Arquivos do Blog

Governo de Minas: novos comitês regionais tomam posse na Cidade Administrativa

Centro-Oeste, Noroeste, Alto Paranaíba e Central completam implementação do Estado em Rede nas dez regiões de Minas Gerais

José Carlos Paiva/Imprensa MG
A secretária Renata Vilhena deu posse aos novos comitês
A secretária Renata Vilhena deu posse aos novos comitês

Nesta sexta-feira (22), tomaram posse na Cidade Administrativa os representantes de quatro comitês regionais do Estado: Centro-Oeste, Noroeste, Alto Paranaíba e Central. A constituição desses comitês completa a implementação da gestão regionalizada nas dez regiões de planejamento do Estado: além das quatro regiões, Rio Doce, Norte de Minas, Zona da Mata, Jequitinhonha/ Mucuri, Sul de Minas e Triângulo.

O evento contou com a presença das secretárias Renata Vilhena (Planejamento e Gestão) e Maria Coeli Simões (Casa Civil e Relações Institucionais), além da ouvidora-Geral do Estado, Célia Barroso, e do secretário-adjunto de Governo, Leonardo Couto, que empossaram os membros dos comitês.

Formados por agentes de diversas secretarias e órgãos estaduais dessas regiões do Estado, os comitês irão identificar prioridades para implementar as estratégias do governo, propondo soluções intersetoriais para os temas regionais. O trabalho integra o programa Estado em Rede, uma das prioridades do governo Antonio Anastasia.

A secretária Renata Vilhena saudou os presentes e destacou a importância fundamental do programa: criar um diálogo constante entre governo e sociedade. “Começamos esse trabalho no Rio Doce e no Norte de Minas, e já colhemos resultados muito significativos. Todos aqui têm um papel muito relevante, representando suas regiões e reforçando a ligação entre a demanda regional e a área central. Vocês serão nossos porta-vozes para fazermos esse diálogo permanente, dentro da Gestão para a Cidadania”, disse ela.

Equilíbrio e unidade

O papel da regionalização em um estado tão grande e diversificado como Minas Gerais foi ressaltado pela secretária Maria Coeli. “A gestão regionalizada confere equilíbrio e unidade às regiões do Estado. Esse programa conta com grande esforço e determinação do governador Antonio Anastasia, no sentido de promover a participação, a integração e a intersetorialidade”, afirmou.

De acordo com a ouvidora-Geral do Estado, Célia Barroso, “a alma do Estado em Rede é essa: ouvir a sociedade civil, com humildade, reflexão e ação. Este é um momento muito importante, que vai mudar a face de Minas Gerais”.

Em seguida, os representantes dos comitês assinaram o termo de posse e posaram para fotos com os dirigentes governamentais. Após o encerramento do evento, alguns deles falaram das expectativas em relação ao início dos trabalhos nas regiões. O representante da Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) no Alto Paranaíba, Wesley Cantelmo, disse que os anseios regionais são enormes. “Nossa secretaria já trabalha com o planejamento e desenvolvimento regional e para nós essa é uma grande oportunidade no sentido de facilitar a articulação da política do Estado”, explicou.

Para o diretor regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) em Paracatu, Erasmo Neiva, trata-se de uma oportunidade única de criar essa interação entre governo e sociedade. “Vamos trabalhar nessa aproximação e interação da várias regionais, cada um conhecendo o trabalho do outro, para montarmos esse processo e depois chamarmos a sociedade para discutir as estratégias”, disse ele, que integra o comitê do Noroeste.

Soluções integradas

De acordo com Elbert Araújo Santos, representante da Sedru no Centro-Oeste, alinhar as expectativas regionais dos representantes do comitê com as demandas da sociedade é um desafio muito interessante. “O melhor caminho para se avançar nesse objetivo é unir diversas secretarias na busca de soluções integradas”, enfatizou.

O membro da Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) do Comitê Central, Alexandre do Carmo e Silva, disse estar orgulhoso de integrar essa equipe de trabalho. “Temos grande expectativa de implementar nossos projetos de estímulo ao trabalho e emprego na região. Eu creio nesse projeto e acredito que será de grande importância para Minas Gerais fazer essa integração entre secretarias”.

Os trabalhos dos novos comitês terão início em agosto, quando serão realizadas as reuniões dos comitês do Noroeste, Alto Paranaíba e Centro-Oeste. Em outubro será a vez do Comitê Regional Central. As reuniões são realizadas a cada três meses.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/novos-comites-regionais-tomam-posse-na-cidade-administrativa/

Governo de Minas: Comitê Regional do Jequitinhonha/Mucuri aponta temas para atuação em parceria

Encontro identifica prioridades locais para serem trabalhadas de forma multidiscipinar

Na primeira reunião do Comitê Regional do Jequitinhonha/ Mucuri, realizada nesta quarta-feira (29) em Teófilo Otoni, foram relacionados temas importantes que poderão ser objeto de trabalho em parceria entre órgãos e secretarias regionais, como prevenção às drogas com formação para cidadania; estímulo contra a evasão no ensino médio; criação de oportunidades de trabalho para os jovens; segurança alimentar e disposição final de resíduos sólidos.

O objetivo do encontro é identificar prioridades locais para serem trabalhadas de forma multidiscipinar entre os representantes do governo, possibilitando a integração de estratégias governamentais para a região. O encontro reuniu os representantes do comitê, formado por membros de órgãos do governo no Jequitinhonha/ Mucuri, e técnicos da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

Os comitês regionais foram criados para dar início à implementação do Estado em Rede, que trabalha a regionalização da gestão governamental, uma das prioridades do governo Antonio Anastasia. O programa já se encontra em desenvolvimento de forma piloto nas regiões do Rio Doce e no Norte de Minas. O Comitê Regional do Jequitinhonha/ Mucuri foi empossado em 9 de fevereiro, na Cidade Administrativa, ao lado dos comitês da Mata; Sul de Minas e Triângulo.

Após a apresentação dos representantes locais, o diretor central de Coordenação da Ação Governamental, Leonardo Ladeira, apresentou o painel de contextualização do trabalho e a metodologia de priorização e integração da estratégia governamental, observando a importância de se identificar realidades locais que exijam o trabalho em parceria entre órgãos diversos.

Em seguida, foram mostrados vários painéis com indicadores das redes de desenvolvimento integrado na região, estabelecidas no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI 2011-2030). Na etapa seguinte, os representantes regionais debateram características socioeconômicas do Jequitinhonha/ Mucuri e seus maiores desafios, com grande participação dos representantes locais.

Evolução

Em áreas fundamentais, como Educação, Saúde e Segurança, a região do Jequitinhonha/ Mucuri apresenta números significativos. Os dados da Secretaria de Estado de Educação (SEE) mostram que a educação evoluiu positivamente nos últimos anos. Em 2006, o percentual de alunos em nível recomendável de alfabetização medidos pelo Proalfa – programa que avalia a qualidade de leitura e escrita dos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental – era de aproximadamente 35%, bem abaixo da média estadual (52%). Em 2010, 84,4% dos alunos da região obtiveram o nível recomendável segundo aquela avaliação, enquanto que a média do Estado foi 86,5%.

Na Saúde, o Programa Saúde da Família (PSF) desempenha papel fundamental para o atendimento primário às famílias, principalmente as de baixa renda. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), 73% da população do Jequitinhonha/Mucuri eram cobertas pelo PSF em 2008, enquanto que em 2010 esse número chegou a 86,5%, uma das maiores do Estado. Verifica-se também que a maioria dos municípios da região tem entre 93 a 100% de sua população atendida pelo programa.

A região também reúne alguns dos melhores índices do Estado na área da Segurança, de acordo com a taxa de crimes violentos, que considera os homicídios, estupros e tentativas de estupros e roubo a mão armada. No triênio 2002/2004 a taxa calculada para a região foi de 151,7 crimes para cada 100 mil habitantes, a terceira menor dentre as regiões de planejamento. Entre 2008 e 2010 houve uma evolução positiva do indicador, visto que a taxa registrada foi de 143,7 – o que aponta uma redução ao longo do tempo.

Trabalho integrado

Para a diretora da Superintendência Regional de Ensino de Teófilo Otoni, Maria da Conceição Fernandes Gazinelli, a oportunidade de se realizar um trabalho intersetorial a partir de agora é efetiva: “Hoje começamos a conhecer de perto o trabalho dos outros órgãos e entender os pontos em comum que existem com os nossos projetos”. Ela destaca o trabalho já realizado no município, em parceria com a Polícia Militar. “A polícia já realiza um trabalho de cidadania com nossos alunos, dando palestras, realizando atividades recreativas, enfatizando a prevenção à violência e às drogas, estimulando bons hábitos. Aqui no município podemos trabalhar também em conjunto com a Saúde, em favor da comunidade dos índios Maxacali, por exemplo, que enfrentam sérios problemas de alcoolismo”, relata.

O coronel José Geraldo de Lima, comandante da 15ª Região da Policia Militar, ressalta a importância do trabalho em rede em sua área: “Na segurança, nosso trabalho naturalmente tem reflexos em outras redes, como na educação, na saúde e no meio ambiente. Se a Secretaria de Trabalho e Emprego, por exemplo, amplia sua oferta de trabalho em Teófilo Otoni, diminui-se os índices de delinquência. Se há uma maior qualificação na educação, da mesma forma colhemos resultados positivos na segurança”, explica.

De acordo com o superintendente Regional de Saúde em Diamantina, Vandeir José Botelho, a experiência de intersetorialidade entre regionais de saúde já acontece na prática há algum tempo. “Dessa forma, temos conseguido evoluir significativamente. Por isso, vemos aqui que essa política da governança em rede estava entre as promessas de campanha do governador Antonio Anastasia, e isso hoje está se concretizando por meio desses encontros. Temos um programa, o Capes AD, que realiza um trabalho com usuários de álcool e drogas, e nele poderemos desenvolver parcerias com a Polícia Militar e com a Secretaria de Educação. Assim, poderemos evoluir bastante nos dados socioeconômicos nos próximos anos”, diz ele.

Em 29 de março será realizada a primeira reunião do Comitê Regional do Sul de Minas, em Varginha. Em 12 de abril será a vez do Comitê do Triângulo. Em maio próximo tomam posse os membros dos comitês regionais das regiões do Noroeste; Alto Paranaíba; Centro-Oeste e Central, totalizando a formação de comitês nas dez regiões de planejamento do Estado.

O trabalho de coordenação do Estado em Rede é de competência conjunta da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão; Secretaria de Estado de Casa Civil e Relações Institucionais (SECCRI); Ouvidoria Geral do Estado (OGE) e Secretaria de Estado do Governo (SEGOV).

Fonte: Agência Minas