Arquivos do Blog

Governo de Minas: farmácia de Minas humaniza atendimento a pacientes na Zona da Mata

Região já tem 42 unidades, que disponibilizam 162 tipos de medicamentos
Divulgação/Prefeitura Municipal
A farmacêutica Dhyemila Mantovani, de Patrocínio de Muriaé, hoje consegue dar mais atenção à população
A farmacêutica Dhyemila Mantovani, de Patrocínio de Muriaé, hoje consegue dar mais atenção à população

Ar-condicionado, água gelada, cadeiras confortáveis, ambiente claro e arejado. O espaço, todo em branco e verde, é onde funciona a unidade farmacêutica do programa Farmácia de Minas, que realiza a distribuição de medicamentos para as populações carentes de 42 municípios com até 30 mil habitantes na Zona da Mata. A iniciativa é do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), e o objetivo do programa é garantir o acesso da população a medicamentos gratuitos voltados para a atenção primária à saúde, melhorando a assistência farmacêutica e incentivando a busca ativa do paciente.

Em Patrocínio do Muriaé, a Farmácia de Minas, inaugurada em setembro de 2011, está ajudando a mudar a vida de muita gente. Dhyemila de Paula Mantovani, farmacêutica responsável da unidade, relata que, hoje, é possível conhecer melhor a pessoa, adequando o atendimento. “Antes eu fazia só a dispensação do medicamento, porque não tinha como dar assistência. A gente trabalhava em um cubículo, abria a metade de cima da porta e fazia as entregas”, conta.

Como exemplo, ela cita uma paciente que sofre de surto psicótico e, constantemente, precisava ser internada. “Depois que abriu a Farmácia de Minas, ela nunca mais foi internada. Descobri que ela conseguia ler e anotei em todas as caixinhas dos medicamentos as orientações de como ela deveria tomar cada um”, lembra. A paciente faz uso de prometazina, clorpromazina, aloperidol e biperideno. “Hoje ela vem mais à farmácia, percebi que ela aderiu ao tratamento com mais facilidade. Isso porque tive a possibilidade de trabalhar mais diretamente com ela”, afirma.

A farmacêutica aponta também o trabalho desenvolvido com os pacientes diabéticos do município. “Antes tínhamos contato apenas com pacientes diabéticos que usavam medicamentos hipoglicemiantes orais. Depois da nova estrutura, pude trazer as insulinas para a farmácia, graças ao refrigerador e, hoje, temos contato também com os pacientes insulino-dependentes. Antes não havia local adequado para armazenamento”, destaca.

Geraldo de Oliveira Martins, diabético há mais de 20 anos, é um dos beneficiados. “Antes os postos eram muito restritos, pela limitação, só era possível fazer a entrega. Agora com as insulinas aqui, melhorou muito a relação humana. O local antes dificultava a interação, o contato. Às vezes o paciente não precisa só pegar o remédio, ele precisa de uma atenção e, com essas farmácias, isso é possível hoje”, conclui.

A Farmácia de Minas de Patrocínio de Muriaé atende a aproximadamente 130 pacientes por dia.

Mais comodidade e acesso facilitado

Em Vieiras, a Farmácia de Minas também foi inaugurada em setembro de 2011 e, atualmente, atende a cerca de 150 pacientes por dia. Walfrido Cristian Cassin de Oliveira, farmacêutico responsável da unidade, considera que a melhoria no atendimento ultrapassou os 100%. “A comodidade para todo mundo melhorou, tanto para quem trabalha, quanto para quem é beneficiado”, ressalta.

Maria das Graças Ferreira Araújo faz uso contínuo de cinco medicamentos e confirma a melhora. “Está sendo muito bom. A gente aqui fica bem atendida. Venho todo mês e, se acaba um remédio antes, uma dipirona, eu venho de novo, porque sei que vai ter. Ficou melhor”, diz. Ela busca na Farmácia de Minas clorpromazina, carbamazepina, glidenclamida, metiodopa e dipirona.

Hipertensa, Sônia do Carmo Silva Souza vai todo mês à Farmácia de Minas na cidade de Presidente Bernardes, e considera que a nova unidade facilitou o acesso. “Achei a nova estrutura muito boa, uma sala bem confortável, duas atendentes, ficou mais fácil buscar o remédio e até uma orientação”, opina.

Christina Cerneiro Faria, farmacêutica responsável da unidade, que foi inaugurada em agosto de 2011, destaca a melhoria para todos os usuários. “Hoje temos mais equipamentos, internet, até mais funcionários. A espera também melhorou, é mais rápido e ninguém fica em pé, não tem mais fila”, conta.

Ela cita também o Sistema Integrado de Gerenciamento da Assistência Farmacêutica (Sigaf), utilizado pela Rede Farmácia de Minas. “Pelo Sigaf fazemos o cadastro dos pacientes, hoje de uma forma bem mais organizada, melhorando nosso controle. Um exemplo são os pacientes de medicamentos excepcionais, antes não havia nenhum cadastrado, agora já temos 18”, comenta. Os medicamentos excepcionais são aqueles para o tratamento da Tuberculose, Hanseníase, Endemias Focais, DST/Aids e tam¬bém Sangue e Hemoderivados.

Rede em expansão

Atualmente, 200 cidades do Estado já têm unidades do Farmácia de Minas e disponibilizam para a população 162 tipos de medicamentos. Apenas em 2011, o governador de Minas Antonio Anastasia inaugurou 32 unidades na Zona da Mata, simultaneamente a outras 168 no restante do Estado.

“A meta do Governo de Minas é chegar a 700 municípios até 2014. É bom dizer que entre 2007 e agora nós já aumentamos em mais de 70% o volume de recursos financeiros do tesouro nesse programa e aumentamos também, consideravelmente, os medicamentos disponibilizados”, afirma a governador.

Confira a lista das 42 unidades do programa Farmácia de Minas localizadas em municípios da Zona da Mata: Acaiaca, Antônio Prado de Minas, Barão do Monte Alto, Barra Longa, Bias Fortes, Bicas, Brás Pires, Cajuri, Dom Silvério, Dores do Turvo, Ervália, Eugenópolis, Goianá, Guarani, Guidoval, Guiricema, Jequeri, Lamim, Laranjal, Miraí, Paiva, Patrocínio do Muriaé, Palma, Paula Cândido, Pedra Dourada, Pedro Teixeira, Piau, Pirapetinga, Presidente Bernardes, Rio Doce, Rio Preto, Rodeiro, Santa Cruz do Escalvado, Santana de Cataguases, Santo Antônio do Grama, São Geraldo, São Miguel do Anta, São Pedro dos Ferros, Senador Cortes, Sericita e Vieiras.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas adiantará recursos de assistência social para municípios

BELO HORIZONTE (06/01/12) –  O Governo de Minas vai adiantar os recursos do Piso Mineiro de Assistência Social dos próximos seis meses aos municípios que tiveram situação de emergência homologada pelo Estado e têm direito ao benefício em 2012. O Piso Mineiro consiste em um valor básico para o cofinanciamento estadual dos serviços e benefícios de assistência social, prestados pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Cada município poderá utilizar o recurso de acordo com suas necessidades para serviços socioassistenciais, de acordo com as demandas e prioridades locais. Os valores que cada cidade receberá dependem de uma combinação que tem como critérios a população do município e o número de famílias cadastradas no perfil Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico) do Ministério do Desenvolvimento Social.

Antecipação do Bolsa Família

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) continua em negociação com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) para estender a antecipação do pagamento do Bolsa Família para todos o municípios que decretarem estado de emergência. Até quinta-feira (5), a Secretaria conseguiu antecipar o recurso para as primeiras 52 cidades mais atingidas pelos temporais.

À medida que os municípios decretem oficialmente o estado de emergência, a Sedese vai solicitar o adiantamento do beneficio. Com a antecipação, o pagamento de janeiro e fevereiro que são feitos de forma escalonada, de 25 a 31 de cada mês, será efetuado de uma só vez para todos beneficiários. Em janeiro, o pagamento será no dia 18, e em fevereiro no dia 14.  Só nos 52 municípios, mais de 150 mil famílias recebem o benefício, que varia entre R$ 36 (mínimo) e R$ 306 (máximo).

Os moradores que perderam os documentos pessoais e o cartão do Bolsa Família terão que apresentar a “Declaração Especial de Pagamento”, expedida pelas prefeituras, por meio de uma guia individual.  A declaração é mensal e servirá para o pagamento do benefício do respectivo mês. Assim, deverão ser emitidas vias distintas para o pagamento de janeiro e fevereiro de 2012. No caso de beneficiário analfabeto, a prefeitura deverá colher  impressão digital do cidadão, no lugar da assinatura prevista na declaração.

Envio de equipes para apoio aos municípios afetados

A Sedese está encaminhando funcionários da Subsecretaria de Assistência Social aos municípios mais afetados pela chuva. Os assistentes sociais e psicólogos estão prestando apoio às prefeituras no sentido de organizar a logística nos abrigos e da distribuição de donativos (alimentos, roupas, remédios e água).

Os técnicos vão ficar nas cidades de Guidoval, Cataquases, Guiricema, Muriaé, Dona Euzébia, na Zona da Mata; Brumadinho, Congonhas e Belo Vale, na Região Central, o tempo que for necessário para atender emergencialmente às famílias desabrigadas. Segundo a subsecretária estadual de Assistência Social, Nívia Soares, a Sedese está trabalhando em conjunto com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e à disposição para atender solicitações de outros municípios.