Arquivos do Blog

Governo de Minas: Cine Humberto Mauro apresenta “Indiana Bhava: um panorama do cinema indiano”

As exibições da mostra serão entre os dias 25 de junho e 1° de julho, a entrada é gratuita

A Fundação Clóvis Salgado, em correalização com a Tantri Arte e Cultura, apresenta desta segunda-feira (25) até o dia 1° de julho, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, a mostra Indiana Bhava, com um panorama completo do cinema indiano contemporâneo. Integralmente exibida em 35mm, a mostra apresenta 11 filmes de grandes cineastas e jovens realizadores da Índia.

Maior mostra do cinema indiano já realizada no Brasil, Indiana Bhava reúne várias vertentes do cinema da Índia, englobando todas as indústrias cinematográficas que estão espalhadas pelas principais regiões do país. Do sânscrito emoção, a palavra Bhava, no título da mostra, anuncia os diversos sentimentos do país que poderão ser vistos durante as exibições. A curadoria ficou a cargo do músico e estudioso de cinema Ananda Jyothi – indiano há 13 anos radicado no Brasil – e da produtora e roteirista Carina Bini.

Dentre os filmes apresentados, destaque para produções premiadas, como Quatro Mulheres, de Adoor Gopalakrishnan, cultuado como o novo Satyajit Ray, cultuado como um dos maiores cineastas do século XX; Dharm, de Bavana Talwar, filme premiado na Índia, exibido no encerramento de Cannes, em 2007, e que ainda inspirou Glória Perez em diversos personagens da novela Caminho das Índias; e Mais Uma História de Amor, de Kaushik Ganguly.

Ananda Jyothi destaca o fato de a mostra valorizar a vasta e diversificada indústria cinematográfica da Índia, apresentando um diferencial autêntico e profundo de seu cinema contemporâneo. “Buscamos reunir todas as vertentes do cinema da Índia, indo muito além da indústria de Bollywood, que representa cerca de 30% da produção total da Índia e já é bastante conhecida no Brasil. Optamos por priorizar todas as demais indústrias do cinema indiano, que se encontram espalhadas pelas principais regiões do país”, afirma.

Para o Gerente de Cinema da Fundação Clóvis Salgado, Rafael Ciccarini, “apresentar uma mostra como Indiana Bhava é fundamental para dar acesso a uma cinematografia praticamente inédita ao público mineiro, que é muito conhecida pelo fenômeno Bollywood, mas que vai muito além de sua forte indústria doméstica”.

Apresentada anteriormente no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Porto Alegre, depois de Belo Horizonte a mostra Indiana Bhava segue para Brasília, onde estará em cartaz entre julho e agosto.

A entrada para as sessões é gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria do cinema meia hora antes do início.

Serviço

Mostra Indiana Bhava

Data: 25 de junho a 1º de julho

Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro – Belo Horizonte – piso inferior)

Entrada gratuita (retirada de senhas na bilheteria meia hora antes do início de cada sessão)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cine-humberto-mauro-apresenta-indiana-bhava-um-panorama-do-cinema-indiano/

Anúncios

Governo de Minas: Cine Humberto Mauro exibe obra de Almodóvar

Tudo Sobre Minha Mãe é o filme de segunda-feira (25) no projeto Estéticas do Contemporâneo

A Fundação Clóvis Salgado no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, realiza o projeto Estéticas do Contemporâneo e exibe nesta segunda-feira (25), o filme Tudo Sobre Minha Mãe, um clássico do cineasta espanhol Pedro Almodóvar. O 2º de quatro filmes em que o diretor trabalhou com a atriz Penélope Cruz, o longa ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1999, foi premiado no Festival de Cannes e participou dos Festivais do Rio e de Nova Iorque.

A sessão acontece às 21h e tem entrada gratuita, com retirada de senhas na bilheteria do cinema meia hora antes do início.

Criada em 2011, a sessão Estéticas do Contemporâneo oferece ao público, uma vez por mês, importantes obras do cenário cinematográfico mundial e nacional contemporâneo que, por razões de indústria e mercado, não tiveram grande repercussão ou não foram exibidos ou lançados comercialmente.

Serviço

Estéticas do Contemporâneo exibe Tudo Sobre Minha Mãe

Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro)

Dia: 25 de junho (segunda-feira)

Horário: 21h

Entrada Gratuita (retirada de senhas na bilheteria meia hora antes do início)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cine-humberto-mauro-exibe-obra-de-almodovar/

Governo de Minas: Fundação Clóvis Salgado realiza quarta edição do ano da Série Sinfônica no Museu

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais recebe o maestro Charles Roussin e os solistas Vitor Dutra e Carlos Aleixo.

A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG) apresenta, nesta quinta-feira (21) , a quarta edição da Série Sinfônica no Museu. Desta vez, o maestro convidado será Charles Roussin, e a orquestra contará também com a participação dos solistas convidados Vitor Dutra (violino) e Carlos Aleixo (viola). O concerto será no Museu Inimá de Paula, às 20h e tem entrada gratuita.

A Série Sinfônica no Museu é uma política da Fundação Clóvis Salgado voltada para a democratização do acesso ao público à música erudita e promove encontro de grandes artistas com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais nos palcos do Museu Inimá de Paula.

No programa da noite, estão duas obras de Mozart: a “Sinfonia Concertante em Mi maior” para violino e viola, em três atos, com a participação de Vitor Dutra e Carlos Aleixo. Em seguida, será executada a “Sinfonia em Dó maior”, movimento em quatro atos.

 Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

A OSMG, fundada em 1976, é um patrimônio artístico e cultural do Estado. Entre óperas e balés, concertos, poemas sinfônicos e obras sinfônico-corais, seu repertório abrange todos os períodos da história da música escrita para orquestra. Suas atividades também incluem apresentações em teatros e ao ar livre, na capital e no interior.

A OSMG tem, atualmente, como regente titular, o maestro Roberto Tibiriçá, vencedor por dois anos consecutivos do Prêmio Carlos Gomes – ópera e música erudita – na categoria regente sinfônico, pelo seu trabalho à frente da OSMG.

Em 2011, a OSMG iniciou novos projetos, como o Sinfônica Pop, que, em três edições realizadas, recebeu grandes nomes da música popular brasileira, como Zizi Possi e Wagner Tiso, e foi visto por mais de cinco mil pessoas; e deu continuidade a iniciativas de sucesso, como a Série Sinfônica no Museu e a Série Concertos no Parque, que, desde a estreia em 1998, foi assistida por aproximadamente 360 mil pessoas.

Série Sinfônica no Museu

Data: 21-06 (quinta-feira)

Horário: 20h

Duração: 60 minutos

Local: Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 – Centro – BH – MG)

Informações para o público: 3236-7400

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-clovis-salgado-realiza-quarta-edicao-do-ano-da-serie-sinfonica-no-museu/

Governo de Minas: Ballet Jovem Palácio das Artes se apresenta em Mariana

Coreografias premiadas do grupo estão no programa da apresentação. A entrada é gratuita.

Paulo Lacerda
Grupo apresenta três coreografias para público em Mariana
Grupo apresenta três coreografias para público em Mariana

O Ballet Jovem Palácio das Artes, projeto de fomento ao jovem artista da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresenta o espetáculo Iungo-Frágil-Contracapa no próximo dia 21 de junho, no Centro de Cultura SESI-Mariana, na cidade de Mariana, região Central do Estado.

No programa da apresentação, estarão três coreografias do grupo: Iungo, de Adriaan Lutejin, com música de F. Chopin, montagem onde os bailarinos representam a urgência dos homens em encontrar dentro do caos cotidiano um lugar “silencioso, tranquilo, confortável e seguro”, nas palavras do coreógrafo; Frágil, coreografia de dois minutos, sobre o tema relação, que estabelece um diálogo entre dança, música e imagens; e Contracapa, coreografia de Cassilene Abranches, que teve sua estreia em novembro de 2009, montada em cima de sete canções dos Beatles. A trilha sonora desta última fica a cargo do músico veterano Cecelo Frony, que se encarregou de dar forma estritamente instrumental às músicas do grupo de Liverpool.

Com direção geral da diretora de ensaios do Ballet Jovem Palácio das Artes, Andréa Maia, a apresentação acontece às 20h e tem 50 minutos de duração. A entrada é gratuita.

Sobre o Ballet Jovem Palácio das Artes

Um dos grupos jovens profissionalizantes da Fundação Clóvis Salgado, o Ballet Jovem foi criado em 2007, em parceria com o Instituto Unimed-BH, com o objetivo de preparar bailarinos, com idade a partir de 15 anos, para atuar em grupos profissionais.

Ao longo dos seus cinco anos, 14 bailarinos do Ballet Jovem foram contratados por outras companhias no Brasil – como Grupo Corpo (BH), Camaleão Grupo de Dança (BH), Cia de Dança de Caxias do Sul (Caxias do Sul), Cia Mário Nascimento (BH) e Balé Teatro Guaíra (Curitiba) – e no exterior – Atlanta (EUA), Canadá e Salzburgo (Áustria).

Desde a estreia, o grupo montou 13 coreografias, apresentadas em 24 diferentes espaços de 19 cidades do Brasil. Mais de 72 mil pessoas assistiram às 87 apresentações que o Grupo realizou até hoje.

Em 2010, a direção artística e de ensaios do Ballet Jovem Palácio das Artes foi assumida pela bailarina Andréa Maia. Solista do Ballet da Cidade de São Paulo por 22 anos, ao longo de sua carreira Andréa realizou trabalhos com renomados coreógrafos e professores nacionais e internacionais.

Entre as premiações recentes que a companhia recebeu, destaque para os prêmios no Usiminas/Sinparc 2012, de Melhor Bailarino para Hícaro Nicolai (por Goldberg); Melhor Concepção Coreográfica para Tíndaro Silvano (por Goldberg); e Maior Público de Dança (por Goldberg).

Ballet Jovem Palácio das Artes em Mariana

Data: 21 de junho

Horário: 20h

Local: Centro de Cultura SESI-Mariana (Rua Frei Durão, 22 – Centro)

Classificação: Livre

Entrada Gratuita

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ballet-jovem-palacio-das-artes-se-apresenta-em-mariana/

Governo de Minas: Big Band Palácio das Artes se apresenta em Araxá nesta sexta-feira

Músicas de grandes compositores estão no programa da apresentação; a entrada é gratuita

Paulo Lacerda / FCS
Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo às artes
Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo às artes

A Big Band Palácio das Artes, projeto de fomento ao jovem artista da Secretaria de Estado de Cultura, por meio da Fundação Clóvis Salgado, se apresenta na cidade de Araxá, na região do Alto Paranaíba, nesta sexta-feira (22). A apresentação acontece na Fundação Cultural Calmon Barreto de Araxá, no centro da cidade.

No programa do show estão músicas de grandes nomes do jazz, como Duke Ellington (“I don’t mean a thing”) e Billie Holiday (“Georgia on my mind”); e de músicos populares, como John Lennon e Paul McCartney (“Come together”), Santana (“Oye como va”) e Jorge Ben Jor (“Mas que nada”).

Sob regência do maestro e arranjador cubano Nestor Lombida, titular da Big Band Palácio das Artes, o show tem início às 22h30 e a entrada é gratuita.

Programa da apresentação:

1. Samba do Gringo

2. White Heat – Jeff  Jarvis

3. In the Mood – Joe Garland

4. Come together – John Lennon e Paul McCartney

5. Groovin’ High – Dizzy Gillespie

6. Georgia on my mind – Billie Holiday

7. Just the Two of us – Ralph Macdonald, William Salter e Bill Withers

8. Oye como va – Santana

9. Mas que nada – Jorge Ben

10. The Joy of Cookin’ – Sammy Nestico

11. I don’t mean a thing – Duke Ellington

12. Wind Machine – Sammy Nestico

13. Night Train – Jimmy Forrest

14. Night in Tunisia – Dizzy Gillespie

15. Triller – Rod Temperton

Sobre a Big Band Palácio das Artes

Formada há cinco anos como projeto da Escola de Música do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar), a Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo à criação, pesquisa e profissionalização de jovens talentos neste gênero musical.

Sob regência do maestro e arranjador cubano Nestor Lombida, a Big Band Palácio das Artes cumpre intensa agenda, apresentando-se em diversos espaços de Belo Horizonte e em outras cidades de Minas Gerais, integrando o projeto de interiorização da Secretaria de Estado de Cultura. A Big Band Palácio das Artes também participa do circuito de programações de jazz do Estado, estando presente em edições do Savassi Jazz Festival, do Jazz Gerais, e do festival Tudo é Jazz.

Serviço

Big Band Palácio das Artes em Araxá

Data: 22 de junho

Horário: 22h30

Duração: 1h

Local: Fundação Cultural Calmon Barreto de Araxá, Praça Artur Bernardes, 10 – Centro

Classificação: Livre

Entrada Gratuita

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/big-band-palacio-das-artes-se-apresenta-em-araxa-nesta-sexta-feira/

Governo de Minas: Fundação Clóvis Salgado promove atividades de artes e fotos com entrada gratuita

 

Atividades complementares à exposição “Segue-se ver o que quisesse” terão a presença do curador Joerg Bader, especialistas em fotografia e do artista plástico Alexandre Sequeira

Ekaterina Kholmogorova
Fotógrafo, curador e agitador cultural, Iatã Cannabrava participa do seminário “Fotografia Brasileira Contemporânea”
Fotógrafo, curador e agitador cultural, Iatã Cannabrava participa do seminário “Fotografia Brasileira Contemporânea”

A Fundação Clóvis Salgado apresenta nesta quarta (20) e sexta-feira (22) duas atividades complementares à exposição “Segue-se ver o que quisesse” – em cartaz no Palácio das Artes e no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia até o dia 14 de julho.

Nesta quarta-feira, às 20h, será realizado o seminário “Fotografia Brasileira Contemporânea”, ministrado pelo curador da exposição, Joerg Bader, e os fotógrafos Sérgio Burgi e Iatã Cannabrava. Em pauta, estarão conceitos, contextos e reflexões sobre a fotografia brasileira contemporânea, abordando questões como o fato de existir ou não uma fotografia brasileira específica ou mesmo uma fotografia autoral, dentre outras.

Já na sexta-feira, às 19h, o artista plástico e fotógrafo Alexandre Sequeira, apresenta, na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes, um relato sobre seu trabalho em cartaz na exposição. Denominada “Entre Lapinha da Serra e o Mata Capim”, a obra de Sequeira foi realizada entre janeiro de 2009 e junho de 2010, durante uma experiência vivenciada pelo artista no interior do estado de Minas Gerais.

A entrada para ambas as atividades é gratuita. Para mais informações sobre os participantes e mais detalhes sobre as atividades, acesse www.fcs.mg.gov.br.

Serviços

Seminário “Fotografia Brasileira Contemporânea”

Data: 20 de junho

Horário: 20h

Local: Sala Juvenal Dias – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro)

Duração: 2h30

Relato/Performance com o fotógrafo Alexandre Sequeira

Data: 22 de junho

Horário: 19h

Local: Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro)

Duração: 50 minutos

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-clovis-salgado-promove-atividades-de-artes-e-fotos-com-entrada-gratuita/

Governo de Minas: maestro Luiz Aguiar realiza palestra gratuita sobre a ópera Tosca nesta quarta-feira

Evento será no Palácio das Artes; maestro aborda a história da ópera e a vida do autor Giacomo Puccini

Gardalake.org / Reprodução
Baseada na peça de Victorien Sardou, a ópera Tosca, de Giacomo Puccini, estreou em 1900, em Roma
Baseada na peça de Victorien Sardou, a ópera Tosca, de Giacomo Puccini, estreou em 1900, em Roma

Além da apresentação nos palcos do Grande Teatro do Palácio das Artes, entre 17 e 28 de junho, a ópera Tosca será tema de uma atividade paralela promovida pela Fundação Clóvis Salgado, trata-se de uma palestra realizada pelo maestro Luiz Aguiar.

Nesta quarta-feira (13), às 11h, o Cine Humberto Mauro dá a oportunidade ao público de conhecer e aprofundar-se na história da ópera Tosca, de Giacomo Puccini, por meio dessa palestra proferida pelo maestro. A entrada é gratuita.

Grande conhecedor de óperas e partícipe de produções históricas da Fundação Clóvis Salgado, o maestro Luiz Aguiar irá abordar aspectos contextuais da ópera Tosca e das composições musicais de Giacomo Puccini.

Tosca

Desde sua primeira apresentação há 111 anos, Tosca, de Giacomo Puccini, tem sido uma das óperas mais representadas em todo o mundo, amplamente popularizada por árias como Vissi d’arte, vissi d’amore, Recondita armonia e E lucevan le stelle.

Centro produtor operístico há 40 anos, a Fundação Clóvis Salgado realiza essa montagem pela quinta vez. Esse título foi apresentado nos anos de 1977, 1980, 1982 e 1994. Tosca faz parte das comemorações do Governo de Minas em homenagem ao Momento Itália-Brasil que, no ano passado, contou com récitas de Nabucco, de Giuseppe Verdi.

A ópera ficará em cartaz de 17 a 28 de junho, no Grande Teatro do Palácio das Artes. A direção musical e regência são do maestro Roberto Tibiriçá, concepção e direção de cena de Carla Camurati, iluminação de Pedro Pederneiras, cenários de Carla Camurati e Cecília Modesto, figurinos de Cecília Modesto e coreografia de ação de Dani Hu.

Os ingressos custam R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada). Nos dias 19 e 26 de junho (terças-feiras), serão praticados preços promocionais de R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia) para ingressos na “Plateia Superior”.

Para saber detalhes sobre o espetáculo, clique aqui (arquivo PDF).

Serviço

Palestra com o maestro Luiz Aguiar sobre ópera Tosca

Data: 13 de junho

Local: Cine Humberto Mauro, Belo Horizonte

Horário: 11h

Entrada gratuita (sujeita a lotação do espaço)

Informações para o público: 3236-7400

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/maestro-luiz-aguiar-realiza-palestra-gratuita-sobre-a-opera-tosca-nesta-quarta-feira/

Governo de Minas: Fundação Clóvis Salgado apresenta ópera Tosca, de Giacomo Puccini, com direção de Carla Camurati

Ópera contará com a participação da Orquestra Filarmônica de Minas, Coral Lírico de Minas, Coral Infantojuvenil Palácio das Artes e solistas do Brasil e exterior

Gardalake.org / Reprodução
Baseada na peça de Victorien Sardou, a ópera Tosca, de Giacomo Puccini, estreou em 1900, em Roma
Baseada na peça de Victorien Sardou, a ópera Tosca, de Giacomo Puccini, estreou em 1900, em Roma

A Fundação Clóvis Salgado, em parceria com o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, realiza a ópera Tosca, de 17 a 28 de junho, no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. A direção musical e regência são do maestro Roberto Tibiriçá, concepção e direção de cena de Carla Camurati, iluminação de Pedro Pederneiras, cenários de Carla Camurati e Cecília Modesto, figurinos de Cecília Modesto e coreografia de ação de Dani Hu.

Os ingressos custam R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada). Nos dias 19 e 26 de junho (terças-feiras), serão praticados preços promocionais de R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia) para ingressos na “Plateia Superior”.

No elenco, estão solistas renomados, como Eiko Senda (Japão), que interpreta Tosca; Richard Bauer (Brasil), como Cavaradossi; e Stephen Bronk (EUA), no papel de Scarpia. Além de elenco de solistas nacionais e internacionais, a ópera contará com a participação da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, do Coral Lírico de Minas Gerais e do Coral Infantojuvenil Palácio das Artes.

O espetáculo

Desde sua primeira apresentação há 111 anos, Tosca, de Giacomo Puccini, tem sido uma das óperas mais representadas em todo o mundo, amplamente popularizada por árias como Vissi d’arte, vissi d’amore, Recondita armonia e E lucevan le stelle. Centro produtor operístico há 40 anos, a Fundação Clóvis Salgado realiza essa montagem pela quinta vez. Esse título foi apresentado nos anos de 1977, 1980, 1982 e 1994 pela FCS.

Tosca faz parte das comemorações do Governo de Minas em homenagem ao Momento Itália – Brasil que, no ano passado, contou com récitas de Nabucco (Giuseppe Verdi). Outra atração do Momento Itália – Brasil será o Ballet do Teatro Scala de Milão, que se apresentará no Grande Teatro do Palácio das Artes, em julho, com a participação da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

Nesta montagem, que estréia no próximo dia 17, para contar a trágica história de amor entre a cantora lírica Tosca e o pintor Cavaradossi, Carla Camurati procurou reforçar o caráter dramático da obra: “O que mais chama a atenção na ópera é, antes de tudo, a música, belíssima. Também a densidade dos personagens, próxima dos grandes personagens teatrais. Normalmente a música sublinha a dramaticidade. Em Tosca tem-se também uma rica construção dramatúrgica da personalidade dos personagens”, comenta.

Para a ambientação do espaço cênico, a diretora buscou referências na pintura. “Quis um espaço em que se brinca com a perspectiva. Por isso recorri a Piranesi, que viveu em época próxima da que se passa a trama”, explicou Carla, referindo-se ao artista e arquiteto italiano Giovanni Battista Piranesi. Tosca estreou em 1900, mas sua história se passa em 1800. “Vamos unir projeção, impressão (telão) e o tridimensional, todos elementos essenciais para o desenho de emoção que os personagens carregam”, revela.

A montagem estreou no Theatro Municipal do Rio de Janeiro no ano passado e, por meio de uma parceria da Fundação Clóvis Salgado com o Theatro, Tosca chega a Belo Horizonte com apenas algumas alterações no elenco. Segundo a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg, “o intercâmbio entre essas instituições culturais permite a circulação de grandes montagens de ópera por todo o Brasil, fazendo com que o público tenha acesso a cada vez mais produções do gênero”, comenta.

Para saber detalhes sobre o espetáculo, clique aqui (arquivo PDF).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-clovis-salgado-apresenta-opera-tosca-de-giacomo-puccini-com-direcao-de-carla-camurati/

Governo de Minas: Fundação Clóvis Salgado apresenta “Orson Welles – Facetas de um Gênio”

Seleção de filmes de um dos nomes mais importantes do cinema mundial será apresentada no Cine Humberto Mauro, de 11 a 17 de junho, com entrada é gratuita

FCS / Divulgação
Mostra sobre Orson Welles será apresentada no Cine Humberto Mauro do Palácio das Artes
Mostra sobre Orson Welles será apresentada no Cine Humberto Mauro do Palácio das Artes

A Fundação Clóvis Salgado apresenta, entre os dias 11 e 17 de junho, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, a mostra “Orson Welles: Facetas de um Gênio”, com uma seleção de oito filmes do cineasta norte-americano. Um dos nomes mais importantes do cinema mundial, Orson Welles é dono de diversas obras-primas, dentre elas “Cidadão Kane”, considerado por vários especialistas o maior filme já realizado na história. Dos longas em cartaz, quatro serão exibidos em 35mm e um em 16mm.

Orson Welles construiu uma obra que ao mesmo tempo valoriza o clássico e anuncia o moderno, tanto do ponto de vista de sua articulação entre linguagem e técnica, quanto no olhar crítico que lança à sociedade de seu tempo e ao homem de maneira geral. Dentre os longas em cartaz, estarão algumas de suas obras centrais, como os clássicos noir “A Marca da Maldade” e “A Dama de Shangai”; o emblemático “O Processo” (adaptação da obra de Franz Kafka); além de “Macbeth” e “Othello”, releituras de Shakespeare. Merece destaque, ainda, “Soberba”, o segundo filme de sua carreira, que é também um clássico da história do cinema, e “O Estranho” (da série de longas menos conhecidos do cineasta).

“A mostra de Orson Welles é uma oportunidade única para rever filmes que ajudaram a definir o cinema como o conhecemos, tendo influenciando todas as gerações que a eles se seguiram”, afirma o gerente de Cinema da Fundação Clóvis Salgado, Rafael Ciccarini.

A entrada para as sessões é gratuita, com retirada de senhas na bilheteria do cinema meia hora antes do início.

Clique aqui e confira programação e sinopses (arquivo PDF).

Serviço

Mostra “Orson Welles: Facetas de um Gênio”

Datas: 11 a 17 de junho

Local: Cine Humberto Mauro (Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro – Belo Horizonte – piso inferior)

Entrada gratuita (retirada de senhas na bilheteria meia hora antes do início de cada sessão).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fundacao-clovis-salgado-apresenta-orson-welles-facetas-de-um-genio/

Governo de Minas: Projeto História Permanente do Cinema exibe quatro clássicos na programação de junho

Longas escolhidos estão ligados às mostras que estarão em cartaz no Cine Humberto Mauro no mesmo período. A entrada é gratuita

O projeto História Permanente do Cinema, realizado pela Fundação Clóvis Salgado, apresenta neste mês, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, quatro longas-metragens de importantes diretores internacionais. As sessões são realizadas sempre às quintas-feiras, às 17h, e têm comentários de pesquisadores e críticos de cinema após o término da exibição. Para a programação, foram escolhidos filmes ligados às mostras que estarão em cartaz no Cine Humberto Mauro na ocasião de suas exibições.

Abrindo a programação, no dia 7 de junho será exibido o clássico “A felicidade não se compra”, do diretor Frank Capra, com um elenco de grandes estrelas do cinema, como James Stewart, Ward Bond e Thomas Mitchell. A partir da segunda semana, todos os filmes exibidos estão relacionados às mostras em cartaz no mesmo período. No dia 14 de junho, será exibido o longa “O Terceiro Homem”, de Carol Reed, considerado uma obra-prima do cinema Noir.

No dia 21 de junho, estará em cartaz o filme “Uma Rua Chamada Pecado”, de Elia Kazan, um clássico do cinema mundial, com o astro Marlon Brando. Fechando a programação do mês, no dia 28 de junho, será exibido “Sala de Música”, de Satyajit Ray, considerado um dos principais diretores da história do cinema. O longa é um clássico do cinema indiano. As sessões têm entrada gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria do cinema meia hora antes de cada exibição.

Confira a programação completa e as sinopses dos filmes que serão exibidos no site da Fundação Clóvis Salgado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/projeto-historia-permanente-do-cinema-exibe-quatro-classicos-na-programacao-de-junho/