Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Governo de Minas apoia ações de geração de energia elétrica de fontes renováveis

Alberto Pinto Coelho abre Congresso Norte Mineiro de Energias Renováveis na cidade de Capitão Enéas

José Carlos Paiva/Imprensa MG
Alberto Pinto Coelho participa de cerimônia de abertura do Congresso Norte Mineiro de Energias Renováveis
Alberto Pinto Coelho participa de cerimônia de abertura do Congresso Norte Mineiro de Energias Renováveis

O vice-governador Alberto Pinto Coelho abriu, na noite de segunda-feira (04), em Capitão Enéas, Norte de Minas, o 1º Congresso Norte Mineiro de Energias Renováveis. O encontro reúne especialistas em energia sustentável do Brasil e de outros países, para discutir as potencialidades de desenvolvimento do Norte de Minas, na geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis e a biomassa.

Alberto Pinto Coelho destacou a importância da busca da energia renovável não só pela questão ambiental, mas também pelo perfil da geração energética.  “Minas Gerais é um Estado privilegiado pelas suas riquezas naturais, não é só por ser a caixa d’água do país e por ter um potencial hidrelétrico muito grande, mas também por ter potencial muito grande na geração de energias renováveis, como a eólica, a energia solar e a originada na biomassa”, afirmou.

O prefeito de Capitão Enéas, Reinaldo Landulfo Teixeira, disse que o Norte de Minas está atento para a importância de transformar o seu calor em riqueza e energia para mover empresas e gerar empregos e renda.

“A busca por alternativas energéticas renováveis é o grande desafio do século XXI. O Congresso é o momento para discutir o desenvolvimento sustentável a partir de fontes renováveis e, para nós, norte-mineiros, uma possibilidade de planejar nosso futuro, atraindo investimentos com base na sustentabilidade”, afirmou o prefeito.

Para o presidente da Agência de Desenvolvimento da Região Norte de Minas, Elmar de Oliveira Santana, o Norte de Minas desponta como a nova fronteira de investimentos do Estado. “A nossa região apresenta excelentes condições, para abrigar empreendimentos de geração de energia elétrica com associação de diversas fontes renováveis”, afirmou.

Segundo o secretário para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas, Gil Pereira, discutir a energia renovável não faz parte do futuro. É o nosso presente. Com a realização deste congresso, o município de Capitão Enéas dá um salto de qualidade.

Referência na América Latina

Capitão Enéas vai receber a maior usina de energia solar da América Latina, a ser implantada pela SKY Energética empresa chinesa, com atuação global, especializada no investimento e financiamento de tecnologia de engenharia, construção, operação e gestão de energia renováveis, em particular no campo de energia solar fotovoltaica.

Participaram da solenidade o vice-presidente da Cemig, Arlindo Porto, o subsecretário de Minas Energia da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Paulo Sérgio Machado Ribeiro, o presidente da Associação dos Municípios do Médio São Francisco (AMMESF) e prefeito de Ubaí, Marco Antônio Andrade; o presidente da Câmara Municipal de Capitão Enéas, Welerson Lopes Pereira, e o reitor da Unimontes, João dos Reis Canela.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-apoia-acoes-de-geracao-de-energia-eletrica-de-fontes-renovaveis/

Governo de Minas: Governador Antonio Anastasia entrega carros e computadores à Emater

Veículos e equipamentos serão utilizados no trabalho de extensão e assistência técnica

O governador Antonio Anastasia participou, nesta quinta-feira (31), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, da solenidade de entrega de 151 veículos e 656 computadores para a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seapa). Os investimentos para a compra dos veículos e equipamentos de informática foram de R$ 5,6 milhões.

Acompanhado dos secretários de Estado Elmiro Nascimento (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Danilo de Castro (Governo) e Gil Pereira (Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas), e dos presidentes da Emater e da Fundação Rural Mineira (Ruralminas), Maurílio Guimarães e Luiz Afonso Vaz de Oliveira, respectivamente, o governador de Minas fez a entrega simbólica das chaves a dois técnicos da Emater-MG: Eduardo de Oliveira Fargnoli (regional Curvelo) e Emerson Prates Afonso (regional Almenara).

Antonio Anastasia afirmou, em entrevista, que os equipamentos irão melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados pela Emater, empresa com 63 anos de atuação e presente em 789 municípios mineiros.

“A Emater está presente em praticamente todos os municípios mineiros, realizando um trabalho fundamental para nosso desenvolvimento. A entrega desses carros contribuirá para melhorar ainda mais as condições de trabalho, porque novos automóveis, assim como novos computadores, facilitam a ação tão empreendedora e positiva dos técnicos da Emater por toda Minas Gerais”, destacou Anastasia.

Os computadores (543 desktops, 65 notebooks, 48 netbooks) serão utilizados no trabalho diário dos técnicos da Emater, ajudando a melhorar e agilizar o atendimento aos agricultores familiares. Cento e trinta dos 151 veículos serão distribuídos entre as 32 regionais da empresa no Estado para suporte ao atendimento aos agricultores.

Os outros 21 veículos, adquiridos pela Fundação Rural Mineira (Ruralminas) em parceria com o governo federal para uso da Emater, serão utilizados no Programa de Revitalização de Sub-bacias do Rio São Francisco. A Emater é parceira da Ruralminas na implantação de infraestrutura, conservação e revitalização de 58 sub-bacias do rio. Serão beneficiados 56 municípios (quadro abaixo).

Os serviços compreendem obras de conservação do solo, cercamento de nascentes e matas ciliares, adequação de estradas vicinais com enfoque ambiental e construção de bacias de captação de água de chuvas.

Iniciado em 2008, Programa de Revitalização do Rio São Francisco tem previsão de, em seis anos, abranger 220 municípios em Minas, 11 na Bahia e dois em Goiás. A previsão da Ruralminas é de que, nesse período, sejam investidos R$ 56,5 milhões na construção de 61 mil bacias de captação de água das chuvas, readequação, com enfoque ambiental de 1,2 mil quilômetros de estradas vicinais, proteção com cercamento de 1,1 mil nascentes e mil quilômetros de matas de topo e ciliares.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-antonio-anastasia-entrega-carros-e-computadores-a-emater/

Gestão Antonio Anastasia: Governo de Minas atrai investimentos de R$ 80 milhões para o Vale do Jequitinhonha

Secretaria de Desenvolvimento Econômico assina protocolo de intenções com a empresa Magnesita para implantação de um complexo minerador em Almenara

Renato Cobucci / Imprensa MG
Gil Pereira, Dorothea Werneck, o presidente do Indi, Frederico Álvares, e o diretor da Magnesita, Afonso Celso de Rezende
Gil Pereira, Dorothea Werneck, o presidente do Indi, Frederico Álvares, e o diretor da Magnesita, Afonso Celso de Rezende

A secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, assinou com os diretores da Magnesita Refratários S/A, Vinícius Silva, Sandio Pereira e Afonso Celso Rezende, protocolo de intenções para implantação do Complexo Minerador de Grafita, em Almenara, no Vale do Jequitinhonha.

Por meio desta iniciativa do Governo de Minas, serão investidos R$ 80 milhões na implantação de uma unidade industrial para a produção de 40 mil toneladas por ano de produtos de grafita em Almenara. “O nosso trabalho começa com essa assinatura. A partir de agora teremos a responsabilidade de contribuir para que o projeto seja colocado em prática”, afirmou Dorothea Werneck.

Com unidades em oito países, a fabricante mineira, líder na produção de refratários na América do Sul, irá gerar 200 novos postos de trabalho, contribuindo com o desenvolvimento de uma das regiões mais carentes do Estado. Para o secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas (Sedvan), Gil Pereira, que também esteve presente na solenidade, “esse é um projeto que traz uma excelente perspectiva de crescimento para o Norte de Minas”.

O diretor da Magnesita responsável pelo projeto Grafita, Vinicius Santos Silva, acrescentou que o projeto é extremamente importante e estratégico para a empresa. “O potencial transformador desse projeto para a região do Vale do Jequitinhonha é enorme”, disse.

O Complexo Minerador está em fase de licenciamento ambiental. De acordo com o cronograma do projeto, iniciado em janeiro de 2011, a exploração de grafita deve começar em 2014, quando a capacidade de produção da empresa irá atingir 40 mil toneladas por ano.

Segundo a companhia, a reserva está estimada em 57 milhões de toneladas de grafita, com vida útil de 50 anos. “Esse volume garantirá a autossuficiência em grafita, além de adicionar um mineral estratégico ao nosso portfólio, tendo em vista o desequilíbrio de oferta e demanda pela relativa escassez de mineral de qualidade e uma demanda que é esperada crescer significativamente puxada por novas aplicações de energia móvel como baterias para carros elétricos”, completa o diretor.

A Magnesita é uma empresa privada dedicada à mineração, produção e comercialização de extensa linha de materiais refratários: são mais de 13 mil tipos diferentes, de materiais monolíticos e tijolos convencionais a cerâmicas nobres, para revestir equipamentos que operam em altas temperaturas. Os produtos são utilizados, principalmente, pelos fabricantes de aço, cimento e vidro.

A companhia se beneficia de uma das maiores e melhores reservas de magnesita, dolomita e talco do mundo. Além disso, prospecta outros depósitos minerais em todo o mundo.

Atualmente, a empresa opera 28 unidades industriais e de mineração, sendo 16 no Brasil, três na Alemanha, três na China, uma nos Estados Unidos, duas na França, uma na Bélgica, uma em Taiwan e uma na Argentina, com capacidade de produção de refratários superior a 1,4 milhão de toneladas por ano. A Magnesita é o terceiro maior produtor de refratários no mundo e líder em soluções integradas em refratários.

Juiz de Fora

Outros três protocolos foram assinados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, totalizando o valor de R$ 30,5 milhões com geração de mais de 400 empregos entre diretos e indiretos, nas áreas de medicamentos, colchões e eletrodomésticos, na Zona da Mata, no Sul do Estado e na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A Medquímica Indústria Farmacêutica anunciou investimentos da ordem de R$ 23 milhões, que serão aplicados na expansão da unidade industrial de fabricação de medicamentos da empresa em Juiz de Fora, na Zona da Mata. O empreendimento deverá ser responsável pela geração de 100 empregos diretos deverá estar concluído até dezembro de 2013.

De acordo com o presidente da empresa, Jorge Lages de Oliveira, “o principal objetivo do projeto é triplicar a atual capacidade de produção, além de ampliar a área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). A nossa expectativa é lançar novos produtos tanto de uso contínuo, como de genéricos”.

A Medquímica foi criada em 1975, com atuação em todo o território nacional e atualmente é considerada uma das maiores produtoras de Dipirona Gotas do Brasil, com a produção de 2,5 milhões de unidades por mês. Para a secretária Dorothea Werneck, o projeto está em linha com as prioridades do Estado, que busca atrair cada vez mais empresas neste segmento.

Contagem

Com investimento de R$ 3,6 milhões, a Contagem Indústria e Comércio de Espumas (Colchões Ortobom) iniciou a expansão da fábrica de colchões, travesseiros, espuma laminada/espuma torneada, blocos e flocos de espuma. A previsão é de que a produção anual atinja, até o final de 2013, a capacidade adicional de 27 mil colchões, 110 toneladas de espuma e 530 mil metros de espuma torneada por ano. O projeto que deverá ser concluído em 2013 deverá gerar 75 novos empregos diretos e 142 novos empregos indiretos.

Fundada há 40 anos em São Paulo, a Ortobom iniciou suas atividades no ramo metalúrgico, fabricando camas e mesas para televisão. Com o passar dos anos a empresa começou a comprar blocos de espuma para a confecção de colchões. Em 1975 inaugurou, no Rio de Janeiro, uma fábrica especializada em colchões, desativando a produção de camas.

Hoje a Ortobom tem 16 fábricas espalhadas pelo Brasil, com produção superior a cinco milhões de colchões por ano. Conta com mais de 1.400 lojas franqueadas e mais de 15 mil pontos de venda, tendo mais de cinco mil pessoas envolvidas no processo.

Varginha

Já a Cellini Comércio Importação de Eletrodomésticos Portáteis Ltda. irá transferir de São Paulo para Varginha, Sul de Minas, sua fábrica de eletrodomésticos portáteis, destinados preferencialmente à nova classe C. O projeto, que deverá ser concluído em 2013, irá gerar 18 empregos diretos e 70 indiretos.

Com investimento de R$ 3,9 milhões, a empresa irá implantar, além da unidade industrial, um centro de distribuição que irá comercializar a produção de partes de aparelhos importados, que serão montados na nova unidade. Os aparelhos são ferro a vapor, torradeiras, sanduicheiras, miniprocessadores, hand mixer, cafeteiras, fornos elétricos e grill. Já a fabricação da Cellini em Varginha compreenderá ventiladores, liquidificadores, ferro elétrico, batedeira, espremedor de frutas.

Durante a assinatura do protocolo, o diretor-executivo da Cellini, Walter Kufel Júnior, informou que a opção por Varginha foi feita em função do município possuir um porto seco e por sua localização. “Em termos logísticos, Varginha reúne todas as condições que a empresa buscava”, enfatizou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-atrai-investimentos-de-r-80-milhoes-para-o-vale-do-jequitinhonha/

Gestão Anastasia: Alberto Pinto Coelho empossa o Comitê Executivo Estadual do Água para Todos

Meta é implantar ações para acesso da população à água em áreas rurais do semiárido mineiro

Gil Leonardi/Imprensa MG
Secretário Gil Pereira e o vice-governador Alberto Pinto Coelho
Secretário Gil Pereira e o vice-governador Alberto Pinto Coelho

O vice-governador Alberto Pinto Coelho empossou, nesta quinta-feira (26), no Palácio Tiradentes, os membros do Comitê Executivo Estadual do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água – Água para Todos.

Composto por 22 representantes da sociedade civil e do poder público, o comitê tem caráter deliberativo. O principal objetivo é coordenar territorialmente, em articulação com o Comitê Gestor Federal, a implementação das ações de acesso à água nas áreas de abrangência do semiárido mineiro e seu entorno.

“Para que o Estado se desenvolva como um todo, precisamos estender a mão aos mineiros e mineiras dessas regiões, e criar as condições e oportunidades que lhes possibilitem ir sempre adiante, com políticas de investimento que estão sendo implementadas pelo Governo de Minas”, disse o vice-governador, lembrando que o objetivo é reduzir as desigualdades regionais, elevando o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região.

O comitê será presidido pelo secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira. Ele destacou “a importância da participação de todos os integrantes do Comitê Executivo do Água para Todos, por causa do seu caráter deliberativo”.

Obras

Gil Pereira informou que existe perspectiva de o comitê contar com recursos da ordem de R$ 189 milhões para investimentos este ano e em 2013. Esses recursos são destinados a ações e à execução de novas obras de melhoria da infraestrutura hídrica no Norte e Nordeste de Minas.

O secretário disse que foram aprovados também mais dois projetos na última reunião do Comitê Gestor do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro), no valor de R$ 39 milhões.

Com os novos investimentos no âmbito do Programa Água para Todos, a previsão é que sejam construídas 12.200 cisternas de retenção a água da chuva, 502 cisternas de produção (calçadão com projeto produtivo), 1.168 microbarragens, 180 barragens de maior porte, 1.895 bacias de captação de água de chuva, além de 600 sistemas simplificados de abastecimento de água para famílias carentes.

As ações serão implementadas por meio do Água para Todos, coordenado pela Sedvan, em parceria com os ministérios de Desenvolvimento Social e Combate à Fome e da Integração Nacional, da Cáritas Diocesana e do Fhidro.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alberto-pinto-coelho-empossa-o-comite-executivo-estadual-do-agua-para-todos/

Governo de Minas: Alberto Pinto Coelho participa da apresentação do novo presidente do Ibram

Vice-governador destaca novo papel da mineração como mola propulsora do desenvolvimento nacional

O vice-governador Alberto Pinto Coelho participou, na noite dessa terça-feira (24), em Brasília, do ato de apresentação de seu novo diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), José Fernando Coura. A indicação do engenheiro mineiro para o cargo ocorreu em 20 de março em reunião do Conselho Diretor do instituto.

Em seu pronunciamento, Alberto Pinto Coelho salientou que a mineração transcende o antigo estereótipo de ser uma indústria meramente extrativista, primária. “Já é tempo de transcender uma visão colonizada que herdamos da pequena história, cheia de preconceitos nacionalistas. É hora de ingressarmos na grande história, na qual a mineração se faz presente como mola propulsora do desenvolvimento nacional. A atividade mineral sustenta o saldo da balança comercial brasileira, respondendo por 30% de suas transações e participando com 5% da formação do Produto Interno Bruto – o nosso PIB”, afirmou.

De acordo com projeções do Ibram, nos próximos cinco anos o setor mineral receberá investimentos de US$ 68,5 bilhões. O vice-governador disse ainda que o trinômio sustentabilidade ambiental, função social e competitividade constitui o novo perfil do setor.

“Em consonância com esse novo perfil produtivo e com sua sustentabilidade ambiental, agrega-se, ao peso, o valor da mineração em nosso país, particularmente em Minas Gerais. É imperioso, pois, atingir um novo patamar de entendimento e de informação entre Estado, sociedade e setor privado, permitindo uma melhor e mais ampla compreensão pela sociedade brasileira sobre o decisivo papel que setor mineral ostenta em nosso desenvolvimento”, salientou Alberto Pinto Coelho.

José Fernando Coura destacou que o Ibram será protagonista no que diz respeito ao novo marco regulatório mineral brasileiro. “Seremos protagonistas na criação da Agência Nacional de Mineração, com dotação orçamentária própria, presente em todo o território nacional, e com autonomia administrativa. Estamos dispostos a sentar à mesa, dialogar e buscar soluções que posso atender aos municípios, a União, os Estados e a indústria mineral”, afirmou o presidente do Ibram.

Participaram da solenidade os secretários de Estado de Governo, Danilo de Castro, e de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas, Gil Pereira.

Ibram

O Instituto Brasileiro de Mineração é a entidade nacional representativa de empresas e instituições que atuam na indústria da mineração. Tem por objetivo congregar, representar, promover e divulgar a indústria mineral brasileira, contribuindo para a sua competitividade nacional e internacional. Além disso, o instituto visa também fomentar o desenvolvimento sustentável e o uso das melhores práticas de segurança e saúde ocupacional na mineração, estimulando os estudos, a pesquisa, o desenvolvimento, a inovação e o uso das mais modernas tecnologias disponíveis.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alberto-pinto-coelho-participa-da-apresentacao-do-novo-presidente-do-ibram/

Gestão Anastasia: Comitê Gestor de Convivência com a Seca articula estratégias para as regiões Norte e Nordeste de Minas

Até o momento, 71 municípios já decretaram situação de emergência devido ao longo período marcado pela falta de chuva em 2012

Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Secretário Gil Pereira e o coronel Luis Carlos Martins durante a reunião
Secretário Gil Pereira e o coronel Luis Carlos Martins durante a reunião

Com participação de representantes de oito secretarias e nove órgãos do Governo de Minas, o Comitê Gestor de Convivência com a Seca reuniu-se, nesta segunda-feira (23), na Cidade Administrativa Presidente Trancredo Neves.

Propor, articular, coordenar e avaliar ações destinadas a reduzir os efeitos da estiagem em áreas críticas de municípios de Minas Gerais são os focos centrais do comitê, presidido pelo secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira.

Até o momento, 71 municípios já decretaram situação de emergência devido ao longo período marcado pela falta de chuva em 2012. De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil e chefe do Gabinete Militar, coronel PM Luis Carlos Dias Martins, 22 desses municípios estão sendo atendidos por meio de caminhões-pipa contratados pelo Governo do Estado, enquanto outros 39 estão recebendo abastecimento dos caminhões contratados pelo Exército Brasileiro.

“Desde março, também estamos distribuindo cestas básicas à população afetada nos municípios em situação de emergência, em sintonia com o que determina a legislação”, disse o coordenador da Cedec-MG.

Exposição

O secretário Gil Pereira explicou que, durante o encontro, os vários integrantes do comitê puderam expor suas principais estratégias para a ação conjunta do Governo de Minas nos municípios atingidos pela seca e sob abrangência da Secretaria de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan).

Gil Pereira informou que, desde 2006, o Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR) investiu, no Norte e Nordeste de Minas Gerais, aproximadamente R$ 111,2 milhões. “Grande parte deles relacionados a sistemas de abastecimento de água, cisternas e barragens, o total de subprojetos nos 188 municípios sob responsabilidade da Sedvan chega ao número de 2.647, beneficiando 142,5 mil famílias”.

Com os novos investimentos no âmbito do Programa Água para Todos, informou o secretário de Estado Gil Pereira, “a previsão é que sejam construídas 12,2 mil cisternas de retenção a água da chuva, 502 cisternas de produção (calçadão e horta lateral), 1.168 microbarragens, 180 barragens de maior porte, 1.895 bacias de captação de água de chuva, além de 600 sistemas simplificados de abastecimento de água para famílias carentes”.

Também participaram do encontro o diretor-geral do Instituto de Desenvolvimento do Norte de Nordeste de Minas Gerais (Idene), Rúbio de Andrade; o vice-diretor geral, Roberto Grapiuna; e o secretário-adjunto de Estado, Ronaldo Magalhães.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/comite-gestor-de-convivencia-com-a-seca-articula-estrategias-para-as-regioes-norte-e-nordeste-de-minas/

Gestão Anastasia: silvicultura terá incremento de 30 mil hectares nos Vales do Mucuri e Jequitinhonha e no Norte de Minas

A previsão é que, em 2012, investimentos no setor alcançarão R$ 180 milhões

Carlos Alberto/Imprensa MG
Parceria entre Banco do Nordeste e Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas
Parceria entre Banco do Nordeste e Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas

Termo de Cooperação Técnica firmado em janeiro entre o Governo de Minas e o Banco do Nordeste, através do qual serão investidos R$ 1,55 bilhão na implementação do Plano Agrícola 2012/2015 voltado para a região do Grande Norte – que compreende os  vales do Jequitinhonhae do Mucuri e o Norte de Minas, poderá viabilizar já neste ano o plantio de 30 mil hectares de florestas renováveis na região do semiárido. Os investimentos previstos pela Associação Mineira de Silvicultura (AMS) são da ordem de R$ 180 milhões, com cada hectare plantado custando, em média, R$ 6 mil.

O diretor superintendente da AMS, Antônio Tarcizo de Andrade e Silva destaca que o fortalecimento da parceria entre o Banco do Nordeste e o Governo de Minas abre perspectiva promissora para o incremento da silvicultura em Minas Gerais, com geração de emprego e renda, inclusive, para o segmento da agricultura familiar.

“O Banco do Nordeste é um grande parceiro no incremento da silvicultura em Minas Gerais, especialmente nas regiões do Norte e vales do Jequitinhonha e Mucuri. A disponibilização de recursos para o incremento da produção agropecuária da região, especialmente para a silvicultura, cria expectativas favoráveis para o desenvolvimento com o aproveitamento de uma atividade que atualmente gera cerca de oito mil empregos diretos e outros 18 mil postos de trabalho indiretos”,  destaca Andrade.

Além do plantio de novas áreas de florestas renováveis por parte de grupos empresariais que objetivam atender a demanda de empresas do segmento de ferro gusa, no ano passado a Associação Mineira de Silvicultura firmou parceria com o escritório da Emater de Januária através da qual foram distribuídas mais de 42 mil mudas de árvores para pequenos produtores rurais. As mudas estão sendo utilizadas no reflorestamento de áreas nos municípios de Ibiracatu, Itacarambi, Chapada Gaúcha, Manga, Miravânia, Lontra e Japonvar. Do total de mudas disponibilizadas, mais de duas mil foram destinadas à ampliação do Programa de Integração Lavoura, Pecuária, Florestas (ILPF).

Em janeiro,a AMS ampliou parceria firmada com a Emater com o repasse de mais 200 mil mudas para cerca de 30 mil agricultores do Norte de Minas. O objetivo é possibilitar a famílias de pequenos produtores rurais nova alternativa para geração de renda, com a venda de madeira e a diminuição de custos da pecuária leiteira, através do ILPF.

Incentivos

Durante o lançamento do Plano Agrícola de Minas Gerais, em janeiro, o  governador Antonio Anastasia afirmou que a região do Grande Norte –  que compreende os vales do Jequitinhonha e do Mucuri e o Norte de Minas – têm toda confiança e crédito de que conseguirá responder de forma positiva ao apoio que vem recebendo do Governo do Estado para que consiga superar as desigualdades sociais e econômicas ainda existentes.“Toda semente ali plantada frutifica e, por esse motivo, não temos dúvidas de que a região se constitui na nova fronteira de desenvolvimento de Minas Gerais”, assinalou o governador.

Por sua vez o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simões disse, no mesmo evento, que ainiciativa do Governo de Minas em fortalecer atuação com o Banco do Nordeste tem condições de acelerar o desenvolvimento dos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas. “A região tem muitas potencialidades, mas a superação das desigualdades econômicas e sociais só será viabilizada através de investimentos. O apoio à produção agropecuária é um importante segmento a ser explorado, dentro da meta de se procurar igualar o desenvolvimento do Grande Norte às demais regiões do Estado”, afirmou.

Já o secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira, comentou a importância da relação estabelecida entre o Governo de Minas e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB): “O investimento em silvicultura previsto pelo Banco para o período 2012/2015 é muito significativo para o Grande Norte, que vive momento positivo em que são absolutamente estratégicas as parcerias financeiras. Neste caso, a geração de empregos é um dos pontos mais relevantes a serem destacados”.

BNB prevê aporte de R$ 250 milhões até 2015

Para o período de 2012/2015, a Superintendência do Banco do Nordeste em Minas Gerais tem previsão de investir R$ 250 milhões na expansão da silvicultura na região do Grande Norte. A instituição iniciou o ano com uma demanda de R$ 18 milhões para o plantio de 5,5 mil hectares de florestas na região do semiárido. Para 2012 a projeção de aportes do Banco para a silvicultura é da ordem de R$ 50 milhões.

No ano passado o BNB liberou mais de R$ 47,4 milhões de financiamentos para o plantio de uma área superior a 24,1 mil hectares de florestas renováveis em Minas. Os municípios onde o BNB possui agências que disponibilizaram maior volume de recursos para a cadeia produtiva da silvicultura foram Capelinha, Salinas, Pirapora, Januária, Montes Claros e Brasília de Minas. Nestas regiões a extensão das áreas plantadas variou de 7,3 mil a 1,3 mil hectares.

O superintendente do BNB em Minas Gerais, José Mendes Batista avalia que “as parcerias firmadas pela instituição com o Governo de Minas tem alcançado resultados positivos visto que, pela primeira vez, em 2011, o Banco conseguiu bater o recorde na liberação de financiamentos no Estado, totalizando quase R$ 1 bilhão. Só através do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) o total de financiamentos liberados em 2011 chegou a R$ 500 milhões”.

Plano Agrícola

O Plano Agrícola 2012/2015 da região do Grande Norte se destina ao custeio, investimento e comercialização das atividades agropecuárias, entre elas a bovinocultura de leite e corte, fruticultura, produção de cachaça e silvicultura. O montante de financiamento será distribuído num prazo de quatro anos sendo, R$ 300 milhões a serem aplicados em 2011 e R$ 350 milhões em 2013. Para 2014 a previsão é de que sejam disponibilizados R$ 400 milhões, montante que aumentará para R$ 500 milhões em 2015.

No mínimo 50% dos recursos serão destinados ao financiamento de mini e pequenos produtores rurais, incluindo a agricultura familiar por meio do Plano Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). No máximo, 20% dos recursos serão destinados ao financiamento de grandes produtores rurais.

Para a agricultura familiar o prazo para pagamento dos financiamentos poderá chegar a até dez anos, incluindo cinco anos de carência. A taxa de juros vai variar entre 1% e 5% ao ano, com bônus de 25% para parcelas pagas pontualmente.

Os agricultores do segmento de médios e grandes produtores rurais, que não fazem parte do Pronaf, poderão pagar os financiamentos num de até 12 anos, incluindo quatro anos de carência. As atividades de reflorestamento têm prazo diferenciado, podendo chegar a 16 anos, já contemplados sete anos de carência. Os juros variam de 5% a 8,5% ao ano, com bônus de 25% para parcelas pagas pontualmente.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Coordenadoria Estadual de Defesa Civil traça novos avanços em Minas

Tenente-coronel Fabiano Villas Boas assume cargo de secretário-executivo da Cedec-MG
Lúcia Sebe/Imprensa MG
Tenente-coronel PM Fabiano Villas Boas promete assumir desafios com máximo de comprometimento e seriedade
Tenente-coronel PM Fabiano Villas Boas promete assumir desafios com máximo de comprometimento e seriedade

O tenente-coronel PM Fabiano Villas Boas assumiu, nesta quinta-feira (16), o cargo de secretário-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG). Ele substitui o coronel PM Eduardo César Reis, que deixa a função após ter sido promovido ao posto de diretor de Recursos Humanos da Polícia Militar.

A solenidade de transmissão do cargo foi presidida pelo chefe do Gabinete Militar do Governador e Coordenador Estadual de Defesa Civil, coronel PM Luis Carlos Dias Martins. O evento foi realizado no auditório do BDMG, em Belo Horizonte.

A alteração visa assegurar o êxito dos trabalhos que vêm sendo realizados pela Defesa Civil Estadual, bem como viabilizar novos avanços dentro das estratégias de respostas dos órgãos do Governo de Minas, sobretudo em ações de enfrentamento aos períodos de chuva e seca no Estado.

“Os trabalhos do coronel Eduardo César Reis foram vitoriosos, com a realização de parcerias inovadoras com a iniciativa privada, a integração de diversos órgãos públicos, além de treinamentos e capacitações por todo o interior do Estado. O êxito deste trabalho tão importante terá continuidade na gestão do tenente-coronel Fabiano Villas Boas, que com sua experiência e sua valorosa formação, assumirá essa nobre missão”, disse o coronel Martins.

Ao despedir-se do cargo, Eduardo César Reis destacou o empenho das forças que integram a Defesa Civil Estadual. “Foi um trabalho de máxima dedicação, tanto minha, quanto da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e das demais forças de resposta do Estado. Mantenho-me à disposição para contribuir com as ações de segurança tão bem desempenhadas pelo Governo de Minas. Compartilho este momento com meus colegas, amigos e familiares, desejando êxito ao meu sucessor”, afirmou o coronel PM, agradecendo pela confiança que recebeu do governador Antonio Anastasia.

Ao ser empossado, o tenente-coronel Fabiano Villas Boas citou os desafios da nova função. “Os eventos adversos, de seca e chuva, exigem máximo comprometimento e seriedade. É com este pensamento que ocupo o cargo e assumo as missões, até hoje exemplarmente executadas pelo coronel Eduardo. Sinto-me grato e honrado por assumir a secretaria-executiva da Cedec, com o compromisso de assegurar, primordialmente, o bem-estar do cidadão mineiro”, enalteceu, também agradecendo o apoio de colegas, amigos e de sua esposa.

O secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan), Gil Pereira, representou o governador Antonio Anastasia na solenidade. “Trago aqui as palavras do professor Anastasia, de entusiasmo, responsabilidade e comprometimento, que são a marca da Defesa Civil Estadual. A Cedec-MG, hoje, é uma referência para o país, conforme já constatou a própria Secretaria Nacional de Defesa Civil. Esta transmissão de cargo é mais um passo importante dentro da coordenação das missões humanitárias realizadas em nosso Estado. O Governo de Minas reassume aqui o seu compromisso de se manter sempre ao lado do cidadão mineiro”, enalteceu o secretário.

Estiveram presentes à solenidade, o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, o secretário adjunto de Estado de Defesa Social, Robson Lucas da Silva, os deputados estaduais Luiz Henrique Maia Santiago e Antônio Júlio, o coronel BM João Luiz Ramos e o coronel PM Marco Antônio Bianchini. Autoridades civis e militares, prefeitos, vereadores e representantes de Coordenadorias Municipais de Defesa Civil também prestigiaram o evento.

Biografias

Natural de Belo Horizonte, casado, o tenente-coronel Fabiano Villas Boas é bacharel em Ciências Militares, com ênfase em Defesa Social pelo Curso de Formação de Oficiais. Também tem bacharelado em Direito. É pós-graduado na área de Segurança Pública e possui Especialização em Gestão Estratégica de Segurança. Atualmente, é mestrando em Direito Público.

Integrante da Polícia Militar há 24 anos, já serviu na Academia de Polícia Militar, no 17º Batalhão, no 3º Grupamento de Incêndio, no Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo, no Comando de Policiamento da Capital, na Assembleia Legislativa, no Estado-Maior e na Diretoria de Recursos Humanos. Como oficial superior da corporação, já foi chefe do cerimonial da PMMG, chefe da Assessoria Jurídica, sub-diretor de Recursos Humanos e comandante do 13º Batalhão.

O coronel Eduardo César Reis também é natural de Belo Horizonte, casado e pai de dois filhos. Ele é graduado em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, com especialização em Segurança Pública pela Fundação João Pinheiro. Há 25 anos integra os quadros da Polícia Militar, já tendo prestado serviços no 16º Batalhão, no Estado-Maior, na Superintendência Operacional do Gabinete Militar e na própria Diretoria de Recursos Humanos.

Também exerceu missões no exterior, tendo sido adido diplomático na Itália, junto à embaixada brasileira em Roma. Ocupava o cargo de secretário-executivo da Cedec-MG desde 2010. Neste período, esteve à frente dos planos emergenciais de enfrentamento aos períodos de chuva e seca em Minas, com expressivos avanços na gestão da Defesa Civil Estadual.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: empresas da Área Mineira da Sudene podem reinvestir parte do Imposto de Renda por meio do Banco do Nordeste

Uma reunião com empresários de vários setores foi realizada para apresentação do programa de incentivo fiscal do reinvestimento

Divulgação/Sedvan
Saulo Marques Cerqueira (BDMG), Paulo Sérgio Ferraro (BNB), Luís Carlos Everton (BNB) e o secretário Gil Pereira
Saulo Marques Cerqueira (BDMG), Paulo Sérgio Ferraro (BNB), Luís Carlos Everton (BNB) e o secretário Gil Pereira

O Banco do Nordeste do Brasil S/A, instituição financeira atuante nos 168 municípios da Área Mineira da Sudene, além de parte do Espírito Santo e nos nove estados daquela região brasileira, realizou, nesta quarta-feira (8), na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em Belo Horizonte, reunião com empresários de vários setores para apresentação do programa de incentivo fiscal do reinvestimento, que está em vigor.

Trata-se de benefício fiscal instituído pelo governo federal que permite às empresas dos setores industrial, agroindustrial, infraestrutura e turismo – Decreto 4.213/2002 -, que estejam em operação na área da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), reinvestir em seus próprios projetos de modernização ou complementação de equipamentos.

Ampliação

Um dos participantes do encontro empresarial, o diretor de Negócios do BNB, Paulo Sérgio Ferraro, explicou que o reinvestimento corresponde a 30% do Imposto de Renda devido, calculado sobre o lucro da exploração, acrescido de outra parcela de recursos próprios (50% desses 30%).

“O BNB tem ampliado substancialmente suas operações de incentivo à economia da região abrangida, com destaque para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). Com relação ao incentivo fiscal do reinvestimento, os 50% citados que cabem às empresas interessadas podem ser financiados pelo banco”, informou Paulo Sérgio Ferraro.

Parceria

Ao apontar o BNB como “um dos principais parceiros da região sob nossa responsabilidade”, o secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira, lembrou do momento positivo vivido pelo Norte e pelo Nordeste do Estado.

“O foco estratégico do governo estadual, que busca melhorar os indicadores econômicos e sociais da região, precisa do apoio financeiro de instituições como o BNB. Nesse contexto, há os novos projetos em andamento, sobretudo nos setores de gás natural, minério de ferro, além das barragens de Jequitaí, Congonhas e Vacaria. A região é a bola da vez, no sentido positivo da expressão, como disse o governador Antonio Anastasia”, declarou o secretário Gil Pereira.

Também participaram do encontro o diretor-superintendente (Comitê de Crédito) do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S/A, Saulo Marques Cerqueira; o diretor de Investimentos do BNB, Luís Carlos Everton; o chefe de gabinete do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Ronaldo Figueiredo; e vários representantes empresariais.

Mais informações sobre o programa de incentivo fiscal podem ser obtidas por meio do site do Banco do Nordeste.

Fonte: Agência Minas

Governador Anastasia inaugura escola de formação para professores e profissionais da Educação em Minas

Magistra, a Escola da Escola, vai oferecer formação continuada com cursos presenciais e a distância
Wellington Pedro/Imprensa MG
Antonio Anastasia e secretária Ana Lúcia Gazzola durante inauguração da Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores
Antonio Anastasia e secretária Ana Lúcia Gazzola durante inauguração da Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores

O governador Antonio Anastasia inaugurou, nesta quinta-feira (02), a Magistra, Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores. A escola oferecerá cursos de formação e aprimoramento para professores e demais profissionais da educação, entre eles inspetores escolares, auxiliares de serviços gerais e gestores. A Magistra funcionará na antiga sede da Secretaria de Estado de Educação (SEE), no bairro Gameleira, em Belo Horizonte.

“A Magistra é algo fundamental para termos, de fato, em Minas Gerais, uma iniciativa singular para aprimorarmos ainda mais nosso sistema de ensino. Felizmente, em Minas, nós temos apresentado, nos últimos anos, indicadores extremamente positivos e auspiciosos na nossa educação pública, a despeito da enorme heterogeneidade de nosso Estado. A Magistra vem, então, para aperfeiçoar ainda mais esses resultados”, afirmou o governador, durante a solenidade.

Antonio Anastasia proferiu a aula inaugural da Magistra, quando fez um histórico da educação no Brasil, desde o descobrimento, no século XV, passando pelo início da universalização do acesso na década de 1980 e os esforços do Governo de Minas nos últimos anos para a melhoria da qualidade do ensino.

“Em Minas Gerais continuaremos a avançar, a colher números extremamente positivos em relação à educação. Sabemos que eles ainda estão aquém das necessidades internacionais, das necessidades das empresas com novas tecnologias e criam uma nova economia que nós, em Minas, estamos perseguindo à exaustão. Por isso mesmo, essas inovações são fundamentais e a Magistra será indubitavelmente a pedra fundamental sobre a qual se construirá esse novo esforço em prol da qualidade e do prestígio da nossa educação pública”, disse o governador.

Compromisso com a educação

Os cursos na Magistra serão voltados aos mais de 276 mil profissionais efetivos e designados, chegando às 3.779 escolas estaduais, espalhadas por todo o Estado. A escola atenderá também profissionais das redes públicas municipais. A secretária Ana Lúcia Gazzola falou da importância da iniciativa, fundamental para a construção de um ensino público de qualidade.

“É justamente em nossas escolas, mais especificamente nas escolas públicas, que o futuro do Estado e da nação está sendo decidido. Enquanto dirigentes da educação, a responsabilidade política que nos cabe é clara, decisiva e intransferível. Trata-se da construção continuada de um ensino público capaz de estender a parcelas sempre maiores de nossa população o direito ao conhecimento, fonte maior de cidadania na contemporaneidade”, disse a secretária.

Para a diretora da Magistra, Ângela Dalben, a incorporação da escola ao sistema de ensino público em Minas reflete o comprometimento do Governo com uma educação de qualidade como forma de melhoria da qualidade de vida da população.

“Este empreendimento reflete a importância conferida à formação dos profissionais da educação entendida na perspectiva de um bem social e de política pública. Reafirma o compromisso do Governo de Minas com uma política orgânica de formação continuada de professores, por meio da definição concreta de instâncias capazes de promover a reflexão dos problemas educacionais e mobilizar alternativas inovadoras para solucioná-los”, explicou Ângela.

Museu da Escola

Antes da solenidade, Anastasia cortou a fita inaugural do novo espaço do Museu da Escola, agora chamado Museu Ana Maria Casasanta, que conta com um acervo de cerca de seis mil peças que ajudam a contar a história da educação em Minas Gerais.

Entre as peças há carteiras, uniformes, quadros negros, cartilhas de leitura e até palmatórias. O governador também visitou, na Magistra, a antiga Biblioteca do Professor, que recebeu o nome do escritor Bartolomeu Campos Queirós. A biblioteca tem um acervo de 50 mil livros, incluindo desde títulos atuais até material de pesquisa e documentos sobre a história da educação no Estado.

Estiveram presentes à solenidade os secretários de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena; de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques; de Cultura, Eliane Parreiras; de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues; de Esporte e da Juventude, Braulio Braz; e de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira. Representantes do setor educacional, entre eles os reitores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Clélio Campolina, e da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Dijon Moraes, também participaram da inauguração.

Formação continuada

Para o desenvolvimento dos cursos presenciais, a sede da Magistra conta com quatro salas de aula que atenderão cerca de 160 educadores, dois laboratórios de informática, além de um auditório com capacidade para 98 pessoas. A expectativa é que, ainda no segundo semestre de 2012, outras seis salas de aula sejam montadas.

A escola oferecerá cursos que podem atender a necessidades gerais do Estado e outros serão criados para regiões ou temas específicos, de acordo com as necessidades detectadas.

A partir desta quinta-feira (02), já estão à disposição dos profissionais da educação 33 cursos, sendo dez na área que trabalha o Currículo Básico Comum, dez relacionados aos temas transversais, dez no campo da gestão e três abordando a vertente Escola, Família e Sociedade.

Dentre os cursos disponíveis estão “Evolução das Ideias da Física”, “Geometria por meio de atividades interacionais”, “Educação Ambiental: Possibilidades de integração das áreas de conhecimento”, “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena”, “Identificação e enfrentamento de conflitos e violências no meio escolar”, “Desmistificando a rede: atores, entidades, programas, políticas e serviços na proteção à criança e adolescente”. O servidor interessado deve acessar o site da Magistra (http://magistra.educacao.mg.gov.br).

A partir desta segunda-feira (06), a Magistra realiza seu primeiro curso de capacitação presencial para 94 educadores, diretores e coordenadores de 11 escolas estaduais de Belo Horizonte que desenvolverão, em 2012, o projeto “Reinventando o Ensino Médio”. O curso terá a duração de uma semana, com 40 horas-aula.

Além dos cursos presenciais e a distância, a Magistra firmou parceria com a Secretaria de Estado de Saúde, permitindo que as reuniões entre educadores que acontecem na Escola de Formação, chamadas de Rodas de Conversa”, sejam produzidas no formato televisivo e transmitidas às unidades escolares e às Superintendências Regionais de Ensino, por meio do Canal Minas Saúde. Cerca de 92% das escolas públicas estaduais já instalaram as antenas que recebem o sinal do Canal Minas Saúde. Ainda neste semestre, todas as escolas deverão ter o equipamento montado.

Fonte: Agência Minas