Arquivos do Blog

Gestão da saúde: estudantes promovem ação contra a dengue na região Noroeste de BH

Saúde mobiliza estudantes da capital para o combate ao mosquito
Alexandre Ribeiro
Alunos orientam moradores do bairro Dom Bosco sobre o trabalho de prevenção aos focos do mosquito
Alunos orientam moradores do bairro Dom Bosco sobre o trabalho de prevenção aos focos do mosquito

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, promoveu no sábado (11) uma gincana comunitária de combate à dengue para os alunos da Escola Municipal Dom Bosco, região Noroeste da capital.

Participaram da ação aproximadamente 100 alunos da escola, que contaram com o apoio de outros 100 voluntários da Associação Profissionalizante do Menor de Belo Horizonte (Assprom). Os alunos foram divididos em equipes de até 25 componentes, que percorreram o bairro Dom Bosco orientando a comunidade para o trabalho de prevenção aos focos do mosquito da dengue e, ao mesmo tempo, recolheram os inservíveis (materiais que podem acumular água) como parte da gincana.

Ao final, as equipes que tiveram maior sucesso no recolhimento dos potenciais focos da dengue receberam como prêmio kits com o material escolar do “Agora é Guerra”, contendo lápis, caderno e borracha. O aprendiz da Assprom Gabriel Pacífico, 16 anos, pouco antes do início das atividades no bairro, conheceu o Dengueville, um aplicativo em forma de jogo virtual para as redes sociais que ensina como combater o mosquito da dengue e evitar a doença de forma lúdica. “Foi legal, porque no jogo deu pra ver os lugares comuns onde se acumula água, que foram parecidos com os locais que achamos algumas garrafas pets na gincana”, disse.

A referência em mobilização do Núcleo de Mobilização Social da Secretaria Municipal de Saúde (Mobiliza SUS), Carlos Fernandes, explica que é grande a necessidade de trabalhos de mobilização não somente no bairro Dom Bosco, como em toda região Noroeste de Belo Horizonte, que apresenta índices preocupantes para a dengue. “Acreditamos no potencial das crianças como multiplicadores de informação para mobilizar a comunidade e impedir a infestação generalizada nessa região”, afirmou.

O último levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) no bairro Dom Bosco, referente ao mês de janeiro, indicou 6,28%. Segundo o Ministério da Saúde, LIRAa acima de 4% representa risco de epidemia.

Por esta razão, as ações de mobilização são fundamentais no atual período de alta transmissão da doença, caracterizados pelas altas temperaturas registradas, com possibilidades de chuva. Como explica a referência técnica em dengue da Secretaria de Estado de Saúde, Geane Andrade, as ações de mobilização social são vitais em períodos de entre chuvas. “Reforçar a prevenção no momento atual é essencial, uma vez que as chuvas concentradas, previstas para os próximos períodos, podem agravar o controle da dengue”, alerta.

Escola integrada

A ação que culminou na gincana contra a dengue é parte das atividades do projeto Escola Integrada no bairro Dom Bosco. Durante as semanas que precederam o evento de mobilização, os alunos da Escola Municipal Dom Bosco conheceram, por meio de palestras e oficinas com técnicos em saúde, os modos de prevenção e as consequências decorrentes da dengue.

Segundo a coordenadora da Escola Integrada da Escola Municipal Dom Bosco, Ana Paula Costa, a abordagem pela sensibilização dos técnicos fez com que os alunos compreendessem a verdadeira dimensão do problema. “As crianças estão acostumadas a apenas ver a doença sob a forma do mosquito, mas quando vêem como é um enfermo que está com dengue eles percebem o quanto a situação é grave”, afirmou.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: saúde reúne 30 municípios mineiros para aprimorar o combate à dengue

Entre as ações efetivas anunciadas está a liberação de R$ 1 milhão para a compra de 30 veículos que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos.
Vivian Campos/SES-MG
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios

Secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros em situação crítica de infestação do mosquito Aedes aegipty se reuniram, nesta quarta-feira (1), com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011. A média de infestação por dengue (LirAa) nessas cidades chega a 4,6%, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde consideram 1% como Alto Risco de Transmissão de Dengue.

De acordo com o secretário Antônio Jorge, o Estado apresenta uma situação climática totalmente favorável ao mosquito, mas isso não pode ser usado como justificativa para 100% do problema, mesmo que o volume de água trazido pelas chuvas tenha representado, em algumas cidades, o maior volume de água dos últimos 100 anos. “Tivemos um enorme êxito em 2011, se compararmos com 2010, em que houve uma redução de mais de 80% dos casos notificados. Porém, é fundamental que os gestores municipais tenham uma atenção especial e redobrem a atenção em 2012”. Ele ressaltou, ainda, a introdução do sorotipo 4 do mosquito, que aumenta e fragiliza a cadeia de contaminação.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de aproximadamente 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais, como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, otimizar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário é que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da força-tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Notificações

Este ano, dos 2.459 casos de dengue notificados nas 853 cidades mineiras, 30% estão nos municípios convocados, o que representa 328 casos e 10% da população do Estado. “Estamos atentos a qualquer necessidade e pedimos que esses municípios redobrem a atenção para a dengue. Queremos entender os problemas e resolver as questões pontuais”, disse Antônio Jorge.

Outra proposta foi a criação de uma feira, ainda no primeiro semestre, em que os gestores de saúde terão a oportunidade de apresentar e trocar experiências exitosas das ações de dengue. “Parte do resultado negativo nesta guerra contra o mosquito está ligada às políticas de gestão, que muitas vezes podem ser mal aplicadas ou formatadas. Sendo assim, devemos pensar em estratégicas, ações diferentes para provocar melhores resultados, pois a dengue já é uma agenda no Estado há 15 anos e com resultados de melhora distintos”, explicou o secretário.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Fonte: Agência Minas