Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: cooperação entre Minas e França amplia parceria entre países

Cem mil euros serão investidos em Minas gerais pela organização francesa

Janice Drumond
Myriam Cau, Adriano Magalhães e Dov Zeran registram parceria
Myriam Cau, Adriano Magalhães e Dov Zeran registram parceria

O Governo de Minas e Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD – L’Agence Française de Développement) assinaram, nesta quarta (20), durante a Rio+20, um termo de cooperação técnica que envolve parcerias em estudos sobre desenvolvimento econômico, ensino superior e pesquisa, cultura e patrimônio e meio ambiente. O acordo internacional é o mais amplo já assinado por Minas Gerais na esfera internacional.

A cooperação é um desdobramento de um acordo entre Minas Gerais e o estado francês de Nord-Pas de Calais, firmado em 2009. Pela parceria, já são desenvolvidos trabalhos conjuntos nas áreas de gestão de unidades de conservação e na reconversão de territórios utilizados, como os explorados por mineração e que já não são mais aproveitados.

Serão investidos cem mil euros pela organização francesa em Minas Gerais. Na área ambiental, o projeto prevê a aplicação dos recursos em projetos já em curso nas áreas de mobilidade urbana, na elaboração de um plano de energia e clima, na gestão de resíduos sólidos e na criação de um pólo tecnológico.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, o acordo amplia a parceria e a troca de experiências com o país europeu. “Minas tem muito a aprender com a França, especialmente com Nord-Pas de Calais, que teve um forte período de mineração”, afirma.

O diretor-geral da AFD, Dov Zeran, observa que a cooperação internacional é uma vocação da organização. “A Agência já nasceu internacional em 1941, em Londres, das mãos de Charles de Gaulle, durante a Segunda Guerra Mundial”, destaca.

A vice-presidente de Nord-Pas de Calais, Myriam Cau, afirma que o estado francês tem interesse especial nas áreas de cultura, biodiversidade e eco tecnologia e já aponta possíveis parcerias futuras. “Temos uma experiência local de uso de resíduos sólidos urbanos para geração de combustível para a frota de transporte público urbano que pode ser aproveitada no Brasil”, observa.

O termo de cooperação técnica foi assinado no estande do Governo de Minas no Parque dos Atletas, parte da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Estiveram presentes os dirigentes do Instituto Estadual de Florestas, Marcos Ortiz, da Fundação Estadual de Meio Ambiente, Ilmar Bastos e a subsecretária de Controle e Fiscallização Integrada, Marília Melo.

Outras informações sobre as iniciativas do Estado alinhadas com os temas debatidos na Rio+20 no hot site do Governo de Minas sobre o assunto.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cooperacao-entre-minas-e-franca-amplia-parceria-entre-paises/

Gestão Anastasia: para diversificar as exportações, Governo de Minas Gerais busca novos mercados

Central Exportaminas lança o Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais, edição 2012

Leonardo Horta / SEDE
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Dorothea Werneck, afirmou nesta quarta-feira (20), em entrevista coletiva, na Cidade Administrativa, durante o lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, que o Estado está focado no planejamento para reduzir a dependência das exportações de commodities minerais, a partir da promoção de produtos com maior valor agregado, além da conquista de novos mercados.

“Estamos trabalhando para aproveitar a janela de oportunidades aberta não só para Minas Gerais, mas para o Brasil, que é a exportação de alimentos com valor agregado. Não queremos exportar apenas grãos, mas no caso da soja, por exemplo, precisamos exportar o óleo de soja e outros derivados. Portanto, nossa prioridade é antecipar e consolidar o espaço para a área de alimentos. Trata-se de um setor que está em pleno crescimento em todo o mundo”, destacou.

A estratégia para ampliar a presença de exportadores mineiros no mercado internacional vem sendo alcançada com a participação, cada vez maior, em feiras internacionais. De acordo com o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, apenas neste ano, Minas Gerais já esteve presente em seis eventos internacionais.

Para o segundo semestre a Central Exportaminas irá apoiar a participação de empresários em mais 12 feiras internacionais principalmente para os segmentos de alimentos e bebidas, frutas, café, cosméticos e higiene pessoal em países como África do Sul, Peru, Turquia, Estados Unidos, Canadá, França, Espanha, Itália e China. “O suporte dado ao empresário mineiro é o nosso primeiro desafio para desenvolver a cultura exportadora no Estado e, a partir daí aumentar nossas exportações”, enfatizou Ivan Barbosa.

Dorothea Werneck afirmou ainda que as perspectivas do comércio exterior de Minas estão ligadas à estabilidade do dólar. “Ter clareza e conhecimento do cenário internacional é fundamental no horizonte das decisões dos exportadores e no uso das ferramentas de negócios, pois a crise internacional está exigindo produtos com maior valor agregado e diversificação de mercados. De qualquer forma para o exportador o mais importante é a perspectiva de estabilidade do dólar”, destacou.

Panorama

O Panorama do Comércio Exterior apresenta os principais indicadores do comércio exterior mineiro, com base nos dados consolidados de 2011. A publicação, produzida pela equipe de inteligência comercial da Central Exportaminas, foi desenvolvida de forma a atender à crescente demanda por informações sobre a oferta de produtos e serviços de Minas para o exterior.

A análise demonstra que no ano passado houve um aumento da concentração das exportações. Os dez grupos de produtos com maior valor exportado responderam por 96,1% do total das vendas externas mineiras. Neste contexto, os produtos básicos foram responsáveis por 65,3% das vendas externas, com um aumento de 40,9% em relação ao ano de 2010. Os produtos industrializados (produtos semi-manufaturados e manufaturados) exportaram o total de US$ 14,34 bilhões, ou seja, 34,7% do total exportado.

A publicação também destaca as exportações mineiras por municípios e regiões. Apesar de a região Central ser responsável por mais da metade do total das exportações (62,5%), o maior crescimento relativo (72,3%) foi registrado na região Centro-Oeste, que representa apenas 2,7% das exportações estaduais. Os destaques foram café, açúcar, ferro fundido bruto e ferro gusa.

No ano passado, 261 municípios mineiros de todas as regiões realizaram exportações. Destes, 26 municípios participaram do comércio exterior pela primeira vez ou voltaram a exportar. A liderança ficou com Nova Lima, graças ao aumento de 183,5% das exportações de minérios metalúrgicos. No entanto, merece destaque também o município de São Gonçalo do Rio Abaixo que exportou 1.125,4% a mais de minérios metalúrgicos do que em 2010.

Novos Mercados

A publicação destaca que a conquista de novos mercados tem sido uma característica marcante do comércio exterior de Minas. Em 2011 o Estado atingiu 182 países com a conquista de sete novos destinos, como Palestina, Quirguistão, Uzbequistão, Timor Leste, Malaui, Ilha Wake e Ilhas Virgens. A China continua sendo o principal destino das exportações mineiras, atingindo 32,2%, sendo que 91,3% foram exportações de minério de ferro. Logo a seguir vem o Japão (7,9%), Estados Unidos (7,4%), Argentina (6,7%) e Países Baixos (6,6%). Já o Oriente Médio foi o bloco que apresentou o maior aumento percentual, de 62,6%, e apesar da crise, a União Européia importou US$ 2,01 bilhões a mais do que em 2010. No entanto, a Guiné Equatorial é o país que compra o maior número de produtos mineiros, totalizando 1.008 itens.

Minas Gerais ocupa a segunda posição no ranking dos maiores estados exportadores. Em 2011 foi responsável por 16,2% das exportações brasileiras. Também em relação às importações, o Estado subiu uma posição, passando do sétimo para o sexto lugar no ranking, sendo responsável por 5,8% do total importado pelo Brasil. Outro fato que marcou a balança comercial estadual no ano passado foi a diversificação da pauta exportadora. Em 2011 o Estado exportou 2.953 produtos, com um aumento de 3,2%.

A liderança ainda é mantida pelos minérios metalúrgicos, responsáveis por 47,4% das exportações do Estado em 2011. Os produtos metalúrgicos vieram em segundo lugar com 14,7%. Com um crescimento de 41,6% em relação a 2010, o grupo café e derivados ficou em terceiro lugar com 14% das exportações. Merecem destaque ainda os materiais de transporte e componentes, os metais, pedras preciosas e joalheria, produtos químicos, carnes, produtos florestais e complexo soja.

Além da posição de destaque nas exportações nacionais de produtos da cadeia mínero-metalúrgica, Minas Gerais é o maior exportador brasileiro de ferro-ligas (83,2% do total nacional); de café (66,8%); de ouro em bruto, semifaturado ou em pó (65,2%) e de fio-máquinas e barras de ferro (46,9%).

Destaque

No ano passado, 1.604 empresas mineiras fizeram operações de exportação no Estado, o que significou uma queda de 3,6% em relação a 2010. Já a participação das micro e pequenas empresas apresenta uma singularidade, ao representarem 50% do total de empresas exportadoras, mas com uma participação de apenas 0,5% do total em relação ao de exportação.

A edição 2012 do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, em versão bilíngüe (português e inglês) acaba de ser lançada pela Central Exportaminas, unidade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE) e será distribuída para empresas nacionais e estrangeiras, embaixadas e consulados no Brasil e no exterior, câmaras de comércio e outras instituições.

Os interessados podem ter acesso ao Panorama também pela internet. A publicação é atualizada por meio de edições eletrônicas mensais disponibilizadas no Portal Exportaminas (www.exportaminas.mg.gov.br).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/para-diversificar-as-exportacoes-governo-de-minas-gerais-busca-novos-mercados/

Gestão Anastasia: Governo de Minas envia jovens para capacitação em instituto aeronáutico na França

Estudantes participam da 9ª edição do programa Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo

Wellington Pedro/Imprensa MG
Os alunos selecionados para o Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo retornam ao Brasil no dia 14 de julho
Os alunos selecionados para o Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo retornam ao Brasil no dia 14 de julho

Os 20 estudantes de diversas áreas de engenharia de universidades mineiras selecionados para participar da 9ª edição do programa do Governo do Estado “Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo” começaram, nesta segunda-feira (18), no Institut Aéronautique et Spatial (IAS), em Toulouse (França), capacitação em Engenharia Aeronáutica e Aeroespacial. Os alunos embarcaram no sábado (16) e retornam no próximo dia 14 de julho.

O programa estratégico do Governo de Minas tem o objetivo de capacitar mão de obra para suprir a diversificação da economia do Estado. No mercado de trabalho potencial, destacam-se os polos de aviação civil do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e de Itajubá, no Sul de Minas.

O Jovens Mineiros Cidadãos do Mundo está inserido no contexto das ações de internacionalização de Minas Gerais, sendo uma iniciativa voltada para o ganho de competitividade, por meio de capacitação e valorização dos profissionais. Durante o período de treinamento, os estudantes participarão de cursos e visitas técnicas em universidades, centros de excelência, empresas e órgãos governamentais na França.

O projeto é coordenado pela Secretaria Geral da Governadoria do Estado de Minas Gerais, através da Assessoria de Relações Internacionais, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e patrocínio da Helibras.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-envia-jovens-para-capacitacao-em-instituto-aeronautico-na-franca/

Gestão da Educação: alunos mineiros participam competição internacional de projetos sustentáveis

Conceito de prédio autossustentável leva dois jovens estudantes de engenharia para competição na França.

Os estudantes Marcellye Miranda, da UFMG, e Igor Soares, na PUC Minas, participam neste mês de uma competição na França que reunirá trabalhos que propõem soluções inovadoras e sustentáveis para a gestão energética. Os universitários elaboraram um projeto de um edifício totalmente autossustentável, que gera a energia que os moradores consomem. As informações são do jornal Hoje em Dia.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-mineiros-participam-competicao-internacional-de-projetos-sustentaveis/

Gestão Anastasia: Rede Minas cobre a Rio+20

Uma programação especial que leva o telespectador a pensar verde

A mais importante conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) das últimas décadas, a Rio+20, começou essa semana no Rio de Janeiro. Até sexta-feira (22), mais de 186 países participam do evento. A Rede Minas, com o objetivo de manter o telespectador sempre atualizado em tudo o que acontece durante a conferência, irá transmitir reportagens produzidas em parceria com a TV Brasil. Os jornalistas irão trazer informações sobre autoridades participantes, debates e todas as novidades dos encontros. As matérias vão ao ar durante o Jornal Minas 1ª e 2ª edições, às 12h e 19h, respectivamente.

O consultor de meio ambiente da emissora, Milton Nogueira traz as notícias do evento, durante os três dias de encontro dos chefes de estado, por telefone. Milton também acompanha os debates, gravando depoimentos com os resultados destas discussões. O programa Palavra Cruzada fará um programa especial para falar do tema. O jornalista Luciano Correia recebe o consultor, na quarta-feira (27), às 22 horas, para um balanço do encontro.

A jornalista Simone Rêgo viajou, com uma equipe técnica da TV dos Trabalhadores (TVT), de São Paulo, para cobrir a Rio+20. A equipe deve entrevistar personalidades brasileiras, da Índia, França, Estados Unidos, entre outros países, para mostrar as diferentes soluções encontradas, ao redor do mundo, para a preservação do meio ambiente.

A cobertura do evento irá integrar o conteúdo de cinco documentários sobre a relação do homem com o planeta, uma co-produção entre a Rede Minas e a TVT. Essa série dá o pontapé inicial na parceria entre a emissora e a TVT.

Na sexta-feira (22), às 22h, o programa Planeta exibe sua série sobre a Rio+20, em uma maratona. São cinco episódios que passam pelos temas como economia verde, sustentabilidade, erradicação da pobreza, entre outros.

Interprogramação “verde”

O telespectador já pode assistir às chamadas especiais para o evento, durante a programação da Rede Minas. São vídeos curtos que destacam a importância de se informar, refletir e agir, em favor do planeta. As chamadas convidam o telespectador a pensar “verde”.

O Núcleo de Artes e Chamadas da emissora produziu, também, pílulas e chamadas com o slogan Pense nisso. O planeta é seu. Cuide dele. Os temas envolvem cinco assuntos debatidos na Rio+20, como a economia verde, erradicação da pobreza, escassez de água, governança e desperdício de alimentos. Nas chamadas, dicas e curiosidades que fazem o telespectador refletir sobre o desenvolvimento sustentável.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rede-minas-cobre-a-rio20/

Gestão em Minas: Ouvidoria Geral do Estado discute cooperação técnica com a França

Franceses conheceram as ações e os projetos que a Ouvidoria está desenvolvendo

Divulgação/OGE
O encontro aconteceu na Cidade Administrativa
O encontro aconteceu na Cidade Administrativa

A ouvidora-geral, Célia Barroso, recebeu nessa segunda-feira (21), na Cidade Administrativa, a visita do adido de cooperação e ação cultural, Serge Borg, e da assistente de cooperação e ação cultural, Christine Veras, da Embaixada da França, para o Estado de Minas Gerais. No encontro, Célia Barroso apresentou as ações e os projetos que a Ouvidoria Geral do Estado (OGE) está desenvolvendo, entre eles, a Ouvidoria Móvel, os diagnósticos para os gestores públicos, o manual de criação de ouvidorias, a OGE Pedagógica, que visa divulgar, via internet, as ações de boas práticas desenvolvidas no Estado, e o programa de gestão para a cidadania, o Estado em Rede. Um acordo bilateral de especialistas na área de ouvidoria entre os governos de Minas e Nord-Pas de Calais (região administrativa da França) também foi discutido.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ouvidoria-geral-do-estado-discute-cooperacao-tecnica-com-a-franca/

Governo de Minas: artistas de Ouro Preto levam tradição dos tapetes devocionais para a França

Arte-educadores da Fundação de Arte de Ouro Preto são os únicos da América Latina a participarem do Mine d’Art en Sentier 20

Joyce Miranda
Gabriela Rangel e César Teixeira na exposição do Centro de Arte Popular
Gabriela Rangel e César Teixeira na exposição do Centro de Arte Popular

A equipe da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop) viaja esta semana para a França a fim de participar do Mine d’Art en Sentier 2012. O evento, com a livre tradução de “Trilha de Arte de Minas”, é uma residência artística promovida na região francesa de Nord-Pas de Calais. Na programação, intervenções artísticas em land art ao ar livre por todo o Parque Natural Regional Scarpe-Escaut, disponível aos visitantes de 26 de maio a 2 de setembro. Land art é uma tendência da arte contemporânea que utiliza os materiais da natureza.

Os artistas ouro-pretanos César Teixeira e Gabriela Rangel foram convidados pela organização do evento para montarem os tapetes devocionais no Parque Natural Regional Scarpe-Escaut. Os custos de viagem dos artistas – os únicos artistas da América Latina a integrarem a iniciativa – serão pagos pelo governo de Nord-Pas de Calais.

A participação da Faop no evento francês também antecipa uma importante interação entre a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e a região francesa de Nord-Pas de Calais, que será concretizada com o termo de cooperação a ser assinado em Belo Horizonte, no dia 14 de julho. A parceria, cujo foco são as áreas de patrimônio, sítios culturais, museus, cultura digital, economia criativa, artes cênicas e música, prevê ações nas áreas de coprodução, formação e troca de experiências sobre tecnologia de gestão.

“O convite para integrar o Mine d’Art en Sentier é uma honra para a Faop, mostra a nossa força artística. É também uma grande oportunidade de estreitarmos laços e formarmos um intercâmbio cultural, possibilitando essa mobilidade de nossos artistas professores de arte com a região que tem muito em comum com Ouro Preto”, completa a presidente da Faop, Ana Pacheco, que também acompanhará os artistas durante a viagem à França.

Integração com a comunidade local

Onze artistas internacionais foram selecionados a partir de cem projetos de 18 países e vão expor seus trabalhos no espaço do parque. Já César Teixeira e Gabriela Rangel são artistas convidados com a proposta que irá abrir o Mine d’Art en Sentier, por meio da montagem de tapetes em uma área de aproximadamente 300 metros quadrados na entrada do Parque Natural Regional Scarpe-Escaut.

A montagem do tapete será coordenada por César Teixeira e Gabriela Rangel através de uma oficina destinada à comunidade local, com 40 vagas para adultos e jovens a partir de 14 anos. Dessa forma, o processo de criação colaborativo junto aos habitantes da região que participarão de uma oficina.

Gabriela Rangel e César Teixeira estão muito animados. César explica que será uma oportunidade única para que os arte-educadores possam realmente se  integrar com a população do local, já que o trabalho será feito em conjunto com os moradores em uma oficina colaborativa.

“Além de levarmos a arte dos tapetes devocionais para a França, também aprenderemos muito. Será uma rica troca de experiências que vamos trazer para o nosso trabalho no Brasil”, afirma Gabriela. A diretora também conta que será um desafio criar os tapetes, geralmente formados por serragem tingida e outros materiais como casca de arroz, em um espaço ao ar livre que ficará em exposição até setembro deste ano. “Já pesquisamos bastante os recursos que teremos disponíveis oriundos da própria região onde será o evento, como carvão, resíduos agrícolas e materiais recolhidos da natureza, utilizando a estrutura do próprio parque”, acrescenta.

Tapetes devocionais

Para os cristãos, o costume recorda a chegada de Jesus Cristo à Jerusalém. Em Ouro Preto, a tradição remete ao século XVIII, mais precisamente em 1733, com a reinauguração da matriz do Pilar, festividade que ficou conhecida como Triunfo Eucarístico, sendo aplicada também durante as Semanas Santas e outros eventos principalmente religiosos.

Os tapetes devocionais representam uma das mais significativas manifestações populares, e a Faop realiza um importante trabalho como incentivadora da continuidade dessa tradição cultural com o projeto Tapete+Arte. Todos os anos, a Fundação se une à comunidade ouro-pretana e aos turistas para a montagem dos tapetes, preparando as ruas para receberem a Procissão da Ressurreição na manhã e o domingo de Páscoa.

Além do apoio na confecção dos artefatos durante as celebrações da Semana Santa, a Fundação também faz intervenções artísticas com o tapete devocional participando de exposições em várias partes do país. Agora, a Faop ultrapassa novamente as fronteiras brasileiras, conforme fez em 2005 em Lisboa, e representa Minas Gerais no Mine d’Art en Sentier na França.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/artistas-de-ouro-preto-levam-tradicao-dos-tapetes-devocionais-para-a-franca/

Governo de Minas: expedição pretende desbravar Estrada Real

Aventureiros, que já passaram pelo Caminho de Santiago e pelo Monte Roraima, vão de Ouro Preto A Paraty

O jornalista e fotógrafo Rafael Duarte e o multiesportista e cinegrafista Jaime Portas Vilaseca, da Expedição Miramundos, estão na reta final de preparação para pedalar pela Estrada Real. Os dois já percorreram o Caminho de Santiado de Compostela, entre França e Espanha, e subiram o Monte Roraima, no extremo Norte do país. Agora, eles vão percorrer 800 km no trecho mais antigo do caminho, entre Ouro Preto (MG) e Paraty (RJ).

As informações são do jornal O GLOBO.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/expedicao-pretende-desbravar-estrada-real/

Governo de Minas: Unesco-Hidroex vai implementar Educação para Águas na Comunidade de Países de Língua Portuguesa

Acordo foi assinado no 6º Fórum Mundial da Água, em Marselha, na França

Divulgação/Sectes
Representantes da Comunidade de Países de Língua Portuguesa assinaram, na França, acordo para melhoria da gestão de recursos hídricos
Representantes da Comunidade de Países de Língua Portuguesa assinaram, na França, acordo para melhoria da gestão de recursos hídricos

Com o apoio do Unesco-Hidroex, a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) irá aperfeiçoar a sua formação para melhorar a gestão dos recursos hídricos. Reunidos no 6º Fórum Mundial da Água, em Marselha, os diretores gerais da água da CPLP assinaram acordo que prevê a implementação, em curto prazo, das ações de educação para águas promovidas pelo Unesco-Hidroex.

“Este é um documento produzido em uma reunião que o Hidroex participou, na qual os diretores de água dos países da CPLP definiram que cada um deles será o ponto focal encarregado das articulações – via CPLP ou bilateral – necessárias para o desenvolvimento de um programa de educação para as águas em cada um dos países. Nós temos o compromisso de trabalhar com os países de língua portuguesa, portanto, executaremos parte do programa, e alguns cursos serão oferecidos em parceria com o Instituto de Educação para Água (IHE) da Unesco, que orienta a implantação pedagógica do Hidroex”, explicou o presidente do Unesco-Hidroex, Octávio Elísio.

A assinatura aconteceu nesta sexta-feira (16) no Pavilhão Brasil do 6º Fórum Mundial da Água, evento que reúne mais de 140 países na busca por uma melhor gestão mundial dos recursos hídricos. Além do diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, que será o ponto focal no Brasil, assinaram o acordo dirigentes da água em Portugal, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Cabo Verde. O documento será repassado aos responsáveis em Angola, Moçambique e Timor Leste, ausentes no Fórum.

A iniciativa de implantar um programa de educação para águas é a ação inicial prevista no Plano de Formação da CPLP em Recursos Hídricos, que será encaminhado para aprovação oficial aos ministros da CPLP responsáveis pela gestão desses recursos nos seus países.

No acordo assinado pela CPLP, o Unesco-Hidroex está encarregado de atender um ou dois formandos, por país, nos seus cursos de formação. Para viabilizar todas as ações, o Brasil, por meio da ANA, irá complementar o fundo especial da CPLP de 80 mil euros, disponibilizados por Portugal, com uma contribuição de 80 mil dólares. Cada um dos países da comunidade receberá, ainda, um valor adicional de 100 mil dólares para domínio da transferência de tecnologia em recursos hídricos.

Educação para as Águas

O Hidroex é o único centro da Unesco na América Latina dedicado à excelência em águas. Criado em 2009 pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), o Hidroex conduz projetos de capacitação e formação em gestão de recursos hídricos com o apoio pedagógico do Instituto de Educação para Água (IHE) da Unesco.

Um projeto de destaque é a Floresta Escola, que já identificou novas espécies de plantas e animais na região de cerrado onde está localizada a sede da instituição, em Frutal, no Triângulo Mineiro. A estrutura do Hidroex, com laboratórios, salas multimídias e outras comodidades, oferece também cursos de educação a distância e iniciativas de educação para as águas no ensino básico local, com o objetivo de mudar o comportamento de crianças, adolescentes e adultos.

Em parceria com 12 universidades federais e privadas, além de diversas centros de pesquisa e desenvolvimento como a ANA, a Embrapa e a Cousteau Society, o Unesco-Hidroex está implementando a Cidade das Águas, um complexo que reúne instituições nacionais e internacionais no mesmo ambiente interativo focado em educação, água e pesquisa.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Cidade das Águas Unesco-Hidroex abre programação no Fórum Mundial da Água

Evento reúne delegações de mais de 140 países em busca de soluções para a gestão e preservação dos recursos hídricos

A resposta do Governo de Minas ao desafio de conservação da água – a Cidade das Águas Unesco-Hidroex – abriu nesta terça-feira (13) a programação do Pavilhão Brasil dentro do 6º Fórum Mundial da Água, em Marselha (França). No evento que deve mobilizar cerca de 30 mil pessoas até o próximo sábado (17), o Unesco-Hidroex apresentou a Educação para as Águas como grande solução para a melhoria da gestão dos recursos hídricos no planeta.

“Nós viemos mostrar o que estamos fazendo em Minas, começando pelo município de Frutal, onde a Cidade das Águas está nascendo, ancorada no Unesco-Hidroex. Apresentamos no Fórum uma experiência concreta de Educação para as Águas a partir do ensino fundamental, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE) e a Fundação Cousteau. Trata-se de uma ação inovadora que mobiliza a escola a participar do processo de recuperação do Ribeirão Frutal. Nós colocamos a criança em contato com um problema real do seu cotidiano”, destacou o presidente do Unesco-Hidroex, Octávio Elísio, acompanhado do seu vice, Alexandre Saad.

Assista ao vídeo de apresentação da Cidade das Águas e conheça todas as ações desenvolvidas pelo Unesco-Hidroex.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que inaugurou o Pavilhão Brasil nesta segunda (12), a Educação para as Águas é uma das frentes prioritárias que devem ser trabalhadas no país. “Dentre os desafios que nós temos hoje na governança da água, o maior é conseguir a participação social e o engajamento das populações, não só em torno dos problemas da água, mas também na busca de soluções. A educação é um instrumento poderoso para mudar o comportamento e influenciar decisões, e o Unesco-Hidroex tem trabalhado de maneira dedicada esta agenda. A iniciativa do Unesco-Hidroex de Educação para as Águas é concreta e coloca todos juntos em ações que influenciam a qualidade de vida do mundo”, disse a ministra.

Além de abordar a educação, o presidente do Unesco-Hidroex anunciou na sessão de abertura da programação, a aprovação, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da proposta do Hidroex, em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), de criar editais do programa “Ciência sem Fronteiras” voltados especificamente para a excelência em águas.

De acordo com Octávio Elísio, o objetivo é agilizar o processo de enviar os melhores técnicos, estudantes, professores e pesquisadores do Brasil para áreas de excelência no exterior, e trazer grandes especialistas para trabalhar na Cidade das Águas. A diretoria do Unesco-Hidroex se reune com o CNPq na próxima semana para acertar os detalhes do edital.

O “Ciência sem Fronteiras para Excelência em Águas” será possivel por meio da criação de um campus global em água, liderado pelo Institute for Water Education (IHE) da Unesco, localizado em Delft (Holanda), que orienta as ações pedagógicas de implantação do Hidroex e irá coordenar os outros 25 centros da Unesco dedicados ao estudo dos recursos hídricos no mundo.

Brasil entra na disputa para sediar a 8ª edição do Fórum

2018 pode ser o ano da água no Brasil. Durante a cerimônia de inauguração do Pavilhão Brasil, o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, anunciou a posição da presidente Dilma Rousseff e da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, de defender o nome do país para sediar o 8º Fórum Mundial da Água. E o Brasil parece ser um candidato forte.

A delegação brasileira, composta por cerca de 80 integrantes, é a maior presente no 6º Fórum Mundial das Águas. Para o diretor do Conselho Mundial da Água, Loic Fouchon – responsável pela realização do fórum – o tamanho e a diversidade da delegação, que conta com representantes da indústria, do setor agropecuário, financeiro e de P&D, representa o compromisso do Brasil com a busca de soluções para os problemas de escassez e mau uso da água.

Fonte: Agência Minas