Arquivos do Blog

Gestão da Educação: alunos de Campo Belo discutem como proteger o Meio Ambiente em ações do cotidiano

Estudantes refletem sobre como todos podem ajudar a proteger o planeta por meio de atitudes simples.

Divulgação / SEE
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.

De olho na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, a Escola Estadual Abílio de Neves, de Campo Belo, no Centro-Oeste de Minas, vem promovendo, neste mês de junho, ações de melhorias ambientais que estão mexendo com os alunos e a rotina da escola. Transformando garrafas pets em utensílios para o dia-a-dia, como brinquedos e acessórios, os estudantes trabalharam em cima de 32 ações simples que podem ajudar na preservação do meio ambiente. As atividades têm o apoio da Secretaria de Estado da Educação.

Lavar o carro com balde e um pano e não com mangueira; pintar a casa com cores claras,para permitir um maior reflexo da luz interna economizando assim energia; evitar banhos demorados e desperdício de comida; descartar pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes em locais adequados; dar carona para seus amigos,vizinhos e colegas. Esses são alguns dos pequenos gestos que se adotados por todos podem trazer um impacto positivo enorme para o planeta, lembrou a professora de Ciências Loíde Soares Barbosa. “São ações que reduzem a produção de lixo, a emissão de gases que contribuem para o efeito estufa, a contaminação dos solos e o desperdício de água potável”, reiterou.

Tendo em vista a consciência ambiental, a professora convidou os pupilos a repensarem suas ações diárias, como a destinação do lixo doméstico e do óleo de cozinha usado e uso da água, e o que podem fazer para melhorar de forma efetiva os maus hábitos. “

Os alunos também foram convidados a repensar a temática a partir de um seminário sobre o filme Animais Unidos Jamais Serão Vencidos, animação inspirada na fábula infantil “A Conferência dos Animais” do alemão Erich Kästner, escrita em 1949. O filme que conta a história de uma turma de animais que se desloca de diversas partes do mundo para fugir da devastação de seu habitat natural, instigou os estudantes a refletirem sobre de que forma nossas atitudes podem contribuir para a preservação e para destruição do meio ambiente, como a construção de uma enorme barragem para abastecer um resort.

No filme, que também traz alguns toques do clássico da literatura “A Revolução dos bichos”, do escritor George Well, um galo francês, um canguru australiano, um diabo da Tasmânia, uma fêmea de urso polar e um casal muito simpático de tartarugas idosas de Galápagos vão para a savana africana em busca de alimento, água e conforto para sobreviverem. “Animais Jamais serão Vencidos tem uma animação belíssima, que além de reproduzir paisagens que vão da savana africana ao Ártico, propicia aos jovens a reflexão de situações calamitosas, como o degelo das calotas polares. Tenho certeza que eles aprenderam muito”, concluiu a professora.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-de-campo-belo-discutem-como-proteger-o-meio-ambiente-em-acoes-do-cotidiano/

Governo de Minas: segundo trecho da Trilha Real é inaugurado em Ouro Preto

O novo trecho será uma oportunidade para o turista entrar em contato com vestígios do período colonial, além de conhecer a beleza arquitetônica da cidade Histórica.

Gil Leonardi / Imprensa MG
A secretária adjunta de Estado de Turismo, Silvana Nascimento (centro), destaca importância dos investimentos no turismo sustentável.
A secretária adjunta de Estado de Turismo, Silvana Nascimento (centro), destaca importância dos investimentos no turismo sustentável.

A secretária-adjunta de Estado de Turismo, Silvana Nascimento, participou nesta quinta-feira (21), no parque municipal Cachoeira da Andorinhas, em Ouro Preto, da cerimônia oficial de inauguração do segundo trecho da “Trilha Real” – Estrada do Capanema/Ouro Preto.

Com 46 km de extensão, o trecho da trilha foi estruturado com sinalização turística especial, interpretativa e indicativa, que facilita o acesso e deslocamento do visitante que deseja praticar caminhadas no percurso. Aliada aos 38 km do primeiro trecho, que vai de Itabirito a Acuruí, inaugurados em 2010, a Trilha Real já soma 84 quilômetros estruturados para receber turistas na região de abrangência da Estrada Real.

O novo trecho será uma oportunidade para o turista entrar em contato com vestígios do período colonial e da exploração do ouro em Minas Gerais, além de conhecer a beleza arquitetônica de Ouro Preto – Patrimônio Cultural da Humanidade – e ainda desfrutar da natureza exuberante da região.

Silvana Nascimento lembrou que, nos últimos dias, lideranças de todo o mundo estão voltadas para a discussão de temas que envolvem a sustentabilidade e o futuro do planeta através da Conferência das Nações Unidas sobre Sustentabilidade – Rio +20. De acordo com ela, a Trilha Real é um projeto que também está inserido neste contexto. “Sabemos que o meio ambiente é considerado o ativo principal da atividade turística. E este é mais um projeto em que o Governo de Minas trabalha o turismo com foco na preservação histórico-cultural e na orientação para educação ambiental, buscando sempre a inserção das comunidades no processo turístico”, ressaltou.

De acordo com o prefeito municipal de Ouro Preto, Ângelo Oswaldo, o turismo é a resposta socioeconômica para as comunidades. Durante a fala, ele lembrou que a Trilha Real passa também pelas margens do Rio das Velhas, considerado berço de Ouro Preto e berço da mineiridade. “É nessa região, onde está localizado o coração de ouro de Minas Gerais, que a trilha real está situada. Estamos retomando a trilha primitiva da história de Minas Gerais que abrange a região norte da Estrada Real. Com a criação da trilha, nossos pequenos distritos e povoados vão poder incrementar suas iniciativas, como a expansão hoteleira, o incremento do artesanato e a inserção de seus atrativos neste novo produto turístico”, disse.

Também estiveram presentes na cerimônia de inauguração, a representante do Instituto Estrada Real, Elisângela Mendes, o presidente da Associação do Circuito Turístico do Ouro, Ubiraney Silva e o secretário municipal de Cultura e Turismo de Ouro Preto, André Simões, além de lideranças dos municípios que integram a trilha, caminhantes e biólogos.

Atrações

No novo trecho inaugurado, o turista irá conhecer e se encantar com lugares impressionantes. Os distritos e povoados de Glaura, São Bartolomeu e Soares são identificados pela vida pacata e pela tranquilidade do interior, além da grande quantidade de recursos naturais e atrativos culturais e históricos. A paisagem é emoldurada pelas margens do Rio das Velhas e pela Serra do Capanema (maciço da Serra do Espinhaço), onde situa-se a Área de Proteção Ambiental do Uaimii.

Ao final do trecho está Ouro Preto, que possui título de “Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade”, conferido pela Unesco, em 1980. A cidade histórica, tricentenária, possui um expressivo conjunto arquitetônico   urbanístico do período colonial luso-brasileiro, o que a torna o principal destino turístico de Minas, sendo reconhecida internacionalmente.

A antiga Vila Rica do Pilar cresceu rapidamente no início do século 18, com a extração do ouro. No período consolidou-se como capital de Minas Gerais. Ouro Preto foi também cenário principal da Inconfidência Mineira e berço nacional das artes sob a forte influencia de grandes mestres como Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e do pintor Athayde, cujas obras atraem turistas de todo o mundo. No aspecto natural, abriga unidades de conservação, como o Parque do Itacolomi, a APA das Andorinhas e a famosa Reserva Biológica do Tripuí.

Trilha Real

A Trilha Real é um projeto do Governo de Minas, executado pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur), e passa pelos municípios de Ouro Preto, Ouro Branco e Itabirito, integrando a grande rota turística de Minas Gerais, a Estrada Real. Na Trilha Real, o viajante poderá percorrer o trecho com segurança e tranquiildade, individualmente ou em grupo. É uma oportunidade de fazer um passeio pelos caminhos mineiros por onde passaram tropeiros, bandeirantes e escravos, além de conhecer os pequenos vilarejos do período colonial brasileiro e desfrutar de belas paisagens.

7O projeto Trilha real é uma parceira do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, com a Prefeitura de Ouro Preto, a Associação do Circuito Turístico do Ouro e o Instituto Estrada Real.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/segundo-trecho-da-trilha-real-e-inaugurado-em-ouro-preto/

Gestão Anastasia: ações socioambientais desenvolvidas pelos CVTs de Minas Gerais são apresentadas na Rio +20

A apresentação foi realizada durante o painel “A Educação para a construção de Sociedades Sustentáveis”

Dedicada a ampliar o acesso às tecnologias da informação e comunicação, a Rede Mineira de Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs), da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), foi apresentada nesta sexta-feira (15), em sessão da conferência Rio+20 como importante ferramenta de promoção da educação ambiental.

Com 487 Telecentros e 84 CVTs, a rede mineira se destaca por utilizar o ensino a distância e mobilizar as comunidades em ações de conscientização socioambiental. No início de 2012, por exemplo, os CVTs desenvolveram o projeto de coleta e reciclagem de lixo eletrônico em mais de 30 municípios.

A apresentação foi realizada durante o painel “A Educação para a construção de Sociedades Sustentáveis”, parte da programação da II Jornada Internacional de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis. Esse painel está incluído no programa “Rio+20 e Você”, que visa compartilhar práticas de sucesso e envolver a sociedade civil em questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável.

Veja a programação completa da “RIO+20 e Você” no endereço: www.rio-20.org

“Quando pensamos em quantas pessoas – além das que estão nos bancos das escolas primárias, secundárias e das universidades – podem ser atingidas pela educação à distância, vemos como essa é uma ferramenta importantíssima de promoção da educação ambiental. Na era da informática e das redes sociais, ela é fundamental para atender a nossa necessidade de saber, independente da nossa educação formal e idade, o que está acontecendo no planeta, entendendo as causas, consequências e possíveis soluções”, explicou a coordenadora da II Jornada, Moema Viezzer.

Durante a Rio 92, Moema Viezzer participou da elaboração do Tratado de Educação Ambiental, documento que estabelece princípios, ações e métodos de avaliação e monitoramento do uso da educação, comprometido com a construção de Sociedades Sustentáveis e da Responsabilidade Global.

Conheça mais sobre este Tratado no endereço www.tratadoeducacaoambiental.net

“A Rede de CVTs já contribui para a promoção da Educação Ambiental, por meio das oficinas realizadas nos laboratórios vocacionais, dos trabalhos conduzidos nas comunidades e de ações como o projeto de reciclagem de lixo eletrônico e coleta seletiva, que envolveu não só alunos dos CVTs, mas os municípios”, informou a diretora de Desenvolvimento e Ensino da Superintendência de Inovação Social da Sectes, Kellen Cristine.

“A nossa intenção é construir parcerias e trocar experiências com outros estados e instituições nacionais e internacionais para dar segmento às atividades já promovidas pela Rede de CVTs, contribuindo assim com a divulgação do Tratado de Educação Ambiental”, acrescentou Kellen Cristine.

Além da Sectes, o painel era formado por representantes do Ministério da Educação (MEC), Instituto Ayrton Senna, Agência Envolverde – ligada ao Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e para o Desenvolvimento (PNUD) -, do site www.ideiasustentavel.com.br e do Instituto Supereco.

Rede Mineira de CVTs

Projeto do Governo de Minas, coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), com apoio do governo federal e prefeituras municipais. O objetivo é ampliar a capacitação local e regional; combater a exclusão digital e social; gerar emprego e renda; e contribuir para a melhoria de vida da população a partir da capacitação profissional. Para isso, três frentes de trabalho estão em atuação: alfabetização digital, inovação e formação e aperfeiçoamento profissional.
A rede conta com 571 unidades interligadas em banda larga, representadas por 84 CVTs e 487 Telecentros, e 4,5 mil microcomputadores conectados, colocando Minas Gerais como um dos estados a possuir um dos maiores programas de inclusão digital e social do país. O projeto alcança mais de 360 municípios e soma mais de 700 mil cidadãos certificados em cursos presenciais e a distância, além de um milhão de pessoas beneficiadas com o acesso à internet. Já foram investidos, em sua estrutura, mais de R$ 130 milhões, recursos provenientes do Governo de Minas e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), por meio de emendas parlamentares.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/acoes-socioambientais-desenvolvidas-pelos-cvts-de-minas-gerais-sao-apresentadas-na-rio-20/

Governo de Minas: pesquisadores apresentam trabalhos em seminário de iniciação científica e tecnologia da Epamig

Foram 11 estudos apresentados entre os 93 desenvolvidas nas unidades regionais da empresa.

Erasmo Reis / Epamig
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.

O 9º Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), realizado nos dias 13 e 14 de junho, em Belo Horizonte, reuniu pesquisadores, bolsistas e chefes de centros de pesquisa da empresa. Foram apresentados 11 trabalhos escolhidos entre os 93 desenvolvidos nas unidades regionais. Entre os temas dos estudos estão assuntos como geoprocessamento na agricultura para avaliação ambiental e socioeconômica, genótipos de arroz irrigado, qualidade microbiológica do leite e da água, resíduos gerados na produção de queijo artesanal, dentre outros.

Durante a abertura do seminário, o secretário-adjunto da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Evaldo Vilela, palestrou sobre a importância da iniciação científica para a pesquisa. Orientador de mais de 70 estudantes da iniciação científica, o professor Vilela contou um pouco da sua experiência com estudantes que se dedicaram à metodologia científica e obtiveram êxito.

Entre os trabalhos de destaque, está o do estudante do sétimo período de Agronomia Philipe Corcino. Ele apresentou o tema “Uso do geoprocessamento na avaliação do desempenho ambiental de estabelecimentos rurais”, orientado pelo pesquisador José Mário Lobo. O estudo avaliou 100% da área de uma propriedade de pequeno porte no município de Boa Esperança, no Sul de Minas. A pesquisa propõe o uso do geoprocessamento no auxílio não apenas na regularização ambiental da propriedade, como também no auxílio ao produtor na orientação da tomada de decisão na gestão rural.

“A ferramenta utilizada nesse estudo é acessível, simples e possibilita ao produtor identificar riscos, pontos críticos e oportunidades em sua propriedade”, avalia. O estudante contou que a partir da experiência e dos conhecimentos adquiridos na área de geoprocessamento, através da bolsa de iniciação científica da EPAMIG, foi selecionado como estagiário da Vale, na área de geoprocessamento ambiental. O trabalho também será apresentado na Rio + 20.

A avaliação dos resíduos gerados na produção de queijo artesanal da Serra da Canastra e seus destinos foram apresentados pela estudante Valkíria Moreira. Foram coletadas amostras de efluentes em 2010 e 2011 em seis queijarias para análises físico-químicas e bioquímicas. “Percebemos a carência de informações que atinge os produtores de queijo da Serra da Canastra. A falta de informação e o baixo poder aquisitivo da maioria dos produtores contribui para que não haja a preocupação efetiva com medidas de redução de consumo de água”, conclui.

Redação Científica

No segundo dia, o pesquisador da EPAMIG Rogério Vieira apresentou aspectos importantes de um artigo científico. Ele apresentou modelos de artigos que são exigidos por revistas científicas. Rogério é autor do livro “Dicionário de dúvidas e dificuldades na redação científica”, lançado pela EPAMIG em 2011, após 20 anos de pesquisa e trabalho. O livro reúne os principais aspectos que dever ser abordados pelos pesquisadores em suas produções intelectuais. “Desde a época da redação da minha dissertação venho anotando erros que cometi e suas devidas correções. Mais tarde, com mais experiência, a esses erros acrescentei outros que encontrei nas dissertações e teses em que participei como membro de banca examinadora”, conta.

O livro pode ser adquirido na Divisão de Gestão de Comercialização da EPAMIG, através do e-mail publicacao@epamig.br ou do telefone (31) 3489- 5002. A publicação custa R$ 70.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pesquisadores-apresentam-trabalhos-em-seminario-de-iniciacao-cientifica-e-tecnologia-da-epamig/

Gestão Anastasia: casa Civil articula apresentação de ações do Governo de Minas para ser levada à Conferência Rio+20

As ações do Governo do Estado serão definidas durante 8º Congresso do Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais

Renato Cobucci/Imprensa MG
Reunião coordenada pela Seccri para a realização do 8º Congresso do Iclei
Reunião coordenada pela Seccri para a realização do 8º Congresso do Iclei

A Secretaria de Estado Casa Civil e de Relações Institucionais (Seccri) realizou reunião preparatória para o 8º Congresso do Iclei, que é uma associação democrática e internacional de governos locais e organizações governamentais nacionais e regionais que assumiram um compromisso com o desenvolvimento sustentável. O Iclei foi lançado em 1990, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, por meio da criação do Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais.

O congresso será realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, com o apoio do Governo de Minas Gerais, entre os dias 13 e 19 de junho, quando serão definidas as propostas de Minas para a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20. O Iclei reúne municípios de todo o mundo e seu congresso acontece a cada três anos. Esta é a primeira vez que o evento será realizado na América Latina, e Belo Horizonte foi escolhida entre 35 cidades.

Durante a reunião, coordenada pelo chefe da Assessoria de Relacionamento Institucional da Seccri, Augusto Lio Horta, foram discutidas a estrutura do Congresso do Iclei e as ações do Estado voltadas para o desenvolvimento sustentável. Segundo o coordenador, foram identificadas várias possibilidades de participação do Governo de Minas em atividades do congresso, especialmente relacionadas a temas como resíduos sólidos, eficiência energética, recursos hídricos, segurança alimentar, mudanças climáticas, energia renovável, erradicação da pobreza, economia verde e desenvolvimento.

Representantes das secretarias de Estado de Meio Ambiente; de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior; de Desenvolvimento Regional e Política Urbana; e de Desenvolvimento Econômico, bem como da Assessoria de Relações Internacionais do governo estadual e dirigentes da Copasa também participaram da reunião. Eles falaram sobre os projetos de sustentabilidade que o Governo do Estado desenvolve e que deverão ser apresentados durante o 8º Congresso do Iclei.

O secretário de relações internacionais da Prefeitura de Belo Horizonte, Rodrigo Perpétuo, explicou que, no congresso, serão debatidos temas como economia verde urbana, cidades eficientes em recursos, cidades baixo-carbono, infraestrutura verde e cidade sustentável. De acordo com o secretário, 530 representantes de 42 países já se inscreveram para participar do evento e, entre os palestrantes, já estão confirmados o coordenador da Rio +20, Brice Lalonde, e o consultor em estratégia e inovação urbana, Jeb Brugmann, um dos fundadores do Iclei.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/casa-civil-articula-apresentacao-de-acoes-do-governo-de-minas-para-ser-levada-a-conferencia-rio20/