira aconteceu entre 8 e 10 de fevereiro.

A Central Exportaminas coordenou, pelo terceiro ano consecutivo, a delegação mineira durante a feira. O estande mineiro, localizado no “Brazilian Fruit”, pavilhão oficial do Brasil organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), recebeu a visita de centenas de compradores internacionais, autoridades e imprensa especializada.

Dentre as autoridades presentes no estande de Minas Gerais estiveram as ministras da Agricultura de Portugal, Assunção Cristas, e da Alemanha, Ilse Aigner. Visitantes e autoridades puderam conhecer as frutas e a cachaça mineiras, além de degustarem a famosa caipirinha, feita na hora com a cachaça Pendão, produzida e engarrafada em Itatiaiuçu, a 70 km de Belo Horizonte.

Durante a feira, a Embaixada do Brasil em Berlim ofereceu uma recepção à delegação de Minas Gerais que, segundo a coordenadora especial de Comércio Exterior do Governo de Minas, Elisabete Serodio, “de grande valia para a aproximação entre o governo federal e os empresários mineiros”.

“Participaram da delegação mineira 32 empresários e produtores de frutas da região do Jaíba, alguns deles pela primeira vez e outros com o objetivo de conhecer novos mercados para seus produtos”, afirma o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, presente na feira. Também participaram da missão o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Elmiro Alves do Nascimento; a coordenadora Especial de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), Elisabete Serodio; o superintendente de Gestão dos Mercados Livres dos Produtores Rurais da Seapa, Lucas Scarascia; o diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto; a analista de comércio exterior da Exportaminas, Andressa Borges; os técnicos do Sebrae-MG Claudio Luiz Oliveira, Claudio Wagner de Castro, Jadilson Ferreira Borges e Raquel Brasil; o aluno do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Newton Paiva Wellington Corelli, além de produtores e empresas de grande, médio e pequeno porte do Norte de Minas, como Brasnica, Benassi, Grupo Borborema, Aslim e Abanorte, entre outros.

Missão Comercial

A promoção comercial de produtos de Minas Gerais continuará neste mês de fevereiro. Entre os dias 12 e 16, a Central Exportaminas participa da Missão Empresarial do Brasil ao Oriente Médio, Arábia Saudita e Emirados Árabes liderada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Câmara de Comércio Árabe Brasileira (CCAB) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O objetivo é contribuir para a ampliação do fluxo comercial, promovendo as exportações brasileiras e auxiliando as empresas no seu processo de internacionalização. Participarão da missão a coordenadora de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Elisabete Seródio; o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto; consultores de investimentos do BDMG e as empresas Café Fazenda Caeté (café individual preparado por imersão) e Maricota (massas e alimentos congelados), além da Associação dos Fruticultores do Norte de Minas – Abanorte e de representantes da CeasaMinas.

Gulf Food

Pelo terceiro ano consecutivo, a Central Exportaminas vai liderar missão de Minas Gerais à GulFood, maior feira de alimentos e bebidas do mundo árabe e principal porta de entrada para os mercados do Oriente Médio e Norte da África, que será realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, entre 19 e 22 de fevereiro. A Central Exportaminas coordenará o estande Minas Gerais no pavilhão oficial do Brasil, organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob a identidade visual BrazilianFruit. Participam da 17ª edição da feira empresas associadas à Associação dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), a TranscomexGG,  o Grupo Borborema, Ceasa Minas e Café Fazenda Caeté.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia recebe cônsul-geral do Japão

Governador de Minas confirma participação no Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado pela primeira vez em Belo Horizonte, de amanhã a domingo
Gil Leonardi/Imprensa MG
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia

O governador Antonio Anastasia recebeu em audiência, nesta quinta-feira (2), no Palácio Tiradentes, o cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, que estava acompanhado do vice-cônsul, Daisuke Hattori. Formado em Direito, na Universidade de Tóquio, Masaru Watanabe ocupa, desde 1980, importantes cargos na diplomacia japonesa, incluindo o de Ministro da Embaixada do Japão nas Filipinas, Argentina e Espanha. Em outubro do ano passado, Watanabe assumiu o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o governador Antonio Anastasia confirmou sua participação na cerimônia de encerramento do Painel Econômico Minas-Japão e posse do novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, o empresário Wilson Brumer. Os eventos integram a programação do Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado de sexta-feira (3) a domingo (5), no Expominas, em Belo Horizonte. É a primeira vez que a capital mineira recebe o festival, cujo objetivo é preservar, fomentar e divulgar a cultura japonesa para os mineiros, nipo-brasileiros e turistas.

O cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, ficou satisfeito com a visita. Na avaliação do diplomata, o governador de Minas Gerais, além de gentil, compreende a cultura japonesa e trabalha para desenvolver cada vez mais as relações culturais e econômicas com o país asiático.

“Expressei meu agradecimento pela cooperação do governador para a promoção das nossas relações bilaterais, pela sua participação em nosso seminário econômico e na cerimônia de nomeação do nosso novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, senhor Brumer, nesta sexta-feira (3). Falamos ainda de várias possibilidades de futuros projetos econômicos e outras possibilidades que temos na área de economia”, disse.

Relações comerciais

Faz parte da estratégia de ampliação do comércio exterior do Governo de Minas, a ampliação do comércio com o Japão. A Central Exportaminas, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, tem como objetivo promover o processo de internacionalização dos produtores, exportadores e dos serviços de Minas Gerais.

Em 2011, o Japão foi o segundo principal parceiro comercial de Minas, considerando o valor das exportações. E no ranking das importações feitas pelo Estado o Japão é o sexto país. Entre os estados brasileiros, Minas é o que mais exporta para o Japão e o quarto que mais importa. A corrente de comércio foi de US$ 3,75 bilhões, um aumento de 30,9% em relação a 2010. Em 2011, Minas Gerais exportou cerca de US$ 3,28 bilhões e importou US$ 474 milhões. O superávit comercial foi da ordem de US$ 2,8 bilhões.

Fonte: Agência Minas