Arquivos do Blog

Governo de Minas: Semana do Produtor Rural em Araçuaí mostra técnicas de ações de convivência com a seca


O evento, que começa neste domingo, também vai tratar de crédito rural

José Humberto Timo / Emater-MG
O cultivo de hortaliças em ambiente protegido é uma das técnicas que serão demonstradas para o agricultor na seca.
O cultivo de hortaliças em ambiente protegido é uma das técnicas que serão demonstradas para o agricultor na seca.

Oito dias dedicados exclusivamente ao agricultor familiar de Araçuaí. É o que está previsto para a Semana do Produtor Rural, evento que promete movimentar o município do Vale do Jequitinhonha, entre os dias 1º e 8 de julho, no Parque de Exposições Agropecuárias. A iniciativa é fruto de parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e o Sindicato dos Produtores Rurais e prefeitura.  A expectativa dos organizadores é que todo o evento atraia a participação de cerca de 200 agricultores familiares.

Na quinta-feira (05), a Emater-MG promoverá um Dia de Campo. A proposta é focar em técnicas próprias para uma região que convive com a realidade da seca. Segundo o extensionista agropecuário José Humberto Timo Sobrinho, serão apresentadas ações como a silagem, produção de hortaliças e mudas em ambiente protegido e em bandejas de isopor, utilização de mandioca na alimentação de animais, e construção a baixo custo de reservatório de água escavado e revestido de lona.

“Vamos orientar os produtores a trabalhar com pouca água e poucos recursos”, diz José Humberto, numa referência às dificuldades do Semiárido mineiro. De acordo o técnico da Emater-MG, o Dia de Campo será dividido em três estações, conforme o assunto.

Crédito

O crédito rural também fará parte da programação especial da Emater-MG para quinta-feira. Além de palestra sobre o tema, 88 agricultores familiares, beneficiários do Pronaf B, receberão cada um deles, um cheque no valor de R$ 2.500. O recurso, que será repassado por representante do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), faz parte de uma linha de crédito destinada a investimentos em animais como galinhas e porcos, além de construção de pequenos açudes, máquinas e outros implementos agrícolas. De acordo o extensionista José Humberto, a Emater-MG participa da iniciativa, por meio da mobilização dos produtores e no acompanhamento da execução dos projetos aprovados.

O Pronaf mais Alimentos também terá espaço garantido na Semana do Produtor Rural de Araçuaí, com exposição de três tratores agrícolas, implementos, e quatro veículos utilitários (pick-ups) financiados pelo programa. Também será feita a entrega simbólica de um veículo a um agricultor, que faz parte de um grupo de sete produtores já contemplados por esta linha de financiamento. A Emater-MG é a responsável pela elaboração dos projetos beneficiados e o Banco do Brasil é o agente financiador.

Capacitação

Em paralelo às atividades da Semana do Produtor Rural, a equipe técnica da Emater-MG de Araçuaí também vai capacitar 29 agricultores familiares do município, na quarta-feira (04) e na quinta (05). O curso vai discorrer sobre temas como: gestão de propriedade, organização da produção para comercialização, e empreendimentos agroindustriais coletivos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/semana-do-produtor-rural-em-aracuai-mostra-tecnicas-de-acoes-de-convivencia-com-a-seca/

Anúncios

Governo de Minas: Epamig lança cartilha para produtores de leite do Campo das Vertentes

Encontros realizados em cinco municípios encerraram projeto Qualidade nos Campos

Divulgação/Epamig
Reuniões com produtores foram realizadas em cinco municípios
Reuniões com produtores foram realizadas em cinco municípios

Pesquisadores do Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT), que pertence à Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), encerraram o Projeto Qualidade nos Campos reunindo cerca de 130 produtores de leite do Campos das Vertentes para o lançamento da cartilha sobre Boas Práticas de Ordenha. As reuniões do projeto foram realizadas, separadamente, nos meses de março, maio e junho nos municípios de Prados, Piedade do Rio Grande, Conceição da Barra de Minas, Lagoa Dourada e São João del-Rei.

Durante os encontros, os pesquisadores apresentaram os resultados do projeto e ministraram palestras sobre doenças transmitidas pelo leite cru, boas práticas de ordenha e custo da qualidade. O projeto indicou que, entre as propriedades que aplicaram as boas práticas após orientação dos pesquisadores, todas apresentaram melhoria na qualidade do produto.

Com a cartilha, os produtores vão dispor de informações sobre composição do leite, saúde do rebanho, local de ordenha, higiene do ordenhador, higienização de equipamentos e utensílios, qualidade da água, entre outras.

Qualidade nos Campos

O projeto Qualidade nos Campos, financiado pelo CNPq e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), teve duração de dois anos. Nesse período, os pesquisadores realizaram visitas a dez produtores rurais dos municípios de Lagoa Dourada, São João del-Rei, Resende Costa, Prados, Coronel Xavier Chaves, Tiradentes, Conceição da Barra de Minas, Piedade do Rio Grande, Barroso e Carandaí. As propriedades foram identificadas por meio de uma parceria com a Emater-MG. Para o diagnóstico da produção, foram realizadas coletas de leite e água, e em superfícies, como latões e baldes usados na ordenha, durante períodos secos e chuvosos.

Após análise do material coletado e treinamento técnico junto a cada produtor rural, os pesquisadores realizaram novas coletas nas duas estações para verificar os resultados obtidos. “Observamos grandes melhorias de qualidade entre as propriedades que aplicaram as boas práticas de ordenha, sobretudo no que diz respeito à higiene no processo, impedindo a contaminação do leite”, ressalta a pesquisadora do ILCT, Gisela de Magalhães Machado.

O projeto Qualidade nos Campos foi coordenado pela pesquisadora do Epamig/ILCT, Vanessa Aglaê Teodoro. Os pesquisadores contaram com o apoio da Emater-MG, das secretarias de agricultura dos municípios participantes, das Associações dos Produtores Rurais de Prados e da Vila de Santo Antônio do Rio das Mortes e do Sindicato dos Produtores Rurais de Piedade do Rio Grande.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/epamig-lanca-cartilha-para-produtores-de-leite-do-campo-das-vertentes/

Governo de Minas: delegações da Bolívia e Peru buscam conhecimentos da Emater-MG

Membros da missão técnica irão visitar cinco propriedades certificadas pelo Certifica Minas Café na região da Zona da Mata

Paulo Correa / Emater-MG
Missão técnica peruana visita propriedades cafeeiras na região mineira da Zona da Mata
Missão técnica peruana visita propriedades cafeeiras na região mineira da Zona da Mata

Entre os dia 24 e 29 de junho, a Emater-MG recebe a visita de técnicos e cafeicultores peruanos. O grupo visita municípios da Zona da Mata mineira e do Sul de Minas. O objetivo é conhecer o trabalho desenvolvido pela empresa no setor de cafeicultura. Já no início de julho, a Empresa recebe seis técnicos da Bolívia. A visita vai ajudar no desenvolvimento do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) da Bolívia.

A missão técnica peruana está cumprindo a última etapa do termo de cooperação assinado entre Brasil e Peru. A iniciativa visa a troca de conhecimentos entre os dois países. O grupo é formado por sete cafeicultores, dois engenheiros agrônomos e um técnico agrícola. Durante a missão, eles acompanharão as diversas ações da Emater-MG voltadas para o desenvolvimento da cafeicultura como sistema de produção, comercialização, tecnologias e cultivares utilizadas.

Os membros da missão técnica irão visitar cinco propriedades certificadas pelo Certifica Minas Café. O programa é uma iniciativa do Governo de Minas e é executado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), por meio da Emater-MG e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O Certifica Minas Café estimula os produtores a adotarem boas práticas de produção, uma gestão moderna da propriedade e incentiva a preservação ambiental.

Para o diretor Técnico da Emater-MG, José Rogério Lara, esse é um momento importante para a troca de informações e para o crescimento da cafeicultura nos dois países. “Nós temos o cuidado de sugerir tecnologias e ações que possam ser aplicadas de acordo com a realidade deles. Da mesma maneira, eles estão observando como o feito o trabalho aqui para levar o que é condizente com a região deles”, diz José Rogério Lara.

Missão Técnica da Bolívia

De 02 a 06 de julho, a Emater-MG recebe uma missão técnica da Bolívia formada por técnicos do Instituto Nacional de Inovação Agropecuária e Florestal (Iniaf). A visita é a primeira atividade do termo de cooperação entre os dois países, que tem duração de 16 meses. O convênio tem como objetivo de apoiar a implantação de um modelo piloto integral de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Os técnicos visitarão a unidade central da Emater-MG, em Belo Horizonte. Serão apresentados a eles, o modelo de gestão e as principais ações e programas da Empresa. “O Governo do Estado sempre tem apoiado essas iniciativas. Além de podermos ajudar, é também uma oportunidade para aprendermos e enriquecer o nosso trabalho”, afirma José Rogério Lara.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/delegacoes-da-bolivia-e-peru-buscam-conhecimentos-da-emater-mg/

Governo de Minas: Emater-MG atende a mais de 6 mil agricultores por meio de chamada pública

Iniciativa tem como objetivo a integração de ações entre Estados e municípios, em busca do desenvolvimento econômico

Emater-MG / Divulgação
Reunião com produtores do município de São Romão
Reunião com produtores do município de São Romão

Em junho, a Emater-MG concluiu os trabalhos referentes aos contratos de Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rual (Ater). As atividades foram desenvolvidas em seis territórios de Minas Gerais, beneficiando 6.200 famílias. No período de um ano, a Empresa trabalhou diversas temáticas, visando a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares.

Em 2010, a Emater-MG venceu 16 Chamadas Públicas do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para prestar assistência técnica nos territórios de Águas Emendadas, Alto Rio Pardo, Baixo Jequitinhonha, Noroeste de Minas, Serra Geral, Sertão de Minas. Essas regiões foram definidas pelo Programa Territórios da Cidadania, lançado em 2008 pelo governo federal. A iniciativa tem como objetivo a integração de ações entre Estados e municípios, em busca do desenvolvimento econômico e da universalização de direitos básicos de cidadania, para assegurar o desenvolvimento territorial sustentável. Ao todo, Minas Gerais possui 9 territórios.

As atividades da Emater-MG referentes aos convênios assinados com o MDA tiveram início em abril de 2011. Em todo o Estado, famílias de 75 municípios foram beneficiadas. Em cada território foram trabalhadas temáticas específicas, como gestão da propriedade, segurança alimentar, convivência com a seca, crédito rural, agregação de valor à produção e comercialização.

O trabalho consistiu na realização de diversas ações desenvolvidas simultaneamente, como diagnósticos de unidades produtivas, visitas técnicas, reuniões temáticas, encontros de planejamento e avaliação final. Cada território também realizou ações específicas de acordo com o interesse e a necessidade dos envolvidos, como dias de campo e cursos de capacitação. “O agricultor passa a ter um acompanhamento sistematizado, partindo de um diagnóstico da sua propriedade para depois receber as vistas técnicas e participar de uma série de atividades coletivas”, afirma o coordenador Técnico estadual da Emater-MG, Carlos Bovo.

Para o coordenador, o serviço de assistência técnica referente aos convênios com o MDA teve resultado positivo. “Foram feitos investimentos em equipamentos e recursos para custear as atividades e a Emater-MG conseguiu prestar um serviço de qualidade”.

Noroeste de Minas

No território de Noroeste de Minas, a Emater-MG possui quatro unidades regionais. Nessa região foram atendidas 2.000 famílias. Na regional de São Francisco, foram beneficiadas 440 agricultores em quatro municípios: Pintópolis, Santa Fé de Minas, São Romão e Urucuia. A equipe de extensionistas da Empresa trabalhou com as famílias três temáticas: organização da produção para comercialização, produção de alimentos para segurança alimentar e nutricional, e empreendimentos agroindustriais coletivos.

“Avaliamos como positivo os trabalhos desenvolvidos e a proposta de atendimento individual ao agricultor. A expectativa criada pelos produtores e também pelos extensionistas é da continuidade dos trabalhos. Os agricultores continuarão a ser atendidos e inseridos nos programas já iniciados”, diz o gerente da unidade regional de São Francisco, Carlos Astolfo Caetano.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/emater-mg-atende-a-mais-de-6-mil-agricultores-por-meio-de-chamada-publica/

Gestão Anastasia: Minas Gerais busca safra de figo superior a 5 mil toneladas

Produtor investe em tecnologia e aposta em temperatura favorável

Os produtores mineiros de figo estão fazendo a poda anual dos pomares para fortalecer as plantas e dar mais qualidade aos frutos.Acolheita começa em novembro/dezembro e eles apostam numa safra superior às 5 mil toneladas registradas em 475 hectares no Estado, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a melhoria dos resultados depende principalmente de investimentos em boas práticas de produção.

Para o agricultor familiar Antônio Sérgio, de Marmelópolis, no Sul do Estado, além dos cuidados com a lavoura, a temperatura moderada ajuda na obtenção de safra que compense os investimentos no cultivo e atenda à expansão da demanda. A planta necessita também de chuvas bem distribuídas que garantam a umidade do solo.

Antônio Sérgio diz que está fazendo a sua parte para aumentar a área de cultivo do figo e garantir uma produção de qualidade, indispensável para a realização de boas vendas. O trabalho de expansão da lavoura tem a assistência da Emater-MG, vinculada à Seapa. Dados do relatório de safra da empresa mostram que, na área de atuação de suas unidades, a produção de figo soma 182 hectares. A área em formação é da ordem de 13,1 hectares.

O agricultor informa que vai destinar aos pés de figo cerca de 2 hectares, o dobro do espaço utilizado geralmente pelos produtores da região, em sua maioria agricultores familiares. “Vamos ter resultados com essas plantas a partir de 2014. Esperamos fazer negócios que compensem os investimentos na lavoura, principalmente em boas práticas de produção, entre elas a correção do solo e a adubação com assistência técnica”, informa.

A valorização do figo tem servido de estímulo para o produtor: no período 2011/2012, o quilo do figo verde in natura alcançou o valor médio de R$ 2,00, o dobro do registrado na safra anterior. Além disso, Antônio Sérgio observa que as principais fábricas de doce que adquirem o produto estão localizadas em Santa Rita de Caldas e Brasópolis, municípios próximos de Marmelópolis. “Mas há compradores também de outras regiões, que assumem os custos do transporte para garantir a aquisição de figo de qualidade”, completa.

Pré-cozido em expansão

Em São Sebastião do Paraíso, também no Sul de Minas, a produção anual estimada é de 1,1 mil toneladas, e os produtores do município aumentam a receita colocando no mercado o figo pré-cozido. O trabalho pós-colheita é feito em unidades fora das propriedades, onde os frutos são processados e armazenados para atender às indústrias, inclusive no período de entressafra (de junho a novembro), informa o casal Anézio Fernando Milaneze e Marlene Aparecida. Eles seguem com a produção de figo verde iniciada há cerca de 50 anos pela família de Anézio e, a exemplo dos demais agricultores do município que trabalham com o fruto, atendem exclusivamente às fábricas de doces, neste caso localizadas em Belo Horizonte e São Paulo.

A alternativa do pré-cozimento começou a ser utilizada como um meio para a busca de mercados mais vantajosos que o do fruto maduro. Caso os agricultores insistissem na comercialização do produto para consumo de mesa, teriam de vender para a Ceasa de São Paulo, fazendo o transporte em caminhões refrigerados. “Já a produção do figo verde para ser comercializado pré-cozido é promissora. Por isso estamos preparando o replantio neste ano para superar a safra que obtivemos em 2010/2011,da ordem de 10 toneladas”, completa.

Os agricultores Wanderley Martins de Sá e Aparecida Nunes de Sá, atraídos pela possibilidade de melhorar a receita, também decidiram participar do grupo que vende exclusivamente o figo pré-cozido. Por isso estão buscando o aumento de produção. A primeira providência será transferir a lavoura para uma área de dois hectares que já foi ocupada por bananeiras. Aparecida diz que a rotação de culturas deve possibilitar a melhoria da produtividade do pomar.

Agregação de valor

Para o subsecretário de Agricultura Familiar da Seapa, Edmar Gadelha, as ações para agregação de valor aos produtos são sempre recomendadas aos produtores, e o pré-cozimento do figo é um bom exemplo. Ele enfatiza que “o esforço para garantir a oferta de produtos processados nos estabelecimentos de agricultura familiar amplia as possibilidades de vendas”.

“A Lei Estadual 19.476/11 dá suporte à transformação e ao processamento de matérias-primas agropecuárias de origem animal, vegetal ou mista, mediante a regularização sanitária de cada agroindústria”, explica Gadelha. “Com o registro de Estabelecimento Agroindustrial Rural de Pequeno Porte (EARPP), os agricultores familiares podem vender seus produtos em todo o Estado”, informa.

Os interessados na habilitação podem buscar informações nas unidades da Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde ou na Emater-MG, vinculada à Seapa.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-gerais-busca-safra-de-figo-superior-a-5-mil-toneladas/

Gestão Anastasia: Minas Leite amplia atuação no Leste do Estado

Programa do Governo de Minas faz encontro com grupo de municípios que produz 100 mil litros de leite/dia.

O município de Ipanema, no Rio Doce, vai sediar, nesta sexta-feira e no sábado (22 e 23), o 1º Encontro Regional do Minas Leite no Leste do Estado. No evento, serão apresentados resultados que podem impulsionar a adesão dos pecuaristas da agricultura familiar ao programa criado pela Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) e executado pela vinculada Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

Vão participar do encontro produtores e técnicos de Ipanema, Conceição de Ipanema, Mutum, Pocrane e Taparuba. No primeiro dia, haverá apresentações sobre os benefícios das ações desenvolvidas pelo Minas Leite desde o seu lançamento pelo Governo de Minas, em 2005.

De acordo com o coordenador do programa pela Seapa, Rodrigo Puccini Venturim, o objetivo é mostrar aos produtores a importância da adoção de boas práticas nas propriedades, neste caso para fortalecer a atividade leiteira nos municípios participantes do evento, responsáveis por uma produção da ordem de 100 mil litros/dia.

A Emater assiste atualmente, por meio do programa, a 1.080 propriedades dedicadas à produção de leite no Estado, e a meta para 2012 é levar as boas práticas de produção do Minas Leite a 1.150 fazendas. Para isso, segundo o coordenador, é importante expandir a atuação do programa na região Leste. “Vamos enfatizar nas apresentações os índices de desenvolvimento das propriedades que se ajustam às exigências de uma produção sustentável, conciliando a melhoria da receita, a preservação do ambiente e a garantia de boas condições de vida para as pessoas envolvidas na atividade”, afirmou .

Ações de baixo custo

Os meios propostos para a melhoria da atividade leiteira da agricultura familiar no Estado têm por base tecnologias desenvolvidas pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), também vinculada à Seapa. Rodrigo Venturim acrescenta que alternativas de baixo custo, preferencialmente à base de materiais encontrados nas próprias fazendas, são indicadas aos produtores interessados em receber a assistência do Minas Leite.

Na parte de manejo, o programa indica a construção, sobre os pastos, de piquetes de madeira de eucalipto tratada e cerca de arame. Nesses espaços, os animais podem ser mantidos com alimentação reforçada por cana-de-açúcar, ureia e minerais, que garantem uma boa produção leiteira principalmente no período de seca.

A utilização desses recursos, com assistência dos extensionistas da Emater, possibilita ganhos no volume de leite e na qualidade do produto. “Além disso, o Minas Leite propõe mudanças na gestão da propriedade para que os bons resultados alcancem todas as atividades com foco na sustentabilidade do negócio”, ressalta o coordenador.

Suporte do Pró-Genética

Para o coordenador de Pecuária da Emater em Ipatinga, Aldrin Carlos Reggiani, outra ação importante do Minas Leite é a orientação aos produtores na aquisição de animais adequados à atividade. “No caso das vacas leiteiras, as preferidas devem ser as F1 (resultantes do cruzamento de uma raça europeia – gado holandês – com uma raça indiana – gir leiteiro)”, explica. De acordo com Aldrin, o Minas Leite também recomenda aos produtores da agricultura familiar os benefícios do Pró-Genética. O programa, também criado pela Seapa, possibilita a aquisição, em condições favoráveis, de touros de genética comprovada para garantir a geração de vacas e bois de alta qualidade.

Aldrin diz que esses aspectos serão enfatizados, na agenda do encontro, entre os benefícios à disposição dos agricultores familiares que participam do programa. Foram criadas na região do extremo Leste 15 unidades demonstrativas do Minas Leite, ou propriedades que assumem o compromisso de fazer a difusão das tecnologias e centralizar o registro de dados sobre ações desenvolvidas nas fazendas incluídas no círculo sob a sua influência. “A meta é constituir mais 15 unidades demonstrativas do programa no Extremo Leste”, explica.

Conforme as normas do Minas Leite, além dessas unidades, cada uma das outras propriedades que recebem assistência da Emater tem o compromisso de servir de modelo para outras dez. Essa corrente, observa Aldrin, deve impulsionar a produção nos municípios do Extremo Leste de Minas. “Ipanema responde atualmente por 50% da produção dos municípios contemplados pelo seminário”, complementa.

Aldrin ainda informa que, na agenda do 1º Encontro Regional do Minas Leite no Leste, está programada para o sábado (23) uma feira de touros do Pró-Genética. Será realizada também a Festa do Queijo de Ipanema, evento anual que mobiliza a população e atrai grande número de visitantes. Em 2011 foi apresentado um queijo minas padrão de 1.200 quilos, recorde brasileiro, segundo os organizadores, e a meta é quebrar esta marca.

Os agricultores familiares interessados em aderir ao Minas Leite podem se inscrever numa unidade da Emater.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-leite-amplia-atuacao-no-leste-do-estado/

Governo de Minas: Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira marca início da Expocafé 2012

A partir desta quarta-feira (20), a 15ª edição feira será aberta ao público

A 15ª edição da Expocafé na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no Sul de Minas, começa nesta terça-feira (19) e prossegue até o dia 22 de junho. O 3º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, promovido pela Epamig, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), abre a programação. O evento, que é exclusivo para participantes previamente inscritos, vai abordar temas como manejo mecanizado, custos, agricultura e cafeicultura de precisão e mecanização de lavouras adensadas e de montanha.

A partir desta quarta-feira (20), às 8h, a feira será aberta ao público, com a realização da exposição de equipamentos, máquinas e insumos, e de eventos paralelos, como as dinâmicas de campo; os cursos de capacitação para operadores de máquinas; a Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) com o tema “A política econômica para o setor cafeeiro e suas perspectivas, gargalos, dificuldades e metas para fortalecimento do setor”; o workshop “O mercado externo ao alcance do produtor mineiro”, da Central Exportaminas, apresentado pela Coordenadoria de Comércio Exterior da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico; e o seminário “Exportar é inovar”, promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção, Exportação e Investimento (APEX).

Audiência Pública ALMG

A Audiência Pública da ALMG na Expocafé será realizada na quinta-feira (21), a partir das 10h. O evento será aberto com a palestra “O novo código florestal e os impactos na sustentabilidade da cafeicultura”, do deputado federal Paulo Piau, que é relator do texto do Novo Código. Em seguida, o Banco do Brasil e a Emater-MG apresentarão linhas de financiamento para o pequeno produtor. O encerramento da audiência acontece com pronunciamentos dos deputados integrantes da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia, responsáveis pela audiência.

Expocafé 2012

Data: 19 a 22 de junho de 2012

Horário: 8h às 18h

Local: Fazenda Experimental da Epamig em Três Pontas – Rodovia Três Pontas/Santana da Vargem, Zona Rural de Três Pontas (Sul de Minas Gerais).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simposio-de-mecanizacao-da-lavoura-cafeeira-marca-inicio-da-expocafe-2012/

Gestào Eficiente: estande da Emater-MG é um dos destaques da Expocafé 2012, em Três Pontas

Público poderá conferir novidades tecnológicas, receber orientações técnicas e degustar os melhores cafés de Minas

Emater-MG / Divulgação
Estande da Emater-MG na Fazenda Experimental da Epamig, em Três Pontas, Sul de Minas
Estande da Emater-MG na Fazenda Experimental da Epamig, em Três Pontas, Sul de Minas

Entre os dias 20 e 22 junho acontece, na Fazenda Experimental da Epamig, em Três Pontas, Sul de Minas, a Expocafé 2012. Um dos destaques da feira é o estande da Emater-MG. No espaço organizado pela Empresa, o público poderá conferir novidades tecnológicas, receber orientações técnicas e degustar os melhores cafés de Minas Gerais.

O estande tem 400 metros quadrados e está caracterizado como uma pequena propriedade rural. Entre as tecnologias de baixo custo para os pequenos produtores, a Emater-MG apresentará técnicas de construção e utilização de terreiros em cimento e em lama asfáltica. Um dos destaques do espaço organizado pela Empresa é uma fossa ecológica, que ajuda a reduzir a contaminação do lençol freático e é mais barata do que o modelo industrial. No local, os visitantes poderão degustar os cafés vencedores da edição de 2011 do Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais. No estande também será distribuído material didático.

“A participação da Emater-MG é importante para levar ao agricultor familiar tecnologias de baixo custo, fácil manejo e fácil acesso. Além disso, os agricultores terão esclarecimentos técnicos dos extensionistas da Empresa”, diz o técnico da equipe do escritório local da Emater-MG, Luiz Eustáquio de Carvalho. A Emater-MG também está organizando grupos de agricultores para visitar a feira. “Nos três dias do evento devem passar pelo nosso estande cerca de 2 mil pessoas”, completa Luiz de Carvalho.

Programação da Expocafé 2012

A solenidade de abertura oficial da 15ª Expocafé será dia 20 de junho. A feira oferecerá ao público uma programação diversificada e contará com a participação de 145 empresas que apresentarão novidades em máquinas, equipamentos e insumos para a cafeicultura.

As atividades terão início no dia 19 com a realização do 3º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, promovido pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA). O evento, que é exclusivo para participantes previamente inscritos, vai abordar temas, como: manejo mecanizado; agricultura e cafeicultura de precisão; e mecanização de lavouras de montanha.

A partir do dia 20, a feira será aberta ao público com a realização da exposição de equipamentos e máquinas, e a realização de eventos paralelos, como dinâmicas de campo, cursos de capacitação para operadores de máquinas, Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) sobre o novo código florestal, e o seminário “Exportar é inovar”, promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção, Exportação e Investimento (APEX). “Nosso objetivo é ampliarmos a participação da cadeia produtiva do café durante a feira. Por isso buscamos diversificar a programação e oferecer mais opções de negócios para o público”, afirma o coordenador da feira, Mairon Mesquita.

A Expocafé 2012 contará com 195 estandes distribuídos em uma área de exposição de 12, 3 mil metros quadrados. De acordo com os organizadores, foram feitas melhorias na infraestrutura da feira com base em pesquisas realizadas na edições anteriores. “Contaremos com uma praça de alimentação equipada com cozinha, refeitório, restaurante e quatro lanchonetes. Em 2011 tivemos apenas um restaurante oficial”, diz o relações públicas, Antônio Augusto Braighi, integrante da Comissão de Organização e Comercialização. Antônio destaca também a instalação de pontos de apoio aos visitantes. “Ao longo da feira serão instalados bancos e bebedouros para uso do público”, afirmou.

Acompanhe informações sobre a Expocafé nos sites http://www.epamig.br e http://www.expocafe.com.br e pelas redes sociais www.facebook.com/expocafeoficial.com e @expocafeoficial.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estande-da-emater-mg-e-um-dos-destaques-da-expocafe-2012-em-tres-pontas/

Gestão Anastasia: Reuniões do Estado em Rede desenvolvem discussões no Norte de Minas

O Estado em Rede implementa a gestão regionalizada e participativa nas ações do Governo de Minas

Paulo Boanova/Seplag MG
O 3º Fórum Regional do Norte de Minas reuniu membros do comitê, representantes da sociedade civil organizada e entidades convidadas
O 3º Fórum Regional do Norte de Minas reuniu membros do comitê, representantes da sociedade civil organizada e entidades convidadas

Duas reuniões deram sequência às discussões para o desenvolvimento do Norte de Minas, nesta quarta (13) e quinta-feira (14), em Montes Claros. Na quarta, foi realizada a 5ª reunião do Comitê Regional do Norte de Minas, com a presença dos representantes de órgãos e secretarias do governo na região. Nesta quinta, foi realizado o 3º Fórum Regional do Norte de Minas, que reuniu, além dos membros do comitê, os representantes da sociedade civil organizada do Norte mineiro e entidades convidadas da região.

Os encontros integram o Estado em Rede, um programa que está implementando a gestão regionalizada e participativa nas ações do Governo de Minas – uma das prioridades do governador Antonio Anastasia.

Na reunião de quarta-feira, os representantes governamentais locais expuseram ações em execução na região. A equipe técnica da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) abordou os planos de ação na região que trataram de questões relacionadas ao transporte escolar, abastecimento de água e merenda escolar.

Ações integradas

A intersetorialidade entre órgãos e secretarias regionais vem possibilitando benefícios diretos à população, como é o caso da merenda escolar. A superintendente Regional de Ensino de Janaúba, Maria Eni Fróes, destaca a importância da parceria da regional de Educação com a Emater-MG desde o ano passado, que gerou um salto de qualidade na merenda escolar da região. “Mobilizamos mais de 200 produtores rurais e hoje a situação é encantadora. Melhoramos a qualidade da merenda nas escolas, com produtos frescos e ainda economizamos dinheiro e mobilizamos o homem do campo”, disse ela.

Em seguida, a Secretaria de Estado Extraordinária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan) apresentou sua agenda social para a região, com programas e metas, e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) mostrou aos presentes suas ações para desenvolvimento de planos regionais estratégicos.

Na abertura do 3º Fórum Regional, nesta quinta-feira (14), o subsecretário de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto, André Reis, ressaltou a terceira fase do Choque de Gestão – a Gestão Para a Cidadania – para reforçar a importância desta interlocução com a sociedade civil. “Estamos potencializando o diálogo nas regiões, discutindo estratégias de desenvolvimento para o Norte de Minas com a sociedade civil, representantes do governo e também entidades convidadas. Vamos apresentar o que tem sido essa experiência e convidar a todos para essa construção coletiva, junto com o governo”, disse ele.

A mediadora da equipe da Seplag apresentou aos presentes a metodologia do programa e o andamento das atividades desenvolvidas desde o Encontro Regional, em outubro passado. Também foi explicado o funcionamento do Acordo de Resultados, um instrumento de pactuação de metas que já inclui, em 2012, as estratégias priorizadas pela sociedade civil organizada no Norte de Minas e no Rio Doce.

Os representantes da sociedade civil e os convidados se apresentaram aos presentes, falando das suas expectativas e também da experiência de participar dessa interlocução entre governo e sociedade. A diretora de ensino do Instituto Federal de Ensino do Norte de Minas, Maria Aparecida Collares, falou do trabalho desenvolvido pela instituição, destacando a importância de se olhar com especial atenção para a educação de qualidade no campo.

A integrante do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea), Maria das Dores Almeida, citou a falta de água na região do semiárido mineiro e as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores rurais.

No período da tarde, os representantes do governo na região deram retorno à sociedade civil dos encaminhamentos realizados entre órgãos e secretarias, a partir das deliberações do fórum anterior, em março.

A questão da água no Norte de Minas – uma estratégia priorizada pela sociedade civil da região – está gerando planos de ação que envolvem vários órgãos e entidades governamentais: Educação, Agricultura, Desenvolvimento Regional e Urbano, Saúde e Transportes. A Fundação Rural Mineira (Ruralminas) investe em barragens e bacias de captação, que avançaram muito desde 2009. A Sedvan, por sua vez, está captando investimentos com o governo federal, que serão direcionados para projetos como o desenvolvido pela Ruralminas.

Famílias beneficiadas

O engenheiro agrônomo Daniel Norberto, representante da Ruralminas na região Norte, informa que já foram construídas, desde 2009, 68 barragens e 500 bacias de captação e reservatórios, atendendo a mais de 2.000 famílias dentro do programa Convivência com a Seca. “A barragem é de grande importância para as famílias do semiárido, pois se cria condições de irrigação, melhoria da qualidade de vida através da criação de peixes e abastecimento do lençol freático”, afirma.

Dando sequência aos encontros, no próximo dia 20 de junho será realizada a 2ª reunião do Comitê Regional do Sul de Minas, em Poços de Caldas. No dia 22 tomam posse, na Cidade Administrativa, os representantes de mais quatro comitês: Centro-Oeste, Noroeste, Alto Paranaíba e Central, completando a regionalização da estratégia governamental nas dez regiões de planejamento do Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/reunioes-do-estado-em-rede-desenvolvem-discussoes-no-norte-de-minas/

Gestão Eficiente: Pró-Genética chega ao Mucuri e Centro-Oeste de Minas

Venda de tourinhos vai contribuir para a melhoria de rebanho superior a 170 mil animais

Os agricultores familiares de Ataleia, na região do Mucuri, e de Medeiros, no Centro-Oeste de Minas, terão neste sábado (16) a oportunidade de adquirir, em condições especiais de pagamento, touros de genética superior para melhorar a qualidade de seus rebanhos de corte e de leite.  Nos dois municípios será realizada pela primeira vez a feira de touros do Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino Estado de Minas Gerais (Pró-Genética), criado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

No Parque de Exposição de Ataleia serão oferecidos 50 animais com genética comprovada pela Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), predominando exemplares da raça Guzerá. A informação é do extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), Mário Souza Silva. Com base nos contatos realizados com os compradores potenciais, a maioria dedicada à produção de leite, todo o lote de touros colocado no parque será vendido.

“Será um passo importante para a valorização do rebanho de Ataleia, que soma atualmente 140 mil cabeças”, observa Silva. Ele diz que os pecuaristas estão bem informados sobre a necessidade de introdução de reprodutores de qualidade em suas propriedades e apostam em bons negócios com a facilidade de obtenção do crédito específico para a agricultura familiar por meio do Banco do Brasil, Bradesco, e Sicoob/Credivale.

“A Emater faz o levantamento da demanda de touros, orienta o produtor para comprar os animais adequados ao seu plantel e dá assistência em todos os estágios para a obtenção do financiamento”, ressalta o extensionista.

Em Medeiros, o lote de animais colocado à venda no Parque de Exposição será composto de 33 animais das raças Gir leiteiro, Brahman, Tabapuã e Girolando. Segundo o gerente de Fomento da ABCZ, Lauro Fraga, a demanda prevista é de 30 animais.

“Neste ano já foram realizados seis feiras do Pró-Genética e a meta do programa é realizar 20 eventos para facilitar o acesso dos produtores, sobretudo da agricultura familiar, a touros de alta genética”, acrescenta Fraga. “A introdução de reprodutores de qualidade nos estabelecimentos de agricultura familiar tem grande importância, porque ajuda a transformar a economia do segmento”, finaliza.

Boas perspectivas

A difusão dos resultados das feiras do Pró-Genética estimula a adesão de produtores de outros municípios. Além disso, os pecuaristas passam a fazer a programação de compras de animais de qualidade para renovar seus rebanhos. O extensionista da Emater em Campina Verde, no Triângulo Mineiro, Pedro Paulo Bonacci  informa que foram realizados seis eventos do programa na cidade, o último no início do mês. “Dessa vez foram vendidos 11 touros da raça Nelore ao preço médio de R$ 4,5 mil por cabeça. Esses animais vão ajudar a fortalecer principalmente a produção de carne no município”, afirma. Ele ainda observa que os touros adquiridos pelos agricultores na primeira feira, realizada em 2007, ainda permanecem no município ajudando a melhorar a qualidade dos rebanhos.

Em Varzelândia, no Norte de Minas, a primeira edição da Feira de Touros do Pró-Genética foi realizada em maio deste ano e também mostrou o potencial de adesão dos agricultores familiares ao programa. Foram vendidos 29 touros das raças Nelore, Gir e Brahman, preços entre R$ 4,3 mil e R$ 5,5 mil. De acordo com a Emater, a maioria das aquisições, 86 % do total de animais vendidos, foi feita por agricultores do município de Varzelândia.

O Pró-Genética é executado por meio da Emater-MG e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), vinculados à Secretaria da Agricultura. As ações são desenvolvidas em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), Associação Brasileira de Criadores de Girolando, sindicatos rurais, prefeituras, cooperativas, Bancos do Brasil e do Nordeste e Sistema das Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/pro-genetica-chega-ao-mucuri-e-centro-oeste-de-minas/