Arquivos do Blog

Antonio Anastasia deu posse ao Conselho Gestor do Unesco-Hidroex

Governo de Minas: Governador empossa Conselho Gestor do Unesco-Hidroex

Durante a solenidade, foram assinados termos de cooperação entre Governo de Minas e Embrapa para ampliar a capacidade de inovação tecnológica do setor agropecuário

Wellington Pedro/Imprensa MG
imagem.title
Antonio Anastasia durante solenidade no Palácio Tiradentes

O governador Antonio Anastasia presidiu, nesta segunda-feira (17), no Palácio Tiradentes, cerimônia de posse do Conselho Gestor do Unesco-Hidroex, composto por membros do Brasil e das diferentes entidades da Unesco pelo mundo. O principal papel dos conselheiros será o de preservar a missão institucional da entidade em todas as suas deliberações, bem como aprovar planos e programas de trabalho, propostas orçamentárias, relatórios mensais e anuais, e a prestação de contas. Criada em 2009, a Fundação Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada à Água (Unesco-Hidroex) tem o objetivo de educar, pesquisar e viabilizar soluções para a gestão sustentável da água nos países da América Latina e na Comunidade de Países de Língua Portuguesa.

“Minas Gerais é um Estado abençoado pelo tema das águas, é o Estado caixa d’água do Brasil. Temos aqui nascentes de grandes rios e, naturalmente, essa riqueza, que é uma riqueza que nos foi, por dádiva de Deus, colocada em nosso Estado, tem de ser bem cuidada, não só para uso e usufruto dos mineiros e dos brasileiros, mas de toda a humanidade. E por isso mesmo o Hidroex foi concebido”, afirmou o governador.

Empossada como presidenta do Conselho Gestor, a representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Blanca Jiménez Cisneros, falou sobre a importância da missão do Hidroex.

“A água é fundamental para a vida, para a economia e para o bem-estar social e ambiental, mas também é motivo de preocupação. Estima-se que 80% da população sofre com algum problema relacionado à água, seja por carência, por contaminação ou por inundação. O Hidroex tem a missão de contribuir para a solução de muitos dos problemas relacionados à água, por meio da educação, da capacitação e da investigação aplicada. No futuro, o Hidroex poderá vir a ser um centro de referência internacional, em particular, para a América Latina, Caribe e para a África. O sonho de melhorar a questão da água é de todos nós”, destacou Blanca.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, também falou sobre o papel a ser desenvolvido pelo Hidroex.

“O ano de 2013 foi escolhido pelas Nações Unidas como o ano de cooperação em águas. O Hidroex será uma ferramenta utilizada pela Unesco e terá um papel fundamental de articulação com outros países da América Latina e da comunidade de países de língua portuguesa. Estamos sendo escolhidos pela Unesco para cumprir um papel estratégico. O Hidroex ganha vida hoje com a posse de seu conselho gestor”, disse o secretário.

Parcerias

Na ocasião, também foram assinados dois termos de cooperação entre o Governo de Minas e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O primeiro termo, de cooperação geral, foi firmado entre as secretarias de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e a Embrapa. O objetivo é definir, planejar, coordenar e executar estudos destinados ao aprofundamento do conhecimento técnico-científico.

O segundo termo, de cooperação técnica, foi assinado entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e a Embrapa. O objetivo é ampliar a capacidade de inovação tecnológica do setor agropecuário mineiro, bem como estabelecer as condições básicas de cooperação, que possibilitem a implementação de projetos.

“A Embrapa é uma parceira fundamental e juntamente com a Fapemig, que é a instituição de pesquisa do Estado, tem dado ao Hidroex um grande suporte. Precisamos cada vez mais inovar. Essa inovação depende, fundamentalmente, das nossas universidades, da parceria acadêmica, técnica, e do governo federal, não só pelas universidades, mas pelo Ministério da Integração Nacional, pela Agência Nacional de Águas, ou seja, uma parceria muito exitosa e que vem rendendo excelentes frutos”, afirmou o governador.

Unesco-Hidroex

O Unesco-Hidroex foi criado em 4 de novembro de 2009. Seus programas incluem treinamentos para profissionais de nível técnico e superior na gestão e no uso de água, bem como o desenvolvimento de pesquisas para soluções e tecnologias a serem aplicadas aos recursos hidrológicos.

O centro foi proposto pela Unesco e implantado pelo Governo de Minas em parceria com o governo federal. O Unesco-Hidroex recebeu o reconhecimento do Conselho Mundial da Água como uma proposta inovadora e criativa. A criação do centro foi o primeiro passo para a implantação da Cidade das Águas, que está sendo construída em Frutal, no Triângulo Mineiro.

A Cidade das Águas é um centro de estudos para conservação do patrimônio hidrológico da América Latina e nações africanas de língua portuguesa. Além do Hidroex, o local abriga o campus Frutal da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg). O complexo será formado por um condomínio de 16 universidades e organismos oficiais dos governos estadual e federal. A Cidade das Águas é um dos 20 centros de categoria II reconhecidos pela Unesco. Ocupa uma área de 374.400 metros quadrados. O investimento total para implantação da Cidade das Águas será de R$ 130 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-empossa-conselho-gestor-do-unesco-hidroex/

Governo de Minas: Fapemig apresenta nova identidade visual

Dinamismo e contemporaneidade foram os conceitos utilizados na elaboração da nova logo da fundação

Reprodução/Fapemig
Nova logomarca da Fapemig, criada para revitalizar a identidade visual da fundação
Nova logomarca da Fapemig, criada para revitalizar a identidade visual da fundação

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) apresentou, nesta sexta-feria (22), sua nova logomarca. Os conceitos de dinamismo e contemporaneidade são as bases da criação. “O objetivo principal foi revitalizar a identidade visual da fundação, de forma a deixá-la mais atual e em sintonia com os valores e missão da instituição”, explica o presidente da Fapemig, Mario Neto Borges.

“A logo original era muito estática e rígida. Com a logo de 25 anos criamos uma identidade contemporânea e conceitual. A partir dela foi concebida a nova logo, que apresenta linhas mais dinâmicas. Ela foi conceituada a partir dos três eixos de atuação da Fapemig – Ciência, Tecnologia e Inovação –, com o triângulo, símbolo da bandeira de Minas Gerais, representando cada um destes eixos”, explica o designer responsável pela criação, Hely Costa Jr.

A nova identidade visual já pode ser vista no site da Fapemig e, a partir desta sexta-feira (22), começa a ser utilizada na papelaria, documentos e peças gráficas da instituição.

A partir desta data, pesquisadores e bolsistas deverão utilizar a nova logo nos documentos enviados à fundação. Peças gráficas, como banners de eventos e projetos apoiados pela Fapemig, também deverão ter a aplicação da nova marca. O download do arquivo pode ser feito no por meio do link: http://www.fapemig.br/divulgacao/logomarcas-e-video/.

Inovação e modernização

A Fapemig é a agência de fomento à pesquisa e à inovação científica e tecnológica do Estado. Hoje, ela é também uma das principais agências de fomento do país. Com orçamento que ultrapassa os R$ 300 milhões, seus recursos são investidos no financiamento de projetos, concessão de bolsas, intercâmbio de pesquisadores, divulgação científica, interação com empresas entre outrosOs 25 anos da Fapemig, celebrados em 2011, foram marcados não só pelo reconhecimento, mas também por importantes parcerias firmadas.

Grandes mudanças também marcaram o Jubileu de Prata. Uma nova estrutura institucional começou a funcionar e a nova sede a ser construída. Com espaço adaptado para atender às necessidades de uma agência de fomento, primando pela sustentabilidade, as obras do complexo devem ser finalizadas no início de 2013. O objetivo é tornar a fundação mais moderna e ágil. A região já está sendo chamada de Cidade da Ciência.

O lançamento do livro “Fapemig 25 anos – História em Pesquisa”, no final de maio deste ano, encerrou as comemorações dos 25 anos da fundação. No encontro foi assinada uma importante parceria entre a Fapemig e a Fiemg/Sebrae na área de inovação, foco de atuação da fundação para 2012. “Não vamos deixar de atuar no eixo da ciência pura, apoiando a atividade acadêmica, mas atualmente temos dois fortes objetivos: a internacionalização da ciência mineira e a inovação da indústria no Estado”, declarou o presidente da Fapemig, Mario Neto Borges.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fapemig-apresenta-nova-identidade-visual/

Gestão Anastasia: Governo de Minas envia jovens para capacitação em instituto aeronáutico na França

Estudantes participam da 9ª edição do programa Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo

Wellington Pedro/Imprensa MG
Os alunos selecionados para o Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo retornam ao Brasil no dia 14 de julho
Os alunos selecionados para o Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo retornam ao Brasil no dia 14 de julho

Os 20 estudantes de diversas áreas de engenharia de universidades mineiras selecionados para participar da 9ª edição do programa do Governo do Estado “Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo” começaram, nesta segunda-feira (18), no Institut Aéronautique et Spatial (IAS), em Toulouse (França), capacitação em Engenharia Aeronáutica e Aeroespacial. Os alunos embarcaram no sábado (16) e retornam no próximo dia 14 de julho.

O programa estratégico do Governo de Minas tem o objetivo de capacitar mão de obra para suprir a diversificação da economia do Estado. No mercado de trabalho potencial, destacam-se os polos de aviação civil do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e de Itajubá, no Sul de Minas.

O Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo está inserido no contexto das ações de internacionalização de Minas Gerais, sendo uma iniciativa voltada para o ganho de competitividade, por meio de capacitação e valorização dos profissionais. Durante o período de treinamento, os estudantes participarão de cursos e visitas técnicas em universidades, centros de excelência, empresas e órgãos governamentais na França.

O projeto é coordenado pela Secretaria Geral da Governadoria do Estado de Minas Gerais, através da Assessoria de Relações Internacionais, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e patrocínio da Helibras.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-envia-jovens-para-capacitacao-em-instituto-aeronautico-na-franca/

Governo de Minas: tecnologia desenvolvida pela Fapemig é destaque na coleção de Ronaldo Fraga na SPFW

Coleção apresenta lançamento da linha Lume, desenvolvida em Minas Gerais, para iluminação impressa

Desde o início, a tecnologia é aliada da moda na busca por diferencial e identidade. Retornando às passarelas, Ronaldo Fraga promove a ligação entre moda e tecnologia de ponta desenvolvida no Brasil, a partir da aplicação de lâmpadas eletroluminescentes nas peças desfiladas na 33ª edição do São Paulo Fashion Week. O material utilizado pelo estilista foi desenvolvido pelo Centro de Inovações CSEM Brasil, único local da América Latina onde esses dispositivos podem ser preparados em lâminas de grande comprimento e em volume, utilizando a tecnologia eletrônica orgânica impressa por rolos (roll to roll).

O lançamento da aplicação de dispositivos eletroluminescentes no design durante uma das maiores semanas de moda do mundo expõe a ascensão do Brasil no mercado de tecnologia de produtos de alto valor agregado, como painéis de iluminação impressa e células fotovoltaicas, utilizando os chamados polímeros orgânicos, dos quais os OLEDs (organic light emitting diodes) fazem parte.

O baixo custo da tecnologia resulta também em alto fator competitivo em relação ao que já é desenvolvido na China, Estados Unidos e Europa, confirmando o papel determinante que a moda exerce no desenvolvimento econômico-industrial do país. Para Ronaldo Fraga, que volta às passarelas investindo em inovação aliada à cultura brasileira, o potencial de transformação do projeto vai ser sentido além do mundo da moda.“É realmente gratificante essa oportunidade de releitura da arte Marajoara, da pré-histórica brasileira, usando uma tecnologia de iluminação destinada ao futuro”, afirma.

A eletrônica orgânica e impressa é uma tecnologia recente que conjuga materiais orgânicos e técnicas de impressão para produção de eletrônica de menor custo. Umas das aplicações dessa técnica são as fitas flexíveis em plástico que emitem luz quando ligados à corrente elétrica, apresentadas na linha Lume, desenvolvida pelo CSEM Brasil com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

As fitas Lume podem ser utilizadas em inúmeras situações incluindo displays de eletrônicos como relógios, interiores de aviões e automóveis, placas comerciais e projetos de decoração. As lâmpadas eletroluminescentes apresentam extrema durabilidade, com vida útil de até dez mil horas, material flexível para diferentes aplicações e baixo consumo de energia através da utilização de materiais não agressivos ao meio ambiente, o que faz com que elas sejam consideradas uma tecnologia verde.

A possibilidade de desenvolver um mercado ainda pouco explorado no mundo, mas com muito potencial de crescimento é um dos impactos que o investimento em dispositivos eletroluminescentes pode trazer. Eles permitem ao Brasil a exploração de novos nichos de mercado, novas cadeias de valor e empregos além de atraírem novos investimentos.  Para o diretor do CSEM Brasil, Tiago Alves, o investimento na tecnologia eletrônica orgânica impressa é uma oportunidade para o Brasil se destacar no cenário internacional com a consequente geração de novos produtos e empresas. “A eletrônica orgânica e impressa é a próxima oportunidade que não pode ser perdida pelo Brasil representando verdadeiro potencial de mudança de patamar econômico para a nossa indústria. Os trabalhos do CSEM Brasil em Minas Gerais caminham nessa direção em parcerias com centros de excelência no Brasil e no mundo. A primeira planta de protótipo da tecnologia já foi construída em Belo Horizonte e sua expansão já se iniciou na cidade da Ciência e do Conhecimento em Belo Horizonte, em parceria com a Fiemg-Senai-Cetec-MG. A linha de produtos Lume inaugura essa nova capacidade produtiva do país”, afirma.

“A Fapemig é uma das agências de fomento do Brasil que mais aposta na interface entre academia, tecnologia e os diversos setores da indústria.  Nesse sentido, O CSEM Brasil tem sido exemplar trazendo excelentes resultados para Minas.  O seu projeto de Eletrônica Impressa realmente é emblemático ao fundir nas passarelas da moda elementos mineiros de design, ciência e tecnologia”, afirma Mario Neto Borges, presidente da Fundação. “O Governo de Minas identificou, no momento correto, o valor econômico e estratégico da Eletrônica Orgânica e Impressa para o estado e para o país. Esse projeto nos coloca na linha de frente do desenvolvimento mundial de dispositivos de iluminação e de geração elétrica por células fotovoltaicas”, destaca Narcio Rodrigues, secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

CSEM Brasil

O CSEM Brasil foi criado em 2007 pelo CSEM S.A. da Suíça e a FIR Capital, com o apoio da Fapemig para fornecer soluções tecnológicas inovadoras ao mercado e para a indústria, utilizando plataformas e experiências dos sócios, e desenvolvimentos em parceria com universidades e centros de P&D brasileiros e estrangeiros. O CSEM Brasil conta com laboratórios e linhas de prototipagem avançada e produção piloto para o desenvolvimento de componentes e sistemas, além de profissionais altamente qualificados com experiência em indústrias e instituições de primeira linha no Brasil e no exterior.  Com aporte recente do BNDES de R$13 milhões para desenvolvimento de microssistemas e sensores com foco em ambientes hostis e aparelhamento para desenvolvimentos em nanotecnologia, microssistemas e sensores, o CSEM já soma aproximadamente R$30 milhões de investimentos em diferentes projetos para desenvolvimento de tecnologias inovadoras e transformação de pesquisas em produtos com alto valor agregado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/tecnologia-desenvolvida-pela-fapemig-e-destaque-na-colecao-de-ronaldo-fraga-na-spfw/

Governo de Minas: Conselho Curador da Fapemig tem novos membros

Integrantes foram empossados na entidade nesta terça-feira.

 

Dois novos membros do Conselho Curador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) foram empossados nesta terça-feira (12). Alexandre Christófaro Silva, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), substitui Magno Antônio Patto Ramalho, por término de mandato. Rodrigo Corrêa de Oliveira, que fazia parte do conselho desde março de 2010, pediu para ser substituído e, em seu lugar, assumiu Marcelo Henrique dos Santos da Universidade Federal de Alfenas (Unifal).

O Conselho Curador é responsável por definir as diretrizes institucionais e tem o intuito de preservar a memória institucional, experiência e autonomia da Fapemig. O conselho é formado por 12 membros destacados da comunidade científica estadual e cada mandato tem um período de quatro anos não coincidentes.

Dos 12 membros, quatro são de livre escolha do governador, quatro são indicados em listas tríplices pelas instituições de pesquisa e ensino superior sediadas no Estado, vinculadas ao governo federal e particulares. Os outros quatro são indicados, também em listas tríplices, por entidades de pesquisa e ensino superior.

Ambos os membros empossados foram escolhidos em listas tríplices organizadas pelos institutos de pesquisa e pelas instituições de ensino superior com sede no Estado.

A lista completa dos membros do Conselho Curador está disponível no site da Fapemig.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/conselho-curador-da-fapemig-tem-novos-membros/

Gestão da Educação: universidades mineiras receberão mais de R$ 2 milhões para adquirir livros técnicos

Fapemig divulgou, nesta terça-feira (12), resultado do edital que beneficiará cursos de pós-graduação em mais de 20 universidades mineiras

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) divulgou, nesta terça-feira (12), o resultado do Edital de Aquisição de Livros Técnicos e Científicos para Pós-graduação. Em sua sétima edição, a iniciativa tem o objetivo de fortalecer a pós-graduação no Estado, por meio do financiamento de livros técnico-científicos para bibliotecas, permitindo a atualização e a ampliação de seus acervos.

 

Ao todo, 24 universidades e instituições de ensino receberão mais de R$ 2 milhões em recursos. Os livros serão destinados para cursos de pós-graduação sediados em Minas Gerais que tenham obtido nota mínima igual a 3 na última avaliação da Capes.

 

O valor máximo por proposta foi definido no edital de acordo com o número de programas que a instituição oferece: R$ 50 mil para instituições que tenham de 1 a 5 programas; R$ 100 mil para instituições que tenham de 6 a 10 programas; R$ 200 mil para instituições que tenham de 11 a 20 programas e R$ 300 mil para instituições que tenham mais de 20 programas.

 

Clique aqui (Arquivo em PDF) para conferir o resultado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/universidades-mineiras-receberao-mais-de-r-2-milhoes-para-adquirir-livros-tecnicos/

Gestão anastasia: Programa do Governo de Minas para a qualidade do leite chega ao Norte e Nordeste do Estado

Parceria entre o Polo de Excelência do Leite e os polos de inovação do Norte e Nordeste de Minas vai contribuir para a expansão do Sistema Mineiro de Qualidade do Leite

Divulgação/Sectes MG
A higienização dos utensílios utilizados na ordenha é um dos padrões de qualidade aprimorados pelo projeto
A higienização dos utensílios utilizados na ordenha é um dos padrões de qualidade aprimorados pelo projeto

O setor leiteiro do Norte e Nordeste do Estado vai ganhar um novo estímulo. Com o objetivo de alcançar padrões nacionais e internacionais de exigência, a partir de junho, laticínios e cooperativas dessas regiões receberão instruções sobre como melhorar as práticas de produção. A ação faz parte do programa Sistema Mineiro de Qualidade do Leite (SMQL), desenvolvido pelo Polo de Excelência do Leite e Derivados, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), em parceria com a empresa neozelandesa QConz.

O projeto, iniciado em 2011, atendeu a cerca de 100 indústrias das regiões da Zona da Mata, Sul de Minas e Campo das Vertentes. Após serem capacitadas, essas instituições repassaram, por meio de técnicas simples e de baixo custo – como o Cinturão de Qualidade -, os ensinamentos para os seus produtores rurais.

Com espaços reservados para produtos higienizantes e papel-toalha, o cinturão auxilia o produtor no momento da ordenha, contribuindo para a redução no número de Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Células Somáticas (CCS) presentes no leite. Ao todo, 1,5 mil produtores rurais já foram beneficiados. “No primeiro laticínio, aplicamos o programa junto a 15 produtores. Hoje, são 600 atendidos”, destaca o coordenador do projeto, Abel Fernandes.

Além de atender às necessidades dos produtores, laticínios e consumidores, o treinamento aborda as normas de produção e qualidade do leite presentes na Instrução Normativa nº 62 – documento do Ministério da Agricultura que oficializa os métodos para análises microbiológicas para controle de produtos de origem animal e água. Assim, o consumidor adquire um produto com maior qualidade, os laticínios passam a ter um ganho na produtividade e é possível aumentar a renda dos produtores, que recebem mais pelo litro de leite.

Parceria fundamental da Emater e dos Polos de Inovação

Na segunda etapa do programa SMQL, 24 unidades processadoras de produtos lácteos do Norte e Nordeste de Minas serão capacitadas em um período de sete meses, que tem início em junho. “Em média, dez a 15 produtores serão capacitados por laticínio, o que significará cerca de 300 produtores rurais beneficiados”, esclarece Fernandes.

Para isso, técnicos dos laticínios locais e da Emater regional serão habilitados pelo programa para realizarem os treinamentos nas cooperativas e laticínios da região. O trabalho da equipe da Emater consistirá, principalmente, na divulgação do programa para os produtores rurais, enquanto os técnicos dos laticínios vão atuar na capacitação dos mesmos. A ação também tem o apoio dos Polos de Inovação, programa da Sectes que busca fortalecer vocações e promover cidadania nas regiões do Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e Mucuri. Os agentes dessas unidades divulgaram o programa na região com a finalidade de conquistar parcerias, definir estratégias e contratar empresas.

As microrregiões a serem contempladas com o programa são: Araçuaí, Almenara, Janaúba, Januária, Salinas, Teófilo Otoni, Montes Claros e Diamantina.

Nessa nova etapa do projeto, serão investidos pela Sectes e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) R$ 120 mil. Uma contrapartida do mesmo valor também será invetida pelos laticínios. Na primeira fase, as mesmas instituições liberaram, ao todo, mais de R$ 1 milhão.

Como funciona o programa

O projeto-piloto foi baseado em uma metodologia neozelandesa que reúne técnicas simples e econômicas, tanto para a implantação quanto para sua manutenção. Essas experiências foram trazidas pela QConz, que elaborou, em parceria com o Polo do Leite, o sistema de qualidade. O trabalho é realizado em oito dias em cada laticínio, sendo dois dias de consultoria para definir e implantar a infraestrutura de qualidade, três dias de formação em CBT, CCS e antibióticos para ambos os sistemas de ordenha e três dias acompanhando os técnicos do laticínio nas fazendas.

Polo de Excelência do Leite

Ancorado na Embrapa Gado de Leite, o Polo atua desde 2007 na articulação de competências para promover inovações tecnológicas, atender a demandas e atrair negócios para o desenvolvimento sustentável do sistema agroindustrial do leite. O Polo ainda transformou a região em referência nacional e internacional para o setor.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/programa-do-governo-de-minas-para-a-qualidade-do-leite-chega-ao-norte-e-nordeste-do-estado/

Gestão Eficiente: Ministro da Ciência e Tecnologia destaca o potencial de Minas na área de inovação

“Minas teve o maior crescimento na área de ciência e tecnologia em relação aos outros Estados”, disse Marco Antônio Raupp, que visitou a sede da Fapemig

Diogo Brito
Marco Antônio Raupp (centro), ao lado do secretário Narcio Rodrigues, na sede da Fapemig
Marco Antônio Raupp (centro), ao lado do secretário Narcio Rodrigues, na sede da Fapemig

O ministro de Ciência e Tecnologia Marco Antônio Raupp esteve nesta quinta-feira (24) na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), durante sua visita à Belo Horizonte. Raupp participou de uma reunião com a direção executiva e o presidente do Conselho Curador da Fundação.

Também esteve presente o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues. No encontro, o presidente da Fapemig, Mario Neto Borges ressaltou dois fortes objetivos da instituição atualmente: a internacionalização da ciência mineira e a inovação das indústrias no Estado. Borges também apresentou o projeto da nova sede da Fapemig, construída em uma região que está sendo chamada de Cidade da Ciência.

“A Fapemig tem papel de destaque nos últimos tempos, já que Minas Gerais teve o maior crescimento na área de ciência, tecnologia e inovação em relação aos outros Estados”, declarou Raupp. Na ocasião, o ministro recebeu o livro “Fapemig 25 anos – História em Pesquisa”, lançado nesta quarta-feira (23) na Fiemg.

Ações conjuntas

Para o ministro, o papel do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), das Secretarias de Ciência e Tecnologia e das Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) dos Estados é trabalhar em conjunto, estimulando empresas a participem competitivamente do mercado global.

A agenda do ministro na capital mineira inclui ainda um encontro com reitor da UFMG, Clélio Campolina, uma visita ao Parque Tecnológico BHTec, um encontro com o governador Antonio Anastasia e a participação na Solenidade Comemorativa do Dia da Industria de Minas, no Expominas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ministro-da-ciencia-e-tecnologia-destaca-o-potencial-de-minas-na-area-de-inovacao/

Gestão Anastasia: Edital destina R$ 900 mil para estimular a inovação nas empresas em Minas Gerais

O edital prevê a contratação de mestres e doutores para diversas finalidades dentro das empresas

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) divulgou nesta sexta-feira (18) o resultado do edital 16/2011 que visa ao financiamento de propostas conjuntas de empresas e ECTIs – Entidades de Ciência, Tecnologia e Inovação.

O edital, que é uma parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), prevê a contratação de mestres e doutores para diversas finalidades dentro das empresas, como: Proporcionar o desenvolvimento de um novo produto, estruturar os processos de pesquisas, estimular a cultura da inovação nas Empresas e ECTIs, estimular a fixação de mestres e doutores no Estado para atuarem como agentes do processo de inovação, dentre outras.

Os recursos destinados para este financiamento são de mais de R$ 900 mil. Uma característica deste edital é a exigência de uma contrapartida financeira de no mínimo 10% do valor da proposta.

Sete propostas foram aprovadas, dentre elas uma da empresa Ecovec que vai desenvolver uma armadilha para a captura do mosquito Aedes Aegypti e monitoramento contínuo da dengue via Internet. Clique aqui para visualizar a lista de propostas aprovadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/edital-destina-r-900-mil-para-estimular-a-inovacao-nas-empresas-em-minas-gerais/

Gestão Anastasia: Fapemig efetua repasse de recursos para Redes de Pesquisa de Minas

Ao todo, serão destinados R$ 13,2 milhões em recursos para as redes credenciadas pela Fundação

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) iniciou nesta quinta-feira (17) o pagamento integral dos projetos referentes ao Programa de Apoio a Redes de Pesquisa Científica 2011/2012. Ao todo, serão destinados R$ 13,2 milhões em recursos para as dez Redes de Pesquisas credenciadas pela Fundação.

Redes de Pesquisa

O Programa de Apoio a Redes de Pesquisa Científica permite a articulação entre pesquisadores e instituições, formando competência em assuntos de interesse do Estado e do País e ainda otimiza o uso de recursos, evitando duplicação e, ao mesmo tempo, aumentando a gama de instituições e pesquisadores beneficiados.

A Fapemig tem incentivado a criação de redes de pesquisa científica no Estado. Ao longo dos últimos anos, as Redes credenciadas e apoiadas pela Fapemig receberam recursos da ordem de R$ 33 milhões. Existem hoje dez redes credenciadas pela Fapemig. As áreas são Biomoléculas; Genoma; Nanobiotecnologia; Farmacologia e Toxicologia; Bioterismo; Biotecnologia Agroindustrial; Propriedade Intelectual; Oncologia; Dengue e Malária.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fapemig-efetua-repasse-de-recursos-para-redes-de-pesquisa-de-minas/