Arquivos do Blog

Biografia: game mostra história de Aécio Neves

Conheça a história de vida de Aécio Neves de um jeito diferente! Foram várias fases que o prepararam para ser a força que o Brasil precisa.

Biografia Aécio Neves

Fonte: Aécio 45

Da caminhada ao lado do avô Tancredo Neves à aprovação recorde de 92% em seu governo à frente de Minas Gerais, a marca de Aécio Neves é a excelência em gestão pública.

Em sua primeira eleição, em 1986, elegeu-se deputado federal com 236 mil votos, a maior votação registrada em Minas Gerais até então.

Na Câmara dos Deputados, implementou o Pacote Ético, programa que acabou com a imunidade parlamentar.

Sua gestão marcou um dos períodos de maior produção legislativa da história da Câmara dos Deputados e de profundas mudanças no Congresso brasileiro. Como presidente da Câmara, Aécio economizou cerca de R$ 100 milhões e, pela primeira vez na história, a Câmara devolveu dinheiro ao Tesouro Nacional para que pudesse ser investido em favor da população.

Em 2002, Aécio se candidatou ao governo de Minas Gerais e foi o primeiro governador em Minas eleito em primeiro turno, recebendo a maior votação da história do Estado até então.

Como governador, cortou o próprio salário em 45%  e implantou Choque de Gestão, programa que se tornou referência em administração pública no país.

Durante a sua gestão, Minas produziu grandes avanços na área social. Apesar de ser o Estado brasileiro com o maior número de municípios, foi o primeiro do Brasil a trazer as crianças mais cedo para a escola. Hoje, 93% das crianças leem e escrevem aos 8 anos (eram 48,7% em 2006).

Segundo dados do Ministério da Saúde, Minas possui o melhor sistema de saúde pública da região Sudeste.

Eleito senador de Minas Gerais com a maior votação da história do estado, apresentou  uma série de projetos de interesse da sociedade. Entre eles, os que tornam o Bolsa Família um programa de Estado e que ampliam as garantias dos beneficiários do programa.

Em 14 de junho de 2014, em convenção nacionalAécio foi escolhido o candidato do PSDB para a Presidência da República, dando início a mais uma etapa da sua vida: a de renovar a sua luta e o seu compromisso de trabalhar por um país justo, democrático e generoso com todos os brasileiros.

Governo de Minas: candidatos já podem consultar comprovante para o concurso da Educação

Mais de 260 mil profissionais participam da prova para ingresso nas carreiras da Educação em Minas

Os 263 mil candidatos inscritos para o concurso da Secretaria de Estado de Educação (SEE) já podem emitir o comprovante de inscrição no site da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso. O comprovante também foi enviado para o e-mail dos candidatos. O concurso da secretaria oferta 21.377 vagas, distribuídas nas carreiras da educação básica em Minas Gerais. A prova terá duração de quatro horas e será aplicada em 4 de março.

No cartão informativo, consta o horário e local de realização do exame, além da relação de documentos que o participante deverá levar, composta por: documento original de identidade, caneta esferográfica de tinta preta e de material transparente, lápis e borracha. Os candidatos deficientes visuais, que solicitaram prova especial em Braile, deverão levar no dia da aplicação do exame reglete e punção, podendo, ainda, utilizar-se de soroban.

A consulta ao comprovante será de responsabilidade do candidato. No caso do participante não conseguir visualizar o informativo no endereço eletrônico da fundação dentro do período fixado, deverá entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Candidato (SAC), pelo telefone (11) 3723-4388, de segunda a sexta-feira úteis, das 10 às 16 horas para as devidas orientações.

Prova

A prova do concurso da Secretaria de Estado de Educação será objetiva, composta de 60 questões de múltipla escolha, sendo 20 de conhecimentos gerais e 40 de conhecimentos específicos. As referências para estudo constam do anexo V do edital do concurso. Será considerado aprovado na primeira etapa do processo o candidato que obtiver o mínimo de 50% de acertos nas questões de conhecimentos gerais e 50% nas questões de conhecimentos específicos.

O exame será aplicado em dois horários. Para os cargos de Professor Educação Básica – Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Assistente Técnico Educacional e Assistente Técnico de Educação Básica a prova terá início às 8h30, mas os candidatos devem chegar ao local de prova às 8h.

Já para os cargos de Professor Educação Básica: Arte/Artes, ; Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna (Espanhol), Língua Estrangeira Moderna (Inglês), Língua Portuguesa, Matemática, Química, SociologiaAnalista Educacional; Analista Educacional – Inspeção Escolar; Especialista em Educação Básica – Orientação Educacional; e Especialista em Educação Básica – Supervisão Pedagógica, as provas terão início às 14h30, mas os candidatos devem chegar às 14h.

As provas serão realizadas nas sedes das superintendências Regionais de Ensino, com exceção da SRE de Nova Era, que também terá aplicação das provas nos município de Itabira e João Monlevade. O tempo mínimo de permanência nos locais de prova será 60 minutos do início da prova.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia lança a segunda fase do Programa de Intervenção Pedagógica

Iniciativa implantada pela Secretaria de Estado da Educação atenderá mais 1,34 milhão de estudantes do ensino fundamental da rede pública estadual
Omar Freire/Imprensa MG
O governador afirmou que busca levar às crianças e adolescentes mineiros o conhecimento
O governador afirmou que busca levar às crianças e adolescentes mineiros o conhecimento

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, acompanhado da secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, lançou, nesta quarta-feira (15), a segunda fase do Programa de Intervenção Pedagógica (PIP). O PIP II tem como objetivo levar para os quatro anos finais do ensino fundamental das escolas da rede pública estadual a experiência bem sucedida do PIP I, que faz o acompanhamento dos cinco anos iniciais (1º ao 5º ano) das escolas mineiras.

Com o PIP II, o número de estudantes mineiros beneficiados totalizará 1,347 milhão, somando-se aos 490 mil dos cinco anos iniciais (PIP I), 857 mil alunos dos anos finais do ensino fundamental. Os investimentos no programa ultrapassam R$ 83 milhões – R$ 50,5 milhões entre 2007 e 2011 e R$ 32,7 milhões, para as duas fases do programa, em 2012.

Anastasia afirmou que os recursos aplicados em educação estão bem empregados, uma vez que leva às crianças e adolescentes mineiros conhecimento, virtude fundamental para seu desenvolvimento intelectual e humano.

“Se no passado nós tivemos os bandeirantes que abriram os caminhos de Minas atrás das pedras preciosas e de uma riqueza pretensamente fácil, agora estamos em um caminho com certa semelhança, mas outro objetivo. Estamos procurando garimpar, estimular, burilar exatamente a riqueza do século XXI. Não mais as pedras preciosas, mas o conhecimento”, disse o governador.

As ações e atividades desenvolvidas pelo PIP I trouxeram resultados expressivos e significativos nesse nível de escolaridade, tornando o Estado referência no país. As iniciativas contribuíram, por exemplo, para que a rede estadual de Minas conquistasse o primeiro lugar no ranking dos estados brasileiros, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Ministério da Educação (MEC), nos indicadores dos anos iniciais do ensino fundamental.

Para a secretária Ana Lúcia Gazzola, os índices positivos da educação em Minas Gerais resultam de uma política pública que privilegia o planejamento. “Nós, educadores, sabemos que não existem fórmulas mágicas. Existe um trabalho cotidiano, bem planejado, com boa gestão, com compromisso e adesão de todos, com investimentos específicos, com metodologia clara. Esse programa é um dos melhores símbolos desse entendimento de que a educação pública em Minas é uma política de Estado, não apenas de Governo, com instrumentos adequados sendo implementados e expandidos”, afirmou a secretária.

O governador Anastasia destacou ainda, em seu pronunciamento, a importância da qualificação da população para que Minas Gerais atraia investimentos de empresas que ajudem a diversificar o cenário econômico do Estado.

“Hoje, Minas Gerais é o Estado que mais recebe investimentos em diversas áreas, especialmente na chamada nova economia, que significa investimentos expressivos em tecnologia e na indústria da informação. Para continuarmos nesse patamar, já temos universidades extraordinárias, mas precisamos ter mão de obra qualificada, capital humano diferenciado. Para isso só uma condição é exigida, é imposta: educação, educação de qualidade”, explicou o governador.

Organização das equipes

No segundo semestre de 2011, a Secretaria de Educação (SEE) iniciou o processo de organização das equipes que passam a trabalhar no PIP II.  Os profissionais da SEE realizaram a capacitação dos especialistas selecionados e começaram visitas às 2.826 escolas estaduais que oferecem os anos finais do ensino fundamental para que possam ser feitos o mapeamento e o diagnóstico de cada uma.

Para realizar as várias ações e atividades previstas na segunda fase, o PIP conta com uma equipe de 47 profissionais, que atuam na sede da SEE, em Belo Horizonte, além de 480 especialistas, distribuídos por todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Na equipe do PIP II, há especialistas nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Geografia, Arte, Inglês e Educação Física. Os professores especialistas são orientados a trabalhar em dupla no acompanhamento das escolas. Esses profissionais fazem visitas periódicas às instituições de ensino e monitoram o trabalho desenvolvido na área pedagógica. Estão a cargo deles também a identificação e o acompanhamento das dificuldades apontadas pelas escolas, bem como o auxílio aos professores na elaboração de projetos que visem melhorar a eficiência do ensino.

Capacitações

Uma das estratégias do PIP, gerenciado pela professora Maria das Graças Pedrosa Bittencourt, é o uso de capacitações dos educadores para aperfeiçoar o trabalho em sala de aula, com os servidores capacitados se tornando multiplicadores de conteúdo. As capacitações acontecem tanto de forma centralizada, quanto nas próprias SREs.

Quando os especialistas verificam que em uma determinada Superintendência os professores têm necessidade de discutir e aprimorar algum conteúdo específico, eles podem realizar uma capacitação para suprir essa demanda. Desde 2008, houve mais de 370 mil capacitações de educadores do PIP I, sendo que um mesmo profissional pode participar de mais de uma capacitação.

Em 2011, o PIP II realizou sua primeira capacitação em Belo Horizonte, reunindo profissionais das equipes regionais, além de todos os profissionais da equipe central. A partir deste ano, esses especialistas farão o repasse dessas capacitações aos professores, nas SREs.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: Universidade Estadual de Montes Claros amplia qualificação do corpo docente

MONTES CLAROS (23/01/12) – A Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) alcançou o índice de 45,15% do seu corpo docente com a titulação de mestre ou doutor. A instituição conta com um total de 1.362 professores, dos quais 452 são mestres e outros 163 já concluíram o doutorado. Os dados foram divulgados pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da instituição.

“Os números demonstram que a universidade está em franca melhoria, obtendo resultados extremamente positivos na capacitação do seu corpo docente. Devemos enaltecer o esforço e a dedicação de nossos professores, que enxergaram a necessidade de se qualificarem, fazendo com que a nossa instituição viesse alcançar níveis de excelência no ensino, na pesquisa e na extensão”, assegura o reitor da Unimontes, João dos Reis Canela.

“Devemos lembrar que o aumento da qualificação docente está diretamente vinculado ao próprio crescimento institucional da universidade nos últimos 10 anos. Por exemplo, alcançamos 451 projetos de pesquisa – todos em andamento – e os mestres e doutores também contribuíram para isso”, avalia.

Investimentos

O reitor destaca que o índice obtido resulta da prioridade dada pela Universidade Estadual de Montes Claros à capacitação docente. Em 2011, a Unimontes investiu R$ 11.685.765,45 na área de pesquisa e na pós-graduação. Foram aplicados R$ 7.117.086,10 na investigação tecnológica e científica e outros R$ 4.568.679,35 na pós-graduação. Os investimentos foram viabilizados com o apoio de organismos de fomento, como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e o Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do MEC.

Conforme João Canela, a perspectiva da Unimontes é elevar mais ainda a capacitação docente nos próximos anos diante do número de outros profissionais que buscam titulação. Atualmente, a Unimontes conta com 116 professores matriculados em cursos de mestrado e outros 116 cursam doutorado.

O pró-reitor de Pós-Graduação Osmar Pereira Oliva afirma que a qualificação docente teve um crescimento significativo na última década. Ele ressalta que os investimentos no setor refletem não somente no aumento da quantidade de mestres e doutores, mas também na melhoria das aulas ministradas e no surgimento de novos grupos de pesquisa, “envolvendo cada vez mais alunos da graduação e da pós-graduação”.

Ele também salienta que a elevação do número de professores com títulos de mestre e doutor resulta em melhorias para toda a universidade. “A titulação docente desencadeia melhores oportunidades de avanços no conhecimento, na pesquisa e na extensão e envolve toda a comunidade acadêmica, com a atuação mais expressiva de professores e alunos”, afirma.

Osmar Oliva frisa que o processo de titulação envolve a qualificação tanto de professores quanto de alunos da instituição e motiva, ainda, a produção intelectual e científica e as relações nacionais e internacionais. “Pois alunos e professores participam de grupos de pesquisa em outras universidades brasileiras e estrangeiras. Eles também comparecem aos eventos científicos e publicam livros e ensaios/artigos em periódicos especializados, como resultados parciais ou finais de suas investigações”, relata.

O pró-reitor lembra que, além da articulação junto aos órgãos de fomento e a concessão de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, oferecidas pela Fapemig e pela Capes/MEC, a Unimontes contribui para a qualificação docente por meio dos seus programas pós-graduação Stricto sensu. Desta forma, a Universidade possibilita que os seus professores possam fazer os cursos na própria instituição onde atuam.

Pós-graduação Stricto Sensu

Atualmente, a Unimontes oferece um curso de doutorado (em Ciências da Saúde) e nove mestrados próprios, nas áreas de Biotecnologia, Desenvolvimento Social, Ciências Agrárias (Produção Vegetal no Semiárido), Ciências Biológicas, Ciências da Saúde (um profissional e outro acadêmico), Zootecnia e Letras (Estudos Literários) e História.

A universidade também conta com os mestrados interinstitucionais em Direito e Geografia e o Doutorado Interinstitucional em Letras e Geografia, todos viabilizados a partir de parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC Minas). São ofertados, ainda, os doutorados interinstitucionais (Dinter) em Ciências Econômicas – em convênio com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) –; em Ciências Sociais através de parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); Ciências da Religião, com a PUC/SP; Odontologia Restauradora, com a Universidade de São Paulo (USP – Ribeirão Preto); e o mestrado interinstitucional em Artes Cênicas, em parceria com a Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Fonte: Agência Minas