Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Pró-Genética chega ao Mucuri e Centro-Oeste de Minas

Venda de tourinhos vai contribuir para a melhoria de rebanho superior a 170 mil animais

Os agricultores familiares de Ataleia, na região do Mucuri, e de Medeiros, no Centro-Oeste de Minas, terão neste sábado (16) a oportunidade de adquirir, em condições especiais de pagamento, touros de genética superior para melhorar a qualidade de seus rebanhos de corte e de leite.  Nos dois municípios será realizada pela primeira vez a feira de touros do Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino Estado de Minas Gerais (Pró-Genética), criado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

No Parque de Exposição de Ataleia serão oferecidos 50 animais com genética comprovada pela Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), predominando exemplares da raça Guzerá. A informação é do extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), Mário Souza Silva. Com base nos contatos realizados com os compradores potenciais, a maioria dedicada à produção de leite, todo o lote de touros colocado no parque será vendido.

“Será um passo importante para a valorização do rebanho de Ataleia, que soma atualmente 140 mil cabeças”, observa Silva. Ele diz que os pecuaristas estão bem informados sobre a necessidade de introdução de reprodutores de qualidade em suas propriedades e apostam em bons negócios com a facilidade de obtenção do crédito específico para a agricultura familiar por meio do Banco do Brasil, Bradesco, e Sicoob/Credivale.

“A Emater faz o levantamento da demanda de touros, orienta o produtor para comprar os animais adequados ao seu plantel e dá assistência em todos os estágios para a obtenção do financiamento”, ressalta o extensionista.

Em Medeiros, o lote de animais colocado à venda no Parque de Exposição será composto de 33 animais das raças Gir leiteiro, Brahman, Tabapuã e Girolando. Segundo o gerente de Fomento da ABCZ, Lauro Fraga, a demanda prevista é de 30 animais.

“Neste ano já foram realizados seis feiras do Pró-Genética e a meta do programa é realizar 20 eventos para facilitar o acesso dos produtores, sobretudo da agricultura familiar, a touros de alta genética”, acrescenta Fraga. “A introdução de reprodutores de qualidade nos estabelecimentos de agricultura familiar tem grande importância, porque ajuda a transformar a economia do segmento”, finaliza.

Boas perspectivas

A difusão dos resultados das feiras do Pró-Genética estimula a adesão de produtores de outros municípios. Além disso, os pecuaristas passam a fazer a programação de compras de animais de qualidade para renovar seus rebanhos. O extensionista da Emater em Campina Verde, no Triângulo Mineiro, Pedro Paulo Bonacci  informa que foram realizados seis eventos do programa na cidade, o último no início do mês. “Dessa vez foram vendidos 11 touros da raça Nelore ao preço médio de R$ 4,5 mil por cabeça. Esses animais vão ajudar a fortalecer principalmente a produção de carne no município”, afirma. Ele ainda observa que os touros adquiridos pelos agricultores na primeira feira, realizada em 2007, ainda permanecem no município ajudando a melhorar a qualidade dos rebanhos.

Em Varzelândia, no Norte de Minas, a primeira edição da Feira de Touros do Pró-Genética foi realizada em maio deste ano e também mostrou o potencial de adesão dos agricultores familiares ao programa. Foram vendidos 29 touros das raças Nelore, Gir e Brahman, preços entre R$ 4,3 mil e R$ 5,5 mil. De acordo com a Emater, a maioria das aquisições, 86 % do total de animais vendidos, foi feita por agricultores do município de Varzelândia.

O Pró-Genética é executado por meio da Emater-MG e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculados à Secretaria da Agricultura. As ações são desenvolvidas em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), Associação Brasileira de Criadores de Girolando, sindicatos rurais, prefeituras, cooperativas, Bancos do Brasil e do Nordeste e Sistema das Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pro-genetica-chega-ao-mucuri-e-centro-oeste-de-minas/

Governo de Minas: Governador Antonio Anastasia entrega carros e computadores à Emater

Veículos e equipamentos serão utilizados no trabalho de extensão e assistência técnica

O governador Antonio Anastasia participou, nesta quinta-feira (31), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, da solenidade de entrega de 151 veículos e 656 computadores para a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seapa). Os investimentos para a compra dos veículos e equipamentos de informática foram de R$ 5,6 milhões.

Acompanhado dos secretários de Estado Elmiro Nascimento (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Danilo de Castro (Governo) e Gil Pereira (Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas), e dos presidentes da Emater e da Fundação Rural Mineira (Ruralminas), Maurílio Guimarães e Luiz Afonso Vaz de Oliveira, respectivamente, o governador de Minas fez a entrega simbólica das chaves a dois técnicos da Emater-MG: Eduardo de Oliveira Fargnoli (regional Curvelo) e Emerson Prates Afonso (regional Almenara).

Antonio Anastasia afirmou, em entrevista, que os equipamentos irão melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados pela Emater, empresa com 63 anos de atuação e presente em 789 municípios mineiros.

“A Emater está presente em praticamente todos os municípios mineiros, realizando um trabalho fundamental para nosso desenvolvimento. A entrega desses carros contribuirá para melhorar ainda mais as condições de trabalho, porque novos automóveis, assim como novos computadores, facilitam a ação tão empreendedora e positiva dos técnicos da Emater por toda Minas Gerais”, destacou Anastasia.

Os computadores (543 desktops, 65 notebooks, 48 netbooks) serão utilizados no trabalho diário dos técnicos da Emater, ajudando a melhorar e agilizar o atendimento aos agricultores familiares. Cento e trinta dos 151 veículos serão distribuídos entre as 32 regionais da empresa no Estado para suporte ao atendimento aos agricultores.

Os outros 21 veículos, adquiridos pela Fundação Rural Mineira (Ruralminas) em parceria com o governo federal para uso da Emater, serão utilizados no Programa de Revitalização de Sub-bacias do Rio São Francisco. A Emater é parceira da Ruralminas na implantação de infraestrutura, conservação e revitalização de 58 sub-bacias do rio. Serão beneficiados 56 municípios (quadro abaixo).

Os serviços compreendem obras de conservação do solo, cercamento de nascentes e matas ciliares, adequação de estradas vicinais com enfoque ambiental e construção de bacias de captação de água de chuvas.

Iniciado em 2008, Programa de Revitalização do Rio São Francisco tem previsão de, em seis anos, abranger 220 municípios em Minas, 11 na Bahia e dois em Goiás. A previsão da Ruralminas é de que, nesse período, sejam investidos R$ 56,5 milhões na construção de 61 mil bacias de captação de água das chuvas, readequação, com enfoque ambiental de 1,2 mil quilômetros de estradas vicinais, proteção com cercamento de 1,1 mil nascentes e mil quilômetros de matas de topo e ciliares.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-antonio-anastasia-entrega-carros-e-computadores-a-emater/

Gestão Anastasia: governo de Minas beneficia famílias do Norte do Estado com projeto de abastecimento de água

Por meio do Minas Sem Fome, moradores de Francisco Sá passam a contar com água encanada

A falta de água, por muitos anos, foi uma realidade na vida das famílias da comunidade São Geraldo, no município de Francisco Sá, região Norte de Minas. Um novo tempo, porém, surge para esses moradores, por meio da implantação do Projeto de Abastecimento de Água de São Geraldo – programa do Governo de Minas, coordenado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

O projeto foi implantado em abril deste ano e beneficia 256 famílias. Para levar água até as casas dos moradores da comunidade foi montada uma rede de 22 quilômetros de tubulação. Também foram instalados quatro reservatórios de 100 mil litros, duas bombas para a captação de água e um hidrômetro em cada residência. O valor do investimento chega a R$1 milhão. Os recursos são do programa Minas Sem Fome e da Prefeitura de Francisco Sá.

“Esperamos que esse projeto solucione o problema com falta de água que os moradores da comunidade enfrentavam. Além disso, a partir de agora as famílias terão mais qualidade de vida”, diz o extensionistas da Emater-MG em Francisco Sá, José Eustáquio Barbosa. No dia 6 de maio, será realizada a cerimônia de inauguração do projeto na cidade.

Minas Sem fome

O Minas Sem Fome é um iniciativa do Governo de Minas, executado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, por meio da Emater–MG, com apoio das prefeituras. O objetivo é implementar ações que contribuam para a inclusão da população de baixa renda no processo produtivo, especialmente agricultores familiares. O programa incentiva a produção de alimentos, agregação de valor e geração de renda, visando à melhoria de suas condições de segurança alimentar e nutricional. A Emater–MG é responsável pela mobilização dos agricultores, assistência técnica, compra e distribuição dos insumos.

Até dezembro de 2012, o Minas Sem Fome deverá atender, em Minas Gerais, 187.860 famílias de agricultores familiares com ações para incrementar as atividades de lavoura, pomares, hortas, apicultura, piscicultura, avicultura, produção de leite, feiras livres, gestão de projeto e apoio a agricultura familiar. A meta financeira para todo o programa este ano é de R$ 4,76 milhões. Os recursos são provenientes do governo de Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-beneficia-familias-do-norte-do-estado-com-projeto-de-abastecimento-de-agua/

Governo de Minas: Secretário de Agricultura participa do 16º Simpósio sobre Cafeicultura de Montanha, em Manhuaçu

O encontro pretende reunir cerca de 1,2 mil produtores de café e as principais lideranças do segmento

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas, Elmiro Nascimento, participa nesta quarta-feira (21), às 9h, da solenidade de abertura do 16º Simpósio sobre Cafeicultura de Montanha, em Manhuaçu, na Zona da Mata.

O encontro pretende reunir cerca de 1,2 mil produtores de café e as principais lideranças do segmento para debater ações que garantam produtividade e mercado para a cafeicultura na região de montanha, com o objetivo de difundir conhecimento e promover troca de experiência no setor cafeeiro.

Manhuaçu é o maior produtor de café da Zona da Mata e ocupa a quarta colocação no ranking estadual. De acordo com o IBGE, a previsão de safra para o município neste ano é de aproximadamente 450 mil sacas.

O evento, que vai até sexta-feira (23), é realizado pela Associação Comercial, Industrial e Agronegócios de Manhuaçu (Aciam) e conta com o apoio da  Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

Minas lidera produção

Minas Gerais ocupa a liderança na produção de café no país. Para 2012, a safra prevista deverá ficar entre 25,5 milhões e 27,1 milhões de sacas, o correspondente a 51,9%, da produção nacional. No ano passado, os cafeicultores mineiros exportaram o equivalente a US$ 5,8 bilhões, ou seja, 59,8% de toda a exportação do agronegócio mineiro (US$ 9,7 bilhões).

De janeiro a fevereiro de 2012, o café produzido em Minas Gerais obteve no mercado mundial a receita de US$ 828 milhões, segundo maior valor já registrado.

Os baixos estoques mundiais de café e a aceitação crescente do produto de Minas Gerais no exterior são comprovados pela alta cotação do grão. Entre janeiro e fevereiro deste ano, a tonelada do produto foi comercializada por US$ 4,9 mil, cotação 26,2% superior à registrada em idêntico período de 2011.

Serviço:

Abertura Oficial do 16º Simpósio sobre Cafeicultura de Montanha

Data: 21 de março

Horário: 9h

Local: Parque de Exposições Fernando Maurílio Lopes – Rodovia 262 – km 40 – Ponte da Aldeia – Manhuaçu/MG

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretario-de-agricultura-participa-do-16o-simposio-sobre-cafeicultura-de-montanha-em-manhuacu/

Gestão em Minas: banco de hortaliças ajuda a melhorar alimentação de idosos na Zona da Mata mineira

Horta implantada pela Emater em asilo de Bom Jardim de Minas enriqueceu o cardápio oferecido aos moradores
Divulgação/Emater
Hortaliças raras cultivadas no asilo em Bom Jardim de Minas
Hortaliças raras cultivadas no asilo em Bom Jardim de Minas

Azedinha, jacatupé, jambu e taioba. Essas são algumas das hortaliças não convencionais cultivadas no Instituto de Longa Permanência de Idosos Divino Espírito Santo, no município de Bom Jardim de Minas, Zona da Mata mineira. O banco de hortaliças raras foi implantado recentemente no asilo e tem ajudado a enriquecer a alimentação dos idosos. A iniciativa foi possível por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

No instituto são cultivadas 12 variedades. Com isso, o cardápio servido ficou mais rico e variado. “Temos um ótimo aproveitamento dessas hortaliças. Os idosos aceitam bem e alguns até pedem quando não tem”, afirma a diretora administrativa do instituto, Marileuza Marques de Paula Aguiar.

Entre os pratos que fazem sucesso estão a omelete com peixinho, a salada de azedinha, o jambu (um tipo de tempero usado no preparo de carnes) e a vinagreira, batida com suco. Marileuza Marques conta que os cuidados com a horta são mínimos. “Quase não precisa cuidar. É praticamente só aguar mesmo, bem mais simples que cuidar de hortaliças comuns”, diz.

O banco de hortaliças não convencionais do Instituto de Longa Permanência de Idosos Divino Espírito Santo foi implantado no início de 2011, após um treinamento oferecido pela Emater. As mudas e sementes foram doadas pelo banco de hortaliças raras de Juiz de Fora. “Começamos com seis ou sete variedades. Hoje, essas hortaliças são importantes para uma boa alimentação dos moradores do asilo”, explica o extensionista do escritório da Emater em Bom Jardim de Minas, Bruno Rosa.

Em Juiz de Fora, a iniciativa foi possível por meio de uma parceria da Emater-MG com a Secretaria de Agropecuária e Abastecimento do município, o Ministério da Agricultura e a Embrapa Hortaliças. O coordenador regional de Horticultura da Emater-MG de Juiz de Fora, Noel de Aquino Campos, explica que as cultivares são pouco conhecidas pela população, mas, segundo ele, possuem um bom valor nutricional. “Além disso, essas hortaliças praticamente não apresentam problemas de pragas e doenças, e o seu manejo é bastante simples”, afirma o coordenador.

Ao todo, em Minas Gerais, existem 42 bancos de hortaliças não convencionais. A iniciativa é uma parceria da Emater-MG com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a Embrapa Hortaliças, o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Universidade Federal de Viçosa, as prefeituras e associações de agricultores. A gestão dos bancos é feita em parceria com as instituições envolvidas no trabalho e as comunidades.

A distribuição de sementes e mudas é gratuita, e os interessados podem obter informações no escritório da Emater-MG. A proposta é estimular o cultivo e o consumo dessas hortaliças. “A nossa ideia é promover a mudança de hábito alimentar nas comunidades e estimular a melhoria da qualidade da alimentação e a diversidade, com a oferta de mais opções de vegetais no cardápio das famílias. Buscamos também o resgate de tradições e informações há muito esquecidas por esses grupos”, diz o coordenador de Olericultura da Emater-MG, Georgeton Silveira. Segundo o coordenador, a previsão para 2012 é de que sejam lançadas três publicações sobre o assunto e implantados mais três novos bancos de hortaliças não convencionais.

Fonte: Agência Minas