Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Governo de Minas firma parceria internacional para fortalecer produção cafeeira no exterior

Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinou termo de cooperação com a empresa UTZ Certified

Seapa / Divulgação
Secretário Elmiro Nascimento, com representantes da Emater e da UTZ Certified
Secretário Elmiro Nascimento, com representantes da Emater e da UTZ Certified

O Programa de Certificação das Propriedades de Café de Minas Gerais (Certifica Minas), criado pelo Governo do Estado, já é reconhecido pela Câmara de Comércio Sustentável da Holanda como um dos modelos mundiais de sustentabilidade. A informação é de Eduardo Sampaio, representante no Brasil da UTZ Certified, certificadora internacional que assinou um termo de cooperação técnica com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), nesta segunda-feira (21), em Belo Horizonte.

Por meio do acordo, os produtores vinculados ao programa Certifica Minas poderão ajustar as boas práticas de suas propriedades ao código adotado pela UTZ Certified, criado à base do “EurepGAP”, que foi desenvolvido pelos varejistas europeus para garantir segurança alimentar e a utilização de práticas apropriadas na produção de frutas e vegetais. O processo de adequação será facilitado porque as práticas adotadas no Certifica Minas por meio de ações desenvolvidas pelo IMA e a Emater são muito semelhantes às do protocolo da empresa europeia.

Segundo Sampaio, a UTZ e o Certifica Minas têm a mesma filosofia, voltada para a profissionalização do produtor. “A excelência deve ser o controle do custo de produção para a obtenção de uma produtividade econômica máxima, a atenção ao processamento e à venda, com os devidos respeitos sociais e ambientais”, acrescenta. Além disso, o representante apontou a necessidade de uma permanente capacitação das pessoas envolvidas nos projetos da cafeicultura.

De acordo com o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, a parceria entre a UTZ e o Governo de Minas demonstra a melhoria da qualidade do café produzido no Estado. “Hoje buscamos não só o aumento da produção e da produtividade, mas também da qualidade do produto que chega ao mercado”, disse o secretário.

Ainda segundo Elmiro Nascimento, a decisão de buscar o acordo de cooperação com o Certifica Minas teve por base o reconhecimento as certificações internacionais precisam partir para um alinhamento com os procedimentos dos programas de certificação nacionais. “É importante que se trabalhe em união para a definição de modelos de certificação que possam servir de exemplo”, afirma.

Novos diferenciais

A cooperação deverá possibilitar diferenciais reconhecidos no mercado externo para a obtenção da certificação internacional da propriedade, qualidade e origem do café, após a auditoria definitiva a ser realizada por uma instituição independente.

Um dos compromissos da Secretaria e suas vinculadas é difundir o trabalho da UTZ na parceria para a certificação das propriedades cafeeiras do Estado. Serão utilizados os meios de comunicação próprios das entidades. Além disso, nos encontros de produtores e técnicos serão também divulgados os benefícios que o acordo pode gerar para as propriedades integradas ao Certifica Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-firma-parceria-internacional-para-fortalecer-producao-cafeeira-no-exterior/

Gestão Anastasia: Secretaria de Cultura lança programa para fortalecer a economia criativa em Minas

A proposta é contribuir para o fortalecimento da economia criativa no Estado, por meio de ações como a prestação de serviços em consultoria e assessoria, formação técnica em gestão, disponibilização de acesso a linhas de crédito, promoção de articulação institucional e fortalecimento de redes e coletivos.

BELO HORIZONTE (24/01/12) – O Ministério da Cultura (MinC) e a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais (SEC-MG) lançam, nesta quinta-feira (26), em parceria com o Sebrae-MG, o programa Criativa Birô. A proposta é contribuir para o fortalecimento da economia criativa no Estado, por meio de ações como a prestação de serviços em consultoria e assessoria, formação técnica em gestão, disponibilização de acesso a linhas de crédito, promoção de articulação institucional e fortalecimento de redes e coletivos.

Na ocasião, a secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, assina convênio com a secretária da Economia Criativa do Ministério da Cultura, Cláudia Leitão, para implantação do programa em Belo Horizonte, que terá sede no Palácio das Artes.

A partir desta iniciativa do MinC, a SEC, como gestora do programa, espera fortalecer este ramo da economia que engloba atividades que reconhecem na cultura, na inovação e na criatividade, suas principais matérias-primas, como as artes, a moda, o design, o artesanato, a arquitetura, o turismo, a gastronomia e a promoção de eventos culturais.

Para Eliane Parreiras, o Criativa Birô vem se integrar ao plano do Governo de Minas no fortalecimento da economia criativa e na articulação das diversas Secretarias como a de Cultura, Turismo, Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego e Agricultura, Pecuária e Abastecimento, entre outras.

A secretária prevê ainda que o Criativa Birô abrirá um novo leque de oportunidades para empreendedores criativos de Minas, que já produzem bens e serviços culturais de qualidade, mas que agora poderão contar com orientação técnica para ampliar o potencial de seu trabalho.

“Minas tem uma das produções culturais mais ricas do país, que já produz impacto positivo na economia das cidades. Com o Criativa Birô, queremos proporcionar um ambiente de troca de ideias e investimentos, capaz de abrir novas oportunidades de negócios que gerem renda e trabalho sustentáveis e, ao mesmo tempo, promovam a cultura mineira, a partir do fortalecimento e incremento da economia criativa, do mapeamento das cadeias produtivas da cultura, do estímulo à formalização profissional e ao crédito, bem como ao associativismo e a programas de fomento e valorização da identidade cultural do estado”, destaca Eliane Parreiras.

Investimento

Serão investidos R$ 1,5 milhão na implantação do Criativa Birô em Belo Horizonte, por meio de recursos do MinC, da SEC e do Sebrae-MG. A verba será aplicada na infraestrutura do espaço e na estrutura administrativa. A previsão é de que o Criativa Birô esteja funcionando em setembro deste ano.

Minas é o primeiro Estado do Sudeste a receber o programa Criativa Birô. Outros quatro centros foram instalados em diferentes regiões do país: Acre, Goiás, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Palácio das Artes

Para a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg, o Criativa Birô encontrou, no Palácio das Artes, o ambiente ideal para seu funcionamento, pois o local é tradicionalmente reconhecimento pelos agentes culturais do Estado. “O Palácio das Artes já conta com todo o equipamento necessário para o Criativa Birô, além de ser um ponto de encontro de artistas”, ressalta.

Lá será montado um centro de apoio a empreendedores criativos, tanto da capital quanto do interior do Estado, onde serão prestados serviços de capacitação em habilidades empreendedoras. Também serão oferecidos cursos e oficinas de gerenciamento de projetos; captação e gestão de recursos financeiros; reconhecimento de oportunidades e marketing.

O centro dará apoio, ainda, nas áreas de produção, circulação e distribuição de bens culturais, assim como suporte para a formação de associações de profissionais e empreendedores criativos.

A economia criativa

O lançamento do programa Criativa Birô se enquadra na diretriz estabelecida pelo Governo de Minas para a área cultural, segundo a qual, o investimento em cultura é ferramenta de promoção do desenvolvimento humano, social e econômico.

Dentro dessa perspectiva, a Secretaria de Estado de Cultura estabeleceu como meta, o fomento à economia criativa, conceito que emergiu em Londres, na década de 90, e que propõe um novo paradigma para o papel do setor cultural no desenvolvimento das cidades e dos países.

Novos estudos mostram que as mudanças nos pilares da economia mundial fizeram emergir setores da economia baseados no talento, na inovação e na criatividade. Enquanto segmentos tradicionais trabalham para aumentar a competitividade de bens e serviços de características semelhantes, empreendimentos criativos ganham espaço no cenário econômico com trabalhos baseados na originalidade.

A produção de bens e serviços de valor imaterial, que refletem uma identidade cultural ou um valor artístico, conquista espaço em um mercado consumidor que busca, cada vez mais, identidade e autenticidade. Nesse cenário, ganham importância econômica, áreas como artes plásticas, teatro, dança, moda, design, arquitetura, gastronomia, turismo, audiovisual, produção cultural, desenvolvimento de softwares, entre outras.

O investimento nesses segmentos proporciona impactos positivos em diversas esferas, pois valorizam e promovem a identidade cultural da população; qualificam a relação dos cidadãos com o ambiente urbano; aumentam a circulação de bens, pessoas e ideias; geram renda e emprego de qualidade; entre muitos outros aspectos.

Fonte: Agência Minas