Arquivos do Blog

Governo de Minas: atleta pedala 24 horas consecutivas para chamar atenção para o tema drogas

O objetivo é chamar a atenção para a prevenção do uso de entorpecentes, lembrando que a prática de esportes é um bom caminho para uma vida com qualidade.

O mineiro Rogério Pacheco, triatleta com vários títulos mundiais, promete um alerta diferente contra o uso de drogas neste sábado (23.06): ele vai pedalar por 24 horas, no entorno da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, com breves paradas apenas para se alimentar. O objetivo é chamar a atenção para a prevenção do uso de entorpecentes, lembrando que a prática de esportes é um bom caminho para uma vida com qualidade. “O esporte te envolve de tal forma que nada que não contribua para a saúde do seu corpo vai te interessar”, ressalta o atleta.  Rogério possui um projeto de ajuda a ex-dependentes químicos que neste mês comemora quatro anos de atuação.

Amigos e ex-usuários atendidos pelo projeto de Rogério são esperados para a pedalada no entorno da Pampulha. Eles foram convidados para dar mais visibilidade à ação, e para fornecer informações aos cidadãos sobre o que o atleta está fazendo naquele local.

O projeto Pedalando pela Vida é uma das ações desenvolvidas pela Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod), da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), em parceria com diversas instituições públicas, privadas e não governamentais de Minas, em comemoração à Semana Estadual de Prevenção às Drogas. Entre 19 e 26 deste mês estão sendo realizados cerca de 200 eventos em todo o Estado, com o tema “Superação”.

Outra programação em BH

Neste sábado (23), também será realizada a Marcha Contra o Crack e Outras Drogas, em Belo Horizonte. O ato público tem o objetivo de chamar a atenção para o combate ao uso de entorpecentes e pretende ser uma grande mobilização dos mineiros pela vida. São esperadas cerca de 10 mil pessoas, da capital e do interior do Estado. Há caravanas das cidades de Jaboticatubas, Ravena, Santa Luzia, Divinópolis, Oliveira, Esmeraldas, Contagem, entre outros municípios.

A concentração para a caminhada será às 9h em frente ao Colégio Estadual Central, no Lourdes, com deslocamento até a Praça da Assembleia Legislativa.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/atleta-pedala-24-horas-consecutivas-para-chamar-atencao-para-o-tema-drogas/

Governo de Minas: Seminário irá discutir as diretrizes de trabalho para a educação no campo

Propostas serão encaminhadas ao Ministério e Secretaria de Estado de Educação.

Divulgação SEE
Comunidades indígenas fazem parte dos grupos da educação de campo
Comunidades indígenas fazem parte dos grupos da educação de campo

Entre os dias 29 e 31 de maio, será realizado o ‘1º Seminário de Educação do Campo’ que irá reunir 430 convidados de várias instituições ligadas à educação e a educação do campo, como representantes de movimentos sociais, acadêmicos e diretores de escolas, com apoio da Secretaria de Estado de Educação (SEE). O Seminário será realizado em Jaboticatubas, região Metropolitana, no Hotel Fazenda Canto da Siriema.

Durante o encontro, os participantes irão reunir propostas dos diversos setores. “Finalizado o seminário, as propostas que tiverem sido aprovadas na plenária final serão encaminhadas para o Governo de Minas para apreciação. O I Seminário tem natureza propositiva”, frisa a diretora de Temáticas Especiais da SEE, Soraya Hissa.

O Seminário surge da importância da educação do campo, dada a complexidade dos grupos sociais que se inserem neste contexto. “Comunidades indígenas, áreas remanescentes de quilombos, famílias agrícolas que possuem um sistema escolar diferenciado, conhecido por ‘pedagogia de alternância’, além dos assentamentos rurais compõem, em suma, estes grupos que necessitam de programas educacionais diferenciados, para que atendam melhor seus anseios e particularidades”, destaca a Soraya Hissa.

Nas escolas indígenas, por exemplo, existem projetos de recuperação da cultura da etnia, inclusive, no campo linguístico. Os quilombolas também possuem projetos pedagógicos relacionados à memória, que necessitam de orientações de execução especiais.

Os alunos de escolas famílias agrícolas já possuem também uma metodologia de ensino diferenciada. Alunos de pequenas propriedades agrícolas do ensino médio recebem recursos da União para frequentarem, além do ensino normal, um curso complementar de técnicas agrícolas. E por esta razão, os jovens possuem um regime letivo diferenciado, pois alternam 15 dias na escola e 15 dias em casa, e aplicam no campo aquilo que aprenderam em sala de aula. A mesma preocupação se aplica a crianças e adolescentes dos assentamentos rurais.

Acompanhamento das discussões

Nesta semana, o Grupo de Trabalho Educação do Campo, comissão de estudos criada em janeiro deste ano para discutir as diretrizes estaduais de ensino para as escolas rurais de Minas Gerais, ganhou uma página no portal da Secretaria de Educação.  O espaço funciona como mais um link para pesquisa e intercâmbio na área educacional.

Durante o seminário, a página abrigará um fórum criado para enriquecer o debate e aproximar o público do evento. “O fórum foi criado para compartilhar as experiências e alinhar às informações referentes ao ensino no campo, que são muitas. As sugestões serão bem vindas, e por isso, convidamos todos que tiverem interesse e envolvimento com o assunto a enviarem seus textos, suas perguntas e respostas. Todo o material será avaliado pelos 10 grupos de trabalho que estarão presentes no seminário”, explicou a diretora.

No site, o público poderá encontrar mais informações para se inteirar sobre o tema.  Legislações relacionadas às temáticas especiais, como as diretrizes curriculares nacionais para grupos étnico-raciais, infográficos sobre a localização e distribuição das escolas rurais em Minas Gerais, fazem parte deste material de apoio. Outras informações referentes às comunidades quilombolas no campo, relatórios sobre a formação de educadores no contexto da educação do campo, histórico, princípios, conceitos, práticas e marcos normativos também estão lá.

Para acessar o site, basta acessar o endereço www.educacao.mg.gov.br/gtcampo ou clicar na logomarca do Grupo de Trabalho na barra lateral esquerda da página principal da Secretaria de Estado de Educação.

Entidades participantes

Para discutir o tema, estarão presentes no Seminário a Comissão Pastoral da Terra (CPT), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Conselho de Educação do Estado (CEE), a Associação Mineira das Escolas da Família Agrícola (AMEFA), a Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST), o Conselho dos Povos Indígenas de Minas Gerais (COPIMG), entre outras.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-ira-discutir-as-diretrizes-de-trabalho-para-a-educacao-no-campo/

Gestão da Educação: Seminário capacita educadores para as atividades do Projeto Professor da Família em 2012

Cerca de 140 profissionais se reúne até o dia 17 de maio, em Jaboticatubas

Entre os dias 15 e 17 de maio, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) realiza um encontro de capacitação dos educadores que atuarão no Projeto Professor da Família 2012. Cerca de 140 profissionais (agente educacionais, coordenadores locais, especialistas, diretores educacionais e analistas educacionais das Superintendências Regionais de Ensino) se reúnem no Hotel Fazenda Canto da Siriema, em Jaboticatubas, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Entre as atividades programadas para os participantes estão oficinas sobre o plano de ação do projeto, os relatórios de visitas a serem produzidos pelos agentes educacionais. Na ocasião, os participantes também elaborarão um cronograma para as atividades, plano de ação e avaliação do seminário.

“Para a transição do projeto da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) para a Secretaria de Educação, nós formamos um grupo de trabalho a partir do qual foi feita uma retrospectiva, tendo como foco os relatórios produzidos pelos agentes que fizeram o acompanhamento inicial das famílias, em 2011. Esses estudos formam o suporte para o plano de trabalho e ainda para a capacitação que está acontecendo, de maneira a mantermos a consistência do Projeto Professor da Família, explica a superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio, Audrey Regina Carvalho Oliveira.

Uma das palestras do primeiro dia da capacitação foi dada pela diretora da Magistra, Angela Dalben. Em sua fala destacou o papel estratégico que os conselhos de classe têm nas escolas e a contribuição que os agentes educacionais, que atuarão no Projeto Professor da Família, poderão oferecer. “O agente que acompanha o aluno e sua família, pode potencializar o conselho de classe uma vez que têm mais informações do estudante”, explicou Angela Dalben que também é uma pesquisadora dos conselhos de classe. Na ocasião, Angela também falou sobre as funções da Magistra.

Acompanhar para educar

O Projeto Professor da Família começou em 2011, com o objetivo de apoiar o envolvimento das famílias nas questões educacionais. Em seu primeiro ano, o projeto foi coordenado pela Seplag. Em 2012, o projeto passa a ser gerenciado pela Secretaria de Estado de Educação. O projeto integra o Programa Estruturador ‘Educação para Crescer’, da SEE.

O ‘Professor da Família’ realiza ações como o acompanhamento dos alunos do ensino médio e de suas famílias, a realização de visitas domiciliares, reuniões com pais e/ou responsáveis e ações complementares, com cerca de quatro mil alunos do ensino médio de 22 escolas estaduais. O objetivo é a redução dos índices de evasão escolar e o baixo rendimento escolar.

As 22 escolas participantes do projeto em 2011 e que continuam neste ano, integram as Superintendências Regionais de Ensino de: Almenara, Araçuaí, Diamantina, Metropolitana B, Metropolitana C, Patos de Minas, Sete Lagoas e Unaí.

Nova metodologia

A previsão de início da nova metodologia de trabalho do ‘Professor da Família’ é 1º de junho. Para a continuidade do atendimento desse público, a SEE designou 81 Agentes Educacionais/ ATB que realizarão atividades como visitas domiciliares aos alunos e suas famílias, com elaboração de relatórios e a orientação dos alunos e famílias sobre o uso da biblioteca, motivando a importância dos hábitos de leitura.

Também haverá 22 coordenadores locais, pertencentes ao quadro de servidores da escola. Entre as suas tarefas estão: a de orientar os agentes educacionais em suas visitas domiciliares de acompanhamento, organizar métodos alternativos de estudos para os alunos e estabelecer relação com os diretores e supervisão escolar.

Um coordenador institucional, na sede de cada uma das oito superintendências Regionais de Ensino participantes, realizará tarefas como elaboração do plano de participação familiar com as escolas estaduais e monitorar a execução de ações do projeto. Nas Superintendências também haverá um analista educacional atuando no projeto.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-capacita-educadores-para-as-atividades-do-projeto-professor-da-familia-em-2012/

Gestão Anastasia: Governo de Minas implanta Rede de Urgência e Emergência da Região Central

Projeto vai beneficiar cerca de seis milhões de pessoas em 104 municípios

Wellington Pedro/Imprensa MG
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, durante pronunciamento na abertura da runião
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, durante pronunciamento na abertura da runião

O governador em exercício, Dinis Pinheiro, abriu, nesta quinta-feira (10), na Cidade Administrativa, reunião para a apresentação da proposta para a implantação do Consórcio Aliança pela Saúde como instrumento de gestão da Rede de Urgência e Emergência da Macrorregião Centro e do Samu Macrorregional. Essa rede irá atender a 6 milhões de pessoas de 104 municípios. A Rede de Urgência e Emergência é uma parceria do Governo de Minas com o governo federal e os municípios para agilizar e melhorar a qualidade dos serviços para as pessoas que precisam de rapidez no atendimento médico.

“A rede irá funcionar de forma integrada e em permanente sintonia com os municípios e o governo federal. Essa rede tem um objetivo que é dar celeridade, rapidez e, evidentemente, melhorar o atendimento das pessoas no setor da saúde. Essa rede resultará em mais recursos, mais ambulâncias e os hospitais localizados estrategicamente serão dotados de melhor estrutura”, destacou o governador em exercício.

Nas redes, as unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atuam integradas a um Complexo Regulador, que controla o fluxo do atendimento. A ambulância, ao resgatar o paciente, saberá qual é o hospital mais próximo tem leito disponível e está em condições de atender adequadamente. A proposta é que em cada região onde a Rede de Urgência e Emergência esteja implantada, 90% da população tenha acesso rápido a um serviço de saúde – ambulância, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou hospital.

O secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, explicou que o projeto do fortalecimento da Urgência e Emergência na Macrorregião Centro vai além da implantação da rede.

“Para que uma rede possa funcionar, precisamos de um elemento logístico que liga essas pontas que é o Samu, um serviço muito conhecido na Região Metropolitana de Belo Horizonte, mas que estava restrito às cidades com mais de 100 mil habitantes. O que fizemos foi estender o Samu. Assim, qualquer cidadão da Macrorregião Centro, que congrega 104 municípios, terá acesso ao serviço”, explicou Antônio Jorge.

Fortalecimento da Rede

O projeto, aprovado junto ao Ministério da Saúde para a implantação da Rede na região Central, prevê investimentos de R$ 5,16 milhões para auxiliar no custeio de prontos-socorros de hospitais e UPAs, que funcionam como porta de entrada dos pacientes. Do total, R$ 2,36 milhões serão disponibilizados pelo Governo de Minas. Até 2014, estáprevista a abertura de 790 leitos clínicos, 340 leitos de UTI adulto e pediátrico e 390 leitos de longa permanência nos hospitais participantes do projeto.

A implantação da Rede de Urgência e Emergência prevê a criação de 52 equipes multiprofissionais de atenção domiciliar, que continuarão acompanhando o paciente após a alta hospitalar. Cada equipe será composta por dois médicos, dois enfermeiros, um fisioterapeuta e um assistente social e quatro técnicos de enfermagem. Serão também criadas 25 equipes multiprofissionais de apoio, compostas por três profissionais – psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social ou fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, farmacêutico ou nutricionista.

O projeto prevê também a implantação de sete salas de estabilização, a serem utilizadas como local de assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves e posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde. As salas serão implantadas nos municípios de Belo Vale, Jaboticatubas, Felixlândia, Rio Vermelho, Barão de Cocais, Ferros e Morada Nova de Minas. A manutenção dessas salas está orçada em R$ 35 mil mensais, sendo R$ 25 mil recursos do Ministério da Saúde e R$ 10 mil, investimento do Governo de Minas.

Outras Redes

A primeira Rede de Urgência e Emergência de Minas Gerais foi implantada no Norte, em 2008, abrangendo 86 municípios e beneficiando 1,5 milhão de pessoas. Em fevereiro deste ano, foi inaugurada a Rede na região Centro-Sul, com investimentos de R$ 7 milhões, com sede em Barbacena, e beneficiando 723 mil pessoas de 50 municípios. Em abril, foi implantada a Rede nas regiões Nordeste e Jequitinhonha, sediada em Teófilo Otoni. Foram investidos R$ 6,7 milhões e deve ser atendida uma população de 1,2 milhão de pessoas, de 86 municípios. Até o fim de 2012, deverá ser implantada a rede Macro Sul, com sede em Varginha.

Atualmente, 232 municípios são atendidos pelo Samu, o que corresponde a 45% da população mineira. Com o funcionamento de mais duas redes (Centro e Sul), a cobertura saltará para 70% da população. A meta, até o final de 2014, é cobrir as 13 macrorregiões de saúde em que o Estado é dividido, com 12 redes de Urgência e Emergência em atuação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-implanta-rede-de-urgencia-e-emergencia-da-regiao-central/

Governo de Minas: Ipem/MG inicia verificação dos taxímetros dos veículos com placa final 1 e 2

O atendimento para esses veículos com placa final 1 e 2 vai até o dia 16 de março

Começa na próxima segunda-feira (12) a aferição dos taxímetros instalados nos veículos com placas de final 1 e 2, licenciados em Belo Horizonte e outros dezesseis municípios da Região Metropolitana: Ibirité, Ribeirão das Neves, Sarzedo, Contagem, Betim, Santa Luzia, Vespasiano, Caeté, Nova Lima, Juatuba, Sabará, Taquaraçu de Minas, Lagoa Santa, Confins, Raposos e Jaboticatubas. O trabalho será realizado pelos agentes fiscais da regional Belo Horizonte do Instituto de Metrologia e Qualidade do Estado de Minas Gerais (Ipem/MG). Para esses veículos – com placa final 1 e 2 – o atendimento vai até o dia 16 de março.

Nessa semana, foi realizado o atendimento prioritário para condutores acima dos 60 anos – conforme a Lei Federal 10.048/2000. O diretor-geral do instituto, Ivan Alves Soares, lembra que a fiscalização é anual e obrigatória e tem como objetivo verificar as condições gerais dos veículos, além de efetuar a mudança de tarifa nos taxímetros.

A partir do dia 12, o taxista ou permissionário deve comparecer à regional BH (rua Jacuí, 3921 – bairro Ipiranga), de 8h30 às 17h (sem intervalo para almoço), para realização do serviço. O cronograma de verificação é o seguinte: entre os dias 5 e 9 de março foi realizado atendimento exclusivo para os permissionários acima de 60 anos de idade. Na semana de 12 a 16 de março, serão atendidos os veículos com placa final 1 e 2. Entre os dias 19 e 23 de março, veículos de placa final 3 e 4. Semana de 26 a 30 de março, veículos com placa final 5 e 6. Entre os dias 2 a 5 de abril, placa final 7 e 8 e entre os dias 9 e 13 de abril, veículos com placa final 9 e 0.

O gerente da regional BH, Anderson Rogério da Rocha, lembra que todos os permissionários detentores de placas nesses municípios devem comparecer, dentro do cronograma previsto. É exigida a seguinte documentação para a verificação: último certificado de verificação do taxímetro; documento de identidade e documento do veículo (CRLV).

O gerente informou ainda que o procedimento é bastante simples e obedece à seguinte ordem: após comparecer à regional, onde é realizada uma vistoria do veículo, o taxista recebe a GRU anual e obrigatória (no valor de R$ 37,50) e a GVT (Guia de Verificação Taximétrica). Em seguida, deve comparecer a uma das oficinas credenciadas pelo Ipem – próximas à rua Jacuí – para realizar a mudança de tarifa no taxímetro.

Última etapa

A última etapa consiste no teste de pista, realizado na avenida Bernardo Guimarães, bairro Santa Cruz, próximo à regional. No teste de pista, onde são realizados os ensaios metrológicos, é verificado se o valor cobrado pelo taxímetro corresponde exatamente à distância percorrida. Após o teste na via, caso seja aprovado, o taxista ou permissionário retorna à regional e recebe o certificado de verificação 2012.

O não comparecimento sujeita o proprietário do veículo às penalidades dos artigos 8º e 9º da Lei 9933/99 e, no que couber, à Lei 5966/73, com as recomendações do item 37 da resolução 11/88 Conmetro. Podem ser aplicadas advertência ou multa. A taxa de verificação é de R$ 37,50 e o taxista que não puder comparecer deve apresentar justificativa protocolada junto à regional do IPEM em Belo Horizonte, anexando prova do impedimento alegado.

Serviço:

Verificação dos taxímetros dos veículos de Belo Horizonte e 16 municípios da Região Metropolitana

Valor: R$ 37,50 (GRU – Guia de Recolhimento da União)

Local: Regional Belo Horizonte – rua Jacuí, 3921 – Bairro Ipiranga – tel: (31) 3429-2511

Fonte: Agência Minas

TÁXIS CONVENCIONAIS

Período

Placas de final

12 a16/03

1 e 2

19 a23/03

3 e 4

26 a30/03

5 e 6

02 a05/04

7 e 8

09 a13/04

9 e 0

Gestão em Minas: defesa social inicia ações de segurança para o Carnaval com blitz educativa contra drogas

Em todo o Estado, mais de 33 mil policiais militares, civis e bombeiros trabalharão durante o feriado, com foco na proteção ao cidadão, fiscalização e investigação de crimes e prevenção de acidentes em estradas e rodovias
Divulgação/Seds MG
Campanhas de conscientização e fiscalização serão reforçadas em Minas
Campanhas de conscientização e fiscalização serão reforçadas em Minas

As ações de segurança elaboradas pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) para o Carnaval 2012 começaram nesta quarta-feira (15), com o lançamento da campanha “Expresso legal, carnaval sem drogas”, em Belo Horizonte. A ação, realizada pela da Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Supod) da Seds, em parceria com a Polícia Militar (PMMG) e com as Secretarias de Estado de Saúde, Desenvolvimento Social e Turismo, contou com uma blitz educativa próxima ao BH Shopping, no bairro Belvedere. Motoristas foram abordados e receberam preservativos, leques e materiais informativos alertando sobre as consequências do uso das drogas e os cuidados que devem ser tomados para evitar doenças sexualmente transmissíveis (DST’s).

Depois da ação na capital, dois ônibus plotados saíram nos sentidos Norte e Sul de Minas Gerais. Até o dia 22 de fevereiro, eles passarão por mais de 80 cidades e irão parar em pelo menos 33, para conscientizar os foliões. No total, serão mais de três mil quilômetros rodados. Entre os municípios contemplados estão as cidades históricas, destinos de grande número de turistas durante o Carnaval. Além das drogas e DST´s, os agentes alertarão sobre cuidados no trânsito e contra a exploração sexual de crianças e adolescentes.

Está prevista a distribuição de 100 mil preservativos e 450 mil kits de prevenção, com leques, adesivos e materiais informativos. Haverá, ainda, grupos de animação e folia de carnaval, formados por jovens que participam do projeto Juventude e Polícia, da Polícia Militar.

De acordo com o subsecretário de Políticas Sobre Drogas, Cloves Benevides, o objetivo da campanha é aproximar as ações de prevenção às pessoas nessa época carnavalesca, com enfoque também no interior do Estado. “O Expresso Legal vai percorrer as cidades levando essa mensagem, de que o importante é curtir a folia com responsabilidade e consciência, sem uso de drogas”, disse. O subsecretário ressalta que, além das cidades que receberão a equipe da Supod, a campanha será potencializada por uma parceria com os conselhos municipais antidrogas, que distribuirão os materiais em 100 blitz educativas.

Os ônibus passarão pelos municípios de Belo Horizonte, Lagoa Santa, Jaboticatubas, Sabará, Itabira, Timóteo, Ipatinga, Governador Valadares, Guanhães, Teófilo Otoni, Serro, Diamantina, Bocaiúva, Montes Claros, Pirapora, Três Marias, Curvelo e Corinto, Nova Lima, Rio Acima, Itabirito, Ouro Preto, Mariana, Ouro Branco, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Carandaí, Barbacena, Tiradentes, São João del-Rei, Oliveira, Cláudio e Divinópolis.

Efetivo

Além da campanha de conscientização, a Seds elaborou uma série de ações para o Carnaval, que vão desde o aumento do efetivo até o maior rigor na fiscalização das estradas. Em todo o Estado, mais de 33 mil policiais militares, civis e bombeiros trabalharão durante o Carnaval, com foco na proteção ao cidadão, fiscalização e investigação de crimes e prevenção de acidentes em estradas e rodovias. As ações repressivas e preventivas terão como foco as cidades históricas de Minas que recebem o maior número de visitantes nos quatro dias de folia, além de Belo Horizonte e Região Metropolitana (RMBH).

Nas cidades de Ouro Preto, Mariana, Sabará, Tiradentes, São João del-Rei e Diamantina a Polícia Militar terá 405 homens a mais nas ruas, o que representa um aumento de 43%. Estes municípios também terão aumentos que variam de 50% a 70% no efetivo da Polícia Civil (PCMG) e delegacias de plantões 24 horas. Na região metropolitana, haverá 19 mil policiais militares em atuação, sendo 7 mil apenas em Belo Horizonte.

As rodovias estaduais e federais também ganharão reforço de fiscalização entre a sexta-feira (17) e a quarta-feira de cinzas (22), principalmente nos trechos que levam aos destinos mais visados. Para garantir a segurança no trânsito, foi elaborado o “Plano Operacional Integrado Carnaval 2012”, com definições de ações conjuntas entre a Seds, a PMMG, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros (CBMMG), além do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a BHTrans, a Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH) e a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec).

As rodovias estaduais ganharão o reforço de 800 policiais militares e de policiais rodoviários federais, que participaram da elaboração do Plano Integrado. As principais áreas de atuação e atenção são a BR 356 e MGT 383 (região de Ouro Preto); BR 356, MG 262 e MG 129 (região de Mariana); BR 494, BR 383, BR 265, MG 494 (região de São João del-Rei); BR 265 (na altura de Tiradentes); BR 367, MG 367 e MG 259 (região de Diamantina); e BR 262 e MG 262 (Sabará). A RMBH e as rodovias de acesso aos litorais capixaba e fluminense também terão reforço. Além das blitz repressivas, serão distribuídos, em todo o Estado, panfletos com dicas para segurança no trânsito.

Álcool e excesso de velocidade

Todos os 383 etilômetros da polícia militar serão utilizados para repressão ao trânsito de motoristas alcoolizados, além de outros 140 aparelhos da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que serão distribuídos por pontos estratégicos das rodovias.

Em Belo Horizonte, a “Campanha Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida”, terá 12 blitze repressivas durante o Carnaval para evitar excessos na capital. Belo Horizonte, especificamente, contará com 330 policiais militares na fiscalização do trânsito.

Para coibir o excesso de velocidade, serão colocados em ação 18 radares móveis da PM e quatro da PRF, reforçando o papel dos radares fixos já instalados na malha rodoviária.

Os bombeiros desenvolverão atividades preventivas em 150 municípios, com um efetivo de aproximadamente 1.500 militares. Nas cidades históricas, haverá reforço de 88 homens. Serão montados 61 pontos base em rodovias, 85 equipes em balneário e 66 equipes em eventos, para prevenção contra incêndio e acidentes. Para a operação, serão disponibilizadas 340 viaturas.

Além disso, o Batalhão de Operações Aéreas (BOA) disponibilizará duas equipes por dia para operação com helicópteros e uma equipe de sobreaviso para atuação em casos de emergência. Como no ano passado, em um dos helicópteros haverá uma equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para realizar atendimento pré-hospitalar.

Transporte clandestino

O DER, por sua vez, contará com 256 fiscais durante o carnaval e 103 veículos caracterizados com acesso remoto à internet, para fiscalização dos condutores e dos transportadores regulares e clandestinos e para a verificação preventiva da situação das vias. Também haverá 22 pontos onde serão desenvolvidas ações educativas, com orientação e distribuição de materiais informativos.

As blitze acontecerão, principalmente, nos acessos às regiões mais procuradas nesse período: Serrra do Cipó, Diamantina, Pirapora, Ouro Preto, Mariana, São João del-Rei, RMBH e outros pontos mais regionalizados.

Já o transporte de cargas e passageiros será fiscalizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres, que empregará 36 servidores nos terminais rodoviários de Belo Horizonte (15), Juiz de Fora (7), Montes Claros (2), Pouso Alegre (3), Uberlândia (4), Uberaba (3) e Teófilo Otoni (2).

O foco do trabalho da ANTT é o transporte interestadual de passageiros e o reforço na operação começa nos dias anteriores ao carnaval, quando um número maior de pessoas utiliza o transporte rodoviário. São dadas orientações ao passageiros e feitas fiscalizações dos veículos, verificando, por exemplo, as condições dos pneus, retrovisores, entre outros aspectos que atestam a condição de fazer a viagem.

Fonte: Agência Minas