Arquivos do Blog

Minas divulga turismo sustentável para atrair turista na Copa

Governo de Minas: turismo sustentável na Copa do Mundo 2014 foi destaque na Semana do Meio Ambiente

Governo de Minas: Copa do Mundo 2014

Fonte: Agência Minas

Favorecimento da economia local e o desenvolvimento social e econômico das comunidades envolvidas na competição também foram debatidos

Minas: turismo sustentável na CopaSistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), realizou, quinta-feira (6), em Belo Horizonte, o Seminário “Valorizando o Turismo Sustentável na Copa do Mundo”. No evento foi discutida a temática do turismo sustentável na Copa do Mundo, além da promoção de diversas formas de favorecimento da economia local e o desenvolvimento social e econômico das comunidades envolvidas no evento esportivo.

Na abertura do seminário, a presidente da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), Zuleika Torquetti, falou sobre a importância das discussões com relação à sustentabilidade na Copa do Mundo 2014. “Nosso objetivo é dar oportunidade para que a sociedade conheça as ações do Governo de Minas, em diversas áreas, para a realização de uma Copa Sustentável”, disse.

A superintendente de Estruturas do Turismo da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Graziele Vilela, discorreu sobre a relação entre o turista, a gestão pública e a iniciativa privada e suas práticas de sustentabilidade. Ela frisou, também, que os eventos esportivos a serem realizados no país são uma grande oportunidade para o crescimento do Brasil em vários aspectos como, por exemplo, na consolidação do país como destino turístico, na descentralização da atividade eixo Rio-São Paulo, voltando o interesse para Minas Gerais, além do avanço de várias obras necessárias. “Temos muitos desafios a serem enfrentados e este é o momento para nos prepararmos”, frisou.

Parque da Copa 2014

O gerente do Parque Estadual do Itacolomi, Juarez Távora, apresentou a estrutura do Parque e os atrativos turísticos da Unidade de Conservação, que abrange os municípios de Mariana e Ouro Preto. O Parque representa um grande potencial turístico para a Copa de 2014.

Um contrato realizado entre a Secretaria de Turismo de Minas Gerais e o Ministério de Turismo pretende desenvolver um projeto piloto para estruturação de um produto turístico no Parque Estadual do Itacolomi. O contrato, representado pela Caixa Econômica Federal, em parceria com o Instituto Estadual de Florestas (IEF), tem como objetivo viabilizar melhorias e adequações de infraestrutura da UC, com vistas à Copa do Mundo 2014.

Abrangendo vários tópicos, o projeto propõe ações como um projeto de sinalização bilíngue; a elaboração do conteúdo de áudio da exposição do Centro de Visitantes e Casa Bandeirista; a contratação de projeto executivo para recuperação de trechos da estrada interna do Parque e de arquitetura e edificações, abrangendo reforma da portaria, construção de sanitários e abrigo de resíduos, além de reformas no complexo arquitetônico da Fazenda São José do Manso; a contratação de projeto executivo de manutenção de trilhas e a elaboração do projeto executivo de gestão da segurança do Parque com proposições de acessibilidade. Os contratos estão aguardando aprovação da Caixa Econômica Federal.

Rota das Grutas Peter Lund

As ações desenvolvidas por meio do Projeto Estratégico Rota das Grutas Peter Lund foram apresentadas pela gerente do Projeto Estratégico, Renata Lacerda. O objetivo do Projeto é promover o desenvolvimento regional por meio do turismo, com a estruturação de um roteiro turístico nacional e internacional pautado em elementos naturais e culturais da região cárstica. A Rota envolve os municípios de Belo Horizonte, Lagoa Santa, Pedro Leopoldo, Sete Lagoas e Cordisburgo.

Com seis marcos definidos e já com diversas obras entregues e outras em fase de finalização, o Projeto pretende atrair os turistas que visitarão esses municípios na ocasião da Copa do Mundo 2014. O “marco zero” da Rota é o Museu de Ciências Naturais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC), seguido dos marcos 1 (Túmulo de Peter Lund), 2 (Centro de Arqueologia Annette Laming Emperaire), 3 (Museu Peter Lund no Parque Estadual do Sumidouro, 4 (Receptivo Turístico Rei do Mato, 5 (Receptivo Turístico Maquiné e 6 (Museu Casa Guimarães Rosa).

No total, já foram investidos cerca de 17 milhões de reais nas obras da Rota, com a previsão de aplicação de mais 7,5 milhões até o final de 2014.

A Copa em Minas

A coordenadora de eventos e marketing da Secretaria Extraordinária para a Copa do Mundo (Secopa), Mariana Costa Bahia, apresentou as expectativas e oportunidades para Minas Gerais com a realização da Copa do Mundo 2014. De acordo com ela, são esperados mais de 600 mil turistas internacionais e 3 milhões de turistas brasileiros, nas 12 cidades sede da Copa. Somente em Belo Horizonte são esperados 197 mil turistas estrangeiros e 430 mil turistas brasileiros.

Mariana Bahia ressaltou a oportunidade e setores mais beneficiados como os de turismo e hotelaria, construção civil, alimentos e bebidas, serviços prestados às empresas, dentre outros, e que impactarão positivamente na economia. De acordo com ela, somente em Belo Horizonte, estão sendo realizadas 12 obras de infraestrutura com investimento de 2,6 milhões de reais financiados pelo governo federal; 1 bilhão de reais de investimentos no setor hoteleiro com a construção de 52 novos hotéis e a criação de 36 mil novos postos de serviços. “Isso gerará um aumento de 1,8% do produto Interno Bruto (PIB) do Estado e a injeção de 2,4 bilhões de reais na economia”, disse.

Outras oportunidades citadas pela coordenadora de eventos e marketing é a expectativa para o Brasil nos próximos dois anos com o aumento do turismo no Brasil, como aconteceu na África do Sul após a Copa realizada naquele país, além das obras de infraestrutura que trarão benefícios para toda a população após a realização dos jogos.

Gestão Anastasia: Governo de Minas promove intercâmbio com o governo da França

A troca de conhecimento visa preparar o sistema de saúde de Minas para situações de emergência, que possam ocorrer durante a copa do mundo.

Divulgação / SES
Governo de Minas participou de treinamento oferecido pelos franceses para atendimento desastres
Governo de Minas participou de treinamento oferecido pelos franceses para atendimento desastres

Minas Gerais será palco, nos próximos anos, de grandes eventos esportivos, com destaque para a Copa das Confederações (2013) e Copa do Mundo (2014). Como o governo francês tem reconhecida experiência na formação e atuação em proteção civil sanitária, com destaque para o trabalho que foi realizado na Copa do Mundo de 1998, integrantes do Governo de Minas participaram nessa quinta-feira (16), na França, de um treinamento voltado para situações de crise. Estiveram na simulação o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge de Souza Marques, e o coordenador da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Rasível dos Reis.

A capacitação é resultado de um Termo de Cooperação Técnica, que será assinado entre Minas Gerais, por intermédio do governo brasileiro, e o Governo da França. Seu objetivo é capacitar os profissionais de saúde de Minas para responderem adequadamente a situações de desastres, catástrofes e crises sanitárias, bem como na operação das unidades de saúde, hospitais e Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU).

O evento, que ocorre apenas uma vez por ano na formatura da turma de Medicina de Catástrofe da Faculdade Rene Descartes, envolveu mais de 400 pessoas, sendo que mais de 200 figurantes receberam treinamento e até maquiagem para criarem o clima de desastre. Foi utilizado um avião Boeing 747 simulando um acidente químico e com trauma. “Os alunos são submetidos à situação de estresse e são acompanhados pelos instrutores nas várias etapas do socorro: triagem na cena do acidente, montagem do posto médico avançado e tenda de descontaminação”, explicou Pierre Carli,chefe do SAMU de Paris.

Segundo o secretário Antônio Jorge, o Brasil tem desenvolvido sua política de atenção às urgências através de um modelo semelhante ao adotado na França, principalmente no atendimento pré-hospitalar e na proposta de um sistema de escuta médica constante. “O desenvolvimento desse modelo teve como base a organização dos SAMUs franceses, que desde 2002 têm sido a base da política nacional brasileira de urgência. No entanto, uma das áreas que mais avança nos sistemas de urgência, que são a preparação para situações de catástrofes e a própria medicina de desastres, recebe pouca atenção na elaboração das políticas públicas de urgência no país. Além da pouca difusão de técnicas e da precária formação de profissionais, há também um déficit regulatório no que tange à atenção e vigilância à saúde. Faltam técnicas e metodologias de resposta a essas situações, tanto na área dos SAMUs, quanto na área hospitalar, além da falta de legislação específica”, explicou.

De acordo com dados do Ministério do Turismo, o Brasil deve receber 600 mil turistas estrangeiros com circulação de 3 milhões de brasileiros durante a Copa do Mundo da FIFA 2014. Para Belo Horizonte, a expectativa do ministério é de 200 mil estrangeiros e 430 mil brasileiros, segundo estudo de 2011, desenvolvido em conjunto com a Fundação de Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe). “Vamos ter um cenário com dezenas de nacionalidades de países com hábitos culturais diversos, para o qual teremos que estar preparados. Esses conhecimentos compartilhados com a França serão também um dos legados da Copa de grande utilidade pública para nosso Estado após o evento”, acrescentou Marcelo Neves, representante da Secopa na França.

Rasível dos Reis contou que, por meio dos cursos de formação, o público alvo, que são os diversos profissionais da área de saúde, vai poder trabalhar diretamente com as ações de urgência e emergência e depois irão multiplicar o conhecimento adquirido. “Para isso iremos estruturar a capacidade dos SAMUs dos Hospitais da Região Metropolitana de Belo Horizonte e, posteriormente, de todo o Estado de Minas Gerais em situações de catástrofes. Iremos disponibilizar estruturas, equipamentos, materiais e logística de atendimento para a resposta a situações de crise. Também iremos elaborar com o auxílio da França uma legislação mineira sobre o assunto, que terá como destaque as crises sanitárias devido à aglomeração de pessoas (turistas e participantes do evento)”, pontuou.

O projeto, que é coordenado por representantes da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores e por representantes do Governo da Embaixada da França, em Brasília, será executado durante 22 meses. “E importante registrar que como Belo Horizonte será uma das cidades sedes da copa, o Estado e a prefeitura estarão trabalhando em conjunto nas atividades preparatórias. As ações incluídas nesse resultado visam à identificação de melhores práticas nacionais e internacionais, bem como o desenvolvimento de novas metodologias da área da urgência e emergência em grandes eventos”, finalizou Antônio Jorge.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-promove-intercambio-com-o-governo-da-franca/

Governo de Minas: Emater-MG e parceiros capacitam extensionistas em artesanato e turismo rural

Com o objetivo de promover a troca de conhecimentos e experiências nas áreas de artesanato e turismo rural, as oficinas em Curvelo começam dia 21 de maio

Claudete Maria Souza
Comunidade Município Cuiabá, em Gouveia, local onde existe um projeto de incentivo ao turismo rural
Comunidade Município Cuiabá, em Gouveia, local onde existe um projeto de incentivo ao turismo rural

Promover a integração e socialização de conhecimentos e experiências, nas áreas de artesanato e turismo rural, com vistas à qualificação da ação extensionista, e considerando as relações de gênero, raça e etnia.  Estes são os objetivos de duas oficinas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) programadas para iniciar em Curvelo, região central do Estado.  Uma delas será entre os dias de 21 a 25 de maio e a outra, de 28 a 31 de maio. O evento, que tem a parceria da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sede), da Secretaria Estadual de Turismo (Setur), além da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e da Cooperativa Dedo de Gente, de Curvelo, será dirigido a 70 extensionistas, entre técnicos locais e coordenadores regionais e estaduais da Emater-MG. A iniciativa tem recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por meio do convênio de ATER nº 149/2007, firmado pela Emater-MG e o órgão federal.

Responsável pela organização do evento, a coordenadora técnica estadual das áreas de Artesanato e Turismo rural, Cléa Venina, falou da importância dessa capacitação para os profissionais técnicos da empresa, tendo em vista a abertura de novos mercados para o artesanato e o turismo rural, no Estado.  “Esta é uma ação muito importante para prepararmos melhor os grupos de artesãos agricultores familiares, visando um melhor alcance de mercado de seus produtos artesanais, com a ampliação de postos de trabalho, ocupação e melhoria da renda. Queremos melhorar a qualidade de vida desse segmento rural, sem perder de vista o respeito ao meio ambiente, às tradições da cultura local e regional”, explicou.

Para a coordenadora técnica, a realização dos jogos da Copa do Mundo, em 2014, no país, também justifica a necessidade de preparar mais os agricultores familiares envolvidos nestas duas atividades. “A proximidade dos jogos da Copa 2014 traz a possibilidade de abertura de novos mercados para o artesanato e o turismo rural mineiro. Por isso a preparação desses grupos produtivos é de grande valia. Nosso papel é orientar para uma produção com melhor qualidade e buscar junto a esses grupos, novas possibilidades de mercado”, disse.

A coordenadora técnica regional de Diamantina, Claudete Maria Souza e Costa, que acompanha projetos de incentivo ao turismo rural, vinculados à produção artesanal em comunidades do município e da região, reforça os argumentos de Cléa Venina.  Ela afirma que a Emater-MG já atua no sentido de  preparar os agricultores familiares para o maior evento do futebol mundial. “Participamos do conselho do Circuito Turístico dos Diamantes, composto por 13 municípios da região, que tem como estratégia desenvolver ações integradas de roteiro e de divulgação com outros circuitos como o Circuito da Serra do Cipó. A intenção é viabilizar o fluxo de turistas, durante os jogos em 2014”, explica.

Diamantina

Entre os temas a serem tratados nas oficinas de Curvelo serão destaques a apresentação de casos de sucesso de turismo comunitário de base local. Trata-se de experiências da regional Emater-MG de Diamantina com agricultores familiares de comunidades rurais próximas. Uma das iniciativas acontece desde 2008, a comunidade rural de Vau, em Diamantina, e envolve cerca de 55 famílias locais, atendidas pelo Programa de Turismo em Comunidade Rural. O programa é assistido pela Emater-MG e pelo Centro Vocacional Chica da Silva.  No local, produtores de doces, quitandas, conservas e brevemente artesanato de fibra de bambu recebem apoio e orientação das duas instituições parceiras, na gestão, qualificação, organização e comercialização dos variados produtos da comunidade. O resultado tem sido uma melhoria na renda dos moradores da comunidade que puderam adquirir mais equipamentos para incrementar a produção, de acordo Claudete Maria. “Eles comercializam a produção na Vila Real, um espaço com loja dos produtos tradicionais, salão de convivência, acesso à internet, nas margens da Estrada Real”, comemora.

Outro trabalho desenvolvido pela Emater-MG, na perspectiva da vocação turística da região de Diamantina, acontece na comunidade de Cuiabá, no município de Gouveia, segundo Claudete. É o projeto Turismo de Vilarejo que beneficia mais de 50 famílias de agricultores locais. “Entramos no processo este ano e estamos apoiando o 2º Festival de Comidas Típicas de Gouveia, que acontecerá entre os dias 25 a 27 de maio”, informa, a coordenadora. A empresa  faz parte da comissão organizadora do evento, apoiando a divulgação e a articulação junto a outras instituições para captação de recursos. “Além de Diamantina ser Patrimônio Cultural da Humanidade, esta é uma região de grandes atrativos na natureza, como grutas, cachoeiras, rios, matas e parques e o nosso objetivo é inserir os agricultores no processo de desenvolvimento rural sustentável”, justifica.

ICMS diferenciado para artesãos

A capilaridade da Emater-MG, presente em 788.municípios do Estado, será uma importante aliada na implantação de uma política pública de apoio mais abrangente ao  artesanato mineiro,  segundo o superintendente de Artesanato (Suart), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Thiago Tomaz. “A parceria da Emater-MG será uma grande ferramenta para ajudar a mensurar o universo de artesãos no Estado e identificar demandas que possam fortalecer o artesanato como  segmento econômico rentável, gerador de trabalho e renda”, destaca.  A parceria da Sede com a empresa pública foi adotada a partir de um diagnóstico sobre o alcance desta atividade econômica, que inclui muitos agricultores familiares. “A iniciativa é importante para fomentar o artesanato mineiro”, argumenta Tomaz.

A equipe da Suart/Sede vai apresentar aos 70 extensionistas participantes das oficinas em Curvelo, os avanços e ações empreendidas pelo Governo de Minas para a promoção, comercialização e fomento do artesanato, além da formalização e fortalecimento da identidade do artesão mineiro. A assessora técnica do setor, Marina Sousa, fará uma exposição sobre o cadastramento do artesão no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab). O Sicab é um instrumento desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em atendimento ao Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), para a captação de dados do setor artesanal brasileiro.

A participação da Sede na capacitação dos extensionistas consistirá na apresentação dos objetivos e metas do Sicab, ressaltando os requisitos e exigências para o cadastramento, e os benefícios que poderão ser auferidos pelos artesões, como a emissão da carteira nacional do artesão e do trabalhador manual. “Essa parceria visa capacitar os técnicos da Emater-MG como multiplicadores da ficha cadastral, possibilitando assim atingir o maior número de artesãos e entidades mineiras, cadastradas no Sicab, de modo a unificar as informações da atividade artesanal em Minas Gerais”, explica Marina.

Durante a programação também será abordado pela Diretora de Desenvolvimento do Artesanato, Patrícia Miranda, em conjunto com técnicos da Secretaria de Estado de Fazenda (Sef-MG), o regime diferenciado de ICMS para artesãos e produtores da agricultura familiar, organizados em associações ou cooperativas. O regime permite uma redução significativa na respectiva alíquota, segundo Miranda. Ela explica que, de acordo com os critérios estabelecidos por protocolo de intenções, o artesanato poderá recolher uma alíquota de apenas 7% do ICMS. Atualmente, de acordo a diretora, a alíquota incidente do ICMS gira entre 12% e 18%.

Pesquisa realizada pela Emater-MG, no período de julho a setembro de 2008, aponta  um número relevante de produtores da agricultura familiar, envolvido na atividade artesanal nas áreas rurais. O estudo mostrou que de um universo de 1.112 artesãos, em 426 municípios mineiros, 55,8% são os denominados artesãos agricultores familiares. “Tais dados evidenciam o papel importante da agricultura familiar na preservação da cultura e tradição da atividade artesanal nas áreas rurais”, pontua a coordenadora técnica estadual de Artesanato e Turismo da Emater-MG, Cléa Venina.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/emater-mg-e-parceiros-capacitam-extensionistas-em-artesanato-e-turismo-rural/