Arquivos do Blog

Gestão da Saúde: Verdelândia reduz índice de infestação do mosquito da dengue

Mobilização social é fundamental para prevenir a doença

Dâmaris Francine/SRS MOC
Mutirões de limpeza foram realizados no perímetro urbano e em comunidades rurais para evitar focos do Aedes aegypti
Mutirões de limpeza foram realizados no perímetro urbano e em comunidades rurais para evitar focos do Aedes aegypti

Em Verdelândia, município localizado no Norte de Minas, a 174 km de Montes Claros, a população está se mobilizando para combater a dengue. Desde o início do ano, a Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), por meio da Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, vem realizando uma série de atividades de prevenção e controle dos focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença.

Segundo o secretário Municipal de Saúde, Aylsson Macena Queiroz, em janeiro, o município registrou o menor índice de infestação do mosquito dos últimos quatro anos no período, mas é preciso um trabalho intenso para manter a situação sob controle. “O primeiro levantamento do ano apontou 2,37% de infestação e embora não seja o ideal preconizado pelo Ministério da Saúde, que prevê um índice de até 1%, foi o melhor registrado em Verdelândia nos últimos quatro anos nesta época”, explica.

Os levantamentos anteriores registraram, no mês de janeiro, índices de 2,60% (2009), 2,50% (2010) e 3,28% (2011). “No restante do ano, o índice de infestação gira em torno de 0,3%, aumentado apenas no verão. Para manter o controle, desde o segundo semestre do ano passado intensificamos as ações e a redução do índice demonstra que estão surtindo efeito”, avalia Queiroz.

O secretário conta ainda, que além dos focos que se formam nas poças d’água decorrentes das chuvas, os moradores do município também utilizam reservatórios e cisternas para captação de água de chuva para abastecimento, muitas vezes destampadas, que podem se tornar potenciais criadouros do mosquito.

“Para prevenir que o mosquito se instale nesses locais estamos disponibilizando aos moradores telas de proteção. Para os reservatórios de água que não são de consumo humano, o município disponibiliza peixes lebistes, que se alimentam de larvas, evitando a proliferação do mosquito”, diz Queiroz.

Mobilização

De 2007 a 2011, o município notificou 58 casos de dengue, sendo 42 confirmados como dengue clássico e 15 descartados. Segundo a educadora em Saúde, Dâmaris Francine, para prevenir a doença, o foco das ações no município é a mobilização social.

“Estamos mobilizando a população da área urbana e rural para que cada um faça sua parte. Durante todo o mês de janeiro, realizamos mutirão de limpeza no perímetro urbano e nas comunidades rurais de Cachoeirinha, Janaíba e Barreiro do Rio Verde, com participação dos agentes de endemias, agentes comunitários de saúde e de toda a comunidade”, ressalta.

Dâmaris diz que durante o mutirão foi recolhida uma quantidade significativa de lixo. “Mas vale ressaltar que foi menos que no ano passado, o que demonstra que a participação contínua da população e serviço de limpeza urbana efetivo são decisivos no trabalho de controle da dengue”, observa.

Além do mutirão de limpeza, a população também participou de palestras e recebeu orientações para evitar que o mosquito se instale em seus quintais e no local de trabalho. “Também foram realizadas visitas domiciliares, distribuição de sacos de lixos, materiais educativos e muito diálogo com os moradores, para que todos possam se envolver na guerra contra a dengue”, completa Dâmaris.

Fonte: Agência Minas