Arquivos do Blog

Fórum da Liberdade: Aécio impressiona com posição firme e convincente

Senador participa do Fórum da Liberdade, na PUC de Porto Alegre, e discurso liberal pragmático agradou aos participantes do encontro.

Aécio prega mudanças liberais

Fonte: Veja.com 

Aécio Neves: o discurso de um liberal pragmático

Rodrigo Constantino

Cheguei em Porto Alegre e fui direto para o Fórum da Liberdade, na PUC. Perdi o evento de abertura, mas cheguei exatamente na hora da palestra do senador Aécio Neves. Não posso dizer que foi uma grande surpresa, pois tenho acompanhado suas colunas toda segunda na Folha, seus discursos e quem são seus conselheiros mais próximos. Ainda assim, foi uma grata surpresa, principalmente pelo tom enfático de sua mensagem de cunho claramente liberal (ok, damos um desconto pelo fato de ele saber qual o público ali presente).

O que mais chamou a minha atenção foi o fato de que Aécio não teve papas na língua, não se mostrou um minuto sequer inseguro, tendo de ficar em cima do muro, como costuma ocorrer quando se trata de tucanos. Seu recado não poderia ter sido mais claro: o projeto que defende é de profunda mudança em relação ao quadro atual, que ele considera um completo fracasso justamente pelo excesso de intervencionismo estatal e má gestão (incompetência).

Aécio chegou a dizer frases inteiras que eu costumo usar em meus artigos, mostrando a visível inclinação ao liberalismo. Por exemplo: disse que quer taxa do BNDES para o Brasil todo, não apenas para meia dúzia de “amigos do rei” que hoje se beneficiam dos subsídios. Afirmou com todas as letras, sendo ovacionado, que o estado já ajuda muito se não atrapalhar a iniciativa privada no processo de criação de riqueza.

Colocou muita ênfase na questão da meritocracia na gestão pública, algo que em seu caso não é conversa da boca para fora, pois foi efetivamente implementado em Minas Gerais com evidente sucesso. O país precisa de mais governança, algo que claramente desapareceu por completo com o PT no poder.

Criticou duramente o Mercosul, uma aliança ideológica que tem feito acordos com países insignificantes do ponto de vista comercial. Defendeu uma mudança radical, que o Brasil volte a fechar acordos de livre comércio com países desenvolvidos, sem essa camisa de força ideológica (bolivariana). Atacou o aparelhamento e a destruição de agências reguladoras e de estatais, citando o caso lamentável da Petrobras.

Repetiu sua promessa de campanha: reduzir pela metade a quantidade de ministérios. Uma secretaria com grandes poderes seria criada para essa transição, com prazo de vida determinado e curto. Os impostos seriam simplificados e reduzidos posteriormente. Chega de um governo de coalizão sem base programática alguma. O governante precisa ter a coragem de tomar medidas impopulares sem olhar para a curva das pesquisas o tempo todo.

Segundo Aécio Neves, o aprendizado do PT nesses últimos anos custou muito caro ao país. O partido demonizou a vida toda as privatizações, as concessões, a iniciativa privada, apenas para sucumbir à realidade depois, mas atrasado e de forma malfeita. O país não aguenta mais tanta mediocridade e incompetência!

Sobre a pressão do “volta Lula”, Aécio repetiu o que havia dito em entrevista recente: não está preocupado com quem será o candidato do lado de lá, uma vez que quer derrotar o modelo que está em curso, responsável pela perda de credibilidade do Brasil no mundo todo e pelo resultado econômico sofrível. Não se vendeu, porém, como um messias salvador da Pátria, e sim como alguém que pretende construir um projeto sério e viável ao lado de nomes renomados e respeitados em cada área.

Sobre a segurança, chegou a levantar a bandeira de redução da maioridade penal para 16 anos em casos de crimes graves e recorrentes. Há projeto do senador Aloysio Nunes, do seu partido, nessa linha. Foi uma vez mais ovacionado pelo auditório lotado, com cerca de 2 mil pessoas.

Em outro momento muito feliz, Aécio Neves disse que está cansado de escutar por aí que o estado fez isso e aquilo pelas pessoas, uma vez que quem realmente faz é o próprio cidadão por si mesmo. Em tom enfático, bradou: chega de paternalismo!

Repito: foi uma mensagem mais liberal do que eu esperava, mesmo levando em conta o local da palestra. Aécio Neves, com seu jeito mineiro de ser, veio comendo pelas beiradas, devagar, com calma e sem estardalhaço. Mas agora parece ter se dado conta do que está em jogo, e vem subindo o tom, vem batendo com mais força e vontade no PT e em seu modelo equivocado de política. Parece disposto realmente a adotar medidas impopulares para ajudar a colocar o país no rumo certo.

Foi bem persuasivo e convincente, pois notei que até meus amigos mais libertários ficaram um tanto impressionados e contentes com o discurso, a mensagem liberal, e o tom – principalmente o tom. Nem mesmo a presença de um delinquente sem educação que começou a faltar com o respeito e ofender o senador foi capaz de estragar o clima de euforia com suas belas palavras – música para os ouvidos de todos aqueles que não suportam mais o estrago que o PT vem causando ao país.

Rodrigo Constantino

Governo de Minas: desemprego permanece estável na RMBH

Belo Horizonte mantém a menor taxa de desocupação entre todas as sete regiões metropolitanas pesquisadas.

SETE / Divulgação
"Para o Governo de Minas, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade", destaca Igor Coura
“Para o Governo de Minas, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade”, destaca Igor Coura

Em maio de 2012 a taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) foi de 5,0% da População Economicamente Ativa (PEA), a mesma registrada no mês anterior. Assim como no mês de abril, a taxa é a menor registrada na série histórica da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMBH), iniciada em 1996.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (27) pela Fundação João Pinheiro, Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), Dieese e Fundação Seade.

Entre as sete Regiões Metropolitanas avaliadas pela PED (Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo), a de Belo Horizonte mantém a menor taxa de desemprego pelo 11º mês consecutivo.

“O que mais impacta para que a taxa da RMBH permaneça a menor entre as regiões metropolitanas é o peso forte do setor de serviços, que representa 57% das pessoas que estão empregadas no mercado de trabalho hoje”, explica o coordenador da PED pela Fundação João Pinheiro, Plínio Campos.

No período avaliado, houve ligeiro acréscimo no contingente de ocupados (7 mil), mesmo número de pessoas que passaram a fazer parte do mercado de trabalho, o que resultou na estabilidade do número de desempregados. O tempo médio de procura por trabalho foi de 25 semanas, uma a mais que o mês de abril.

Para o coordenador do Observatório do Trabalho da Sete, Igor Coura, sempre haverá movimentação no mercado de trabalho; portanto, uma queda maior na taxa de desemprego é improvável. “Somos resistentes em dizer que estamos numa situação de pleno emprego, pois a estrutura do mercado não é homogênea. Para afirmarmos que essa é a taxa ideal, precisamos de um mercado de trabalho estável e organizado. Mas estamos bastante satisfeitos com os números alcançados. Para o Governo de Minas, por meio da Sete, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade para que fiquemos numa situação confortável”, afirma.

Setores

Na comparação com o mês de abril, o setor de serviços registrou aumento de 23 mil empregos, o agregado “outros setores” 5.000, e a indústria 3.000. Em movimento contrário, construção civil e comércio sofreram reduções de 13 mil e 11 mil, respectivamente.

Entre abril de 2011 e abril de 2012, houve acréscimo de 56 mil postos de trabalho no setor privado (4,4%) e de 8 mil ocupações no emprego público (2,5%). Foram registrados aumentos de 83 mil (7,4%) trabalhadores assalariados com carteira assinada e de 11 mil (7,8%) ocupados no setor de empregados domésticos.

“É importante ressaltar que a geração de novas ocupações foi suficiente para absorver todas as pessoas que ingressaram no mercado de trabalho, o que fez com que a taxa permanecesse estável. Outro fato que chama a atenção é o de que, pelo sétimo mês consecutivo, observamos aumento na ocupação”, analisa Campos.

Rendimentos

Em abril, o rendimento real médio dos ocupados foi estimado em RS 1.403, sendo registrada redução de 0,9%, se comparado a março. No setor privado, foi observada relativa estabilidade no salário médio da indústria (0,3%). Em contrapartida, houve redução de 2,2% no salário médio do setor de serviços e de 4,6% no do comércio.

“A expectativa para os próximos meses é de que tenhamos taxas menores, se comparadas às do ano anterior”, conclui Plínio Campos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/desemprego-permanece-estavel-na-rmbh/

Gestão da Saúde: Rede de Urgência e emergência do Norte de Minas faz aula inaugural de curso de residência médica

Iniciativa pioneira marca mais uma inovação no atendimento às urgências e emergências da região.

Com o objetivo de desenvolver o campo do conhecimento e de subsidiar a formação de mão de obra especializada, a Rede de Urgência e Emergência do Norte de Minas realiza a primeira Residência Médica de Urgência e Emergência do Estado de Minas Gerais. A aula inaugural será realizada em Montes Claros, nesta terça-feira (26), e será ministrada pelo secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, durante o seminário que marca o lançamento do curso.

A residência será realizada pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, através do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun), e coordenado pela Unimontes, em parceria com Hospital Aroldo Tourinho e Santa Casa de Caridade de Montes Claros. A duração é de três anos.

Segundo o coordenador Antônio Marinho Cedrim, somente duas cidades brasileiras oferecem a residência médica nesta especialidade: Porto Alegre e Fortaleza. “O Norte de Minas está em um estágio avançado no atendimento a urgências e emergências, graças à organização da Rede, e é preciso aprimorar a capacidade dos profissionais envolvidos no atendimento e ampliar a eficiência dos diagnósticos, reduzindo, assim, os gastos com internações e procedimentos desnecessários”, justifica o médico.

Segundo Antônio Cedrim, os residentes irão estagiar no Samu Macro Norte e nos hospitais de referência da região, para que conheçam a gestão pré-hospitalar e hospitalar. “Todos sairão ganhando com essa parceria: pacientes, Samu, hospitais e residentes”, completa o médico.

O seminário de lançamento da residência reunirá as maiores autoridades no assunto, contando, inclusive, com a participação do presidente da Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramed), Frederico Carlos de Souza Arnoud, um dos fundadores da Residência Médica de Urgência e Emergência do Ceará, compartilhando a experiência estrutural da Rede do Norte de Minas com o ensino-aprendizagem de atividades referenciais de operação administrativa de socorro de emergência.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rede-de-urgencia-e-emergencia-do-norte-de-minas-faz-aula-inaugural-de-curso-de-residencia-medica/

Governo de Minas: Cine Humberto Mauro apresenta “Indiana Bhava: um panorama do cinema indiano”

As exibições da mostra serão entre os dias 25 de junho e 1° de julho, a entrada é gratuita

A Fundação Clóvis Salgado, em correalização com a Tantri Arte e Cultura, apresenta desta segunda-feira (25) até o dia 1° de julho, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, a mostra Indiana Bhava, com um panorama completo do cinema indiano contemporâneo. Integralmente exibida em 35mm, a mostra apresenta 11 filmes de grandes cineastas e jovens realizadores da Índia.

Maior mostra do cinema indiano já realizada no Brasil, Indiana Bhava reúne várias vertentes do cinema da Índia, englobando todas as indústrias cinematográficas que estão espalhadas pelas principais regiões do país. Do sânscrito emoção, a palavra Bhava, no título da mostra, anuncia os diversos sentimentos do país que poderão ser vistos durante as exibições. A curadoria ficou a cargo do músico e estudioso de cinema Ananda Jyothi – indiano há 13 anos radicado no Brasil – e da produtora e roteirista Carina Bini.

Dentre os filmes apresentados, destaque para produções premiadas, como Quatro Mulheres, de Adoor Gopalakrishnan, cultuado como o novo Satyajit Ray, cultuado como um dos maiores cineastas do século XX; Dharm, de Bavana Talwar, filme premiado na Índia, exibido no encerramento de Cannes, em 2007, e que ainda inspirou Glória Perez em diversos personagens da novela Caminho das Índias; e Mais Uma História de Amor, de Kaushik Ganguly.

Ananda Jyothi destaca o fato de a mostra valorizar a vasta e diversificada indústria cinematográfica da Índia, apresentando um diferencial autêntico e profundo de seu cinema contemporâneo. “Buscamos reunir todas as vertentes do cinema da Índia, indo muito além da indústria de Bollywood, que representa cerca de 30% da produção total da Índia e já é bastante conhecida no Brasil. Optamos por priorizar todas as demais indústrias do cinema indiano, que se encontram espalhadas pelas principais regiões do país”, afirma.

Para o Gerente de Cinema da Fundação Clóvis Salgado, Rafael Ciccarini, “apresentar uma mostra como Indiana Bhava é fundamental para dar acesso a uma cinematografia praticamente inédita ao público mineiro, que é muito conhecida pelo fenômeno Bollywood, mas que vai muito além de sua forte indústria doméstica”.

Apresentada anteriormente no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Porto Alegre, depois de Belo Horizonte a mostra Indiana Bhava segue para Brasília, onde estará em cartaz entre julho e agosto.

A entrada para as sessões é gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria do cinema meia hora antes do início.

Serviço

Mostra Indiana Bhava

Data: 25 de junho a 1º de julho

Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro – Belo Horizonte – piso inferior)

Entrada gratuita (retirada de senhas na bilheteria meia hora antes do início de cada sessão)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cine-humberto-mauro-apresenta-indiana-bhava-um-panorama-do-cinema-indiano/

Gestão Eficiente: cresce rendimento de trabalhador na RMBH

Segundo pesquisa do IBGE, taxa de desocupação se manteve praticamente estável em relação ao estudo anterior.

A Pesquisa Mensal de Emprego (PME), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quinta-feira (21), referente ao mês de maio, apontou que o rendimento médio dos mineiros aumentou na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Na comparação anual, de maio de 2011 para o mesmo período desse ano, o valor passou de R$ 1.553,10 para R$1.707,90, um aumento de R$174,80. Na comparação mensal, de abril a maio deste ano, também o rendimento também subiu, uma vez que o valor apresentado pela pesquisa foi de R$1.700,86.

A taxa de desocupação na RMBH apresentou aumento no mês de maio (5,1%) em relação ao mês de abril (5,0%). Na comparação anual, de maio de 2011 ao mesmo período desse ano, a taxa apresentou variação de 0,4%, passando de 4,7% para 5,1%. O coordenador do Observatório do Trabalho da SETE, Igor Coura, analisa os dados apurados pela pesquisa. “Percebe-se que o aumento no número de desocupados é resultado do grande número de pessoas que entraram na População Economicamente Ativa [PEA] – 82 mil pessoas – nos últimos 12 meses, e não pelo aumento de demissões no período. O número de contratações, de 67 mil pessoas, não acompanhou o crescimento da PEA”, afirmou.

De acordo com o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, os números não são motivos para preocupação. “A Secretaria, seguindo orientações do Governador, está investindo, cada vez mais, em políticas públicas de trabalho, emprego e renda, visando a geração de muitos e bons empregos, e em qualificação para nossos trabalhadores”, pontuou.

PME

A taxa de desocupação nacional, divulgada na Pesquisa Mensal de Emprego, realizada nas regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, foi estimada em 5,8%, registrando uma variação não significativa de -0,2% frente a abril de 2012 (6,0%). Em comparação com maio do ano passado (6,4%), recuou 0,6 %.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 1.725,60 no conjunto das seis regiões) subiu frente a abril em Recife (4,0%), São Paulo (0,5%) e Belo Horizonte (0,4%). Apresentou declínio em Salvador (6,6%) e Porto Alegre (1,2%) e manteve-se estável no Rio de Janeiro. Na comparação com maio do ano passado, o rendimento cresceu em todas as regiões.

Caged

De acordo com a análise do Observatório do Trabalho da SETE, os dados apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o Estado teve um número de contratações maior que de demissões no mercado de trabalho formal, resultando na geração de 32.684 novos postos de trabalho. “Esse resultado é o segundo melhor do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo (52.624 postos). Esse número representou uma geração de emprego 13,1% maior do que no mês de abril, que obteve um saldo positivo de 28.886 empregados. A comparação com o mesmo período do ano passado resultou numa queda de 42,6% no saldo”, afirmou o coordenador do Observatório, Igor Coura.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cresce-rendimento-de-trabalhador-na-rmbh/

Gestão Eficiente: Anastasia assina protocolo para criar centro de consultoria de gestão e tecnologia em Minas

Projeto de expansão da empresa Accenture inclui programa de qualificação para servidores públicos do Estado e estudantes da Escola de Governo

Gil Leonardi/Imprensa MG
Antonio Anastasia e o presidente da Accenture, Roger Ingold, durante solenidade no Palácio Tiradentes
Antonio Anastasia e o presidente da Accenture, Roger Ingold, durante solenidade no Palácio Tiradentes

O governador Antonio Anastasia e o presidente da Accenture, Roger Ingold, assinaram, nesta terça-feira (12), no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, protocolo de intenções para expansão das atividades da empresa em Minas Gerais. A previsão é de geração de cerca de mil empregos diretos, voltados a atividades de gestão e tecnologia.

Como parte de seu plano de crescimento no Estado, a Accenture irá implantar um centro de excelência em consultoria de gestão e tecnologia, cujo objetivo é o desenvolvimento de conteúdo técnico-científico e de soluções inovadoras para seus clientes, em toda a América Latina.

“É com grande felicidade que recebemos esse centro de capacitação e gestão que vai permitir um salto de inovação. Temos o objetivo de sempre trazer para Minas Gerais empreendimentos voltados para a economia do conhecimento. Tenho certeza que é exatamente a prestação de serviço, de altíssimo valor agregado, que vai permitir um perfil novo da economia de Minas Gerais”, disse o governador Antonio Anastasia.

O protocolo prevê que a Accenture crie um programa de formação e de treinamento de estudantes e de profissionais vinculados ao Governo de Minas, em um modelo inovador de cooperação técnica com foco em desenvolvimento de pessoas. Participarão do programa, anualmente, 140 servidores públicos e 20 estudantes da Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, que receberão formação acadêmica e prática em temas relacionados à gestão, como logística e recursos humanos, e também à tecnologia da informação.

Anastasia destacou que a vinda para Minas de um centro de excelência em consultoria de gestão e tecnologia é importante, não só pelos empregos que gera diretamente, mas pelo reconhecimento, pela confiança e pelos negócios em potencial.

“Estamos apostando no capital humano e no conhecimento de nosso Estado, das nossas universidades, da Fapemig, de toda estrutura que estamos construindo em Minas Gerais para termos um desenvolvimento sustentável”, ressaltou o governador.

O presidente da Accenture, Roger Ingold, explicou a escolha de Minas Gerais para a implantação do centro de excelência. “No processo de expansão e análise de localidades, com critérios extremamente técnicos, ficamos super satisfeitos de dizer que Minas Gerais era o nosso ponto focal. Essa seleção teve várias razões, uma delas era a qualidade de mão-de-obra, a outra é a perspectiva e a gestão exemplar que existe hoje no Estado”, disse Roger Ingold.

A Accenture é uma empresa global de consultoria de gestão, serviços de tecnologia e outsourcing, com mais de 246 mil profissionais atendendo a clientes em mais de 120 países. No Brasil, conta com mais de oito mil empregados e possui escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Vitória, Campina Grande, Porto Alegre e São José dos Campos, além de fábricas de software em Alphaville (SP) e Recife (PE) e um Centro de Serviços Compartilhados, em Curitiba (PR).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-assina-protocolo-para-criar-centro-de-consultoria-de-gestao-e-tecnologia-em-minas/

Gestão em Minas: desemprego volta a cair na Grande Belo Horizonte e fica abaixo da média nacional

Tempo médio de procura por trabalho também caiu para 24 semanas, menor patamar já registrado pela Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego

Divulgação SETE
Fernando Duarte do Dieese, Plínio de Campos da FJP e Igor Coura do Observatório do Trabalho da SETE divulgam o resultado da PED
Fernando Duarte do Dieese, Plínio de Campos da FJP e Igor Coura do Observatório do Trabalho da SETE divulgam o resultado da PED

A Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego (PED), divulgada nesta quarta-feira (30), pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (SETE), Fundação João Pinheiro, Dieese e Fundação Seade, apontou redução na taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ao passar de 5,4% da População Economicamente Ativa (PEA) em março para 5,0% em abril. Esse número é significativamente menor que os 8,1% apurados em abril de 2011 e também o menor da série histórica, iniciada em 1996. Na média entre as sete regiões metropolitanas analisadas (Belo Horizonte, Salvador, Recife, São Paulo, Porto Alegre, Fortaleza e Distrito Federal) o desemprego total ficou em 10,8%.

No período, a redução de 10 mil pessoas (7,6%) no número de desempregados na RMBH, em relação ao mês anterior, resultou do aumento de 8 mil ocupações (0,3%), somando à retirada de 2 mil pessoas do mercado de trabalho (0,1%). Segundo o coordenador técnico da pesquisa, Plínio de Campos, o trabalho precário também diminuiu em 3 mil pessoas.

De acordo com a pesquisa, o tempo médio de procura por trabalho despendido pelos desempregados na RMBH foi de 24 semanas, 2 a menos em relação ao mês anterior e 7 a menos em relação a 2011, quando o trabalhador gastava em média 31 semanas para ser recolocado no mercado de trabalho. Esse também é o menor tempo de procura já registrado pela PED.

Para o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, o Governo de Minas está no caminho certo, com resultados cada vez melhores nas políticas públicas que beneficiam os trabalhadores mineiros, como a qualificação profissional, a estruturação das unidades de atendimento ao trabalhador e a convergência das ações na Rede Mineira do Trabalho. “Temos atacado o desemprego em diversas frentes, para que nossos trabalhadores sejam capacitados e preparados para o mercado de trabalho e para que as empresas possam absorver cada vez mais mão de obra qualificada”, garante.

Segundo o coordenador do Observatório do Trabalho da SETE, Igor Coura, há uma dificuldade natural de baixar ainda mais a taxa de desemprego na RMBH, por vários fatores, entre eles a taxa de inatividade, o benefício do seguro-desemprego e mesmo a adequação do mercado. “O Governo continua se preocupando com a taxa de desemprego, mas hoje já podemos nos preocupar com setores específicos da economia e na melhora do perfil geral do emprego no Estado”, afirma.

Em abril, o número de ocupados na RMBH permaneceu praticamente estável em relação ao mês anterior (0,3%) e foi estimado em 2.299 mil trabalhadores. Foram registradas quedas no contingente de ocupados na construção civil (4 mil, ou 2,1%), no comércio (6 mil ou 1,7%) e na indústria (1 mil ou 0,3%). No agregado “outros setores” e no setor de serviços houve acréscimo de 5 mil (ou 3,4%) e 14 mil (ou 1,1%), respectivamente.

Em relação ao ano anterior, o nível ocupacional aumentou 3,2%. Foram registrados acréscimos nos postos de trabalho nos serviços (51 mil, ou 4,1%), no comércio (20 mil, ou 6,2%), na construção civil (98 mil, ou 4,5%) e no agregado “outros setores” (2 mil, ou 1,3%) e decréscimo de ocupações na indústria (10 mil, ou 3,0%).

“A redução na construção civil é o reflexo observado na fatia da construção pesada para consumo durante o primeiro trimestre. Neste período as famílias têm mais obrigações a serem quitadas e, consequentemente, dão uma pausa nas reformas ou construções de suas casas”, explica o coordenador da PED pela Fundação João Pinheiro, Plínio Campos.

O supervisor técnico regional do Dieese, Fernando Duarte reitera que é preciso monitorar o mercado de trabalho nos próximos meses. “Temos que observar a indústria, por exemplo, que apresenta os melhores salários e tem grande capacidade de gerar renda para o Estado. Se continuar nesse nível de desemprego, o foco maior de preocupação será com a qualidade e não mais com as taxas”, destaca.

Segundo posição na ocupação, a PED registrou em abril aumento do número de postos de trabalho entre os assalariados (29 mil), refletindo acréscimo no setor privado (33 mil), já que foi registrada redução no setor público (4 mil), em relação a março. O comportamento do setor privado resultou do aumento do contingente de assalariados com registro em carteira (37 mil), já que o contingente de assalariados sem registro diminuiu (4 mil).  No período, houve redução do contingente de autônomos (15 mil) e acréscimo no número de ocupados no emprego doméstico (5 mil).

Rendimentos

O rendimento real médio dos ocupados na Região Metropolitana de Belo Horizonte foi estimado em R$ 1.410, em março de 2012, o que representa redução de 2,4% em relação ao mês anterior e 4,7% em relação ao mesmo período de 2011. O salário real médio também apresentou decréscimo de 2,1% em relação ao mês anterior e de 5,2% em relação ao ano passado, sendo estimado em R$ 1.389.

A coordenadora técnica da PED, Gabrielle Cicarelli, afirma que a queda nos rendimentos não é necessariamente um fator negativo. “Verificamos que entre os 10% da população com menor salário houve significativo aumento nos rendimentos, enquanto que entre os 10% da população que recebe maior salário é que houve queda. A queda nos rendimentos da população de maior renda pode estar mascarando as melhorias nos rendimentos da parcela que ganha menos”, conclui.

A média dos rendimentos nas sete regiões metropolitanas apuradas foi de R$ 1.458, sendo mais alta no Distrito Federal (R$ 2.294) e mais baixa em Fortaleza (R$ 997).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/desemprego-volta-a-cair-na-grande-belo-horizonte-e-fica-abaixo-da-media-nacional/

Governo de Minas: Secopa participa de reunião do Ministério da Saúde em Porto Alegre

Foram debatidas as ações de saúde em planejamento para a Copa do Mundo

A Secretaria de Estado Extraordinária da Copa (Secopa) participou da VII Reunião da Câmara Temática de Saúde para a Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, realizada pelo Ministério da Saúde, em Porto Alegre. Representantes das 12 cidades-sede, da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos e, pela primeira vez, do Comitê Olímpico Local (COL) debateram sobre as ações em planejamento do setor durante o evento esportivo, com destaque para a articulação dos serviços públicos de saúde.

Para o representante da Secopa presente no encontro, Marcelo Neves, a reunião reforçou a importância do alinhamento entre as cidades que vão sediar a Copa. “O trabalho conjunto é fundamental porque o país tem dimensão continental. Nossa missão é zelar pela saúde de todos. Recentemente, o COL criou um setor específico sobre saúde para ajudar a cumprir esse objetivo”, adiantou.

A programação incluiu palestra do representante do departamento médico da Fifa, Efraim Kraemer, sobre as experiências durante a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. “A fala dele foi enriquecedora. O atendimento médico e hospitalar em estádios será também prioridade entre as várias ações em defesa da saúde e bem-estar dos brasileiros e estrangeiros na Copa”, acrescenta Marcelo Neves.

A estruturação da área de saúde em Minas Gerais para a Copa do Mundo da tem dois focos principais: vigilância em saúde e assistência à saúde. O primeiro deles diz respeito à preparação do Estado para a prevenção da ocorrência de eventos que venham a ameaçar a saúde da população em todo território mineiro, como disseminação de doenças infecciosas e enfrentamento de epidemias. Com relação à assistência à saúde, as intervenções visam preparar os pontos de atendimento de urgência e emergência e, principalmente, criar um plano de contingência para atendimento a múltiplas vítimas. Também está prevista a qualificação de pessoal e de serviços de saúde para atendimento aos turistas, como a preparação de materiais bilíngues e melhoria de sinalização em pontos de atendimento.

Os hospitais públicos de referência para atendimento a múltiplas vítimas selecionados pela Secretaria de Estado de Saúde e que serão estruturados para responder ao plano de contingência, são: Hospital João XXIII, Hospital Risoleta Tolentino Neves, Hospital Odilon Behrens e Hospital Eduardo de Menezes.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secopa-participa-de-reuniao-do-ministerio-da-saude-em-porto-alegre/

 

Governo Anastasia: taxa de desocupados na Região Metropolitana de Belo Horizonte cai para 4,7%

Rendimento médio do trabalhador mineiro apresentou crescimento, segundo dados do IBGE

Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada nesta quinta-feira (22), aponta taxa de desocupados na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) de 4,7%,  o que representa uma queda, comparado ao mesmo período do ano passado (6,3%). Em comparação ao mês de janeiro deste ano, a taxa apresentou relativa estabilidade, variando em 0,2% (4,5%).

A taxa de desocupação na RMBH apresentou aumento em relação ao mesmo período de 2011, passando de 56,1%, para 57,3% em fevereiro deste ano. Em relação ao rendimento médio real habitual, a taxa apresentou melhoria aos trabalhadores. O valor passou de R$ 1.487,95, em fevereiro de 2011, para R$ 1.592,00 no mesmo período deste ano.

“Estamos fazendo políticas públicas, incansavelmente, para que possamos levar mais e melhores empregos para a população mineira. Para este ano, a meta é qualificar cerca de 30 mil trabalhadores. Com isso, serão 30 mil pessoas com competência para realizar serviços nas mais diversas áreas para que possam ingressar no mercado de trabalho”, avaliou o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta.

Dados nacionais

A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) é realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em seis regiões metropolitanas do Brasil, sendo elas Belo Horizonte, Porto Alegre, São Paulo, Recife, Rio de Janeiro e Salvador.

De acordo com os resultados da PME, apurada em fevereiro de 2012, no conjunto das seis regiões, o contingente de desocupados foi estimado em 1,4 milhão de pessoas, resultado considerado estável em relação a janeiro último. Quando comparado com fevereiro de 2011, essa estimativa recuou 8,6% (menos 130 mil).

A população ocupada, estimada em 22,6 milhões em fevereiro de 2012 no agregado das seis regiões, não se alterou frente a janeiro. No confronto com fevereiro de 2011 registrou aumento de 1,9%, o que representou uma elevação de 428 mil ocupados no intervalo de 12 meses.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores, apurado em fevereiro de 2012 em R$ 1.699,70, no conjunto das seis regiões, subiu 1,2% em relação a janeiro último. Frente a fevereiro de 2011, o poder de compra dos ocupados aumentou 4,4%.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/taxa-de-desocupados-na-regiao-metropolitana-de-belo-horizonte-cai-para-47/

Governo de Minas: exposição Marc Riboud estreia em março no Palácio das Artes

Mostra possui 51 fotos datadas de 1953 a 2009, registradas pelo importante fotógrafo francês que dá nome à exposição

Estreia em 2 de março, no Espaço Mari’Stella Tristão do Palácio das Artes, a exposição Marc Riboud, realizada pela Fundação Clóvis Salgado (FCS) em parceria com a Aliança Francesa de Belo Horizonte. Com curadoria da Delegação Geral da Aliança Francesa no Brasil, a exposição fica em cartaz até 11 de abril e tem entrada gratuita.

Marc Riboud é composta por 51 fotos, de tamanhos variados, datadas de 1953 a 2009, registradas por este importante fotógrafo francês que dá nome à mostra. Apelidado de “andarilho do vento” pelo diretor-geral da Aliança Francesa no Brasil, Yann Lorvo, suas fotos são um testemunho diferenciado dos grandes eventos e de lugares diversos, do Oriente ao Ocidente.

“De Washington ao Vietnã, do Nepal às Ìndias, da China à África, ou no Brasil, ele colecionou as imagens como se colecionam borboletas, com cuidado, prazer e paixão. Sua capacidade de se surpreender, seu amor pela vida, pelo próximo, aparecem na sua maneira de descobrir as culturas distantes e de voltar várias vezes aos países que visitou”, explica Yann Lorvo.

Além dessas fotos, também estarão expostas 10 montagens de fotografias feitas por Riboud no Brasil, em 2009, durante suas visitas a Porto Alegre e Rio de Janeiro. “Lá, como no Rio, cada dia de minha viagem foi um encanto. Mais ainda do que a beleza das paisagens e das cidades, pude apreciar o calor e a elegância das relações humanas; este sentimento que, tão longe da França, a compreensão é imediata, profunda, assim como é imenso o apetite pelos intercâmbios culturais”, declarou o fotógrafo, que esperou 85 anos para vir ao Brasil.

Para a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg, “a exposição reafirma as parcerias estabelecidas pela FCS com diversas instituições e tem por objetivo promover a circulação de conteúdos relevantes para a compreensão da arte mineira, brasileira e internacional contemporânea, valorizando as diversas linguagens artísticas”.

Desde 2010, a exposição passou por diversas cidades do Brasil, como Salvador, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, São Paulo, Belém e Curitiba, e foi vista por aproximadamente 100 mil pessoas.

Sobre Marc Riboud

Marc Riboud nasceu em 1923, na cidade de Lyon. Durante a Exposição Universal de Paris, em 1937, ele realizou suas primeiras fotografias com o pequeno Vest-Pocket que seu pai lhe deu por ocasião de seus 14 anos. De 1945 a 1948, estudou engenharia na Ecole Centrale de Lyon e trabalhou em uma fábrica antes de resolver dedicar-se à fotografia.

Em 1953, conseguiu publicar na revista Life a foto de um pintor da Torre Eiffel. Convidado por Henri Cartier-Bresson e Robert Capa, integrou a equipe da agência Magnum. Em 1955, passando pelo Oriente Médio e o Afeganistão, foi por terra até a Índia, onde ficou um ano antes de ir para a China. Depois de uma estada de três meses na antiga URSS, em 1960, fez a cobertura das independências na Argélia e na África negra.

Entre 1968 e 1969, realizou reportagens no Vietnã do Sul e também no Vietnã do Norte, onde foi um dos poucos fotógrafos a poder entrar. Nos anos 1980, viajou regularmente pelo Oriente e pelo Extremo Oriente e realizou exposições em Paris, Londres, Nova Iorque, Beijing, Hong Kong e Bilbao.

Além de fotografias, publicou vários livros sobre a China, o Tibete e o Camboja. Seu trabalho foi exposto em diversos museus. Riboud recebeu, entre outras recompensas, dois prêmios do Overseas Press Club, o Time-Life Achievement, o Lucie Award, o ICP Infinity Award e, recentemente, o Sony World Photography Award.

Sobre a Aliança Francesa

A Aliança Francesa é uma associação sem fins lucrativos, constituída livremente por pessoas que têm o objetivo de divulgar a língua e a cultura francesas no seu país de origem. Fundada em Paris, em 1883, está presente em 135 países, possui 1016 estabelecimentos e tem cerca de 490 mil estudantes no mundo inteiro.

No Brasil, a rede das Alianças Francesas conta, atualmente, com 40 associações e nove centros correspondentes, estando presente em praticamente todos os estados brasileiros e formando, assim, uma ponte entre o Brasil e a França. Em Belo Horizonte, a Aliança Francesa foi fundada em 14 de julho de 1944 e está situada em um agradável casarão na região da Savassi.

Fonte: Agência Minas