Arquivos do Blog

Aécio aparece na liderança no Distrito Federal

Aécio aparece na liderança com 24,5% dos votos, enquanto a presidente Dilma Rousseff (PT) fica na segunda posição, com 18,9%.

Eleições 2014

Fonte: Estado de Minas

Aécio aparece em 1º lugar em nova pesquisa realizada no DF

Pesquisa do Instituto Dados mostra o tucano com 24,5% das intenções de votos no Distrito Federal

Pesquisa do Instituto Dados, realizada entre 24 e 30 de maio, com 3 mil eleitores do Distrito Federal, mostra o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, em vantagem. Na pesquisa estimulada, registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número TSE BR-00138/2014 e no Tribunal Regional Eleitoral sob o número TRE-00010/2014, Aécio aparece na liderança com 24,5% dos votos, enquanto a presidente Dilma Rousseff (PT) fica na segunda posição, com 18,9%. Em seguida vêm o ex-governador Eduardo Campos, do PSB, com 10%; o pastor Everaldo (PSC), com 2,9%; o senador Randolfe Rodrigues (PSOL), com 1,9%; e o ex-deputado Eduardo Jorge (PV), 0,8%.

A pesquisa espontânea, aquela em que o entrevistado diz em quem votará sem consultar uma lista prévia, indica que todos precisarão caminhar muito ainda para ter a fidelidade do eleitor em 5 de outubro. A presidente Dilma aparece com 13%, enquanto Aécio fica com 11,2%. Já Eduardo Campos tem 3,8%. Pastor Everaldo foi citado por 0,3% do total da amostragem, menos que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 1,8% – o petista não é candidato, mas sempre é citado nas amostragens espontâneas. Randolfe surge com o mesmo percentual o obtido pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (0,1%). A margem de confiança da pesquisa é de 95% e a de erro de 1,8%.

Governo de Minas: desemprego permanece estável na RMBH

Belo Horizonte mantém a menor taxa de desocupação entre todas as sete regiões metropolitanas pesquisadas.

SETE / Divulgação
"Para o Governo de Minas, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade", destaca Igor Coura
“Para o Governo de Minas, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade”, destaca Igor Coura

Em maio de 2012 a taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) foi de 5,0% da População Economicamente Ativa (PEA), a mesma registrada no mês anterior. Assim como no mês de abril, a taxa é a menor registrada na série histórica da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMBH), iniciada em 1996.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (27) pela Fundação João Pinheiro, Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete), Dieese e Fundação Seade.

Entre as sete Regiões Metropolitanas avaliadas pela PED (Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo), a de Belo Horizonte mantém a menor taxa de desemprego pelo 11º mês consecutivo.

“O que mais impacta para que a taxa da RMBH permaneça a menor entre as regiões metropolitanas é o peso forte do setor de serviços, que representa 57% das pessoas que estão empregadas no mercado de trabalho hoje”, explica o coordenador da PED pela Fundação João Pinheiro, Plínio Campos.

No período avaliado, houve ligeiro acréscimo no contingente de ocupados (7 mil), mesmo número de pessoas que passaram a fazer parte do mercado de trabalho, o que resultou na estabilidade do número de desempregados. O tempo médio de procura por trabalho foi de 25 semanas, uma a mais que o mês de abril.

Para o coordenador do Observatório do Trabalho da Sete, Igor Coura, sempre haverá movimentação no mercado de trabalho; portanto, uma queda maior na taxa de desemprego é improvável. “Somos resistentes em dizer que estamos numa situação de pleno emprego, pois a estrutura do mercado não é homogênea. Para afirmarmos que essa é a taxa ideal, precisamos de um mercado de trabalho estável e organizado. Mas estamos bastante satisfeitos com os números alcançados. Para o Governo de Minas, por meio da Sete, a qualidade do emprego é agora a grande prioridade para que fiquemos numa situação confortável”, afirma.

Setores

Na comparação com o mês de abril, o setor de serviços registrou aumento de 23 mil empregos, o agregado “outros setores” 5.000, e a indústria 3.000. Em movimento contrário, construção civil e comércio sofreram reduções de 13 mil e 11 mil, respectivamente.

Entre abril de 2011 e abril de 2012, houve acréscimo de 56 mil postos de trabalho no setor privado (4,4%) e de 8 mil ocupações no emprego público (2,5%). Foram registrados aumentos de 83 mil (7,4%) trabalhadores assalariados com carteira assinada e de 11 mil (7,8%) ocupados no setor de empregados domésticos.

“É importante ressaltar que a geração de novas ocupações foi suficiente para absorver todas as pessoas que ingressaram no mercado de trabalho, o que fez com que a taxa permanecesse estável. Outro fato que chama a atenção é o de que, pelo sétimo mês consecutivo, observamos aumento na ocupação”, analisa Campos.

Rendimentos

Em abril, o rendimento real médio dos ocupados foi estimado em RS 1.403, sendo registrada redução de 0,9%, se comparado a março. No setor privado, foi observada relativa estabilidade no salário médio da indústria (0,3%). Em contrapartida, houve redução de 2,2% no salário médio do setor de serviços e de 4,6% no do comércio.

“A expectativa para os próximos meses é de que tenhamos taxas menores, se comparadas às do ano anterior”, conclui Plínio Campos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/desemprego-permanece-estavel-na-rmbh/

Gestão em Minas: desemprego volta a cair na Grande Belo Horizonte e fica abaixo da média nacional

Tempo médio de procura por trabalho também caiu para 24 semanas, menor patamar já registrado pela Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego

Divulgação SETE
Fernando Duarte do Dieese, Plínio de Campos da FJP e Igor Coura do Observatório do Trabalho da SETE divulgam o resultado da PED
Fernando Duarte do Dieese, Plínio de Campos da FJP e Igor Coura do Observatório do Trabalho da SETE divulgam o resultado da PED

A Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego (PED), divulgada nesta quarta-feira (30), pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (SETE), Fundação João Pinheiro, Dieese e Fundação Seade, apontou redução na taxa de desemprego total na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ao passar de 5,4% da População Economicamente Ativa (PEA) em março para 5,0% em abril. Esse número é significativamente menor que os 8,1% apurados em abril de 2011 e também o menor da série histórica, iniciada em 1996. Na média entre as sete regiões metropolitanas analisadas (Belo Horizonte, Salvador, Recife, São Paulo, Porto Alegre, Fortaleza e Distrito Federal) o desemprego total ficou em 10,8%.

No período, a redução de 10 mil pessoas (7,6%) no número de desempregados na RMBH, em relação ao mês anterior, resultou do aumento de 8 mil ocupações (0,3%), somando à retirada de 2 mil pessoas do mercado de trabalho (0,1%). Segundo o coordenador técnico da pesquisa, Plínio de Campos, o trabalho precário também diminuiu em 3 mil pessoas.

De acordo com a pesquisa, o tempo médio de procura por trabalho despendido pelos desempregados na RMBH foi de 24 semanas, 2 a menos em relação ao mês anterior e 7 a menos em relação a 2011, quando o trabalhador gastava em média 31 semanas para ser recolocado no mercado de trabalho. Esse também é o menor tempo de procura já registrado pela PED.

Para o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, o Governo de Minas está no caminho certo, com resultados cada vez melhores nas políticas públicas que beneficiam os trabalhadores mineiros, como a qualificação profissional, a estruturação das unidades de atendimento ao trabalhador e a convergência das ações na Rede Mineira do Trabalho. “Temos atacado o desemprego em diversas frentes, para que nossos trabalhadores sejam capacitados e preparados para o mercado de trabalho e para que as empresas possam absorver cada vez mais mão de obra qualificada”, garante.

Segundo o coordenador do Observatório do Trabalho da SETE, Igor Coura, há uma dificuldade natural de baixar ainda mais a taxa de desemprego na RMBH, por vários fatores, entre eles a taxa de inatividade, o benefício do seguro-desemprego e mesmo a adequação do mercado. “O Governo continua se preocupando com a taxa de desemprego, mas hoje já podemos nos preocupar com setores específicos da economia e na melhora do perfil geral do emprego no Estado”, afirma.

Em abril, o número de ocupados na RMBH permaneceu praticamente estável em relação ao mês anterior (0,3%) e foi estimado em 2.299 mil trabalhadores. Foram registradas quedas no contingente de ocupados na construção civil (4 mil, ou 2,1%), no comércio (6 mil ou 1,7%) e na indústria (1 mil ou 0,3%). No agregado “outros setores” e no setor de serviços houve acréscimo de 5 mil (ou 3,4%) e 14 mil (ou 1,1%), respectivamente.

Em relação ao ano anterior, o nível ocupacional aumentou 3,2%. Foram registrados acréscimos nos postos de trabalho nos serviços (51 mil, ou 4,1%), no comércio (20 mil, ou 6,2%), na construção civil (98 mil, ou 4,5%) e no agregado “outros setores” (2 mil, ou 1,3%) e decréscimo de ocupações na indústria (10 mil, ou 3,0%).

“A redução na construção civil é o reflexo observado na fatia da construção pesada para consumo durante o primeiro trimestre. Neste período as famílias têm mais obrigações a serem quitadas e, consequentemente, dão uma pausa nas reformas ou construções de suas casas”, explica o coordenador da PED pela Fundação João Pinheiro, Plínio Campos.

O supervisor técnico regional do Dieese, Fernando Duarte reitera que é preciso monitorar o mercado de trabalho nos próximos meses. “Temos que observar a indústria, por exemplo, que apresenta os melhores salários e tem grande capacidade de gerar renda para o Estado. Se continuar nesse nível de desemprego, o foco maior de preocupação será com a qualidade e não mais com as taxas”, destaca.

Segundo posição na ocupação, a PED registrou em abril aumento do número de postos de trabalho entre os assalariados (29 mil), refletindo acréscimo no setor privado (33 mil), já que foi registrada redução no setor público (4 mil), em relação a março. O comportamento do setor privado resultou do aumento do contingente de assalariados com registro em carteira (37 mil), já que o contingente de assalariados sem registro diminuiu (4 mil).  No período, houve redução do contingente de autônomos (15 mil) e acréscimo no número de ocupados no emprego doméstico (5 mil).

Rendimentos

O rendimento real médio dos ocupados na Região Metropolitana de Belo Horizonte foi estimado em R$ 1.410, em março de 2012, o que representa redução de 2,4% em relação ao mês anterior e 4,7% em relação ao mesmo período de 2011. O salário real médio também apresentou decréscimo de 2,1% em relação ao mês anterior e de 5,2% em relação ao ano passado, sendo estimado em R$ 1.389.

A coordenadora técnica da PED, Gabrielle Cicarelli, afirma que a queda nos rendimentos não é necessariamente um fator negativo. “Verificamos que entre os 10% da população com menor salário houve significativo aumento nos rendimentos, enquanto que entre os 10% da população que recebe maior salário é que houve queda. A queda nos rendimentos da população de maior renda pode estar mascarando as melhorias nos rendimentos da parcela que ganha menos”, conclui.

A média dos rendimentos nas sete regiões metropolitanas apuradas foi de R$ 1.458, sendo mais alta no Distrito Federal (R$ 2.294) e mais baixa em Fortaleza (R$ 997).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/desemprego-volta-a-cair-na-grande-belo-horizonte-e-fica-abaixo-da-media-nacional/

Governo de Minas: Instituições estaduais se unem na luta pelo patrimônio cultural

Educação, transversalidade, leis e distribuição de recursos foram alguns dos temas discutidos

O I Encontro Nacional das Instituições Estaduais de Preservação do Patrimônio Cultural teve um saldo muito positivo. O encontro realizado em Recife durou três dias e possibilitou conversas e debates que resultaram na decisão de dar continuidade à troca de informações e à construção de uma política comum, pautadas no diálogo entre as instituições. Essa decisão deverá ser fortalecida com a criação do fórum Nacional das instituições Estaduais de Preservação do Patrimônio Cultural, de caráter permanente, que terá sua primeira reunião ainda este ano.

No encontro, o presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas gerais (Iepha/MG), Fernando Cabral leu a carta elaborada por ele, “Carta do Recife”. O documento explicita o intuito da construção dessa rede, fazendo ainda considerações, recomendações e proposições relacionadas à atuação dos órgãos e à política pública de preservação. Educação, transversalidade, exigência de uma nova postura, recomendações acerca de elaboração de novas leis e distribuição de recursos foram algumas das questões pactuadas.

Participaram do Encontro representantes de 13 estados, Amapá, Ceará, Goiás, Santa Catarina, Bahia, Minas Gerais, Paraíba, Distrito Federal, Maranhão, Sergipe, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul.

Fernando Cabral, um dos idealizadores do encontro, junto a Severino Pessoa (Fundarpe/PE) e a Frederico Mendonça (Ipac/BA), apresentou um painel sobre a atuação do Iepha/MG e os desafios enfrentados, colocando ainda algumas questões comuns a todas as instituições presentes, como fontes de financiamento, especulação imobiliária, depredação, furtos, vandalismo, mineração e legislação sobre crimes contra o patrimônio cultural.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/instituicoes-estaduais-se-unem-na-luta-pelo-patrimonio-cultural/

Governador Anastasia assina protocolo de intenções para investimentos privados em Uberlândia

B2W e Lojas Americanas, Souza Cruz e Grupo Carol Sodru vão investir cerca de R$ 300 milhões
Wellington Pedro/Imprensa MG
Anastasia assinou protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas
Anastasia assinou protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas

O governador Antonio Anastasia assinou, nesta sexta-feira (10), durante visita a Uberlândia, protocolo de intenções com a B2W Companhia Global de Varejo e a Lojas Americanas, para a implantação de dois centros de distribuição, naquele município do Triângulo Mineiro. Com investimentos da ordem de R$ 150 milhões, a expectativa é que os empreendimentos gerem 1.500 empregos diretos e 800 indiretos até 2013, quando deverão entrar em operação. O documento foi assinado pela presidente da Lojas Americanas, Ana Cristina Ramos Saicali.

A Souza Cruz, que tem em Uberlândia a maior fábrica de cigarros da América Latina, informou ao governador investimentos, neste ano, de R$ 140 milhões, para modernização da unidade. A empresa poderá ampliar os investimentos em R$ 250 milhões, até 2015. Já o presidente da Carol Sodru S.A anunciou a transferência da matriz, localizada em São Paulo, para Uberlândia, em que pretende investir cerca de R$ 5 milhões.

Ao comentar esses investimentos, Antonio Anastasia afirmou que o papel do Estado é desburocratizar e criar um ambiente favorável à atração de negócios.

“Estamos muito felizes, porque esses anúncios hoje, aqui em Uberlândia, demonstram que Minas Gerais está correta na sua política de atração de investimentos. Estamos atraindo investimentos em todos segmentos econômicos, na agropecuária, na indústria, nos serviços. Agora temos um esforço ainda maior porque queremos diversificar a economia mineira. Essa diversificação significa não só ficarmos dependentes do minério e do café, que são produtos fundamentais para a nossa economia, mas é importantíssimo que tenhamos indústrias importantes e serviços que, aliás, demonstram a nova economia do século XXI”, afirmou.

O prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, destacou que o município tem seu desenvolvimento vinculado à parceria que mantém com o Estado, a qual deveria servir de exemplo para todos os prefeitos. “Sem essa parceria entre a prefeitura e o Governo de Minas haveria mais dificuldades para gerar emprego e renda para a população”, afirmou

Lojas Americanas

O centro da B2W será destinado exclusivamente à armazenagem, manuseio e despacho de mercadorias comercializadas na modalidade de comércio eletrônico e telemarketing (e-commerce). O centro de distribuição das Lojas Americanas vai repassar mercadorias para seus estabelecimentos comerciais (lojas físicas). Os dois centros irão atender os mercados de Minas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e Acre.

A B2W Companhia Global do Varejo é uma empresa de comércio eletrônico criada no final de 2006 pela fusão entre Submarino, Shoptime e Americanas.com. Controlada pelas Lojas Americanas (54,56% do capital social), detém as marcas Lojas Americanas, Submarino, Shoptime, bem como as subsidiárias Ingresso.com, B2W Viagens e Submarino Finance. O grupo ainda controla as operações da Blockbuster no Brasil.

Souza Cruz

A Souza Cruz vai investir, este ano, R$ 140 milhões na modernização de sua fábrica de cigarros em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Existe a possibilidade de a empresa fazer outros investimentos, que podem chegar a R$ 250 milhões, até 2015. Segundo a empresa, a decisão da compra de máquinas e equipamentos foi tomada após medidas do Governo do Estado no sentido de desburocratizar o processo para importação de maquinário sem similar no mercado nacional. Essas medidas ajudaram decidir pela realização dos investimentos em Uberlândia.

A Souza Cruz implantou a unidade de Uberlândia há 34 anos.  Com 1.100 empregados, a unidade é a maior da América Latina e responsável pelo atendimento de 40% do mercado brasileiro.  A empresa informou que gera R$ 300 milhões por ano em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e injeta R$ 70 milhões na economia de Uberlândia. Está entre as cinco maiores empresas pagadoras de impostos do Brasil.

Carol Sodru

Durante reunião no gabinete do prefeito Odelmo Leão, os diretores da Carol Sodru S.A anunciaram a transferência da matriz, localizada em São Paulo, para Uberlândia. Serão investidos cerca de R$ 5 milhões e a nova sede da empresa será instalada em uma área de 1.300 metros quadrados. A expectativa é que a matriz da Carol Sodru seja inaugurada ainda neste semestre, com a geração imediata de cerca de 100 postos de trabalho. Nos próximos cinco anos, o número de vagas pode saltar para 150. Além do novo escritório, os investimentos serão usados para compra de materiais de suporte tecnológico, transferência e contratação de profissionais qualificados. Também a sede da Lider Armazéns Gerais, empresa do grupo, será transferida de São Paulo para Minas Gerais, com aproximadamente oito profissionais de logística e transbordos.

No plano de investimentos da empresa para os próximos cinco anos, a intenção é construir uma Unidade Beneficiadora de Sementes (UBS), com cerca de 30 profissionais, incluindo agrônomos para trabalhar com melhoramento genético. Outro projeto é a aquisição de uma planta industrial para moagem de soja e transformação em óleo, farelo e biodiesel, que contará com cerca de 120 profissionais (executivos, engenheiros e operários).

A Carol Sodru é uma joint venture, criada em 2010, entre o grupo russo Sodrugestvo (51%) e a Cooperativa dos Agricultores da Região de Orlândia (49%) e atua na produção de óleo e farelo de soja. A Sodrugestvo detém a maior processadora de soja da Europa (3.300 toneladas por dia). No Brasil, a empresa emprega 580 pessoas, sendo que no pico da safra o número de postos pode chegar a mil.

O presidente da Carol Sodru, Roger Maynard, disse que as perspectivas da empresa com a transferência para o Triângulo são muito grandes. “Uberlândia é a porta do Cerrado. A localização geográfica e a infraestrutura da cidade é muito positiva para o desenvolvimento da empresa que está vindo para o Brasil”, afirmou.

Repasse

O governador autorizou ainda o repasse da segunda parcela de R$ 9 milhões para custeio e manutenção do Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro. Os recursos são fruto de convênio assinado em 2011, no valor total de R$ 18 milhões. Desde 2007, o Governo de Minas já repassou para o Hospital cerca de R$ 59,5 milhões, incluindo recursos para obras.

O Hospital Municipal é um hospital geral, de média complexidade, com 258 leitos, sendo 30 de UTI adulto e 28 de UTI Neonatal, e capacidade para 900 atendimentos/mês. Com mais de 55 mil metros quadrados de construção, o projeto atende aos mais exigentes padrões de qualidade hospitalar, adotando conceitos inteligentes, como manutenção de baixo custo e processos ecologicamente corretos.

Viaduto

O governador participou também da abertura ao tráfego do viaduto entre os cruzamentos das avenidas João Naves de Ávila e Rondon Pacheco. A estrutura, de 235 metros de comprimento, 22 de largura e seis pistas de rolamento, três em cada sentido, consumiu R$ 24 milhões, sendo R$ 12 milhões recursos do Governo de Minas e os outros R$ 12 milhões contrapartida do município. A obra beneficiará 25 bairros. Durante a construção, 200 empregos foram gerados.

O viaduto integra o programa viário “Uberlândia Integrada”, que também conta com a participação do governo do Estado com investimentos da ordem de R$ 48 milhões.  Mais de 50% das obras de drenagem pluvial, pavimentação, urbanização, sinalização e iluminação estão concluídas. Pedestres e ciclistas também serão beneficiados com a construção de faixas elevadas para travessia de pedestres, calçadão, ciclovia e áreas verdes.

Fonte: Agência Minas

Gestão em Minas: comunidades terapêuticas serão mapeadas em censo estadual e nacional

O censo será realizado com o objetivo de identificar essas comunidades, conhecer sua distribuição, estrutura de funcionamento e capacidade de atendimento

Bernardo Carneiro/Seds
A capacitação dos 22 pesquisadores aconteceu na Cidade Administrativa
A capacitação dos 22 pesquisadores aconteceu na Cidade Administrativa

Os primeiros passos para o início do Censo das Comunidades Terapêuticas, em Minas Gerais, foram dados nesta quarta-feira (8) na Cidade Administrativa, com a capacitação de 22 pesquisadores. O trabalho tem o apoio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio de suporte técnico e logístico da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod). O censo será realizado em todo o país com o objetivo de identificar essas comunidades, conhecer sua distribuição, estrutura de funcionamento e capacidade de atendimento em todo o território nacional.

A iniciativa é da Secretaria Nacional sobre Drogas (Senad), em parceria com as Federações das Comunidades Terapêuticas, com a participação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Os resultados obtidos no censo servirão de base na definição de estratégias para o fortalecimento e a integração da rede de atendimento a usuários de álcool e outras drogas.

O subsecretário de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides, avalia o trabalho como um “esforço entre a Senad e o Governo de Minas que pode auxiliar as políticas públicas de combate e prevenção às drogas no estado”. Em Minas Gerais, Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins a supervisão do censo ficará sob a responsabilidade da Federação das Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil (Feteb).

Responsabilidades

A Secretaria Nacional sobre Drogas é responsável pelo financiamento do projeto, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre cuida de toda a parte administrativa, como contratações e repasses de recursos, e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul é responsável pelo processamento das informações. Nos estados da Região Norte e Nordeste a supervisão ficará a cargo da Federação Norte e Nordeste das Comunidades Terapêuticas (Fennoct), no Rio de Janeiro e São Paulo pela Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract) e nos estados da Região Sul pela Cruz Azul no Brasil. A coordenadora do projeto, Andreia Diel, destaca que o Censo das Comunidades Terapêuticas será viabilizado graças “a uma aliança de competências de profissionais e instituições de todo país”.

As Federações das Comunidades Terapêuticas devem, entre outras atribuições, treinar e supervisionar os coletadores de informações, produzir relatórios semanais sobre o andamento do censo e enviar os dados para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. “No censo as comunidades terapêuticas não serão avaliadas. A intenção é divulgar para as famílias e técnicos, instituições governamentais e não governamentais onde estão e que tipo de atendimento realizam as comunidades de todo o país” enfatiza a psicóloga e técnica do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (Obid), Eliana Berger.

Fonte: Agência Minas