Arquivos do Blog

Gestão da Educação: alunos de Campo Belo discutem como proteger o Meio Ambiente em ações do cotidiano

Estudantes refletem sobre como todos podem ajudar a proteger o planeta por meio de atitudes simples.

Divulgação / SEE
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.
Alunos detalharam ações que podem ser mudadas para proteger a natureza.

De olho na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, a Escola Estadual Abílio de Neves, de Campo Belo, no Centro-Oeste de Minas, vem promovendo, neste mês de junho, ações de melhorias ambientais que estão mexendo com os alunos e a rotina da escola. Transformando garrafas pets em utensílios para o dia-a-dia, como brinquedos e acessórios, os estudantes trabalharam em cima de 32 ações simples que podem ajudar na preservação do meio ambiente. As atividades têm o apoio da Secretaria de Estado da Educação.

Lavar o carro com balde e um pano e não com mangueira; pintar a casa com cores claras,para permitir um maior reflexo da luz interna economizando assim energia; evitar banhos demorados e desperdício de comida; descartar pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes em locais adequados; dar carona para seus amigos,vizinhos e colegas. Esses são alguns dos pequenos gestos que se adotados por todos podem trazer um impacto positivo enorme para o planeta, lembrou a professora de Ciências Loíde Soares Barbosa. “São ações que reduzem a produção de lixo, a emissão de gases que contribuem para o efeito estufa, a contaminação dos solos e o desperdício de água potável”, reiterou.

Tendo em vista a consciência ambiental, a professora convidou os pupilos a repensarem suas ações diárias, como a destinação do lixo doméstico e do óleo de cozinha usado e uso da água, e o que podem fazer para melhorar de forma efetiva os maus hábitos. “

Os alunos também foram convidados a repensar a temática a partir de um seminário sobre o filme Animais Unidos Jamais Serão Vencidos, animação inspirada na fábula infantil “A Conferência dos Animais” do alemão Erich Kästner, escrita em 1949. O filme que conta a história de uma turma de animais que se desloca de diversas partes do mundo para fugir da devastação de seu habitat natural, instigou os estudantes a refletirem sobre de que forma nossas atitudes podem contribuir para a preservação e para destruição do meio ambiente, como a construção de uma enorme barragem para abastecer um resort.

No filme, que também traz alguns toques do clássico da literatura “A Revolução dos bichos”, do escritor George Well, um galo francês, um canguru australiano, um diabo da Tasmânia, uma fêmea de urso polar e um casal muito simpático de tartarugas idosas de Galápagos vão para a savana africana em busca de alimento, água e conforto para sobreviverem. “Animais Jamais serão Vencidos tem uma animação belíssima, que além de reproduzir paisagens que vão da savana africana ao Ártico, propicia aos jovens a reflexão de situações calamitosas, como o degelo das calotas polares. Tenho certeza que eles aprenderam muito”, concluiu a professora.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alunos-de-campo-belo-discutem-como-proteger-o-meio-ambiente-em-acoes-do-cotidiano/

Governo de Minas: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, recebe a fase final do Campeonato Mineiro de Rugby

Semifinais serão neste domingo; a grande decisão do torneio estadual será no próximo dia 24

Gil Leonardi / Imprensa MG
É a primeira vez que a Arena do Jacaré receberá partidas de rugby
É a primeira vez que a Arena do Jacaré receberá partidas de rugby

O Estádio Joaquim Henrique Nogueira, mais conhecido como Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, recebe neste domingo (10), a partir das 10 horas, as semifinais do Campeonato Mineiro de Rugby. Será a primeira vez que o estádio, administrado pela Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg), receberá eventos desta modalidade esportiva.

As partidas das semifinais serão entre o BH Rugby A e o Inconfidentes Rugby. Em seguida, se enfrentarão o Varginha Rugby e BH Rugby B. A expectativa dos organizadores é que mais de mil espectadores acompanhem as partidas deste domingo, em Sete Lagoas. A grande decisão da competição também acontecerá na Arena do Jacaré, no próximo dia 24 de junho.

Rugby

O Rugby possui diversas modalidades, sendo as mais tradicionais Seven a Side, com sete jogadores em cada time e XV, com quinze jogadores em cada time. Para todas as modalidades são dois tempos de jogo. Na modalidade Seven, o jogo conta com sete minutos cada tempo e na modalidade XV, são 40 minutos cada tempo.

Embora o Rugby seja um esporte com uma história centenária e tradicional em países como a Inglaterra, Nova Zelândia e Escócia, a prática dessa modalidade de forma organizada é recente em Minas Gerais. A Federação Mineira de Rugby foi fundada em 2009 e, desde então, divulga o esporte em todo o Estado.

O esporte tem crescido muito no estado, reflexo disso é a quantidade de clubes que estão surgindo e que tem procurado a federação para acertar o registro e participar dos torneios em 2013. Isso se deve ao fator do Rugby voltar a ser esporte olímpico e com as propagandas que tem veiculado na mídia”, afirma o presidente da FMRugby, Bruno Verçosa.

Rugby em Minas

Este ano, o Campeonato Mineiro de Rugby contou com 10 times na primeira divisão e três na segunda divisão. De acordo com a FMRugby, além de Belo Horizonte, há equipes nas cidades de Uberlândia, Varginha, Ouro Preto, Poços de Caldas, Campo Belo, São João Del Rey, Lavras e Uberaba.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/arena-do-jacare-em-sete-lagoas-recebe-a-fase-final-do-campeonato-mineiro-de-rugby/

Gestão Anastasia: Governo de Minas inaugura unidade do Centro Viva Vida em Ribeirão das Neves

Centro de atenção integral à saúde sexual recebeu mais de R$ 1,2 milhão em investimentos do Estado

Nesta quarta-feira (16), o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, inaugura o 27º Centro Viva Vida de Referência Secundária (CVVRS), desta vez na cidade de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Governo do Estado investiu R$ 1.291.961,68 no Centro Viva Vida “Cenira Gurgel de Carvalho”. Na unidade, que possui 605 metros quadrados, a Secretaria Estadual de Saúde vai investir, mensalmente, R$ 107.657,00, para manutenção e custeio da unidade.

O Centro terá como objetivos oferecer atenção integral à saúde sexual e reprodutiva da população, melhorar a qualidade de vida de doentes crônicos, oferecer atendimento especializado na área de saúde reprodutiva principalmente para mulheres e gestantes, atuando diretamente na redução da mortalidade infantil e materna.

Os usuários do SUS de Ribeirão das Neves poderão usufruir também de atendimento em planejamento familiar, pediatria, ginecologia, obstetrícia, mastologia, urologia, fisioterapia, nutrição e psicologia, com atendimento estimado em aproximadamente 30 mil pessoas por ano.

Participam da solenidade o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, o prefeito de Ribeirão das Neves, Wallace Ventura Andrade, e o superintendente Regional de Saúde de Belo Horizonte, Paulo de Tarso Machado Auais, dentre demais autoridades das cidades do entorno.

Centro Viva Vida de Referência Secundária

Desde 2007 já foram inaugurados 27 Centros Viva Vida no Estado, nas cidades de Brasília de Minas, Itabirito, Santo Antônio do Monte, Janaúba, Capelinha, Frutal, Governador Valadares, Sete Lagoas, São Lourenço, Taiobeiras, Januária, Juiz de Fora, São João Del Rei, Leopoldina, Santa Luzia, Patrocínio, Campo Belo, Campo Bel, Manhuaçu, Teófilo Otoni, Diamantina, Itabira, Viçosa, Pirapora e Patos de Minas.

Serviço:

Inauguração do Centro Viva Vida de Referência Secundária “Cenira Gurgel de Carvalho”

Data: 16/05/2012 (quarta-feira)

Horário: 10h

Local: Rua Geraldino Rocha nº 180, bairro Felixlândia, Ribeirão das Neves

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-inaugura-unidade-do-centro-viva-vida-em-ribeirao-das-neves/

 

Governo Anastasia: implantação de frigorífico deve impulsionar piscicultura em Alfenas e região

Além de agregar valor ao produto, o frigorífico vai ajudar na inserção dos piscicultores no mercado institucional

Divulgação/Emater
A Apmar tem 60 associados e uma produção anual de 1.500 toneladas de tilápia
A Apmar tem 60 associados e uma produção anual de 1.500 toneladas de tilápia

Os municípios banhados pelo lago da Usina Hidrelétrica de Furnas, no Sul de Minas Gerais, têm cerca de 500 piscicultores e uma produção anual de 5 mil toneladas de tilápia,  de acordo com a Emater -MG. A atividade teve início na região há quase 20 anos e, hoje, é importante fonte de renda para as famílias. Atualmente, a Associação dos Piscicultores do Município de Alfenas e Região (Apmar), a Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago), a Prefeitura de Alfenas e a Emater–MG buscam a implantação de um frigorífico em Alfenas. A expectativa é de que a unidade de processamento seja concluída até 2013. Além de agregar valor ao produto, o frigorífico vai ajudar na inserção dos piscicultores no mercado institucional.

A Apmar tem 60 associados e uma produção anual de 1.500 toneladas de tilápia. Os peixes são comercializados em Alfenas e cidades vizinhas, região Central de Minas Gerais e no estado de São Paulo. Uma das dificuldades enfrentadas pelos piscicultores é a falta de um local para fazer o processamento dos peixes. De acordo com o coordenador de Piscicultura da Emater–MG em Alfenas, Francisco de Paula Vitor Alves, a solução é a construção de um frigorífico. “Com a implantação de uma unidade de processamento, os piscicultores conseguirão agregar valor ao produto, regularizar a comercialização durante o ano, oferecer novos produtos, como fishburguer, filé empanado, linguiça, almôndegas e polpa de peixe, e entrar em novos mercados”, diz o coordenador. Com o frigorífico da Apmar, serão beneficiados 150 piscicultores de nove municípios.

O projeto do frigorífico foi elaborado pela Emater–MG. A área de construção é de 261,4 m², e os recursos são provenientes da Prefeitura de Alfenas, Apmar, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Emenda Parlamentar. “O frigorífico deve ser implantado tão logo haja a liberação de recursos para aquisição de equipamentos, que serão oriundos de Emenda Parlamentar. Com a superação de problemas de comercialização e industrialização do pescado, a atividade deverá crescer muito e se tornar um dos principais produtos regionais junto com o café, milho e leite”,  diz o Francisco Alves.

Com a instalação do frigorífico, os piscicultores também esperam comercializar seus produtos no mercado institucional. A ideia é fornecer peixes a escolas e instituições assistenciais, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). As ações desenvolvidos pelo governo federal são uma forma de garantir mercado para os pequenos produtores. Para participar do PAA e PNAE, os piscicultores irão contar com a ajuda da Emater–MG. As atribuições da Emater-MG nos programas são bem amplas e abrangem desde a assistência técnica, mobilização de agricultores, emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), orientação e elaboração de projetos até capacitação dos agricultores em boas práticas de produção.

Há 5 anos Luiz Carlos Rodrigues Caribé trabalha com piscicultura. A produção mensal dele chega a 9 toneladas de tilápia. Para o piscicultor, a construção do frigorífico irá impulsionar a atividade na região.  “Vamos aumentar a qualidade do nosso produto e agregar valor”, diz Caribé. Uma das expectativas do produtor é fornecer peixe ao mercado institucional por meio do PAA e PNAE.  “Com o frigorífico poderemos participar desse mercado, que é uma segurança para nós”, afirma.

Piscicultura no lago de Furnas

A criação de peixes em tanques redes no Lago de Furnas teve início em 1993, com a criação da Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago). Um projeto de piscicultura foi elaborado e recebeu recursos do governo federal e das prefeituras filiadas à Alago. Com isso, foram implantadas unidades demonstrativas de tanques redes e centrais de produção de alevinos em Alfenas e Campo Belo e a piscicultura se expandiu na região. Desde o início a Emater-MG trabalhou em parceria com a Alago. Por meio da empresa, os piscicultores receberam as informações necessárias para o desenvolvimento da atividade. Os extensionistas continuam prestando toda a assistência aos piscicultores.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/implantacao-de-frigorifico-deve-impulsionar-piscicultura-em-alfenas-e-regiao/

Governo de Minas: Anastasia participa de lançamento do livro “A Execução Penal à Luz do Método Apac”

Para governador, resultados da metodologia de recuperação são muito melhores do que os alcançados pelas instituições prisionais tradicionais

Omar Freire/Imprensa MG
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa
Anastasia recebe livro das mãos do presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (16), no auditório da Unidade Raja Gabaglia do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), do lançamento do livro A Execução Penal à Luz do Método APAC. Organizado pela desembargadora Jane Ribeiro Silva, a publicação tem prefácio do governador Anastasia, posfácio do desembargador Joaquim Alves de Andrade e artigos de 23 advogados, juízes, procuradores e desembargadores de Justiça.

O objetivo do livro é divulgar o método da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) para recuperar e ressocializar presos que cumprem pena nas penitenciárias do país e que se tornou referência para a Lei de Execução Penal brasileira. As Apacs se tornaram importantes instrumentos para desafogar o sistema prisional.

O presidente do TJMG, desembargador Cláudio Costa, entregou um exemplar do livro ao governador Anastasia. Também participaram da solenidade, o presidente do Conselho da Apac, juiz Paulo Antônio de Carvalho, o segundo vice-presidente do TJMG, Joaquim Herculano Rodrigues, entre outras autoridades.

Antonio Anastasia classificou como fato memorável a organização e publicação do livro. “Há alguns anos, muitos duvidavam das ações do método Apac. Hoje, pelo esforço da doutora Jane e dos autores deste livro, já temos uma doutrina do método Apac. Temos de apostar e investir em uma metodologia muito mais racional, com resultados muito melhores de recuperação do que os das instituições prisionais tradicionais. A publicação desta obra é o reconhecimento publico de que estamos no caminho certo com reconhecimento judicial e da sociedade”, afirmou.

Apac

As unidades Apac funcionam como albergues, em que os condenados são mantidos em regime semiaberto. As ações de recuperação e ressocialização são baseadas na participação da comunidade, no trabalho, religião, na assistência jurídica e de saúde, na valorização humana e no apoio da família.

Em Minas, existem 36 unidades Apac. A primeira experiência foi implantada em 1986, em Itaúna, e hoje é reconhecida nacionalmente como modelo na recuperação de condenados. Desde 2003, o Governo de Minas celebrou 36 convênios com as Apacs, sendo nove para construção e 27 para manutenção e despesas, totalizando 2.164 vagas mantidas com verbas do Estado. Cumprem pena em Apacs 1.556 recuperandos. Em 2011, o Governo de Minas investiu R$ 15,2 milhões na manutenção e construção de unidades. Este ano, a previsão de investimentos é de R$ 16 milhões.

As Apacs conveniadas estão localizadas nos municípios de Alfenas, Araxá, Arcos, Campo Belo, Caratinga, Frutal, Governador Valadares, Inhapim, Itajubá, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Lagoa da Prata, Leopoldina, Machado, Manhuaçu, Nova Lima, Paracatu, Passos, Patrocínio, Perdões, Pirapora, Pouso Alegre, Rio Piracicaba, Sacramento, Santa Bárbara, Santa Luzia, Santa Maria do Suaçuí, São João del-Rei, Sete Lagoas, Uberlândia e Viçosa.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Regional de Saúde de Divinópolis realiza capacitação de manejo clínico da dengue

Objetivo é preparar os municípios, caso haja uma nova epidemia no Estado, a organizarem a assistência municipal e microrregional

Divulgação/SES MG
A capacitação na macrorregião Oeste foi conduzida por médicos contratados pela SES
A capacitação na macrorregião Oeste foi conduzida por médicos contratados pela SES

A Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis realizou, nessa quinta-feira (8), capacitação de Manejo Clínico da Dengue para os profissionais de saúde da macrorregião Oeste. Essa é a primeira capacitação conduzida pelos médicos contratados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Durante quatro meses, os profissionais vão realizar capacitações no manejo de casos de dengue nos municípios da regional de saúde, auxiliar na estruturação de fluxos assistenciais intramunicipais e intermunicipais da regional, além de encerrar os casos graves e investigação de óbitos suspeitos de dengue.

“Muitos médicos não estavam preparados para fazer a classificação de risco de pacientes com dengue ou o seu tratamento adequado. Por isso, o programa se tornou uma prioridade nacional para que os profissionais saibam identificar precocemente a doença e sua gravidade”, disse o médico infectologista, Lécio Vasconcelos.

De acordo com o superintendente Regional de Saúde de Divinópolis, Jéferson de Almeida, o objetivo é preparar os municípios, caso haja uma nova epidemia no Estado, a organizarem a assistência municipal e microrregional. “Essas capacitações são para melhorar o acesso e tratamento aos pacientes com dengue para que se evitem internações e óbitos devido à doença”.

A próxima etapa é programar, junto aos municípios, oficinas microrregionais. Os médicos vão atuar na macrorregião Oeste e desenvolver oficinas de Manejo Clínico da dengue nas microrregiões de Divinópolis/Santo Antônio do Monte, Formiga, Pará de Minas, Itaúna, Bom despacho e Santo Antônio do Amparo/Campo Belo.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Circuito Mineiro de Cafeicultura 2012 começa em 15 de março

A previsão é de que esta primeira etapa tenha participação de cerca de 500 representantes da cafeicultura regional, estadual e nacional

A abertura do Circuito Mineiro de Cafeicultura 2012 será realizada em 15 de março, às 9h, no município São Sebastião do Paraíso. A previsão dos organizadores é de que esta primeira etapa tenha participação de cerca de 500 representantes da cafeicultura regional, estadual e nacional e de representações das cooperativas, sindicatos, universidades e demais órgãos e entidades do setor.

Por ser um ano com eleições municipais, o circuito, reconhecido como oportunidade de integração e troca de conhecimento para os cafeicultores do Estado, terá sua programação antecipada e reduzida. Serão realizados eventos em 12 municípios do Sul de Minas, a principal região produtora de café do Estado. A última etapa será em Campo Belo, no dia 17 de maio. A mudança atende a legislação eleitoral, que determina restrições à realização de eventos com participação de prefeituras.

O Circuito Mineiro de Cafeicultura é realizado em parceria entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Universidade Federal de Lavras, com colaboração de diversos parceiros públicos e da iniciativa privada. Atualmente, integra as ações do Programa Estruturador do Governo do Estado, o Certifica Minas Café, de certificação em nível internacional das propriedades cafeeiras participantes.

“Este ano, apesar da redução no número de etapas, estamos trabalhando para aumentar a participação de público. Tivemos uma redução de 60% nas etapas do circuito deste ano, mas a expectativa é compensar com aumento de 40% na média de participantes por evento. Em 2011, foram 26 municípios-sede, com a participação de cerca de 7,5 mil participantes, entre produtores, técnicos do setor e lideranças, o que resultou numa média de 288 pessoas por evento”, explica o coordenador de Cafeicultura da Emater-MG, Marcos Antônio Fabri.

Durante as 36 palestras previstas para todo o Circuito, produtores e técnicos do setor vão debater as novidades e experiências para melhorar a qualidade, produtividade, competitividade do café e a renda obtida com o produto. Os temas específicos que compõem a programação das etapas são definidos em função da demanda apresentada pelos produtores e técnicos de cada município.

Agenda do Circuito Mineiro de Cafeicultura 2012:

Março

Dia 15 – São Sebastião do Paraíso

Dia 22 – Nepomuceno

Dia 29 – Boa Esperança

Abril

Dia 3 – Santo Antônio do Amparo

Dia 12 – Passos

Dia 18 – Andradas

Dia 19 – Guapé

Dia 25 – Nova Resende

Dia 27 – Cordislândia

Maio

Dia 3 – Paraguaçu

Dia 10 – Ouro Fino

Dia 17 – Campo Belo

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Consea realiza Seminário Regional de Segurança Alimentar em Belo Horizonte

Comissões promoverão debates, também, em Montes Claros e Uberlândia

O Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG) realiza nesta quarta-feira (15) o Seminário Regional de Coordenações das Comissões Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. O evento acontecerá no Hotel Normandy, no Centro de Belo Horizonte.

O seminário tem os objetivos de proporcionar a integração das coordenações das Comissões Regionais de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (CRSANS); realizar a análise da atual conjuntura de cada região; apresentar o orçamento do Consea-MG para 2012; planejar as ações que serão realizadas pelas comissões ao longo do ano; indicar propostas de metodologias de monitoramento dos programas e ações de segurança alimentar e nutricional sustentável e sugestão de temas para o curso de formação dos agentes que atuarão nesta área.

Participam do seminário as comissões regionais Metropolitana (Belo Horizonte, Santa Luzia e Ribeirão das Neves), Alto São Francisco (Três Marias, Abaeté, Sete Lagoas, Pompéu, Corinto e Curvelo), Vertentes (Tiradentes, Barroso, São Tiago e Desterro de Entre Rios) e Centro-Oeste (Campo Belo, Candeias, Santo Antonio do Monte e Divinópolis).

Também nesta quarta-feira (15), as comissões regionais Norte, Noroeste e Médio São Francisco realizarão encontro em Montes Claros. Já nesta quinta-feira (16), as comissões regionais do Triângulo e Alto Paranaíba realizarão o seminário em Uberlândia, no Teatro de Bolso do Mercado Municipal da cidade.

Fonte: Agência Minas

Governo de Minas: Secretaria de Saúde divulga o primeiro levantamento de infestação para o Aedes aegypti de 2012

Pesquisa indica que o lixo doméstico, bebedouros de animais e pratinhos de plantas são os focos mais comuns de dengue no Estado
Divulgação/SES
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012
Setenta e quatro municípios já realizaram o levantamento em 2012

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que dos 74 municípios que realizaram o Levantamento Rápido de Índices de Infestação para Aedes aegypti (LirAa), em 2012, 30 apresentaram alto índice de infestação (acima de 3,9%); 42 apresentaram médio risco (LirAa entre 1,0% e 3,9%) e duas cidades (Conselheiro Lafaiete, com 0,7% e Poços de Caldas, com 0,1%) tiveram baixo risco. Até o momento, foram notificados, em 2012, 4.491 casos de dengue em Minas Gerais.

De acordo com o subsecretário de Vigilância em Saúde, Carlos Alberto Gomes, comparando os dados de janeiro de 2012 com o mesmo período de 2011, observa-se que dois terços dessas cidades mantiveram os mesmos índices ou abaixaram, porém as demais pioraram. “Quando se faz o LirAa, são identificados quais são os focos mais comuns de infestação pelo Aedes aegypti. Neste LirAa de janeiro de 2012, por exemplo, pudemos constatar que os focos mais comuns foram o lixo (doméstico, principalmente), bebedouros de animais (lata d’água de cães e gatos) e os pratinhos para plantas”, detalhou Carlos Alberto.

O LirAa é uma pesquisa de verificação domiciliar por amostragem que revela o índice de infestação da larva do mosquito. Ele ajuda os municípios a acompanharem de forma rápida e atualizada a situação da infestação, além de ser um instrumento que auxilia na rápida tomada de decisões dos gestores para o controle da doença e demonstra como os municípios estão distribuídos em todas as regiões do Estado, o que espelha o aumento da infestação.

“O levantamento funciona como um alerta para os municípios e aponta para um potencial de epidemia, se nada for feito para impedir. A primeira providência dos municípios, e dos estados, com base nesses números, é intensificar as ações de controle nos pontos críticos, utilizando os indicadores como referência, principalmente, os depósitos predominantes. Também é fundamental a mobilização da sociedade civil, pois 85% dos focos de dengue estão dentro da casa das pessoas”, afirma a referência técnica em dengue da SES, Geane Andrade.

Minas Gerais conta com a Força-Tarefa de combate a dengue. Ela já atuou em vários municípios do Estado reforçando as ações de combate à dengue e mobilizando a população sobre a necessidade de evitar a doença. Aimorés, no Leste de Minas, é uma das cidades que recebe a equipe da força tarefa a partir desta semana.

Reunião com 30 municípios

No dia 1º de fevereiro, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, recebeu secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, aprimorar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário foi que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da Força-Tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Clique aqui para ver os índices do LirAa de janeiro/2012 (arquivo Word).

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: saúde reúne 30 municípios mineiros para aprimorar o combate à dengue

Entre as ações efetivas anunciadas está a liberação de R$ 1 milhão para a compra de 30 veículos que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos.
Vivian Campos/SES-MG
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios
Secretário de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, anuncia medidas para impedir o avanço da dengue em 30 municípios

Secretários municipais de saúde de 30 municípios mineiros em situação crítica de infestação do mosquito Aedes aegipty se reuniram, nesta quarta-feira (1), com o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Souza Marques, com o objetivo de reforçar o combate ao vetor e impedir o avanço da doença, que causou 23 mortes no Estado em 2011. A média de infestação por dengue (LirAa) nessas cidades chega a 4,6%, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde consideram 1% como Alto Risco de Transmissão de Dengue.

De acordo com o secretário Antônio Jorge, o Estado apresenta uma situação climática totalmente favorável ao mosquito, mas isso não pode ser usado como justificativa para 100% do problema, mesmo que o volume de água trazido pelas chuvas tenha representado, em algumas cidades, o maior volume de água dos últimos 100 anos. “Tivemos um enorme êxito em 2011, se compararmos com 2010, em que houve uma redução de mais de 80% dos casos notificados. Porém, é fundamental que os gestores municipais tenham uma atenção especial e redobrem a atenção em 2012”. Ele ressaltou, ainda, a introdução do sorotipo 4 do mosquito, que aumenta e fragiliza a cadeia de contaminação.

Entre as ações efetivas para a solução do problema, Antônio Jorge anunciou a liberação de R$ 1 milhão, recurso do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), para a compra de aproximadamente 30 veículos do tipo picape, que irão auxiliar no transporte dos agentes e insumos, considerado pelos secretários municipais, como um dos grandes gargalos na promoção das ações.

Além disso, vem sendo feito o treinamento de 50 médicos que irão, por meio das regionais de saúde, otimizar e capacitar a ação de profissionais locais para um eficaz diagnóstico da doença, uma vez que muitos dos casos que evoluem para óbito estão diretamente ligados ao manejo clínico.

Outro anúncio feito pelo secretário é que, neste ano, os municípios não serão mais responsáveis pela hospedagem e alimentação dos agentes da força-tarefa, transferindo a responsabilidade para a SES.

Notificações

Este ano, dos 2.459 casos de dengue notificados nas 853 cidades mineiras, 30% estão nos municípios convocados, o que representa 328 casos e 10% da população do Estado. “Estamos atentos a qualquer necessidade e pedimos que esses municípios redobrem a atenção para a dengue. Queremos entender os problemas e resolver as questões pontuais”, disse Antônio Jorge.

Outra proposta foi a criação de uma feira, ainda no primeiro semestre, em que os gestores de saúde terão a oportunidade de apresentar e trocar experiências exitosas das ações de dengue. “Parte do resultado negativo nesta guerra contra o mosquito está ligada às políticas de gestão, que muitas vezes podem ser mal aplicadas ou formatadas. Sendo assim, devemos pensar em estratégicas, ações diferentes para provocar melhores resultados, pois a dengue já é uma agenda no Estado há 15 anos e com resultados de melhora distintos”, explicou o secretário.

Os municípios convocados foram: Pocrane, São José da Safira, Marilac, Recreio, Glaucilândia, Central de Minas, Mathias Lobato, Naque, Aimorés, Araguari, Bocaiúva, Bom Despacho, Campo Belo, Curvelo, Dores do Indaiá, Ipatinga, Itabira, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Montes Claros, Nova Serrana, Pará de Minas, Pirapora, Pompéu, Teófilo Otoni, Timóteo, Ubá, Unaí e Várzea da Palma.

Fonte: Agência Minas