Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: Hemominas em Patos de Minas faz coleta de sangue em horário alternativo

Além de realizar o atendimento no horário normal, de 7h às 11h, unidade funcionará, também, de 17h às 19h30

Nesta segunda-feira (02), a unidade da Fundação Hemominas em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, atenderá os doadores excepcionalmente de 17h às 19h30, além de realizar o atendimento no horário normal, de 7h às 11h. A expectativa é atender cerca de 60 candidatos à doação de sangue durante o horário alternativo. A unidade está localizada na rua Major Gote, n° 1255, bairro Centro.

Segundo a portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.

Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br. A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue clique aqui ou ligue para 155. Com foco no público jovem, a Fundação Hemominas disponibiliza o hotsite www.projetonaveia.com.br, que promove interatividade e participação também na divulgação da doação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-em-patos-de-minas-faz-coleta-de-sangue-em-horario-alternativo/

Anúncios

Governo de Minas: cooperação capacita professores para atuação em casos de doenças falciformes

Durante seminário realizado em Belo Horizonte, Secretarias de Educação e de Saúde assinam cooperação com órgão federais para debater o tema

Adair Gomez
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)
Subsecretário de Políticas e Ações em Saúde da Secretaria da SES, Mauricio Rodrigues Botelho (esq.)

Discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e minimizar a falta de informação sobre a doença, além de construir uma articulação entre a saúde e a educação, são alguns dos objetivos do Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. Cerca de 160 pessoas, entre especialistas nacionais e internacionais, educadores e pesquisadores participam do evento, que acontece nesta terça (26) e quarta-feira (27), em Belo Horizonte. O seminário é promovido pelo Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG).

O evento tem o intuito de substanciar a construção do projeto de educação para capacitar professores da rede estadual de Minas, visando melhores cuidados à pessoa com doença falciforme. O seminário conta com a participação de gestores do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e da Secretaria de Estado de Saúde.

Durante a abertura do encontro, nesta terça-feira, a subsecretaria de desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos, assinou um termo de compromisso que possibilitará a capacitação de professores da rede estadual de ensino sobre o tema. O termo para a execução do projeto “Saber para cuidar: doença falciforme na escola” foi assinado por representantes da Universidade Federal de Minas Gerais (Faculdade de Medicina) e do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad/UFMG), além da Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Fundação Hemominas.

“Assinamos o termo de compromisso para que em uma próxima oportunidade, a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, possa assinar o convênio com os nossos parceiros”, ressalta Raquel Elizabete de Souza Santos. Já o subsecretário de Estado de Políticas e Ações em Saúde, Mauricio Rodrigues Botelho, falou da importância do tema. “A doença falciforme tem um impacto social e econômico que ainda não temos toda a sua dimensão. A pessoa sofre, além dos sintomas da doença, também no ambiente social. O modelo do enfrentamento da doença falciforme em Minas Gerais é vitorioso”, informou.

Por meio dessa parceria, os professores da rede estadual serão capacitados sobre os cuidados necessários com os portadores da doença para estarem preparados para receber o aluno com doença falciforme. “É de extrema importância discutir o tema com nossos educadores. Os professores conhecendo essa situação terão mais condições de atender as necessidades pedagógicas das crianças com doença falciforme. O trabalho com a UFMG e com a Secretaria de Estado de Saúde vai nos ajudar a tratar o tema na trajetória escolar do aluno”, conclui Raquel Elizabete de Souza.

Para Nélio Januário, coordenador do Nupad, esta cooperação é um importante passo no sentido de dar visibilidade à doença falciforme. “Já estamos bem avançados no reconhecimento da doença no Sistema Único de Saúde (SUS). É importante levar esse reconhecimento para outras esferas: a escola, o trabalho, a vida social”, concluiu o coordenador.

A presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, ressaltou que a instituição sempre se preocupou com o acompanhamento escolar de seus pacientes por meio das atividades realizadas pelos pedagogos da Hemominas. “Visando a qualidade de vida da pessoa com doença falciforme sempre pensamos em uma parceria com a Educação. A criança precisa ser incluída no meio social representado pela escola”, completou.

A representante do Ministério da Saúde, Joice Aragão de Jesus, salientou o pioneirismo do Estado de Minas Gerais nos trabalhos realizados com a doença falciforme. “O trabalho desse seminário assume uma grandiosidade que irá repercutir em todo o Brasil. Nenhuma criança ou jovem deve deixar a escola devido às crises da doença. A educação tem papel fundamental para a inclusão das pessoas com doença falciforme na sociedade. A integralidade faz parte do processo de cidadania, afirmou”.

Projeto

Minas Gerais possui mais de 6 mil pessoas com doença falciforme. Na cidade de Belo Horizonte, este número é de 270 pessoas, sendo 158 com idade escolar, de 6 a 14 anos. A doença falciforme faz com que este aluno tenha uma baixa frequência escolar, que prejudica a sua formação educacional e, consequentemente, traz problemas sociais, econômicos, emocionais e psicológicos.

O seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola” tem como objetivo, por meio da capacitação dos profissionais da educação, minimizar estes problemas. A iniciativa é dividida em três partes. A primeira é a mobilização dos parceiros para a implantação do projeto. A segunda etapa consiste na capacitação presencial da equipe do Serviço de Apoio à Inclusão das 47 Superintendências Regionais de Ensino e da equipe central do Programa de Intervenção Pedagógica. Já a terceira consiste na capacitação a distância dos professores da rede estadual.

O evento também tem o apoio de entidades representativas da doença falciforme, como a Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região Metropolitana (Dreminas) e Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doenças Falciformes (Fenafal).

Doença falciforme

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes.Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da Fundação em todo o Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cooperacao-capacita-professores-para-atuacao-em-casos-de-doencas-falciformes/

Gestão da Saúde: Hemominas realiza coleta de sangue no município de Prados

Expectativa é atrair 40 candidatos à doação de sangue na cidade, localizada na região central de Minas

A Fundação Hemominas realiza coleta de sangue nesta terça-feira (26), no município de Prados, na região central do Estado. A ação acontece das 14h às 18h, na Unidade Básica de Saúde (UBS), localizada na Praça Getúlio Silva, nº 56, no Centro. A coleta é aberta a toda a população e a expectativa é atender 40 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas. Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-realiza-coleta-de-sangue-no-municipio-de-prados/

Gestão da Saúde: doença Falciforme é tema de seminário para educadores em Belo Horizonte

 

Encontro vai reunir gestores e representantes de órgãos públicos, além de profissionais de saúde do Brasil e do exterior.

Será aberto nesta terça-feira (26), às 8h30, em Belo Horizonte, o seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”. O evento pretende vai reunir representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), da Secretaria de Estado de Educação (SEE), da Fundação Hemominas, do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (Nupad/UFMG) e das secretarias municipais de Saúde e de Educação de Belo Horizonte, além de profissionais brasileiros, americanos e ingleses. O seminário acontece até quarta-feira (27), no Hotel San Diego (Avenida Álvares Cabral, 1.181, bairro Lourdes).

O seminário visa discutir a temática da doença falciforme em âmbito escolar e trocar experiências com o objetivo de substanciar projeto de educação que está sendo desenvolvido pelas instituições. Com foco na integralidade do cuidado, o encontro vai debater estratégias de intervenção acerca da doença falciforme, seus agravos e impactos na educação. Esta iniciativa busca minimizar a falta de informação sobre a doença e construir uma articulação entre a saúde e a educação.

Os temas a serem abordados no seminário são: “Políticas Públicas: a importância da intersetorialidade”; “Peculiaridades da Doença Falciforme no contexto escolar”; “Educação Inclusiva e a Doença Falciforme”; e “Atenção Integral: Saúde e Educação”.

Em Minas Gerais, a Fundação Hemominas atende cerca de seis mil pacientes com doença falciforme, sendo a maioria desses pacientes crianças e jovens que são atendidos em 11 ambulatórios da fundação em todo o Estado.

Para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi, a escola é essencial para a qualidade de vida do paciente. “A escola é o local onde o paciente falciforme passa grande parte de sua vida, no convívio com os professores e com os colegas. É importante que os educadores conheçam a doença para entender as dificuldades que essas crianças e jovens vão passar ao longo da sua vida. O educador tem um papel fundamental para a inclusão social do paciente falciforme”, salientou.

Doença Falciforme

É uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa um sério problema de saúde pública no país. Em Minas Gerais, a doença falciforme foi incluída na triagem neonatal em 1998.

A doença falciforme é resultante de alteração genética caracterizada pela presença de um tipo anormal de hemoglobina denominada Hemoglobina S (HbS). Ela faz com que as hemácias adquiram a forma de foice (daí o nome falciforme), em ambiente de baixa oxigenação, dificultando sua circulação e provocando obstrução vascular.

As hemácias têm a função de carregar oxigênio para os tecidos, principal combustível para os órgãos. No caso da doença falciforme, pelo fato de as hemácias apresentarem a forma de foice, elas são destruídas precocemente, além de se agregarem e diminuir a viscosidade do sangue nos pequenos vasos do corpo. Com isso, ocorre lesão nos órgãos atingidos, causando dor, destruição dos glóbulos vermelhos, icterícia e anemia.

Cehmob-MG

O Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias (Cehmob-MG) foi criado em 2004 em uma parceria Fundação Hemominas e Nupad/UFMG. Ainda participam da parceria órgãos federais e municipais, além da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região (Dreminas).

O principal objetivo do Cehmob-MG é promover a atenção integral à pessoa com doença falciforme, por intermédio da educação, informação e apoio assistencial. O Centro atua em todo o Estado, promovendo, também, capacitação e treinamento de profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde e de Urgência de Minas Gerais.

Seminário “Saber para Cuidar: Doença Falciforme na Escola”

Data: Terça e quarta (26 e 27 de junho)

Local: Hotel San Diego – Av. Álvares Cabral, 1.181 – bairro Lourdes – Belo Horizonte

Abertura: dia 26, terça-feira, às 8h30

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/doenca-falciforme-e-tema-de-seminario-para-educadores-em-belo-horizonte/

Governo de Minas: Hemominas organiza passeio para lembrar o Dia do Paciente

A ação teve a finalidade de promover a interação e socialização entre os pacientes.

Adair Gomez / Hemominas
Rosalina de Jesus, uma das pacientes mais antigas da Hemominas aproveita o Dia do Paciente em visita ao zoológico de Belo Horizonte
Rosalina de Jesus, uma das pacientes mais antigas da Hemominas aproveita o Dia do Paciente em visita ao zoológico de Belo Horizonte

A Fundação Hemominas realizou, nesta sexta-feira (22), um passeio com pacientes na Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte para lembrar o Dia do Paciente da instituição, comemorado no 24 de junho. A ação, organizada pela equipe interdisciplinar do ambulatório do Hemocentro de Belo Horizonte, teve a finalidade de promover a interação e socialização entre os pacientes.

Para Rosângela de Castro, assistente social da Hemominas, o retorno é positivo, pois muitos dos pacientes têm nessas atividades a possibilidade do acesso ao lazer. “Nossos pacientes ficam ansiosos, aguardando e nos perguntando quando haverá novas ações”, afirma Rosângela.

Para muitos pacientes, essa foi uma oportunidade de conhecer o local pela primeira vez. Gabriel Marcos de Oliveira, 10, paciente da Hemominas desde o primeiro ano de vida, nunca havia ido ao zoológico. “Essa foi uma oportunidade de realizar um passeio divertido. Ele nunca havia conhecido o zoológico devido à dificuldade de locomoção e graças à Hemominas, eu pude trazê-lo”, destaca Aparecida do Rosário Fernandes, mãe de Gabriel.

Rosalina de Jesus, 65, é uma das pacientes mais antigas da Fundação Hemominas. Fazendo acompanhamento e tratamento para anemia falciforme há aproximadamente 50 anos, ela não perde o humor e brinca dizendo que “a Hemominas cuida do corpo e da alma”.

Referência

A Fundação Hemominas é referência no diagnóstico e tratamento de pacientes portadores de coagulopatias e hemoglobinopatias em Minas Gerais, atendendo uma média diária de 120 pacientes no Hemocentro de Belo Horizonte. A instituição possui cerca de 7 mil pacientes em todo o Estado.

Na busca constante pela qualidade de vida do paciente, os ambulatórios da Fundação Hemominas investem em atividades lúdicas, como pintura, leitura de contos e brincadeiras, promovendo assim o bem-estar daqueles que procuram o ambulatório para tratamentos.

“A Fundação tenta amenizar da melhor forma as dificuldades que nossos pacientes encontram na sua vida”, ressalta Davidson de Oliveira Correa, pedagogo da Fundação Hemominas.

Atualmente, das 24 unidades que integram a rede Hemominas, 16 possuem atendimento ambulatorial para os pacientes, sendo elas: Belo Horizonte, Montes Claros, Governador Valadares, Divinópolis, Sete Lagoas, Juiz de Fora, Pouso Alegre, Patos de Minas, Uberaba, Uberlândia, Manhuaçu e Diamantina. As unidades que atendem, exclusivamente, os portadores de coagulopatias hereditárias são Ponte Nova, Ituiutaba, São João del-Rei e Passos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-organiza-passeio-para-lembrar-o-dia-do-paciente/

Gestão Anastasia: Governo de Minas anuncia aumento de salários e atende a outras reivindicações dos servidores da saúde

Medidas, que estão condicionadas ao fim da greve, terão impacto anual de R$ 100 milhões no orçamento da Saúde

Renato Cobucci/Imprensa MG
Presidente da Fhemig, Antônio Carlos Martins; subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves; e o secretário Antônio Jorge
Presidente da Fhemig, Antônio Carlos Martins; subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves; e o secretário Antônio Jorge

Durante entrevista coletiva à imprensa na tarde dessa quarta-feira (20), o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, informou que os benefícios propostos pelo Governo de Minas para os servidores da saúde, durante reuniões realizadas ontem com dirigentes da Asthemg e do SindSaude, representarão um impacto anual de R$ 100 milhões no orçamento da Pasta.

O secretário afirmou ainda que os pontos dos grevistas estão sendo cortados. Admitiu também que, caso a greve não seja encerrada, o governo fará contratações para substituir grevistas. O objetivo, segundo ele, é garantir a prestação de serviços públicos de saúde aos cidadãos.

Pela proposta apresentada pelo Governo de Minas, a gratificação complementar (GC) concedida a auxiliares de apoio, técnico operacional, enfermeiros e analistas de gestão e assistência à saúde da Fhemig aumentará de 20,7% para 30% a partir de agosto deste ano. A gratificação complementar aumenta para 40% em agosto de 2013 e para 50% em agosto de 2014.

O Governo de Minas propôs ainda aumentar em 330% a base de cálculo da insalubridade, ou seja, a base de cálculo passará de R$ 200,00 para R$ 660,00. Além disso, será pago adicional noturno de 20% sobre o valor da hora noturna para todos os servidores do Sistema de Saúde que fazem jus a esses direitos.

Outro benefício é o aumento em 50% do valor do adicional de emergência, que será concedido a todos os profissionais da categoria que atuam no setor de urgência e emergência na Fhemig.

Em relação aos profissionais que atuam na Fundação Hemominas, o Governo de Minas criará uma gratificação complementar para equiparar o valor final da remuneração (composta pelo vencimento básico e gratificação complementar) com os profissionais da Fhemig, beneficiando auxiliares, assistentes técnicos e analistas de hematologia e hemoterapia. Além disso, os interníveis das tabelas das referidas carreiras da Hemominas passarão de 18% para 22%.

Sobre as reivindicações da Funed, a pauta só foi encaminhada à SES e à Seplag nesta terça-feira. As reivindicações serão analisadas e o retorno será dado no próximo dia 25 de junho.

“Além do expresso aumento nos vencimentos, o Governo de Minas está atendendo algumas reivindicações históricas dos servidores da saúde”, afirmou Antônio Jorge.

Secretário critica intransigência de dirigentes sindicais

O secretário de Saúde reclamou da intransigência de alguns dirigentes sindicais, que insistiram no movimento grevista em pleno processo de negociação. “O Governo de Minas nunca fechou a porta para negociação. Portanto, a greve não se justifica. É um movimento ilegítimo, oportunista e com viés político”, afirmou.

Durante a coletiva de imprensa, o secretário Antônio Jorge confirmou que, se necessário, o governo vai fazer a contratação imediata de profissionais para substituir grevistas nos setores mais críticos de urgência e emergência. Informou ainda que o ponto dos grevistas será cortado, mas que o governo admite negociar a reposição dos dias parados, caso o movimento grevista seja cessado.

“É importante deixar claro que essas medidas não visam confrontar o movimento sindical, mas, sim, assegurar a prestação de serviços de saúde para os cidadãos, que é nossa responsabilidade primeira”, afirmou Antônio Jorge.

O secretário reiterou, por fim que os benefícios propostos pelo Governo de Minas sõ serão implementados a partir do retorno ao trabalho. Isto será feito meio de projeto de lei ou decreto, e mediante compromisso assumido pelas categorias de que não haverá novas negociações até 2014 com impacto na folha, exceto reajuste geral concedido no âmbito da política remuneratória.

Reivindicações já atendidas

Duas reivindicações da categoria já haviam sido atendidas anteriormente: redução da carga horária de 40 para 30 horas de acordo com a legislação e regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia. A Lei nº 15.462/2005 foi alterada em 2011 para permitir redução de jornada, observada a condição de não prejudicar a prestação dos serviços.

A regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia será atendida pelo novo Estatuto do Servidor, em fase final de consulta pública, cujo art.78 é idêntico ao art. 79 da Lei Federal 8.112/90. O texto final será encaminhado para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais em até 30 dias. Pela proposta, o servidor que opera direta e permanentemente com Raios X ou substâncias radioativas gozará de 20 dias consecutivos de férias por semestre de atividade profissional, sendo proibida a acumulação.

Os servidores estaduais, incluindo os servidores do Sistema de Saúde, já tiveram reajuste salarial de 5% em outubro do ano passado e 5% em abril deste ano, como forma de adiantamento da política remuneratória do Estado. De acordo com a legislação vigente, a data base de todo o funcionalismo é setembro. Estudos demonstram que não existe defasagem salarial dos profissionais do sistema com os valores praticados no mercado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-anuncia-aumento-de-salarios-e-atende-a-outras-reivindicacoes-dos-servidores-da-saude/

Gestão da Saúde: Hemominas faz coleta de sangue no município de Ubá

População terá dois dias para realizar as doações de sangue para a entidade.

A Fundação Hemominas realiza coleta de sangue no município de Ubá, na Zona da Mata, na sexta-feira e no sábado (21 e 22). A ação será realizada no Hospital São Vicente de Paulo, na rua Nossa Senhora da Saúde, 165, Centro. O horário de atendimento será das 10h às 16h, na sexta-feira, e das 7h30 às 16h no sábado. A expectativa é atender cerca de 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site da Fundação Hemominas.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos. Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar o site da Fundação Hemominas ou ligar para o 155.

Para os jovens, principalmente, o hotsite do Projeto na Veia promove interatividade e participação também na divulgação da doação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-faz-coleta-de-sangue-no-municipio-de-uba/

Gestão Anastasia: Governo de Minas apresenta propostas aos servidores da saúde

Conjunto de medidas voltadas à gratificação complementar, insalubridade, adicional noturno e de emergência atende a reivindicações da categoria

O Governo de Minas apresentou, nesta terça-feira (19), durante reunião com os dirigentes da Asthemg e do Sind-Saúde, proposta de benefícios relativos à gratificação complementar, insalubridade, adicional noturno e de emergência. A concessão dos benefícios atende a reivindicações dos servidores estaduais que atuam no Sistema de Saúde.

A reunião faz parte das negociações com a categoria. O Governo de Minas reafirma que mantém diálogo permanente com os servidores estaduais por meio do Comitê de Negociações Sindicais e, especificamente no caso da saúde, também por meio da Mesa Permanente de Negociação do SUS e de reuniões realizadas com os representantes sindicais.

Pela proposta, a gratificação complementar (GC) concedida a auxiliares de apoio, técnico operacional, enfermeiros e analistas de gestão e assistência à saúde da Fhemig aumentará de 20,7% para 30% a partir de agosto deste ano. A gratificação complementar aumenta para 40% em agosto de 2013 e para 50% em agosto de 2014.

Aumento de 330% no cálculo da insalubridade

O Governo de Minas propôs ainda aumentar em 330% a base de cálculo da insalubridade, ou seja, a base de cálculo passará de R$ 200,00 para R$ 660,00. Além disso, será pago adicional noturno de 20% sobre o valor da hora noturna para todos os servidores do Sistema de Saúde que fazem jus a esses direitos. Outro benefício é o aumento em 50% do valor do adicional de emergência, que será concedido a todos os profissionais da categoria que atuam no setor de urgência e emergência na Fhemig.

Em relação aos profissionais que atuam na Fundação Hemominas, o Governo de Minas criará uma gratificação complementar para equiparar o valor final da remuneração (composta pelo vencimento básico e gratificação complementar) com os profissionais da Fhemig, beneficiando auxiliares, assistentes técnicos e analistas de hematologia e hemoterapia. Além disso, os interníveis das tabelas das referidas carreiras da Hemominas passarão de 18% para 22%.

Participaram dos encontros o secretário-adjunto de Saúde, Breno Henrique Avelar de Pinho Simões, a subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Fernanda Neves, o presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Antônio Carlos de Barros Martins, e a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi. E, ainda, o vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde, Geraldo Heleno Lopes.

Sobre as reivindicações da Funed, a pauta só foi encaminhada à SES e à Seplag nesta terça-feira. As reivindicações serão analisadas e o retorno será dado no próximo dia 25 de junho.

As propostas serão implementadas a partir do retorno ao trabalho, por meio de projeto de lei ou decreto, e mediante compromisso assumido pelas categorias de que não haverá novas negociações até 2014 com impacto na folha, exceto reajuste geral concedido no âmbito da política remuneratória.

A decisão do Governo de cortar os dias não trabalhados, em função da paralisação, será reavaliada a pedido do Conselho Estadual de Saúde e das lideranças. A resposta a essa reivindicação será dada nesta quarta-feira (20), pela manhã.

Reivindicações já atendidas

Duas reivindicações da categoria já haviam sido atendidas anteriormente: redução da carga horária de 40 para 30 horas de acordo com a legislação e regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia. A Lei nº 15.462/2005 foi alterada em 2011 para permitir redução de jornada, observada a condição de não prejudicar a prestação dos serviços.

A regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia será atendida pelo novo Estatuto do Servidor, em fase final de consulta pública, cujo art.78 é idêntico ao art. 79 da Lei Federal 8.112/90. O texto final será encaminhado para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais em até 30 dias. Pela proposta, o servidor que opera direta e permanentemente com Raios X ou substâncias radioativas gozará de 20 dias consecutivos de férias por semestre de atividade profissional, sendo proibida a acumulação.

Os servidores estaduais, incluindo os servidores do Sistema de Saúde, já tiveram reajuste salarial de 5% em outubro do ano passado e 5% em abril deste ano, como forma de adiantamento da política remuneratória do Estado. De acordo com a legislação vigente, a data base de todo o funcionalismo é setembro. Estudos demonstram que não existe defasagem salarial dos profissionais do sistema com os valores praticados no mercado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-apresenta-propostas-aos-servidores-da-saude/

Gestão da Saúde: Hemominas faz coleta de sangue em Muriaé

A expectativa é de atender aproximadamente 120 candidatos

A Fundação Hemominas irá atender os candidatos à doação de sangue de Muriaé, na Zona da Mata  na quarta-deira (20), das 7h30 às 15h, no Posto Avançado de Coleta Externa (PACE), na Policlínica de Safira, localizado na Rua Silvério Campos, Centro de Muriaé. A expectativa é atender cerca de 120 candidatos.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue, acesse http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligue para o 155. O hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação e atrai principalmente os jovens. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-faz-coleta-de-sangue-em-muriae-2/

Gestão da Saúde: Hemominas faz coleta de sangue na região nordeste da capital

A expectativa é atender na Igreja Batista cerca de 50 doadores

A Fundação Hemominas realiza coleta de sangue na Igreja Batista Solidária, na rua Aiuruoca, 125, nesta terça-feira (19), no bairro São Paulo, das 8h30 às 11h30. A coleta é aberta a toda a população e a expectativa é atender 50 candidatos à doação de sangue.

Segundo a Portaria 1.353/2011 do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 67 anos. Os candidatos devem pesar acima de 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e que não tenham doença de Chagas.  Jovens com 16 e 17 anos, somente poderão se candidatar à doação de sangue com a presença dos responsáveis legais ou autorização dos responsáveis com firma reconhecida em cartório, cujo modelo de autorização está disponível no site www.hemominas.mg.gov.br.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 67 anos.

Para mais informações sobre os critérios para doação de sangue acessar http://www.hemominas.mg.gov.br/hemominas/menu/cidadao/doacao/condicoes_doacao ou ligar para o 155.

O hotsite www.projetonaveia.com.br promove interatividade e participação também na divulgação da doação e atrai principalmente os jovens. Acesse e conheça o Projeto na Veia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/hemominas-faz-coleta-de-sangue-na-regiao-nordeste-da-capital/