Arquivos do Blog

Aécio critica Pibinho do PT e gestão deficiente

Aécio Neves: “A má gestão das contas públicas derrubou pela metade o superávit primário realizado até agora”, criticou o senador.

Pibinho do PT

Fonte: Jogo do Poder 

Nota do presidente do PSDB, senador Aécio Neves, sobre resultado do PIB

O recuo de 0,5% do PIB no terceiro trimestre de 2013 indica a permanência da desaceleração da economia e do ambiente de incerteza sobre o futuro do país.

A desculpa do governo tem sido que o mundo não está crescendo. Isto é fato na zona do Euro, mas os EUA crescerão 1,6%, Índia em 4,9%; China em 7,7%. Na América do Sul, Chile em 4,4%; Colômbia 4% e Peru 5,3%. Portanto, os maus fundamentos da economia brasileira fazem toda diferença.

Não há mais como terceirizar responsabilidades. O país gasta muito e gasta mal. A má gestão das contas públicas derrubou pela metade o superávit primário realizado até agora. O governo atrasou, inexplicavelmente, a agenda de concessões, só agora iniciada, apesar do crônico problema da ineficiência da infraestrutura. Quando aparentemente superou os conflitos ideológicos existentes, o fez de forma titubeante e improvisada, em relação às regras e ao modelo, gerando mais insegurança, menor concorrência e, assim, redução de potenciais, resultados e de perspectivas.

O país deve lamentar a reunião sigilosa organizada pela presidente da República e ministros de Estado neste fim de semana, segundo registro da imprensa, não para discutir saídas para o desarranjo econômico instalado, mas sim com o objetivo eleitoral de “construir uma narrativa” aos brasileiros para o PIB medíocre, a ineficiência e a perda de credibilidade do governo, a inflação, o aumento nos gastos e o baixo investimento.

Ao concentrar esforços para construção de um discurso eleitoral ao invés de priorizar a superação dos problemas, o governo evidencia sua preocupação maior em manter a qualquer custo o poder em lugar de corrigir os erros que levaram ao estado lastimável da economia e a sérias consequências na vida dos brasileiros.

A perspectiva para 2013 e 2014 é que o mundo cresça 4%, o dobro do nosso crescimento. As exportações poderão ser favorecidas devido ao câmbio mais desvalorizado, mas, por outro lado, o câmbio mais desvalorizado é fruto do aumento do risco Brasil.

Esperamos que o governo do PT assuma e corrija seus erros e equívocos a tempo de os brasileiros alcançarem uma realidade melhor.

Presidente Nacional do PSDB, senador Aécio Neves

Anúncios

Aécio e Campos criticam incertezas na economia

Oposição: “o país gasta muito e gasta mal. A má gestão das contas públicas derrubou pela metade o superávit primário”, criticou Aécio.

Governo do PT: Gestão deficiente

Fonte: O Globo 

Oposição critica recuo do PIB e aponta falta de confiança de investidores

Eduardo Campos diz que Brasil atravessa ‘crise de expectativas’ sobre a economia que começa a afetar a atividade do país

Sob a condução da gerentona Dilma Rousseff, o país caminha a passos largos para o buraco’, diz instituto ligado ao PSDB

oposição criticou duramente o recuo da economia do país entre julho e setembro deste ano, que foi de 0,5% frente ao segundo trimestre, conforme informou o IBGE nesta terça-feira. O presidente do PSDB e provável candidato à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), criticou o resultado e a condução da política econômica pela presidente Dilma Rousseff. Ele afirmou que o governo se concentra em discurso eleitoral e deixa de priorizar superação de problemas.

“Não há mais como terceirizar responsabilidades. O país gasta muito e gasta mal. A má gestão das contas públicas derrubou pela metade o superávit primário realizado até agora. O governo atrasou, inexplicavelmente, a agenda de concessões, só agora iniciada, apesar do crônico problema da ineficiência da infraestrutura. Quando aparentemente superou os conflitos ideológicos existentes, o fez de forma titubeante e improvisada, em relação às regras e ao modelo, gerando mais insegurança, menor concorrência e, assim, redução de potenciais, resultados e de perspectivas”, afirmou Aécio, em nota.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, avalia que o Brasil atravessa uma crise de expectativas em relação à economia e que isso começa a afetar o desempenho da atividade econômica. Ele lamentou o baixo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e serviços produzidos pelo país) no ano e a retração da economia no terceiro trimestre de 2013.

“A economia é um jogo de expectativas”, afirmou o presidenciável em nota enviada ao GLOBO, após ser questionado sobre o assunto. “Quando os agentes econômicos se mostram inseguros quanto ao futuro, constroem um presente ainda pior, num processo que se realimenta e é difícil de reverter”.

Segundo Eduardo Campos, a preocupação aumenta na proporção em que a falta de confiança atinge os fundamentos da economia brasileira. Para ele, a crise de expectativas deve ser combatida com diálogo e visão de longo prazo. “As pessoas precisam saber para onde o país está indo, como podem alinhar seus próprios projetos ao rumo estratégico do país”, frisou.

Instituto Teotônio Vilela (ITV), ligado ao PSDB, afirmou em artigo que o resultado “foi pior do que se esperava” e responsabilizou o PT pela falta de confiança dos investidores. “O PT mergulhou o país num mar de desconfiança, de falta de credibilidade, de temor em relação ao futuro, ao mesmo tempo em que implode diariamente os alicerces que nos fizeram chegar até aqui. A experiência com Dilma Rousseff é desastrosa”, aponta o instituto.

“Sob a condução da gerentona Dilma Rousseff, o país caminha a passos largos para o buraco. O Brasil não cresce quase nada. A despeito de ter os maiores juros do mundo, convivemos com uma inflação que só não explodiu os limites de uma meta que já é muito generosa porque o governo manipula fragorosamente preços como os dos combustíveis e da energia elétrica”, afirmou o ITV, que ainda afirmou que o governo está destruindo a credibilidade fiscal, com “manobras fiscais”.

Do outro lado, o recuo da economia recebe panos quentes. O presidente do PTRui Falcão, minimizou o baixo crescimento. Ele afirmou que o resultado do último trimestre será melhor e ressaltou que o acumulado do ano e dos últimos 12 meses é positivo.

– O resultado do último trimestre vai ser melhor e no acumulado de setembro a setembro, e no do ano, é positivo. O importante é que questões fundamentais como poder aquisitivo e emprego continuam sustentados, tanto que a crítica de setores do empresariado é que o governo insiste em manter a política que garante bom nível de emprego e renda – afirmou o presidente do PT.

O líder do PTJosé Guimarães (CE), mostrou-se esperançoso com os próximos meses e apostou nas privatizações para alavancar o crescimento.

– Acho que os últimos incentivos do governo, as concessões, o leilão Libra, vão ajudar a consolidar o crescimento da economia. A tendência é de que haja uma melhora no último trimestre do ano, o resultado (do PIB do terceiro trimestre) não atrapalha – disse.

Oposição no Senado chama modelo econômico de ‘desastrado’

No Senado, lideres da oposição disseram que Dilma e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não têm noção da gravidade das consequências do desastrado modelo econômico adotado.

– A presidente Dilma está no mundo da lua, vive num autismo completo. Parece o Beato Salu, com os pés fora da realidade. Tem um conhecimento pífio das coisas. Isso tudo corroi o calcanhar de Aquiles da economia desse governo, que é a falta de credibilidade. A indústria está derretendo e ela nega que o Brasil esteja mirrando. O investidor estrangeiro olha e diz: de que país esta senhora está falando? – criticou, duramente, o líder do PSDB, senador Aloysio Nunes Ferreira (SP).

Ele criticou também declarações de Dilma ao jornal El País, semana passada, dizendo que o IBGE revisaria o PIB de 2012 e que ele subiria de 0,9% para 1,5%.

– A ideia que passa é que vivemos numa casa de loucos, onde cada um diz uma coisa. Mas quando um País caminha para o descalabro, o principal sintoma é quando os governantes começam a colocar em dúvida seus órgãos e estatísticas oficiais. Isso é clássico. É a escola Kirchner – disse Aloysio Nunes.

A falta de credibilidade também foi apontada pelo líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), como uma das causas da retração da economia.

– Quem acredita hoje, numa situação em que está havendo revisão do PIB de 2012? Estão brincando com o país, o cidadão não acredita mais, estão manipulando os números, estão blefando com os números. Quem não tem segurança jurídica para investir, prefere evitar. O empresário prefere escutar. Como investir se não há regras? – afirmou o líder do DEMRonaldo Caiado (GO).

O presidente e líder do DEM, senador José Agripino (RN), diz que o mais preocupante do que o pibinho do terceiro trimestre é a insistência do comando da economia num modelo que já se mostrou ineficiente para correção de rumos.

– O problema maior é que o governo não está tomando as providências que deveria. Isso tudo é o resultado de um modelo econômico equivocado que está mostrando os primeiros resultados agora. E o mais preocupante é a falta de soluções, o gasto público de má qualidade que não é atacado. O modelo econômico está exaurido e falta providências para corrigir – diz Agripino.

democrata diz que não adianta a presidente se lançar numa campanha desesperada de privatizações e concessões para resolver problemas de caixa se a má gestão continuar.

– A presidente Dilma procura suprir o caixa com migalhas. Só que a receita é espasmódica e não resolve os problemas estruturais – diz Agripino.

Em defesa do modelo econômico do governo petista, o vice presidente do SenadoJorge Viana (PT-AC), diz que a oposição não pode torcer contra o país, e que esses resultados são o preço que se paga pela distribuição de rendas e do quase pleno emprego.

– Proponho um pacto à oposição. A oposição não ganha prestígio no Brasil porque o seu discurso exterioriza uma torcida contra. Vamos ter um PIB que será o dobro do ano passado e isso não conta? No governo do PT é que aconteceram as duas piores crises mundiais. Quanto custa manter a distribuição de renda e o quase pleno emprego? É melhor crescer menos do que o sonho ou manter o povo trabalhando? O Brasil está no caminho certo – disse Jorge Viana.

O líder do PSB no SenadoRodrigo Rollemberg (DF), lembra que o pré-candidato de seu partido em Pernambuco, Eduardo Campos, demonstrou capacidade de gestão acima da média, fez os ajustes necessários e cuidou do planejamento. Ele diz que os resultados da atual política econômica de agora certamente pontuarão o debate da corrida presidencial.

– O governo está tomando tardiamente medidas para recuperar a infraestura, no final do terceiro mandato. Isso poderia ter sido feito lá atrás, num ambiente de maior confiança. É importante recuperar o ambiente de confiança perdido na economia brasileira – disse Rollemberg.

O líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS) criticou a “contabilidade criativa” do governo Dilma no campo da política fiscal.

– Recuou, né? PIB zero, não é PIB. Esses números, em que pese a contabilidade criativa, mostram que é preciso prestar atenção para o que está acontecendo na economia. O crescimento já é pequeno, recuando pode comprometer os investimentos. Essa discussão não pode ser escamoteado. Faz tempo que os investidores não enxergam o Brasil como a bola da vez. Números que hora sobem, hora descem, geram incertezas – disse o líder do PSBBeto Albuquerque (RS).

A alta dos juros, com aperto monetário que pode segurar os investimentos, também foi lembrada pelos opositores de Dilma.

– Num governo que não faz prevenção dos juros, os juros só majoram por conta da inflação, e não cumpre seu papel de garantir logística para a produção, que é quem segura o PIB, só pode dar nisso. O governo não faz a parte dele para garantir logística – disse o líder da minoria, Nilson Leitão (PSDB-MT)

Aécio: déficit público alto é consequência de gestão deficiente

Aécio: presidente do PSDB critica preço da má administração da economia que reduziu a economia fiscal, além de aumentar dívida bruta.

Gestão pública deficiente

Fonte: PSDB 

Nota do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), sobre o recorde no déficit público

No ano passado, quando já estava clara para a sociedade o fracasso da política econômica da presidente Dilma Rousseff, uma política baseada no relaxamento do tripé macroeconômico, representantes da equipe econômica sinalizavam que as contas fiscais estavam equilibradas e que não havia preocupação alguma com a trajetória das contas fiscais.

Ainda este ano, em depoimento na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, em junho, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, falou da possibilidade de o Brasil zerar o seu déficit nominal ao longo dos próximos anos. Infelizmente, os dados fiscais divulgados ontem deixaram claro que houve um descolamento da economia real do discurso do governo.

Ao longo dos primeiros nove meses deste ano, a despesa não financeira do Governo Central (governo federal, previdência e Banco Central) cresceu R$ 79,2 bilhões, um crescimento nominal de 13,5% ou um crescimento real de quase 7%, que é mais do que o dobro do crescimento real do PIB. Infelizmente, apesar desse forte crescimento da despesa, o investimento público do governo federalcresceu apenas R$ 1,3 bilhão (2,9%).

Ou seja, a despesa não financeira do governo federal cresceu este ano até setembro R$ 79 bilhões e o investimento público apenas R$ 1,3 bilhão. Em valores reais, houve uma queda do investimento público federal.

É importante destacar que ao longo dos nove primeiros meses do ano, a receita líquida do governo federal cresceu R$ 52,4 bilhões (8,2%), um crescimento maior do que no mesmo período do ano passado, mas insuficiente para fazer frente ao crescimento muito rápido do gasto público.

O resultado foi que a economia do governo federal para pagar a dívida, o chamado superávit primário, passou de R$ 54,8 bilhões ao longo dos nove primeiros meses de 2012, para R$ 27,9 bilhões no acumulado deste ano, uma redução de 49%.

Dada essa forte redução do superávit primário do governo federal, o resultados fiscal do setor público consolidado (governo central, estados e municípios) teve uma nova piora. O resultado primário em 12 meses até setembro deste ano foi de 1,58% do PIB, ante um superávit de 3,17% do PIB há dois anos.

Quando se inclui na despesa a conta de juros do setor público, o déficit nominal do setor público no Brasil nos últimos 12 meses até setembro foi de 3,33% do PIB , o pior resultado desde 2009 quando o Brasil teve um crescimento negativo do PIB.

Infelizmente, a leitura que o PSDB faz da contas públicas é que sua deterioração é estrutural por três motivos. Primeiro, o crescimento do gasto foi nas despesas de custeio e de pessoal, que são gastos do tipo permanente e não podem ser reduzidos de um ano para o outro.

Segundo, várias das despesas do governo federal com subsídios não estão sendo pagas. Essas despesas estão sendo atrasadas e a conta está sendo jogada para o futuro e vai aumentar ainda mais o gasto público no futuro. O melhor exemplo disso são os subsídios do BNDES que não vêm sendo pagos.

Terceiro, o Brasil não pode crescer sem investimento público. Assim, em algum momento será preciso recuperar a capacidade de gestão e investimento do setor público o que significa um maior crescimento da despesa no futuro. Se não houver um controle maior da despesa de custeio, o aumento do investimento público reduzirá mais ainda o resultado primário colocando em risco as contas públicas.

O problema é que o governo federal, por sua irresponsabilidade na administração do tripé macroeconômico, criou uma armadilha fiscal e agora há um novo problema para este e para o próximo governo: como reduzir o gasto público para aumentar o superávit primário para pelo menos 2% do PIB e ainda recuperar o investimento público?

O governo está pagando o preço da má administração da economia que reduziu a economia fiscal, reduziu o crescimento e aumentou a dívida bruta. Se o governo estivesse terminando hoje, já deixaria para o próximo uma herança maldita nas contas fiscais.

Senador Aécio Neves (MG)
Presidente Nacional do PSDB

Governo de Minas: Superagro 2012 começa neste domingo com abertura da 52ª Exposição Estadual Agropecuária

A feira, que prossegue até o domingo (10), deve receber público superior a 70 mil pessoas

A Superagro 2012 – feira do agronegócio mineiro – começa neste domingo (3), com a inauguração da 52ª Exposição Estadual Agropecuária, primeiro evento da programação. A feira, que prossegue até o domingo (10), é aguardada com otimismo pelos organizadores, que esperam público superior aos 70 mil visitantes do ano passado, e negócios entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões, além do faturamento com a venda de animais nos leilões.

A feira é realizada em um cenário favorável para os negócios do setor. Isto porque o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio mineiro deverá chegar neste ano ao valor R$ 119,4 bilhões, superior ao montante registrado no ano passado, de R$ 118 bilhões, de acordo com estimativa do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP.

A Superagro é uma promoção do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG).

Julgamentos

Neste domingo (3), primeiro dia do evento, serão realizados os julgamentos de bovinos de leite das raças girolando e gir leiteiro, no Parque da Gameleira. Ao longo da semana, serão realizados os julgamentos de bovinos de leite das raças jersey e holandês e de corte (guzerá e brahman). A exposição terá a presença também de equinos das raças árabe, campolina, jumento pega, mangalarga marchador, pampa e pônei. Na segunda-feira (4), será aberta a agenda de leilões com o primeiro pregão de exemplares gir leiteiro. Até o sábado (9), serão realizados mais sete leilões com animais de diversas raças.

A programação da Superagro no Pavilhão Expominas terá início na quarta (6), com o evento PUCVet, da PUC Minas (Unidade Betim), que conta com palestras sobre odontologia equina, pequenos animais e bovinocultura de leite. Para participar destes eventos é necessário inscrição prévia.

Festival de caipirinhas e cozinha mineira

Na quinta (7), terão início os demais eventos, com a 20ª Expocachaça (trazendo como novidades o festival de caipirinhas e caipifrutas e as cervejas especiais do BrasilBier), a Expovet (com produtos para pequenos animais) e o Seminário do Programa Minas Leite.

Também na quinta, serão iniciadas as atividades da Vila da Agricultura Familiar, com a venda ao consumidor de produtos procedentes diretamente do campo, além das oficinas da cozinha experimental do Senac, que vão ensinar ao público o preparo de pratos com produtos da agricultura familiar.

O concurso que vai escolher o melhor queijo minas artesanal será realizado no dia 8 de junho.

Negócios

A Superagro conta também com a presença de empresas fornecedoras de insumos em geral para atividades do agronegócio, como tratores, ordenhas, material genético para inseminação de bovinos, veículos de carga e utilitários, entre outros. “Estamos confiantes com os bons negócios que deverão ser realizados durante a feira e no pós-evento, como sempre acontece, pois a Superagro já se consolidou como o momento em que produtores e empresas se encontram para compartilhar as novidades do mercado que dão suporte à atividade rural”, ressalta o secretário de Estado de Agricultura de Minas Gerais, Elmiro Nascimento.

Prévia

A PUC Minas (Unidade Betim) realizará no sábado (2), às 14h, no Parque da Gameleira, o lançamento oficial da prova que irá aferir a produção de leite de bovinos da raça gir leiteiro, com a participação da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e da Associação Mineira dos Criadores de Gir Leiteiro (AMCgil).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/superagro-2012-comeca-neste-domingo-com-abertura-da-52a-exposicao-estadual-agropecuaria/

Governo de Minas: nascentes das Gerais começa construção de nova ponte sobre o Rio Itapecerica

Investimento será de R$ 4,1 milhões e obras terão início a partir de terça-feira (10), no quilômetro 122 da MG-050, em Divinópolis

Reprodução
Projeção artística da nova ponte sobre o Rio Itapecerica
Projeção artística da nova ponte sobre o Rio Itapecerica

A Concessionária Nascentes das Gerais, parceira do Governo de Minas na administração e operação do Sistema MG-050/BR-265/BR-491, começa na próxima terça-feira (10) a construção de uma nova ponte sobre o Rio Itapecerica, na altura do quilômetro 122 da MG-050, em Divinópolis. A nova ponte, com 120 metros, será realizada ao lado da já existente e integrará o projeto de duplicação da rodovia no perímetro urbano da cidade, um investimento de R$ 4,1 milhões. Durante os trabalhos, serão gerados cerca de 40 empregos diretos e a previsão de término é abril de 2013. O tráfego não será afetado pelas obras neste primeiro momento.

O diretor-executivo da Concessionária Nascentes das Gerais, Joselito Castro, explica que a nova ponte integra as intervenções que visam ampliar a capacidade do Sistema MG-050. “A nova ponte vai melhorar a fluidez do tráfego, aumentando a segurança e o conforto para o usuário da rodovia na região de Divinópolis. É um investimento importante”, afirma Castro.

Apesar de as obras não interferirem no tráfego nos primeiros meses, Castro lembra que os motoristas não devem parar no local para acompanhar a movimentação de homens e máquinas. “O tráfego seguirá normalmente. Estacionar no local pode colocar em risco a segurança do motorista”, diz.

O Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 é a principal via de ligação entre o Centro-Oeste e o Sudoeste de Minas Gerais e tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007 é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais, por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas. A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas Gerais, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro. O total de investimento em operação e obras de ampliação da estrada em menos de cinco anos é de R$ 367 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/nascentes-das-gerais-comeca-construcao-de-nova-ponte-sobre-o-rio-itapecerica/

Governador Anastasia coordena mobilização para assegurar mais investimentos para Minas

Agenda Minas é fruto de uma ampla parceria entre Governo do Estado, empresários e parlamentares

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABR
Antonio Anastasia durante reunião em Brasília
Antonio Anastasia durante reunião em Brasília

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, participou, na noite dessa terça-feira (28), em Brasília, de mais uma rodada de discussões em torno da Agenda de Convergência para o Desenvolvimento de Minas Gerais (Agenda Minas) – um documento que elenca projetos e investimentos considerados essenciais para que o Estado continue a registrar avanços sociais e econômicos. A reunião contou com a participação de parlamentares que compõem a bancada federal de Minas no Congresso Nacional e entidades empresariais do Estado. “A reunião refletiu um nível de convergência significativa entre as principais lideranças empresariais e políticas de Minas Gerais”, afirmou o diretor-presidente do Escritório de Prioridades Estratégicas, Tadeu Barreto, que participou do encontro. Por iniciativa do governador Antonio Anastasia, o documento será encaminhado à presidente Dilma Rousseff nos próximos dias.

A destinação de recursos para os setores de Educação, Saúde, Defesa Social e Cultura, os investimentos de empresas estatais federais em Minas e projetos de infraestrutura – como reformas em rodovias e a expansão do metrô na região metropolitana de Belo Horizonte – estão entre as prioridades discutidas no encontro, que é fruto de uma ação apartidária, coordenada pelo Governo de Minas, em conjunto com entidades de classe de diversos setores, empresários e parlamentares. Um minucioso estudo, amplamente discutido com a sociedade civil, entidades trabalhistas e parlamentares de diversos partidos, foi a base desta agenda de convergências. A primeira discussão sobre o tema ocorreu em novembro de 2011.

Investimentos estratégicos

Dividida em cinco grandes linhas de ação, a Agenda Minas destaca, dentre outros pontos, a necessidade de maiores investimentos da Petrobras no Estado. Apesar de, atualmente, Minas Gerais responder por 11% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial brasileiro, o Estado receberá, até 2014, apenas 1,5% dos investimentos previstos pela Petrobras para todo o país.

O Governo de Minas também propõe ao Executivo federal aportes em obras imprescindíveis, como a duplicação das rodovias federais BRs 381 e 040, a construção do Rodoanel Metropolitano, a expansão das linhas que compõem o Trem Metropolitano, além de readequações de rodovias em outros oito trechos espalhados por diversas regiões do interior do Estado.

A Agenda Minas prioriza, ainda, junto ao governo federal, a realização de Parceria Público-Privada (PPP) para restauração e adequação da capacidade viária da BR-262, na divisa com o Espírito Santo, o que possibilitará a criação de um corredor estratégico para o escoamento da produção de Minas para outros Estados e para o exterior, por meio do Porto de Vitória.

No documento, o Governo de Minas também estabelece como prioridade para o Estado a execução de PPP para duplicação da BR-116 – em diversos trechos compreendidos entre a divisa com a Bahia e a saída para o Rio de Janeiro –, a expansão do modal ferroviário mineiro e a ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), em Confins.

Atenção ao social

Com máxima atenção à área social, a Agenda Minas solicita ao governo federal aportes adicionais em projetos e programas em Educação, Saúde, Defesa Social e Cultura, em uma busca constante pelo aprimoramento dos serviços públicos oferecidos aos cidadãos mineiros, em consonância com os expressivos investimentos já destinados hoje, pelo Governo do Estado, para esses setores – como a política de valorização dos servidores da Educação estabelecida em Minas Gerais.

Governo, entidades de classe, empresários e parlamentares também consideram como ações prioritárias para o desenvolvimento do Estado a criação de um centro de referência em micro e nanotecnologias em Minas, investimentos integrados para a preservação e divulgação do patrimônio cultural mineiro, além da liberação de convênios na área de segurança pública, já solicitados ao Ministério da Justiça pela Secretaria de Estado de Defesa Social.

A aprovação da proposta, em tramitação no Congresso Nacional, que eleva o percentual dos royalties do minério de ferro, de 2% para 4%, e a conclusão do processo de revisão do marco regulatório da mineração, é outro item que consta da Agenda Minas. O documento destaca também a necessidade de criação do Tribunal Regional Federal em Minas Gerais – uma demanda apresentada por entidades e órgãos que compõem o Poder Judiciário mineiro.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: acidentes diminuem mais de 50% no Sistema MG-050

Também houve queda de 59% no total de vítimas

A Concessionária Nascentes das Gerais, responsável pela administração e operação do Sistema MG-050/BR-265/BR-491, registrou a diminuição de 52% nos acidentes durante o feriado de Carnaval. A operação especial, que teve início na última sexta-feira e terminou nessa quarta-feira (22), também apontou outro dado significativo: queda de 59% no total de vítimas. A comparação é com relação ao mesmo período do ano passado.

O gestor de operações da Concessionária Nascentes das Gerais, Marcelo Aguiar, destaca que a performance é positiva e reflete os investimentos ao longo dos 371,4 quilômetros da malha viária. “São R$ 352 milhões investidos em obras e na operação da via. Além disso, temos o trabalho educativo. Em quase cinco anos de concessão, cerca de 2,5 milhões de pessoas já foram alcançadas”, afirma.

Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 é a principal via de ligação entre o Centro-Oeste e o Sudoeste de Minas Gerais e tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007 é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas. A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas Gerais, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Operação Carnaval no Sistema MG-050 começa na próxima sexta-feira

Concessionária Nascentes das Gerais montará esquema especial para atender aos usuários no Carnaval

Divulgação
O Sistema MG-050 tem 371,4 quilômetros de extensão, abrangendo RMBH e regiões Centro-Oeste e Sul de Minas
O Sistema MG-050 tem 371,4 quilômetros de extensão, abrangendo RMBH e regiões Centro-Oeste e Sul de Minas

A Concessionária Nascentes das Gerais reforçará seu efetivo de colaboradores ao longo do Sistema MG-050/BR-265/BR-491 para atender aos usuários durante o Carnaval. O esquema especial tem início na próxima sexta-feira (17) e vai até a Quarta-feira de Cinzas (22). Nesse período, a expectativa da empresa é que o fluxo de veículos apresente uma alta de 10%, totalizando cerca de 35 mil por dia – o número em dias normais é de 32 mil. Durante o recesso, a Nascentes das Gerais contará com 150 colaboradores divididos na operação do guincho, nas inspeções de tráfego, no atendimento do Centro de Controle Operacional (CCO) e nas praças de pedágio.

Outro aspecto importante que também é decisivo no aumento da segurança pelo Sistema MG-050 é a parceria da concessionária com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar Rodoviária Estadual. As corporações também incrementarão seus efetivos durante todo o Carnaval.

O gestor de operações da Nascentes das Gerais, Marcelo Aguiar, informa que os 371,4 quilômetros da malha viária estão em boas condições. “O Sistema MG-050 está pronto para receber os motoristas. A estrada está segura e a concessionária vai estar com equipes reforçadas para garantir uma viagem segura e confortável a todos que passarem pela estrada”, afirma.

Nesse período, Aguiar destaca a importância da cidadania na condução do veículo e reforça a necessidade de não dirigir alcoolizado em hipótese alguma. “O Carnaval é festa e quem consumir bebida alcoólica não deve dirigir em hipótese alguma. A combinação entre álcool e direção é uma irresponsabilidade. O condutor alcoolizado coloca sua vida e a dos outros usuários da via em risco”, diz.

Em caso de qualquer incidente, Aguiar informa que o motorista deverá fazer contato com o CCO pelo telefone 0800 282 0505. “O telefone funciona 24 horas e, em caso de necessidade, a concessionária deve ser acionada pelo usuário”, destaca.

O Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 é a principal via de ligação entre o Centro-Oeste e o Sudoeste de Minas Gerais e tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007, é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas. A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas Gerais, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Nascentes das Gerais promove evento em São Sebastião do Paraíso para incentivar uso de passarelas

Café na Passarela será realizado nesta segunda-feira, no dispositivo que liga os bairros João XXIII e Vila São Pedro, no quilômetro 4,1 da BR-491

Divulgação/Nascentes das Gerais
Passarela construída na BR-491 - Objetivo do evento é conscientizar os pedestres a fazer a travessia com segurança
Passarela construída na BR-491 – Objetivo do evento é conscientizar os pedestres a fazer a travessia com segurança

A Concessionária Nascentes das Gerais promove, nesta segunda-feira (6), mais uma edição do Café na Passarela. O evento acontecerá em São Sebastião do Paraíso, na passarela que liga os bairros João XXIII e Vila São Pedro, no quilômetro 4,1 da BR-491, das 6h às 9h30. Será oferecido lanche e material educativo para a população que passar pelo local. A atividade faz parte do Plano de Gestão Social (PGS) da concessionária, responsável pela administração do Sistema MG-050/BR-265/BR-491, principal via de ligação do Centro-Oeste e do Sudoeste do Estado.

Para o diretor executivo da Nascentes das Gerais, Joselito Castro, o Café na Passarela visa despertar, principalmente nas crianças e jovens, a necessidade de realizar a travessia da rodovia com segurança. “Fizemos o evento neste horário para alcançarmos os alunos que vão para a escola. Nosso objetivo é estimular práticas seguras para os pedestres”, afirma.

Em outubro de 2011, a concessionária entregou a duplicação da BR-491 entre os quilômetros 1,5 e 4,45, um investimento que totalizou R$ 12 milhões. As obras aumentaram a segurança não só dos veículos, mas também dos pedestres, já que nesse trecho existe outra passarela, no quilômetro 1,45, além de mais duas passagens superiores para pedestres. “É preciso que os pedestres estejam conscientes da necessidade de utilizar esses dispositivos”, diz Joselito.

O Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007 é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais, por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas.

A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas Gerais, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Nascentes das Gerais inicia recuperação da marginal da MG-050 em Juatuba

JUATUBA (06/01/12) – A Concessionária Nascentes das Gerais começa nesta segunda-feira (9) a recuperação da marginal da MG-050, em Juatuba. Os trabalhos acontecerão entre os quilômetros 61 e 62, na altura do bairro Vila Maria Regina, e a previsão é que sejam encerrados em 15 dias. Nesse período, os motoristas que saírem do bairro no sentido Divinópolis devem utilizar o dispositivo de retorno existente na altura do quilômetro 58. O fluxo na pista central não será afetado.

O engenheiro Raphael Ribeiro, responsável pelas obras da Concessionária, explica que o objetivo da intervenção é recuperar o pavimento da MG-050 neste local. “As fortes chuvas prejudicaram o trecho que iremos trabalhar. Fica o pedido para que os motoristas que utilizam a entrada para o bairro Vila Maria Regina se desloquem até o viaduto no quilômetro 58”, diz.

Ribeiro aproveita para destacar que o trecho estará bem sinalizado. “Durante as obras, fica o pedido para que os usuários obedeçam à sinalização e diminuam a velocidade. A intervenção é necessária para manter o conforto dos motoristas”, afirma.

O Sistema MG-050

O Sistema MG-050/BR-265/BR-491 é a principal via de ligação entre o Centro-Oeste e o Sudoeste de Minas Gerais e tem 371,4 quilômetros de extensão. Desde junho de 2007 é administrado pela Concessionária Nascentes das Gerais por meio da primeira Parceria Público-Privada (PPP) do setor de infraestrutura rodoviária nacional, desenvolvida pelo Governo de Minas. A área de influência da rodovia abrange a Região Metropolitana de Belo Horizonte, regiões Sul e Centro-Oeste de Minas, totalizando 50 municípios, que somam 1.331.075 habitantes (7,4% da população), representando 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro.

Fonte: Agência Minas