Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Alagoas busca referência em Minas para estruturar Rede de Assistência à Saúde da Mulher

Gestores alagoanos visitam a sede da Secretaria de Saúde de Minas para buscar experiências aplicadas no Estado

Henrique Chendes / SES
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG

Entre esta quarta (30) e quinta-feira (31), representantes da Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas visitam a sede da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para conhecer, de perto, o modelo de Gestão Pública adotado pelo Governo de Minas no setor – neste caso, especialmente, a Rede Integrada de Assistência à Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente.

As técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas, Carla Pacheco, Syrlene Patriota e Valéria Santos, realizam um aprofundando em temas como, fluxo, programação e governança das Redes de Atenção à Saúde, importância da Atenção Primária, como Centro Coordenador da Rede, Programa Saúde em Casa, ações de combate à Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais, Rede de Atenção à Saúde da Mulher e da Criança no nível assistencial e hospitalar e Centros Integrados de Referência Secundária (Viva Vida e Hiperdia).

Nesta quinta-feira, as técnicas fazem uma visita ao Centro Integrado de Referência Secundária de Santo Antônio do Monte, referência mineira no atendimento nas áreas sexual, reprodutiva e atendimento à criança de risco e também no atendimento da hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e doença renal crônica.

De acordo com a médica reumatologista da Secretaria de Saúde de Alagoas, Syrlene Patriota, embora seu estado seja pequeno em extensão, passa por dificuldades para implementar uma Rede de Assistência à Saúde. “Começamos a articular a rede no ano passado e o modelo mineiro nos chamou muita atenção durante as apresentações do Ministério da Saúde. Percebemos que temos realidades semelhantes e que podemos fazer dar certo também”, afirma.

O secretário-adjunto da Secretaria de Saúde de Minas, Breno Henrique Avelar, que recebeu as técnicas de Alagoas, se sente orgulhoso com o fato de o Estado ser referência na Gestão em Saúde Pública. “Conseguimos fazer muita coisa por causa da continuidade do trabalho que começou a ser desenvolvido em 2003. Temos consciência de que falta muita coisa, mas já demos alguns passos”, destaca.

Rede Viva Vida

O Programa de Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais (Viva Vida), lançado em 2003, aposta na sistematização de ações e na parceria entre governo e sociedade civil organizada como principal arma no combate a mortalidade infantil e materna.

Para tanto, o Governo do Estado investe recursos na estruturação, qualificação e mobilização social da Rede Viva Vida, tendo implementado os Centros Viva Vida de Referência Secundária e as Casas de Apoio à Gestante, planejados para cobrir a deficiência de oferta na Atenção Secundária.

Os Centros organizam o atendimento especializado nas áreas de saúde sexual e reprodutiva e atendimento à criança de risco. A Casa de Apoio à Gestante é um local próximo das maternidades de referência em alto risco, onde as gestantes que residem longe permanecem antes do parto, sob cuidado qualificado, o que facilita o atendimento sempre que há necessidade.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alagoas-busca-referencia-em-minas-para-estruturar-rede-de-assistencia-a-saude-da-mulher/

Gestão da saúde: Secretaria de Saúde se mobiliza para Dia Mundial de Doação de Leite Humano

Ação ocorrerá neste sábado (19), das 9h às 12h, no Parque Municipal de Belo Horizonte

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com a Maternidade Odete Valadares, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), participa do Dia Mundial de Doação de Leite Humano, que ocorrerá neste sábado (19), das 9h às 12h, no Parque Municipal de Belo Horizonte. A SES irá promover o serviço de cadastramento de mães e gestantes pelo 155, parte do Projeto Mães de Minas para redução da mortalidade materna e infantil.

O Projeto Mães de Minas, que constitui um recorte e diferencial da Rede Viva Vida de Atenção Integral à Saúde da Mulher e da Criança, visa estimular o processo de mobilização para monitoramento e acompanhamento das mães e de seus filhos até um ano de idade, pelo sistema telefônico. Para tanto, a SES disponibilizará um estande para cadastramento no 155, central telefônica para relacionamento com a gestante/mãe.

Ao se cadastrarem, a equipe de atendentes do 155 checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco. No caso da gestante precisar de informação mais específica e detalhada, médicos e enfermeiros de plantão passam as orientações. Até o momento, foram cadastradas quase 10 mil gestantes em todo o Estado, em um total de 647 municípios.

O Dia Mundial de Doação de Leite Humano será comemorado em todo o Brasil e tem o objetivo principal de divulgar os benefícios da doação de leite humano. O Banco de Leite Humano da Maternidade Odete Valadares é referência no Estado e no ano de 2011 atendeu, com o Banco de Leite, mais de 900 crianças internadas na maternidade e outros municípios. Foram mais de três mil litros de leite humano coletado e aproximadamente 12 mil mulheres treinadas em aleitamento materno. No dia 19/05, a maternidade irá promover orientações de aleitamento e doação de leite, além de cadastramento das mães voluntárias.

A referência em aleitamento materno da SES, Ellen Oliveira Mota, enfatiza a importância da divulgação e mobilização do Banco de Leite para recuperação dos bebês, principalmente, no período neonatal, quando estão com até 28 dias de vida. “É preciso que os bancos de leite se popularizem para que as pessoas tomem consciência de sua importância. Muitos bebês, prematuros, cujas mães não conseguem produzir leite, não possuem alternativa para se alimentarem a não ser pelo leite doado”, afirmou.

Atividades

Na ocasião haverá oficinas lúdicas  e brincadeiras para as crianças, apresentação teatral, além das atividades para as mães e gestantes tais como:

– Programa Mãe de Minas – Secretaria do Estado de Saúde de MG: Cadastro pelo 155.

– Orientações de aleitamento materno e doação de leite humano;

– Crescer Saudável (cuidados de enfermagem);

– Avaliação antropométrica (orientações de nutrição);

– Cuidados em saúde (enfermagem);

– BH pelo Parto Normal;

Informações

Evento: do Dia Mundial de Doação de Leite Humano.

Local: Parque Municipal de Belo Horizonte

Horário: 9h às 12h.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-se-mobiliza-para-dia-mundial-de-doacao-de-leite-humano/

Governo de Minas: Secretaria de Saúde mobilizará Betim no Ação Global Nacional

Um dos serviços que será prestado no sábado (5) são ações de combate a dengue

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), em mais uma parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI) e Rede Globo, participará do próximo “Ação Global Nacional”, que será realizada sábado (5), em Betim. A SES irá promover serviços de saúde e diversas atividades, como a mobilização para o combate à dengue, vacinação contra a gripe e Projeto Mães de Minas que tem como objetivo a redução da mortalidade materna e infantil. No dia, a SES irá oferecer também vacinas  gratuitas contra a Influenza, marcando a abertura da “14ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza”,  que ocorre  entre no período entre o dia 5 a 25 de maio. Trata-se de uma vacina trivalente, que protege contra três vírus diferentes, incluindo gripe sazonal e Influenza A H1N1.

Atividades

Para conscientizar os moradores da região e os visitantes do evento da importância do combate à dengue, a SES realizará trocas de inservíveis por material escolar por meio do Dengue Móvel, caminhão que oferece caderno, lápis e borracha em troca de pneu, pet e lata, respectivamente. Além disso, o público terá acesso também ao Dengômetro, um espaço de convivência onde são transmitidas informações sobre a dengue na localidade e métodos de prevenção.

Outra frente de mobilização da SES é o Projeto Mães de Minas, que constitui um recorte e diferencial da Rede Viva Vida de Atenção Integral à Saúde da Mulher e da Criança. O projeto visa estimular o processo de mobilização para monitoramento e acompanhamento das mães e de seus filhos até um ano de idade, pelo sistema telefônico. Um estande será disponibilizado para o cadastramento no 155, central telefônica para relacionamento com a gestante/mãe.

Ao se cadastrarem, a equipe de atendentes do 155 checam se a gestante foi à consulta agendada; ligam para saber sobre o parecer médico e resultado de exames, se foram diagnosticadas com gravidez de alto risco. No caso da gestante precisar de informação mais específica e detalhada, médicos e enfermeiros de plantão passam as orientações. Até o momento, foram cadastradas quase 10 mil gestantes em todo o Estado, em um total de 647 municípios.

Informações:

Evento: Ação Global Nacional – “Eu faço Ação Global o ano inteiro”.

Data: 05/05/2012

Local: Complexo Esportivo Jardim Teresópolis – Rua Dulce Brandão, 52 Bairro Jardim Teresópolis – Betim.

Horário: 09h às 16h

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-mobilizara-betim-no-acao-global-nacional/

Gestão em Minas: Secretaria de Saúde garante cuidado e atenção à mulher mineira

Por meio de programas, projetos e investimentos, Governo promove a humanização da assistência às mineiras
Marcella Marques/SES-MG
Secretaria de Saúde realiza trabalho de prevenção do câncer de colo do útero e mama
Secretaria de Saúde realiza trabalho de prevenção do câncer de colo do útero e mama

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), comemora os resultados alcançados pela Política Estadual de Saúde da Mulher, que objetiva, por meio de ações preventivas, educativas, protetoras, curativas e reabilitadoras, garantir a saúde das mulheres mineiras.

Um importante indicador do conjunto de ações implantadas pelo Governo é a queda da mortalidade materna. Em 2003, a Razão de Morte Materna no Estado era de 39,01 óbitos a cada 100 mil partos. No ano passado, a taxa de óbitos caiu para 32,88, o que mostra uma redução de 15,88%.

Isso só foi possível após a implantação do Programa Viva Vida, criado em 2003, que visa reduzir a mortalidade infantil e materna em Minas. A rede foi planejada de modo que ambas possam ter atendimento de qualidade o mais próximo possível da região de sua moradia. As ações de fortalecimento da rede vão desde a prevenção, assistência integral a mulheres e crianças, às ações educativas, de diagnóstico, tratamento e recuperação, além da assistência à gestante.

Nesse período, o Estado investiu R$ 129,5 milhões na estruturação da Rede Viva Vida, um marco na assistência materno-infantil em Minas. O Viva Vida realizou mais de 2 milhões de mamografias e aumentou em 307,8% o número de UTIs Neonatal em oito anos, cobrindo uma população de mais de 8 milhões de gestantes e crianças em todo o Estado. Em 2009, 65% das gestantes atendidas pelo SUS em Minas fizeram sete ou mais consultas durante o pré-natal. Em 2003, apenas 48% das mulheres conseguia esse número de consultas.

Pontos de atenção à saúde foram criados, como a Casa da Gestante e os Centros Viva Vida de Referência Secundária (CVVRS). Os centros oferecem consultas ginecológicas, exames de prevenção de câncer de mama e de colo uterino e atendimento especializado a gestantes e recém-nascidos de alto risco. Em todo o Estado já são 25 centros e outros quatro devem ser implantados em 2012.

A SES promove, ainda, o Projeto Mães de Minas, que é um conjunto de ações de saúde voltadas para a proteção e cuidado da gestante e da criança cercando-as de cuidados, desde o início da gravidez até o nascimento, crescimento e primeiro ano de vida do bebê. A proposta é identificar todas as gestantes, logo no início da gravidez, por meio da implantação do Sistema de Identificação da Gravidez em Minas.

Medidas preventivas

Outro trabalho de conscientização da SES é a prevenção do câncer de colo do útero e mama. Para isso, a coordenação estadual do Programa de Combate ao Câncer do Colo do Útero e Mama realiza ações de voltadas para a promoção e prevenção à saúde.

No ano passado, para fortalecer as ações de controle do câncer de mama, o Governo de Minas anunciou um conjunto de ações que até 2014 vão impactar na redução da mortalidade em mulheres de 45 a 69 anos. Trata-se de um estímulo a mamografias por rastreamento do Programa Viva Vida para aumentar o acesso das mulheres mineiras que dependam do SUS ao exame de mamografia. Em 2011, 306.414 mulheres realizaram a mamografia na faixa etária de 45 a 69 anos, de acordo com dados parciais.

Outra ação importante aconteceu em outubro, em comemoração ao Outubro Rosa, onde a SES disponibilizou um caminhão com mamógrafo, que se deslocou por 11 municípios de Minas Gerais. Ao todo foram feitas 836 mamografias. Também no ano passado, foi ampliada a faixa etária para o exame que detecta o câncer do colo do útero, se estendendo de 59 para 64 anos. Em Minas Gerais, dados parciais do Programa Viva Mulher, mostram que, em 2011, 1.016.611 exames de colo do útero foram realizados na faixa etária de 25 a 59 anos.

De acordo com o coordenador estadual do Programa de Combate ao Câncer do Colo do Útero e Mama Sérgio Bicalho, a importância de se ampliar a faixa etária se deve ao fato de uma mudança no comportamento sexual das mulheres acima de 50 anos e à maior longevidade da mulher brasileira. “As mulheres estão vivendo mais e mantendo vida sexual ativa. E por isso devem continuar realizando os seus exames de prevenção. É recomendado que o intervalo entre os exames seja de três anos, após dois exames negativos, com intervalo anual”, avalia. “Por ser o câncer uma doença silenciosa, muitas mulheres não realizam os exames periodicamente”, finaliza.

A SES mantém, ainda, em parceria com a coordenação Estadual de DST/Aids, o Plano de Enfrentamento da Epidemia de Aids e outras DST entre Mulheres do Estado de Minas Gerais, com grande representação da sociedade civil organizada, tendo como objetivo principal a redução da vulnerabilidade às DST e Aids em mulheres. O Plano conta com ações de promoção, prevenção e assistência, abordando temas polêmicos, tais como as diferenças de gênero, violência contra mulher, preconceitos de todos os tipos e diferenças sócio-econômicas cada vez mais marcantes.

Fonte: Agência Minas