Arquivos do Blog

Movimento Todos Por Minas: apoio às pré-candidaturas de Pimenta, Dinis e Anastasia

Todos Por Minas: lideranças políticas, deputados, vereadores e prefeitos de todo o Estado se uniram para apoiar Pimenta, Dinis e Anastasia. 

Movimento Todos Por Minas: eleições 2014

Lideranças políticas reafirmam apoio às pré-candidaturas de Pimenta, Dinis e Anastasia

A apresentação da pré-candidatura de Dinis Pinheiro para vice-governador e Antonio Anastasia para o Senado marcou o grande encontro do “Movimento Todos por Minas”, realizado na manhã desta segunda-feira (19/05), em Belo Horizonte. Lideranças políticas, deputados, vereadores e prefeitos de todo o Estado se uniram para reafirmar o apoio à pré-candidatura de Pimenta da Veiga para o governo de Minas.

Sob a liderança do senador Aécio Neves, a chapa será formada pelos pré-candidatos Pimenta da Veiga e Dinis Pinheiro e “traduz o desejo dos mineiros”, afirmou o senador Aécio, presidente nacional do PSDB, diante de um público de mais de 4 mil pessoas que lotaram o Ginásio do Cruzeiro, em Belo Horizonte.

Para o governador Alberto Pinto Coelho (PP), é essencial reeditar a aliança iniciada em 2003, que proporcionou ao Estado viver um momento de mudança, marcado pelo trabalho e pelo desenvolvimento. “Estamos vivendo um momento histórico, não só pela união dos nomes de Pimenta da Veiga e Dinis Pinheiro, mas também por estarmos unidos em torno de Aécio Neves”, avaliou.

“Daqui a pouco vamos colocar o bloco na rua”, afirmou o presidente estadual do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana. Segundo ele, a chapa que está sendo formada é forte e representativa. “Ela conjuga a experiência política do Pimenta da Veiga, o perfil popular do Dinis Pinheiro e a técnica administrativa de Anastasia”.

Veja o que dizem as lideranças políticas:

Deputado estadual Bonifácio Mourão (PSDB)
Esperança para o povo mineiro. Minas Gerais não aceita o sistema desarticulado que o governo federal está adotando. Em Minas Gerais o sistema é diferente. É o sistema da ética, da eficiência e do respeito humano.

Deputado estadual Dinis Pinheiro (PP)
Essa união representa uma força extraordinária, composta de partidos muito sintonizados para dar continuidade ao bom trabalho feito em Minas e levar os resultados de Minas para o Brasil.

Deputado Estadual Agostinho Patrus (PV):
Este evento traduz o apoio político de vários partidos que estão juntos buscando o crescimento e desenvolvimento de Minas Gerais. É a base que esteve junto com Aécio e Anastasia. Agora estamos unidos para trabalhar junto com Pimenta da Veiga e Dinis.

Prefeito de Marmelópolis, Antônio Carlos (PP):
Estamos diante de dois nomes fortes dentro do Estado (Pimenta da Veiga e Dinis Pinheiro) que poderão garantir a continuidade do que já está sendo feito e trazer ainda mais avanços para os mineiros.

Deputado Estadual Sargento Rodrigues (PDT):
A Aliança formada em torno do Pimenta poderá garantir a continuidade de inúmeros projetos que vêm alavancando o crescimento de Minas Gerais. Por outro lado, é o ponto de partida para que Minas ocupe lugar de destaque no cenário nacional. Ao lado de PimentaDinis Pinheiro agrega a capacidade de liderança política e, especialmente, a sua experiência de diálogo com as classes menos favorecidas.

Deputado Estadual Fred Costa (PEN):
A união desses três nomes (Pimenta da VeigaDinis Pinheiro e Antonio Anastasia) traduz a experiência política e a trajetória de êxito vivenciada no Estado. Esta aliança faz parte de um projeto de governo iniciado por Aécio Neves.

Deputado Estadual Gustavo Corrêa (DEM):
Esta aliança – Pimenta da Veiga e Dinis Pinheiro – traz candidatos de importância e força política. É uma aliança que reúne a força da juventude.

Prefeito de Caldas, Ulisses Guimarães (PTB):
É a melhor aliança para Minas continuar crescendo e avançando nas conquistas iniciadas com Aécio Neves. Minas ficará fortalecida.

Deputado estadual Cassio Soares (PSD):
Temos agora a consolidação de um esforço político partidário que poderá representar a continuidade de um bom trabalho.

Deputado estadual Leonardo Moreira (PSDB):
Essa união é a voz dos mineiros e mineiras que reconhecem um trabalho competente em Minas. Ela poderá levar, também, o bom trabalho de Aécio e Anastasia ao patamar nacional.

Deputado estadual Anselmo José Domingos (PTC):
Teremos a melhor chapa que Minas Gerais poderia ter. Dinis conhece Minas profundamente, Pimenta da Veiga traz sua experiência. Aécio e Anastasia já deixaram sua marca de eficiência em Minas. Estamos oferecendo o melhor de Minas para o Brasil.

Deputado estadual Antônio Lerin (PSB):
A união entre a juventude e a experiência que vamos ter nessa chapa é a melhor opção para Minas e para o Brasil. É uma parceria que mostra que Minas pode levar seu exemplo de sucesso para todos.

Deputado estadual Lafayette Andrada (PSDB):
Esta é uma aliança forte que vai gerar sustentabilidade para propiciar a vitória.

Toninho Andrada, prefeito de Barbacena e presidente da Associação Mineira dos Municípios, (PSDB):
PSDB tem liderado uma grande frente política que oferta ao estado administração eficiente e atenção à causa municipalista, não só dentro de programas político-administrativos, mas dentro da formação de seus líderes.

Deputado estadual Alencar da Silveira Júnior (PDT):
Ver um presidente do legislativo em chapa majoritária nos mostra que o legislativo mineiro está sendo prestigiado, que essa legislatura é boa, dá certo.

Deputado estadual Rômulo Veneroso (PV):
Minas quer mostrar ao país a importância de um grupo que defende o estado e a democracia. Vemos o resultado dessa união em Minas e podemos trabalhar para ter a continuidade desses resultados em Minas e levá-los ao resto do país.

Deputado estadual Arlen Santiago (PTB):
O país não aguenta mais a falta de saúde, de segurança. O país não aguenta mais empresas quebrando, escândalos em estatais. O país não aguenta mais os desmandos de quem há 12 anos está a frente do governo federal. Por isso o PTB estará com essa chapa.

Deputado estadual Bosco (PT do B):
Minas precisa continuar avançando e precisa fazer isso com uma união de pessoas que verdadeiramente conhecem Minas e que podem levar os bons resultados de Minas para o Brasil.

Deputado estadual João Leite (PSDB):
Essa é a confirmação de um projeto que Minas Gerais consagrou desde 2003. Essa união de partidos reflete na indicação de Dinis Pinheiro, que representa muito bem o bom funcionamento dessa aliança.

Deputado federal Alexandre Silveira (PSD):
A união e de partidos e a indicação dos pré-candidatos é resultado do reconhecimento de muito trabalho. Um trabalho que mudou Minas de forma correta e com sustentabilidade política. Um trabalho que agora pode ser levado ao Brasil.

Deputado estadual Gustavo Valadares (PSDB):
Essa aliança é a união que temos na Assembleia, que tivemos nos governos Aécio e Anastasia. A manutenção e ampliação dessa união provam que por aqui as coisas vão bem.

Deputado estadual Wander Borges (PSB):
Essa é uma união que acontece em prol de objetivos demandados pela sociedade. Uma união que conta com pluralidade e com democracia. E, por conseqüência, nos ajuda a construir um mundo melhor.

Deputado Sebastião Costa (PPS):
Essa união só é possível porque reúne partidos com lideranças que compartilham do mesmo propósito de tornar o poder político um instrumento do bem e da prosperidade, da gestão pública com responsabilidade.

Anúncios

Choque de Gestão: Aécio é destaque na The Economist

Choque de Gestão: gestão eficiente é referência. “Remédio de Minas’ poderia fazer bem ao Brasil”, destacou revista britânica.

Fonte: PSDB

Gestão de Aécio Neves em MG é destaque na revista inglesa The Economist

Brasília – A revista inglesa The Economist deu destaque, em reportagem publicada no portal, nesta quinta-feira (21), à excelência na gestão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à frente do governo de Minas Gerais durante os dois mandatos consecutivos (2003 e 2010). A publicação relata que Aécio herdou o estado “próximo da falência” e que, com o Choque de Gestão e demais programas de austeridade, transformou Minas no estado mais bem gerido do país, segundo executivos brasileiros consultados em uma pesquisa da consultoria Macroplan. E enfatiza: “uma dose do ‘remédio de Minas’ poderia fazer bem ao Brasil.”

 The Economist reitera como um dos atos mais importantes da gestão do tucano a redução dos custos do governo com a manutenção da máquina administrativa. Como governador, Aécio Neves teve papel fundamental na redução do número de secretarias estaduais de 21 para 15, diminuiu o próprio salário em 45% e deixou de preencher três mil cargos de confiança – “ao invés de seguir a tradicional tática de distribuí-los como uma forma de recompensar aliados”, diz a publicação.

A matéria constata que Minas Gerais teve, sob o comando do parlamentar, uma queda na pobreza superior à detectada no restante do país. A população, descreve a reportagem, “acostumou-se a saber que merece bons serviços como retorno pelos impostos pagos”.

A eleição em 2010 de Antonio Anastasia, vice de Aécio, é citada como um outro resultado da gestão positiva do senador: “Anastasia foi eleito governador com aproximadamente o dobro de votos recebidos pelo segundo candidato na disputa, que já estava na política havia um quarto de século”.

Leia AQUI a reportagem da The Economist

Aécio Neves: PT dá “mau exemplo” com autoritarismo e intolerância

Aécio 2014: “Setores do PT estimulam a intolerância com o instrumento de política. Tentam cercear a liberdade de imprensa”, comentou.

Aécio 2014: os 13 fracassos de gestão do PT

Fonte: O Globo

Aécio Neves: ‘PT está exaurindo a herança bendita de FH’

Senador ataca PT e lista 13 pontos que considera fracassos do governo petista

 Aécio 2014: PT dá “mau exemplo” com autoritarismo

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) atacou o PT nesta quarta-feira no Senado Ailton de Freitas / Agência O Globo

BRASÍLIA – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) aproveitou o aniversário de dez anos do PT na presidência da república, celebrados nesta quarta-feira, para atacar o partido. Ele usou a tribuna do Senado para listar 13 pontos que ele afirma serem ineficiências do governo petista e ressaltou – ao final do discurso – que quem governa hoje o Brasil não é mais a presidente e, sim, a “lógica da reeleição”. E defendeu, ainda, os dois governos Fernando Henrique Cardoso. (Leia a íntegra do discurso)

– A grande verdade é que, nestes dez anos, o PT está exaurindo a herança bendita que o governo Fernando Henrique lhe legou – disse ele.

Aécio afirmou que o partido encara com “complacência” casos de corrupção interna, sem mencionar o mensalão.

– Não falta quem chegue a defender em praça pública a prática de ilegalidades sobre a ótica de que os fins justificam os meios. Ao transformar a ética em componente menor da ação política, o PT presta enorme desserviço ao país, em especial às novas gerações.

senador tucano criticou a economia e disse que o país “parou”.

– Todas as vezes em que o PT teve de optar entre o Brasil e o PT, ficou com o PT – disse o senador. – A presidente Dilma Rousseff chega a metade do mandato longe de cumprir promessas de campanha (…). A incapacidade de gestão se adensou, e a verdade é que o Brasil parou. Os pilares da economia estão em rápida deterioração, colocando em risco avanços que o país levou anos para implementar, como a estabilidade da moeda.

Entre os pontos listados pelo senador tucano estão a desaceleração do crescimento do PIB no ano passado; paralisia de ações de infraestrutura; queda no crescimento da indústria brasileira, com desaceleração de criação de postos de trabalho; inflação acima do centro da meta definida pelo Banco Central; perda de credibilidade do país com “malabarismos fiscais e contábeis”; queda no valor da Petrobras e estatais; insuficiência na produção de combustíveis; risco de apagão; redução do poder dos estados e municípios.

Aécio ainda listou como medidas frustradas do governo petista a política de segurança pública e combate às drogas e queda nos investimentos na área; descaso na saúde e frustração na educação.

Foi com a política petista que o senador tucano terminou sua lista. Ele afirmou que o PT dá “mau exemplo” com seu autoritarismo.

– Setores do PT estimulam a intolerância com o instrumento de política. Tentam cercear a liberdade de imprensa. E atacam e desqualificam seus os críticos. Transformam em alvo aqueles que tem coragem de apontar erros (…) E reduz o Congresso a homologador de Medidas Provisórias – disse.

VEJA TAMBÉM

Aécio presidente: senador quer conquistar o Nordeste

Aécio presidente: senador vai abrir espaço no Nordeste de olho em 2014. Aécio ressalta grande identidade e parceria com Eduardo Campos (PSB).

Aécio: presidente 2014

Fonte: O Globo

’O PSB sempre foi meu aliado’

Senador diz ter grande identidade com socialistas

Nome mais forte para disputar a Presidência pelo PSDB em 2014, Aécio corteja socialistas e diz que PT perdeu espaço no Norte e Nordeste

BELO HORIZONTE Colhendo os louros da reeleição de seu afilhado Márcio Lacerda (PSB) à prefeitura de Belo Horizonte, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse ontem estar aberto a convites para ajudar nas campanhas dos aliados em todos os estados, e manda recados de gentileza ao PSB.

 Aécio presidente: senador vai abrir espaço no Nordeste

Aécio presidente: senador vai abrir espaço no Nordeste. Aécio ressalta grande identidade e parceria com Eduardo Campos (PSB).

Afirma que José Serra tem grandes chances de vencer o petista Fernando Haddad em São Paulo, se conseguir criar a imagem de avanço. E que, se o companheiro paulista achar que ele pode ajudar, estará em seu palanque. Aécio ressalta a grande identidade e parceria com o PSB de Eduardo Campos, mas afirma que caberá a ele decidir se vai integrar um projeto que se contraponha ao PT, ou partir para um projeto alternativo próprio.

Vai continuar viajando pelo país no segundo turno das eleições muncipais?
Aécio – Coloquei-me à disposição do partido e dos aliados e estou muito feliz com os resultados. Provavelmente, vou continuar viajando. Um fato importante foi a reinserção das oposições no Norte e Nordeste. Do ponto de vista político, é a sinalização mais importante que tivemos nestas eleições. Um reduto quase fechado do PT, onde o PT agora ficou fora do jogo. É lá que será nossa prioridade.

Dilma deve entrar nas disputas em Salvador, São Paulo. O senhor vai também?
Aécio – Vou estar à disposição de meus companheiros. Já estive em em vários lugares, em Salvador e devo voltar.

O senhor e Eduardo Campos foram lançados candidatos a presidente aqui em BH e em Recife. Como imagina que estarão em 2014?
Aécio – Temos que esperar 2014. Tenho uma relação extremamente fraterna com o Eduardo. Sempre soubemos compreender nossas circunstâncias. O PSB sempre foi meu aliado em Minas. Não é uma aliança forçada em véspera de eleição. É uma identidade muito forte. E identidade que se estende a outros estados. Mas tenho que respeitar a posição do Eduardo, que, hoje, é um aliado do governo. Ele é quem vai ter que, num determinado momento, escolher o seu caminho. O PSDB terá responsabilidade de construir e aglutinar forças políticas em torno de um projeto novo para o Brasil. Tenho forte relação com lideranças importantes do PSB.
Se isso vai amanhã para um entendimento, o tempo dirá. Não tenho dificuldades para isso.

Quais as chances de Serra em São Paulo?
Aécio – Expressivas. O Serra tem uma densidade muito própria.

Serra precisa mudar o discurso para reduzir a grande rejeição?
Aécio – Acho que a campanha permitirá isso. Vai ter que inspirar um sentimento de mudança, de avanços. Vai ser um briga dura mas nós estamos muito otimistas.

Aécio: presidente 2014 – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/aecio-ha-identidade-com-psb-mas-rumo-de-2014-ainda-sera-definido-6342868