Arquivos do Blog

Governo Anastasia: parceria vai atender 7.500 micro e pequenas empresas em Minas até 2014

Governo de Minas e Sebrae assinaram protocolo de intenções para execução do Programa Agentes Locais de Inovação

José Carlos Paiva/Imprensa MG
Secretário Narcio Rodrigues e presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, durante solenidade
Secretário Narcio Rodrigues e presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, durante solenidade

secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, e o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barreto, assinaram protocolo de intenções para a execução do Programa ALI (Agentes Locais de Inovação) em Minas Gerais.

O ALI faz um atendimento personalizado às pequenas empresas, por meio de um diagnóstico que aponta as principais necessidades de intervenção para a melhoria dos processos e produtos. A meta do Governo de Minas é oferecer esta consultoria e assistência técnica a 7,5 mil empresas até 2014, em cerca de 70 segmentos definidos pela Secretaria do Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e o Sebrae, que coordenarão juntos a implementação do ALI no Estado.

Ao todo, serão recrutados 150 agentes na categoria de bolsistas do CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa). Cada agente será responsável pelo diálogo com 50 empresas nos próximos dois anos. Os primeiros agentes serão selecionados em abril e capacitados nos meses de maio e junho. A previsão de início das atividades, com os agentes já em campo, é a partir do segundo semestre.

“Este projeto terá uma repercussão extraordinária no interior de Minas Gerais. Os agentes locais de inovação permitirão potencializar áreas em que temos condições de promover o surgimento de pequenas indústrias e empresas importantes ao desenvolvimento do Estado, como na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC)”, afirmou o secretário Narcio Rodrigues.

O semiárido mineiro também será atendido pelo ALI, ampliando a motivação para inovação e empreendedorismo na região. “Vamos multiplicar as ações do ALI, que irão atuar em sintonia com os oito Polos de Inovação da Sectes, presentes no norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri”, explicou o secretário Narcio Rodrigues.

“Essa parceria com a Sectes é mais um passo no enfretamento de uma agenda fundamental para o Brasil, que envolve a inovação, a ciência e a tecnologia. O último Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Cageb), do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que as micro e pequenas empresas são responsáveis por 71% dos empregos formais gerados em fevereiro. Este é um setor fundamental do país, que nem sempre é atendido por políticas públicas condizentes com a sua importância. Para que o desenvolvimento brasileiro não deixe de fora as micro e pequenas empresas, precisamos de parcerias como essas, que atendem um segmento muitas vezes desprovido de um departamento de P&D para acompanhar as rápidas mudanças tecnológicas”, esclareceu o diretor-presidente do Sebrae, Luiz Barreto.

As ações do ALI também contarão com o apoio do Sistema Mineiro de Inovação (Simi), projeto desenvolvido pela Sectes, desde 2007, com o objetivo de promover a interação entre agentes de inovação diversos, vinculados à instituições de ensino e pesquisa, do setor empresarial e governamental. Por meio do portal http://www.simi.org.br mais de seis mil estudantes, pesquisadores e empresários – de aproximadamente 1.200 instituições – podem participar de uma rede social e trabalhar juntos em propostas de inovação tecnológica.

Nesta rede, as empresas podem publicar desafios tecnológicos que estimulem a produção de soluções por parte de pesquisadores e estudantes, e estes, por sua vez, passam a contar com um espaço para divulgar suas pesquisas. Com o projeto ALI, a interação virtual entre os agentes vai estimular e facilitar ainda mais a criação de novos produtos que impulsionam o desempenho das empresas no mercado e asseguram o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/parceria-vai-atender-7500-micro-e-pequenas-empresas-em-minas-ate-2014/

Gestão Anastasia: profissões incomuns oferecem oportunidades aos trabalhadores de Minas

Sine-MG disponibiliza vagas para tanatopraxista, contínuo, cumim e ortesista
Divulgação/Sete
Nas unidades do Sine-MG existem 83 vagas abertas para profissões inusitadas
Nas unidades do Sine-MG existem 83 vagas abertas para profissões inusitadas

“O que você vai ser quando crescer?”. É muito improvável que esta questão, muito comum durante a infância, tenha sido respondida com: tanatopraxista, contínuo, cumim ou ortesista. Com nomes no mínimo inusitados e atividades que, muitas vezes, sofrem preconceito, essas ocupações vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado de trabalho.

Nas unidades do Sistema Nacional de Emprego de Minas Gerais (Sine-MG), coordenadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), existem 83 vagas abertas para essas quatro profissões, sendo que duas delas são para a ocupação de tanatopraxista, com a média salarial de R$ 600; e 29 para a ocupação de contínuo, com salário de R$ 650. Já para os cumins, existem 51 vagas disponíveis com remuneração média de R$ 750, e para os ortesistas há uma vaga com salário médio de R$ 650.

O tanatopraxista ou tanatólogo é o profissional encarregado de preparar e higienizar cadáveres para velório. Um contínuo é a pessoa que presta serviços bancários, de entregas e de correios – atividade, hoje, também conhecida por office boy. O profissional cumim é o auxiliar de garçom. E o ortesista é aquele que interpreta as especificações médicas e efetuam as medidas do paciente para desenvolver, projetar, confeccionar, adaptar e reparar órteses e próteses de correção ou apoio para pessoas com lesões em qualquer parte do corpo.

Marco Aurélio Lima de Oliveira, 37 anos, lida o tempo todo com a única certeza que temos da vida, a morte. O tanatólogo, que atua na área há cinco anos, afirma ser um apaixonado por sua profissão. “Para ser tanatólogo você tem de gostar, e muito, da profissão. É uma coisa que não dá para explicar”, conta.

Segundo Marco Aurélio, além de gostar, mais dois fatores são essenciais: “não se importar com o que os outros vão pensar, pois o preconceito existe, e ter respeito, acima de tudo”, explica ele, que já até perdeu uma namorada por conta da profissão.

O tanatólogo diz trabalhar com muito respeito por se tratar de um momento muito delicado na vida dos familiares da pessoa que ele prepara, higieniza e maquia. “Eu trabalhava como enfermeiro e conheci a tanatologia por acaso. Um amigo fez um curso e eu também quis fazer, mas não sabia o que era na verdade, o que eu sabia era que trabalhava com mortos. Eu me inscrevi e no primeiro dia foi um pouco desconfortável, mas logo me acostumei. Aprendi toda a teoria e coloco em prática com o máximo de dedicação no meu dia a dia”, enfatiza.

Atualmente, no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) estão registradas mais de 10 mil profissões diferentes, sendo algumas com denominações e afazeres bem incomuns. A atualização e modernização da lista das ocupações acompanham as mudanças ocorridas no cenário cultural, econômico e social do país.

Se você está em busca de uma oportunidade no mercado e ainda não se decidiu em que profissão investir, ou quer inovar e trocar de ocupação, confira a lista  das ocupações existentes no país. Após se definir, confira aqui  as vagas disponíveis nas unidades do Sine do Estado ou vá a uma unidade do Sine. (http://www.trabalho.mg.gov.br/images/stories/Unidades_Sines.pdf)

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Sine ultrapassa marca de dois milhões de trabalhadores atendidos em Minas Gerais

Governo de Minas tem como prioridades a geração de emprego e a qualificação profissional dos mineiros. A previsão para este ano é capacitar cerca de 30 mil trabalhadores com cursos gratuitos, sendo oferecidos aos alunos material, alimentação e transporte.
Divulgação/Sete
Em 2011, 133.365 carteiras de trabalho foram emitidas nas unidades do Sine-MG
Em 2011, 133.365 carteiras de trabalho foram emitidas nas unidades do Sine-MG

As unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Minas Gerais realizaram 2.623.013 atendimentos aos trabalhadores mineiros ao longo de 2011. As 130 unidades do Sine-MG, que são coordenadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), inscreveram 563.620 trabalhadores, captaram 245.107 vagas em empresas parceiras, emitiram 133.365 carteiras de trabalho e requereram 606.344 benefícios do seguro-desemprego. Ainda neste período, foram encaminhados 699.301 trabalhadores, dos quais 84.533 foram inseridos no mercado de trabalho.

De acordo com o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, os números do Sine tendem a ser ainda melhores no ano de 2012. “Captamos as vagas, encaminhamos os trabalhadores, mas temos dificuldade em inseri-los. Hoje, somente nas unidades do Sine, temos mais de 20 mil vagas de emprego abertas. Mas faltam trabalhadores qualificados para ocupá-las. A geração de empregos e a qualificação profissional dos mineiros são prioridades no Governo de Minas”, destaca.

Ainda segundo o secretário, muitos cursos de qualificação abertos não tiveram suas vagas preenchidas por falta de candidatos interessados. “Temos muita dificuldade, por exemplo, de fechar turmas para qualificação na área da construção civil. E está difícil encontrar profissionais na área, embora muitas vezes os salários sejam mais altos que os de profissionais com curso superior. Precisamos imbuir essa ideia nos nossos trabalhadores”, conclui. O fomento à qualificação profissional, bem como a adoção de políticas públicas de acesso ao mercado de trabalho, está entre as metas estabelecidas pelo governador Antonio Anastasia.

Em 2011, a Sete qualificou 6.148 trabalhadores em diversas áreas, como auxiliar de contabilidade, almoxarife, auxiliar de cozinha, bombeiro hidráulico, carpinteiro, costureira, eletricista de manutenção industrial, garçom, marceneiro, motorista operador de caixa, operador de telemarketing, pedreiro, pintor, salgadeiro, recepcionista e vendedor. Em 2012, a previsão é qualificar cerca de 30 mil trabalhadores. Os cursos oferecidos são gratuitos e os alunos recebem ainda material, alimentação e transporte, se necessário. As inscrições são feitas nas unidades de atendimento do Sine.

Novas unidades

A implantação de 29 novas unidades do Sine, coordenadas pela Sete, já foi aprovada pelo Conselho Estadual de Trabalho e Emprego (Ceter) e pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No último dia 27 de janeiro, foi inaugurada a unidade de São Francisco, no Norte de Minas. Nesta sexta-feira (3), será a vez de Machado, no Sul de Minas, a ganhar um espaço dedicado ao trabalhador.

Fonte: Agência Minas