Arquivos do Blog

Anastasia inova e adota ferramenta de gestão sustentável

Minas: Anastasia adota ferramenta sustentável inédita no Brasil, que desenvolve políticas de redução das desigualdades regionais.

Minas: gestão eficiente, gestão sustentável

Fonte: Agência Minas

Minas é o primeiro estado a utilizar metodologia desenvolvida por especialistas dos EUA

Governador Antonio Anastasia abre 1º workshop sobre o Product Space, ferramenta para suporte a políticas de desenvolvimento

 Minas: Anastasia adota ferramenta de gestão sustentável

Minas: Anastasia e a gestão sustentável

O governador Antonio Anastasia abriu, nesta quarta-feira (22), no Palácio Tiradentes, o 1º workshop para desenvolvimento do Product Space, instrumento de planejamento que mapeia as potencialidades e vocações de países e regiões. Com isso, Minas Gerais se prepara para consolidar, a médio e longo prazos, um novo perfil econômico capaz de gerar mais empregos de qualidade para os mineiros.

Com o instrumento será possível definir e buscar outras possibilidades de participação da economia mineira no mercado nacional e mundial no médio e longo prazos, reduzindo a dependência de produtos primários. Outro objetivo é buscar o desenvolvimento econômico sustentado e redução da desigualdade regional, tendo como base no avanço científico e tecnológico do Estado.

Para o governador Anastasia, a adesão do Estado a esse novo sistema é “revolucionária e inédita para o Brasil”. Ele ressaltou que Minas Gerais é o “primeiro estado subnacional do mundo a fazer uso dessa ferramenta de gestão”.

“Este projeto se caracteriza como um dos trabalhos mais importantes que teremos em Minas Gerais. Certamente, seus frutos imediatos não serão conhecidos na plenitude durante o meu governo. Mas, em razão dele, resultados que serão muito expressivos vão permitir resgatar aquilo que é o mais importante na nossa administração: a geração de empregos de qualidade”, afirmou o governador.

Organizado pelo Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), o evento teve a participação dos professores Cesar Hidalgo (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e Ricardo Hausmann (Universidade de Harvard), que desenvolveram a ferramenta, e da diretora executiva do Centro para o Desenvolvimento Internacional da Universidade de Harvard, Marcela Escobari. Também participaram do workshop secretários de Estado, servidores públicos e representantes da sociedade civil.

De acordo com o diretor-presidente do Escritório de Prioridades Estratégicas, André Barrence, desde maio, membros do Governo de Minas trabalham em parceria com os professores na obtenção de um grande banco de dados junto aos ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e do Trabalho e Emprego, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e das secretarias de Estado de Fazenda (SEF) e de Transportes e Obras Públicas (Setop).

“O objetivo é ter uma visão melhor da estrutura produtiva de Minas, suas habilidades, suas conexões e interações, para poder melhor prever e direcionar a evolução de seus investimentos. Muito mais que um diagnóstico da economia, essa ferramenta é uma possibilidade de o governo estadual visualizar a economia mineira de uma forma nunca vista”, disse.

O professor Ricardo Hausmann cumprimentou o Governo de Minas pela iniciativa. “É muito importante podermos planejar o desenvolvimento econômico de uma região. As gerações futuras certamente irão se beneficiar desse trabalho que iniciamos agora”, disse.

A ferramenta

Criado pelos professores Ricardo Hausmann (Universidade de Harvard) e Cesar Hidalgo (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), o Product Space foi desenvolvido em 2007. O workshop foi oportunidade para que autoridades e técnicos do Governo do Estado pudessem aprofundar os conhecimentos sobre a ferramenta, conceitos e metodologia, e contribuir para a construção da ferramenta que será desenvolvida para Minas.

O Product Space é uma tentativa de explicar o desenvolvimento desigual de estados ou regiões e criar instrumentos para que esse processo seja feito de maneira mais uniforme e o que os formuladores de políticas públicas, industriais e tecnológicas podem fazer para trazer prosperidade a essas localidades.

A estrutura produtiva é definida pelo conjunto de habilidades específicas (capital, trabalho, tecnologia, instituições, infraestrutura, existência de relações sociais) que possuem. O conjunto de habilidades necessárias para a produção de bens e serviços é que gera o nível de sofisticação dos mesmos.

Minas: gestão eficiente, gestão sustentável – Link da máteria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/multimidia/galerias/minas-e-o-primeiro-estado-a-utilizar-metodologia-desenvolvida-por-especialistas-dos-eua/

Governo de Minas: Anastasia entrega casa própria e inaugura rodoviária de Poté

Em visita ao Vale do Mucuri, governador reafirma compromisso do Estado com o desenvolvimento das pequenas e médias cidades mineiras

Omar Freire/Imprensa MG
Governador Antonio Anastasia foi homenageado com o título de Cidadão Honorário de Poté
Governador Antonio Anastasia foi homenageado com o título de Cidadão Honorário de Poté

O governador Antonio Anastasia entregou, neste sábado (14/04), o novo terminal rodoviário de Poté, no Vale do Mucuri, e inaugurou o Conjunto Habitacional Onofre Benício, com 30 casas, sendo uma especial para portador de deficiência. O Estado investiu R$ 965,6 mil nas duas obras, reivindicadas há anos pela população. Segundo Anastasia, o Governo de Minas tem compromisso prioritário com o crescimento econômico e o desenvolvimento social das pequenas e médias cidades mineiras.

“Temos realizado um esforço desde o início do governo Aécio Neves para fazermos obras nas cidades médias e menores do Estado. Essa rodoviária representa um importante resgate e mais um compromisso cumprido junto aos moradores de Poté”, disse o governador Anastasia.

Mais conforto

O Governo de Minas destinou R$ 400 mil para a construção do Terminal Rodoviário Sau Sampaio, instalado em uma área total de 1.008 metros quadrados e com previsão de atender até 15 mil pessoas por ano. Em seu pronunciamento, Anastasia ressaltou a importância da obra para a cidade. Sonho de muitas décadas, a rodoviária desafogará o trânsito no centro e permitirá maior conforto aos passageiros. Antes da construção do terminal, os ônibus que fazem as linhas intermunicipais paravam para embarque e desembarque de passageiros na Praça Frei Gaspar.

“Estamos visitando o Vale do Mucuri para entregar uma obra que é o resgate da dignidade de Poté, pois aqui não tinha rodoviária. Estamos inaugurando uma obra bonita, funcional e que atende a demanda da população da cidade.”

Casa própria

O investimento na construção das casas do Conjunto Habitacional Onofre Benício foi de R$ 1 milhão, sendo R$ 565,6 mil do Governo de Minas, R$ 390 mil do governo federal e R$ 90 mil de contrapartida da prefeitura em doação e urbanização do terreno.

“Esse benefício é fundamental porque um dos grandes sonhos do brasileiro sempre foi a casa própria e nós estamos permitindo que isso ocorra não apenas nos grandes centros, mas também nas cidades menores de nosso Estado”, afirmou Antonio Anastasia, que fez a entrega simbólica das chaves à Gildete Rodrigues de Souza, uma das novas proprietárias do conjunto habitacional.

A obra foi realizada pela Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab/MG) através de parceria do programa Lares Geraes – Habitação Popular com o Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. Durante as obras foram gerados 90 empregos diretos e indiretos.

Este é o segundo conjunto habitacional construído em Poté. Em 2007, foi entregue o Conjunto Habitacional Jovelina Ferreira Santos, com 39 casas. Para a construção desse conjunto foram investidos R$ 704,8 mil, sendo R$ 639,8 mil do Governo de Minas e R$ 65 mil de contrapartida do município com a doação e urbanização do terreno.

Participaram da solenidade em Poté, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Dinis Pinheiro, o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto, o prefeito de Poté, Gildésio Sampaio de Oliveira (Nêgo Sampaio), o presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Mucuri (AMUC) e prefeito de Franciscópolis, Nilton dos Santos Coimbra (Nen dos Santos), entre outras autoridades.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-entrega-casa-propria-e-inaugura-rodoviaria-de-pote/

Governo de Minas: Estado fortalece saúde mental em Manhuaçu e firma novos compromissos

Secretário de saúde inaugura Centro de Atenção Psicossocial e firma novos compromissos na região

Ramon Jader
Secretário Antônio Jorge na cerimônia de entrega do Centro de Atenção Psicossocial
Secretário Antônio Jorge na cerimônia de entrega do Centro de Atenção Psicossocial

A população de Manhuaçu, município do Leste de Minas, recebeu, nesta sexta-feira (13), um Centro de Atenção Psicossocial voltado para usuários de álcool e drogas (CAPS/AD).

O secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, presidiu a cerimônia de entrega do centro onde anunciou a liberação de R$ 40 mil para a compra de novos móveis para uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Ainda durante a cerimônia o secretário autorizou a formulação de um projeto para construção de um andar, com capacidade para 40 leitos no Hospital César Leite.

“Minha vinda a Manhuaçu tinha o objetivo inicial de celebrar importantes conquistas na área da saúde do município. Sem que me fosse solicitado, decidi firmar algumas parcerias para continuarmos avançando, sobretudo no que diz respeito ao Hospital César Leite, que é um serviço fundamental de toda esta região”, declarou Antônio Jorge.

O secretário ressaltou que o CAPS/AD constitui uma resposta para enfrentar o que classificou como maior problema de saúde pública atual, que é o abuso de drogas. “Independente de serem ilícitas ou lícitas, como o álcool e o tabaco, o uso destas substâncias desafia as políticas públicas de saúde. Esta unidade é um espaço de perseverança, no qual não se pode desistir mediante às frustrações. O enfrentamento deste problema não é tarefa fácil e é preciso não só domínio da técnica, mas também humanismo, amor e respeito ao próximo”, declarou.

O prefeito de Manhuaçu, Renato Cezar Von Randow, destacou o apoio do Governo de Minas por meio de parcerias importantes no intuito de fortalecer a rede de saúde do município. “Tivemos investimentos em diversas áreas, seja na atenção primária, até na Urgência e Emergência. Temos avançado, e cito como exemplo as obras das Unidades de Pronto Atendimento, a qualificação do Hospital Cesar Leite, entre tantas ações. Com o apoio do Estado estamos buscando constantemente uma atenção mais adequada e melhorando a qualidade de vida dessas pessoas”, afirmou.

O secretário Antônio Jorge participou também da inauguração da UBS e do serviço de hemodinâmica do Hospital Cesar Leite e visitou a Unidade de Pronto Atendimento.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estado-fortalece-saude-mental-em-manhuacu-e-firma-novos-compromissos/

Governo de Minas: Secretaria de Saúde reforça a importância da alimentação saudável no dia Mundial da Nutrição

Secretaria ressalta importância de uma nutrição balanceada e oferece algumas dicas

André Brant/SES-MG
Uma boa alimentação está entre as necessidades mais importantes para a saúde
Uma boa alimentação está entre as necessidades mais importantes para a saúde

Neste sábado (31), comemora-se o dia Mundial da Nutrição, e a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) fala sobre a importância de uma nutrição balanceada e oferece algumas dicas para melhorar a alimentação.

Diversos estudos têm demonstrado que o Brasil, assim como outros países em desenvolvimento, convivem com a transição nutricional, determinada frequentemente pela má-alimentação. O grande avanço da ciência na área da nutrição transformou o simples ato de comer em uma ferramenta poderosa na promoção da saúde. A cada dia são descobertos novos nutrientes aptos a atuar diretamente no organismo.

De acordo com a nutricionista da SES, Luciana Rodrigues, as necessidades da vida moderna, associadas a uma alimentação inadequada, levam ao aumento excessivo de peso e ao consequente surgimento de doenças crônicas, como problemas cardiovasculares, diabetes e hipertensão arterial.

“Por outro lado, uma nutrição adequada é capaz de diminuir o estresse, a ansiedade e  a irritabilidade, além de facilitar o controle de peso e do humor. Ela também auxilia no controle de diversas doenças, tornando o tratamento mais eficaz e favorecendo o paciente com uma recuperação mais rápida. Igualmente, pode promover a melhora no rendimento de esportistas, potencializar o desenvolvimento físico e cognitivo de crianças e adolescentes, contribuir para uma gestação plena e saudável e, por fim, ajudar a pessoa a lidar com as alterações naturais do envelhecimento”, completa.

Dicas sobre alimentação saudável

• Uma boa alimentação está entre as necessidades mais importantes para a saúde, associada à prática de atividade física.

• Para uma alimentação saudável, devemos escolher os cereais integrais associados às frutas, verduras e legumes – de preferência orgânicos – boas fontes de vitaminas e minerais antioxidantes, além de consumir fibras.

• Os óleos vegetais, como azeite, óleo de linhaça, de gergelim, são fontes de gorduras insaturadas, benéficas à saúde do coração e devem ser consumidos diariamente. Experimente substituir a manteiga nos pães integrais por um fio de azeite e algumas folhas de manjericão.

• Mantenha seu corpo hidratado: água, sucos de frutas e infusão de ervas são opções.

• Evite os alimentos refinados, industrializados, cheios de conservantes, corantes e gorduras trans. Diminua o consumo de sal, frituras, gorduras animais e álcool.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-saude-reforca-a-importancia-da-alimentacao-saudavel-no-dia-mundial-da-nutricao/

Marcus Pestana defende marco legal sustentável para ocupação do solo urbano

Chuvas em Minas, Governo Anastasia, falta de investimentos federais

Fonte: Artigo do presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana – O Tempo

Mudanças climáticas, catástrofes e ação de governo

Mais uma vez abrimos o ano absorvidos pelos nefastos efeitos das chuvas. São fatos recorrentes. As manchetes da imprensa povoadas de situações pessoais, familiares e comunitárias dramáticas. Mortes, desmoronamentos, enchentes, milhares de pessoas desabrigadas, estradas interrompidas, pontes destruídas. Só em Minas, são mais de cem municípios em situação de emergência.

A reversão da situação que ano a ano se repete não é fácil, nem se dará da noite para o dia. Mas faz-se necessária uma ação articulada e consistente entre as três esferas de governo e a sociedade, com intervenções de curto, médio e longo prazos que evitem a repetição previsível do quadro de catástrofes.

No primeiro plano há uma dimensão que se apresenta em escala mundial. O tema do século XXI é a sustentabilidade do desenvolvimento. Isto tem a ver com os padrões de crescimento econômico e seus impactos ambientais. Mudanças climáticas, aquecimento global, efeito estufa, desmatamento, matriz energética limpa, elevação do nível do mar são temas na ordem do dia. O tema é carregado de polêmicas em relação à sua real dimensão e seus efetivos impactos. Mas a observação a olho nu da realidade nos permite acreditar que algo grave está ocorrendo. O encontro Rio+20, que ocorrerá no Brasil, será uma boa oportunidade para aprofundar a discussão.

Paralelo a esse debate, temos que fazer o nosso dever de casa. É evidente que dentro do quadro dramático que assistimos em muitas cidades, a ação de curtíssimo prazo é assistencial e de reconstrução (alimentos, prevenção de endemias, medicamentos, recuperação de estradas e pontes, remoção de famílias de áreas de risco etc.). Mas a ação de médio e longo prazo tem que buscar virar o jogo para minimizar crescentemente os fortes efeitos das mudanças climáticas.

A começar pelo aprimoramento do marco legal que regula o uso e a ocupação do solo. A ação preventiva é sempre melhor e mais barata para a sociedade. E nesse caso é preciso tolerância zero com novas ocupações em áreas de risco.

Mas é evidente que as famílias que procuram se fixar em áreas de riscos, em geral de baixíssima renda, não o fazem porque querem, mas por falta de alternativas. É preciso uma ousada e agressiva política habitacional, fortemente subsidiada, focada nessa faixa da população.

Existem também situações de ocupação do solo historicamente consolidadas. E não envolvem apenas famílias de baixa renda. Dificilmente será viável a remoção, em larga escala, de toda a população que vive, por exemplo, às margens dos rios Doce, Muriaé, Pomba ou Paraíba do Sul. Ou de todas as encostas nas grandes cidades. Nesse caso, são inevitáveis investimentos mais pesados em barragens, dragagens, contenções.

O importante é que o governador Anastasia chamou a si a liderança do processo. E tem mantido relação republicana e democrática com a presidente Dilma. Precisamos fazer chegar esses princípios à definição dos investimentos federais.

Link do artigo: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=193149,OTE&IdCanal=2