Arquivos do Blog

Aécio Neves sai em defesa do legado de Ruth Cardoso

Aécio Neves: em Goiânia senador lembrou Ruth Cardoso pela criação da rede de proteção social e da Lei Orgânica de Assistência Social.

Aécio Neves: presidente 2014 – gestão social

Fonte: Estado de Minas

Aécio no ataque

Senador tucano adota um discurso mais social, com críticas a Dilma e ao PT, e afirma que o governo federal age de olho em 2014

 Aécio Neves defende rede social criada pelo PSDB

Goiânia – O senador Aécio Neves (PSDB-GO) fez ontem, em um seminário do PSDB goiano marcado para discutir os “rumos de Goiás e do Brasil“, o discurso mais político desde que o nome dele começou a ser cogitado como provável candidato a presidente em 2014. Embalado pelos gritos da militância “Brasil para frente, Aécio presidente“, o congressista tucano afirmou que não sabe o que o destino vai lhe reservar no futuro. “Mas tenham certeza de que aqui está um homem determinado a encarnar o destino de vocês.”

Protagonista da festa e, por diversas vezes, anunciado como o próximo presidente da República, Aécio disse que o povo não aguenta mais a ineficiência do governo. “O Brasil merece entrar em um outro momento de sua história. Viva a política séria e viva o PSDB”, declarou. O senador mineiro procurou corrigir uma das críticas que sofreu em seu primeiro discurso este ano, no Senado, quando apontou os 13 erros do PT, mas não falou a palavra povo. Boa parte de seu pronunciamento de ontem comparou os programas sociais do PT com os do PSDB, afirmando que os petistas somente ampliaram as iniciativas criadas no governo Fernando Henrique Cardoso. “Não queremos apenas ficar administrando a pobreza. Mas um governo que acha que a pobreza pode se resolvida por decreto merece ser combatido”, defendeu.

Aécio lembrou que o conceito de rede de proteção social para auxiliar as pessoas carentes foi idealizado pela ex-primeira- dama Ruth Cardoso, bem como os programas de erradicação do trabalho infantil, o Bolsa Escola (predecessor do Bolsa Família) e a Lei Orgânica de Assistência Social (Loas). E defendeu a educação como uma maneira de melhorar a qualificação dos trabalhadores brasileiros. “A rede de segurança social se ampliou, é verdade. Mas contra fatos não há argumentos. Triste de um povo cujos líderes não conhecem a própria história”, provocou.

O parlamentar de Minas Gerais reconheceu que o PT tem todo direito de comemorar os 10 anos de chegada ao poder, mas acrescentou que o partido não pode usar a data para apresentar diagnósticos distorcidos, utilizando dados díspares em relação à realidade. “Nós estamos prontos para o enfrentamento em qualquer campo que ele se dê. O Brasil tem crescido passo a passo, com base na ação dos sucessivos governos. Negar a contribuição dos que vieram antes de nós é uma demonstração de fraqueza”, criticou o senador mineiro.

Momento de união
Duas declarações petistas irritaram os tucanos e foram lembradas no evento de ontem. A primeira, recorrente, de que o PT “não herdou nada, foi obrigado a construir tudo”. E a mais recente delas, no sábado passado, durante convenção nacional do PMDB, quando a presidente Dilma Rousseff classificou os oposicionistas de “mercadores do pessimismo”. “A tese do quanto pior, melhor, se encaixa no perfil do PT, não no nosso”, comparou.

Mesmo assim, Aécio disse que não é o PSDB quem está antecipando a campanha eleitoral. “É a candidata oficial e o PT que tiraram o olho de 2013 para concentrar-se exclusivamente em 2014. Ou alguém imagina que a reforma ministerial que se avizinha será feita para melhorar a eficiência da máquina? O governo está interessado apenas no tempo de televisão que conseguirá dos partidos aliados”, disse.

Se Aécio evitou afirmar explicitamente que é candidato – para não incorrer em crime eleitoral -, os demais tucanos que participaram da festa foram bem mais explícitos. “Aécio, vá à luta, vá, adiante, a vez é sua”, conclamou o anfitrião da festa, o governador de Goiás, Marconi Perillo, que  também cobrou união do partido nesse momento e convocou os artífices desse processo. Incluiu-se entre eles, mas fez questão de citar, em primeiro lugar, o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), amigo do candidato derrotado do PSDB a prefeito de São Paulo em 2012, José Serra.

A imagem de José Serra foi projetada no telão, no vídeo em que mostrava a história do PSDB desde sua criação, em 1988, até os dias atuais. Ele foi citado por Aécio em seu discurso, mas não compareceu ao evento. “Eu liguei para o Serra ontem à noite (domingo), e ele disse que não tinha como vir aqui a Goiânia hoje. Mas mandou uma saudação e desejou sucesso para o evento”, justificou Perillo.

“É a candidata oficial e o PT que tiraram o olho de 2013 para concentrar-se exclusivamente em 2014. Ou alguém imagina que a reforma ministerial que se avizinha será feita para melhorar a eficiência da máquina?”
Aécio Neves (PSDB-MG), senador

Gestão Antonio Anastasia: Minas destinar R$ 200 milhões para ações de combate à miséria

Gestão Social em Minas, Erradicação da pobreza absoluta

Fonte:Estado de Minas

Combate à miséria em Minas terá R$ 200 milhões

O Fundo de Erradicação da Miséria (FEM) agora é lei em Minas Gerais. E tem a expectativa de dedicar já no ano que vem pelo menos R$ 200 milhões para investimentos no combate à pobreza. Projeto de lei do Executivo, instituindo a verba carimbada, que pode beneficiar cerca de 3 milhões de mineiros, foi aprovado na madrugada de quarta-feira na Assembleia Legislativa. O curioso é que, em um ano de grandes embates entre governo e oposição, o texto foi relatado por um deputado do PT.

O dinheiro para financiar as ações virá de 2% de tributação adicional que passará a ser cobrada sobre armas e bebidas alcoólicas, exceto aguardente, taxação aprovada em outro projeto pelo Legislativo no mesmo dia. A expectativa da Secretaria de Estado da Fazenda é que os impostos gerem um mínimo de R$ 200 milhões, valor já alocado no Plano Plurianual de Ações Governamentais. O fundo será gerido por um conselho gestor, que terá representantes de secretarias de estado, conselhos públicos e Assembleia.

Uma das primeiras ações previstas é a ampliação da coparticipação do estado nas políticas de assistência social nos municípios. Hoje, o governo mineiro concede R$ 1,80 por família atendida no cadastro único de políticas sociais em 214 municípios. Com cerca de R$ 25 milhões do FEM, o número de cidades passa para 820 em 2012 e 853 em 2013.

Previsto na Constituição Federal, o fundo de combate à miséria existe nacionalmente e em outros 17 estados. O governo de Minas propôs a criação na sequência de um seminário sobre o tema feito no Legislativo e a previsão é de que ele funcione até 31 de dezembro de 2030. Segundo o relator da matéria, deputado André Quintão (PT), a demanda reprimida é grande. O FEM é destinado a ações voltadas para pessoas em estado de pobreza, cerca de 2,8 milhões de mineiros com renda de até R$ 140 per capita, ou extrema pobreza, com renda de até R$ 70 per capita, mais de 910 mil cidadãos.

O fundo pode se converter até em novos programas de transferência de renda, como o Bolsa-Família no plano nacional. A legislação aprovada admite a destinação de recursos do FEM para pagamento de pessoal e custeio a entidades que atuem em programas e ações sociais. Para enfrentar situações de pobreza e desigualdade, o fundo se dispõe a assegurar o direito à alimentação adequada, melhorar padrão de vida e condições de habitação, acesso à água e formação profissional. Também na lista a geração de emprego.

André Quintão elogiou a iniciativa do governo, mas informou que, em substitutivo, ele foi ampliado com mais possibilidades de usos e mais recursos de controle social sobre a aplicação. “Com ele, o governo vai poder agir tanto em vários programas de estado quanto por meio de financiamento a municípios mineiros ou mesmo com a transferência direta de recursos”, afirmou.

Aécio Neves inaugura no Jequitinhonha Centro Viva Vida

Gestão Social

Fonte:Agência Minas

A luta pela redução das mortalidades infantil e materna recebeu mais uma vez, nesta sexta-feira (29), a consolidação de investimentos do Governo de Minas. O governador Aécio Neves inaugurou o Centro Viva Vida da cidade de Jequitinhonha, que recebeu recursos de R$ 2,1 milhões, para obras e aquisição de equipamentos. Durante a entrega do centro, o governador também autorizou a liberação de R$ 133 mil para a reforma e ampliação da quadra poliesportiva do distrito de Guaranilândia.

Em entrevista, Aécio Neves destacou que o Centro Viva Vida faz parte de um conjunto de ações empreendidas pelo Governo de Minas para acelerar o crescimento social das regiões mais carentes do Estado, como o Vale do Jequitinhonha e o Norte de Minas.

“Essa região foi a que mais investimento recebeu. Pela primeira vez na história de Minas, essa região recebeu quase três vezes mais investimento per capita que as demais regiões. Está aí o Proacesso. Estão aí os investimentos de saneamento básico em toda a região através, inclusive, da Copanor. Estão aí os investimentos como os que estamos inaugurando na área da saúde, as Unidades de Pronto Atendimento. São investimentos na área de infraestrutura de todas as formas. Há um conjunto de ações hoje, importantes nessa região, que visa exatamente minimizar os efeitos da seca e dar mais esperança e condições de desenvolvimento para cada uma das cidades dessa região”, disse Aécio Neves.

Viva Vida

O Centro Viva Vida de Jequitinhonha faz parte de um conjunto de 19 unidades já em funcionamento em todo o Estado de Minas Gerais, sendo cinco deles (Brasília de Minas, Janaúba, Capelinha, Taiobeiras e Januária) nas regiões Norte e vales do Jequitinhonha e Mucuri.

“Esse Centro Viva Vida em Jequitinhonha terá o mesmo efeito que os demais tiveram nas outras regiões do Estado: diminuição da mortalidade infantil, da mortalidade materna; mais cuidado com as mães e com as crianças”, disse o governador, em seu pronunciamento.

Até o final do ano, outros setes centros estarão concluídos. Desde 2003, o Governo de Minas já aplicou R$ 80 milhões no Viva Vida. Somando-se às outras ações do Governo de Minas, o programa ajudou a reduzir a mortalidade infantil no Estado em 36,01%, entre 2002 e 2009. No mesmo período, a redução da mortalidade materna foi de 30,31%.

“Esse 19º Centro Viva Vida talvez seja um dos trabalhos mais importantes da saúde pública em Minas Grais e no Brasil. De todos os dons que temos e os bens, a vida que Deus nos deu é o que temos de preservar e aqui a vida vai ser curada. Cuidando bem da saúde, cada vez mais haverá dedicação ao trabalho e ao desenvolvimento dessa região tão especial de Minas Gerais”, disse o vice-governador Antonio Anastasia, em seu pronunciamento, em Jequitinhonha.

Luz para Todos

Ainda em Jequitinhonha, o governador Aécio Neves, acompanhado por Anastasia e pelo diretor de Distribuição e Comercialização da Cemig, Fernando Schuffner, fez a ligação da energia elétrica da residência do trabalhador rural Gláucio Pereira Cabral, no Assentamento Transval. A ação simboliza as duas primeiras etapas do programa Energia Rural – Luz para Todos, que terá atendido 817 famílias do município até o final deste ano, com investimentos totais de R$ 9,3 milhões.

“Música para divertir, facilidade para lavar as roupas e muitos benefícios para a minha família. Eu não posso mais enxergar, mas sinto que agora a vida clareou”, disse emocionada Maria Cristina de Jesus, 89 anos, mãe da esposa do trabalhador rural, Jovenita da Silva. Com deficiência visual há alguns anos em decorrência das complicações de um glaucoma, Maria Cristina espera que a sua família possa ter mais conforto de agora em diante.

O proprietário da casa disse que o cotidiano nunca mais será o mesmo e que as noites serão muito mais agradáveis. A família já possui alguns eletrodomésticos, como um tanquinho lava-roupas, um liquidificador e um rádio, antes inativos, e pretende, até o fim do ano, adquirir uma geladeira e uma televisão.

“O Luz para Todos significa uma inclusão social plena, porque temos a possibilidade de levar energia elétrica às pessoas. Então, como o nome diz, é um programa social, fundamental e ele permite de fato que as pessoas tenham acesso à geladeira, à televisão, a uma vida moderna através da energia. É um programa muito positivo que estamos estendendo por toda Minas e esperamos, até o final de 2010, concluir”, disse Anastasia.

Entre os atendidos na cidade de Jequitinhonha estão 79 famílias do Assentamento Franco Duarte e todas as 219 famílias da Reserva Biológica Mata Escura.

Na primeira etapa do Luz para Todos, a Cemig realizou 190 mil ligações em Minas Gerais, beneficiando 800 mil pessoas. A segunda etapa, já em andamento, priorizará os municípios dos vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas. Serão mais 73 mil ligações até o final deste ano, com investimentos de R$ 796 milhões, sendo 67% do Governo de Minas e 33 do governo federal. Deste total, R$ 292 milhões são para o Vale do Jequitinhonha com 25.693 ligações.