Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: para diversificar as exportações, Governo de Minas Gerais busca novos mercados

Central Exportaminas lança o Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais, edição 2012

Leonardo Horta / SEDE
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Dorothea Werneck, afirmou nesta quarta-feira (20), em entrevista coletiva, na Cidade Administrativa, durante o lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, que o Estado está focado no planejamento para reduzir a dependência das exportações de commodities minerais, a partir da promoção de produtos com maior valor agregado, além da conquista de novos mercados.

“Estamos trabalhando para aproveitar a janela de oportunidades aberta não só para Minas Gerais, mas para o Brasil, que é a exportação de alimentos com valor agregado. Não queremos exportar apenas grãos, mas no caso da soja, por exemplo, precisamos exportar o óleo de soja e outros derivados. Portanto, nossa prioridade é antecipar e consolidar o espaço para a área de alimentos. Trata-se de um setor que está em pleno crescimento em todo o mundo”, destacou.

A estratégia para ampliar a presença de exportadores mineiros no mercado internacional vem sendo alcançada com a participação, cada vez maior, em feiras internacionais. De acordo com o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, apenas neste ano, Minas Gerais já esteve presente em seis eventos internacionais.

Para o segundo semestre a Central Exportaminas irá apoiar a participação de empresários em mais 12 feiras internacionais principalmente para os segmentos de alimentos e bebidas, frutas, café, cosméticos e higiene pessoal em países como África do Sul, Peru, Turquia, Estados Unidos, Canadá, França, Espanha, Itália e China. “O suporte dado ao empresário mineiro é o nosso primeiro desafio para desenvolver a cultura exportadora no Estado e, a partir daí aumentar nossas exportações”, enfatizou Ivan Barbosa.

Dorothea Werneck afirmou ainda que as perspectivas do comércio exterior de Minas estão ligadas à estabilidade do dólar. “Ter clareza e conhecimento do cenário internacional é fundamental no horizonte das decisões dos exportadores e no uso das ferramentas de negócios, pois a crise internacional está exigindo produtos com maior valor agregado e diversificação de mercados. De qualquer forma para o exportador o mais importante é a perspectiva de estabilidade do dólar”, destacou.

Panorama

O Panorama do Comércio Exterior apresenta os principais indicadores do comércio exterior mineiro, com base nos dados consolidados de 2011. A publicação, produzida pela equipe de inteligência comercial da Central Exportaminas, foi desenvolvida de forma a atender à crescente demanda por informações sobre a oferta de produtos e serviços de Minas para o exterior.

A análise demonstra que no ano passado houve um aumento da concentração das exportações. Os dez grupos de produtos com maior valor exportado responderam por 96,1% do total das vendas externas mineiras. Neste contexto, os produtos básicos foram responsáveis por 65,3% das vendas externas, com um aumento de 40,9% em relação ao ano de 2010. Os produtos industrializados (produtos semi-manufaturados e manufaturados) exportaram o total de US$ 14,34 bilhões, ou seja, 34,7% do total exportado.

A publicação também destaca as exportações mineiras por municípios e regiões. Apesar de a região Central ser responsável por mais da metade do total das exportações (62,5%), o maior crescimento relativo (72,3%) foi registrado na região Centro-Oeste, que representa apenas 2,7% das exportações estaduais. Os destaques foram café, açúcar, ferro fundido bruto e ferro gusa.

No ano passado, 261 municípios mineiros de todas as regiões realizaram exportações. Destes, 26 municípios participaram do comércio exterior pela primeira vez ou voltaram a exportar. A liderança ficou com Nova Lima, graças ao aumento de 183,5% das exportações de minérios metalúrgicos. No entanto, merece destaque também o município de São Gonçalo do Rio Abaixo que exportou 1.125,4% a mais de minérios metalúrgicos do que em 2010.

Novos Mercados

A publicação destaca que a conquista de novos mercados tem sido uma característica marcante do comércio exterior de Minas. Em 2011 o Estado atingiu 182 países com a conquista de sete novos destinos, como Palestina, Quirguistão, Uzbequistão, Timor Leste, Malaui, Ilha Wake e Ilhas Virgens. A China continua sendo o principal destino das exportações mineiras, atingindo 32,2%, sendo que 91,3% foram exportações de minério de ferro. Logo a seguir vem o Japão (7,9%), Estados Unidos (7,4%), Argentina (6,7%) e Países Baixos (6,6%). Já o Oriente Médio foi o bloco que apresentou o maior aumento percentual, de 62,6%, e apesar da crise, a União Européia importou US$ 2,01 bilhões a mais do que em 2010. No entanto, a Guiné Equatorial é o país que compra o maior número de produtos mineiros, totalizando 1.008 itens.

Minas Gerais ocupa a segunda posição no ranking dos maiores estados exportadores. Em 2011 foi responsável por 16,2% das exportações brasileiras. Também em relação às importações, o Estado subiu uma posição, passando do sétimo para o sexto lugar no ranking, sendo responsável por 5,8% do total importado pelo Brasil. Outro fato que marcou a balança comercial estadual no ano passado foi a diversificação da pauta exportadora. Em 2011 o Estado exportou 2.953 produtos, com um aumento de 3,2%.

A liderança ainda é mantida pelos minérios metalúrgicos, responsáveis por 47,4% das exportações do Estado em 2011. Os produtos metalúrgicos vieram em segundo lugar com 14,7%. Com um crescimento de 41,6% em relação a 2010, o grupo café e derivados ficou em terceiro lugar com 14% das exportações. Merecem destaque ainda os materiais de transporte e componentes, os metais, pedras preciosas e joalheria, produtos químicos, carnes, produtos florestais e complexo soja.

Além da posição de destaque nas exportações nacionais de produtos da cadeia mínero-metalúrgica, Minas Gerais é o maior exportador brasileiro de ferro-ligas (83,2% do total nacional); de café (66,8%); de ouro em bruto, semifaturado ou em pó (65,2%) e de fio-máquinas e barras de ferro (46,9%).

Destaque

No ano passado, 1.604 empresas mineiras fizeram operações de exportação no Estado, o que significou uma queda de 3,6% em relação a 2010. Já a participação das micro e pequenas empresas apresenta uma singularidade, ao representarem 50% do total de empresas exportadoras, mas com uma participação de apenas 0,5% do total em relação ao de exportação.

A edição 2012 do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, em versão bilíngüe (português e inglês) acaba de ser lançada pela Central Exportaminas, unidade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE) e será distribuída para empresas nacionais e estrangeiras, embaixadas e consulados no Brasil e no exterior, câmaras de comércio e outras instituições.

Os interessados podem ter acesso ao Panorama também pela internet. A publicação é atualizada por meio de edições eletrônicas mensais disponibilizadas no Portal Exportaminas (www.exportaminas.mg.gov.br).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/para-diversificar-as-exportacoes-governo-de-minas-gerais-busca-novos-mercados/

Governo de Minas: Epamig lançará livro sobre a cultura da oliveira no Brasil durante a Superagro Minas 2012

Obra contém a distribuição na América Latina, técnicas de produção e o mercado consumidor, entre outras informações.

 A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) lançará livro inédito “Oliveira no Brasil: tecnologias de produção” durante a abertura oficial da SuperAgro Minas 2012, nesta quinta-feira (7), às 11h, no Expominas, em Belo Horizonte.

O livro apresenta em 22 capítulos, escritos por pesquisadores da Epamig e instituições de pesquisa e ensino brasileiras e do exterior, temas que vão desde a distribuição da oliveira na América Latina, história de sua introdução em Minas Gerais, considerações sobre mercado consumidor, aplicações de técnicas modernas de biotecnologia, marcadores moleculares, variedades mais plantadas nos países produtores, entre outros assuntos.

De acordo com o coordenador do livro, Adelson de Oliveira, que é pesquisador da EPAMIG, o livro reúne informações técnicas que podem atender produtores, estudantes, pesquisadores e empresários. “Este livro é um marco para nós, da  EPAMIG, pois registra o sucesso das pesquisas realizadas até agora e abre caminho para maiores avanços nesta área”, comemora o pesquisador. Segundo ele, a obra contou com a colaboração de pesquisadores do Brasil, Chile, Portugal e Espanha e ainda teve o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

O livro será comercializado durante a SuperAgro 2012, na Vila da Agricultura Familiar e a partir do dia 11 de junho estará disponível no site http://www.informeagropecuario.com.br. A comercialização também pode ser feita através da Divisão de Gestão e Comercialização da EPAMIG: (31) 3489-5002 / publicacao@epamig.br. Valor: R$ 120.

Olivicultura em Minas

A Epamig é pioneira nas pesquisas sobre a oliveira. Há mais 30 anos são desenvolvidos estudos, especialmente na seleção de variedades mais adequadas às condições brasileiras e na produção de mudas de qualidade. As pesquisas sobre a oliveira estão concentradas na Fazenda Experimental de Maria da Fé com resultados promissores para o desenvolvimento da cultura no Brasil. A Epamig implantou o Núcleo Tecnológico Azeitona e Azeite, onde são desenvolvidas pesquisas sobre o comportamento de uma coleção de clones de oliveira. Alguns deles têm se destacado com florescimento e produções regulares de frutos, indicando a necessidade de realização de estudos sobre o comportamento de diferentes variedades desta espécie.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-lancara-livro-sobre-a-cultura-da-oliveira-no-brasil-durante-a-superagro-minas-2012/

Gestão Anastasia: Central Exportaminas leva o pão de queijo de Minas para o Oriente Médio

Primeiro contêiner de produtos será embarcado nesta semana

Com o apoio da Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), o pão de queijo, produto genuinamente mineiro, será exportado nos próximos dias para o mercado do Oriente Médio e, ainda este ano, também poderá ser apreciado pelos chineses. O primeiro embarque de produtos será nesta semana.

A empresa mineira Clap Industrial de Alimentos Ltda (Maricota Alimentos), que já exporta o produto para países como Estados Unidos, Espanha, Luxemburgo, Angola, África do Sul, Angola, Argentina, Chile e Peru, enviará seu primeiro conteiner (de um total de 18) para o Oriente Médio esta semana. O contrato fechado com a Arábia Saudita prevê o fornecimento de toda a linha de produtos: Pão de queijo, pizza, lasanha, quibe e outros pratos congelados durante seis meses.

“Exportaremos para a Arábia Saudita até 31 de novembro o correspondente a 3% do faturamento da Maricota, ou cerca de 300 toneladas. Nossa produção mensal é de mais de mil toneladas de pão de queijo e demais pratos prontos congelados, o que este ano deverá atingir entre 12 mil a 15 mil toneladas. Nos próximos dias uma missão de Dubai visitará a fábrica da Maricota em Luz, região Centro Oeste de Minas”, explicou o diretor de Negócios Internacionais da Maricota Alimentos, Júlio Cezar Ribeiro.

Para o executivo este é o momento de aproveitar não apenas a aceitação do produto no mercado internacional, mas também de utilizar uma ferramenta disponível no mercado mineiro que é a Central Exportaminas. “A parceria que a Central Exportaminas oferece é fundamental para quem quer entrar no mercado internacional. O empresário mineiro ainda não conhece o potencial oferecido pelo Governo de Minas”, enfatizou.

O executivo lembrou que, através da Central Exportaminas, a Maricota passou a participar também de muitos eventos internacionais e, claro, começou a se preparar para o desenvolvimento de novas embalagens e produtos, assim como a adquirir novos equipamentos para aumentar a produtividade e reduzir custos. “Não posso me esquecer de que já vencemos uma etapa fundamental para quem quer exportar tanto para a China quanto para o Oriente Médio, que é a certificação. A certificação de segurança alimentar avalia a qualidade do processo produtivo e precisa atender a todos os requisitos de um determinado mercado”, destacou Júlio Ribeiro.

De acordo com o diretor da Central Exportaminas, o sucesso destas negociações são parte do esforço da instituição para divulgar os produtos de Minas Gerais no exterior e diversificar a pauta de exportações do Estado. “O nosso trabalho visa ampliar o conhecimento sobre os produtos de Minas Gerais. Apenas neste ano, a Central Exportaminas já participou de quatro feiras internacionais voltadas para o mercado de alimentos: Fruit Logística na Alemanha; Gulf Food em Dubai, nos Emirados Árabes; Sial em Shangai, na China e Expo Alimentos em Porto Rico.

A empresa

A Maricota Alimentos tem sede em Luz, região Centro-Oeste de Minas Gerais. Emprega 400 funcionários e sua previsão é de que com novos investimentos haja um crescimento entre 10 e 15% da mão-de-obra e ampliação da produção em duas mil toneladas em dois anos.

A Maricota entrou no mercado internacional em 2009 e possui um planejamento para os próximos cinco anos, quando espera que as exportações atinjam uma participação de 20% no faturamento. A empresa irá participar ainda este ano de outros eventos internacionais como a Feira Centrallia 2012, no Canadá.

O portifólio da Maricota Alimentos inclui oito linhas de produtos, distribuídos em 37 pratos congelados como pizzas, lasanhas, pão e biscoito de queijo, salgados, entre outros.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/central-exportaminas-leva-o-pao-de-queijo-de-minas-para-o-oriente-medio/

Governo de Minas: Mineirão sediará jogo semifinal da Copa das Confederações

Caso o Brasil fique em primeiro lugar na sua chave, disputará a partida semifinal no Mineirão

Sylvio Coutinho/Secopa
O Mineirão será reinaugurado em dezembro de 2012
O Mineirão será reinaugurado em dezembro de 2012

Dois jogos na primeira fase e uma semifinal que poderá ter em campo a Seleção Brasileira. Esses são os jogos que a Fifa definiu para o Mineirão na Copa das Confederações de 2013. A tabela e o horário dos jogos foram anunciados pelo secretário geral da entidade, Jérôme Valcke, nesta quarta-feira (30), no Rio de Janeiro.

O primeiro jogo em Belo Horizonte será no dia 17 de junho, às 16h; o segundo no dia 22, às 16h; e o último, um dos jogos semifinais da competição, no dia 26, às 16h. Caso o Brasil fique em primeiro lugar na sua chave, disputará a partida semifinal no Mineirão.

“Fiquei muito satisfeito com a tabela que valorizou o estádio mais bonito do Brasil. Se a Seleção Brasileira tiver a performance que esperamos, teremos uma grande semifinal  no Mineirão”, afirmou o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sergio Barroso, que representou o Governo de Minas no evento da Fifa.

“Estaremos prontos para a Copa das Confederações nos quatro pontos principais: estádio, mobilidade urbana, hospitalidade e operação. Belo Horizonte, com certeza, será um grande palco para as três partidas, uma delas a semifinal, que esperamos seja com a Seleção Brasileira”, afirmou o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, que também acompanhou o anúncio.

Assim como Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza e Rio de Janeiro terão três partidas da Copa das Confederações. Brasília fará a abertura no dia 12 de junho e a final será no dia 30 de junho, no Rio de Janeiro.

Os times que jogarão em cada uma das sedes serão definidos até o final do ano. Por enquanto, sabe-se que Brasil, Espanha, Japão, México e Uruguai disputarão a Copa das Confederações de 2013. Faltam ainda os campeões da Europa, da África e da Oceania. O Brasil ganhou as duas últimas edições da Copa das Confederações.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/mineirao-sediara-jogo-semifinal-da-copa-das-confederacoes/

Governo de Minas: expedição pretende desbravar Estrada Real

Aventureiros, que já passaram pelo Caminho de Santiago e pelo Monte Roraima, vão de Ouro Preto A Paraty

O jornalista e fotógrafo Rafael Duarte e o multiesportista e cinegrafista Jaime Portas Vilaseca, da Expedição Miramundos, estão na reta final de preparação para pedalar pela Estrada Real. Os dois já percorreram o Caminho de Santiado de Compostela, entre França e Espanha, e subiram o Monte Roraima, no extremo Norte do país. Agora, eles vão percorrer 800 km no trecho mais antigo do caminho, entre Ouro Preto (MG) e Paraty (RJ).

As informações são do jornal O GLOBO.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/expedicao-pretende-desbravar-estrada-real/

Governo de Minas: Programa Jovem Comunicador é lançado no município de Brumadinho

O programa é voltado para o público com idade entre 14 e 24 anos e visa proporcionar aos jovens um primeiro contato com o universo midiático

Filipe Diniz
O programa é voltado para jovens com idade entre 14 e 24 anos
O programa é voltado para jovens com idade entre 14 e 24 anos

Com o apoio da Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej), por meio da Subsecretaria da Juventude, o Instituto Inhotim lançou, nesta quarta-feira (14), em Brumadinho, o programa Jovem Comunicador, voltado ao público com idade entre 14 e 24 anos, residente no município da região Central do Estado.

A ideia é proporcionar aos jovens um primeiro contato com o universo midiático e, a partir dessa iniciação, incentivá-los a produzir conteúdos de acordo com suas realidades. Para a diretora-executiva do Instituto Inhotim, Roseni Rosângela de Sena, o intuito é “despertar o senso crítico e promover a formação política dos jovens”. Para isso, serão oferecidas, a partir de 21 de março, oficinas gratuitas de blogs e redes sociais, fotografia e teatro, com duração total de 12 horas/aula para cada modalidade.

“Nossa ideia não é instrumentalizar esses jovens, e sim utilizar de tais ferramentas midiáticas para formação política e para o desenvolvimento da consciência cidadã”, salienta a diretora-executiva. Ela diz ainda que, dessa maneira, eles poderão se integrar no espaço e nos grupos em que convivem, atuando de forma participativa e propositiva, “para que sejam sujeitos históricos em todos esses espaços nos quais frequentam”.

O subsecretário da Juventude, Gabriel Azevedo, explica que o mundo tem exemplos exitosos quando o assunto é o desenvolvimento de projetos relacionados à juventude, cultura, arte e meio ambiente. “Medelin, na Colômbia, e Barcelona, na Espanha, são cidades que conseguiram protagonizar o jovem utilizando estes temas e é a partir de tais experiências que iniciamos, em Brumadinho, este programa que visa contribuir com o empoderamento de nossos jovens. Inhotim, um espaço tão rico em arte e botânica, é um ambiente propício para essa experimentação”, analisa o subsecretário.

Neste primeiro semestre, foram abertas 60 vagas destinadas aos alunos das escolas estaduais Paulina Aluotto Ferreira, Paulo Neto Alkimin e Padre Machado. As aulas serão realizadas no Centro da Juventude e no Instituto Inhotim (rua José Maria Bibiano, 381, no bairro Santa Efigênia), sempre às quartas-feiras, durante 3 meses. A analista de inclusão social e coordenadora do Jovem Comunicador, Ângela Campos, conta que os alunos terão conteúdo teórico e prático, além de infraestrutura adequada para as oficinas, com computadores, máquinas fotográficas e material didático.

José Maria Amaral Moreira Martins, de 14 anos, é um dos inscritos na oficina de teatro. “Quem fica parado não vai pra frente e por esse motivo participarei deste programa, que irá me ajudar a me comunicar melhor”, conta. Mesmo tão novo, ele já ministra palestras sobre meio ambiente e sustentabilidade na escola e participa de peças de teatro. “Meu pai é catador de papéis e, mesmo com todas as dificuldades financeiras, ele me ensinou a correr atrás. Depois desta oficina quero fazer outras”, diz o garoto.

O programa Jovem Comunicador também conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Brumadinho, por meio da Secretaria Municipal de Ação Social.

Fonte: Agência Minas