Arquivos do Blog

Governo de Minas: ESP-MG completa 66 anos de trabalho pela saúde

Escola de Saúde Pública também comemora neste domingo a marca de 160 mil alunos atendidos em seus cursos.

Divulgação / ESP-MG
Segundo vários especialistas e gestores, ESP-MG contribui para a formação de profissionais para atuarem com a saúde pública.
Segundo vários especialistas e gestores, ESP-MG contribui para a formação de profissionais para atuarem com a saúde pública.

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) completa, neste domingo(03), 66 anos de atuação na formação e valorização dos profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). A data também marca os mais de 160 mil alunos atendidos pelos cursos e o fortalecimento de parcerias com instituições importantes no âmbito do SUS em Minas Gerais.

“São 66 anos de uma Escola com uma equipe que apresenta bons resultados, uma trajetória que reflete os passos dados pela política nacional de saúde ao longo dessas décadas. A ESP-MG segue colaborando para que o SUS atinja sua plenitude”, celebra o diretora-geral da instituição, Damião Mendonça Vieira.

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, ressalta a importância da escola na formação do profissional e do gestor em saúde. “A ESP-MG demonstra ser um espaço privilegiado para a produção de conhecimento para o Sistema Único de Saúde em Minas Gerais. A formação de recursos humanos é fundamental para continuarmos avançando e a ESP-MG é a parceria privilegiada do Governo de Minas para esse desafio”, parabeniza o Secretário.

Antônio Jorge ainda destaca que nem sempre a academia tradicional é capaz de incorporar de forma satisfatória as demandas do SUS. “Como estão mais próximas do serviço, as escolas de saúde pública, como a ESP-MG, têm esse papel fundamental de atender à real demanda de formação de recursos humanos para o SUS”, avalia.

Reconhecendo a formação profissional como essencial para a consolidação do SUS, o reitor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), professor João dos Reis Canela, destaca o importante histórico de parcerias entre as duas instituições. “A ESP-MG é uma importante parceira da Unimontes. Com esse trabalho, incrementamos as ações do Centro de Educação Profissional e Tecnológica (CEPT), oferecendo novos cursos voltados para a capacitação profissional na área da saúde. Assim, manifestamos o nosso desejo de continuidade do pleno sucesso da Escola de Saúde de Minas Gerais, que, com o seu trabalho, participa diretamente do desenvolvimento do nosso estado”, lembra o reitor.

No mesmo sentido, a diretora do Centro de Pesquisas René Rachou/ Fiocruz Minas, Zélia Maria Profeta da Luz, lembra que só através das parcerias que o avanço nas discussões sobre saúde pública é possível. “Essa parceria vem de longa data, fomentando o desenvolvimento de programas, projetos e atividades no campo da pesquisa, ensino e informação técnico-científica, essenciais para a melhoria do SUS”, avalia.

Relembrando os trabalhos desenvolvidos no período em que a ESP-MG foi vinculada à Fundação Ezequiel Dias (Funed), o presidente da instituição, Augusto Monteiro Guimarães, destaca que a autonomia alcançada pela Escola não representou o fim da parceria. “Muito nos honra fazer parte da história desta Escola que tantos resultados positivos somou à Funed. Mesmo após 2007, quando a ESP conquistou sua justa e necessária autonomia administrativa, as duas instituições se mantiveram unidas a favor da construção do SUS”, pontua.

Junto com a Fundação Hemominas, a ESP-MG vem desenvolvendo cursos de formação e qualificação de profissionais. A presidente da fundação, Júnia Cioffi, destaca o Curso Técnico em Hemoterapia, que já conta com sua primeira turma. “Com a complexidade da Medicina, a hemoterapia é considerada como área estratégica, já que atua em várias patologias e especialidades. Com o apoio da ESP-MG, foi possível a realização do curso, uma demanda do SUS, que propicia aos alunos conhecerem a hemoterapia como um todo, acompanhando todo o ciclo do sangue”, comenta.

História

A trajetória da ESP-MG começou em 1946, quando o Departamento de Saúde Pública, órgão da então Secretaria Estadual de Educação e Saúde Pública, foi reorganizado. Com a exigência legal de conclusão do curso de Saúde Pública para contratação de médicos sanitaristas, houve uma tendência de especialização profissional. Em 1970, a ESP-MG passou a integrar a estrutura da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

O SUS nasce oficialmente em 1988 e encontra na escola um suporte para seu desenvolvimento, por meio de cursos técnicos, de especialização, atualização e aperfeiçoamento. Com a Lei Delegada n.º135, publicada em janeiro de 2007, a instituição conquistou a autonomia administrativa, financeira e orçamentária, ampliando suas atividades referentes à educação, à pesquisa e ao desenvolvimento institucional e de recursos humanos, no âmbito do SUS.

Nos últimos anos, a escola experimentou um crescimento robusto e sustentado, com apoio do sistema estadual de saúde. O diretor geral destaca que a perspectiva é aumentar, de forma contínua, a contribuição para o Sistema Único de Saúde.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/esp-mg-completa-66-anos-de-trabalho-pela-saude/

Anúncios

Gestão da Saúde: Curso Técnico de Hemoterapia começa nesta segunda-feira

Educação técnica de nível médio vai qualificar servidores da Hemominas

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com a Fundação Hemominas, dá início, nesta segunda-feira (14), ao Curso Técnico em Hemoterapia, inédito em Minas Gerais. Na quarta-feira (16), às 18h, no auditório da sede da ESP-MG,  avenida Augusto de Lima, 2061, Barro Preto,  a hematologista e presidente da Hemominas, Júnia Guimarães Cioffi, profere aula especial com o tema “A hemoterapia compartilhada no Estado de Minas Gerais”.

O curso terá duração de 18 meses, carga horária de 1.445 horas e será ministrado para 20 alunos, todos servidores da Hemominas, já com alguma experiência na área. O campo de atuação do profissional são os serviços de hemoterapia, tais como: hemocentros, núcleo de hemoterapia, unidade de coleta e transfusão e central de triagem laboratorial de doadores. Os profissionais terão atividades voltadas para a orientação prévia do cliente/paciente, coleta, processamento e análise do sangue e hemocomponentes. Também serão abordados conhecimentos sobre políticas de saúde, os princípios e diretrizes do SUS, aspectos históricos, sociais e culturais do sangue.

Os docentes/alunos da ESP-MG são profissionais atuantes nos serviços de Hemoterapia, com capacidade de operacionalização do curso voltado para a prática. A ESP-MG oferece ainda o Estágio Supervisionado ao final de cada unidade didática. O estágio é baseado em coleta e triagem, fracionamento, sorologia, hematologia, controle de qualidade, distribuição e transfusão. Será emitido certificado de Técnico em Hemoterapia aos participantes.

O curso piloto conta com investimentos do Ministério da Saúde, por meio do Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde (PROFAPS) e integra uma das quatro áreas de formação apontadas pelo programa, que inclui, além da Hemoterapia, Radiologia, Citologia e Vigilância em Saúde.

Segundo o diretor geral da ESP-MG, Damião Mendonça, a entidade tem concentrado seus esforços e investimentos na área de Hemoterapia, realizando importante parceria com a Hemominas. “O curso técnico em Hemoterapia vem ao encontro à meta da ESP-MG de ser referência em formação de profissionais de saúde, fortalecendo ainda mais nosso intercâmbio com a Hemominas”, salienta.

Para a presidente da Hemominas, Júnia Cioffi, o curso é importante devido a hemoterapia se inserir em toda as atividades de alta e média complexidade do SUS. “A hemoterapia está presente em cirurgias, transplantes, tratamentos quimioterápicos, entre outros. O curso propicia uma maior qualificação dos profissionais com o objetivo da melhoria no atendimento ao paciente”, conclui.

Conforme a especificidade dos trabalhos relacionados à Hemoterapia, desde a criação do Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados, em 1980, a área possui necessidade de formar um maior contingente de recursos humanos especializados na área de hemoterapia. Dessa maneira, os órgãos de regulação vêm adotando uma permanente atualização das normas técnicas e da legislação sanitária no exercício das atividades hemoterápicas, exigindo assim a formação de profissionais qualificados que integrem a equipe de saúde e atuem em todas as etapas do ciclo do sangue.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/curso-tecnico-de-hemoterapia-comeca-nesta-segunda-feira/

Gestão Anastasia: escola de Saúde Pública de Minas promove curso inédito em hemoterapia

Educação técnica de nível médio vai qualificar servidores da Fundação Hemominas

Marcos Pereira
Iara Machado Avelar, que é técnica em patologia, vê o curso como uma oportunidade de ampliar os conhecimentos
Iara Machado Avelar, que é técnica em patologia, vê o curso como uma oportunidade de ampliar os conhecimentos

Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com a Fundação Hemominas, dá início, nesta segunda-feira (14), ao Curso Técnico em Hemoterapia, inédito em Minas Gerais.  Na quarta-feira (16), às 18h, no auditório da sede da ESP-MG,  avenida Augusto de Lima, 2061, Barro Preto, em Belo Horizonte, a hematologista e presidente da Hemominas, Júnia Guimarães Cioffi, profere aula especial com o tema “A hemoterapia compartilhada no Estado de Minas Gerais”.

Realizado pela primeira vez, o curso conta com 20 alunos, todos  servidores da  Hemominas, já com alguma experiência na área e que atuam em setores variados como patologia e farmácia.

O campo de atuação do profissional são os serviços de hemoterapia, tais como: hemocentros, núcleo de hemoterapia, unidade de coleta e transfusão e central de triagem laboratorial de doadores. Com carga horária de 1.445 horas, os profissionais terão atividades voltadas para a orientação prévia do cliente/paciente, coleta, processamento e análise do sangue e hemocomponentes. Também serão abordados conhecimentos sobre políticas de saúde, os princípios e diretrizes do SUS, aspectos históricos, sociais e culturais do sangue.

A técnica de patologia clínica da Fundação Hemominas, Iara Machado Avelar, conta que a maior expectativa diante do curso será nas abordagens relacionadas as etapas que o sangue segue após ser coletado. “Espero as aulas sobre fracionamento e triagem, quero ter conhecimento avançado sobre o fluxo do sangue, ter mais contato com a realidade dos variados laboratórios do Hemominas”, afirma Iara.

Com início em 14 de maio, o curso terá duração em torno de 18 meses. Os docentes/alunos da ESP-MG serão profissionais atuantes no serviço, com uma capacidade de operacionalização do curso voltado para a prática e a Escola oferta ainda o Estágio Supervisionado ao final de cada unidade didática. O estágio é baseado em coleta e triagem, fracionamento, sorologia, hematologia, controle de qualidade, distribuição e transfusão.

De acordo com a referência técnica em Hemoterapia da ESP-MG, Sheilla Coutinho, a qualificação desses profissionais da área garantirá a melhoria no processo de trabalho. “O curso se faz necessário para que o profissional tenha um maior conhecimento de todas as etapas do ciclo do sangue – etapas de processamento, coleta, armazenamento entre outras. Somente dessa maneira alcançaremos um profissional mais completo, evitando assim o trabalho fracionado e garantindo uma visão global do processo”, afirma a coordenadora.

Segundo a coordenação do curso, o profissional de nível médio com essa formação sabe identificar os objetivos e protocolos da doação de sangue, identificar e avaliar os requisitos fisiopatológicos do candidato à doação, executar e analisar testes da triagem hematológica, caracterizar os diversos tipos de anticoagulantes e conservantes, e reconhecer as técnicas de coleta. Apesar de não ser uma profissão regulamentada, o técnico em Hemoterapia é um profissional importante nos procedimentos que visam à recuperação de pacientes portadores de patologias ou desarranjos hematológicos, através da infusão de sangue e derivados.

Enfermeira e servidora da Fundação Hemominas desde 1992, Maria Aparecida Thomáz é uma das integrantes da turma piloto. Para ela a motivação de participar do curso de Hemoterapia é melhorar os conhecimentos técnicos referentes à área dando respaldo também para a Fundação. “Com o curso, vou poder melhorar meu conhecimento técnico e principalmente desenvolver minhas funções de maneira mais completa e isso não será um ponto positivo somente para mim, a Fundação também ganha, isso porque a melhor qualificação do seu funcionário garante um profissional mais completo e capacitado a trabalhar em todos os setores”, conclui a enfermeira.

Programa de Formação de Profissionais 

Planejado com investimentos do Ministério da Saúde, por meio do Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde (PROFAPS), o curso integra uma das quatro áreas de formação apontadas pelo programa, que ainda incluem as áreas de Radiologia, Citologia e Vigilância em Saúde. A ESP-MG tem concentrado seus esforços e investimentos na área de Hemoterapia, realizando importante parceria com a  Hemominas. “O curso técnico em Hemoterapia vem ao encontro à meta da ESP-MG de ser referência em formação de profissionais de saúde, fortalecendo ainda mais nosso intercâmbio com a Hemominas”, salienta o Diretor-Geral da ESP-MG, Damião Mendonça.

Para a presidente da Hemominas, Júnia Cioffi, o curso é importante devido a hemoterapia se inserir em toda as atividades de alta e média complexidade do SUS. “A hemoterapia está presente em cirurgias, transplantes, tratamentos quimioterápicos, entre outros. O curso propicia uma maior qualificação dos profissionais com o objetivo da melhoria no atendimento ao paciente”, conclui.

Conforme a especificidade dos trabalhos relacionados à Hemoterapia, desde a criação do Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados, em 1980, a área possui necessidade de formar um maior contingente de recursos humanos especializados na área de hemoterapia. Dessa maneira, os órgãos de regulação vêm adotando uma permanente atualização das normas técnicas e da legislação sanitária no exercício das atividades hemoterápicas, exigindo assim a formação de profissionais qualificados que integrem a equipe de saúde e atuem em todas as etapas do ciclo do sangue.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-de-saude-publica-de-minas-promove-curso-inedito-em-hemoterapia/

Gestão Anastasia: oficinas no Norte de Minas qualificam agentes de controle social do SUS

As oficinas têm como proposta promover o debate sobre o SUS, visando à preservação e o avanço do controle social

Jerúsia Arruda
A oficina foi promovida, no último final de semana, nas microrregiões de Francisco Sá e Coração de Jesus
A oficina foi promovida, no último final de semana, nas microrregiões de Francisco Sá e Coração de Jesus

O Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG), em parceria com a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS-MOC) e com a Escola de Saúde Pública (ESP-MG), está realizando, em Montes Claros, no Norte de Minas, oficinas para agentes de controle social do Sistema Único de Saúde (SUS).

As microrregiões Francisco Sá e Coração de Jesus participam da etapa final das oficinas nos dias 1º e 2 de junho. Já nos dias 18 e 19 de junho, será realizada a segunda etapa das oficinas para os representantes dos municípios da microrregião Montes Claros/Bocaiuva, quando será constituído o colegiado microrregional.

No último final de semana, dias 27 e 28 de abril, participaram das oficinas os conselheiros de saúde dos municípios que compõem as microrregiões Francisco Sá e Coração de Jesus. As primeiras oficinas foram realizadas nos dia 13 e 14 de abril, reunindo conselheiros da microrregião Montes Claros/Bocaiuva.

O vice-presidente do CES-MG, Geraldo Heleno Lopes, explica que as oficinas têm como proposta promover o debate sobre o SUS, visando à preservação e o avanço do controle social. “O envolvimento da comunidade no controle, na formulação e na execução das políticas públicas de saúde é uma constante na construção do SUS. Inclusive, foi através de emenda popular que o direito à saúde para todos foi inserido na Constituição de 1988. Por isso, precisamos manter a integração com os Conselhos Municipais de Saúde, que certamente são a instância máxima de deliberação do SUS, para consolidar e avançar a saúde pública no país”, observa Geraldo Heleno.

Para a superintendente regional de Saúde de Montes Claros, Olívia Pereira de Loiola, a qualificação dos conselheiros possibilitará uma melhor atuação dos conselhos municipais, fortalecendo o controle social do SUS. “A função do conselheiro de saúde é solidária, cidadã, mas é preciso estar preparado para exercê-la com conhecimento e discernimento. A saúde pública é uma pauta que se renova a cada dia e esse intercâmbio de informações proporcionado pelas oficinas é importante”, avalia Olívia.

Dinâmica

Os 53 municípios sob jurisdição da SRS-MOC estão agrupados em cinco microrregiões. Cada micro participará das oficinas em dois finais de semana, com cinco representantes dos conselhos de saúde de cada município. A oficina aborda assuntos como planejamento e organização do SUS, reforma sanitária, história das políticas públicas de saúde, atribuições do Conselho Municipal de Saúde, recursos financeiros, planejamento orçamentário em saúde, entre outros.

Ao final da segunda etapa das oficinas, serão indicados dois conselheiros de cada município para integrar o colegiado microrregional que, segundo Geraldo Heleno, tem como objetivo promover o alinhamento das ações junto ao Conselho Estadual de Saúde.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/oficinas-no-norte-de-minas-qualificam-agentes-de-controle-social-do-sus/

Governo de Minas: Regional de Ubá promove Curso Técnico em Saúde Bucal

O curso, que terá duração de um ano e meio, conta com a participação de 18 municípios

Graziele Martins
O curso começou nessa terça (24) e vai até esta sexta-feira (27)
O curso começou nessa terça (24) e vai até esta sexta-feira (27)

O Núcleo de Atenção Primária à Saúde (NAPRIS) da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá, na Zona da Mata, realiza, até esta sexta-feira (27), a primeira semana do Curso Técnico de Saúde Bucal. O curso, que terá duração de um ano e meio e será ministrado pelos professores odontólogos Alexandre Rocha Azevedo e Otávio de Assis Campos, conta com a participação de 18 municípios que compõem a Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá.

O curso tem como objetivos formar técnicos em saúde bucal para ampliar a modalidade das equipes já existentes nos municípios e aumentar o repasse do incentivo financeiro oferecido pelo Ministério da Saúde. Os alunos, por meio da abordagem teórica, aplicam esses conhecimentos nos serviços prestados à comunidade.

“O curso vem preencher uma lacuna existente em nossa unidade regional de profissionais técnicos capacitados e motivados para o serviço da saúde bucal dos municípios. Ele vai acrescentar mais conhecimento na atenção à saúde bucal de nossa região”, declarou a assistente local Gianni Marcelino Gori Abranches.

O Curso Técnico de Saúde Bucal é organizado pela Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com o Ministério da Saúde.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/regional-de-uba-promove-curso-tecnico-em-saude-bucal/

Gestão Anastasia: Escola de Saúde Pública de Minas inaugura curso para supervisores clínicos

Capacitação fortalecerá as redes de atenção em saúde mental do Estado

Marcos Pereira
Curso de Formação de Supervisores Clínico-Institucionais foi lançado nesta segunda
Curso de Formação de Supervisores Clínico-Institucionais foi lançado nesta segunda

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), inaugurou, nesta segunda-feira (23), o Curso de Formação de Supervisores Clínico-Institucionais da Escola de Supervisores da Rede de Atenção em Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Estado de Minas Gerais.

O curso, que terá aulas ministradas em Belo Horizonte, é um espaço de formação de novos gestores e supervisores clínico-institucionais que atuam na rede de atenção psicossocial, que é voltada ao tratamento de usuários de álcool e drogas.

Na aula inaugural, o coordenador do Curso de Formação de Supervisores Clínico-Institucionais, Marcelo Arinos, destacou a atuação estratégica dos supervisores dentro das políticas de saúde mental do Estado. “Essa nova atividade irá promover a qualificação de um ator importante para o modelo de atenção em saúde mental”, salientou.

Para o especialista em Política e Gestão da Saúde da Coordenadoria de Saúde Mental da SES, Fernando Ribeiro Andrade, a formação de novos supervisores fortalece as redes de atenção em saúde mental. “Há uma disseminação muito grande do álcool e outras drogas em nossa sociedade. Essa iniciativa representa uma democratização das redes de atenção”, pontuou.

A coordenadora do Grupo de Produção Temática em Saúde Mental da ESP-MG, Ana Marta Lobosque, lembrou que “o diálogo é essencial para o funcionamento das redes de atenção”. “O diálogo entre as diferentes esferas institucionais é a melhor forma de melhorar os instrumentos de atenção em saúde mental”, comentou Ana Marta.

Atenção psicossocial

O Curso de Formação de Supervisores contará com 14 encontros mensais na ESP-MG durante oito meses, totalizando 112 horas/aula. A metodologia inclui a realização de seminários e oficinas.

O supervisor Clínico do Centro de Apoio Psicossocial, Álcool e outras Drogas (CAPS-AD) de Conselheiro Lafaiete, Fernando Vidal, acredita que o curso fomentará a interlocução em torno do assunto. “Espero ampliar o saber e o fazer da atenção psicossocial, especificamente na problemática do álcool e outras drogas, reforçando a opção antimanicomial”, disse.

Criado em 2010, a Escola de Supervisores da Rede de Atenção em Saúde Mental, Álcool e outras Drogas é um novo campo de prática e produção de conhecimento integrado aos Centros de Atenção Psicossocial e às redes de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-de-saude-publica-de-minas-inaugura-curso-para-supervisores-clinicos/

Governo Anastasia: encontro na Escola de Saúde discute atenção à saúde materna

Redes de saúde integrada são apresentadas como uma das formas da humanização da saúde

Marcos Pereira
Profissionais discutem melhoras para o programa Rede Viva Vida/Programa Mães de Minas
Profissionais discutem melhoras para o programa Rede Viva Vida/Programa Mães de Minas

O Grupo interinstitucional de políticas de humanização (GIPH) da secretaria de estado de saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveu uma reunião, na escola de saúde pública de Minas Gerais (ESP-MG), terça-feira (17), com o objetivo de discutir a articulação entre a Rede Viva Vida/Programa Mães de Minas e a Política Nacional de Humanização. Trata-se de um fórum de discussão sobre as políticas de humanização no estado, com a presença de profissionais das secretarias municipais e das superintendências e gerências regionais de saúde.

O encontro contou com palestra do pediatra e assessor de normalização da atenção à saúde da SES-MG, Marco Antônio Bragança de Matos, que apresentou as redes de atenção integrada, como estratégia de humanização da saúde. “A humanização só será uma realidade quando a saúde gerar valor ao usuário e tiver como foco a sua satisfação. O cumprimento de metas e portarias deve levar em conta esses aspectos”, afirma.

Segundo o assessor, o aumento dos casos de doenças crônicas e seus fatores de risco, como tabagismo, sobrepeso, sedentarismo, uso excessivo de álcool e outras drogas e alimentação inadequada, traz novos desafios para os profissionais de saúde. “É preciso criar formas de enfrentamento mais incisivas, sempre levando em consideração as necessidades do paciente”, pontua.

Nesse contexto, a Rede Viva Vida/Programa Mães de Minas apresenta um papel fundamental. “A atenção à saúde materna deve ser pensada de forma integrada, sendo organizada a partir das necessidades das pacientes e auxiliando na fixação e continuidade da assistência”, acredita Marco Antônio.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/encontro-na-escola-de-saude-discute-atencao-a-saude-materna/

Gestão em Minas: Escola de Saúde inicia parceria com Arquivo Público Mineiro

Objetivo é melhorar a conservação de seus documentos e registros da escola

Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) recebeu a visita dos diretores do Arquivo Público Mineiro (APM) para selar a parceria com o objetivo de melhorar a conservação de seus documentos e registros. A primeira fase da parceria se inicia com a formação de uma Comissão de Gestão de Documentos. Para que todos entendam sobre a manutenção e temporalidade dos documentos, essa comissão deverá se constituir por membros das unidades administrativas da escola.

A coordenadora do Arquivo e Protocolo da ESP-MG, Mônica de Siqueira Ferraz, afirma que a escola já começou a caminhar para alcançar melhorias, beneficiando também o trabalho e o acesso aos documentos no futuro. “Os arquivos da ESP-MG guardam a memória da instituição, portanto, saber conservar de maneira correta é uma melhoria para todos, afinal, são 65 anos de história”, afirma.

Arquivo Público Mineiro

O acervo do Arquivo Público Mineiro é constituído por documentos produzidos e acumulados por órgãos da Administração Pública de Minas Gerais e por arquivos privados, abrangendo desde o século XVIII até o século XX. Além de manuscritos e impressos, reúne mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos.

A Biblioteca do Arquivo Público Mineiro, com cerca de 12.000 títulos, destina-se ao atendimento da pesquisa institucional para organização de acervos e suporte à pesquisa de seus usuários.

Fazem parte do acervo publicações técnicas de arquivos e bibliotecas, anais e anuários de órgãos públicos estaduais e federais, mensagens e relatórios do governo mineiro, legislação estadual e federal, biografias, genealogias, bibliografia e um número relevante de livros, periódicos e folhetos sobre a história de Minas Gerais, do Brasil e do Império Português.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-de-saude-inicia-parceria-com-arquivo-publico-mineiro/

Governo de Minas: municípios mineiros participam da Semana de Mobilização Saúde na Escola

Dos 330 municípios participantes do Saúde na Escola, 230 aderiram ao programa só em Minas Gerais

Entre os dias 5 e 9 de março, acontece em todo o país a Semana de Mobilização Saúde na Escola, com o tema Prevenção e Obesidade. A iniciativa é uma parceria dos ministérios da Saúde e Educação e tem o objetivo de informar aos municípios as diretrizes dos ministérios. Em Minas Gerais, 30 municípios-pólo participaram, na última semana, de uma videoconferência, organizada pela Escola de Saúde Pública (ESP-MG).

A pesquisadora da ESP Maria Nogueira, integrante do grupo gestor estadual do Programa Saúde na Escola, organizou o encontro entre os municípios. De acordo com Maria, dos 330 municípios participantes do Saúde na Escola, 230 aderiram ao programa só em Minas Gerais. Em cada município, pelo menos uma escola estadual deverá participar das ações. “As atividades desenvolvidas nesse período serão a avaliação antropométrica, visitas guiadas dos familiares às unidades básicas de saúde e, ainda, ações relacionadas ao componente de promoção à saúde do programa: cultura de paz, alimentação saudável, atividade física, saúde sexual e reprodutiva”, falou.

A semana vai possibilitar pesquisas para diagnosticar a obesidade nos escolares de 5 a 19 anos, além de incentivar as boas práticas de saúde e fortalecer as políticas públicas destinadas aos jovens. A abertura da semana, em Belo Horizonte, começa no Colégio Oswaldo Cruz, localizado na região Oeste da capital, com a participação de integrantes do grupo de gestores estadual, composto pelas secretarias de Estado de Educação (SEE), e de Saúde (SES) e ESP-MG.

Fonte: Agência Minas

Gestão da Saúde: abertas as inscrições para designação e cadastro de reserva para médicos

Secretaria de Estado de Saúde recebe inscrições até 16 de março

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) abre, nesta quinta-feira (16), inscrições para o processo de seleção interna para a designação de servidores e cadastro de reserva para médicos.

Para participar, o candidato precisa ser ocupante de cargo de provimento efetivo ou função pública, lotado em órgão ou entidade integrante do Sistema Estadual de Gestão da Saúde: SES-MG, Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Fundação Ezequiel Dias (Funed), Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Minas Gerais (Hemominas) e Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), ou, ainda, ser ocupante de cargo de provimento efetivo ou detentor de função pública de órgão ou entidade municipal, estadual ou federal integrante do Sistema Único de Saúde (SUS).

As inscrições estão disponíveis até 16 de março, no site http://www.saude.mg.gov.br, e os cargos são para coordenador Estadual e Médico Plantonista, ambos na área de Regulação de Assistência à Saúde da SES.

Atribuições

Dentre as atribuições a serem exercidas pelo coordenador Estadual, estão: zelar pelo cumprimento de rotinas, protocolos técnicos e operacionais; monitorar o conjunto de indicadores de atendimento e demandas pendentes; avaliar a capacidade/habilidade das equipes das Centrais de Regulação, identificando a necessidade de orientação, capacitação e remanejamento, etc. A remuneração é de R$ 5.500, para uma carga horária de 40 horas semanais.

Já os médicos plantonistas irão decidir no âmbito de sua macrorregião o destino ambulatorial ou hospitalar do paciente, baseado na planilha de hierarquias pactuada, disponível para a região e nas condições de atendimento nos serviços de assistência à saúde; acionar o médico plantonista da macrorregional mais apropriada nos casos em que não houver possibilidade de atendimento em sua macrorregião, devendo esta impossibilidade ser atestada pelo médico plantonista responsável, entre outras. A carga horária é de 24 horas semanais, e a remuneração de R$ 3.300 reais.

A seleção será realizada em três etapas. Na primeira será feita a análise de requisitos e títulos. A segunda será uma entrevista e a terceira, curso de Formação. O candidato poderá alcançar no máximo 100 pontos, sendo 40 pontos para certificados e experiência profissional, e 60 para entrevista.

Fonte: Agência Minas