Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: município de Abaeté entra na guerra contra a dengue

Nos dias 9 e 10 de fevereiro, a cidade vai receber a Força Tarefa de Combate à Dengue

Neste ano, Abaeté, na região Central do Estado e uma das cidades de Minas que mais recebe foliões durante o carnaval, será cenário de uma ação diferenciada: a mobilização contra a dengue.

Nos dias 9 e 10 de fevereiro, o município vai receber a Força Tarefa de Combate à Dengue a fim de deixar a cidade limpa para os foliões brincarem sem riscos de contraírem a doença.

Durante esses dias, a população vai ter acesso ao Dengômetro e ao Dengue Móvel, onde poderão tirar dúvidas sobre a doença e trocar os materiais recicláveis por material escolar (uma lata de alumínio equivale a uma borracha, uma garrafa pet equivale a um lápis, e um pneu equivale a um caderno).

Os mobilizadores da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) estarão no município já na próxima quarta-feira (8), vistoriando as áreas consideradas de risco (casa, lojas comerciais e terrenos baldios) para identificar e eliminar os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, além de orientar a população sobre os riscos da doença.

Evento: Carnaval nas cidades históricas – A guerra contra a dengue continua

Data: 9 e 10 de fevereiro

Local: Praça Dr. Canuto, s/nº – Centro

Fonte: Agência Minas

O Governo de Minas divulgou recentemente, um plano de ação para enfrentamento da dengue em 2012

PARTICIPAÇÃO DOS CIDADÃOS É FUNDAMENTAL NA GUERRA CONTRA A DENGUE NO ESTADO

“Essa doença não se combate por atos exclusivos do governo. O fundamental, ação nuclear, é a mobilização da sociedade, cada cidadão se percebendo como um guerreiro nessa luta e fazendo a limpeza da sua própria casa”.

 O Governo de Minas divulgou, recentemente, um plano de ação para enfrentamento da dengue em 2012. O que prevê esse plano, governador?

Antonio Anastasia: Em primeiro lugar, é bom lembrar que a dengue é uma doença séria, é uma doença que mata e nós temos de estar muito mobilizados nessa verdadeira guerra contra a dengue. Nós tivemos uma situação muito ruim no ano de 2010. Tivemos cerca de 260 mil casos. Se nós não tivéssemos adotado ações vigorosas, que eu já vou exemplificar, nós poderíamos ter chegado a 500 mil, mas conseguimos reduzir bastante, para 60 mil casos. Mesmo assim, é um número expressivo. Essas ações são especialmente ações de mobilização. A dengue não se combate por atos exclusivos do governo, mas por atos de cada cidadão, que erradica ou elimina o foco do mosquito da dengue em sua casa. Na realidade, 84% dos focos da dengue estão dentro das casas das pessoas. Então, o primeiro esforço é a mobilização e, é claro, que, além disso, a qualificação do nosso corpo clínico, a força-tarefa que visita as cidades que estão em maiores dificuldades, levando equipamentos e instrumentos para reduzir a presença do mosquito e, ao mesmo tempo, aumentando também o número de leitos disponíveis para as pessoas que eventualmente sejam acometidas de dengue. Mas o mais importante, o fundamental, ação nuclear, é a mobilização da sociedade, cada cidadão se percebendo como um guerreiro na luta contra a dengue e fazendo a limpeza da sua própria casa.

Apesar da melhoria, ainda é preciso avançar na luta. Como as pessoas podem participar dessas ações junto com o governo?

Antonio Anastasia: Temos ainda muito a avançar. Sessenta mil casos é um numero muito expressivo, ainda que Minas Gerais tenha reduzido em quase 80% o número percentual que tivemos de dengue em 2010 para 2011, o número ainda é expressivo. Não queremos nenhum caso. Sabemos que é difícil, mas vamos lutar nesse sentido e, através das grandes campanhas de mobilização, com ajuda dos veículos de comunicação, da imprensa, das campanhas que estamos fazendo com nossos parceiros, trocando, inclusive, garrafas pet e pneus por brindes, por prêmios e por prendas, isso é fundamental para mobilizarmos a sociedade. Então, cada pessoa tem, em primeiro lugar, que se conscientizar, tem de se perceber como um elemento ativo na luta contra a dengue, e, aí sim, nós vamos conseguir erradicar o foco do mosquito e, por consequência, a doença.

Governador, a exemplo do que aconteceu no ano passado, o governo vai escolher alguns municípios, que são referência no combate à dengue, para uma premiação. Como vai acontecer essa premiação?

Antonio Anastasia: Essa premiação se dá através das práticas aplaudidas, não só do resultado objetivo da redução do índice de infestação e de casos de dengue, mas também de práticas inovadoras, empreendedoras, participativas e inclusivas da sociedade. Nós tivemos agora a premiação, por exemplo, dos municípios de Conselheiro Lafaiete e Patos de Minas, entre outros, que tiveram grande destaque na guerra contra a dengue. Mas precisamos levar esses exemplos a todos os municípios mineiros que já vêm colaborando muito. Mas é sempre bom dizer aqui, a cada prefeito, a cada vereador, a cada secretário municipal da necessidade da sua articulação com o governo. E volto a insistir, especialmente a você que agora me assiste, me escuta e é cidadão mineiro, que sabe que na sua casa, eventualmente, pode haver um foco da dengue, nós temos que trabalhar juntos para erradicar esse risco e termos um ano de 2012 com um número ainda menor de afetados pela doença. A guerra é permanente e deve ser encarada, com muita coragem e ao mesmo tempo com muita tenacidade. Não é fácil vencer esses focos, que eles são muito simples de serem disseminados em qualquer pequena garrafa, qualquer pequeno vaso, pode haver ali um foco de dengue. Por isso mesmo, cada cidadão tem que ser mobilizado. Sabemos que as campanhas de divulgação já levaram a toda à população a consciência da gravidade da doença e o que fazer para combater os focos. Agora precisamos ainda mais. Ao agradecer o esforço de 2011, contar com um esforço ainda maior em 2012 para nós, de fato, termos vencida essa guerra que continua e que envolve cada um.

Fonte: Agência Minas

Palavra do Governador sintetizam ações do Governo de Minas em 2011

BELO HORIZONTE (30/12/11) – Desde maio deste ano, uma vez por semana, o governador Antonio Anastasia fala diretamente aos mineiros, por meio do programa Palavra do Governador, a respeito de serviços, ações, programas e projetos desenvolvidos pelo Governo de Minas.

Confira a seguir, uma retrospectiva de frases proferidas por Antonio Anastasia durante as 34 edições do programa que foram ao ar em 2011, sobre temas que interessam a Minas e aos mineiros:

“Quando uma família tem o chefe – o pai ou a mãe – empregado, bem empregado, toda a situação daquela casa funciona bem: melhora a educação, melhora o ambiente, melhora a saúde, a alimentação, a própria habitação e mesmo a segurança.”

(Na estreia do programa, que abordou o tema Trabalho e Renda,  em 19/05/11)

“Nós estamos buscando os chamados ‘invisíveis’: são aqueles que não estão ainda abrangidos nem pelos programas do governo federal, nem do governo estadual, e nem mesmo, muitas vezes, do próprio município.”

(Sobre o Programa Porta a Porta, que busca identificar cidadãos que ficaram à margem de políticas públicas, em 26/05/11)

 

“Não basta o poder público realizar a atividade de limpeza das ruas, se as pessoas não fizerem, dentro de suas casas, esse trabalho, essa luta contra o mosquito da dengue.” 

(Sobre a Guerra contra a Dengue empreendida pelo Governo de Minas com o apoio da sociedade civil, em 23/06/11)

 

“Só o primeiro campo que está sendo explorado corresponde a 20% do volume que é importado da Bolívia pelo gasoduto Brasil-Bolívia. Minas Gerais terá gás suficiente para si e para exportar para outros Estados. É uma notícia revolucionária para a nossa economia.”

(Sobre a exploração do Gás Natural na Bacia do São Francisco, em 21/07/11)

“É importantíssimo que nós possamos sentir que a maioria das políticas públicas, dos serviços públicos, só terá sucesso quando cada cidadão, cada vez mais, for participante ativo desse processo, quando ele for protagonista.”

(Sobre a participação dos cidadãos no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado, em 04/08/11)

“A ciência e tecnologia é o passaporte para o futuro. Nós vamos desenvolver novos projetos, novas pesquisas, aplicar essas pesquisas na indústria e vamos gerar empregos.”

(Sobre o investimento de R$ 300 milhões por ano em Ciência e Tecnologia, em 18/08/11)

“O Fica Vivo é um programa muito positivo, em que há o resgate da cidadania, há uma inclusão social, há uma valorização do indivíduo e, ao mesmo tempo, há concretamente uma redução dos índices de criminalidade onde ele está instalado.” 

(Sobre o Fica Vivo, programa que reduziu à metade o índice de homicídios nas regiões atendidas, em 25/08/11)

 

“Vamos acompanhar o dia a dia de cada gestante. É uma ousadia, mas temos de fazê-lo. Se não tivermos informações precisas da condição de cada uma, não poderemos estar ao seu lado para ajudar”.

(Sobre o Programa Mães de Minas, que tem como objetivo o acompanhamento de gestantes, em 01/09/11)

“A poupança do Banco Travessia tem o objetivo de estimular a instrução das pessoas e com mais instrução, nós temos mais oportunidades de obter empregos e renda.”

(Sobre o Banco Travessia, voltado para a população de baixa renda, em 08/09/11)

“Nós começamos, de fato, a enfrentar com valentia e com muita coragem a questão da droga, esse drama social do nosso tempo.”

(Sobre o Cartão Aliança pela Vida, que ajuda famílias no tratamento de viciados em drogas, em 06/10/11)

 

“Nós estamos, em parceria com o governo federal e a prefeitura de Belo Horizonte, realizando um sonho antigo dos belo-horizontinos e dos mineiros que é a conclusão do metrô.”

(Sobre a retomada das obras do metrô de Belo Horizonte,  em 13/10/11)

“Os antigos prédios das Secretarias de Estado se transformaram em museus, mas não museus fechados. Ao contrário, são museus interativos, voltados à população.”

(Sobre o Circuito Cultural da Praça da Liberdade, em 10/11/11)

“Nós estamos atendendo à coletividade dos profissionais da Educação e de tal modo que nós vamos tornar a carreira mais atrativa e, por isso mesmo, mais adequada para termos melhores profissionais, cada vez mais motivados e vinculados a um papel tão importante que é o da Educação pública.”

(Sobre a implantação do Modelo de Remuneração Unificada para professores da rede estadual, em 24/11/11)

 

“Nós conseguimos avançar muito e rápido, e chegamos em 2011 a esse percentual, de quase 90% dos alunos do terceiro ano do ensino fundamental com essa boa capacidade de compreensão e leitura. Isso demonstra como o sistema público de educação no Estado de Minas Gerais está funcionando bem”.

(Sobre os bons resultados alcançados por alunos da rede estadual no Proalfa, em 22/12/11)

“O Unicef, com a sua credibilidade de órgão das Nações Unidas, fez um amplo diagnóstico da situação da adolescência no Brasil. O relatório revela que Minas evoluiu em praticamente todos os indicadores, além de ter ficado além da média brasileira. É a demonstração do grande esforço feito, ao longo dos últimos anos, na nossa política pública de apoio à adolescência.”

(Sobre os avanços nas políticas do Estado para adolescentes, revelado em Relatório do UNICEF, em 22/12/11)

fonte: Agência Minas

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus e de forma espontânea. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto (para jornais impressos e online), áudio (para rádio e podcast/web) e vídeo (em qualidade broadcast para TV e em HD, no YouTube).

No link a seguir é possível acessar todas as edições do Palavra do Governador: www.agenciaminas.mg.gov.br/palavra-do-governador/videos