Arquivos do Blog

Governo Anastasia: Minas Gerais receberá R$ 260 milhões para investimentos em qualificação profissional, desenvolvimento tecnológico e inovação

Governador Antonio Anastasia participa de apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira

Omar Freire/Imprensa MG
Alberto Pinto Coelho, Antonio Anastasia e Robson Andrade durante apresentação do programa
Alberto Pinto Coelho, Antonio Anastasia e Robson Andrade durante apresentação do programa

O governador Antonio Anastasia participou, nesta segunda-feira (23), na Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), da apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira. Iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o programa prevê investimentos da ordem de R$ 260 milhões para a construção de institutos de desenvolvimento tecnológico e de inovação, além da implantação de centros educacionais e da compra de unidades móveis para a formação profissional.

O objetivo do projeto é tornar a indústria mineira mais competitiva e gerar mais emprego de qualidade em Minas. Para o governador Anastasia, os investimentos irão melhorar a qualidade do trabalhador mineiro e agregar mais valor aos produtos fabricados em Minas Gerais.

“Queria agradecer ao doutor Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, por ter colocado Minas Gerais neste grandioso e ambicioso projeto do Senai Nacional de instituir tantos institutos de tecnologia e de inovação. Minas Gerais está recebendo diversas unidades, investimentos de R$ 260 milhões. Isso é muito positivo, para não só melhorar a qualidade do nosso trabalhador, mas em especial agregar valor aos produtos mineiros que tem sido nosso grande esforço”, disse Antonio Anastasia.

Inovação e qualificação

Até 2015, serão instaladas nove unidades de inovação e desenvolvimento tecnológico, sendo seis Institutos Senai de Tecnologia (IST) e três Institutos Senai de Inovação (ISI), – dois deles no espaço físico da Fundação Cetec, totalizando investimentos da ordem de R$ 180 milhões.

O restante dos recursos será destinado à implantação de sete Centros de Formação Profissional, além da compra de quatro Unidades Móveis de qualificação para atender cidades que não contam com sede do Senai. Nos próximos três anos, serão criadas 209,5 mil vagas em cursos de nível básico, médio e superior em 28 áreas de atuação do Senai.

O projeto abrange todo o Estado, especialmente a Região Metropolitana de Belo Horizonte, que concentra 40% da oferta por mão de obra qualificada. A ideia é que as unidades funcionem em rede com as demais em implantação no país, para atender a indústria nacional no intuito de torná-la mais competitiva no mercado brasileiro e internacional.

Apoio

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, ressaltou que sem o apoio do Governo de Minas, a entidade teria dificuldades em trazer os benefícios para Minas Gerais. Ele lembrou que o Estado é o que registra o menor índice de desemprego do país, segundo dados do Ministério do Trabalho.

“Juntos vamos conseguir implantar projetos importantes na área de desenvolvimento tecnológico e inovação. É uma grande oportunidade para o desenvolvimento de novos setores e para o fortalecimento dos segmentos já existentes no Estado”, disse Robson Braga de Andrade. Em Minas Gerais, os institutos de tecnologia vão atender aos segmentos de metalmecânica, meio ambiente, química, eletroeletrônica, alimentos e bebidas e metalurgia. Já os institutos de inovação serão voltados para a engenharia de superfícies, metalurgia e ligas especiais e engenharia elétrica de alta potência.

Demanda industrial

De acordo com o diretor de educação e tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, os investimentos para a implantação do programa em Minas levaram em consideração estudos sobre demanda industrial por mão de obra qualificada até 2014. Minas Gerais é um dos estados que se destaca na ampliação da demanda de educação profissional e tecnológica e dos serviços técnicos e tecnológicos.

O cenário de investimentos em Minas Gerais é bastante promissor. Em 2011, foram assinados 162 protocolos de intenções de empresas com previsão de investimentos da ordem de R$ 28,38 bilhões. Já para 2012 e 2013, os investimentos no Estado devem superar R$ 47,9 bilhões, conforme estudo do Sebrae Minas.

Projeto de Lei

Durante o evento, o governador assinou mensagem a ser enviada à Assembleia Legislativa de projeto de lei propondo a ampliação da atuação do Cetec no Estado. O objetivo é permitir que o Cetec atue em parceria com outras instituições na identificação de novas fontes de financiamento que assegurem mais inovação científico-tecnológica para aumentar a produtividade e a competitividade da indústria mineira.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado Júnior, a parceria entre a entidade e o Governo de Minas vai permitir novo salto de qualidade ao Cetec. “A mudança na legislação vai melhorar ainda mais o acordo já existente entre o Cetec e o Senai, fazendo com que o Cetec amplie sua missão de trabalhar integrado com o setor industrial para o desenvolvimento de novos produtos”, disse.

O Cetec também celebrou convênio com o Senai e a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) para a realização de projetos de pesquisa nas áreas de tecnologia de produção e aplicação de aços, especialmente com a utilização de ferro nióbio. Assinaram o documento o presidente da Fundação Cetec, Marcílio César de Andrade, o diretor regional do Senai, Lúcio José de Figueiredo, e o diretor da CBMM, JD Vital.

Exposição

Antes da apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira, o governador Antonio Anastasia, ao lado do vice-governador Alberto Pinto Coelho, visitou mostra do Senai Nacional com trabalhos de todo o país nas áreas de educação, desenvolvimento tecnológico e inovação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-gerais-recebera-r-260-milhoes-para-investimentos-em-qualificacao-profissional-desenvolvimento-tecnologico-e-inovacao/

Antonio Anastasia visita Festival do Japão em Minas 2012

O governador de Minas participou da cerimônia de encerramento do Painel Econômico Minas-Japão 2012 e da posse do novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, Wilson Brumer
Gil Leonardi/Imprensa MG
O governador degustou comidas típicas e visitou estandes no Pavilhão I do Expominas
O governador degustou comidas típicas e visitou estandes no Pavilhão I do Expominas

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (3), da cerimônia de encerramento do Painel Econômico Minas-Japão 2012, seminário econômico que integra a programação do Festival do Japão em Minas 2012. O evento, no Expominas, é promovido pela Associação Mineira de Cultura Nipo-Brasileira e Consulado Geral Honorário do Japão em Belo Horizonte. Na ocasião, o ex-presidente da Usiminas e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico em Minas, Wilson Brumer, assumiu o posto de cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte.

O governador, acompanhado do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, do embaixador do Japão no Brasil, Akira Miwa, do cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watabane, dentre outras autoridades, participou da cerimônia do Kagami Wari, tradicional em festividades no Japão, na qual se quebra o tampo de um barril de sakê, o que significa na cultura nipônica a abertura de caminhos e a busca de paz.

Anastasia também assistiu a uma apresentação artística japonesa, degustou comidas típicas e visitou estandes instalados no Pavilhão I do Expominas. Ao destacar as relações culturais e econômicas entre o Japão e Minas Gerais, Antonio Anastasia ressaltou que a presença do país asiático em Minas foi fundamental para o desenvolvimento do Estado.

“Apesar da presença mais numerosa da colônia japonesa, por exemplo, em São Paulo e no Paraná, a presença econômica do Japão em Minas Gerais foi decisiva para o nosso desenvolvimento, em diversos setores e, o mais importante, na tecnologia, tanto industrial como no campo rural”, disse o governador, em pronunciamento.

Anastasia aproveitou o momento para desejar sorte ao novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, Wilson Brumer. Ele substitui Rinaldo Soares, falecido no ano passado. “Com a posse de Wilson Brumer, vamos adensar ainda mais as relações culturais entre Japão e o nosso Estado”, completou.

Relações comerciais

O Japão é o segundo principal parceiro comercial de Minas,considerando o valor das exportações em 2011. No ranking das importações feitas pelo Estado, o Japão é o sexto país. No ranking de estados brasileiros, Minas é o que mais exporta para o Japão e o quarto que mais importa.

A corrente de comércio em 2011 foi de US$ 3,75 bilhões, um aumento de 30,9% em relação a 2010. No ano passado, Minas Gerais exportou cerca de US$ 3,28 bilhões e importou US$ 474 milhões. O superávit comercial foi da ordem de US$ 2,8 bilhões.

No total, 200 empresas exportaram para o Japão em 2011. As principais foram a Vale, CBMM e Cenibra. Na outra ponta, 436 empresas importaram produtos japoneses com destaque para Usiminas, Fiat Automóveis, Vale e Sumidenso do Brasil.

Festival

Inédito em Belo Horizonte, o Festival do Japão em Minas, realizado até domingo (5), tem o objetivo de preservar, fomentar e divulgar a cultura japonesa para os mineiros, nipo-brasileiros e turistas. Em sua programação, concentrada no Pavilhão I do Expominas, será dada ênfase à diversidade cultural envolvendo apresentações de músicas instrumentais, danças e comidas típicas, exposições e oficinas de arte.

O evento conta com 24 apresentações culturais, incluindo grupos de Minas e São Paulo. O destaque são as atrações de músicas instrumentais, como o Taiko de Okinawa (tambores japoneses). O público terá oportunidade de visitar a exposição de calendários do Japão, preparada pelo Consulado Geral do Japão do Rio de Janeiro, e também de participar da tradicional arte da “Cerimonia do Chá”, promovida pelo Centro de Chado Urasenke do Brasil.

A área de artesanato reunirá 18 expositores com produtos típicos japoneses. O setor de gastronomia também será outra grande atração, oferecendo pratos tradicionais da culinária japonesa, tais como sushi, e os populares yakisoba e harumaki. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada para menores de 21 anos, estudantes e idosos).

Participaram da solenidade os secretários de Estado Elmiro Nascimento (Agricultura e Pecuária), Adriano Magalhães (Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), Dorothea Werneck (Desenvolvimento Econômico), Eliane Parreiras (Cultura), o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, o presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior, e o presidente da Usiminas, Julian Eguren.

Governo de Minas reabre Museu Mineiro com estrutura ampliada

BELO HORIZONTE (18/01/12) – A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, participou, nesta quarta-feira (18), da solenidade de reabertura do Museu Mineiro, após reformas em sua estrutura física. Juntamente com o superintendente de Museus e Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Léo Bahia, a secretária visitou com os convidados as salas de exposição do museu, que ganharam nova museografia, que inclui projeto luminotécnico e sistema elétrico restaurado e modernizado. O Museu Mineiro passou a contar, também, com uma Sala de Exposição Temporária, com 200 metros quadrados, e um espaço multiuso, para palestras e cursos, equipado com computadores.

Na ocasião, a secretária Eliane Parreiras ressaltou que o Governo de Minas reabre as portas do Museu Mineiro com grande satisfação, não só por seu respeitado acervo estar novamente disponibilizado ao público, mas, principalmente, por representar o esforço da SEC em fortalecer o Sistema Estadual de Museus.

Estiveram presentes à solenidade o presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior; o presidente da Casa Fiat de Cultura, José Eduardo de Lima Pereira; o ex-secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais e presidente do BDMG Cultural, Washington Mello; além dos artistas plásticos Yara Tupinambá, Eymard Brandão e Priscila Freire.

Incentivo

Inaugurado em 1982 com a missão de preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira e de ser espaço de referência para as demais instituições museológicas de Minas Gerais, o Museu Mineiro teve sua obra de recuperação realizada com o patrocínio do BDMG, por meio do BDMG Cultural; da Fiat, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura; e da parceria com a Fiemg, por meio do Sesi.

A reinauguração foi realizada com a abertura da mostra “Coleções do Museu Mineiro” – com obras da Coleção Arquivo Público, Coleção Geraldo Parreiras, Coleção Pinacoteca do Estado e Coleção Amigas da Cultura. Na Sala de Exposição Temporária, também foi aberta a mostra “Palavras: dos homens, das coisas, das plantas e dos animais”, que reúne 145 desenhos criados por 71 professores índios de seis etnias de Minas Gerais.

Fonte: Agência Minas