Arquivos do Blog

Gestão Eficiente: Governador Antonio Anastasia inaugura ETE e visita fábrica de água mineral em Araxá

Cidade recebeu investimentos de R$ 82 milhões em sistema de coleta e tratamento de esgoto

Omar Freire/Imprensa MG
Araxá recebeu do Governo de Minas investimentos de R$ 82 milhões em sistema de tratamento de esgoto
Araxá recebeu do Governo de Minas investimentos de R$ 82 milhões em sistema de tratamento de esgoto

O governador Antonio Anastasia inaugurou, nesta segunda feira (25), em Araxá, no Alto Paranaíba, a Estação de Tratamento de Esgoto Central (ETE) e entregou a reforma da fábrica envasadora da Água Mineral Araxá. O Governo de Minas, por meio da Copasa, investiu R$ 30 milhões na construção da ETE, a maior e mais importante entre as quatro que fazem parte do investimento que dotou a cidade de um completo sistema de coleta e tratamento de esgoto.

A unidade faz parte de um programa que assegurou mais de R$ 82 milhões em obras que garantem mais qualidade de vida e saúde para a população de Araxá e proteção do meio ambiente.

“A ETE é fundamental. Araxá passa a ser uma cidade com 100% de seu esgoto tratado, o que significa mais saúde, mais qualidade de vida e saneamento pleno a uma cidade que é ambiental e ecológica”, disse o governador.

Antonio Anastasia ressaltou que a estação de tratamento de esgoto é um compromisso com o meio ambiente. “Com os efeitos da grande conferência da Rio+20, nós estamos aqui, em nosso Estado, cumprindo os compromissos de saneamento para devolver a qualidade dos rios e dos cursos d’água de Minas Gerais”, afirmou o governador.

Na cidade de Araxá foram implantados mais de 37 quilômetros de redes coletoras, interceptoras e emissários de esgoto, e construídas quatro estações de tratamento, que juntas têm capacidade para tratar todo o esgoto coletado.

A ETE Central tem capacidade para tratar mais de 21 milhões de litros de esgoto por dia e vai receber 90% do esgoto coletado na cidade. Além de conforto e saúde, os investimentos realizados pela Copasa em Araxá possibilitarão, em pouco tempo, a revitalização das águas dos córregos do Sal e Retiro, deixando o município em melhores condições para atrair novos investimentos, gerar mais emprego e desenvolvimento.

O presidente da Copasa, Ricardo Simões, destacou o trabalho realizado para o tratamento dos esgotos em Minas Gerais. “Até o início de 2003, tínhamos 25% dos esgotos coletados tratados. Hoje, temos 70%. Isso significa que o volume de esgoto tratado hoje em Minas Gerais é 300% maior do que o volume tratado até o início de 2003”, afirmou o presidente da Copasa.

Fábrica envasadora

Anova unidade de engarrafamento da água mineral Araxá pertence à Subsidiária Copasa Águas Minerais de Minas, criada pelo Governo de Minas para promover o desenvolvimento das estâncias hidrominerais do Estado, que atraem muitos turistas devido às propriedades terapêuticas de suas águas.

Com investimento de R$ 4 milhões, a unidade de engarrafamento foi reformada, com a instalação de equipamentos sofisticados e modernos, o que permite o relançamento da água mineral no mercado, atendendo a todas as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“A água é sinônimo de vida, de qualidade de vida, ainda mais uma água de alta qualidade mineral como é a Água Araxá. Nós ficamos muito felizes de devolver a comercialização da Água Mineral Araxá, que levará o nome dessa cidade, dessa belíssima estância mineira, a todo o Brasil, trazendo mais turistas e levando também boa saúde daqui para os brasileiros. A marca é um cartão de visita para dar mais robustez ao turismo da cidade”, disse o governador Antonio Anastasia.

Com uma vazão média de seis mil litros por hora, a fonte Dona Beja, sem gás, em Araxá, apresenta a melhor água naturalmente fluoretada do Brasil. A água mineral tem características únicas, naturalmente leve e sofisticada, sendo perfeita para o consumo no dia a dia. Um produto que possui, em seus sais minerais, propriedades químicas naturais que possibilitam uma hidratação eficiente, além da desintoxicação do organismo.

A envasadora das Águas Minerais Araxá está reiniciando a operação com 12 empregados, devendo chegar a 21. Inicialmente, serão produzidas garrafas PET 510 mililitros e 1.500 ml. A produção será expandida para uma linha completa de garrafão à medida que as vendas forem alavancadas.

Faturamento

A envasadora foi fechada em junho de 2005, devido ao término do contrato de arrendamento com a Comig, antecessora da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Em junho de 2006, a Codemig assinou contrato de arrendamento dos direitos minerários, equipamentos e instalações de envasamento das águas minerais de Caxambu, Cambuquira, Lambari e Araxá com a Copasa.

A Copasa Águas Minerais de Minas vem realizando grandes investimentos nas estâncias hidrominerais com o objetivo de revitalizar as marcas das tradicionais águas minerais do Estado de forma sustentável. Até 2011, foram investidos R$ 29,2 milhões em reformas de instalações prediais, equipamentos e instalações industriais. Para este ano, mais R$ 4 milhões, totalizando R$ 33,2 milhões.

Além da Araxá, a subsidiária é responsável pela produção, distribuição e comercialização das águas minerais das fontes das cidades de Caxambu e Cambuquira, que já estão no mercado. Em breve, será relançada a água mineral Lambari, uma água energética por natureza, adequada para a prática de esportes radicais e para quem quer viver com mais saúde. Desde o início do processo de reativação, foram gerados 850 empregos diretos e indiretos.

As quatro fábricas têm capacidade para uma vazão 86,7 milhões de litros e um faturamento da ordem de R$ 144,7 milhões.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governador-antonio-anastasia-inaugura-ete-e-visita-fabrica-de-agua-mineral-em-araxa/

Gestão da Saúde: Seminário da Rede Farmácia de Minas reúne profissionais da área em Araxá

Evento, que deve reunir 600 farmacêuticos, tem o objetivo de melhorar a qualidade e o atendimento na Rede Farmácia de Minas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promove, em parceria com o Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (CRF/MG), o IV Seminário da Rede Farmácia de Minas entre os dias 26 e 28 de junho. O evento será realizado no Tauá Grande Hotel, em Araxá, no Alto Paranaíba, e deverá contar com a participação de aproximadamente 600 profissionais da área, dando continuidade ao projeto de capacitação permanente dos farmacêuticos que atuam na Rede Farmácia de Minas.

O seminário tem o objetivo de melhorar a qualidade e o atendimento na Rede Farmácia de Minas, além de possibilitar a troca de experiências e o aprimoramento do cuidado farmacêutico.

Implantada em 2008, a Rede Farmácia de Minas busca garantir que o acesso aos medicamentos disponíveis no SUS seja feito com a devida assistência farmacêutica, por profissionais qualificados. O programa reconhece a farmácia como estabelecimento essencial ao funcionamento do SUS, no qual se oferece um espaço humanizado de atendimento ao usuário, com a dispensação gratuita e racional de medicamentos.

A programação inclui palestras sobre o papel do farmacêutico na Atenção Primária, o controle sanitário de medicamentos, a prática do farmacêutico na Clínica, a qualificação e padronização dos processos, além do acesso a medicamentos na Saúde Pública da América Latina. Esse último tema será apresentado pelo diretor de Consultoria do Consórcio Hospitalar de Catalunha, na Espanha, Roberto Iunes.

Parceria

Há três anos, a parceria entre o CRF/MG e a SES/MG, por meio da Superintendência de Assistência Farmacêutica (SAF), vem levando capacitação e atualização profissional a todos os farmacêuticos que integram o Programa Farmácia de Minas. Desde então, já foram realizados vários eventos conjuntos, como II e o III Seminário da Rede Farmácia de Minas, além do I Simpósio Internacional de Farmacoeconomia, promovido em maio de 2009.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/seminario-da-rede-farmacia-de-minas-reune-profissionais-da-area-em-araxa/

Governo de Minas: cidades mineiras têm programação extensa para receber turistas neste inverno

Festivais nas cidades históricas, o frio do Sul e as belezas naturais devem atrair milhares de visitantes ao Estado nesta estação.

Baixas temperaturas, neblina, chocolate quente, festivais de inverno, gastronomia e muita hospitalidade. Muitas são as palavras que podem representar o inverno em Minas Gerais, que também significa alta temporada turística no Estado. O inverno começa oficialmente nesta quarta-feira (20), e a Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur) preparou algumas dicas para que o turista possa aproveitar a estação nas terras mineiras.

De acordo com o secretário de Estado de Turismo de Minas Gerais, Agostinho Patrus Filho, Minas Gerais tem inúmeras opções para o turista que quiser visitar o Estado neste inverno. “A nossa diversidade natural e cultural é um dos mais importantes diferenciais turísticos. No inverno, nossos municípios preparam opções para atrair turistas de todos os gostos e localidades. Vale destacar os festivais que aquecem e animam turistas e moradores de Minas Gerais”, diz Patrus.

Arraial animado em Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, o já conhecido Arraial de Belô promete agitar a festança junina na capital. Comidas típicas da Festa de São João vão esquentar as 75 mil pessoas esperadas para esta edição do evento. O Arraial de Belô 2012, uma das maiores festas juninas do país, está em sua 34ª edição e promete uma programação pra lá de animada com as apresentações das quadrilhas. Para saber mais, acesse o site do evento.

Festivais de Inverno

Já tradicionais, os festivais de inverno movimentam as cidades do interior do Estado. O Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, considerado um dos melhores do país, acontece entre os dias 8 e 22 de julho.  Na programação, mais de 123 atividades e oficinas voltadas para artes cênicas, música, artes plásticas. A programação estará disponível no site do festival.

Além de participar da programação do festival, o turista poderá aproveitar para conhecer os atrativos da região. Andar pelas ruas tricentenárias de Ouro Preto, visitar as tradicionais igrejas e famosos museus da cidade, além de poder fazer uma deliciosa viagem de Maria Fumaça de Ouro Preto a Mariana, são algumas das opções disponíveis.

O 44º Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) acontece entre os dias 15 a 26 de julho, na cidade de Diamantina. Já a Universidade Federal de São João del Rei realiza, entre os dias 14 e 28 de julho, o 25º Inverno Cultural. Espetáculos musicais, dança, teatro, artes plásticas, cinema e oficinas fazem parte da programação que promete aquecer os visitantes. Para mais informações, acesse o site com a programação na cidade.

Gastronomia e cultura em Araxá

Terra das águas termais, Araxá, no Alto Paranaíba, espera receber 10 mil pessoas para o Festival Internacional de Cultura e Gastronomia da cidade, que acontece de 21 a 24 de julho. Na programação, shows, exposições, festins com chefes franceses e oficinas gastronômicas estarão à disposição dos visitantes. Quem for curtir o evento, poderá também participar de degustações de cervejas e vinhos especiais. Para saber a programação completa, acesse o site do evento.

Baixas temperaturas no Sul de Minas

Famosas por suas baixas temperaturas, algumas cidades de Minas Gerais já se preparam para receber os visitantes nesta época do ano. Para aqueles que querem aproveitar o friozinho mineiro e conhecer belas paisagens, a dica é visitar as cidades do Sul de Minas.

Um dos destinos procurados no inverno é charmoso distrito de Monte Verde, em Camanducaia. Entre os dias 07 e 29 de julho, o visitante poderá aproveitar a programação do Festival de Inverno de Monte Verde que terá apresentações de blues e jazz.  Situada na Serra da Mantiqueira, a vila mantém costumes trazidos pelos primeiros moradores e possui influência alemã, suíça e italiana. No inverno, os termômetros sempre registram temperaturas negativas. Além disso, os visitantes podem aproveitar os atrativos de natureza e escalar as altas montanhas da Serra da Mantiqueira ou fazer caminhadas nas trilhas que levam até o topo da Serra. Lá de cima, é possível ver toda Monte Verde, Campos do Jordão e outras cidades do Vale do Paraíba.  De acordo com a secretaria de Turismo e Cultura de Camanducaia, a ocupação hoteleira na cidade está de 100% até a primeira semana de agosto e a expectativa é de cerca de 100 mil turistas visitem o município nesta época do ano.

Maria da Fé, a 486 km de Belo Horizonte, no Sul de Minas, é a cidade mais fria do Estado e é conhecida nacionalmente devido aos frequentes registros de baixas temperaturas.  Neste inverno, os turistas que visitarem a cidade podem aproveitar o Festival de Inverno, que acontecerá entre os dias 5 e 15 julho, e espera receber mais de 30 mil pessoas.

Cidade de ar puro, clima de montanha e gente hospitaleira. Extrema foi presenteada com uma natureza exuberante onde o turista poderá experimentar a sensação de explorar trilhas, cachoeiras, pedras e mirantes. Os mais aventureiros podem praticar voo livre, rapel e boiacross, nas corredeiras do rio Jaguari.  De acordo com a Secretaria municipal de Cultura e Turismo de Extrema, são esperados cerca de 100 mil visitantes na cidade durante o inverno e a taxa de ocupação dos meios de hospedagem alcançou 90%.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cidades-mineiras-tem-programacao-extensa-para-receber-turistas-neste-inverno/

Governo de Minas: Big Band Palácio das Artes se apresenta em Araxá nesta sexta-feira

Músicas de grandes compositores estão no programa da apresentação; a entrada é gratuita

Paulo Lacerda / FCS
Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo às artes
Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo às artes

A Big Band Palácio das Artes, projeto de fomento ao jovem artista da Secretaria de Estado de Cultura, por meio da Fundação Clóvis Salgado, se apresenta na cidade de Araxá, na região do Alto Paranaíba, nesta sexta-feira (22). A apresentação acontece na Fundação Cultural Calmon Barreto de Araxá, no centro da cidade.

No programa do show estão músicas de grandes nomes do jazz, como Duke Ellington (“I don’t mean a thing”) e Billie Holiday (“Georgia on my mind”); e de músicos populares, como John Lennon e Paul McCartney (“Come together”), Santana (“Oye como va”) e Jorge Ben Jor (“Mas que nada”).

Sob regência do maestro e arranjador cubano Nestor Lombida, titular da Big Band Palácio das Artes, o show tem início às 22h30 e a entrada é gratuita.

Programa da apresentação:

1. Samba do Gringo

2. White Heat – Jeff  Jarvis

3. In the Mood – Joe Garland

4. Come together – John Lennon e Paul McCartney

5. Groovin’ High – Dizzy Gillespie

6. Georgia on my mind – Billie Holiday

7. Just the Two of us – Ralph Macdonald, William Salter e Bill Withers

8. Oye como va – Santana

9. Mas que nada – Jorge Ben

10. The Joy of Cookin’ – Sammy Nestico

11. I don’t mean a thing – Duke Ellington

12. Wind Machine – Sammy Nestico

13. Night Train – Jimmy Forrest

14. Night in Tunisia – Dizzy Gillespie

15. Triller – Rod Temperton

Sobre a Big Band Palácio das Artes

Formada há cinco anos como projeto da Escola de Música do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar), a Big Band faz parte da política cultural do Governo do Estado de estímulo à criação, pesquisa e profissionalização de jovens talentos neste gênero musical.

Sob regência do maestro e arranjador cubano Nestor Lombida, a Big Band Palácio das Artes cumpre intensa agenda, apresentando-se em diversos espaços de Belo Horizonte e em outras cidades de Minas Gerais, integrando o projeto de interiorização da Secretaria de Estado de Cultura. A Big Band Palácio das Artes também participa do circuito de programações de jazz do Estado, estando presente em edições do Savassi Jazz Festival, do Jazz Gerais, e do festival Tudo é Jazz.

Serviço

Big Band Palácio das Artes em Araxá

Data: 22 de junho

Horário: 22h30

Duração: 1h

Local: Fundação Cultural Calmon Barreto de Araxá, Praça Artur Bernardes, 10 – Centro

Classificação: Livre

Entrada Gratuita

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/big-band-palacio-das-artes-se-apresenta-em-araxa-nesta-sexta-feira/

Gestão Eficiente: Minas Gerais cresce mais que a média nacional em índice de competitividade do turismo

Secretário de Turismo, Agostinho Patrus Filho, atribui o bom resultado ao trabalho integrado realizado no Estado

Valter Campanato/ABr
Cidades históricas de Minas impulsionam Índice de Competitividade do Turismo Nacional
Cidades históricas de Minas impulsionam Índice de Competitividade do Turismo Nacional

Os destinos turísticos mineiros cresceram mais do que a média nacional, de acordo Índice de Competitividade do Turismo Nacional, divulgado pelo Ministério do Turismo e pelo Sebrae. Em 2011, o índice médio dos municípios mineiros pesquisados foi 10,3% maior do que a média nacional (57,5), atingindo o valor de 63,4.

De acordo como o estudo, a capital mineira, Belo Horizonte, obteve uma média de 75,5. Este número é 15,3% maior do que a média das outras capitais nacionais pesquisadas que obtiveram uma média de 65,5. Os demais municípios mineiros pesquisados, além da capital mineira, Diamantina, Ouro Preto e Tiradentes, obtiveram um índice médio de 59,4, ou seja, 14,7% acima dos municípios nacionais considerados como não capitais que atingiram o valor médio de 51,8. A cidade histórica de Tiradentes também foi considerada destaque em 2011 como não capital que mais evoluiu no indicador referente à capacidade empresarial com um aumento de 63,2% em relação ao valor alcançado em 2010.

O secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, comentou o crescimento do turismo mineiro atribuindo o bom resultado ao trabalho integrado realizado no Estado. “O Índice de Competitividade nos fornece informações que subsidiam o planejamento estratégico do Governo de Minas na atividade turística. Por meio dele, podemos monitorar a evolução da atividade nos destinos e no país para melhor atender o turista e planejarmos as nossas Políticas Públicas”, afirmou.

Índice de Competitividade

O Índice de Competitividade é uma ferramenta de gestão que tem como finalidade identificar pontos fortes e a serem desenvolvidos nos destinos turísticos. O Índice é apurado anualmente, desde 2008, em pesquisas de campo realizadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, priorizados pelo Ministério do Turismo. Em Minas Gerais, os municípios pesquisados foram Belo Horizonte, Diamantina, Ouro Preto e Tiradentes. O estudo avalia 13 dimensões, como infraestrutura turística, serviços e equipamentos, atrativos, aspectos sociais e ambientais, dentre outros.

Em uma iniciativa inédita no Brasil, o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Turismo ampliou este estudo para outras 17 cidades mineiras que também, periodicamente, recebem pesquisa da Fundação Getúlio Vargas para analisar a sua evolução e competitividade. Integram esta política os seguintes municípios: Sete Lagoas, Santana do Riacho (Serra do Cipó), Poços de Caldas, São Lourenço, Juiz de Fora, Camanducaia (Monte Verde), Caxambu, Maria da Fé, Caeté, Araxá, Capitólio, Brumadinho, Montes Claros, Ipatinga, Uberlândia, Governador Valadares e Itabira.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/minas-gerais-cresce-mais-que-a-media-nacional-em-indice-de-competitividade-do-turismo/

Governo de Minas: Vice-governador participa da abertura de evento empresarial em Araxá

Para Alberto Pinto Coelho, “Conexão Empresarial 2012 – Para sempre Minas Gerais” viabiliza intercâmbio de conhecimento

Tião Mourão/VB
Evento possibilita o debate e a troca de ideias das relações interpessoais, diz vice-governador
Evento possibilita o debate e a troca de ideias das relações interpessoais, diz vice-governador

O vice-governador Alberto Pinto Coelho participou nesta sexta-feira (15), em Araxá, no Alto Paranaíba, da abertura do “Conexão Empresarial 2012 – Para sempre Minas Gerais”. O evento, promovido pelo Grupo VB Comunicação, reuniu no Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá mais de 500 lideranças nacionais de todos os segmentos, principalmente de Minas, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/vice-governador-participa-da-abertura-de-evento-empresarial-em-araxa/

Governo de Minas: Copasa investe em melhorias em saúde e Meio Ambiente para a população de Araxá

Em breve, a cidade deverá ter 100% do esgoto tratado

Divulgação / Copasa
Araxá terá, em breve, 100% do esgoto tratado
Araxá terá, em breve, 100% do esgoto tratado

O Governo de Minas, por meio da Copasa, investiram cerca de R$ 82 milhões de reais em obras para a coleta e o tratamento de esgoto em Araxá, cidade do Alto Paranaíba. As intervenções garantem mais qualidade de vida para a população e também a redução de danos ao Meio Ambiente na bacia do Rio Paranaíba.

Os recursos foram usados na construção de quatro Estações de Tratamento de Esgotos (ETE) – Central, Barreirinho, Distrito Industrial e Boa Vista – e na construção de redes coletoras por todo o município.  Juntas, as estruturas são capazes de tratar 100% do esgoto produzido pelos 93 mil moradores da cidade.

Além de conforto e saúde para a população, o tratamento dos esgotos garantirá, em pouco tempo, a revitalização das águas dos córregos do Sal e Retiro, deixando Araxá e região em melhores condições para atrair novos investimentos e, consequemente, mais emprego e desenvolvimento.

Na cidade, os investimentos da Copasa, entre 2003 a 2012, foram da ordem de  R$ 110 milhões, sendo que do montante, aproximadamente R$ 10 milhões foram aplicados no sistema de abastecimento de água; R$ 18 milhões em programas ambientais e operacionais, e o restante, no sistema de esgotamento sanitário.

Além disto, na subsidiária da Copasa Águas Minerais de Minas, criada pelo Governo de Minas para promover o desenvolvimento das estâncias hidrominerais, foram investidos R$ 2,4 milhões na reforma da fábrica e na compra de novos equipamentos.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/copasa-investe-em-melhorias-em-saude-e-meio-ambiente-para-a-populacao-de-araxa/

Governo de Minas: qualidade é fundamental para o melhor Queijo Minas Artesanal

Superagro 2012 traz na programação o Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal

Produtores de diversas regiões mineiras levarão seus melhores queijos para o Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal, que pela segunda vez consecutiva é realizado na programação da Superagro Minas. A escolha acontece no dia 8 de junho. Para participar, o produtor deve atender à legislação e às normas sanitárias de produção do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

Conforme informações da Emater-MG, que executa o Programa Queijo Minas Artesanal, para identificar e caracterizar as regiões tradicionalmente produtoras do Queijo Minas Artesanal foram feitos estudos históricos, agrogeológicos e climáticos. A Lei Estadual 14.185/02 determina esses critérios para classificar as cinco regiões como Cerrado, Araxá, Canastra, Serro e Campo das Vertentes, que dão nome aos tipos do queijo.

Segundo a coordenadora de Programa Queijo Minas Artesanal da Emater-MG, Marinalva Olivia Martins Soares, o trabalho realizado com os produtores é focado no aprimoramento da qualidade e cada edição do concurso é um aprendizado. “Hoje o mercado exige a profissionalização e a regulamentação dos produtores, sem elas a qualidade do queijo fica comprometida. Entre os critérios necessários para conquistarmos a excelência do produto está a obediência às suas características originais, como a sua apresentação – formato e acabamento; sua cor – amarelada e uniforme; e os sabores próprios de cada região”, afirma Marinalva.

Além dessas características, serão avaliados no concurso a textura, a consistência, o paladar e o olfato dos queijos concorrentes. Serão premiados os cinco primeiros lugares, dentre os inscritos de todas as regiões produtoras. Estima-se que serão 21 inscritos no total.

A coordenadora informa que atualmente há 213 produtores cadastrados no IMA e a expectativa é que ao longo de 2012 sejam realizados outros 100 cadastros. “Embora a certificação seja fundamental para termos um produto melhor e mais competitivo no mercado, há ainda alguns produtores que insistem na informalidade”, lamenta. Isso faz com que o preço do produto varie, dependendo também da região produtora, mas a média fica em entre R$ 7,50 e R$ 15 o quilo. Esses valores são referentes ao que é pago ao produtor para o Queijo Minas Artesanal Cadastrado.

A Superagro Minas 2012 será realizada de 3 a 10 de junho, no complexo Parque de Exposições da Gameleira /Expominas, em Belo Horizonte.  A promoção é do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e Sebrae-MG.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/qualidade-e-fundamental-para-o-melhor-queijo-minas-artesanal/

Gestão da Saúde: SES promove pesquisa para mapear a saúde bucal da população do Estado

Exames clínicos e questionários vão permitir a caracterização do nível de utilização de serviços odontológicos e dos riscos à Saúde Bucal dos mineiros

links relacionados
Pedro Cisalpino
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira
SB Minas Gerais mapeia a condição da saúde bucal da população mineira

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está realizando uma pesquisa que tem como objetivo mapear as condições de saúde bucal da população mineira, o SB Minas Gerais. Por meio do projeto, a SES-MG pretende identificar os problemas bucais mais frequentes na população, a fim de diagnosticar as necessidades e, formular ações que contemplem prevenção, tratamentos e reabilitação adequados à realidade das comunidades.

Desde o final de abril, moradores de 60 municípios mineiros estão participando do inquérito epidemiológico. Em cada município serão feitos cerca de 100 exames, totalizando, aproximadamente, seis mil exames no Estado. De acordo com a diretora de Saúde Bucal da SES-MG, Daniele Lopes Leal, a pesquisa vai fortalecer a Política de Saúde Bucal, que vem sendo delineada no estado.

“O SB Minas Gerais vai trazer como resultado o diagnóstico epidemiológico de Saúde Bucal da população mineira, a partir do qual serão formuladas ações que contemplem esta população com o desenvolvimento de programas de âmbito estadual”, explica.

Durante a pesquisa, além dos índices tradicionais de medição dos agravos bucais, será aplicado, também, um questionário aos indivíduos examinados.  Dessa forma, serão analisadas as condições de problemas como cárie, doença periodontal, oclusopatias, fluorose (intoxicação pelo flúor e seus derivados), dentre ouras, no sentido de se verificar, além da prevalência, a extensão da gravidade das doenças bucais.

Segundo a diretora, Daniele Leal, a Política Nacional de Saúde Bucal determina a realização de estudos epidemiológicos desse porte como parte componente da Vigilância em Saúde. “A nossa proposta é realizar pesquisas desse tipo a cada 10 anos, com o intuito de avaliar as alterações no quadro epidemiológico da população”, afirma.

O projeto terá financiamento da SES-MG, através da Diretoria de Saúde Bucal, no valor de R$168 mil, sendo que cada município participante vai receber R$ 2.800,00 para pagamento de pessoal e ressarcimento de despesas de deslocamento, além de receber todo o material para realização dos exames.

“Os municípios investem disponibilizando os profissionais para a pesquisa. E o Ministério da Saúde é parceiro no processo, uma vez que toda a metodologia do projeto é do Ministério”, acrescenta a diretora de Saúde Bucal, Daniele Leal.

Participação dos municípios

Para que houvesse representatividade em todo o território do estado de Minas Gerais, os municípios participantes do projeto SB Minas Gerais foram sorteados, seguindo um processo de amostragem probalística.

Nesse processo, foram considerados os grupos etários e o fator de alocação dos municípios, definidos a partir da associação dos índices de necessidade em saúde e de porte econômico, que levam em conta variáveis epidemiológicas e socioeconômicas, além da capacidade do município financiar, com recursos próprios, os cuidados com a saúde dos cidadãos.

Para execução do projeto, os municípios participantes contam com um examinador, um anotador e um coordenador municipal, sendo que os exames são realizados por Cirurgiões Dentistas e os anotadores são profissionais de nível médio, geralmente técnico em Saúde Bucal (TSB) ou auxiliar em Saúde Bucal (ASB), das Secretarias Municipais de Saúde dos próprios municípios.

“As equipes de campo foram treinadas, em oficina com duração de 24 horas, onde foi possível discutir a operacionalização das etapas do trabalho e as atribuições de cada participante, a fim de assegurar um grau aceitável de uniformidade nos procedimentos”, esclarece a diretora de Saúde Bucal da SES-MG.

Metodologia de pesquisa

Durante a pesquisa, o cirurgião dentista vai percorrer a cidade e examinar, em domicílio, o morador que se interessar em participar voluntariamente do Projeto, sendo aptas a participar da pesquisa, pessoas com idades de 05 e 12 anos, 15 a19 anos, 35 a 44 anos e 65 a74 anos.

O voluntário deverá, também, responder um questionário, composto por perguntas subjetivas que vão ajudar na compreensão do processo saúde/doença bucal. “O questionário vai contribuir para a avaliação das condições socioeconômica e de utilização dos serviços, sendo fundamental para a estruturação da Rede Assistencial em Saúde Bucal”, afirma Daniele Leal.

O projeto segue a metodologia do SB Brasil 2010, do Ministério da Saúde, e conta com a colaboração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que vai avaliar os resultados através do Conselho de Ética em Pesquisa. Outra instituição a avaliar o resultado da pesquisa será o Comitê de Ética em Pesquisa cadastrado junto à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP).

Municípios Participantes

Guaxupé, Conselheiro Lafaiete, Capela Nova, Betim, Contagem, Itabirito, Sabará, Igarapé, Coronel Fabriciano, Pingo-D’água, Naque, Diamantina, Jenipapo de Minas, Serro, Divinópolis, Lagoa da Prata, Onça de Pitangui, Governador Valadares, Central de Minas, Peçanha, São José da Safira, João Monlevade, Virginópolis, Centralina, São Romão, Varzelândia, Juiz de Fora, Arantina, Cataguases, Simonésia, Pedra Bonita, Montes Claros, Janaúba, Monte Azul, Capitão Enéas, Padre Carvalho, Rio Pardo de Minas, Piumhi, Patos de Minas, João Pinheiro, Águas Vermelhas, Santa Maria do Salto, Santa Fé de Minas, Paula Cândido, Santa Rita do Sapucaí, Turvolândia, Piedade do Rio Grande, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Machacalis,Crisólita,Malacacheta, Ubá, Rosário da Limeira, Araxá, Perdizes, Uberlândia, Unaí, Boa Esperança e Varginha.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/ses-promove-pesquisa-para-mapear-a-saude-bucal-da-populacao-do-estado/

Gestão da Saúde: com investimentos do Governo de Minas, hospital é ampliado em Uberaba

Hospital Hélio Angotti, referência em oncologia no Triângulo Mineiro, conta com 22 novos leitos

O Governo de Minas inaugurou, nesta quarta-feira (02), a ampliação do Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Na solenidade, que contou com a presença do secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, foram entregues 22 novos leitos na unidade de saúde.

Até o final deste ano, outros 22 leitos serão entregues à população de Uberaba. “Investir nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) é uma prioridade. Por isso, vamos aplicar parte dos recursos do Programa Estadual de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS (Pro-Hosp) para assegurar a construção da nova unidade”, anunciou o secretário.

Em junho deste ano, deverá ser entregue à população de Uberaba a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA 24h). Nesta obra, o Governo de Minas investiu cerca de R$ 2,5 milhões, sendo mais de R$ 987 mil na construção do complexo, além de mais R$ 198 mil para adequação visual e outros R$ 1,31 milhão para aquisição de equipamentos.

“Depois de viver uma grave crise, o Hospital Hélio Angotti deu a volta por cima. Isso se deve à sua capacidade de gestão, à qualidade do gasto e ao espírito republicano das lideranças que apoiam a instituição”, disse o secretário Antônio Jorge. “Este hospital tem sido exemplo e mostra que é possível acreditar no SUS”, completou o secretário.

Para aprimorar o atendimento à população local, o Governo de Minas ficará responsável pela manutenção dos 22 leitos entregues nesta quarta-feira, com os investimentos do Pro-Hosp. As obras de ampliação do Hospital Hélio Angotti contaram, ainda, com investimento Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), sediada em Araxá.

Investimentos

No ano passado, o Governo de Minas, por meio do Pro-Hosp, aplicou R$ 2 milhões na instituição. Para este ano, está previsto investimento no mesmo valor.  A inclusão do Hospital Hélio Angotti no Pro-Hosp, segundo o coordenador estadual do programa, Tiago Lucas, se deve à sua relevância nos serviços prestados em tratamentos contra o câncer.

Alguns números da instituição demonstram sua importância para o município e para a região do Triângulo Mineiro: 93,78% de atendimentos são feitos pelo SUS; a unidade realiza 16.325 consultas por ano, 4.319 internações e 3.993 cirurgias anuais, sendo que 11.315 são pacientes assistidos por mês na instituição.

Délcio Scandiuzzi, presidente do hospital, afirmou que a instituição preza pela qualidade do atendimento prestado aos usuários do SUS. “Para isso, contamos com investimentos cada vez maiores do Governo de Minas, visando à aquisição das tecnologias mais modernas de tratamento disponíveis no mercado”, destacou.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/com-investimentos-do-governo-de-minas-hospital-e-ampliado-em-uberaba/