Arquivos do Blog

Governo de Minas: DER realiza blitze nos Vales do Mucuri e Jequitinhonha para coibir o transporte clandestino

As ações também contam com eventos de conscientização aos motoristas e alerta à população

O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) vem realizando, desde o último domingo (09), na região de Teófilo Otoni (Vale do Mucuri e Jequitinhonha), uma série de blitze para coibir o transporte clandestino na área. Até o momento seis veículos realizando transporte ilegal de passageiros foram apreendidos, 28 autos de infração foram lavrados e 250 pessoas tiveram que realizar transbordos para ônibus do sistema regular.

O Diretor de Fiscalização do órgão, João Afonso Baeta Costa Machado, está na região desde essa quarta-feira (13), acompanhando as ações de fiscalização, que contam com a parceria da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, agentes da Agência Nacional de Trasportes Terrestres (ANTT), Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), promotores, juízes e delegados.

“As blitze realizadas nos últimos dias, proporcionaram um aumento de aproximadamente 40% no volume de passageiros nas linhas do sistema regular e nosso objetivo é manter este nível” afirma Baeta. Ele também informa que as blitze são itinerantes e podem se deslocar para cidades pólos como Governador Valadares, Pedra Azul, Jequitinhonha, Araçuaí, Salinas e Capelinha.

Todas as ações de combate ao transporte clandestino são baseadas na aplicação da Lei 19.445/11, que prevê multa de R$ 1.090,00 e cobrança em dobro do valor no caso de reincidência; excesso de pessoas transportadas; apreensão do veículo; liberação do veículo apenas após o pagamento de todas as despesas relativas ao guincho, diárias de apreensão, além de todas as multas pendentes do infrator; abertura de processo administrativo e até mesmo o enquadramento do infrator no Art. 301 do Código de Processo Penal para quem é flagrado realizando transporte clandestino.

Na visão de Baeta, “o combate ao transporte irregular é uma forma de proteger o cidadão de sua decisão de, ao utilizar este meio de deslocamento por questão de preço, comodidade e rapidez, ele colocar em risco sua integridade física”. “Aqueles que visam apenas o lado financeiro esquecem a máxima: o barato sai caro e pode significar a vida daquele que faz esta opção”, reforça.

O trabalho da Diretoria de Fiscalização do DER/MG não se limita apenas as ações para coibir o transporte clandestino, mas também realiza eventos de conscientização e alerta à população. Segundo Baeta, já foram detectados e apreendidos transportadores clandestinos dirigindo depois de consumirem bebidas alcoólicas, inabilitados e com vínculo com o contrabando, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/der-realiza-blitze-nos-vales-do-mucuri-e-jequitinhonha-para-coibir-o-transporte-clandestino/

Anúncios

Gestão da Saúde: Regional de Pedra Azul promove capacitação sobre classificação de risco

Médicos e enfermeiros foram capacitados para utilizar o sistema Alert de classificação de risco

Allan Campos/GRS Pedra Azul
Profissionais aprenderam a operacionalização do sistema Alert instalado no equipamento chamado de Trius, que é o posto de triagem
Profissionais aprenderam a operacionalização do sistema Alert instalado no equipamento chamado de Trius, que é o posto de triagem

Com o objetivo de capacitar os médicos e enfermeiros da microrregião de Pedra Azul certificados no protocolo de Manchester para que possam utilizar o sistema Alert de classificação de risco, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e a Gerência Regional de Saúde de Pedra Azul, em parceria com a empresa ToLife, realizaram uma capacitação sobre a operacionalização do sistema Alert instalado no equipamento chamado de Trius, que é o posto de triagem.

Os municípios que aderiam ao protocolo de Manchester receberam os Trius que possuem equipamentos acoplados – medidores de temperatura timpânica e oxímetro de pulso. Estes equipamentos irão ajudar os profissionais a realizar a classificação de risco, garantindo uma maior segurança, já que os medidores integrados permitirão o envio automático das medidas aferidas, buscando eliminar a ocorrência de erros.

A enfermeira e representante da empresa ToLife, Lívia Teixeira, afirmou que o equipamento Trius tem como vantagem o uso exclusivo para a classificação de risco de paciente, evitando, com isso, o desvio da função dos equipamentos para outras finalidades, além de maior agilidade e confiabilidade no processo de classificação de risco.

“A partir do momento que o paciente estiver na unidade de saúde para ser atendido, o médico ou o enfermeiro irão utilizar o sistema baseado no Manchester para classificar o paciente, definindo assim a sua prioridade. O sistema informatizado será muito importante neste processo, porque irá evitar erros que o profissional pode vir a cometer caso o processo seja feito de modo manual”, explicou Teixeira, ao ressaltar que o profissional não pode deixar de realizar a classificação do paciente, mesmo no caso do equipamento apresentar qualquer problema.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-pedra-azul-promove-capacitacao-sobre-classificacao-de-risco/

Governo de Minas: Conselho de Segurança Alimentar realiza seminários para o planejamento de 2012

Encontros ocorrem em Teófilo Otoni, Juiz de Fora, Governador Valadares e Varginha

Divulgação/Consea-MG
Presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, visita cidades do interior para discutir a segurança alimentar
Presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, visita cidades do interior para discutir a segurança alimentar

O Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG) realiza, nesta semana, encontros regionais para a preparação do seu planejamento anual. Neste ano, as ações estão sendo descentralizadas e cada região contribuirá com sugestões e ações. Esta medida vai de encontro a uma das prioridades da administração do governador Antonio Anastasia, que é a regionalização da estratégia governamental, em conformidade com o modelo de Gestão Para a Cidadania. Todas as propostas apresentadas durante os encontros regionais serão sistematizadas e inseridas no planejamento do Consea-MG.

Os seminários têm como objetivos proporcionar a integração das coordenações das Comissões Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CRSANS), realizar a análise da atual conjuntura de cada região, apresentar o orçamento do Consea-MG para 2012, planejar as ações que serão realizadas pelas comissões ao longo do ano, indicar propostas de metodologias de monitoramento dos programas e ações de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Sans) e, ainda, debater temas para o curso de formação dos agentes de Sans.

Nesta segunda-feira (27), o Seminário Regional de Coordenações das Comissões Regionais de Sans será realizado em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. O encontro terá a participação das CRSANS de Teófilo Otoni, de Diamantina e de Pedra Azul, compreendendo, assim, os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri. Já nesta terça-feira (28), as Coordenações das Comissões Regionais de Sans se reunirão em Juiz de Fora, na Zona da Mata, com a participação de representantes de Ubá, Ponte Nova, Manhumirim e Barbacena.

Na última sexta-feira (24), o encontro foi realizado em Governador Valadares, no Leste de Minas, onde estiveram presentes comissões de Coronel Fabriciano e Januária. No sábado (25), a reunião ocorreu em Varginha, no Sul do Estado, com participação de representantes de Lavras, Itaú de Minas, Pouso Alegre e Alfenas. No início deste mês, entre os dias 9 e 11 de fevereiro, o presidente do Consea-MG, Dom Mauro Morelli, visitou os municípios de Ouro Branco, Barbacena, Santos Dumont e Juiz de Fora. As visitas tiveram o objetivo de promover a aproximação do Consea-MG com as comissões regionais e os conselhos municipais de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de cada região de Minas.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Estado de Saúde capacita profissionais para combate à dengue

Cinquenta novos epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado foram preparados para reforçar a guerra contra o mosquito em 28 municípios

Cica Almeida/SES MG
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença
Curso abordou os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) capacitou, nos dias 7 e 8 de fevereiro, uma nova equipe de 50 epidemiologistas e técnicos contratos pelo Estado, visando reforçar o combate à dengue em 28 municípios. No encontro, foram discutidos os procedimentos de classificação de risco, monitoramento e tratamento da doença, e como agir diante de suspeitas ou casos confirmados da doença.

De acordo com o médico infectologista da Superintendência de Vigilância Epidemiológica da SES, Frederico Figueiredo, um dos pontos fortes dessa ação é a capacitação de médicos, que qualificam as equipes de suas regionais, facilitando assim o combate à doença. Para a referência técnica em Dengue de Teófilo Otoni, Ana Luisa Pinheiro, “a ideia do médico treinar suas equipes vai facilitar o compartilhamento de dados, melhorando a aprendizagem”.

Participaram do curso, representantes dos municípios de Pirapora, Ituiutaba, Teófilo Otoni, Passos, Sete Lagoas, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Uberlândia, Varginha, São João Del Rei, Pouso Alegre, Itabira, Patos de Minas, Uberaba, Alfenas, Unaí, Juiz de Fora, Manhumirim, Ubá, Montes Claros, Diamantina, Pedra Azul, Leopoldina, Ponte Nova, Governador Valadares, Januária, Itabira e Barbacena.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas vai instalar centros de capacitação em Apaes de 34 municípios do Grande Norte

Trinta e quatro municípios da região do Grande Norte serão contemplados com centros tecnológicos de capacitação nas Apaes

Trinta e quatro municípios da região do Grande Norte – vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas estão entre 148 cidades mineiras que, neste ano, serão contempladas com a instalação de centros tecnológicos de capacitação nas Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes). O projeto é resultado de parceria estabelecida entre o Governo de Minas com a Federação Nacional das Apaes (Fenapaes) e a Federação das Apaes do Estado de Minas Gerais. Os investimentos somam R$ 5,4 milhões divididos entre os governos Estadual e Federal, por meio de emenda inserida no orçamento da União pelo deputado federal, Eduardo Barbosa que também é presidente da Fenapaes.

De acordo com o censo de 2010 o Brasil possui 45 milhões de pessoas com deficiência, o que representa 24% da população total. Diante desse cenário, o Governo de Minas tem atuado diretamente em políticas que possibilitem a inclusão social. Para isso, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) iniciou no ano passado a implantação dos centros tecnológicos de capacitação nas Apaes e do Centro de Tecnologias Assistivas da Rede Apae, em Pará de Minas, região Centro-Oeste do Estado.

Os centros tecnológicos de capacitação vão facilitar o acesso de cada  Apae à internet e às redes sociais, criando uma rede tecnológica de integração das unidades. A iniciativa envolve a formação de centros de inclusão social e oficinas de capacitação profissional que serão instalados em 148 municípios mineiros.

Cada centro de inclusão social terá cinco computadores adaptados com aparelhos que possibilitam atender diferentes tipos de deficiência. Já as oficinas de capacitação profissional serão inseridas em 93 municípios, sendo 54 relacionadas à culinária e 49 à produção de picolé.  O objetivo é melhorar a qualificação da mão de obra de pessoas com deficiência, possibilitando melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Para o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, “a ação evidencia como a ciência e tecnologia podem se converter em espaço para construção da cidadania e se constituírem em instrumento para valorização do ser humano”.

Municípios

Na região do Grande Norte os municípios que serão contemplados com a instalação de centros tecnológicos de capacitação nas Apaes são: Águas Formosas, Araçuaí, Bonfinópolis de Minas, Brasilândia, Brasília de Minas, Corinto, Crisólita, Diamantina, Espinosa, Felixlândia, Gouveia, Jaíba, Jequitinhonha, Malacacheta, Mato Verde, Montalvânia, Montes Claros, Porteirinha, Poté, Riachinho, Rio Pardo de Minas, Salinas, Buritis, Carbonita, Carlos Chagas, Ibiaí, Itacarambi, Itamarandiba, Padre Paraíso, Paracatu, Pedra Azul, São João do Paraíso, Serro e Taiobeiras.

Ineditismo

Além dos centros tecnológicos, no ano passado o Governo de Minas criou um projeto pioneiro no Brasil, o Centro de Tecnologias Assistivas da Rede Apae. O empreendimento será instalado no município de Pará de Minas e terá uma Incubadora de Tecnologia Assistiva e um Núcleo de Qualificação Profissional. Os investimentos são da ordem de R$ 650 mil.

A Incubadora de Tecnologia Assistiva terá um espaço físico destinado ao apoio e orientação para o desenvolvimento de empresas de tecnologias focadas no desenvolvimento de produtos e serviços que contribuam para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e, consequentemente, promover sua qualidade de vida e inclusão. Além de espaço físico, a incubadora vai disponibilizar apoio gerencial e consultorias especializadas para as empresas incubadas.

O Núcleo de Qualificação Profissional implementará projetos de capacitação de profissionais, professores, pais, amigos e quaisquer pessoas que cuidam e convivam com portadores de deficiências e com idosos. A expectativa é de que nesse Centro sejam capacitados 4,5 mil profissionais da área de saúde e 5,5 mil da área de educação que irão atender 415 Apaes responsáveis por cerca de 40 mil pessoas com deficiência.O plano é uma iniciativa do Governo de Minas, por meio da Sectes, Prefeitura de Pará de Minas  e Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel).

Essa é a primeira vez que o Inatel abre uma frente de atuação para empreender tecnologia que atenda a um projeto de pesquisa, formação e incubação de empresas. “Nós provocamos o Inatel para que saísse de Santa Rita do Sapucaí e fosse a Pará de Minas abrigar o Centro de Tecnologias Assistivas”, ressalta o secretário Narcio Rodrigues. Ele revela que o Governo de Minas está buscando atrair empresas de tecnologia assistiva para o estado. Além disso, a criação dos centros poderão integrar as ações das Apaes e possibilitar a qualificação das pessoas assistidas.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: governo investe R$ 300 milhões em saneamento básico nos Vales do Mucuri e Jequitinhonha

TEÓFILO OTONI (23/01/12) – A partir de abril deste ano o município de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, passará a contar com uma das maiores obras de abastecimento de água e de saneamento básico que o Governo de Minas está implementando no Vale do Mucuri. Além de Teófilo Otoni, o projeto beneficiará cerca de 30 municípios da região. Os investimentos, da ordem de R$ 300 milhões, que estão sendo viabilizados por meio da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), compreendem a  construção, em Teófilo Otoni, de uma barragem de 32 metros de altura no leito do Rio Todos os Santos e a implantação de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

As obras de construção da barragem e da ETE já estão em fase final e, já a partir do primeiro semestre deste ano, vão garantir a revitalização e despoluição do Rio Todos os Santos, principal fonte de abastecimento de água da população de Teófilo Otoni. Com capacidade para acumular 12 milhões de metros cúbicos de água, a barragem conta com investimentos de R$ 120 milhões. A implantação dos empreendimentos geraram 550 empregos diretos.

De acordo com os engenheiros da Copasa, José Lopes da Silva e Márcia Nogueira de Almeida, a barragem proporcionará grande ganho ambiental para a região de Teófilo Otoni, uma vez que, além de resolver o problema de abastecimento de água da população, viabilizará a recuperação de uma das mais importantes bacias hidrográficas do Vale do Mucuri.

As obras no entorno da barragem do Rio Todos os Santos já estão em fase de conclusão, com a instalação de equipamentos de controle, redes de eletrificação e calçamento de vias de acesso. Também está prevista a construção de uma adutora com 12 quilômetros de extensão, ligando a barragem à estação de tratamento de água da Copasa, sediada na área urbana de Teófilo Otoni.

Desenvolvimento regional

A previsão é de que esses investimentos do Governo de Minas vão garantir, nos próximos 50 anos, o abastecimento de água a uma população atualmente superior a 130 mil habitantes, além da regularização do Rio Todos os Santos, que seca em períodos de estiagem prolongada. Já nos períodos de chuva, a barragem contribuirá com a redução dos problemas de enchentes enfrentados pela população.

“Os investimentos que o Governo de Minas tem realizado na construção da barragem são fundamentais para a região, pois solucionarão um problema crônico de abastecimento que a população local enfrenta nos períodos de seca e que vinha se agravando nos últimos anos”, afirma o gerente do Departamento Operacional Nordeste da Copasa, Sérgio da Costa Ramos. “Além de resolver o problema de abastecimento de água pelas próximas cinco décadas, os investimentos se constituirão num fator indutor do desenvolvimento regional”.

Vila Esperança

Em janeiro do ano passado, o Governo de Minas inaugurou a Vila Esperança, conjunto habitacional construído para atender famílias que residiam na área onde está sendo construída a barragem. Localizada na região de Cabeceira de São Pedro, a vila é formada por 23 casas e recebeu investimentos de R$ 3 milhões do Estado. Além de novas casas, os moradores receberam ajuda de custo para subsidiar o primeiro plantio e o cultivo de lavouras de subsistência.

Testes de operação da ETE serão iniciados em fevereiro

Paralelo às obras de conclusão da barragem no leito do Rio Todos os Santos, a Copasa está investindo na ampliação das redes de coleta e tratamento de esgoto em Teófilo Otoni e em outras 30 cidades sediadas nos vales do Mucuri e São Mateus. Os investimentos são superiores a R$ 200 milhões e objetivam despoluir as bacias dos rios Todos os Santos e Jequitinhonha. A iniciativa contribuirá para a melhoria da saúde pública, envolvendo uma população estimada em 430 mil habitantes.

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Teófilo Otoni, cujas obras foram iniciadas há dois anos, já está em fase final de implantação. O empreendimento terá capacidade para tratar 240 litros de esgoto por segundo e inclui a implantação de 24 quilômetros de redes de interceptores. Os trabalhos de impermeabilização dos reatores já estão sendo executados e a previsão é de que ainda neste semestre a estação entre em funcionamento, após a realização de testes de funcionamento previstos para fevereiro.

Municípios beneficiados

Além de Teófilo Otoni, outros municípios do Vale do Mucuri estão sendo contemplados com a execução de obras de saneamento e abastecimento de água por parte do Governo de Minas. Nos municípios de Serro, Itaobim, Araçuaí e Carlos Chagas, as obras de implantação de estações de tratamento de esgoto já foram concluídas. Já nas cidades de Mata Verde, Divisópolis, Serra dos Aimorés, Diamantina, Capelinha, Turmalina, Minas Novas, Pedra Azul, Itamarandiba, Jequitinhonha, Joaíma, Santa Maria do Suaçuí, Medina e Nanuque, as obras estão em andamento, algumas delas já em fase de conclusão.

Entre os investimentos viabilizados pelo Governo de Minas, a Copasa iniciará brevemente as obras de ampliação do sistema de abastecimento de água do município de Itamarandiba, totalizando R$ 9 milhões. Por outro lado, em 12 cidades de menor porte do Vale do Mucuri, o Governo do Estado investirá R$ 3 milhões neste ano, na ampliação da produção de água, visando resolver problemas enfrentados pela população em períodos de seca prolongada.

Barragem viabiliza criação de nova reserva de Mata Atlântica

Além de resolver o problema de abastecimento de água de Teófilo Otoni e de reduzir os problemas causados por enchentes em períodos de chuva, a construção da barragem no leito do Rio Todos os Santos proporcionará considerável ganho ambiental ao Vale do Mucuri, com a criação de uma nova reserva florestal. A área será constituída em 998 hectares e a região do semiárido passará a contar com uma importante reserva de Mata Atlântica.

Os engenheiros José Lopes da Silva e Márcia Nogueira de Almeida explicam que, apesar da formação do lago da barragem ocupar apenas 128 hectares, o Governo de Minas adquiriu uma área de quase mil hectares, que proporcionará a criação de uma importante reserva de Mata Atlântica no entorno da barragem. “A iniciativa trará consideráveis ganhos para a preservação da flora e da fauna”, prevêem os engenheiros.

Ganhos ambientais

Os técnicos da Copasa destacam ainda que outro importante ganho ambiental para o Vale do Mucuri foi o fato de que a construção da barragem exigiu o desmatamento de apenas 14 hectares, visto que a maior parte da área a ser inundada era composta por pastagens e brejo. Mesmo com o desmatamento de uma área considerada pequena, os engenheiros lembram que a Copasa realizou trabalho de resgate da fauna e da flora que, com a criação da área de proteção ambiental, terá condições de se desenvolver e ter suas características preservadas.

A área de proteção ambiental não será aberta à população. Só poderá ser utilizada para a realização de pesquisas, mesmo assim, depois das propostas serem analisadas por parte da equipe técnica da Copasa.

Fonte: Agência Minas