Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: Sul de Minas recebe a 15ª edição da Expocafé

Aproximadamente 150 empresas brasileiras e estrangeiras irão participar do evento que aborda como a negociação do café com o mercado externo

A abertura ofical da 15ª edição da Expocafé, em Três Pontas, no Sul do Estado,  feira considerada a maior do país, será na quarta-feira (20) e terá a presença do do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Elmiro Nascimento.

O evento abodará importantes temas relacionados ao setor, como a exportação e as vantagens de negociar com o mercado externo, o menejo mecanizado, custos, agricultura e cafeicutura de precisão, mecanização de lavouras adensadas e de montanha.

Além de workshops, a programação terá dinâmicas de campo e cursos de capacitação para operadores de máquinas e exposição de equipamentos e insumos. Cerca de 150 empresas participam do evento, que espera receber um público de todo o Brasil, além de países da América do Sul, América do Norte e Europa, e representantes dos diferentes elos da cadeia produtiva.

Para o secretário Elmiro Nascimento, a Expocafé representa uma grande oportunidade de estímulo ao empreendedorismo, sendo um espaço para a realização de contatos, parcerias e ampliação de negócios. “A feira aumenta a participação da cadeia produtiva do café, possibilitando a expansão das divisas comerciais dos municípios mineiros”, avalia o secretário.

A 15ª Expocafé vai até o dia 22 de junho, na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), que é a organizadora da feira.

Café em Minas Gerais

Minas Gerais ocupa a liderança na produção de café no país. Para 2012, a safra prevista deverá ficar entre 25,5 milhões e 27,1 milhões de sacas, o correspondente a 51,9%, da produção nacional. No ano passado, os cafeicultores mineiros exportaram o equivalente a US$ 5,8 bilhões, ou seja, 59,8% de toda a exportação do agronegócio mineiro (US$ 9,7 bilhões).

O Sul do Estado é o maior produtor do grão em Minas. Segundo dados do IBGE, a safra prevista para a região neste ano é de 11,4 milhões de sacas, o que corresponde a cerca de 44% da produção mineira. Três Pontas é o segundo maior produtor de Minas Gerais. Para 2012, a estimativa é que o município produza cerca de 550 mil sacas de café.

Serviço:

Abertura oficial da 15ª Expocafé

Data: 20 de junho (quarta-feira)

Horário: 10 horas

Local: Fazenda Experimental da Epamig – Rodovia Três Pontas/Santana da Vargem  –  Zona Rural  – Três Pontas (MG)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/sul-de-minas-recebe-a-15a-edicao-da-expocafe/

Anúncios

Governo de Minas: Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira marca início da Expocafé 2012

A partir desta quarta-feira (20), a 15ª edição feira será aberta ao público

A 15ª edição da Expocafé na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no Sul de Minas, começa nesta terça-feira (19) e prossegue até o dia 22 de junho. O 3º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, promovido pela Epamig, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), abre a programação. O evento, que é exclusivo para participantes previamente inscritos, vai abordar temas como manejo mecanizado, custos, agricultura e cafeicultura de precisão e mecanização de lavouras adensadas e de montanha.

A partir desta quarta-feira (20), às 8h, a feira será aberta ao público, com a realização da exposição de equipamentos, máquinas e insumos, e de eventos paralelos, como as dinâmicas de campo; os cursos de capacitação para operadores de máquinas; a Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) com o tema “A política econômica para o setor cafeeiro e suas perspectivas, gargalos, dificuldades e metas para fortalecimento do setor”; o workshop “O mercado externo ao alcance do produtor mineiro”, da Central Exportaminas, apresentado pela Coordenadoria de Comércio Exterior da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico; e o seminário “Exportar é inovar”, promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção, Exportação e Investimento (APEX).

Audiência Pública ALMG

A Audiência Pública da ALMG na Expocafé será realizada na quinta-feira (21), a partir das 10h. O evento será aberto com a palestra “O novo código florestal e os impactos na sustentabilidade da cafeicultura”, do deputado federal Paulo Piau, que é relator do texto do Novo Código. Em seguida, o Banco do Brasil e a Emater-MG apresentarão linhas de financiamento para o pequeno produtor. O encerramento da audiência acontece com pronunciamentos dos deputados integrantes da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia, responsáveis pela audiência.

Expocafé 2012

Data: 19 a 22 de junho de 2012

Horário: 8h às 18h

Local: Fazenda Experimental da Epamig em Três Pontas – Rodovia Três Pontas/Santana da Vargem, Zona Rural de Três Pontas (Sul de Minas Gerais).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simposio-de-mecanizacao-da-lavoura-cafeeira-marca-inicio-da-expocafe-2012/

Governo de Minas: pesquisadores apresentam trabalhos em seminário de iniciação científica e tecnologia da Epamig

Foram 11 estudos apresentados entre os 93 desenvolvidas nas unidades regionais da empresa.

Erasmo Reis / Epamig
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.
Philipe Corcino e seu orientador José Mário Lobo (esq.) apresentaram o uso de geoprocessamento na avaliação de desempenho ambiental de estabelecimentos rurais, trabalho que será apresentado na Rio + 20.

O 9º Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), realizado nos dias 13 e 14 de junho, em Belo Horizonte, reuniu pesquisadores, bolsistas e chefes de centros de pesquisa da empresa. Foram apresentados 11 trabalhos escolhidos entre os 93 desenvolvidos nas unidades regionais. Entre os temas dos estudos estão assuntos como geoprocessamento na agricultura para avaliação ambiental e socioeconômica, genótipos de arroz irrigado, qualidade microbiológica do leite e da água, resíduos gerados na produção de queijo artesanal, dentre outros.

Durante a abertura do seminário, o secretário-adjunto da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Evaldo Vilela, palestrou sobre a importância da iniciação científica para a pesquisa. Orientador de mais de 70 estudantes da iniciação científica, o professor Vilela contou um pouco da sua experiência com estudantes que se dedicaram à metodologia científica e obtiveram êxito.

Entre os trabalhos de destaque, está o do estudante do sétimo período de Agronomia Philipe Corcino. Ele apresentou o tema “Uso do geoprocessamento na avaliação do desempenho ambiental de estabelecimentos rurais”, orientado pelo pesquisador José Mário Lobo. O estudo avaliou 100% da área de uma propriedade de pequeno porte no município de Boa Esperança, no Sul de Minas. A pesquisa propõe o uso do geoprocessamento no auxílio não apenas na regularização ambiental da propriedade, como também no auxílio ao produtor na orientação da tomada de decisão na gestão rural.

“A ferramenta utilizada nesse estudo é acessível, simples e possibilita ao produtor identificar riscos, pontos críticos e oportunidades em sua propriedade”, avalia. O estudante contou que a partir da experiência e dos conhecimentos adquiridos na área de geoprocessamento, através da bolsa de iniciação científica da EPAMIG, foi selecionado como estagiário da Vale, na área de geoprocessamento ambiental. O trabalho também será apresentado na Rio + 20.

A avaliação dos resíduos gerados na produção de queijo artesanal da Serra da Canastra e seus destinos foram apresentados pela estudante Valkíria Moreira. Foram coletadas amostras de efluentes em 2010 e 2011 em seis queijarias para análises físico-químicas e bioquímicas. “Percebemos a carência de informações que atinge os produtores de queijo da Serra da Canastra. A falta de informação e o baixo poder aquisitivo da maioria dos produtores contribui para que não haja a preocupação efetiva com medidas de redução de consumo de água”, conclui.

Redação Científica

No segundo dia, o pesquisador da EPAMIG Rogério Vieira apresentou aspectos importantes de um artigo científico. Ele apresentou modelos de artigos que são exigidos por revistas científicas. Rogério é autor do livro “Dicionário de dúvidas e dificuldades na redação científica”, lançado pela EPAMIG em 2011, após 20 anos de pesquisa e trabalho. O livro reúne os principais aspectos que dever ser abordados pelos pesquisadores em suas produções intelectuais. “Desde a época da redação da minha dissertação venho anotando erros que cometi e suas devidas correções. Mais tarde, com mais experiência, a esses erros acrescentei outros que encontrei nas dissertações e teses em que participei como membro de banca examinadora”, conta.

O livro pode ser adquirido na Divisão de Gestão de Comercialização da EPAMIG, através do e-mail publicacao@epamig.br ou do telefone (31) 3489- 5002. A publicação custa R$ 70.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pesquisadores-apresentam-trabalhos-em-seminario-de-iniciacao-cientifica-e-tecnologia-da-epamig/

Governo de Minas: Epamig lançará livro sobre a cultura da oliveira no Brasil durante a Superagro Minas 2012

Obra contém a distribuição na América Latina, técnicas de produção e o mercado consumidor, entre outras informações.

 A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) lançará livro inédito “Oliveira no Brasil: tecnologias de produção” durante a abertura oficial da SuperAgro Minas 2012, nesta quinta-feira (7), às 11h, no Expominas, em Belo Horizonte.

O livro apresenta em 22 capítulos, escritos por pesquisadores da Epamig e instituições de pesquisa e ensino brasileiras e do exterior, temas que vão desde a distribuição da oliveira na América Latina, história de sua introdução em Minas Gerais, considerações sobre mercado consumidor, aplicações de técnicas modernas de biotecnologia, marcadores moleculares, variedades mais plantadas nos países produtores, entre outros assuntos.

De acordo com o coordenador do livro, Adelson de Oliveira, que é pesquisador da EPAMIG, o livro reúne informações técnicas que podem atender produtores, estudantes, pesquisadores e empresários. “Este livro é um marco para nós, da  EPAMIG, pois registra o sucesso das pesquisas realizadas até agora e abre caminho para maiores avanços nesta área”, comemora o pesquisador. Segundo ele, a obra contou com a colaboração de pesquisadores do Brasil, Chile, Portugal e Espanha e ainda teve o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

O livro será comercializado durante a SuperAgro 2012, na Vila da Agricultura Familiar e a partir do dia 11 de junho estará disponível no site http://www.informeagropecuario.com.br. A comercialização também pode ser feita através da Divisão de Gestão e Comercialização da EPAMIG: (31) 3489-5002 / publicacao@epamig.br. Valor: R$ 120.

Olivicultura em Minas

A Epamig é pioneira nas pesquisas sobre a oliveira. Há mais 30 anos são desenvolvidos estudos, especialmente na seleção de variedades mais adequadas às condições brasileiras e na produção de mudas de qualidade. As pesquisas sobre a oliveira estão concentradas na Fazenda Experimental de Maria da Fé com resultados promissores para o desenvolvimento da cultura no Brasil. A Epamig implantou o Núcleo Tecnológico Azeitona e Azeite, onde são desenvolvidas pesquisas sobre o comportamento de uma coleção de clones de oliveira. Alguns deles têm se destacado com florescimento e produções regulares de frutos, indicando a necessidade de realização de estudos sobre o comportamento de diferentes variedades desta espécie.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-lancara-livro-sobre-a-cultura-da-oliveira-no-brasil-durante-a-superagro-minas-2012/

Gestão Anastasia: miniusina leva tecnologia em laticínios da Epamig para eventos em Minas e em São Paulo

Miniusina coordenada pelo ILCT irá reproduzir o funcionamento de uma indústria de lácteos, desde a análise da matéria-prima até a distribuição.

Ana Cristina Ajub – EPAMIG/ILCT
Equipamentos da miniusina que foram recuperados
Equipamentos da miniusina que foram recuperados

A tecnologia de fabricação de queijos, bebidas lácteas e iogurtes desenvolvida pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) será uma das atrações da 31ª Expô Janaúba, no Norte de Minas, que acontece no período entre sexta-feira (1) e domingo (10), e da Fispal Tecnologia, feira internacional que reúne empresas de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebida entre terça-feira (12) e sexta-feira (15), em São Paulo. A miniusina Via Láctea, coordenada pelo Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT), vai reproduzir para o público o funcionamento de uma indústria de lácteos, desde a análise da matéria-prima até a distribuição do produto.

Em um estande de vidro, a Via Láctea permite que o público acompanhe passo a passo todo o processo de produção de laticínios, em pequena escala, ao mesmo tempo em que um técnico da EPAMIG responde às perguntas do público, que participa de visitas direcionadas. Ao final, os visitantes degustam os produtos e recebem informações sobre como produzir, quais os equipamentos necessários, a importância da higiene na produção e na qualidade dos alimentos, explica a coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia do ILCT, Luiza Albuquerque.

Na Expô Janaúba, a previsão é processar, diariamente, cerca de 200 litros de leite para a fabricação de iogurte, bebidas lácteas, leite aromatizado de morango, pêssego e ameixa, mussarela, queijo Minas frescal e uma novidade, o queijo Minas frescal com carne seca, um dos alimentos mais tradicionais do Norte de Minas. Já na Fispal, que acontece no Anhembi, a Via Láctea irá processar mil litros de leite durante os quatro dias da feira.

Equipamentos reformados

A Via Láctea é um projeto itinerante do ILCT e, este ano, as atividades ganharam novo impulso com a reforma dos equipamentos que servem à miniusina. Por meio de parceria com a empresa Mirainox, o tanque de expansão, o resfriador, a fermenteira e as três mesas de aço foram recuperados, permitindo que os produtos lácteos sejam fabricados com mais segurança e eficiência, ressalta Luiza Albuquerque. “A ótima receptividade do projeto pode ser mensurada tanto pelo número de visitantes que passa pelo estande da EPAMIG durante os eventos em que a miniusina participa, quanto pela grande procura de pessoas interessadas em participar dos eventos técnicos que o Instituto realiza durante o ano”, afirma.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/miniusina-leva-tecnologia-em-laticinios-da-epamig-para-eventos-em-minas-e-em-sao-paulo/

Gestão Eficiente: Sementes de milho – vendas externas de Minas batem recorde

Estado é o segundo no ranking brasileiro, com participação de 23,2%

Emater-MG / Divulgação
Exportações mineiras de sementes de milho, entre janeiro e abril de 2012, somaram US$ 13,2 milhões
Exportações mineiras de sementes de milho, entre janeiro e abril de 2012, somaram US$ 13,2 milhões

As exportações mineiras de sementes de milho, entre janeiro e abril de 2012, somaram US$ 13,2 milhões, valor 36,2% superior ao registrado no primeiro quadrimestre de 2011. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e, de acordo com avaliação da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), mostram o melhor momento do período nos últimos doze anos.

De acordo com a assessora técnica da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Seapa Márcia Aparecida de Paiva Silva, os resultados apresentados elevam o Estado à segunda posição no ranking brasileiro, que em 2011 era o terceiro, das exportações de sementes de milho, com a parcela de 23,2% do total das vendas brasileiras no exterior. “O primeiro colocado, Goiás, respondeu por 23,7% da comercialização do produto no mercado mundial”, informa.

No primeiro quadrimestre, foram embarcadas 3,3 mil toneladas de sementes, volume 18,7% superior ao do primeiro quadrimestre do ano passado. Márcia Silva assinala também a crescente valorização do produto, que alcançou  no exterior a cotação média de US$ 4,0 mil a tonelada, aumento de 14,7% em relação ao mesmo período de 2011. Ela diz que o valor médio recebido pela exportação de sementes de milho é 1.507,8% superior ao preço médio do milho em grão (exceto para semeadura) exportado pelo Estado, referente a US$ 251,39 a tonelada.”

Para a assessora, a evidência de maior valor agregado da semente de milho, em relação ao milho em grão, possibilita uma situação positiva ao produtor. O aumento da exportação de produtos com maior valor agregado impulsiona as receitas.

Boa aceitação

A expansão das vendas externas de sementes de milho é consequência também da crescente aceitação do produto no mercado internacional. Segundo Márcia Silva, os negócios estão sendo beneficiados por mecanismos estimulantes da produção, como o melhoramento genético. Por isso, os produtores de sementes de milho devem reconhecer a importância do investimento na biotecnologia, essencial para ampliar a conquista de mercados.

Neste caso a assessora técnica destaca a atuação da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), vinculada à Seapa, que realiza pesquisas voltadas para o desenvolvimento de tecnologias de produção e aumento da competitividade dos produtos mineiros no mercado nacional e internacional.

Os principais destinos das sementes de milho produzidas em Minas, nos quatro primeiros meses de 2012, foram os países latino-americanos: Venezuela, Paraguai, Peru e Equador. Para estes países foram destinadas 90,0% das vendas externas do Estado. Nesse grupo teve destaque o aumento das importações peruanas, que cresceram 285,8% em relação ao último ano.

“À exceção de Nigéria e Guiné Equatorial, sexto e sétimo colocados entre os principais destinos, todos os outros seis mercados das sementes de milho mineiras foram latino-americanos”, informa a assessora. Ainda de acordo com Márcia Silva, o estabelecimento de parcerias e relações comerciais com nações não consideradas destinos tradicionais (Alemanha, Estados, Itália e Japão, por exemplo) contribui para a diversificação de mercados, diluindo os riscos provenientes da concentração em determinados importadores.

Na avaliação da assessora, o mercado internacional de sementes de milho apresenta uma perspectiva positiva para o cultivo em Minas. Ela considera que o investimento em produtos da agricultura não incluídos no grupo que alcança as maiores receitas cria alternativas diante dos problemas que ocorrem, muitas vezes, por causa da concentração da cesta exportadora.

“Crises internacionais e restrições técnicas fazem parte dos fatores que podem desestimular as exportações, e os principais produtos atingidos, normalmente, são os que apresentam maior participação no mercado internacional”, enfatiza Márcia Silva.

Outro ponto importante, na avaliação da assessora, é que a comercialização de semente de milho pode ser classificada como venda de tecnologia. “Ao exportar o produto, além de obter maior remuneração, os exportadores investem em um nicho específico, sem interferir no abastecimento interno do milho em grão, exceto para semeadura, amplamente utilizado na alimentação humana e animal,” finaliza.

Sementes de milho/MG para exportação

Período: Jan/abril 2012

Principais destinos: Venezuela, Paraguai, Peru e Equador

Receita: US$ 13,2 milhões (+ 36,2%)

Participação de MG/Brasil: 23,2%

Volume: 3,3 mil t (+18,7%)

Preço médio/t: US$ 4,0 mil (+14,7%)

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/sementes-de-milho-vendas-externas-de-minas-batem-recorde/

Gestão Anastasia: atividades marcam a 8ª Semana Nacional do Alimento Orgânico em Minas

Epamig promove ações em regiões diversifcadas do Estado entre os dias 29 de maio a 2 de junho

Mariana Penaforte / Ascom EPAMIG
No Brasil a área de orgânicos é de 1,5 milhão de hectares
No Brasil a área de orgânicos é de 1,5 milhão de hectares

Para marcar as comemorações da 8ª Semana Nacional do Alimento Orgânico a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) realiza entre esta terça-feira (29) a sábado (02) em várias regiões do estado atividades para a promoção da agricultura orgânica. As ações serão realizadas em Belo Horizonte, Juiz de Fora e Viçosa. Na capital os visitantes poderão conhecer pesquisa agropecuária e publicações técnicas no estande da EPAMIG na Fundação Zoobotânica, além visitarem o canteiro de hortaliças e plantas medicinais naquela Fundação, em Belo Horizonte. Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, serão apresentados os desafios na produção de lácteos orgânicos. Já em Viçosa, também na Zona da Mata, os temas das palestras do primeiro dia da programação são: controle biológico de pragas, café orgânico e boas práticas na produção de alimentos orgânicos.

O objetivo do evento é oferecer informações sobre os produtos e os sistemas de produção de orgânicos, que têm como base princípios agroecológicos. A proposta é disseminar os benefícios ambientais, sociais e nutricionais dos orgânicos para a população. A conscientização do consumidor é um dos fatores que ajuda a aumentar o número de produtores orgânicos. A grande parte é constituída por agricultores familiares responsáveis diretamente pelo manejo e trato da terra e pelo cuidado na preservação de outros recursos naturais, como a água. Atualmente, a área de orgânicos no Brasil é de 1,5 milhão de hectares.

Durante esta 8ª Semana Nacional do Alimento Orgânico as Unidades Regionais da EPAMIG também terão programação especial: Na sexta-feira (1) e no sábado (2) a EPAMIG Norte de Minas realizará visitas à horta orgânica durante a 31ª ExpoJanaúba no circuito da Agricultura Familiar. Técnicos da EPAMIG apresentarão aspectos referentes ao cultivo de hortaliças orgânicas e os benefícios dos alimentos orgânicos para a saúde da população. A EPAMIG Zona da Mata realizará palestras também na quarta-feira (30) sobre agroecologia, café orgânico, boas práticas na produção de alimentos orgânicos e produção de alimentos orgânicos para estudantes de Viçosa.

Estudantes do Instituto Técnico de Agropecuária e Cooperativismo (ITAC), em Pitangui na região Centro-Oeste do estado, participarão de palestras sobre hortaliças não convencionais, contaminação de alimentos por agrotóxicos, homeopatia na agricultura, práticas para redução do uso de agrotóxicos na agricultura na quinta-feira (31). Em Juiz de Fora o Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT) disponibilizará artigos técnicos referentes ao tema alimento, em especial, o leite orgânico, durante o evento.

Serviço

EPAMIG na 8ª Semana Nacional do Alimento Orgânico

Data: 29 de maio a 2 de junho de 2012

Locais: Belo Horizonte, Juiz de Fora, Pitangui, Janaúba e Viçosa.

Informações:

EPAMIG (Belo Horizonte) – (31) 3489-5062

EPAMIG Norte de Minas (Janaúba) – (38) 3834-1760

EPAMIG Zona da Mata (Viçosa) – (31) 3891-2646

ILCT (Juiz de Fora) – (32) 3224-3116

ITAC (Pitangui) – (37) 3271 – 4004

A programação completa pode ser conferida no link: programação ou no site www.epamig.br

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/atividades-marcam-a-8a-semana-nacional-do-alimento-organico-em-minas/

Governo de Minas: Semana de Integração Tecnológica promove troca de informações entre produtores

Evento promovido pela Embrapa contou com participação de pesquisadores da Epamig e Emater-MG

Samantha Mapa / Ascom EPAMIG
Pesquisadora da Epamig Maria Celuta Viana ministrou curso sobre utilização de forrageiras em sistemas de pastejo
Pesquisadora da Epamig Maria Celuta Viana ministrou curso sobre utilização de forrageiras em sistemas de pastejo

Foi encerrada nesta quarta-feira (23) a 5ª Semana de Integração Tecnológica (SIT), promovida pela Embrapa Milho e Sorgo em Sete Lagoas. A programação incluiu seminários, cursos e visitas de campo nas unidades da Embrapa e da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Prudente de Morais, região Central de Minas.

O pesquisador da Epamig, Vicente Gontijo, ministrou curso sobre cultivo de peixes em sistema de fluxo contínuo de água para produção de tilápias do nilo. O pesquisador apresentou técnica que utiliza caixas de fibra de vidro onde a água circula ininterruptamente. O sistema oferece várias vantagens como facilidade de manejo, redução dos impactos ambientais e aumento significativo do volume produzido.

O Programa Estadual da Cadeia Produtiva do Leite (Minas Leite) foi apresentado aos produtores da região de Sete Lagoas. O coordenador do Programa Minas Leite, Feliciano de Oliveira, da Emater-MG, falou sobre produção de leite em sistemas sustentáveis no Brasil e no mundo. De acordo com Feliciano, o Brasil ocupa o quinto lugar no ranking dos maiores países produtores de leite e Minas Gerais ocupa a primeira posição na lista dos maiores estados brasileiros produtores de leite.

“Perdemos para os estados da região Sul a média de produtividade, mas ganhamos em relação à média da produtividade brasileira. Precisamos aprimorar os sistemas de produção”, disse. Feliciano ressaltou a importância dos treinamentos em bovinocultura para técnicos da extensão e produtores realizados na Fazenda Experimental da Epamig, em Felixlândia.

O pesquisador da Epamig, José Reinaldo Ruas, apresentou resultados de pesquisas em bovinocultura realizados desde 1998 na Fazenda Experimental de Felixlândia, em sistema de produção de leite com vacas mestiças F1. O pesquisador apontou alguns fatores de interferência na produção de vacas mestiças, resultado de cruzamento de Holandês x Zebu: raça materna, peso ao parto, adaptação à ordenha, número de ordenhas, ordem de parto e local de criação do rebanho. “Todos esses fatores associados à boa nutrição do animal e mão de obra treinada podem interferir nesse sistema”, explicou.

Troca de conhecimento

A Semana de Integração Tecnológica reuniu pesquisadores, extensionistas, produtores, técnicos e representantes de empresas privadas na discussão de temas como, Programa de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC), Pecuária de Leite, Sistema de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, Inovações Tecnológicas na Silvicultura e manejo de dejetos de suínos e aves com foco na preservação ambiental.

Também foram realizados cursos em diversas áreas da agropecuária, voltadas para as demandas da realidade das propriedades da região Centro-Oeste de Minas como, produção de silagem, qualidade na produção de queijo, produção e multiplicação de mandioca, sistemas de produção de milho e sorgo, dentre outros.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/semana-de-integracao-tecnologica-promove-troca-de-informacoes-entre-produtores/

Gestão Anastasia: 5ª Semana de integração Tecnológica será realizada no Centro-Oeste de Minas

As inscrições para os cursos e palestras sobre o setor agropecuário terminam nessa sexta-feira (18)

Divulgação EPAMIG
A programação da SIT inclui palestra sobre sistema de produção de leite com vacas mestiças (F1)
A programação da SIT inclui palestra sobre sistema de produção de leite com vacas mestiças (F1)

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) participará da 5ª Semana de Integração Tecnológica (SIT), realizada pela Embrapa Milho e Sorgo, entre os dias 21 e 25 de maio, com palestras e cursos para o setor agropecuário. O objetivo do evento é integrar os vários setores que compõem o segmento agropecuário regional e promover o diálogo entre produtores rurais, pesquisadores, extensionistas, universidade e empresas privadas.

A programação inclui seminário regional de divulgação do plano e do programa de agricultura de baixa emissão de carbono (ABC); palestras sobre pecuária de leite, inovações tecnológicas na silvicultura e manejo de dejetos suínos e aves com foco na preservação ambiental; e cursos de várias áreas da agropecuária.

O pesquisador da EPAMIG José Reinaldo Ruas apresentará, durante a palestra de pecuária de leite, o sistema que utiliza fêmeas F1 (cruzamento de Holandês x Zebu-HZ), mantidas em regime de pasto durante o verão e suplementadas em cocho com volumoso durante o inverno. Na última década, a EPAMIG foi a empresa de pesquisa agropecuária que mais gerou tecnologias para o sistema de produção de leite em gado F1. As pesquisas da EPAMIG têm como base animais mestiços, que têm proximidade maior com a realidade do produtor mineiro e brasileiro.

Outro tema abordado em palestra será o Sistema de Integração Lavoura- Pecuária e Floresta (ILPF). A pesquisadora Maria Celuta Viana abordará os aspectos gerais do sistema ILPF tais como a importância deste na produção agropecuária e na sustentabilidade ambiental; os impactos na recuperação de pastagens degradadas; e o aumento na produção de grãos e sobre a sustentabilidade no uso dos recursos naturais, reduzindo a erosão pela utilização do plantio direto na palha. Os participantes visitarão a Unidade Demonstrativa de ILPF implantada na EPAMIG Centro Oeste. Durante a 5ª SIT os inscritos poderão participar ainda de palestras sobre cana-de-açúcar para alimentação animal, higienização e manutenção de ordenha mecânica, uso de madeira de eucalipto na construção civil, dentre outras.

5ª Semana de Integração Tecnológica

A 5ª SIT, realizada pela Embrapa Milho e Sorgo em parceria com EPAMIG, Emater-MG e Universidade Federal de São João del-Rei, também tem como objetivo beneficiar agricultores, técnicos, estudantes e outros integrantes da sociedade que tenham interesse com a socialização do conhecimento de institutos de pesquisa, universidade e demais parceiros. As atividades ocorrerão na Embrapa Milho e Sorgo e na EPAMIG Centro-Oeste.

A programação desta edição está bastante variada. Abrange cursos de diferentes temas, como piscicultura, alimentação animal, hortaliças não-convencionais, recuperação de áreas degradadas, produção de milho e sorgo, dentre outros.

As inscrições terminam nessa sexta (18). No site http://sit.cnpms.embrapa.br/, está a programação completa e mais informações sobre inscrições, números de vagas restantes e taxas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/5a-semana-de-integracao-tecnologica-sera-realizada-no-centro-oeste-de-minas/

Governo de Minas: nova alternativa de produção de tilápia no Centro-Oeste mineiro

A fazenda da EPAMIG em Arcos foi sede do workshop “Sistema de fluxo contínuo de água para produção de tilápias do nilo”

Samantha Mapa / Ascom EPAMIG
Unidade Demonstrativa de sistemas produção de tilápias em fluxo contínuo de água.
Unidade Demonstrativa de sistemas produção de tilápias em fluxo contínuo de água.

Produtores, extensionistas e estudantes da região Centro-Oeste de Minas conheceram uma nova alternativa para produção de tilápia na região, durante workshop “Sistema de fluxo contínuo de água para produção de tilápias do nilo” na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), em Arcos.

O pesquisador da EPAMIG Centro-Oeste Vicente de Paulo Macedo Gontijo apresentou técnica que utiliza caixas de fibra de vidro onde a água circula ininterruptamente. O sistema oferece várias vantagens como facilidade de manejo, redução dos impactos ambientais e aumento significativo do volume produzido. O emprego de caixas d’água circulares, com pequenas adaptações, permite implantar unidades produtivas com o menos gasto de dinheiro. Além disso, proporciona menor emprego de mão de obra, já que o manejo dos peixes é bastante facilitado.

Segundo o pesquisador, as regiões do estado mais propícias ao cultivo de tilápia são as mais quentes. Entretanto, ele afirma que no sistema de fluxo contínuo, é possível promover o aquecimento da água. “Desse modo, o cultivo também pode obter sucesso nas regiões mais frias”, explica. Ainda de acordo com Vicente, o investimento inicial é baixo, se comparado com outros sistemas de produção. Outra condição seria iniciar o processo de licenciamento ambiental, com os órgãos competentes, além de dispor de água de boa qualidade para o cultivo. Também foram apontadas algumas desvantagens do sistema, como alto risco de colapso na qualidade da água, exigência de acompanhamento constante e a dependência do sistema de pesquisa para definir fatores de produção. Ele explica que é preciso fazer um planejamento estratégico antes de iniciar a atividade: é importante o produtor pesquisar o mercado local e regional, verificar as condições do local para instalação da piscicultura e dedicar-se ao negócio.

Os participantes do workshop conheceram a Unidade Demonstrativa de sistemas produção de tilápias-do-nilo em fluxo contínuo de água, instalada na Fazenda Experimental. O sistema conta com sete caixas de dois mil litros, sendo uma delas a caixa-berçário, na qual serão abrigados os mil alevinos, que posteriormente serão transferidos para mais duas caixas de crescimento. Também conheceram mais sobre o sistema de tratamento de efluentes, localizado à jusante, onde a água que sai dos tanques de produção é tratada para retornar ao ambiente ou ser utilizada em produção integrada de vegetais ou, ainda, recirculada na piscicultura.

Para o produtor rural de Bambuí, Tiago Barbosa Chaves o reaproveitamento da água utilizada no sistema de fluxo contínuo e tratada, posteriormente, seria viável em sua produção de hortaliças e leguminosas, ele já pensa na possibilidade de instalar sistema de aquecimento solar em sua propriedade familiar.

De acordo com o pesquisador, a EPAMIG deverá ter, em breve, projeto de pesquisa para melhor aproveitamento de resíduos desse sistema aprovado por fontes fomentadoras.

Pesquisa e Ensino

Alunos do Instituto Técnico de Agropecuária e Cooperativismo (ITAC/ EPAMIG) também participaram do evento. Eles obtiveram informações sobre os benefícios ambientais e econômicos desse sistema, inclusive da possibilidade de controle de variáveis como a temperatura da água, limpeza e desinfecção. Para o estudante do curso Técnico em Agropecuária, Sandoval Ramos da Costa, o encontro foi uma ótima oportunidade para ele aprender a parte prática do sistema. O aluno Bruno Luiz de Feitas, que iniciou o mesmo curso em janeiro deste ano, o workshop foi seu primeiro contato prático com sistema de produção de tilápia. “Foi uma boa oportunidade para obtermos mais conhecimento na área”, concluiu.

http://antonioanastasia.wordpress.com/wp-admin/post-new.php

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/nova-alternativa-de-producao-de-tilapia-no-centro-oeste-mineiro/