Arquivos do Blog

Governo de Minas: Cemig lança programa voltado para comunidades vizinhas a hidrelétricas

Diretoria da Empresa vai detalhar as ações de relacionamento com comunidades no entorno das barragens da companhia.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) realiza, nesta segunda-feira (25), encontro com a imprensa e representantes da sociedade civil para o lançamento do Programa Proximidade. O evento, que acontece às 16h30, no auditório da Cemig, em Belo Horizonte, vai contar com a presença da Diretoria da Empresa, representantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

O Programa Proximidade consiste na unificação das ações de relacionamento com comunidades e na realização de um ciclo de encontros visando explicar à população os procedimentos operativos e de segurança adotados nas hidrelétricas da Cemig, condições climáticas e aspectos ambientais, além de promover visita guiada às instalações das usinas.

Durante o lançamento, a Cemig detalhará as medidas preventivas de segurança adotadas na operação dos reservatórios de suas usinas e as ações realizadas em parceria com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais.

Lançamento do Programa Proximidade

Data: 25/06 (segunda-feira)

Horário: 16h30

Local: Auditório do Edifício-Sede da Cemig – Avenida Barbacena, 1.200 – Santo Agostinho, Belo Horizonte

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cemig-lanca-programa-voltado-para-comunidades-vizinhas-a-hidreletricas/

Anúncios

Gestão Eficiente: Governo de Minas leva recursos a famílias atingidas pela chuva em Guaraciaba

Vice-governador Alberto Pinto Coelho entrega doações feitas pela população ao Movimento Minas Solidária.

O vice-governador Alberto Pinto Coelho e a vice-presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Ana Maria Campos Guimarães, entregaram, nesta quinta-feira (14), cheques no valor de R$ 632,00 a 124 famílias atingidas pelas chuvas do início do ano, em Guaraciaba, na Zona da Mata.

O dinheiro repassado às famílias foi arrecadado pelo Movimento Minas Solidária, iniciativa do Servas em parceria com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec/MG), com o objetivo de mobilizar a população em torno das ações de socorro às vítimas das chuvas. As doações feitas por cidadãos e empresas foram depositadas em contas bancárias abertas exclusivamente para esse fim. Foram arrecadados R$ 772.586,04.

Ação solidária

Em seu pronunciamento, Alberto Pinto Coelho destacou a ação solidária realizada pelo Servas e pela Cedec. “Quero ressaltar o papel fundamental do Servas, que realiza um trabalho voluntário de solidariedade humana e de mão estendida. Destaco a atuação da sua presidente, Andrea Neves, cujo comprometimento torna as ações muito mais abrangentes. Também destaco a resposta imediata das empresas e das organizações. Essa mobilização só foi possível com a comunhão de esforços, com a iniciativa do Servas e o apoio dos governos”, afirmou.

Para o vice-governador, o trabalho conjunto dos governos federal, estadual e municipal de apoio à população diminuiu os impactos dos estragos causados pela chuva em Guaraciaba. “Nas cidades atingidas pelas fortes chuvas, muitas famílias ficaram desabrigadas e algumas perderam suas moradias. O Governo de Minas, por meio Defesa Civil estadual, em um primeiro momento fez o acolhimento de emergência, juntamente com a Defesa Civil do município, que tem um trabalho muito importante”, disse.

Por definição do conselho gestor dos recursos, formado pelo Ministério Público Estadual, Servas e Cedec/MG, receberam o cheque no valor de R$ 632,00 famílias atingidas pelas chuvas que estão registradas no Cadastro Único e tenham o Número de Inscrição Social (NIS). Também receberão doações famílias atingidas pelas chuvas nos municípios de Brumadinho, Dona Euzébia, Guidoval, Matipó, Santo Hipólito e Senador Firmino.

Apoio

A vice-presidente do Servas, Ana Maria Campos Magalhães, leu mensagem da presidente Andrea Neves aos moradores de Guaraciaba. “O sentimento de todos nós do movimento Minas Solidária e do Governo Minas, e falo também em nome de cada cidadão solidário que apoiou essa ação, é de ter realmente contribuído não só com bens materiais e recursos financeiros, mas com solidariedade, com carinho e respeito a cada um de vocês. Acreditamos que esse recurso seja mais uma contribuição na retomada  da rotina familiar de cada uma das famílias”, escreveu a presidente do Servas.

Participaram da solenidade o prefeito de Guaraciaba, Eli Dorneles Gonçalves; a assessora do procurador Geral do Ministério Público de Minas Gerais, Mary Andréia; o presidente da Câmara Municipal de Guaraciaba, vereador José de Souza; e o coordenador da Defesa Civil Municipal de Guaraciaba, Helisson Moreira Reis, representando a Cedec, além de autoridades locais e da região.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-leva-recursos-a-familias-atingidas-pela-chuva-em-guaraciaba/

Governo Antonio Anastasia: Seminário da Defesa Civil destaca necessidade de municípios investirem em planejamento e prevenção de desastres naturais

Encontro de especialistas e gestores públicos avaliou as ações empenhadas pela Cedec durante o período chuvoso 2011/2012.

Investir em ações de planejamento e de prevenção e estruturar as comissões municipais de defesa civil para que os diversos segmentos da sociedade sejam conscientizados sobre a importância da prevenção contra os desastres provocados pela natureza. Essas foram algumas das conclusões de seminário realizado nesta quinta-feira (31), em Belo Horizonte, pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), com o objetivo de avaliar as ações implementadas pelo Governo de Minas e prefeituras municipais, durante o período chuvoso 2011/2012.

O coordenador estadual de Defesa Civil e chefe do Gabinete Militar do Governo do Estado, coronel Luiz Carlos Dias Martins destacou a importância da união de esforços na implementação de ações de planejamento e prevenção contra desastres naturais.

“Independente de qualquer posição político partidária, o governador Antonio Anastasia já determinou à Cedec que sejam tomadas todas as providências necessárias para auxiliar as prefeituras em casos de problemas causados por chuvas, seca ou qualquer outro desastre que venha a ocorrer no Estado. Porém, para que a população sofra o menor impacto possível, seja pelo excesso de chuvas, estiagens prolongadas ou alguma outra adversidade, é necessário que os municípios tenham bem estruturadas e planejadas suas comissões municipais de defesa civil”, ressaltou o coronel.

Lembrando que 707 municípios mineiros já possuem comissões municipais de defesa civil, o coronel Martins salientou que, nesta semana, durante seminário realizado no Tribunal de Contas da União (TCU), o governador Antônio Anastasia defendeu a necessidade de serem feitas mudanças na legislação para dar mais agilidade aos governos estaduais e municipais na utilização de recursos para socorro a vítimas de desastres naturais.

“A orientação do governador é atendermos todos os municípios sem distinção, mas, além da necessidade das comissões municipais de defesa civil estarem bem organizadas, é preciso que a legislação dê condições aos governadores e prefeitos aplicarem recursos públicos com celeridade no socorro às vítimas de desastres”, concluiu o coronel Martins.

Auxílio

Durante o seminário realizado no auditório da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, várias lideranças destacaram o trabalho que o Governo de Minas tem implementado nos últimos anos por meio da Cedec, não só no auxílio dos municípios no socorro a vítimas de desastres naturais, mas também no repasse de orientações para organização e ações de planejamento por parte das comissões municipais de defesa civil.

O prefeito de Cataguases, Willian Lobo de Almeida, salientou que  é fundamental que os prefeitos liderem o processo de organização das comissões municipais de defesa civil, através da adoção de planejamento estratégico. “Se isso for feito com determinação, independente de quem for o próximo governante o trabalho terá continuidade”, observou o prefeito.

Também os prefeitos dos municípios de Guidoval, Hélio Lopes dos Santos, e de Além Paraíba, Wolney Freitas, destacaram que, em virtude das fortes chuvas que caíram neste ano, se não fosse o apoio do Governo do Estado os problemas enfrentados pela população seriam muito piores.

O coordenador da Defesa Civil de Belo Horizonte, coronel Alexandre Lucas Alves, apresentou várias ações de prevenção que diversos órgãos da prefeitura têm implementado visando minimizar os impactos das chuvas na capital mineira. “Com base nos resultados que temos obtido em Belo Horizonte, avaliamos que investir em planejamento e prevenção é condição fundamental para que os municípios enfrentem de forma estruturada os problemas causados pelas chuvas”, assinalou.

Planejamento

O meteorologista, Ruibran dos Reis, do Instituto ClimaTempo, salientou que se a Cedec não tivesse um bom planejamento e estrutura de ação, os problemas causados pelas chuvas em Minas seriam bem piores do que os registrados neste ano. Segundo o especialista, a partir do ano 2000, o Estado passou a enfrentar uma série de variações nas médias de chuvas que caem anualmente, sendo que, neste ano, o período chuvoso foi mais curto, porém mais intenso na Região Metropolitana de Belo Horizonte e no Oeste do Estado.

Balanço apresentado nesta quinta-feira pelo secretário executivo da Cedec, tenente-coronel, Fabiano Villas Boas, revela que 273 municípios foram afetados pelas chuvas, sendo que 239 foram obrigados a decretar situação de emergência. Vinte pessoas morreram e 6.321 sofreram ferimentos. O número de pessoas desabrigadas chegou a 9.594 e outras 106.816 pessoas foram desalojadas.

Em conseqüência das chuvas, 1.436 casas foram destruídas e mais de 23 mil imóveis foram danificados. A infraestrutura de vários municípios também foi afetada com a destruição de 886 pontes e ocorrência de danos em outras 872 pontes.

Socorro

Para minimizar os efeitos dos desastres ocorridos no Estado no período chuvoso 2011/2012, o Governo de Minas, por meio da Cedec, distribuiu mais de 171 toneladas de alimentos; mais de 80 mil metros quadrados de lona plástica; 12.770 telhas; 10.696 mil colchões; 8.666 cobertores; 6.030 kits de higiene e 104 kits de medicamentos. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil enviou ainda 168 equipes de profissionais para os 273 municípios atingidos pelas chuvas, a fim de apoiar as prefeituras nas ações de resposta e elaboração de documentos enviados ao Governo Federal com o objetivo de viabilizar a liberação de recursos financeiros para fins sociais e de reconstrução de áreas danificadas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-da-defesa-civil-destaca-necessidade-de-municipios-investirem-em-planejamento-e-prevencao-de-desastres-naturais/

Gestão Anastasia: Governo de Minas leva recursos a famílias atingidas pela chuva em Além Paraíba

Vice-governador Alberto Pinto Coelho entrega doações feitas pela população ao Movimento Minas Solidária, uma iniciativa parceira do Servas e da Cedec

O vice-governador Alberto Pinto Coelho e a vice-presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Ana Maria Campos Guimarães, entregaram, nesta terça-feira (29), cheques no valor de R$ 632,00 (um salário mínimo), a 137 famílias atingidas pelas chuvas do início do ano, em Além Paraíba, na Zona da Mata.

O dinheiro repassado às famílias foi arrecadado pelo Movimento Minas Solidária, iniciativa do Servas em parceria com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec/MG), com o objetivo de mobilizar a população em torno das ações de socorro às vítimas das chuvas. As doações feitas por cidadãos e empresas foram depositadas em contas no Bradesco e no Banco do Brasil. O total arrecadado foi de R$ 772.586,04.

Ação solidária

Em seu pronunciamento, Alberto Pinto Coelho destacou a ação solidária realizada pelo Servas e pela Cedec. Ele também ressaltou o trabalho conjunto dos governos federal, estadual e municipal para apoiar a população e diminuir os estragos causados pela chuva em Além Paraíba.

“Todas as medidas de caráter preventivo valeram muito, o que representa a importância de se ter uma Defesa Civil organizada em cada um dos municípios mineiros. Quero ressaltar o papel fundamental do Servas, que realiza um trabalho voluntário de solidariedade humana e da mão estendida. Destaco a atuação da sua presidente, Andrea Neves, ao longo dos últimos nove anos. O seu comprometimento torna as ações muito mais abrangentes. Também nos conforta a sensibilidade e, mais do que isso, a resposta imediata das empresas e das organizações. Essa mobilização só foi possível com a comunhão de esforços, com a iniciativa do Servas e o apoio dos governos”, afirmou Alberto Pinto Coelho.

Por definição do conselho gestor dos recursos, formado pelo Ministério Público Estadual, Servas e Cedec/MG, receberam o cheque no valor de R$ 632,00 famílias atingidas pelas chuvas que estão registradas no Cadastro Único e tenham o Número de Inscrição Social (NIS).

Cheques no mesmo valor serão entregues a famílias atingidas pelas chuvas nos municípios de Brumadinho, Dona Euzébia, Guidoval, Matipó, Santo Hipólito e Senador Firmino.

Carinho e respeito

A vice-presidente do Servas, Ana Maria Campos Magalhães, leu mensagem da presidente Andrea Neves aos moradores de Além Paraíba:

“O sentimento de todos nós do Movimento Minas Solidária e do Governo de Minas – e falo também em nome de cada cidadão solidário que apoiou essa ação – é de ter realmente contribuído não só com bens materiais e recursos financeiros, mas com solidariedade, com carinho e respeito a cada um de vocês”, escreveu a presidente do Servas.

Participaram da solenidade o prefeito de Além Paraíba, Wolney Freitas; o major da PM, Edylan Arruda, representando a Cedec; e a promotora de Justiça da Comarca de Além Paraíba, Sandra Ban.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-leva-recursos-a-familias-atingidas-pela-chuva-em-alem-paraiba/

Governo de Minas: Anastasia defende mudança na legislação para socorro a vítimas de desastres naturais

Governador participou, em Brasília, de seminário promovido pelo Tribunal de Contas da União

Diogo Xavier / TCU
Antonio Anastasia participou da abertura do seminário nacional sobre desastres naturais, em Brasília
Antonio Anastasia participou da abertura do seminário nacional sobre desastres naturais, em Brasília

O governador Antonio Anastasia participou, nesta segunda-feira (28), em Brasília, da abertura do seminário “Desastres Naturais – Ações Emergenciais”, promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro. O seminário visa à troca de experiências entre autoridades públicas e especialistas responsáveis por enfrentar as dificuldades causadas por inundações, secas e outros desastres naturais.

Anastasia defendeu, em seu pronunciamento, a implantação do Direito de Emergência, como forma de agilizar a assistência aos atingidos por desastres naturais. “A criação, através de proposta desse egrégio Tribunal, de um conjunto de normas e instrumentos que vai permitir certa flexibilidade, e aqui a palavra flexibilidade tem sido adotada com muita cautela e cuidado, é que vai, na verdade, amparar os administradores e possibilitar o socorro imediato, porque a palavra socorro, aí ela tem o seu sentido não só jurídico, mas no seu sentido humano”, afirmou.

O governador lembrou que a ideia do socorro tem de vir imbuída da confiança, com o administrador público recebendo a confiança para conseguir socorro imediato, prover alimentos, socorro médico e restabelecimento da locomoção. Antonio Anastasia lembrou as mudanças climáticas que vêem ocorrendo e a posição geográfica do Estado, pois os problemas que os mineiros enfrentam têm reflexo em outras unidades da Federação.

“O Tribunal de Contas da União, pela excelência de seus ministros, pela qualificação de seu corpo técnico, de seus auditores, de seus procuradores, terá plena condição de apresentar ao Congresso Nacional essa possibilidade de criação de um Direito de Emergência no Brasil, para nos permitir, com mais tranquilidade, dar o socorro, tão necessário para ajudarmos os flagelados nas chuvas, nas secas e outros desastres que acometem o nosso Brasil”, completou Anastasia.

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, falou sobre a importância de adotar instrumentos que minimizem os efeitos dos desastres naturais. “É preciso priorizar as ações de prevenção, fazer drenagem urbana, dragagem de rios, proteção de morros, reforço de encostas. Estamos investindo para ampliar a capacidade brasileira de previsão destes eventos”, afirmou

Fernando Bezerra disse que a parceria com o TCU para adoção de iniciativas garante transparência na utilização dos recursos públicos, o que é fundamental para a sociedade. “Vamos debater como agilizar e desburocratizar as ações de emergência, que não podem ter na burocracia o entrave para sua execução. Precisamos avançar em instrumentos que garantam a celeridade e a boa aplicação dos recursos”, disse.

Seminário

Os gestores e técnicos dos estados participantes do seminário, que termina nesta terça-feira (29), buscam soluções para o papel do Estado no cumprimento das competências; a contratação de serviços emergenciais, nos termos da legislação vigente; a insegurança quanto às instruções e aos modelos para apresentação da prestação de contas; a flexibilização da prestação de contas, ou seja, instituição de modelo específico para os casos de catástrofes; e criação de um Fundo Nacional para ajuda aos Estados atingidos ou melhoria das condições do fundo já existente, devido às dificuldades na obtenção de recursos para pronta resposta e para reconstrução.

A abertura do seminário foi feita pelo presidente do TCU, ministro Benjamin Zymler. Também participaram do evento os governadores Omar Aziz (AM), Raimundo Colombo (SC), Eduardo Campos (PE) e Jaques Wagner (BA) e os vice-governadores Luiz Fernando Pezão (RJ) e José Tomás Nonô (AL), além de representantes das embaixadas do Japão e do Haiti no Brasil, e especialistas do Instituto de Desenvolvimento de Infraestrutura do Japão

Minas Gerais

No último período chuvoso (2011/2012), 239 municípios mineiros decretaram situação de emergência, 20 pessoas morreram e 346 ficaram feridas. Os mais atingidos foram Guidoval, Além Paraíba, Muriaé, Cataguases, Ouro Preto, Brumadinho e Dona Euzébia. A seca tem atingido o Norte do Estado e o Vale do Jequitinhonha. Recentemente, Montes Claros e outros municípios próximos foram atingidos por abalos sísmicos.

As chuvas deste ano destruíram 1.436 casas e 886 pontes, e danificou 23.821 casas e 872 pontes. O Governo de Minas adotou uma série de medidas de apoio à população e empresas atingidas pelas chuvas. Por meio da Copasa e da Cemig, concedeu prazos maiores e possibilidade de parcelamento das contas. O prazo de pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) também foi prorrogado, beneficiando cerca de 25 mil micro e pequenas empresas e proposta a isenção de IPVA e da Taxa de Licenciamento do Veículo, mediante a comprovação de perda total dos veículos nos municípios afetados.

Por meio do Banco de Desenvolvimento Minas Gerais (BDMG) foi criado o Fundese Solidário, destinando R$ 30 milhões para reparação de danos causados a micro e pequenas empresas e cooperativas. O Governo de Minas antecipou o repasse dos recursos do Piso Mineiro de Assistência Social para 92 municípios que decretaram situação de emergência. Desse total, 38 municípios receberam, entre abril e maio deste ano, o adiantamento de seis parcelas, totalizando R$ 1,17 milhão.

Seca

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG) lançou, em abril, o Plano de Contingência para a Minimização dos Impactos Provocados pela Seca 2012.  Em virtude da estiagem, 103 municípios já decretaram, este ano, situação de emergência. Com investimentos iniciais de R$ 11 milhões, o Plano prevê a compra de material de assistência humanitária e abastecimento de água por caminhões pipa.

Nos últimos nove anos, o Governo de Minas investiu mais de R$ 358 milhões em ações para aumentar a oferta de água nas comunidades urbanas e rurais. Os investimentos foram viabilizados por meio do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR); pela Copasa e por sua subsidiária, a Copanor. Parte dos recursos foi investida pela Ruralminas na construção de pequenas barragens e bacias de captação de água das chuvas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/anastasia-defende-mudanca-na-legislacao-para-socorro-a-vitimas-de-desastres-naturais/

Governo de Minas: Estado promove seminário de fechamento do período chuvoso de 2011/2012

Defesa Civil reúne gestores municipais, com foco na busca pelo aprimoramento das ações de prevenção a desastres naturais

O Gabinete Militar do Governador de Minas Gerais (GMG), por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG) promoverá, nesta quinta-feira (31), o Seminário de Fechamento do Período Chuvoso de 2011/2012. O evento será realizado a partir de 08h30, no Auditório da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, no bairro Prado, em Belo Horizonte.

O seminário tem como objetivo apresentar aos cidadãos e aos gestores envolvidos nas operações de enfrentamento a desastres, o estudo das ações realizadas durante o período de chuva que atingiu o Estado, entre o fim do ano passado e início deste ano. Essa discussão está inserida na constante busca pelo aprimoramento do planejamento futuro.

O período chuvoso de 2011/2012 foi um dos mais intensos dos últimos anos e exigiu, por parte de todos os órgãos envolvidos, sejam eles estaduais ou municipais, muito esforço e trabalho.

Gestão estratégica

Regida pelos princípios da gestão estratégica, a Defesa Civil não atuou apenas emergencialmente, apoiando em campo os municípios afetados, mas também prevenindo e preparando os gestores municipais para o enfrentamento de desastres, por meio de diversos cursos e capacitações aos seus técnicos e voluntários.

Essa iniciativa expressa o interesse da Defesa Civil em promover um conhecimento ampliado e organizado que visa à melhoria constante do seu trabalho, permitindo que seus parceiros e demais envolvidos com as ações de enfrentamento a desastres avaliem as ações de prevenção, mitigação, preparação, resposta e reconstrução do período chuvoso 2011/2012.

Serviço:

Seminário de Fechamento do Período Chuvoso de 2011/2012

Local: Auditório da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos, rua Dr. Gordiano, 123, Prado, Belo Horizonte.

Data: Quinta-feira, 31 de maio.

Horário: A partir de 08h30.

Informações: faleconosco@defesacivil.mg.gov.br ou (31) 3915-0274.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/estado-promove-seminario-de-fechamento-do-periodo-chuvoso-de-20112012/

Gestão Anastasia: Governo de Minas cria força-tarefa para estudar tremores de terra em Montes Claros

Mobilização da Defesa Civil Estadual envolve universidades, instituto japonês e o governo federal

Dione Afonso
A dona de casa Marisa Rodrigues Lima (esq.) recebeu visita de Mônica Giannoccaro, da UNB, e Fabiano Villas Boas, da Cedec-MG
A dona de casa Marisa Rodrigues Lima (esq.) recebeu visita de Mônica Giannoccaro, da UNB, e Fabiano Villas Boas, da Cedec-MG

O Governo de Minas, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), já solicitou ao governo federal a liberação de recursos financeiros para a reconstrução de casas que sofreram danos em consequência de temores de terra que ocorreram nesta semana em Montes Claros. A União também está sendo acionada pelo Governo do Estado no sentido de auxiliar a realização de estudos sobre os problemas que tem ocasionado os tremores de terra no Norte de Minas que, nesta semana, já contabilizaram cinco abalos. O tremor mais forte, registrado sábado (19), atingiu 4,5 pontos na escala Richter.

Em outra frente de atuação o Governo do Estado, em parceria com a Universidade de Brasília (UNB) e com a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) vão intensificar os trabalhos de investigação dos problemas geológicos que tem causado os tremores de terra no Norte de Minas. As ações serão intensificadas a partir do próximo mês, quando o Governo de Minas deverá assinar acordo de cooperação técnica com o Instituto de Desastres Naturais do Japão (Icharm).

Outra iniciativa do Governo do Estado viabilizará também a realização de treinamentos de equipes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar quanto à preparação de equipes para atuação em casos de desastres naturais. O trabalho que já vem sendo implementado pelo Governo do Estado em parceria com a universidade japonesa de Nagoya, será estendido em caráter emergencial ao Norte de Minas, conforme entendimentos iniciados nesta semana pela Cedec.

As ações do Governo do Estado foram anunciadas nesta sexta-feira (25), em Montes Claros, pelo secretário-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, tenente-coronel PM Fabiano Villas Boas, durante encontro com lideranças, integrantes dos comandos do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil e técnicos da UNB. A professora de geofísica e coordenadora interina do Observatório Sismológico da UNB, professora Mônica Giannoccaro Von Huelsen ressaltou que aliado ao trabalho da Cedec “não há motivo para a população se alarmar”.

A professora explicou que o subsolo do Norte de Minas é geologicamente estável, pois o Brasil está localizado no meio de uma placa tectônica. No caso de Montes Claros, 23 tremores já registrados desde 1995 variam de intensidades fracas a moderadas, resultados de acomodações de terra. Os estragos causados em residências atingiram imóveis que não possuem boa infraestrutura, conforme constatou equipes da Defesa Civil que estão na cidade desde sábado passado.

Na opinião de Mônica Giannoccaro, os abalos sísmicos registrados no Norte de Minas provavelmente são decorrentes de falha geológica existente no subsolo, o que começará a ser investigado já a partir desta semana, com a instalação de estações provisórias de monitoramento em diversas partes do município.

Ações

O tenente-coronel, Fabiano Villas Boas destacou que desde o dia 19 de maio o Governo do Estado mantém equipe de técnicos da Coordenadoria de Defesa Civil em Montes Claros avaliando os danos causados por tremores de terra. Os técnicos já vistoriaram cerca de 80 imóveis, dos quais 16 já foram considerados impróprios para a permanência de moradores. Em virtude dessa situação, as famílias foram transferidas para outras casas ou residências de parentes, enquanto que apenas seis pessoas foram remanejadas para abrigo mantido pela Prefeitura.

“Por orientação do governador Antônio Anastasia a Cedec e demais órgãos do Governo do Estado estão tomando todas as providencias necessárias para auxiliar a população atingida pelos tremores. Por outro lado, já mobilizamos universidades e o Instituto de Desastres Naturais do Japão, com o objetivo de identificar os problemas que tem causado os abalos sísmicos em Montes Claros” – salientou o secretário-executivo da Defesa Civil de Minas.

Estação

A compra de equipamentos para a instalação definitiva de uma estação sismográfica em Montes Claros já foi iniciada por parte do Governo do Estado. Recursos da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) foram repassados para a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) que, através de licitação internacional, adquiriu os equipamentos no México. A empresa pediu prazo de cinco meses para a entrega do material que, ainda neste ano, substituirá os equipamentos que a UNB está instalando em caráter provisório.

Nesta sexta-feira, em Montes Claros, o secretário-executivo da Cedec em Minas, técnicos da UNB, do Corpo de Bombeiros e da Unimontes visitaram residências atingidas pelos tremores de terra na Vila Atlântida, em Montes Claros. Além de avaliar os estragos, os técnicos mantiveram contatos com moradores oportunidade que repassaram orientações para não voltar a ocupar as residências enquanto não forem reconstruídas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-cria-forca-tarefa-para-estudar-tremores-de-terra-em-montes-claros/

Gestão Anastasia: Governo de Minas anuncia instalação de estação sismográfica em Montes Claros

Iniciativa tem o objetivo de auxiliar pesquisas sobre abalos sísmicos que vêm ocorrendo na região

Dione Afonso
Tenente-coronel Fabiano Villas Boas e a professora da UNB, Mônica Giannoccaro Von Huelsen
Tenente-coronel Fabiano Villas Boas e a professora da UNB, Mônica Giannoccaro Von Huelsen

O Governo de Minas, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) anunciou  nesta sexta-feira, em Montes Claros, que ainda neste ano o Norte de Minas será contemplado com a instalação de uma estação sismográfica permanente. Os equipamentos já estão sendo comprados por meio de licitação internacional viabilizada pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) com participação da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

A iniciativa do Governo de Minas tem o objetivo de auxiliar pesquisadores da Universidade de Brasília (UNB), da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e do Instituto de Desastres Naturais do Japão, nos estudos sobre abalos sísmicos que vêm ocorrendo em Montes Claros. Em junho o Governo do Estado deverá assinar termo de cooperação técnica com o Instituto japonês, visando a participação de especialistas daquele país nos estudos que estão sendo iniciados pela UNB e Ufop.

Nesta sexta-feira o secretário-executivo da Cedec, tenente-coronel PM Fabiano Vilas Boas esteve reunido em Montes Claros com lideranças e técnicos da UNB. Ele revelou que o Governo de Minas já está trabalhando junto à Secretaria Nacional de Defesa Civil no sentido de obter recursos financeiros para a reconstrução de casas que sofreram danos em virtude de tremor de terra ocorrido dia 19 de maio, atingindo 4,5 pontos na escala Ritcher.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-anuncia-instalacao-de-estacao-sismografica-em-montes-claros/

Gestão Anastasia: Governo de Minas mobiliza universidades e instituto japonês para avaliar tremores em Montes Claros

Equipamentos sensoriais da UnB já estão sendo transferidos para analisar as causas dos abalos sísmicos no Norte de Minas

Jica / Divulgação
Cedec-MG mantém parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão
Cedec-MG mantém parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão

O Governo de Minas, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MG), solicitou, na tarde desta quarta-feira (23), apoio do Observatório Sismológico (Obsis) da Universidade de Brasília (UnB) para instalação de sismógrafo em Montes Claros capaz de registrar e verificar as causas dos tremores ocorridos no município. Técnicos e equipamentos apropriados já estão sendo deslocados de Lavras, no Sul de Minas, onde desempenhavam trabalhos pela UnB, para o Norte do Estado.

Os equipamentos sensoriais serão montados em Montes Claros de imediato e ficarão o tempo necessário para registrar, analisar e gerar material para estudos sobre as falhas responsáveis pelos tremores. Mais três especialistas do Observatório Sismológico da UnB, em Brasília, desembarcarão nesta quinta-feira (24/05) no município.

Além de estudar o fenômeno, os especialistas irão realizar um trabalho de orientação à população, ao poder público e aos profissionais envolvidos, entre eles os da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil. A Defesa Civil Estadual também solicitou o apoio da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), para o envio de mais especialistas para a cidade.

O Governo Estadual já entrou em contato com a Secretaria Nacional de Defesa Civil, no Ministério da Integração Nacional, requerendo apoio técnico e ajuda para a reconstrução das casas danificadas e comprometidas a partir da ocorrência dos tremores no município.

Por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), o Governo também recorreu ao Instituto de Desastres Naturais do Japão (ICHARM), sediado em Tsukuba, para que enviem técnicos a Minas Gerais para também avaliarem os tremores de terra. A diretoria do ICHARM informou que irá definir, nos próximos dias, quais especialistas virão a Minas para realizarem os trabalhos.

Além da vinda de técnicos japoneses ao Estado, o Governo de Minas propôs ao Instituto de Desastres Naturais do Japão a assinatura de um convênio de cooperação técnica, objetivando a implementação de estudos no Norte de Minas sobre a existência de possível falha geológica que estaria provocando os tremores. A Sectes avalia que há possibilidade de o convênio ser assinado, em Belo Horizonte, em junho, aproveitando a participação de membros da diretoria do ICHARM na Conferência Mundial do Clima, que será realizada no Rio de Janeiro.

Acompanhamento

Equipe da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG) está em Montes Claros desde sábado (19) e, com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Comdec e da Prefeitura, montou o Sistema de Comando em Operações (SCO) com a finalidade de coordenar e avaliar as ações de resposta aos danos causados pelo tremor.

As ocorrências de Abalos Sísmicos foram registradas entre 10h42 do dia 19 de maio e 16h32 do dia 20 de maio. A Universidade de Brasília informou que o tremor alcançou cerca de 4.2 graus na Escala Richter, sendo considerado de intensidade moderada.

Já foram realizadas 60 vistorias pelas equipes, sendo que nas mais relevantes, e que ensejaram a desocupação e condenação do imóvel, houve o acompanhamento e participação direta da Cedec-MG.

O Norte de Minas vem registrando abalos sísmicos há pelo menos cincos anos. O maior deles foi em dezembro de 2007, quando um tremor de 4,9 graus na escala Richter causou a morte de uma criança de cinco anos, a primeira registrada no país em função de terremoto, e danificou 76 casas em Caraíbas, distrito de Itacarambi, distante 663 quilômetros de Belo Horizonte.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-mobiliza-universidades-e-instituto-japones-para-avaliar-tremores-em-montes-claros/

Gestão Anastasia: Governo de Minas realiza simulado de combate a incêndio no Parque Estadual da Serra do Papagaio

 

Ação tem como objetivo preparar equipes para período de alto índice de queimadas

Gil Leonardi / Imprensa MG
Simulação na Serra do Papagaio contará com helicóptero do Corpo de Bombeiros
Simulação na Serra do Papagaio contará com helicóptero do Corpo de Bombeiros

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) promove, nesta sexta-feira (18/05), simulado operacional no Parque Estadual da Serra do Papagaio, no Sul de Minas. A ação vai reproduzir todas as condições de um combate a incêndio, envolvendo brigadistas voluntários, funcionários do parque, integrantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), do Corpo de Bombeiros Militar e técnicos do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio). Durante a atividade, serão utilizados todos os equipamentos empregados em uma situação real de incêndio, incluindo dois helicópteros.

O simulado é uma das inovações do Plano de Ação 2012 para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O investimento previsto na iniciativa é de cerca de R$ 26 milhões. O plano tem o objetivo de reduzir as queimadas nas unidades de conservação, principalmente durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro.

Serra do Papagaio

Com 22.917 hectares, o Parque Estadual da Serra do Papagaio abrange os municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte e Pouso Alto. A área abriga um importante remanescente de Mata Atlântica do Estado. Localizado na Serra da Mantiqueira, a unidade de conservação concentra nascentes dos principais rios formadores da bacia do Rio Grande, responsável pelo abastecimento de grandes centros urbanos do Sul de Minas. O parque é também uma importante reserva de diversas espécies de mamíferos, aves e anfíbios. Dentre as espécies destacam-se o mono carvoeiro, o lobo- guará, o papagaio do peito roxo e a onça parda.

A ação no Parque Estadual da Serra do Papagaio será o segundo simulado realizado pelo Sisema após o lançamento do Plano de Ação 2012 de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais no início de maio. O primeiro simulado foi realizado, no dia 11 de maio, no Parque Estadual da Serra do Rola Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Também estão programadas ações de simulação de combate a incêndio no Parque Estadual do Biribiri, no Alto Jequitinhonha, neste sábado (19/05); no Refúgio de Vida Silvestre do Rio Pandeiros Norte, na região do Alto Médio São Francisco, no dia 31 deste mês; e no Refúgio de Vida Silvestre Libélulas da Serra de São José – Centro-Sul, em Tiradentes, no dia 06 de junho.

Balanço de Incêndios

Em 2011, foram registradas 247 ocorrências de incêndios florestais na área interna das Unidades de Conservação (UCs) mineiras, com 40.067 hectares queimados, e 162 ocorrências no entorno das UCs, com 18.290,87 hectares queimados. Os meses de agosto e setembro foram os mais críticos, contabilizando 65% do total de ocorrências e 89% da área queimada.

Balanço divulgado pela Diretoria de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais da Semad revela que, entre janeiro e outubro de 2011, 409 ocorrências de incêndio queimaram 40 mil hectares na área interna das UCs e 18 mil no entorno das unidades. Isso representa 1,5% do total de 2,7 milhões de ha de áreas protegidas de Minas Gerais.

Força Tarefa Previncêndio

A Força Tarefa (FTP) do Previncêndio foi criada em 2005, para aperfeiçoar o trabalho de combate a incêndios florestais no Estado. É a primeira do gênero na América Latina e integrada pela Semad, Instituto Estadual de Florestas, o Corpo de Bombeiros Militar, as Polícias Militar e Civil e aCoordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Integra a estrutura da Semad.

O objetivo da FTP é apoiar as ações de prevenção e coordenar o combate a incêndios florestais nas unidades de conservação sob responsabilidade do Estado. A equipe da Força Tarefa está de prontidão 24 horas por dia para atendimento às ocorrências e denúncias pelo telefone 0800 28 32323.

 

Simulado Operacional Previncêndio no Parque Estadual da Serra do Papagaio

Data: 18 de maio (sexta-feira)

Horário: 13h

Local: Centro de Pesquisas do Parque Estadual da Serra do Papagaio

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-realiza-simulado-de-combate-a-incendio-no-parque-estadual-da-serra-do-papagaio/