Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: para diversificar as exportações, Governo de Minas Gerais busca novos mercados

Central Exportaminas lança o Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais, edição 2012

Leonardo Horta / SEDE
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”
Ivan Barbosa Netto, Dorothea Werneck e Elisabete Serodio, no lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas”

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Dorothea Werneck, afirmou nesta quarta-feira (20), em entrevista coletiva, na Cidade Administrativa, durante o lançamento do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, que o Estado está focado no planejamento para reduzir a dependência das exportações de commodities minerais, a partir da promoção de produtos com maior valor agregado, além da conquista de novos mercados.

“Estamos trabalhando para aproveitar a janela de oportunidades aberta não só para Minas Gerais, mas para o Brasil, que é a exportação de alimentos com valor agregado. Não queremos exportar apenas grãos, mas no caso da soja, por exemplo, precisamos exportar o óleo de soja e outros derivados. Portanto, nossa prioridade é antecipar e consolidar o espaço para a área de alimentos. Trata-se de um setor que está em pleno crescimento em todo o mundo”, destacou.

A estratégia para ampliar a presença de exportadores mineiros no mercado internacional vem sendo alcançada com a participação, cada vez maior, em feiras internacionais. De acordo com o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, apenas neste ano, Minas Gerais já esteve presente em seis eventos internacionais.

Para o segundo semestre a Central Exportaminas irá apoiar a participação de empresários em mais 12 feiras internacionais principalmente para os segmentos de alimentos e bebidas, frutas, café, cosméticos e higiene pessoal em países como África do Sul, Peru, Turquia, Estados Unidos, Canadá, França, Espanha, Itália e China. “O suporte dado ao empresário mineiro é o nosso primeiro desafio para desenvolver a cultura exportadora no Estado e, a partir daí aumentar nossas exportações”, enfatizou Ivan Barbosa.

Dorothea Werneck afirmou ainda que as perspectivas do comércio exterior de Minas estão ligadas à estabilidade do dólar. “Ter clareza e conhecimento do cenário internacional é fundamental no horizonte das decisões dos exportadores e no uso das ferramentas de negócios, pois a crise internacional está exigindo produtos com maior valor agregado e diversificação de mercados. De qualquer forma para o exportador o mais importante é a perspectiva de estabilidade do dólar”, destacou.

Panorama

O Panorama do Comércio Exterior apresenta os principais indicadores do comércio exterior mineiro, com base nos dados consolidados de 2011. A publicação, produzida pela equipe de inteligência comercial da Central Exportaminas, foi desenvolvida de forma a atender à crescente demanda por informações sobre a oferta de produtos e serviços de Minas para o exterior.

A análise demonstra que no ano passado houve um aumento da concentração das exportações. Os dez grupos de produtos com maior valor exportado responderam por 96,1% do total das vendas externas mineiras. Neste contexto, os produtos básicos foram responsáveis por 65,3% das vendas externas, com um aumento de 40,9% em relação ao ano de 2010. Os produtos industrializados (produtos semi-manufaturados e manufaturados) exportaram o total de US$ 14,34 bilhões, ou seja, 34,7% do total exportado.

A publicação também destaca as exportações mineiras por municípios e regiões. Apesar de a região Central ser responsável por mais da metade do total das exportações (62,5%), o maior crescimento relativo (72,3%) foi registrado na região Centro-Oeste, que representa apenas 2,7% das exportações estaduais. Os destaques foram café, açúcar, ferro fundido bruto e ferro gusa.

No ano passado, 261 municípios mineiros de todas as regiões realizaram exportações. Destes, 26 municípios participaram do comércio exterior pela primeira vez ou voltaram a exportar. A liderança ficou com Nova Lima, graças ao aumento de 183,5% das exportações de minérios metalúrgicos. No entanto, merece destaque também o município de São Gonçalo do Rio Abaixo que exportou 1.125,4% a mais de minérios metalúrgicos do que em 2010.

Novos Mercados

A publicação destaca que a conquista de novos mercados tem sido uma característica marcante do comércio exterior de Minas. Em 2011 o Estado atingiu 182 países com a conquista de sete novos destinos, como Palestina, Quirguistão, Uzbequistão, Timor Leste, Malaui, Ilha Wake e Ilhas Virgens. A China continua sendo o principal destino das exportações mineiras, atingindo 32,2%, sendo que 91,3% foram exportações de minério de ferro. Logo a seguir vem o Japão (7,9%), Estados Unidos (7,4%), Argentina (6,7%) e Países Baixos (6,6%). Já o Oriente Médio foi o bloco que apresentou o maior aumento percentual, de 62,6%, e apesar da crise, a União Européia importou US$ 2,01 bilhões a mais do que em 2010. No entanto, a Guiné Equatorial é o país que compra o maior número de produtos mineiros, totalizando 1.008 itens.

Minas Gerais ocupa a segunda posição no ranking dos maiores estados exportadores. Em 2011 foi responsável por 16,2% das exportações brasileiras. Também em relação às importações, o Estado subiu uma posição, passando do sétimo para o sexto lugar no ranking, sendo responsável por 5,8% do total importado pelo Brasil. Outro fato que marcou a balança comercial estadual no ano passado foi a diversificação da pauta exportadora. Em 2011 o Estado exportou 2.953 produtos, com um aumento de 3,2%.

A liderança ainda é mantida pelos minérios metalúrgicos, responsáveis por 47,4% das exportações do Estado em 2011. Os produtos metalúrgicos vieram em segundo lugar com 14,7%. Com um crescimento de 41,6% em relação a 2010, o grupo café e derivados ficou em terceiro lugar com 14% das exportações. Merecem destaque ainda os materiais de transporte e componentes, os metais, pedras preciosas e joalheria, produtos químicos, carnes, produtos florestais e complexo soja.

Além da posição de destaque nas exportações nacionais de produtos da cadeia mínero-metalúrgica, Minas Gerais é o maior exportador brasileiro de ferro-ligas (83,2% do total nacional); de café (66,8%); de ouro em bruto, semifaturado ou em pó (65,2%) e de fio-máquinas e barras de ferro (46,9%).

Destaque

No ano passado, 1.604 empresas mineiras fizeram operações de exportação no Estado, o que significou uma queda de 3,6% em relação a 2010. Já a participação das micro e pequenas empresas apresenta uma singularidade, ao representarem 50% do total de empresas exportadoras, mas com uma participação de apenas 0,5% do total em relação ao de exportação.

A edição 2012 do “Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais”, em versão bilíngüe (português e inglês) acaba de ser lançada pela Central Exportaminas, unidade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE) e será distribuída para empresas nacionais e estrangeiras, embaixadas e consulados no Brasil e no exterior, câmaras de comércio e outras instituições.

Os interessados podem ter acesso ao Panorama também pela internet. A publicação é atualizada por meio de edições eletrônicas mensais disponibilizadas no Portal Exportaminas (www.exportaminas.mg.gov.br).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/para-diversificar-as-exportacoes-governo-de-minas-gerais-busca-novos-mercados/

Governo de Minas: Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira marca início da Expocafé 2012

A partir desta quarta-feira (20), a 15ª edição feira será aberta ao público

A 15ª edição da Expocafé na Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em Três Pontas, no Sul de Minas, começa nesta terça-feira (19) e prossegue até o dia 22 de junho. O 3º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, promovido pela Epamig, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla), abre a programação. O evento, que é exclusivo para participantes previamente inscritos, vai abordar temas como manejo mecanizado, custos, agricultura e cafeicultura de precisão e mecanização de lavouras adensadas e de montanha.

A partir desta quarta-feira (20), às 8h, a feira será aberta ao público, com a realização da exposição de equipamentos, máquinas e insumos, e de eventos paralelos, como as dinâmicas de campo; os cursos de capacitação para operadores de máquinas; a Audiência Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) com o tema “A política econômica para o setor cafeeiro e suas perspectivas, gargalos, dificuldades e metas para fortalecimento do setor”; o workshop “O mercado externo ao alcance do produtor mineiro”, da Central Exportaminas, apresentado pela Coordenadoria de Comércio Exterior da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico; e o seminário “Exportar é inovar”, promovido pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção, Exportação e Investimento (APEX).

Audiência Pública ALMG

A Audiência Pública da ALMG na Expocafé será realizada na quinta-feira (21), a partir das 10h. O evento será aberto com a palestra “O novo código florestal e os impactos na sustentabilidade da cafeicultura”, do deputado federal Paulo Piau, que é relator do texto do Novo Código. Em seguida, o Banco do Brasil e a Emater-MG apresentarão linhas de financiamento para o pequeno produtor. O encerramento da audiência acontece com pronunciamentos dos deputados integrantes da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia, responsáveis pela audiência.

Expocafé 2012

Data: 19 a 22 de junho de 2012

Horário: 8h às 18h

Local: Fazenda Experimental da Epamig em Três Pontas – Rodovia Três Pontas/Santana da Vargem, Zona Rural de Três Pontas (Sul de Minas Gerais).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simposio-de-mecanizacao-da-lavoura-cafeeira-marca-inicio-da-expocafe-2012/

Gestão Eficiente: saldo comercial de Minas supera US$ 2 bilhões em maio, melhor resultado do ano

Valor apresentou um aumento de 24,6% em relação ao mês de abril

Os dados preliminares divulgados nesta segunda-feira (04) pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), indicam que o saldo comercial atingiu em maio o total de US$ 2,09 bilhões. O valor apresentou um aumento de 24,6% em relação a abril e uma redução de 11,2% em relação a maio de 2011.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o saldo comercial estadual atingiu US$ 8,7 bilhões, enquanto o saldo nacional ficou em US$ 6,3 bilhões. No período analisado, registrou-se decréscimo de 16,8% no saldo comercial mineiro. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o saldo foi de U$26,6 bilhões enquanto o resultado nacional alcançou os US$27,5 bilhões. No período analisado, Minas registrou crescimento de 5,6% no saldo comercial. o Estado participou com 9,1% do comércio exterior nacional.

Exportações

Por sua vez, as exportações atingiram no mês passado os US$ 3,03 bilhões e média diária de US$ 137,71 milhões. Houve queda de 14,2% no valor total exportado em relação a maio de 2011, enquanto na comparação com o valor total de abril de 2012, houve alta de 15,7%. De janeiro a maio de 2012, as exportações totalizaram US$ 13,44 bilhões, ou seja, uma redução de 11,5% em relação ao mesmo período de 2011, enquanto a participação sobre o total brasileiro ficou em 13,7%. Já nos últimos 12 meses, os números mostram que as exportações totalizaram US$ 39,65 bilhões, registrando uma expansão de 8,3% em relação ao período de junho de 2010 a maio de 2011. A participação sobre o total brasileiro ficou em 15,3%.

Para o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, os resultados da balança comercial de Minas Gerais em maio pode ser atribuído à conjuntura internacional. “O crescimento econômico menor em grandes países importadores como a China e a Índia tem afetado as exportações como um todo, principalmente de commodities. Há uma expectativa, porém, de que o câmbio se mantenha mais estável nos próximos meses e isto ajude as exportações de produtos no mercado internacional”, afirmou.

Importações

Em maio deste ano as importações mineiras totalizaram US$ 941,54 milhões, valor 20,1% inferior ao mesmo mês de 2011. A média diária das importações foi de US$ 42,80 milhões. Houve pequeno acréscimo de 0,01% nas importações em relação a abril de 2012. Também na comparação com o mesmo período de 2011, as importações aumentaram 0,3% na comparação totalizando US$4,71 bilhões. Importou-se 5,1% do total brasileiro. As importações aumentaram 17,3% na comparação com o mesmo período de 2010/2011, totalizando US$ 13,04 bilhões. O crescimento das importações mineiras ficou acima da variação das importações nacionais (+15,2%). Importou-se 5,6% do total brasileiro.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/saldo-comercial-de-minas-supera-us-2-bilhoes-em-maio-melhor-resultado-do-ano/

Gestão Eficiente: em alta, exportações mineiras totalizam US$ 10,4 bilhões até abril

Se considerados os últimos 12 meses, vendas externas somam US$ 40,17 bilhões, alta de quase 13%

As exportações mineiras totalizaram US$ 10,4 bilhões nos primeiros quatro meses do ano. Com o resultado, a participação de Minas Gerais sobre o total do Brasil ficou em 14%. Se considerados os últimos 12 meses (maio de 2011 a abril de 2012) as exportações totalizaram US$ 40,17 bilhões e apresentaram uma expansão de 12,9% em relação ao período de maio de 2010 a abril de 2011. A participação sobre o total brasileiro ficou em 15,5%.

Os dados preliminares foram divulgados nesta sexta-feira (04) pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Importações

A análise da Central Exportaminas constatou que as importações em abril deste ano totalizaram US$ 941,4 milhões, valor 5,9% superior ao mesmo mês de 2011. A média diária das importações foi de US$ 47,1 milhões.  Houve redução de 2,4% no valor importado em relação a março de 2012.

As importações aumentaram, de janeiro a abril, 7,2% na comparação com o mesmo período de 2011, totalizando US$3,7 bilhões. Importou-se 5,3%  do total brasileiro. Também no período de maio de 2011 a abril de 2012, as importações aumentaram 23,3% na comparação com o mesmo período de 2010 a 2011, totalizando US$ 13,3 bilhões. O crescimento das importações mineiras ficou acima da variação das importações nacionais (+18,1%). Minas Gerais importou 5,7% do total brasileiro.

No mês passado, o saldo comercial de Minas reduziu 25,1% alcançando o valor de US$ 1,68 bilhão em relação a abril de 2011. Em relação a março deste ano a redução foi de 9,4%. Em contrapartida, a queda verificada no saldo comercial do Brasil no mesmo período foi de 52,7%, para US$ 881 milhões.

Entre janeiro e abril de 2012, o saldo comercial de Minas Gerais foi de US$ 6,65 bilhões, queda de 18,2%, enquanto o saldo nacional ficou em US$ 3,3 bilhões (- 33,7%). Já no acumulado dos últimos 12 meses (maio de 2011 a abril de 2012) o saldo comercial mineiro atingiu U$ 26,9 bilhões (+ 5%), enquanto o saldo comercial nacional foi de US$ 28,1 bilhões (+ 3,2%).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-alta-exportacoes-mineiras-totalizam-us-104-bilhoes-ate-abril/

Gestão Anastasia: frutas e cachaça de Minas Gerais fazem sucesso em feira internacional

Fruit Logistica 2012 é a principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu

Divulgação/Central Exportaminas
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha
Estande mineiro reuniu diversas autoridades na Fruit Logistica, em Berlim, na Alemanha

Produtores e exportadores mineiros estiveram em Berlim, na Alemanha, promovendo as frutas da região do Jaíba e cachaça de Minas Gerais, durante a Fruit Logistica 2012, principal feira do setor de frutas, verduras e legumes, e porta de entrada para todo o mercado europeu. A feira aconteceu entre 8 e 10 de fevereiro.

A Central Exportaminas coordenou, pelo terceiro ano consecutivo, a delegação mineira durante a feira. O estande mineiro, localizado no “Brazilian Fruit”, pavilhão oficial do Brasil organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), recebeu a visita de centenas de compradores internacionais, autoridades e imprensa especializada.

Dentre as autoridades presentes no estande de Minas Gerais estiveram as ministras da Agricultura de Portugal, Assunção Cristas, e da Alemanha, Ilse Aigner. Visitantes e autoridades puderam conhecer as frutas e a cachaça mineiras, além de degustarem a famosa caipirinha, feita na hora com a cachaça Pendão, produzida e engarrafada em Itatiaiuçu, a 70 km de Belo Horizonte.

Durante a feira, a Embaixada do Brasil em Berlim ofereceu uma recepção à delegação de Minas Gerais que, segundo a coordenadora especial de Comércio Exterior do Governo de Minas, Elisabete Serodio, “de grande valia para a aproximação entre o governo federal e os empresários mineiros”.

“Participaram da delegação mineira 32 empresários e produtores de frutas da região do Jaíba, alguns deles pela primeira vez e outros com o objetivo de conhecer novos mercados para seus produtos”, afirma o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto, presente na feira. Também participaram da missão o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Elmiro Alves do Nascimento; a coordenadora Especial de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), Elisabete Serodio; o superintendente de Gestão dos Mercados Livres dos Produtores Rurais da Seapa, Lucas Scarascia; o diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto; a analista de comércio exterior da Exportaminas, Andressa Borges; os técnicos do Sebrae-MG Claudio Luiz Oliveira, Claudio Wagner de Castro, Jadilson Ferreira Borges e Raquel Brasil; o aluno do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Newton Paiva Wellington Corelli, além de produtores e empresas de grande, médio e pequeno porte do Norte de Minas, como Brasnica, Benassi, Grupo Borborema, Aslim e Abanorte, entre outros.

Missão Comercial

A promoção comercial de produtos de Minas Gerais continuará neste mês de fevereiro. Entre os dias 12 e 16, a Central Exportaminas participa da Missão Empresarial do Brasil ao Oriente Médio, Arábia Saudita e Emirados Árabes liderada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Câmara de Comércio Árabe Brasileira (CCAB) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O objetivo é contribuir para a ampliação do fluxo comercial, promovendo as exportações brasileiras e auxiliando as empresas no seu processo de internacionalização. Participarão da missão a coordenadora de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Elisabete Seródio; o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto; consultores de investimentos do BDMG e as empresas Café Fazenda Caeté (café individual preparado por imersão) e Maricota (massas e alimentos congelados), além da Associação dos Fruticultores do Norte de Minas – Abanorte e de representantes da CeasaMinas.

Gulf Food

Pelo terceiro ano consecutivo, a Central Exportaminas vai liderar missão de Minas Gerais à GulFood, maior feira de alimentos e bebidas do mundo árabe e principal porta de entrada para os mercados do Oriente Médio e Norte da África, que será realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, entre 19 e 22 de fevereiro. A Central Exportaminas coordenará o estande Minas Gerais no pavilhão oficial do Brasil, organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob a identidade visual BrazilianFruit. Participam da 17ª edição da feira empresas associadas à Associação dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), a TranscomexGG,  o Grupo Borborema, Ceasa Minas e Café Fazenda Caeté.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Exportações de Minas Gerais atingem US$ 2,3 bilhões em janeiro

No acumulado dos últimos 12 meses, o resultado das exportações mineiras continuou apresentando resultados expressivos e atingiram US$ 40,98 bilhões

Divulgação
SEDE/Central Exportaminas, sobre a base de MDIC/Secex
SEDE/Central Exportaminas, sobre a base de MDIC/Secex

As exportações de Minas Gerais atingiram o valor de US$ 2,3 bilhões em janeiro de 2012, com uma média diária de US$ 105,5 milhões. Os dados preliminares foram divulgados nesta sexta-feira (3) pela Central Exportaminas, órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que realiza mensalmente o Mapeamento das Exportações de Minas Gerais com base nos números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Já as importações totalizaram US$ 1,03 bilhão, valor 17,1% superior ao mesmo mês de 2011. A média diária das importações de janeiro/12 foi de US$ 47,07 milhões. Houve um acréscimo de 16,3% tanto no valor importado quanto na média diária em relação a dezembro de 2011. O saldo comercial do mês passado alcançou US$ 1,28 bilhão, com uma redução de 30,4%, em relação a janeiro de 2011.

Acumulado

No acumulado dos últimos 12 meses (fevereiro de 2011 a janeiro de 2012), o resultado das exportações mineiras continuou apresentando resultados expressivos e atingiram US$ 40,98 bilhões, com expansão de 26,2% em relação ao período de fevereiro/2010 a janeiro/2011. O crescimento das exportações mineiras ficou bem acima da variação das exportações nacionais (+24,8%) e a participação sobre o total brasileiro ficou em 15,9%.

No mesmo intervalo, as importações aumentaram 28,6% na comparação com o mesmo período de 2010/2011, para US$ 13,2 bilhões. Enquanto isso, as importações nacionais cresceram 23,7%. As importações do Estado responderam por 5,8% do total brasileiro.

Minas Gerais continuou sendo o principal responsável pelo superávit da balança comercial brasileira. O saldo comercial do Estado foi de U$ 27,8 bilhões no acumulado dos últimos 12 meses, enquanto o saldo nacional foi de US$ 28,1 bilhões. Sendo assim, Minas Gerais possui 98,9% do saldo comercial brasileiro. Em relação ao período de fevereiro/2011 a janeiro/2012, o crescimento foi de 7,6% no saldo comercial mineiro.

Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia recebe cônsul-geral do Japão

Governador de Minas confirma participação no Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado pela primeira vez em Belo Horizonte, de amanhã a domingo
Gil Leonardi/Imprensa MG
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia
O cônsul do Japão, Masaru Watanabe e o governador de Minas, Antonio Anastasia

O governador Antonio Anastasia recebeu em audiência, nesta quinta-feira (2), no Palácio Tiradentes, o cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, que estava acompanhado do vice-cônsul, Daisuke Hattori. Formado em Direito, na Universidade de Tóquio, Masaru Watanabe ocupa, desde 1980, importantes cargos na diplomacia japonesa, incluindo o de Ministro da Embaixada do Japão nas Filipinas, Argentina e Espanha. Em outubro do ano passado, Watanabe assumiu o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o governador Antonio Anastasia confirmou sua participação na cerimônia de encerramento do Painel Econômico Minas-Japão e posse do novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, o empresário Wilson Brumer. Os eventos integram a programação do Festival do Japão em Minas 2012, que será realizado de sexta-feira (3) a domingo (5), no Expominas, em Belo Horizonte. É a primeira vez que a capital mineira recebe o festival, cujo objetivo é preservar, fomentar e divulgar a cultura japonesa para os mineiros, nipo-brasileiros e turistas.

O cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, ficou satisfeito com a visita. Na avaliação do diplomata, o governador de Minas Gerais, além de gentil, compreende a cultura japonesa e trabalha para desenvolver cada vez mais as relações culturais e econômicas com o país asiático.

“Expressei meu agradecimento pela cooperação do governador para a promoção das nossas relações bilaterais, pela sua participação em nosso seminário econômico e na cerimônia de nomeação do nosso novo cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, senhor Brumer, nesta sexta-feira (3). Falamos ainda de várias possibilidades de futuros projetos econômicos e outras possibilidades que temos na área de economia”, disse.

Relações comerciais

Faz parte da estratégia de ampliação do comércio exterior do Governo de Minas, a ampliação do comércio com o Japão. A Central Exportaminas, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, tem como objetivo promover o processo de internacionalização dos produtores, exportadores e dos serviços de Minas Gerais.

Em 2011, o Japão foi o segundo principal parceiro comercial de Minas, considerando o valor das exportações. E no ranking das importações feitas pelo Estado o Japão é o sexto país. Entre os estados brasileiros, Minas é o que mais exporta para o Japão e o quarto que mais importa. A corrente de comércio foi de US$ 3,75 bilhões, um aumento de 30,9% em relação a 2010. Em 2011, Minas Gerais exportou cerca de US$ 3,28 bilhões e importou US$ 474 milhões. O superávit comercial foi da ordem de US$ 2,8 bilhões.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Exportaminas coordena participação de produtores do Jaíba na Fruit Logística

Carlos Alberto/Imprensa MG
Feira de frutas na Alemanha conta com participação de produtores do Jaíba
Feira de frutas na Alemanha conta com participação de produtores do Jaíba

BELO HORIZONTE (24/01/12) – A Central Exportaminas coordenará, pelo terceiro ano consecutivo, a participação de produtores de frutas de Minas Gerais na Feira Fruit Logística, considerada um dos principais eventos mundiais da cadeia de frutas, verduras e legumes. Realizada anualmente, em Berlim (Alemanha), a feira possui forte e consolidado perfil comercial. Paralelamente, ocorre a Freshconex – Feira de Produtos de Conveniência Frescos.

O pavilhão oficial do Brasil será organizado pelo Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sob a identidade visual “Brazilian Fruit”. A presença na feira faz parte do Projeto Setorial Integrado de Frutas e conta com o apoio da Apex-Brasil para a participação de empresas.

“Estão confirmadas as participações de 38 empresários e produtores de frutas da região do Jaíba, alguns deles pela primeira vez e outros com o objetivo de conhecer novos mercados para seus produtos”, afirma o diretor da Central Exportaminas, Ivan Barbosa Netto. A delegação chega a Berlim em 7 de fevereiro e retorna a Minas Gerais no dia 11. A feira vai de 8 a 10 de fevereiro.

A Central Exportaminas será responsável pela organização do espaço Minas Gerais, localizado no Pavilhão Brazilian Fruit. O espaço contará com área de 40 metros quadrados, formado por um estande único com cinco módulos individuais; imagens e logotipo; infraestrutura de cozinha e depósito; Business Center com dois computadores; impressora e internet wireless; sala de reuniões; recepcionistas trilingues (português, inglês e alemão); catálogo Brazilian Fruit de expositores com informações dos participantes; lâminas individuais dos participantes; presença no Virtual Market Place (site oficial do evento) por um ano; convite pré-evento (e-mail marketing) enviado a potenciais importadores e comunicação junto à imprensa especializada; além de visitas técnicas à central de abastecimento de Berlim e ao Supermercado do Futuro – projeto inovador do grupo alemão Metro, totalmente integrado à tecnologia RFID, PDAs, carrinhos, balanças inteligentes e máquinas que fazem o check-out dos clientes.

Uma novidade desta edição é a participação, junto à delegação brasileira, de um aluno do curso de Comércio Exterior do Centro Universitário Newton Paiva. “Pretendemos, com esta experiência, lançar um projeto que contemple a participação de alunos dos cursos de Comércio Exterior e Relações Internacionais, em parceria com as faculdades mineiras, com o objetivo de oferecer-lhes a oportunidade de experimentar na prática o ambiente e a movimentação de uma feira internacional de grande porte. Ele estará em contato com compradores, vendedores e expositores internacionais, praticando o aprendizado adquirido em sala de aula. Esta é mais uma ação da Exportaminas na formação de novos profissionais neste setor, carente de mão de obra especializada”, completa Ivan Barbosa Netto, lembrando que todos os custos da viagem serão custeados pelo próprio aluno ou subsidiados pela instituição de ensino.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: empresas anunciam investimentos de R$ 34,68 milhões e criação de 2.421 empregos em Minas

BELO HORIZONTE (02/12/11) – Novos investimentos em setores diversos, totalizando R$ 34,68 milhões, acabam de ser anunciados para Minas Gerais. Quatro empreendimentos serão responsáveis pela geração de 2.421 empregos diretos e indiretos, e pela ampliação das cadeias produtivas de setores como calçados, segurança e bicicletas.

O primeiro protocolo de intenção foi assinado pelo Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), com a Palmilhados Boots Indústria e Comércio Ltda.. A empresa irá investir R$ 20 milhões para expandir sua unidade industrial em Itanhandú, no Sul de Minas, bem como para instalar um centro de distribuição, destinado à comercialização de produtos de vestuários, com foco em fardamentos militares e equipamentos de proteção individual (EPI).

De olho no mercado externo e iniciando os contatos com a Central Exportaminas para expandir o mercado, a Palmilhados produz 600 mil pares de calçados militares com chips por ano, 200 mil unidades de equipamentos de proteção individual (luvas) e 150 mil peças de vestuário.

A empresa iniciou suas atividades comercializando coturnos militares para, em seguida, incentivada pela demanda, tornar-se também uma oficina de reparos. O sucesso da oficina trouxe inspiração para a criação do primeiro protótipo e esse, por sua vez, deu origem a uma linha de fabricação própria. Após o ano de 1983, investiram em tecnologia calçadista militar e se tornaram fornecedores de grandes clientes como Exército Brasileiro, Aeronáutica, Marinha e polícias de diversos estados.

Bicicletas

Com investimento de R$ 2,3 milhões, a Braciclo Bicicletas Ltda está construindo, em Lagoa da Prata, região Centro-Oeste de Minas, uma nova sede com área de aproximadamente 3.500 metros quadrados. O empreendimento visa reduzir custos, melhorar a logística e controlar a qualidade da produção dos 40 modelos de bicicletas e dos quadros zyon.

O protocolo de intenção assinado com o Governo de Minas prevê a geração de 114 empregos diretos e indiretos, a fabricação de mais de 35 mil bicicletas por ano e ainda de partes de bicicletas, a partir de 2012. Por outro lado, a Braciclo pretende também consolidar as marcas Braciclo e Zyon. Criada em 2002, a Braciclo tem mais de 100 fornecedores no mercado nacional e importa matéria prima da Ásia.

Já a empresa Emalto Estruturas Metálicas Ltda. está expandindo suas atividades, no município de Timóteo, no Vale do Aço. O grupo, que fabrica em Minas Gerais estruturas metálicas e equipamentos para empresas dos setores do aço, mineral, celulose, cimento, petróleo, automóveis e hidromecânicos, está ampliando a capacidade de produção de estruturas metálicas em 18 mil toneladas/ano. O projeto, com término previsto para este ano, está investindo R$ 10,88 milhões, que resultarão na geração de 447 empregos diretos.

Segurança

Com o objetivo de transferir a fábrica de máscaras respiratórias do município de Socorro (SP) para Bueno Brandão, no Sul de Minas Gerais, a Pro-safety Indústria e Comércio de Equipamentos de Proteção & Solda Ltda. também assinou protocolo de intenção com o Indi. Com investimento de R$ 1,5 milhão, a empresa pretende produzir ainda óculos de segurança, capacetes de proteção e máscaras de solda, hoje terceirizadas.

Além da transferência de 70 funcionários de São Paulo para garantir o processo produtivo, serão gerados 160 novos empregos diretos e indiretos. A partir de 2013, a produção da Pro-Safety deverá atingir a capacidade de 26 milhões de unidades de máscaras respiratórias, 400 mil óculos de proteção, 480 mil capacetes de segurança e 720 mil metros de correntes de sinalização.

A Pro-safety é uma indústria, distribuidora e importadora de equipamentos de proteção individual (EPI), acessórios para solda e sinalização. Fundada em 2006, a empresa iniciou suas atividades em um escritório comercial no bairro do Tatuapé, na cidade de São Paulo, e com uma pequena fábrica de máscaras descartáveis em Campinas.

Fonte: Agência Minas