Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Governo de Minas anuncia aumento de salários e atende a outras reivindicações dos servidores da saúde

Medidas, que estão condicionadas ao fim da greve, terão impacto anual de R$ 100 milhões no orçamento da Saúde

Renato Cobucci/Imprensa MG
Presidente da Fhemig, Antônio Carlos Martins; subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves; e o secretário Antônio Jorge
Presidente da Fhemig, Antônio Carlos Martins; subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves; e o secretário Antônio Jorge

Durante entrevista coletiva à imprensa na tarde dessa quarta-feira (20), o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, informou que os benefícios propostos pelo Governo de Minas para os servidores da saúde, durante reuniões realizadas ontem com dirigentes da Asthemg e do SindSaude, representarão um impacto anual de R$ 100 milhões no orçamento da Pasta.

O secretário afirmou ainda que os pontos dos grevistas estão sendo cortados. Admitiu também que, caso a greve não seja encerrada, o governo fará contratações para substituir grevistas. O objetivo, segundo ele, é garantir a prestação de serviços públicos de saúde aos cidadãos.

Pela proposta apresentada pelo Governo de Minas, a gratificação complementar (GC) concedida a auxiliares de apoio, técnico operacional, enfermeiros e analistas de gestão e assistência à saúde da Fhemig aumentará de 20,7% para 30% a partir de agosto deste ano. A gratificação complementar aumenta para 40% em agosto de 2013 e para 50% em agosto de 2014.

O Governo de Minas propôs ainda aumentar em 330% a base de cálculo da insalubridade, ou seja, a base de cálculo passará de R$ 200,00 para R$ 660,00. Além disso, será pago adicional noturno de 20% sobre o valor da hora noturna para todos os servidores do Sistema de Saúde que fazem jus a esses direitos.

Outro benefício é o aumento em 50% do valor do adicional de emergência, que será concedido a todos os profissionais da categoria que atuam no setor de urgência e emergência na Fhemig.

Em relação aos profissionais que atuam na Fundação Hemominas, o Governo de Minas criará uma gratificação complementar para equiparar o valor final da remuneração (composta pelo vencimento básico e gratificação complementar) com os profissionais da Fhemig, beneficiando auxiliares, assistentes técnicos e analistas de hematologia e hemoterapia. Além disso, os interníveis das tabelas das referidas carreiras da Hemominas passarão de 18% para 22%.

Sobre as reivindicações da Funed, a pauta só foi encaminhada à SES e à Seplag nesta terça-feira. As reivindicações serão analisadas e o retorno será dado no próximo dia 25 de junho.

“Além do expresso aumento nos vencimentos, o Governo de Minas está atendendo algumas reivindicações históricas dos servidores da saúde”, afirmou Antônio Jorge.

Secretário critica intransigência de dirigentes sindicais

O secretário de Saúde reclamou da intransigência de alguns dirigentes sindicais, que insistiram no movimento grevista em pleno processo de negociação. “O Governo de Minas nunca fechou a porta para negociação. Portanto, a greve não se justifica. É um movimento ilegítimo, oportunista e com viés político”, afirmou.

Durante a coletiva de imprensa, o secretário Antônio Jorge confirmou que, se necessário, o governo vai fazer a contratação imediata de profissionais para substituir grevistas nos setores mais críticos de urgência e emergência. Informou ainda que o ponto dos grevistas será cortado, mas que o governo admite negociar a reposição dos dias parados, caso o movimento grevista seja cessado.

“É importante deixar claro que essas medidas não visam confrontar o movimento sindical, mas, sim, assegurar a prestação de serviços de saúde para os cidadãos, que é nossa responsabilidade primeira”, afirmou Antônio Jorge.

O secretário reiterou, por fim que os benefícios propostos pelo Governo de Minas sõ serão implementados a partir do retorno ao trabalho. Isto será feito meio de projeto de lei ou decreto, e mediante compromisso assumido pelas categorias de que não haverá novas negociações até 2014 com impacto na folha, exceto reajuste geral concedido no âmbito da política remuneratória.

Reivindicações já atendidas

Duas reivindicações da categoria já haviam sido atendidas anteriormente: redução da carga horária de 40 para 30 horas de acordo com a legislação e regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia. A Lei nº 15.462/2005 foi alterada em 2011 para permitir redução de jornada, observada a condição de não prejudicar a prestação dos serviços.

A regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia será atendida pelo novo Estatuto do Servidor, em fase final de consulta pública, cujo art.78 é idêntico ao art. 79 da Lei Federal 8.112/90. O texto final será encaminhado para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais em até 30 dias. Pela proposta, o servidor que opera direta e permanentemente com Raios X ou substâncias radioativas gozará de 20 dias consecutivos de férias por semestre de atividade profissional, sendo proibida a acumulação.

Os servidores estaduais, incluindo os servidores do Sistema de Saúde, já tiveram reajuste salarial de 5% em outubro do ano passado e 5% em abril deste ano, como forma de adiantamento da política remuneratória do Estado. De acordo com a legislação vigente, a data base de todo o funcionalismo é setembro. Estudos demonstram que não existe defasagem salarial dos profissionais do sistema com os valores praticados no mercado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-anuncia-aumento-de-salarios-e-atende-a-outras-reivindicacoes-dos-servidores-da-saude/

Anúncios

Governo de Minas: concurso público oferta 151 vagas nas áreas de saúde e tecnologia

Os salários variam de R$ 825,16 a R$ 3.963,91

A Fundação Ezequiel Dias (Funed), a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) lançaram concurso público para Técnico de Saúde e Tecnologia, níveis I e II (nível médio) e Analista e Pesquisador de Saúde e Tecnologia, níveis I, III e IV (nível superior). O edital foi publicado nesta sexta-feira (1º) no Diário Oficial do Estado – jornal “Minas Gerais” – e está disponível no site do instituto (www.ibfc.org.br).

Para ambos os cargos, a carga horária será de 40 horas semanais. Os salários variam de R$ 825,16 a R$ 3.963,91. As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico www.ibfc.org.br, entre 2 e 31 de julho de 2012.

A data prevista para a realização do concurso, em etapa única, é o dia 2 de setembro deste ano, em Belo Horizonte. Será aplicada uma prova objetiva com 60 questões. Após as inscrições, o candidato poderá saber o local, a sala e o horário de realização da prova também pelo site do IBFC, até 25 de agosto de 2012.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/concurso-publico-oferta-151-vagas-nas-areas-de-saude-e-tecnologia/

Governo de Minas: ESP-MG completa 66 anos de trabalho pela saúde

Escola de Saúde Pública também comemora neste domingo a marca de 160 mil alunos atendidos em seus cursos.

Divulgação / ESP-MG
Segundo vários especialistas e gestores, ESP-MG contribui para a formação de profissionais para atuarem com a saúde pública.
Segundo vários especialistas e gestores, ESP-MG contribui para a formação de profissionais para atuarem com a saúde pública.

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) completa, neste domingo(03), 66 anos de atuação na formação e valorização dos profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). A data também marca os mais de 160 mil alunos atendidos pelos cursos e o fortalecimento de parcerias com instituições importantes no âmbito do SUS em Minas Gerais.

“São 66 anos de uma Escola com uma equipe que apresenta bons resultados, uma trajetória que reflete os passos dados pela política nacional de saúde ao longo dessas décadas. A ESP-MG segue colaborando para que o SUS atinja sua plenitude”, celebra o diretora-geral da instituição, Damião Mendonça Vieira.

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, ressalta a importância da escola na formação do profissional e do gestor em saúde. “A ESP-MG demonstra ser um espaço privilegiado para a produção de conhecimento para o Sistema Único de Saúde em Minas Gerais. A formação de recursos humanos é fundamental para continuarmos avançando e a ESP-MG é a parceria privilegiada do Governo de Minas para esse desafio”, parabeniza o Secretário.

Antônio Jorge ainda destaca que nem sempre a academia tradicional é capaz de incorporar de forma satisfatória as demandas do SUS. “Como estão mais próximas do serviço, as escolas de saúde pública, como a ESP-MG, têm esse papel fundamental de atender à real demanda de formação de recursos humanos para o SUS”, avalia.

Reconhecendo a formação profissional como essencial para a consolidação do SUS, o reitor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), professor João dos Reis Canela, destaca o importante histórico de parcerias entre as duas instituições. “A ESP-MG é uma importante parceira da Unimontes. Com esse trabalho, incrementamos as ações do Centro de Educação Profissional e Tecnológica (CEPT), oferecendo novos cursos voltados para a capacitação profissional na área da saúde. Assim, manifestamos o nosso desejo de continuidade do pleno sucesso da Escola de Saúde de Minas Gerais, que, com o seu trabalho, participa diretamente do desenvolvimento do nosso estado”, lembra o reitor.

No mesmo sentido, a diretora do Centro de Pesquisas René Rachou/ Fiocruz Minas, Zélia Maria Profeta da Luz, lembra que só através das parcerias que o avanço nas discussões sobre saúde pública é possível. “Essa parceria vem de longa data, fomentando o desenvolvimento de programas, projetos e atividades no campo da pesquisa, ensino e informação técnico-científica, essenciais para a melhoria do SUS”, avalia.

Relembrando os trabalhos desenvolvidos no período em que a ESP-MG foi vinculada à Fundação Ezequiel Dias (Funed), o presidente da instituição, Augusto Monteiro Guimarães, destaca que a autonomia alcançada pela Escola não representou o fim da parceria. “Muito nos honra fazer parte da história desta Escola que tantos resultados positivos somou à Funed. Mesmo após 2007, quando a ESP conquistou sua justa e necessária autonomia administrativa, as duas instituições se mantiveram unidas a favor da construção do SUS”, pontua.

Junto com a Fundação Hemominas, a ESP-MG vem desenvolvendo cursos de formação e qualificação de profissionais. A presidente da fundação, Júnia Cioffi, destaca o Curso Técnico em Hemoterapia, que já conta com sua primeira turma. “Com a complexidade da Medicina, a hemoterapia é considerada como área estratégica, já que atua em várias patologias e especialidades. Com o apoio da ESP-MG, foi possível a realização do curso, uma demanda do SUS, que propicia aos alunos conhecerem a hemoterapia como um todo, acompanhando todo o ciclo do sangue”, comenta.

História

A trajetória da ESP-MG começou em 1946, quando o Departamento de Saúde Pública, órgão da então Secretaria Estadual de Educação e Saúde Pública, foi reorganizado. Com a exigência legal de conclusão do curso de Saúde Pública para contratação de médicos sanitaristas, houve uma tendência de especialização profissional. Em 1970, a ESP-MG passou a integrar a estrutura da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

O SUS nasce oficialmente em 1988 e encontra na escola um suporte para seu desenvolvimento, por meio de cursos técnicos, de especialização, atualização e aperfeiçoamento. Com a Lei Delegada n.º135, publicada em janeiro de 2007, a instituição conquistou a autonomia administrativa, financeira e orçamentária, ampliando suas atividades referentes à educação, à pesquisa e ao desenvolvimento institucional e de recursos humanos, no âmbito do SUS.

Nos últimos anos, a escola experimentou um crescimento robusto e sustentado, com apoio do sistema estadual de saúde. O diretor geral destaca que a perspectiva é aumentar, de forma contínua, a contribuição para o Sistema Único de Saúde.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/esp-mg-completa-66-anos-de-trabalho-pela-saude/

Governo de Minas: Fundação Ezequiel Dias desenvolve gel e enxaguante bucal a base de própolis

17h04m – 29 de Maio de 2012 Atualizado em 19h05m

Os dois produtos serão os primeiros no Brasil com um certificado de garantia de procedência

Depois de mais de 20 anos de pesquisa, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) apresenta dois produtos a base de própolis, um conhecido antibiótico natural. O gel e o enxaguante bucal chegarão brevemente ao mercado e apresentam vantagens sobre outros produtos. A principal é o custo, que será bem menor.

Toda a matéria prima utilizada para a produção dos produtos é exclusiva de Minas Gerais. O própolis usado pela Funed vem de 121 municípios do Estado. Por isso, os produtos serão os primeiros no Brasil com um certificado de garantia de procedência.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-ezequiel-dias-desenvolve-gel-e-enxaguante-bucal-a-base-de-propolis/

Governo de Minas: cobra coral de 112 centímetros surpreendeu a equipe do Serviço de Animais Peçonhentos da Funed

O veneno dessa serpente é o único capaz de produzir o soro antielapídico, usado nas picadas de cobras corais.

Sandra Leão
Coral de mais de 1 metro é encontrada em Nova Lima
Coral de mais de 1 metro é encontrada em Nova Lima

A serpente do gênero Micrurus e espécie Frontalis, foi encontrada em um condomínio em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, que entrou em contato com a Fundação Ezequiel Dias (Funed) para que pudesse buscá-la. “Essas serpentes costumam ser trazidas a Funed com tamanho de, no máximo, 60 centímetros. Apesar de que essa espécie pode atingir até 130 centímetros, o tamanho dela nos espantou”, afirma o chefe do Serviço de Animais Peçonhentos, Rômulo Righi.

De hábito noturno, a coral verdadeira costuma se esconder entre folhas, galhos e troncos, que dificulta sua capturação. Atualmente, a Funed possui 6 cobras do gênero Micrurus em cativeiro. Seu veneno é o único responsável para a produção do soro antielapídico usado para picadas de cobras corais. “Quando não temos estoque do veneno, temos que solicitar em outras instituições como o Centro de Pesquisa e Produção de Imunobiológicos (CPPI) do Paraná ou Instituto Butantan”, informa Rômulo.

Para garantir a quantidade ideal de veneno e produzir o soro para o abastecimento dos hospitais credenciados no tratamento de picadas, a Funed busca sempre ampliar e manter o plantel desse tipo de espécie em seu cativeiro, através de algumas iniciativas como o “Projeto Micrurus”, implantado em julho de 2009, com o objetivo de ampliar o número de exemplares do gênero Micrurus, ao qual pertence a coral verdadeira.

Inicialmente, o projeto estabeleceu parceria com dez condomínios localizados nos municípios de Nova Lima, Brumadinho, Itabirito e Santa Luzia. O número foi ampliado e o projeto conta hoje com a participação de 16 condomínios. Moradores e funcionários dos condomínios recebem a visita da equipe do Serviço de Animais Peçonhentos (SAP), com palestras e treinamento sobre a maneira correta de realizar a captura do animal. Os condomínios recebem caixas para guardar os animais recolhidos e um gancho para realizar a captura da maneira correta e segura, além de cartilhas que orientam sobre cuidados em caso de acidentes com animais peçonhentos. Os colaboradores são também orientados sobre como identificar a verdadeira cobra coral, que com frequência é confundida com outras espécies.

Os animais recebidos são utilizados principalmente na produção de veneno, mas podem também integrar a coleção científica da Fundação, que serve de referência para pesquisadores e estudantes de universidades e outras instituições de pesquisa.

Em 2011, a Funed forneceu ao Ministério da Saúde 219.041 ampolas de soros, sendo esse número dividido entre os antiofídicos, antiescorpiônico, antitetânico e antirrábico.

Cuidados

Diante da importância científica desses animais peçonhentos, é importante que toda a comunidade saiba como proceder em casos de aparecimento de cobras, aranhas e escorpiões. A equipe do SAP da Funed alerta que, ao encontrar um escorpião, jamais deve haver a tentativa de capturá-lo diretamente com as mãos. É preciso usar luvas e uma pinça longa. Caso não seja possível, uma pá pode ser a alternativa. Após a captura, é preciso que o animal seja acondicionado vivo dentro de um pote plástico, com furos na tampa em um algodão úmido, para permitir respiração do escorpião.

No caso de captura de cobras que possam ser encontradas pelos cidadãos é preciso habilidade e alguma noção sobre a maneira correta de se realizar a captura, caso contrário, o indicado é que sejam acionados os bombeiros, policiais ambientais, departamento de zoonoses das prefeituras ou um técnico da área. Para apanhar a cobra é necessário o uso de um gancho com cerca de 130 cm, botas ou perneiras e uma caixa com tampa. A cobra deve ser acondicionada dentro da caixa que, de preferência, deve conter as seguintes informações: cuidado cobras, número de animais, município de captura, data da captura, nome do doador.

Os animais capturados podem ser encaminhados, inclusive nos finais de semana e feriado, a Fundação Ezequiel Dias ao Serviço de Animais Peçonhentos que fica na Rua Conde Pereira Carneiro, 80, no bairro Gameleira em Belo Horizonte. Os animais serão recebidos na portaria da Funed e posteriormente encaminhados ao SAP.

Em casos de picadas de escorpião, aranhas ou serpentes, o indicado é procurar atendimento médico mais próximo do local do acidente. Nunca amarrar ou cortar o local da picada, nem fazer torniquetes. Também não se deve medicar o enfermo antes do atendimento e avaliação do médico. Os paliativos não diminuem a ação do veneno, apenas retardam e dificultam o atendimento correto. Em Belo Horizonte, o Hospital João XXIII é referência no atendimento de pessoas picadas por animais peçonhentos.

Os interessados em conhecer mais sobre esses animais podem agendar visitas com o Serviço de Animais Peçonhentos da Funed. Os profissionais da Fundação também realizam palestras em escolas e empresas.

Para saber mais ligue 0800 2831980 (opção 03) ou envie e-mail para  serpentario@funed.mg.gov.br ou (031) 3314-4760.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cobra-coral-de-112-centimetros-surpreendeu-a-equipe-do-servico-de-animais-peconhentos-da-funed/

Governo de Minas: Funed desenvolve gel e enxaguante bucal à base de própolis

Os produtos apresentam potencial contra a ação de fungos e previne cáries

Gleisson Mateus / Funed
Produtos desenvolvidos na Funed são mais baratos e apresentaram bons resultados e testes
Produtos desenvolvidos na Funed são mais baratos e apresentaram bons resultados e testes

Pesquisadores da Fundação Ezequiel Dias (Funed) desenvolveram, a partir de diversos experimentos, um gel e enxaguante bucal (anti-séptico) à base de própolis que apresenta potencial contra a ação de fungos, atividade antitumoral, além de prevenir a cárie. O resultado será apresentado no XXI Encontro Nacional de Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico (Enatespo), nos dias 28, 29 e 30 de maio, em Belo Horizonte.

Segundo a bióloga da Funed e uma das autoras da pesquisa, Esther Margarida Bastos, “os produtos apresentam ótimos resultados, nenhum efeito colateral e custo bem menor que o de produtos comerciais similares”.

O gel é recomendado para o tratamento de candidíase atrófica crônica, comum em pessoas que usam prótese. Já o enxaguante bucal possui ação contra diversas mucosites e diferentemente dos que encontramos no mercado, o produto produzido base de própolis, não é feito com Clorexedina – antibiótico muito forte, que tem como efeito colateral o amarelamento dos dentes.

As pesquisas já passaram pelos testes em laboratório e por testes clínicos em seres humanos realizados em parceria com as faculdades de odontologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). As fórmulas também já foram patenteadas.

Para coordenadora da Divisão de Desenvolvimento Farmacotécnico e Biotecnológico, Silvia Fialho, “a participação no encontro é de suma importância, pois divulga os trabalhos que são desenvolvidos na Funed para os usuários do SUS”, finaliza.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/funed-desenvolve-gel-e-enxaguante-bucal-a-base-de-propolis/

Gestão da Saúde: efeitos dos medicamentos distribuídos no Estado contam com acompanhamento constante da Funed

Equipes de Farmacovigilância atuam para assegurar a qualidade e a eficácia de produtos distribuídos no SUS

Thiago Mamede
Ação visa assegurar qualidade e eficácia de cada um dos produtos distribuídos
Ação visa assegurar qualidade e eficácia de cada um dos produtos distribuídos

Para assegurar a qualidade de seus serviços e produtos, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) realiza acompanhamentos constantes dos efeitos de medicamentos, soros e vacinas produzidos. É a chamada Farmacovigilância, que é o conjunto de atividades exercidas por equipes da Funed, por meio do recebimento ou busca de notificações de eventos adversos ou quaisquer problemas relacionados aos medicamentos. Cabe a esta equipe realizar a comunicação às autoridades competentes, acompanhar o processo de análise e estabelecer, como um compromisso com a saúde pública, garantias de segurança, qualidade e eficácia de cada um dos produtos distribuídos gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a responsável pela sub-gerência de Farmacovigilância e Estudos Clínicos da Funed, a farmacêutica Cristine de Araújo Silva, este conjunto de ações permite acompanhar os produtos que já estão no mercado para se detectar, avaliar, compreender e prevenir efeitos adversos que podem estar relacionados aos medicamentos, soros e vacina. “O principal objetivo é a busca de informações relacionados a cada produto, que podem auxiliar, por exemplo, na prevenção de determinado evento adverso ou, até mesmo, na alteração de uma indicação de uso”, explica.

O serviço é disponibilizado por meio de um Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), gratuito, e cujo número (0800 283 1980) é impresso nas bulas e nas embalagens dos produtos da Funed. Além disso, o site da fundação (www.funed.mg.gov.br) permite fazer notificações online, por profissionais ou clientes. De acordo com o farmacêutico Wenderson Walla Andrade, a fundação recebe ligações não só dos pacientes, como também de profissionais de saúde. “Eles relatam as reações adversas e procuram saber o real motivo delas. Com as informações, analisamos as possíveis causas dos sintomas associadas aos processos (produção, armazenamento e transporte) e também ao uso do medicamento, interação com outros medicamentos e alimentos e, irregularidades na forma e nos horários de ingestão dos produtos”, afirma.

A Sub-gerência também desenvolve projetos de pesquisa para a Farmacovigilância ativa dos produtos da Funed. Atualmente, a Sub-gerência está desenvolvendo a Farmacovigilância de soros heterólogos, como soro antiescorpiônico, soro antibotrópico (pentavalente), soro anticrotálico, soro antirrábico, soro antitetânico, dentre outros. Sendo que a Fundação é responsável pela produção de cerca de 35% da demanda nacional destes soros, e, não havendo registros suficientes no país sobre eventos adversos associados ao uso destes soros, e também dos soros de outros fabricantes, há a necessidade de se trabalhar com a Farmacovigilância ativa junto à rede pública de saúde e  hospitais onde os soros são administrados.

“A ideia principal é que, coordenados e acompanhados por profissionais da Sub-gerência, outros profissionais de saúde de hospitais selecionados como “sentinelas” realizem a notificação de eventos adversos destes soros, para que possamos obter o máximo de informações e consigamos estabelecer, futuramente, uma referência epidemiológica, abarcada em dados concretos sobre a utilização destes produtos”, afirma Cristine. O projeto será desenvolvido em hospitais de sete cidades de Minas Gerais, que respondem pelo atendimento de maior número de casos de acidentes peçonhentos no Estado, como Belo Horizonte, Montes Claros, Pouso alegre, Manhuaçu, Formiga, Teófilo Otoni e Uberlândia.

Como notificar

Qualquer cidadão, usuário dos produtos Funed, ou qualquer profissional de saúde que prescreve, dispensa, manuseia e administra os produtos, quando identificar eventos/efeitos adversos ou problemas relacionados aos medicamentos, soros e vacina, pode entrar em contato com a Fundação para tirar dúvidas ou fazer uma notificação.

Basta acessar o link abaixo ou entrar em contato pelo telefone do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) 0800-283-1980, ou ainda enviar um e-mail para o endereço: farmacovigilância@funed.mg.gov.br. Outras informações estão disponíveis no site www.funed.mg.gov.br/farmacovigilancia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/efeitos-dos-medicamentos-distribuidos-no-estado-contam-com-acompanhamento-constante-da-funed/

Gestão da Saúde: fundação Ezequiel Dias participa de ato simbólico contra a meningite

Evento vai reunir centenas de organizações de saúde e instituições não governamentais para um abraço simbólico ao redor do Cristo Redentor

A Fundação Ezequiel Dias (Funed) estará presente, nesta terça-feira (24), no ato simbólico para marcar o dia mundial de combate à meningite, no Rio de Janeiro. A ação é promovida em todo o mundo e, aqui no Brasil, o evento vai reunir centenas de pessoas, organizações de saúde e instituições não governamentais para um abraço simbólico ao redor do Cristo Redentor. O objetivo é reunir as pessoas para “Dar as Mãos” na luta contra a meningite.

Representando Minas Gerais, a Funed é o único laboratório fornecedor da vacina contra a Meningite C ao Programa Nacional de Imunização (PNI). De acordo com o presidente da Funed, Augusto Monteiro Guimarães, a fundação apoia a iniciativa e estará presente, somando forças para a conscientização da sociedade. “A meningite é um problema de saúde mundial e ações como essa são muito importantes para alertar a população da necessidade de prevenção”, disse.

Em setembro de 2009, com assinatura de acordo inédito com a indústria suíça Novartis Vacina e Diagnósticos, o Governo de Minas iniciou o processo de transferência da tecnologia de fabricação da vacina contra a meningocócica C, por intermédio da Funed. Ao todo, já foram disponibilizadas mais de 20 milhões de doses da vacina para todo o país.

“Minas foi pioneiro ao disponibilizar a vacina no calendário estadual de vacinação, em 2009. No ano seguinte, a Funed fez um acordo com o Ministério da Saúde e a vacina meningocócia passou a fazer parte do calendário nacional. Uma conquista para a população brasileira usuária do Sistema Único de Saúde”, diz o presidente da Funed.

De acordo com a diretora Industrial da Funed, Lissandra Clementoni Teixeira, o convênio que será firmado com o Ministério da Saúde para este ano prevê a entrega de 12 milhões de doses da vacina para o Programa Nacional de Imunização. “Com essas doses disponibilizadas gratuitamente nos postos de saúde de todo o Brasil, contribuímos para proteger milhões de crianças e, assim, cumprimos nosso papel social”, orgulha-se a diretora.

A doença

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente cinco a 10% das pessoas que contraem a doença meningocócica morrem, mesmo se receberem tratamento antibiótico adequado. Sem tratamento, a taxa de mortalidade em decorrência da doença meningocócica é de 70 a 90%. Daí a necessidade de iniciativas mais efetivas em relação à prevenção da doença por meio da vacinação.

A meningite é uma inflamação na membrana que recobre o sistema nervoso. Ela causa sequelas como surdez, cicatrizes permanentes, amputações e lesões cerebrais com letalidade superior a 30% em crianças menores de cinco anos. Pode ser causada por diferentes agentes: bactéria, vírus e fungos. As bacterianas constituem grave problema de saúde pública pela alta morbimortalidade. Atinge notadamente crianças, e adolescentes. A transmissão ocorre pela tosse, espirro ou por meio de gotículas eliminadas pelo trato respiratório.

Poucas doenças têm a capacidade de causar tanta preocupação e alarme como a doença meningocócica, devido ao acometimento de pessoas previamente saudáveis, à evolução potencialmente rápida e fulminante – especialmente quando ocorre com disseminação da bactéria na corrente sanguínea (meningococcemia), e à capacidade de gerar surtos.

Serviço

Evento: “De Mãos Dadas Contra a Meningite”
Data: 24 de abril
Horário: a partir das 10h30
Local: Cristo Redentor – Rua Cosme Velho, 513 – Cosme Velho – Rio de Janeiro/RJ

A iniciativa é liderada pela Confederação das Organizações de Meningite (CoMO), entidade mundial que apoia os interesses de organizações que atuam em prol da erradicação da doença e no Brasil está sendo organizada pelo  Instituto Pedro Arthur (IPA)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-ezequiel-dias-participa-de-ato-simbolico-contra-a-meningite/

Governo de Minas: laboratórios da Funed mantêm acreditação de qualidade junto a organização nacional

Acreditação comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades

Leo Drumond
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano
Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano

Uma auditoria realizada nos laboratórios que realizam diagnóstico de doenças da Fundação Ezequiel Dias (Funed) garantiu a manutenção da acreditação junto à Organização Nacional de Acreditação (ONA). O termo “acreditação” significa a consolidação do papel de excelência das organizações e, neste caso, comprova a qualidade dos serviços prestados pela Funed no monitoramento de 33 enfermidades, a exemplo de dengue, febre amarela, meningite, tuberculose, Aids, leishmaniose, dentre outras. Todos os meses são realizadas, em média, 25 mil análises, atingindo 300 mil exames ao ano.

A ONA, entidade não governamental reconhecida pelo Ministério da Saúde (MS), avalia e certifica a qualidade de serviços de saúde, de forma voluntária e periódica, a partir de um manual próprio, que inclui critérios de biossegurança, relacionamento com clientes e fornecedores e capacitação de pessoal, por exemplo. O processo é voltado para a melhoria contínua. A Funed conquistou a primeira acreditação junto à ONA em 2009 e, no ano seguinte, numa nova auditoria, a Organização recomendou a renovação por mais três anos, ou seja, até 2013, da certificação dos Laboratórios da Funed.

Durante esse período, a Funed fica submetida a avaliações de manutenção da condição de acreditado, como a que ocorreu dessa vez. Além dos laboratórios, foram avaliadas áreas administrativas, a exemplo dos serviços de manutenção e dos setores responsáveis pelo processo de compras. Isso exigiu uma integração ainda maior entre as diretorias da Funed, que trabalham em equipe para alcançar os bons resultados. Após o processo de auditoria, a ONA recomendou novamente a manutenção da acreditação da Fundação Ezequiel Dias.

As instituições acreditadas pela ONA são reconhecidas por oferecer mais segurança para pacientes e profissionais, qualidade na assistência, capacitação contínua das equipes e gerenciamento eficaz. “Essa recomendação confirma nosso compromisso com a qualidade do serviço prestado e soma-se a outros esforços nesse mesmo sentido”, afirma o presidente da Funed, Augusto Monteiro Guimarães.

A Fundação Ezequiel Dias tem ensaios habilitados junto a outras organizações de qualidade como a Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde (Reblas), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e também possui processos certificados pela norma ISO 9001:2008. “A avaliação externa é uma forma de manter constante o desafio de melhorar, sempre, a qualidade dos serviços prestados à população”, afirma o presidente.

Um relatório conclusivo da auditoria será enviado pela equipe da ONA à Funed que terá o prazo de 15 dias para desenvolver o plano de ação para correção de pequenas não conformidades verificadas. “Enviaremos evidências de atuação aos auditores que verificarão, in loco, a eficácia das ações realizadas nas próximas auditorias”, explica o analista de saúde e tecnologia da Funed, Marcelo Pimenta.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/laboratorios-da-funed-mantem-acreditacao-de-qualidade-junto-a-organizacao-nacional/

Gestão da Saúde: profissionais de Minas estão reunidos para aprimoramento da técnica de diagnóstico da tuberculosp

Curso atualiza e padroniza a técnica de baciloscopia recomendada pelo Ministério da Saúde no diagnóstico laboratorial da tuberculose

Na semana em que se celebra o Dia Mundial de Combate à Tuberculose (24/03) mais de 100 profissionais de saúde de todo o Estado que trabalham no controle da doença estão reunidos em Belo Horizonte para um treinamento prático e teórico. O curso, realizado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) – laboratório central de saúde pública do Estado de Minas (Lacen/MG) – tem como objetivo promover uma atualização e padronização da técnica de baciloscopia recomendada pelo Ministério da Saúde no diagnóstico laboratorial da tuberculose.

De acordo com um dos ministrantes do treinamento e responsável pelo diagnóstico em Tuberculose na Funed, Cláudio José Augusto, a técnica de baciloscopia é um exame de microscopia, de baixa complexidade, já utilizado atualmente por todos os laboratórios públicos do Estado, em amostras colhidas dos pacientes com suspeita da doença. “Ele é feito para diagnosticar a tuberculose. Na Funed, no entanto, são realizados outros exames, de maior complexidade que permitem identificar o tipo do bacilo causador da doença e a sensibilidade da bactéria ao medicamento adotado no tratamento”, explica Cláudio.

Segundo ele, até 2004, o diagnóstico da tuberculose era centralizado na Fundação. Mas com capacitação e investimento nos laboratórios de todo o Estado, a técnica de baciloscopia passou a ser feita nos próprios municípios. “A Fundação permanece como referência e responsável pelo controle da qualidade dos exames, mas a descentralização aproxima o diagnóstico do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) e possibilita a atuação do Lacen-MG em atividades de maior complexidade, ampliando a oferta de outras metodologias. É um ganho para os serviços oferecidos à sociedade”, afirma.

Com o treinamento, a Funed espera descentralizar também a técnica de cultura – para identificação dos tipos de bacilos causadores da doença. Até então, segundo a chefe do Serviço de Doenças Bacterianas e Fúngicas, Marluce Aparecida Assunção Oliveira, a Funed realiza cerca de 250 exames de cultura para diagnóstico da tuberculose por mês. “Nossa expectativa é que até o final desta ano os cinco laboratórios macrorregionais – Montes Claros, Teófilo Otoni, Uberaba, Juiz de Fora e Pouso Alegre – possam também realizar a cultura. A Funed poderá concentrar seus esforços para aumentar o número de testes de sensibilidade às drogas”, afirma Marluce.

Durante as aulas, serão atualizadas informações sobre a situação epidemiológica e medidas de vigilância adotadas em Minas Gerais, no Brasil e no mundo para controle da doença, além de normas de biossegurança, coleta, acondicionamento e transporte de amostras e outras informações sobre a técnica de exame. O curso está sendo realizado na sede da Funed, no bairro Gameleira, de hoje (20/03) até quinta-feira (22/03).

Além da aula teórica realizada no primeiro dia, representantes de municípios do interior do Estado onde há maior incidência de Tuberculose como Varginha, Pouso Alegre, Nanuque, Vespasiano, Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Lagoa Santa passarão por aulas práticas nos laboratórios da Fundação. As aulas serão ministradas pelo médico pneumologista da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), Pedro Daibert Denavarro, e por funcionários da Funed – do Serviço de Doenças Bacterianas e Fúngicas e também do Serviço de Gerenciamento de Amostras Biológicas.

A doença

A tuberculose é causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas pode atingir outros órgãos, como rins e ossos. A transmissão ocorre através do contato direto com gotículas de saliva de pessoas infectadas. Entre os principais sintomas estão: tosse seca e contínua no início da doença, cansaço excessivo, febre baixa geralmente à tarde, palidez, falta de apetite, fraqueza e prostração. Segundo o Ministério da Saúde, são notificados anualmente 85 mil novos casos no Brasil, sendo verificadas cerca de seis mil mortes por ano, o que coloca a tuberculose como a doença infecciosa que mais causa mortes em adultos.  De acordo com o Sistema de Informação de agravos de notificação (SINAN) em Minas, no ano passado, foram notificados 4.500 casos da doença e 160 óbitos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/profissionais-de-minas-estao-reunidos-para-aprimoramento-da-tecnica-de-diagnostico-da-tuberculose/